ICFUT – Copa América 2011 – Argentina

Links  para jogos ao vivo

https://icfut.wordpress.com/2010/07/23/icfut-links-para-transmissao-dos-jogos-da-serie-a-b/

Fonte: Futebolinterior.com.br

GUIA COPA AMÉRICA: Confira tudo sobre as 12 seleções na Argentina!

Campinas, SP, 10 (AFI) – O maior espetáculo do futebol das américas terá início nesta sexta-feira e o para manter os internautas ainda mais informados, o Portal Futebol Interior traz um panorama de cada das 12 seleções, que disputarão a Copa América. Nesta ano, além dos dez sul-americanos, há dois convidados: México e Costa Rica.

O FI uma pesquisa detalhada dos adversários do Brasil, com informações relacionadas ao futebol como craque, convocados e time-base de cada país, e informações também dos países como o PIB e a população.

O Portal FI fará uma cobertura completa para os internautas. Serão 12 seleções correndo atrás de um mesmo sonho: a taça de campeão das américas.

ARGENTINA: Nunca uma seleção foi tão favorita!

A Argentina é anfitriã e conta com o melhor jogador do mundo, mas tem jejum para quebrar

Chegou a hora de brilhar com a alviceleste?

Atuando com o apoio de seus torcedores, tendo um elenco composto por craques de nível mundial e contando com a “simples” ajuda do melhor jogador do mundo. Por tudo isso, a Argentina é a grande favorita ao título da Copa América 2011, que será realizada no país. Mesmo assim, Messi e cia terão que suportar a pressão dos argentinos, que estão na “seca” de uma conquista importante.

Os hermanos não sabem o que é erguer um troféu há nada mais nada menos que 18 anos. A última conquista importante aconteceu em 1993, quando a Argentina foi campeã da Copa América realizada em Equador. De lá para cá, a seleção teve mais duas oportunidades de terminar no topo, mas em ambas foi batida pela Seleção Brasileira na grande decisão.

Para acabar com esse jejum, os argentinos irão precisar controlar também os egos. Sérgio Batista não tem um bom relacionamento com Carlitos Tévez e havia declarado que o atacante estava fora dos planos para a disputa da Copa América. No entanto, depois dos torcedores pedirem a sua convocação, o treinador acabou voltando atrás e chamando o jogador, que deve ser titular na estreia.

Além disso, essa Copa América é mais uma chance para Messi mostrar que não é jogador apenas de clube. Faz tempo que o meia vem tendo atuações abaixo da média com a camisa da Argentina, diferente daquelas que encantam os olhos dos torcedores do Barcelona. Devido ao fracasso na Copa do Mundo da África do Sul, quando não passou das quartas-de-final, o técnico Sérgio Batista pediu para a torcida ter tranquilidade e evitar fazer pressão nos jogadores.

Se fosse possível, a Argentina sequer deveria entrar em campo na primeira fase, pois dificilmente irá tropeçar, já que está no Grupo A ao lado de Colômbia, Costa Rica e Bolívia, considerada duas das piores seleções da Copa América. Caso algum deslize aconteça, dificilmente a torcida irá poupar comissão técnica e jogadores, pois o jejum de conquistas importantes vai aumentar ainda mais.

Histórico
A Argentina já disputou 38 vezes a Copa América e é uma das seleções que mais vezes foi campeã, com 14 títulos ao todo. No entanto, os hermanos não sabem o que é erguer um troféu desde 1993, no Equador. De lá para cá, foram mais duas finais, mas em ambas derrotas para a Seleção Brasileira, que aparece como o único candidato a tirar o título dos anfitriões.

A seu favor, a Argentina conta com o ótimo aproveitamento que possui quando a Copa América é realizada em casa. Atuando seis vezes como mandante, a seleção conquistou nada mais nada menos que cinco títulos, mostrando o que apoio dos seus fanáticos torcedores realmente faz diferença, mas isso pode acabar pesando contra caso o futebol apresentado seja abaixo da médica.

Em 2004, a Argentina estava batendo o Brasil e começou a segurar a bola, mas no último minuto Adriano Imperador acertou um bonito chute e levou a decisão para os pênaltis, pior para os hermanos, que ficaram com o vice-campeonato. Na edição seguinte, a Argentina era considerada grande favorita devido a sua campanha nas fases anteriores, mas a Canarinho não tomou conhecimento e goleou por 3 a 0, em uma atuação de gala do meia Júlio Baptista.

Agora, Messi e cia tentarão acabar com um longo jejum, que já dura 18 anos. Ao longo desse tempo, diversos craques defenderam a Argentina na Copa América, como Batistuta, Crespo, Ortega, Sorín e Simeone, mas nenhum deles conseguiram quebrar esse tabu.

FICHA TÉCNICA

Associação de Futebol da Argentina

Craque: Lionel Messi (Barcelona-ESP) – A escolha não poderia ser outra. Melhor jogador do mundo e grande estrela do Barcelona, o meia tem tudo para mostrar os mesmos desempenhos com a camisa da Argentina. Messi tem extrema habilidade, aguenta o tranco dos zagueiros, ajuda na marcação e finaliza como ninguém. Ou seja, é simplesmente um jogador perfeito e que tem tudo para brilhar e ser o destaque desta Copa América.

Olho Nele: Dí Maria (Real Madrid-ESP) – Vem aparecendo aos poucos para o futebol mundial, mas já conquistou a Espanha. Mesmo o time madrilenho contando com muitas estrelas no meio-campo, como Kaká, Özil e Cristiano Ronaldo, Dí Maria assumiu a posição de titular e não vem decepcionando os torcedores. Mesmo não sendo considerado titular absoluto por Sérgio Batista – vai brigar por uma posição com Tévez – pode ser uma peça de desequilíbrio.

Cotação FI: Briga pelo título – Atuando com o apoio de seus torcedores, tendo um elenco composto por craques de nível mundial e contando com a “simples” ajuda do melhor jogador do mundo. Por tudo isso, a Argentina é a grande favorita ao título da Copa América 2011, que será realizada no país. Além disso, os hermanos também estão no grupo mais fácil, ao lado de Bolívia, Colômbia e Costa Rica.

Ranking da Fifa: 5ª colocada
Melhor colocação na Copa América: 14 títulos (1921, 1925, 1927, 1929, 1937, 1941, 1945, 1946, 1947, 1955, 1957, 1959, 1991 e 1993)
Quantas Copas disputou: 38
Colocação na última edição: Vice-campeã (perdeu na final para o Brasil

Time-base: Andújar; Zanetti, Otamendi, Garay e Burdisso; Mascherano, Cambiasso, Aguero e Messi; Tevez e Milito. Técnico: Sérgio Batista.

Os 23 convocados:
Goleiros: Sergio Romero (AZ Alkmaar), Juan Pablo Carrizo (River Plate) e Mariano Andújar (Catania)
Defesa: Emiliano Insúa (Galatasaray), Ezequiel Garay (Real Madrid), Gabriel Milito (Barcelona), Javier Zanetti (Inter de Milão), Luciano Monzón (Boca Juniors), Marcos Rojo (Spartak Moscou), Nicolás Burdisso (Inter de Milão), Nicolás Pareja (Spartak Moscou) e Pablo Zabaleta (Manchester City)
Meio de Campo: Diego Valeri (Lanús), Enzo Pérez (Estudiantes), Esteban Cambiasso (Inter de Milão), Ever Banega (Valencia), Fernando Gago (Real Madrid), Javier Mascherano (Barcelona), Javier Pastore (Palermo) e Lucas Biglia (Anderlecht)
Atacantes: Ángel Di María (Real Madrid), Carlos Tevez (Manchester City), Diego Milito (Inter de Milão), Ezequiel Lavezzi (Napoli), Gonzalo Higuaín (Real Madrid), Lionel Messi (Barcelona) e Sergio Agüero (Atlético de Madri)

O PAÍS
Nome oficial: República Argentina
Capital: Buenos Aires
População: 32.282.970 de habitantes
PIB: US$ 523,7 bilhões
Língua Oficial: Espanhol
Moeda: Peso Argentino

URUGUAI: Hora de provar que a Celeste Olímpica ressuscitou!

Após surpreender na Copa do Mundo, Uruguai quer provar que pode voltar a ser grande

Suarez vai roubar o posto de Forlán?Depois da surpreendente campanha na Copa do Mundo da África do Sul, onde terminou com o quarto lugar, o grande questionamento no mundo da bola passou a ser se a gloriosa “Celeste Olímpica” havia ressuscitado. E a Copa América servirá justamente para responder a esta pergunta. Se conseguir bater de frente com Argentina e Brasil e brigar pelo título, a resposta será positiva. Caso contrário, a conclusão será de que o Mundial não passou de um sonho.

Para não decepcionar seus fanáticos torcedores e conseguir fazer frente aos rivais brasileiros, o técnico Oscar Tabarez aposta na base que disputou a última Copa. Por incrível que pareça, 19 dos 23 jogadores que disputaram o Mundial estarão na Copa América. As novidades o zagueiro Sebástian Coates, os meias Álvaro González e Cristian Rodriguez e o atacante Abel Henandez.

Na equipe titular, a força do Uruguai continua a ser o trio ofensivo formado por Diego Forlán, Edinson Cavani e Luís Suarez. Melhor jogador da Copa, Forlán, mais uma vez, deve ser escalado no meio, enquanto Suarez e Cavani serão abertos nas pontas. Na defesa, a liderança é do zagueiro Lugano, o capitão celeste.

História
O Uruguai é, ao lado da rival histórica Argentina, o grande “bicho-papão” da Copa América. Os uruguaios são os maiores campeões ao lado dos argentinos, com 14 títulos conquistados. Seis mais que o Brasil. A Seleção Amarelinha, parece ter acordado e já conquistou quatro das últimas cinco edições do principal torneio de seleções das Américas.

Se o Brasil vai bem, a Celeste não anda muito bem das pernas, nas últimas edições. Nos últimos 20 anos, a seleção uruguaia foi campeã apenas uma vez, em 1995, quando jogou em casa. Além disso, neste mesmo período chegou somente em mais uma decisão, em 1999, no Paraguai, quando perdeu para o Brasil, de Ronaldo e Rivaldo, por 3 a 0.

Apesar de o retrospecto recente ser muito ruim, nunca se pode duvidar da tradição da camisa celeste. Se mesmo com times bem piores, o Uruguaio chegou a dar trabalho nas últimas copas américas, com este time bem montado e com alguns jogadores de destaque tem totais condições de brilhar. Agora, é esperar…

FICHA TÉCNICA

Associação Uruguaia de Futebol

Craque: Luís Suarez – Na Copa do Mundo da África do Sul, Forlán foi grande destaque do Uruguaio e melhor jogador do torneio. Sua última temporada, porém, não foi nada boa e ele acabou na reserva do Atlético de Madrid. O atacante Luís Suarez, pelo contrário, teve um ano de 2010 extraordinário pelo Ajax e, no início do ano, se transferiu ao Liverpool. Em pouco no clube inglês se adaptou bem e virou ídolo. Com apenas 24 anos, deve assumir a condição de protagonista da Celeste.

Olho nele: Edinson Cavani – O atacante não é tão famoso quanto seus companheiros de ataque, Suarez e Forlán. No entanto, fez uma temporada 2010-2011 fenomenal. Logo em sua primeira temporada pelo Napoli, foi vice-artilheiro do Italiano, com 26 gols. Com apenas 24 anos, fez história ao liderar o clube napolitano na campanha que garantiu a classificação para a Liga dos Campeões.

Cotação FI: Para no mata-mata – Não deve encontrar grandes dificuldades para passar no Grupo C, que conta com o bom time do Chile, a equipe Sub-23 do México e a frágil seleção do Peru. Nas quartas, também tem boas chances de passar. No entanto, ainda não tem time para bater de frente com Brasil ou Argentina em um provável confronto na semifinal.

Ranking da Fifa: 18º
Melhor colocação na Copa América: 14 vezes campeão (1916, 1917, 1920, 1923, 1924, 1926, 1935, 1942, 1956, 1959, 1967, 1983, 1987, 1995)
Quantas Copas disputou: 39
Colocação na última edição: 4°(semifinal)

Time-base: Muslera; Maxi Pereira, Victorino, Lugano e Cáceres; Pérez, Ramírez (Lodeiro), Arévalo Rios e Forlán; Cavani e Suárez. Técnico: Oscar Tabárez

Os 23 convocados:
Goleiros: Fernando Muslera, Martín Silva e Juan Castillo;
Defensores: Diego Lugano, Diego Godín, Sebastián Coates, Mauricio Victorino, Andrés Scotti, Martín Cáceres e Maximiliano Pereira;
Meio-campistas: Alvaro Pereira, Arévalo Ríos, Sebastián Eguren, Diego Pérez, Walter Gargano, Alvaro González, Nicolás Lodeiro e Cristian Rodríguez;
Atacantes: Edinson Cavani, Diego Forlán, Luis Suárez, Sebastián Abreu e Abel Hernández.

O PAÍS
Nome oficial: República Oriental do Uruguai
Capital: Montevidéu
População: 3.494.382 de habitantes
PIB: US$ 48,140 bilhões
Língua Oficial: Espanhol
Moeda: Peso uruguaio

BRASIL: Primeira prova de fogo para a ‘geração de ouro’

Será a primeira competição oficial de Mano Menezes e da geração Neymar, Ganso e cia.

Há tempos que o Brasil não tem uma geração tão talentosa e capaz de trazer de volta o futebol arte que sempre caracterizou a Seleção Brasileira e foi deixada de lado na “Era Dunga”. Com os garotos Neymar, Ganso, Alexandro Pato e Lucas, o técnico Mano Menezes promete resgatar o jogo bonito e escalar uma equipe com vocação ofensiva na Copa América da Argentina, que começa na próxima sexta-feira.

Será o primeiro grande teste desta geração, que é aposta para a Copa do Mundo de 2014, no Brasil. Para auxiliar esses jovens craques estarão jogadores consagrados mundialmente, como Júlio César, Maicon, Daniel Alves, Lúcio, Elano e Robinho, todos com uma ou mais copas do mundo no currículo. O técnico Mano Menezes também terá a primeira prova de fogo no comando da Seleção Brasileira.

O treinador assumiu o Brasil em julho do ano passado, após a eliminação nas quartas-de-final na Copa do Mundo da África do Sul. Até agora foram oito amistosos sob a batuta de Mano Menezes, com cinco vitórias (Estados Unidos, Irã, Ucrânia, Escócia e Romênia), um empate (Holanda) e duas derrotas (Argentina e França). A Copa América será a primeira competição oficial do ex-técnico do Corinthians, e justamente na casa do arquiinimigo. Um teste e tanto para Mano Menezes, que terá contra a pressão dos donos da casa, que não erguem uma taça desde 1993, quando conquistaram a Copa América do Equador.

A expectativa é que a seleção apresente um futebol alegre e ofensivo. A princípio, o time será formado no 4-3-3, com o trio de ataque Robinho, Neymar e Alexandre Pato. O meio-campo também sabe jogar bola. Lucas Leiva e Ramires serão responsáveis pela marcação, mas ambos chegam ao ataque com qualidade. O maestro e dono do toque de classe será o meia Paulo Henrique Ganso. Do meio para trás, muita experiência e segurança, com Júlio César no gol, Daniel Alves e André Santos nas laterais e a dupla de zaga formada por Lúcio e Thiago Silva.

O Brasil faz parte do Grupo B, ao lado de Venezuela, Paraguai e Equador, e não deverá encontrar dificuldades para avançar à segunda fase. A estreia da Seleção será no próximo domingo, contra a Venezuela, às 16 horas, no Estádio Ciudad de La Plata, em La Plata. No dia nove de julho o adversário é o Paraguai, no Estádio Mário Alberto Kempes, em Córdoba. E na última rodada da fase de grupos o Brasil joga contra o Equador, no dia 13 de julho, novamente em Córdoba.

Se terminar na liderança da chave, como se espera, o Brasil vai enfrentar nas quartas-de-final o segundo melhor terceiro colocado. Nas semifinais o adversário pode ser o Uruguai, e na final a expectativa é de um duelo épico no dia 24 de julho, em Buenos Aires, contra a Argentina.

História
O Brasil já faturou o título da Copa América oito vezes, mas ainda está longe de Argentina e Uruguai, com 14 conquistas cada. Todavia, nas últimas edições, o escrete canarinho ergueu a taça em quatro oportunidades (1997, 1999, 2004 e 2007). A exceção foi em 2001, quando a seleção fez péssima campanha e foi eliminado nas quartas-de-final por Honduras. Curiosamente, o país seria campeão do mundo no ano seguinte.

Ao todo, o Brasil já disputou a Copa América em 32 oportunidades. O primeiro título foi em 1919, na terceira edição do torneio. As três conquistas seguintes, nos anos de 1922, 1949 e 1989, também foram todas em solo brasileiro. O primeiro título fora do país foi somente em 1997, quando a Seleção Brasileira ergueu o caneco na Bolívia, batendo o país anfitrião na final por 3 a 1, na alitude de La Paz.

Os jogadores brasileiros que mais entraram em campo na Copa América foram Zizinho (33 partidas), Taffarel (25), Djalma Santos (22) e Roberto Carlos (21). Curiosamente, o Rei Pelé jogou uma única edição da competição sul-americana, em 1959. Foi artilheiro da torneio com oito gols, e o Brasil terminou como vice-campeão atrás da Argentina.

FICHA TÉCNICA

Confederação Brasileira de Futebol

Craque: Neymar – Principal revelação do futebol brasileiro nos últimos anos, é cobiçado por grandes clubes da Europa e o mundo estará de olho em suas atuações. Com um futebol alegre e de muita habilidade, tem tudo para arrebentar nesta Copa América e provar que tem potencial para ser um dos craques do futebol mundial.

Olho nele: Ganso – Outra grande revelação do país, Paulo Henrique Ganso é aquele camisa 10 clássico e raro de encontrar nos dias atuais. Com um passe magistral é capaz de deixar um companheiro na cara do gol, além de dar cadencia e o toque de genialidade ao meio-campo da Seleção Brasileira.

Cotação FI: Briga pelo título – A Seleção Brasileira entra em sempre favorita em qualquer competição que disputar, sobretudo na América do Sul. Contudo, para ser campeão terá que superar a Argentina de Messi e cia., que joga com o apoio da torcida e tenta por fim ao jejum de 18 anos sem títulos. Os hermanos não admitem a hipótese de perder o título em casa para o Brasil.

Ranking da Fifa: 5º
Melhor colocação em Copas América: Campeão em 1919, 1922, 1949, 1989, 1997, 1999, 2004 e 2007
Quantas Copas América disputou: 32 copas
Colocação na última Copa América: Campeão

Os 23 convocados:
Goleiros: Júlio César, Victor e Jeffeson.
Laterais: Daniel Alves, Maicon, André Santos e Adriano.
Zagueiros: Lúcio, Thiago Silva, David Luiz e Luisão.
Meio-campistas: Lucas Leiva, Ramires, Sandro, Elias, Ganso, Lucas, Elano e Jadson.
Atacantes: Neymar, Alexandre Pato, Robinho e Fred.

Time base – Júlio César; Daniel Alves, Lúcio, Thiago Silva e André Santos; Lucas Leiva, Ramires, Ganso e Robinho; Neymar e Alexandre Pato. Técnico: Mano Menezes.

O PAÍS

Nome oficial: República Federativa do Brasil
Capital: Brasília
População: 190.732.694 de habitantes
PIB: US$ 2,172 trilhões
Língua Oficial: Português
– Moeda- Real

Fonte: wikipédia.org

Segue a lista das equipes participantes:

  • Flag of Argentina.svg Argentina
  • Flag of Bolivia.svg Bolívia
  • Brasil Brasil
  • Flag of Venezuela.svg Venezuela
  • Flag of Chile.svg Chile
  • Flag of Colombia.svg Colômbia
  • Flag of Ecuador.svg Equador
  • Flag of Mexico.svg México (convidado)
  • Flag of Paraguay.svg Paraguai
  • Flag of Peru.svg Peru
  • Flag of Uruguay.svg Uruguai
  • Flag of Costa Rica.svg Costa Rica (convidado, substituindo o Flag of Japan.svg Japão)

Sedes

Durante a reunião do Comitê Executivo da CONMEBOL em junho de 2009, o presidente da Associação do Futebol Argentino (AFA), Julio Grondona, anunciou as cidades de Buenos Aires, La Plata, Córdoba, Santa Fé, San Salvador de Jujuy e Salta como sedes da Copa América de 2011.[3]

Em 29 de abril de 2010, a CONMEBOL anunciou que a partida inaugural será realizada em La Plata e a final no Estádio Monumental de Núñez, em Buenos Aires.[11]

Buenos Aires
Copa América de 2011 (Argentina)

Red pog.svg
Buenos Aires
Red pog.svg
Córdoba
Red pog.svg
Jujuy
Red pog.svg
La Plata
Red pog.svg
Mendoza
Red pog.svg
Salta
Red pog.svg
Santa Fé
Red pog.svg
San Juan
Mendoza
Estádio Monumental de Núñez Estádio Malvinas Argentinas
Capacidade: 57 921[12] Capacidade: 40 268[13]
002.Buenos Aires desde el cielo (Estadio de River).JPG Estadio malvinas.jpeg
Córdoba Salta
Estádio Mario Alberto Kempes Estádio Padre Ernesto Martearena
Capacidade: 57 000[14] Capacidade: 20 408[15]
Estadio Córdoba (Arg vs Ghana) 1.jpg El martearena.jpg
San Salvador de Jujuy San Juan
Estádio 23 de Agosto Estádio del Bicentenario
Capacidade: 23 000[16] Capacidade: 25 000[17]
Estádio 23 de Agosto.jpg Estádio del Bicentenário.jpg
La Plata Santa Fé
Estádio Ciudad de La Plata Estádio Brigadier General Estanislao López
Capacidade: 53 000[18] Capacidade: 47 000[19]
Estadiociudaddelaplata.jpg Estádio Brigadier General Estanislao Lopez.jpg

Sorteio

O sorteio que determinou a composição dos grupos foi realizado em 11 de novembro de 2010 no Teatro Argentino, em La Plata.[20] Anteriormente, o Comitê Executivo da CONMEBOL havia defindo que Argentina, Brasil e Uruguai seriam os cabeças-de-chave. A distribuição por potes se deu da seguinte maneira:[21]

Pote 1 Pote 2 Pote 3 Pote 4
Flag of Argentina.svg Argentina
Brasil Brasil
Flag of Uruguay.svg Uruguai
Flag of Chile.svg Chile
Flag of Colombia.svg Colômbia
Flag of Paraguay.svg Paraguai
Flag of Bolivia.svg Bolívia
Flag of Peru.svg Peru
Flag of Venezuela.svg Venezuela
Flag of Ecuador.svg Equador
Flag of Japan.svg Japão (posteriormente Flag of Costa Rica.svg Costa Rica)
Flag of Mexico.svg México

Arbitragem

A Comissão de Árbitros da CONMEBOL anunciou em 7 de junho de 2011 a lista de doze árbitros principais e doze árbitros assistentes para a Copa América 2011.[22]

País Árbitro Assistente
Argentina Sergio Pezzotta Ricardo Casas
Hernán Maidana (suplente)
Diego Bonfa (suplente)
 Bolívia Raúl Orosco Efraín Castro
Brasil Sálvio Fagundes Márcio Santiago
 Chile Enrique Osses Francisco Mondría
 Colômbia Wilmar Roldán Humberto Clavijo
Equador Carlos Vera Luis Alvarado
Paraguai Carlos Amarilla Nicolás Yegros
 Peru Víctor Rivera Luis Abadie
Uruguai Roberto Silvera Miguel Nievas
 Venezuela Juan Soto Luis Sánchez
Costa Rica Wálter Quesada Leonel Leal
 México Francisco Chacón Marvin Torrentera

 Fórmula de disputa

Na primeira fase, as doze equipes participantes são divididas em três grupos de quatro equipes cada. Cada equipe enfrentará os três adversários dentro do grupo. Em caso de empate por pontos, a classificação se determinará através dos seguintes critérios, seguindo a ordem:[23]

  1. Saldo de gols
  2. Número de gols a favor (gols pró)
  3. Resultado da partida entre as equipes em questão
  4. Sorteio

As duas melhores equipes de cada grupo, mais os dois melhores terceiros colocados, avançam as quartas-de-final. A partir dessa fase serão disputados jogos eliminatórios até se chegar aos dois finalistas. Em caso de empate no tempo normal, será disputada uma prorrogação de 30 minutos e, persistindo o empate, disputa por pênaltis.[24]

 Primeira fase

Equipes classificadas às quartas-de-final
Equipes classificadas como melhores terceiros classificados
Equipes eliminadas

Todas as partidas seguem o fuso horário da Argentina (UTC-3).

Grupo A

Seleção P J V E D GP GC SG
Flag of Argentina.svg Argentina 5 3 1 2 0 4 1 0
Flag of Colombia.svg Colômbia 7 3 2 1 0 3 0 3
Flag of Costa Rica.svg Costa Rica 3 3 1 0 2 2 4 -2
Flag of Bolivia.svg Bolívia 1 3 0 1 2 1 5 -4
1 de julho Argentina Flag of Argentina.svg 1–1 Flag of Bolivia.svg Bolívia Estádio Ciudad de La Plata, La Plata
21:45 Árbitro: UruguaiURU Roberto Silvera

2 de julho Colômbia Flag of Colombia.svg 1–0 Flag of Costa Rica.svg Costa Rica Estádio 23 de Agosto, San Salvador de Jujuy
15:30 Árbitro: ChileCHI Enrique Osses

6 de julho Bolívia Flag of Bolivia.svg 0–1 Flag of Costa Rica.svg Costa Rica Estádio 23 de Agosto, San Salvador de Jujuy
19:15

6 de julho Argentina Flag of Argentina.svg 0–0 Flag of Colombia.svg Colômbia Estádio Brigadier General Estanislao López, Santa Fé
21:45

10 de julho Colômbia Flag of Colombia.svg 2–0 Flag of Bolivia.svg Bolívia Estádio Brigadier General Estanislao López, Santa Fé
16:00

11 de julho Argentina Flag of Argentina.svg 3–0 Flag of Costa Rica.svg Costa Rica Estádio Mario Alberto Kempes, Córdoba
21:45

Grupo B

Seleção P J V E D GP GC SG
Brasil Brasil 5 3 1 2 0 6 4 2
Flag of Paraguay.svg Paraguai 3 3 0 3 0 5 5 0
Flag of Ecuador.svg Equador 1 3 0 1 2 2 5 -3
Flag of Venezuela.svg Venezuela 5 3 1 2 0 4 3 1
3 de julho Brasil Brasil  0–0 Flag of Venezuela.svg Venezuela Estádio Ciudad de La Plata, La Plata
16:00 Árbitro: BolíviaBOL Raúl Orosco

3 de julho Paraguai Flag of Paraguay.svg 0–0 Flag of Ecuador.svg Equador Estádio Brigadier General Estanislao López, Santa Fé
18:30 Árbitro: ArgentinaARG Sergio Pezzotta

9 de julho Brasil Brasil 2–2 Flag of Paraguay.svg Paraguai Estádio Mario Alberto Kempes, Córdoba
16:00

9 de julho Venezuela Flag of Venezuela.svg 1–0 Flag of Ecuador.svg Equador Estádio Padre Ernesto Martearena, Salta
18:30

13 de julho Paraguai Flag of Paraguay.svg Flag of Venezuela.svg Venezuela Estádio Padre Ernesto Martearena, Salta
19:15

13 de julho Brasil Brasil Flag of Ecuador.svg Equador Estádio Mario Alberto Kempes, Córdoba
21:45

Grupo C

Seleção P J V E D GP GC SG
Flag of Uruguay.svg Uruguai 5 3 1 2 0 3 2 1
Flag of Chile.svg Chile 7 3 2 1 0 3 3 2
Flag of Mexico.svg México 0 3 0 0 3 1 3 -2
Flag of Peru.svg Peru 4 3 1 1 1 2 2 0
4 de julho Uruguai Flag of Uruguay.svg 1–1 Flag of Peru.svg Peru Estádio del Bicentenario, San Juan
19:15 Árbitro: ColômbiaCOL Wilmar Roldán

4 de julho Chile Flag of Chile.svg 2–1 Flag of Mexico.svg México Estádio del Bicentenario, San Juan
21:45 Árbitro: VenezuelaVEN Juan Soto

8 de julho Uruguai Flag of Uruguay.svg 1–1 Flag of Chile.svg Chile Estádio Malvinas Argentinas, Mendoza
19:15

8 de julho Peru Flag of Peru.svg 1–0 Flag of Mexico.svg México Estádio Malvinas Argentinas, Mendoza
21:45

12 de julho Chile Flag of Chile.svg 1–0 Flag of Peru.svg Peru Estádio Malvinas Argentinas, Mendoza
19:15

12 de julho Uruguai Flag of Uruguay.svg 1–0 Flag of Mexico.svg México Estadio Ciudad de La Plata, La Plata
21:45

 Fase final

Quartas-de-final Semifinais Final
16 de julho – Córdoba
  Colômbia
19 de julho – La Plata
  Peru
16 de julho – Santa Fé
Uruguai
24 de julho – Buenos Aires
 Argentina
17 de julho – La Plata
 Brasil
20 de julho – Mendoza
  Paraguai
Terceiro lugar
17 de julho – San Juan
  Chile
  Venezuela
23 de julho – La Plata
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s