ICFUT–Copa do Brasil: Sem clássico estadual: sorteio define duelos das quartas da Copa do Brasil

Fonte: globo

Confrontos da próxima fase serão: Vasco x São Paulo, Figueirense x Santos, Palmeiras x Inter, Grêmio x Fluminense. Datas e horários ainda serão divulgados

Oito times, uma taça. Os confrontos das quartas de final da Copa do Brasil 2015 foram definidos no início da tarde desta segunda-feira, em sorteio realizado na sede da CBF, no Rio de Janeiro. Após dois clássicos estaduais nas oitavas (Vasco x Fla e Santos x Corinthians), a próxima fase não terá enfrentamentos entre equipes do mesmo estado. Confira os duelos – os times à esquerda fazem o segundo jogo dentro de casa:

CARROSSEL  Sorteio Copa do Brasil 2015 (Foto: Editoria de Arte)– Vasco x São Paulo
– Santos x Figueirense
– Palmeiras x Internacional
– Grêmio x Fluminense

Datas e horários ainda serão divulgados. Os jogos de ida estão programados para os dias 23 e 24 de setembro. E os de volta, para os dias 30 de setembro e 1° de outubro.

Para as semifinais, não haverá mais sorteio. O vencedor do duelo entre São Paulo e Vasco enfrenta nas semis quem passar de Figueirense x Santos. O ganhador de Palmeiras x Inter pega Grêmio ou Fluminense. Há, portanto, a possibilidade de dois clássicos estaduais nas semis, caso passem São Paulo, Santos, Inter e Grêmio.

Uma novidade na Copa do Brasil de 2015 é que, na final, o gol fora de casa não será mais critério de desempate. A edição atual é a de número 27.

Entre os oito times, o Grêmio é o maior campeão, com quatro títulos. O Palmeiras soma duas taças. Fluminense (2007), Internacional (1992), Santos (2010) e Vasco (2011) têm um título cada. Já Figueirense e São Paulo tentam conquistar a Copa do Brasil pela primeira vez.

ICFUT – São Paulo abre conversas com Kaká e Aidar sonha em repetir ‘fundo’

Fonte: lancenet

Tricolor aproveita vinda do ídolo ao Brasil para passar férias e faz contato inicial. Jogador não deve continuar no Milan, mas salário alto e desejo pelos Estados Unidos são entraves

Kaká - Treino do São Paulo (Foto: Eduardo Viana/LANCE!Press)
Kaká visitou treino do São Paulo neste mês (Foto: Eduardo Viana/LANCE!Press)

É muito cedo para qualquer definição, tudo ainda é tratado como um sonho, mas o presidente Carlos Miguel Aidar já se movimenta nos bastidores para tentar repatriar o ídolo Kaká. Nos últimos dias, aproveitando a vinda do meia ao Brasil para passar férias, o mandatário e sua nova diretoria procuraram os representantes do jogador e fizeram a sondagem inicial.

Na conversa, o São Paulo ficou sabendo das intenções de Kaká, quanto ele recebe na Europa e se estaria disposto a retornar ao seu país e clube formador. As informações recebidas são o obstáculo, que deixam a situação em estágio de sonho, mas ainda há esperança. O próprio Kaká não descarta a possibilidade, como já fez outrora. Durante visita ao CT da Barra Funda, sexta-feira passada, ele disse que espera voltar um dia.

Pessoas ligadas ao jogador dizem que, em relação aos contatos anteriores, sempre feitos pela diretoria do São Paulo, nunca houve cenário mais positivo. Isso porque o meia já definiu que dificilmente continuará no Milan (ITA) na próxima temporada. Ele tem mais um ano de contrato com o clube italiano, mas a não classificação para a Champions League permite a liberação imediata, sem custos. Ou seja, a questão é acertar o salário. O problema é que isso não é fácil e, além disso, no momento o Tricolor não é a prioridade de Kaká.

Há alguns anos, o jogador vem amadurecendo a ideia de jogar nos Estados Unidos. Lá, considera que manterá a boa qualidade de vida aos familiares, com facilidade para educar bem os filhos e a possibilidade de manter os vencimentos que recebe na Europa: cerca de R$ 2 milhões mensais.

O salário, aliás, é o maior entrave de uma possível negociação, que pode ser aberta durante a Copa do Mundo. Sozinho, o Tricolor está longe de poder bancar a quantia. Mas é aí que entra mais um sonho do presidente Carlos Miguel Aidar: a criação de um fundo de investimentos.

A ideia foi apresentada já no discurso de posse do dirigente e ainda não está no papel por falta de oportunidade e, por ora, os parceiros necessários para viabilizá-los. Mas o projeto encontra-se na gaveta do presidente, que pretende repetir o que já foi feito com o próprio Kaká.

Pouca gente sabe, mas em 2003, quando Kaká foi vendido para o Milan, Carlos Miguel Aidar chegou a trabalhar em uma maneira de segurar o craque. O presidente, que na época não era membro da diretoria, reuniu empresários para formar um fundo de investimentos que bancaria o salário do jogador no Tricolor.

A ideia do dirigente era que quem investisse no projeto Kaká ficaria com uma participação em uma futura venda do jogador, sendo então recompensado financeiramente. O plano, como se sabe, não deu certo.

Kaká foi vendido ao Milan por cerca de 8,5 milhões dólares (na época, R$ 23,8 milhões), valor que foi considerado baixo, rendendo o famoso título "preço de banana".

Já em 1986, Aidar criou um fundo para pagar os salários do já experiente Falcão. Ou seja, não custa nada sonhar…

ICFUT – Alan Kardec assina contrato com São Paulo por cinco temporadas

Fonte: estadao

Clube só aguarda a homologação oficial da CBF para poder apresentar o atacante

SÃO PAULO – Agora falta pouco para o atacante Alan Kardec ser finalmente apresentado como novo jogador do São Paulo. Depois de acertar a rescisão contratual com o Palmeiras, onde estava emprestado pelo Benfica até o meio deste ano, nesta segunda-feira o atleta assinou um contrato de cinco temporadas com o clube tricolor paulista.

Falta pouco para Kardec ser apresentado pelo São Paulo - José Patrício/EstadãoJosé Patrício/Estadão

Falta pouco para Kardec ser apresentado pelo São Paulo

Com todos os documentos assinados, inclusive com o clube português, o São Paulo só aguarda a homologação oficial da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) para poder apresentar o atacante. De acordo com a assessoria de imprensa do clube do Morumbi, faltam alguns trâmites burocráticos com a entidade nacional para o nome de Alan Kardec aparecer no BID (Boletim Informativo Diário).

O atacante já está de volta a São Paulo, depois de passar alguns dias no Rio, e já fez os exames médicos de praxe no clube tricolor.

Assim como acontece com o volante Elias, que deixou o Sporting Lisboa para voltar ao Corinthians, Alan Kardec só poderá atuar pelo São Paulo a partir do dia 14 de julho, após a realização da Copa do Mundo, porque a sua transferência é internacional e precisa acontecer dentro da janela para negociações estipulada pela Fifa.

Por Cezar Alvarenga – Após eliminações São Paulo repensa temporada.

Fonte: MSN Eportes

Eliminado no Paulistão e na Libertadores em apenas quatro dias, o São Paulo já começa o planejamento para a disputa do Brasileiro. Faltando pouco mais de duas semanas de preparação para a estreia no torneio, dia 26, contra a Ponte Preta, em Campinas, o clube repensará o elenco e não descarta a saída ou chegada de jogadores. Segundo os dirigentes, Ney Franco está mantido no cargo até o final de seu contrato, em dezembro.

Segundo João Paulo de Jesus Lopes, vice-presidente de futebol, reuniões serão feitas com a comissão técnica para analisar o grupo. “Nós vamos fazer as devidas avaliações, como fazemos sempre que concluímos a participação em uma competição”, explica, lembrando que o time está atrás de novos jogadores. “Nosso objetivo é permanentemente reforçar o elenco.”

Quem está tocando as negociações é o diretor de futebol Adalberto Batista, que se recusa a dar nomes de jogadores que estão na mira. “Precisamos fazer pequenos ajustes e estamos vendo oportunidades de mercado. Sabemos que o nosso elenco é qualificado, mas com uma ou outra peça a gente deixa o grupo com capacidade de disputar bem o Brasileiro”, disse.

O próprio comandante são-paulino reconhece que algumas posições são carentes no elenco, como as laterais e um atacante de velocidade pelas pontas, mas evitou falar abertamente sobre isso após a goleada de 4 a 1 sofrida para o Atlético-MG. “Tenho alguns tópicos em relação à contratação em algumas posições e prefiro tratar isso internamente com a diretoria. Já temos algumas coisas em andamento. Vamos anunciar as decisões quando elas forem tomadas”, afirmou.

O substituto de Lucas, vendido ao Paris Saint-Germain, é o grande objetivo do São Paulo. O clube tentou o meia Montillo, que foi para o Santos. Correu atrás de Vargas, que se transferiu para o Grêmio, e até de Dudu, que atua no Dínamo Kiev (Ucrânia). Mas todas as negociações não deram certo.

Depois a diretoria sondou o atacante argentino Ignacio Scocco, do Newell’s Old Boys. Ele é goleador, chuta forte e atua em velocidade pelos lados. Mas o atleta, que está emprestado pelo Al Ain, dos Emirados Árabes Unidos, já deu a entender que prefere continuar na Argentina neste momento.

Por Cezar Alvarenga – São Paulo perde na Bolívia e pode ser eliminado ainda na primeira fase da Libertadores 2013.

Fonte: Yahoo! Esportes

A situação do São Paulo na Libertadores se complicou de vez nesta quinta-feira. Nos 3.660 metros de altitude de La Paz, os brasileiros perderam muitas chances de gol, viram o The Strongest acertar dois belos chutes de longa distância e acabaram derrotados por 2 a 1, pela quinta rodada do Grupo 3. Agora, a equipe de Ney Franco não depende apenas de si para avançar às oitavas de final.

Foi a quarta derrota em quatro jogos fora de casa – contando o 4 a 3 diante do Bolívar na fase preliminar. O resultado deixou o São Paulo com apenas quatro pontos, na terceira colocação do Grupo 3, enquanto o The Strongest chegou aos seis. Na última rodada, diante do Atlético-MG, dia 17, no Morumbi, a equipe paulista precisa da vitória e torcer contra o time boliviano, que pega o Arsenal no mesmo dia e horário, na Argentina.

Nesta quinta-feira, o São Paulo criou muitas oportunidades, mas falhou nas finalizações. Osvaldo, no primeiro tempo, e Aloísio, na etapa final, tiveram pelo menos três chances cada um. A equipe contou com Rogério Ceni, que era dúvida por conta de uma pancada sofrida na derrota para o Corinthians. O goleiro marcou o único gol brasileiro, mas não evitou que duas pancadas de longe acabassem dentro do seu gol, dando a vitória ao adversário.

O JOGO – Como era previsto, o The Strongest começou tentando explorar os chutes de longe, mais perigosos por conta da altitude. Logo a um minuto, Pablo Escobar bateu com perigo de fora da área. Um minuto depois foi a vez de Cristaldo, mas Rogério Ceni defendeu. Osvaldo respondeu na mesma moeda em duas oportunidades, exigindo boas defesas de Vaca.

As chances seguiam aparecendo em chutes de longe. Novamente Pablo Escobar levou perigo ao gol de Rogério Ceni e o São Paulo respondeu prontamente em pancada de Thiago Carleto, que assustou Vaca.

Com a insistência de ambos os lados, o primeiro gol só poderia nascer em um chute de longe. Aos 12 minutos, Soliz arrancou pelo meio de campo, ganhou na dividida de Denilson e encheu o pé no ângulo direito de Rogério Ceni, marcando um golaço.

Escobar ainda teve mais um grande momento, aos 19 minutos, mas logo o São Paulo passou a tomar conta do jogo, explorando os contra-ataques. Aos 22 minutos, Jadson recebeu pela esquerda, achou Ganso, que rolou para Osvaldo encher o pé. Vaca salvou o The Strongest mais uma vez.

Osvaldo era a peça mais acionada no ataque são-paulino e dava muito trabalho à defesa adversária. Aos 25 minutos, ele recebeu pela direita, tentou cruzar, mas acertou o travessão. Sete minutos depois, Aloísio deu lindo passe para o atacante, que invadiu sozinho pela direita, mas bateu para fora.

De tanto insistir, o São Paulo chegou ao gol de empate. Aos 43 minutos, Aloísio brigou no ataque e, quando passaria por Cristaldo, foi derrubado dentro da área. O árbitro marcou pênalti, que Rogério bateu com categoria, no canto esquerdo de Vaca, para empatar.

O segundo tempo começou da mesma forma que o primeiro, com oportunidades de ambos os lados, sempre em chutes de fora da área. Aloísio tentou primeiro, mas Escobar respondeu na sequência. O atacante são-paulino passou a ser muito acionado, mas falhou nas oportunidades que teve.

Em uma de suas muitas chances, Aloísio recebeu pela esquerda, cortou para o meio, mas foi travado na hora de bater. No rebote, Ganso perdeu gol feito. O São Paulo comandava o jogo, mas falhava nas finalizações.

A velha máxima de que “quem não faz, toma” fez do São Paulo mais uma vítima e o The Strongest voltou a ficar à frente aos 21 minutos. Cristaldo caminhou com a bola com tranquilidade e arriscou de muito longe. Rogério Ceni voou na bola, chegou a tocar nela, mas não evitou o gol.

Se Osvaldo era o nome do time brasileiro no primeiro tempo, Aloísio era o mais acionado do ataque no segundo, e perdeu outra boa chance aos 29 minutos. O desgaste dos jogadores era visível, mas a equipe se mantinha na disputa. O próprio Aloísio desperdiçou o último momento do São Paulo, cabeceando em cima de Vaca.

FICHA TÉCNICA:

THE STRONGEST 2 X 1 SÃO PAULO

THE STRONGEST – Vaca; Bejarano, Barrera, Smith e Chávez; Chumacero, Veizaga, Soliz (Cunninghan) e Cristaldo; Pablo Escobar e Harold Reina (Paz). Técnico: Eduardo Villegas

SÃO PAULO – Rogério Ceni; Paulo Miranda (Rodrigo Caio), Rafael Toloi, Edson Silva e Thiago Carleto; Denilson (Wallyson), Maicon (Wellington), Jadson e Paulo Henrique Ganso; Osvaldo e Aloísio. Técnico: Ney Franco.

GOL – Soliz, aos 14, e Rogério Ceni, aos 43 minutos do primeiro tempo. Cristaldo, aos 21 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO – Victor Carillo (Peru/Fifa).

CARTÕES AMARELOS – Bejarano (The Strongest); Denilson, Paulo Miranda, Jadson (São Paulo).

RENDA E PÚBLICO – não disponíveis.

LOCAL – Estádio Hernando Siles, em La Paz (Bolívia).

Por Cezar Alvarenga – Com choro de são paulinos, Timão vence de virada no Morumbi.

Fonte: Yahoo! Esportes

O São Paulo fez, neste domingo, uma das suas atuações mais consistentes no Campeonato Paulista, mas acabou derrotado pelo Corinthians, por 2 a 1, no Morumbi, no último clássico da fase de classificação. A virada alvinegra veio graças um golaço de Danilo, sumido na partida, no finalzinho do primeiro tempo, e a um gol marcado por Pato, num pênalti bastante discutível.

No lance, o atacante foi mais rápido que Rogério Ceni. O goleiro foi dar um chutão e acabou acertando o pé de Pato. O time inteiro do São Paulo reclamou por minutos, mas de nada adiantou. A virada acabou servindo como punição à equipe que jogou melhor, criou as melhores chances, mas exagerou no preciosismo.

Os dois times agora jogam pela Libertadores. Na quarta, o Corinthians enfrenta o Millonarios, na Colômbia. Um dia depois, o São Paulo pega o The Strongest, na Bolívia. Pelo Paulistão, ambos devem usar reservas no domingo. O time tricolor em Ribeirão Preto, contra o Botafogo. O alvinegro, no Pacaembu, diante do São Bernardo. De qualquer forma, Alessandro, Emerson e Ganso levaram o terceiro amarelo e estão suspensos no Estadual.

Apesar da derrota, o São Paulo segue líder do Paulistão, com 35 pontos, um a mais que a Ponte Preta – com um jogo a menos. O Corinthians está com 29, em quarto, mas pode ainda ser ultrapassado pelo Mogi Mirim, que joga logo mais em São Caetano do Sul.

O JOGO – Apesar dos compromissos pela Libertadores no próximo fim de semana, São Paulo e Corinthians entraram em campo com o que tinham de mais forte. O time tricolor contava com o retorno de Paulo Miranda à lateral direita, com Rodrigo Caio ficando banco de reservas. No Corinthians, Pato começou no banco, ainda voltando de lesão, com Emerson na equipe.

A promessa era de um bom jogo e logo aos 5 minutos isso começou a se tornar realidade. Os corintianos ficaram pedindo falta e deixaram Osvaldo disparar em velocidade. De volta da seleção, o atacante desceu pela esquerda e tocou para o meio. Ganso foi inteligente, deixou a bola passar, Jadson recebeu, limpou Fábio Santos e bateu tirando de Cássio.

Taticamente o São Paulo era muito bem organizado. Segurava-se bem atrás, apesar de alguma deficiência na marcação no meio-campo, e quando tinha a bola no ataque criava chances reais. Aos 19, por exemplo, Jadson enganou toda a zaga e inverteu para Osvaldo. O atacante poderia dominar, pensar, e bater, mas preferiu chutar de primeira, antes que a bola caísse, e mandou para longe.

Não fosse o preciosismo, o São Paulo poderia ter saído do primeiro tempo vencendo com um amplo placar. Num lance Ganso deu bela enfiada para Jadson, que tentou devolver ao invés de chutar. A zaga tirou. Em outro, Ganso é quem teve espaço para arriscar na área, mas preferiu dar para Luis Fabiano. Mais uma vez a zaga teve tempo de recuperação.

Ganso e Jadson faziam ótimo jogo, mas chutavam pouco. Danilo jogava muito mal, mas pelo menos ele tentou. E acertou. Aos 41, o Corinthians bateu uma falta com rapidez, Emerson recebeu pela direita e inverteu o jogo. Danilo dominou, cortou para dentro e arriscou de primeira. Colocou no ângulo de Rogério Ceni, sem chances de defesa.

O placar mudou, mas o panorama do jogo seguiu o mesmo no segundo tempo. Paulo Henrique Ganso ditava um ritmo lento, mas eficiente para o São Paulo. A troca de passes no campo ofensivo era com paciência. Em dois lances a bola chegou até Luis Fabiano, na cara de Cássio. Nas duas o auxiliar anotou impedimento (bom para o atacante, que errou os dois chutes).

Rogério Ceni não parecia no mesmo ritmo do restante do time. No primeiro tempo ele já havia entregue uma saída de bola para Ralf. Na segunda etapa, foi dar um chutão na pequena área, furou, e só não levou o gol porque a bola bateu na sua outra perna.

E foi numa falha do goleiro que nasceu o segundo gol corintiano. Toloi recuou uma bola na fogueira para Rogério, que atrasou o chute e permitiu a Pato chegar antes. O atacante bateu na bola e o são-paulino chutou a sola do seu pé. Pênalti que gerou cerca de sete minutos de reclamação e um amarelo para Ceni. Pato mesmo cobrou e fez.

Apesar do tempo perdido com o pênalti, o árbitro só deu cinco minutos de acréscimo. Com Wallyson e Douglas nos lugares de Paulo Miranda e Maicon, o São Paulo foi para cima, agora com muito menos paciência do que no restante do jogo. Na única boa chance, Osvaldo cruzou, Wallyson tentou pegar Cássio no contrapé, mas o goleiro foi espero e segurou.

FICHA TÉCNICA:

SÃO PAULO 1 X 2 CORINTHIANS

SÃO PAULO – Rogério Ceni; Paulo Miranda (Douglas), Rafael Toloi, Edson Silva e Thiago Carleto; Denilson (Wellington), Maicon (Wallyson), Paulo Henrique Ganso e Jadson; Osvaldo e Luis Fabiano. Técnico – Ney Franco.

CORINTHIANS – Cássio; Alessandro, Paulo André, Gil e Fábio Santos; Paulinho, Ralf, Danilo e Romarinho (Edenilson); Emerson (Jorge Henrique) e Guerrero (Alexandre Pato). Técnico – Tite.

GOLS – Jadson, aos 5, e Danilo, aos 42 minutos do primeiro tempo. Alexandre Pato, de pênalti, aos 36 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO – Leandro Bizzio Marinho.

CARTÕES AMARELOS – Thiago Carleto, Rogério Ceni, Paulo Henrique Ganso, Alexandre Pato, Emerson e Alessandro.

RENDA – R$ 708.080,00.

PÚBLICO – 20.930 pagantes.

LOCAL – Estádio do Morumbi, em São Paulo.

 

ICFUT – São Paulo Vence Oeste, Não convence, Mas retoma a liderança

Torcida que protesta antes, durante e depois do jogo. Atacante que faz gol e não comemora. Meia que custou caro e passa os 90 minutos no banco de reservas. Técnico contestado e chamado de burro. No meio de tudo isso, o São Paulo venceu o Oeste por 3 a 2 neste domingo, num vazio e chuvoso Morumbi, e retomou a liderança do Campeonato Paulista. Nem parece. Com tantos problemas a serem resolvidos, o Tricolor mal celebrou o resultado em um jogo estranho, com mais sustos do que o previsto.

O estádio recebeu apenas 7.881 pagantes, número até razoável, dadas a baixa temperatura, a chuva e a recente derrota são-paulina para o Arsenal, pela Libertadores. Edson Silva e Rafael Toloi abriram o placar no primeiro tempo, e Luis Fabiano desencantou no segundo – não comemorou o gol, nem esboçou um sorriso. Ligger e Wanderson descontaram para o Oeste.

Paulo Henrique Ganso não começou jogando, nem foi utilizado durante partida. Passou o tempo todo no banco e viu a torcida criticar Ney Franco. Além dos gritos de “burro”, faixas com “Cadê o esquema tático?” e “PH Ganso e Cañete no banco?”. Questões que técnico e time não conseguiram responder de forma satisfatória neste domingo.

O resultado levou o Tricolor aos 26 pontos, na liderança do estadual. A Ponte Preta também tem 26, mas com uma vitória a menos que o time do Morumbi (8 a 7). O Oeste permanece com 14, em 12º. O São Paulo volta a campo na próxima quarta-feira, contra o São Bernardo, às 22h (horário de Brasília), no ABC paulista. No mesmo dia, o Oeste recebe o Bragantino, às 19h30, em Itápolis.

Fonte: Globo Esporte

Por Cezar Alvarenga – Luis “Mimimi” Fabiano é expulso e reclama da arbitragem e dos jogadores argentinos por ofensas.

Fonte: UOL Esportes

Expulso após o fim da partida contra o Arsenal (ARG), Luis Fabiano mostrou-se bastante chateado. Ao deixar o vestiário, ele desabafou, se defendeu e fez uma acusação grave contra jogadores da equipe argentina, ao dizer que foi chamado de macaco por algumas vezes durante o confronto.

“Deve ter vídeos, ter algo gravado, podem ver. Eu vou me defender, dessa vez não falei nada. Cada um que tire sua conclusão. (O árbitro) Ficou sempre me intimidando, muitas vezes querendo falar que ia me tirar do jogo. Recebi várias provocações (dos rivais), me chamaram de macaquito (macaco), mas eu me contive e não ia ser idiota de depois do jogo xingar para tomar o vermelho”, reclamou o atacante são-paulino.

Assim que o árbitro Wilmar Roldán apitou o fim do empate por 1 a 1, no Pacaembu, os jogadores do São Paulo o cercaram para reclamar do pouco tempo de acréscimo dado no segundo tempo, já que os argentinos abusaram da catimba e das paralisações na etapa complementar. No meio de alguns companheiros, Luis Fabiano recebeu o vermelho e perdeu a paciência.

Reclamou ainda mais e chegou a discutir com o juiz colombiano. Só deixou o gramado quando Rogério Ceni o tirou de campo e levou para o vestiário da equipe. O goleiro, aliás, foi outro que discordou da atuação de Roldán no confronto desta quinta-feira.

“Esse árbitro não tem condições. Já tinha prejudicado a gente antes. O pênalti pode até ter pego a bola na mão, mas para dar um pênalti desse não basta ter pulso, tem que ter é muita vontade. O goleiro deles trabalhou bem, mas não fizemos um bom jogo. Até o gol, estávamos jogando bem”, afirmou o capitão.

Quem também comentou sobre o assunto foi o técnico Ney Franco. No entanto, o treinador disse que o atacante não falou com ele sobre o assunto e defendeu seu atleta.

“O meu contato com o Luis foi muito rápido. Apenas reunimos os jogadores para falar da programação de amanhã, ele não falou nada sobre isso e ninguém me falou nada sobre esse problema de racismo. O que volto a dizer é que ele apenas reclamou do acréscimo e não merecia ser expulso”, falou Ney Franco.

Opinião Pessoal: Já cansou esta estória de sempre, se o São Paulo não consegue o resultado esperado, Luis Fabiano e Rogério Ceni reclamam da arbitragem como se sempre fossem prejudicados. Ontem perderam vários chances de gol, o Cortez comete um pênalti imbecil e a culpa é do árbitro? E ainda por cima, o cara consegue ser expulso após o fim do jogo? É muito mimimi.  Parei.

Por Cezar Alvarenga – Conmebol pune São paulo por confusão na final sa Copa Sulamericana.

Fonte: Yahoo! Esportes

Imagem

Finalmente o Tribunal Disciplinar da Conmebol puniu o São Paulo e o Tigre pelos eventos da final da Copa Sul-Americana em dezembro do ano passado. A entidade tomou a decisão nesta sexta-feira e, por conta disso, o Tricolor não poderá enfrentar o Atlético-MG, no próximo dia 17 de março.

Conforme a entidade, o São Paulo poderá escolher outro estádio para disputar a partida e nada impede que a arena que irá substituir o Morumbi seja na capital paulista.

Além do veto ao Morumbi, o São Paulo foi multado em cem mil doláres. O Tigre terá que pagar multa de igual valor em razão da confusão.

Marcada pela violência, a final da Sul Americana durou apenas 45min, já que os jogadores do Tigre disseram que foram agredidos por seguranças do São Paulo e que não se sentiam seguros no Morumbi.

Por sua vez, o São Paulo acusa os argentinos de tentar invadir o vestiário do clube para tentar o agredir os atletas do Tricolor.