Por Cleber Santista – Copa foi positiva para anunciantes

Fonte: Site Ibope

​ Em mais de 80 ações analisadas pelo instituto, pelo menos 12 marcas tiveram taxas de conhecimento, interação e compra acima da média.
​ A Copa do Mundo trouxe bons resultados para as marcas que apostaram na Fifa e na CBF, de acordo com estudos  do IBOPE Inteligência. Apesar da derrota da seleção brasileira, as marcas envolvidas no evento esportivo tiveram uma grande exposição espontânea nas redes sociais, sempre associadas a sentimentos positivos.
 
Em mais de 80 ações analisadas pelo instituto, pelo menos 12 marcas tiveram taxas de conhecimento, interação e compra acima da média. As ações que trouxeram maior retorno foram lançamento de produtos temáticos, brindes para presentear o torcedor e descontos nos produtos.
 
Associação a sentimentos positivos
 
Com a derrota do Brasil por 7 x 1 contra a Alemanha, as atitudes dos anunciantes variaram. Entre aqueles que optaram por tirar do ar os comerciais de apoio à seleção, a reação dos consumidores foi negativa: para 41% deles as marcas deveriam ter pensado em novos comerciais. Já as marcas que mantiveram ou criaram novos comerciais de apoio ganharam apoio dos consumidores.
 
As marcas que tiraram os comerciais de apoio do ar…
 
As marcas que mantiveram ou criaram novos comerciais de apoio…

Por J. Edmar–COPA DO MUNDO: BRASIL – 0X3 – HOLANDA

BRASIL – 0X3 – HOLANDA

LOCAL – ARENA MANÉ GARRINHA – DF

DATA – 12/07/2014.

Pois é…

Assim fica muito difícil de fazer comentários aceitáveis…

Mas, por outro lado, não sou daqueles brasileiros metidos a “donos da razão”, que a tudo criticam, que a tudo tripudiam…

Eu seria, todavia, o maior entre os hipócritas se, por acaso, dissesse, aqui, que estou satisfeito.

Não…

Não estou!

Todavia se, até o jogo contra a Alemanha, eu enaltecia, aqui, algumas possíveis qualidades de nossa Seleção por que, então que, assim de repente, do nada, eu venha, aqui e juntar-me ao coro de dezenas de milhões de “entendidos” e, juntando-me a eles, zoar e tripudiar o “pessoal” que, até então, enaltecia?

Não posso fazê-lo, (e) não vou fazê-lo, pois continuo Brasileiro e Nacionalista!

Para falar mal de nossa Seleção e de nossa gente, já bastam os argentinos, este povo metido a fanfarrão mas, que, (todos sabem) estão às portas da falência como nação…

Este mesmo povo que, um dia, movidos por um narcisismo imperdoável, declararam guerra à Inglaterra, reivindicando uma porção de terra gelada e habitada somente por pingüins e, depois de um “cacete” de criar casca e de uma derrota vergonhosa e humilhante vem, ainda tem o “topete” de exibir, em dias de jogos de sua seleção, a faixa manjada que diz “AS MALVINAS SÃO ARGENTINAS”…

Este mesmo povo que se orgulha tanto de “seu” tango, mas não divulga que o maior expoente deste gênero musical não nasceu na Argentina, este mesmo povo que insiste em julgar-se superior (principalmente no futebol) à nossa gente mas omite que temos 5 estrelas na nossa camisa enquanto que eles têm apenas duas…

Este mesmo povo que alardeia de forma jocosa e maledicente que seu astro maior (um cocainômano assumido) é melhor que o Pelé quando, para fins de comentários, sabemos que este mesmo “milongueiro” tem, em seu currículo, 12 (doze) internações por vícios. E não faço este comentário visando defender o Pelé como cidadão mas, sim, como esportista pois, quem fez mais de 1200 gols ao longo da carreira, quem parou guerras em nome do futebol/arte, quem conquistou três estrelas na camisa, não pode, jamais, ser inferior a um fanfarrão, viciado, e milongueiro…

Este mesmo povo que se gaba tanto de sua superioridade ao ponto de nos chamar de “macaquitos”…

Pois bem, é este mesmo povo, que alguns “brasileiros feitos nas coxas” endeusam, esquecendo-se que este povo tem que evoluir, ainda, muito, para chegar aos nossos pés no campo das conquistas em Copas do Mundo!

Nunca fui “Pelezista” mas jamais vestiria a camisa da Argentina, principalmente a deste gringo viciado…

Não gosto do Neymar, mas sou brasileiro e jamais enalteceria o Messi em detrimento do Neymar…

O meu “B”, de brasileiro, é maior que toda a arrogância dos argentinos e o meu “N”, de nacionalista, é maior que todas as demais 31 seleções que se apresentaram neste Mundial!

Deixo, então, para “eles”, toda a gozação, todo o tripudio, toda a zoeira a respeito de nossos fracasso nesta Copa do Mundo mas, de minha parte, jamais, junto-me a eles!

Rendo-me, porém, (com pesar) às falas dos psicólogos e dos analistas de peso, quando dizem que nossa seleção é inferior a todas as que, até hoje, montamos…

Mas não vou, portanto (repito e enfatizo), juntar-me ao coro dos que zoam a nossa própria Seleção e tripudiam os nossos próprios feitos…

Somente nossa seleção é PENTACAMPEÃ DO MUNDO

Somente nosso povo tem este orgulho enquanto que os demais, tudo que podem fazer, é nos invejar e tentar nos igualar todavia, superar, JAMAIS!!!

Concluindo sou, sim, um Brasileiro Nacionalista e o resto, para mim, é resto!

Dá-lhes, Brasil!

Dá-lhes, povão brasileiro!

Por J. Edmar–COPA DO MUNDO: BRASIL – 1 X 7 – ALEMANHA

BRASIL – 1 X 7 – ALEMANHA

LOCAL – MINEIRÃO – BELO HORIZONTE/MG

DATA – 08/07/2014

GOL – Oscar.

Pois é…

Acabou o sonho da conquista do Hexa!

Mas não acabou por causa de meia dúzia de “prosélitos” e anarquistas, espalhados pelas ruas e praças sob a égide do “nacionalismo” exacerbado, escondendo covardemente seus rostos e sua identidade enquanto destruíam patrimônio público e privado…

Não acabou por causa de meia dúzia de maus brasileiros da nossa mídia esportiva, que viviam apregoando o fim de nossa participação a cada nova participação só para terem, depois, o “direito” de afirmar que estavam certos!

Não acabou por causa do “mau futebol” apresentado, como insistiam estes mesmos “anti-brasileiros”, para quem, o que interessa, mesmo, é vender jornais….

Acabou porque estava na hora de se mostrar (ante um futebol mais planejado), como é que se faz para “segurar talentos”, reconhecer-lhe os valores, dignificar-lhes a condição de brasileiros, etc, etc, etc…

O que a gente viu, durante todo o desenrolar das partidas (não só as de nossa Seleção, mas, também, de todas as demais), foi a enorme “rasgação de seda” de nossos radialistas e jornalistas para com os atletas de outras seleções…

Acabou porque a providência achou por bem fazer com que acabasse e fazer com que a nossa realidade fosse escancarada para o mundo pois não temos planejamento, não temos reconhecimento, não temos comando, não temos condições de encarar seleções que levam o futebol a sério, que se prepararam, que incentivam a prática do esporte como condição “sine qua non” para um povo feliz e educado…

Acabou para a corriola de Brasília, que não via a hora de usar a conquista do Hexa como plataforma político eleitoreira, sem se importar com o verdadeiro sentimento de patriotismo de nossos atletas e de nossa gente!

Acabou em bom tempo…

Agora aquela Corja de irresponsáveis, de maus brasileiros e de vagabundos esfomeados pela “galinha de ovos de ouro”, de Brasília, terá que arranjar um novo “circo” e, através disso, continuar engambelando a nossa gente e a opinião pública em geral…

Em suma, o Brasil não perdeu!

O Brasil ganhou!!!

Acordou!!!

Dá-lhes, Brasil!!!

1.

Nosso sonho do “Hexa” foi pro espaço

(O Brasil sofreu uma humilhante derrota);

Virou alvo de piadinhas e chacotas,

Em jornais pelo mundo inteiro…

Não vai mais “levantar o caneco”

Vai ter que “sepultar” o Fuleco

E explicar-se perante os gazeteiros!

2.

Não existe argumento que explique,

Esta absurda derrota por goleada;

(E nem é bem que não jogamos nada,

Foram os alemães que enlouqueceram)..

Perderam, pra gente, em 2002

E vingaram-se 12 anos depois,

(Acho, até, que eles aprenderam)!

3.

Foi uma derrota tão inexplicável,

Que todos os argumentos caem por terra;

(Não nos preparamos para esta guerra,

Mas temos que aprender a lição)…

A nossa Seleção foi massacrada,

Não vai mais prosseguir, tá eliminada

Não nos resta, pois, melhor opção!

4.

Mas esta Copa ainda não terminou,

(Ainda falta secar os “milongueiros”);

“Eles” zoam, hoje, os brasileiros

Mas iremos também zoá-los, ainda…

Quero ver os “gringos” eliminados,

Não me importa por qual resultado,

Vê-los chorar será uma coisa linda!

5.

Eu nunca fui de lamentar as derrotas,

Pois prefiro comemorar as vitórias;

(E não será, assim sendo, agora,

Que eu irei fazer lamentações)…

No futebol, se perde ou se ganha

E torcerei, agora, pela Alemanha,

Para que sejam os novos Campeões!

Por Cleber Santista – Após vexame na reta final da Copa, Felipão não é mais técnico da Seleção

Fonte: Globo.com

Pressionado pelas goleadas sofridas contra Alemanha e Holanda, treinador deixa o comando do Brasil após um ano e meio no cargo e o quarto lugar no Mundial do país

Luiz Felipe Scolari não é mais técnico da seleção brasileira. A derrota vexatória para a Alemanha, por 7 a 1, nas semifinais da Copa do Mundo, e o outro revés em seguida, na disputa pelo terceiro lugar, por 3 a 0, para a Holanda, decretaram a queda do comandante. Felipão assumiu no final de 2012, meses antes da Copa das Confederações, em 2013, onde o Brasil conquistou o título em cima da Espanha, vencendo por 3 a 0 no Maracanã. Foram 29 jogos no comando da Seleção, com 19 vitórias, seis empates e quatro derrotas. Na Copa do Mundo deste ano, foram sete jogos, com duas derrotas, três vitórias e dois empates.

Luiz Felipe Scolari Felipão jogo Brasil x Colômbia (Foto: Getty Images)
Luiz Felipe Scolari não é mais técnico da seleção brasileira (Foto: Getty Images)

 

Após a derrota para a Holanda no Estádio Mané Garrincha, em Brasília, na coletiva de imprensa, Felipão entregou o cargo para a Confederação Brasileira de Futebol (CBF), como, segundo o próprio, já havia ficado acertado com a entidade. A CBF aceitou o pedido de Felipão e confirmou a demissão de Luiz Felipe Scolari, Carlos Alberto Parreira e de toda a comissão técnica que trabalhou na Copa do Mundo.

A CBF ainda não oficializa a queda do treinador, o que irá acontecer nesta segunda-feira. Assim, o Brasil parte em busca de um novo técnico para assumir o projeto que terá como ponto alto a Copa do Mundo de 2018, na Rússia, passando pela Copa América do Chile, em 2015, e das Eliminatórias Sul-Americanas para o Mundial, que o país volta a disputar após ser sede do evento.

Substituto de Mano Menezes

Felipão substituiu Mano Menezes, aposta da CBF para começar o processo de reformulação da seleção brasileira. A derrota para o México na decisão da medalha de ouro nas Olimpíadas de Londres 2012, porém, começou a minar o treinador, que acabou sucumbindo em novembro de 2012. Chamado por José Maria Marin, presidente da CBF, Luiz Felipe Scolari, campeão do mundo com o Brasil em 2002, aceitou, e no primeiro ano como treinador do país conquistou a Copa das Confederações, com campanha que colocou a Seleção novamente como uma das favoritas ao título mundial em casa.

A Copa do Mundo, porém, começou com um susto. Marcelo marcou contra na estreia, diante da Croácia, mas a Seleção virou para 3 a 1. Em seguida, o país empatou com o México em 0 a 0, com grande atuação do goleiro rival Ochoa. Fechando a primeira fase, o Brasil venceu Camarões por 4 a 1 e se classificou com o primeiro lugar do Grupo A. Nas oitavas de final, no Mineirão, o Brasil sofreu para bater o Chile, nos pênaltis, depois de levar pressão na prorrogação. Nas quartas de final, em atuação melhor, o time venceu a Colômbia por 2 a 1, mas perdeu Neymar com uma lesão na terceira vértebra lombar. Foi aí que Felipão recebeu seu mais duro golpe. A Seleção, novamente no Mineirão, foi goleada por 7 a 1 pela Alemanha, no que o técnico classificou como uma pane inexplicável. Em seguida, na disputa pelo terceiro lugar, no sábado, foi novamente derrotada, agora pela Holanda, por 3 a 0.