Por Cezar Alvarenga – São Paulo perde na Bolívia e pode ser eliminado ainda na primeira fase da Libertadores 2013.

Fonte: Yahoo! Esportes

A situação do São Paulo na Libertadores se complicou de vez nesta quinta-feira. Nos 3.660 metros de altitude de La Paz, os brasileiros perderam muitas chances de gol, viram o The Strongest acertar dois belos chutes de longa distância e acabaram derrotados por 2 a 1, pela quinta rodada do Grupo 3. Agora, a equipe de Ney Franco não depende apenas de si para avançar às oitavas de final.

Foi a quarta derrota em quatro jogos fora de casa – contando o 4 a 3 diante do Bolívar na fase preliminar. O resultado deixou o São Paulo com apenas quatro pontos, na terceira colocação do Grupo 3, enquanto o The Strongest chegou aos seis. Na última rodada, diante do Atlético-MG, dia 17, no Morumbi, a equipe paulista precisa da vitória e torcer contra o time boliviano, que pega o Arsenal no mesmo dia e horário, na Argentina.

Nesta quinta-feira, o São Paulo criou muitas oportunidades, mas falhou nas finalizações. Osvaldo, no primeiro tempo, e Aloísio, na etapa final, tiveram pelo menos três chances cada um. A equipe contou com Rogério Ceni, que era dúvida por conta de uma pancada sofrida na derrota para o Corinthians. O goleiro marcou o único gol brasileiro, mas não evitou que duas pancadas de longe acabassem dentro do seu gol, dando a vitória ao adversário.

O JOGO – Como era previsto, o The Strongest começou tentando explorar os chutes de longe, mais perigosos por conta da altitude. Logo a um minuto, Pablo Escobar bateu com perigo de fora da área. Um minuto depois foi a vez de Cristaldo, mas Rogério Ceni defendeu. Osvaldo respondeu na mesma moeda em duas oportunidades, exigindo boas defesas de Vaca.

As chances seguiam aparecendo em chutes de longe. Novamente Pablo Escobar levou perigo ao gol de Rogério Ceni e o São Paulo respondeu prontamente em pancada de Thiago Carleto, que assustou Vaca.

Com a insistência de ambos os lados, o primeiro gol só poderia nascer em um chute de longe. Aos 12 minutos, Soliz arrancou pelo meio de campo, ganhou na dividida de Denilson e encheu o pé no ângulo direito de Rogério Ceni, marcando um golaço.

Escobar ainda teve mais um grande momento, aos 19 minutos, mas logo o São Paulo passou a tomar conta do jogo, explorando os contra-ataques. Aos 22 minutos, Jadson recebeu pela esquerda, achou Ganso, que rolou para Osvaldo encher o pé. Vaca salvou o The Strongest mais uma vez.

Osvaldo era a peça mais acionada no ataque são-paulino e dava muito trabalho à defesa adversária. Aos 25 minutos, ele recebeu pela direita, tentou cruzar, mas acertou o travessão. Sete minutos depois, Aloísio deu lindo passe para o atacante, que invadiu sozinho pela direita, mas bateu para fora.

De tanto insistir, o São Paulo chegou ao gol de empate. Aos 43 minutos, Aloísio brigou no ataque e, quando passaria por Cristaldo, foi derrubado dentro da área. O árbitro marcou pênalti, que Rogério bateu com categoria, no canto esquerdo de Vaca, para empatar.

O segundo tempo começou da mesma forma que o primeiro, com oportunidades de ambos os lados, sempre em chutes de fora da área. Aloísio tentou primeiro, mas Escobar respondeu na sequência. O atacante são-paulino passou a ser muito acionado, mas falhou nas oportunidades que teve.

Em uma de suas muitas chances, Aloísio recebeu pela esquerda, cortou para o meio, mas foi travado na hora de bater. No rebote, Ganso perdeu gol feito. O São Paulo comandava o jogo, mas falhava nas finalizações.

A velha máxima de que “quem não faz, toma” fez do São Paulo mais uma vítima e o The Strongest voltou a ficar à frente aos 21 minutos. Cristaldo caminhou com a bola com tranquilidade e arriscou de muito longe. Rogério Ceni voou na bola, chegou a tocar nela, mas não evitou o gol.

Se Osvaldo era o nome do time brasileiro no primeiro tempo, Aloísio era o mais acionado do ataque no segundo, e perdeu outra boa chance aos 29 minutos. O desgaste dos jogadores era visível, mas a equipe se mantinha na disputa. O próprio Aloísio desperdiçou o último momento do São Paulo, cabeceando em cima de Vaca.

FICHA TÉCNICA:

THE STRONGEST 2 X 1 SÃO PAULO

THE STRONGEST – Vaca; Bejarano, Barrera, Smith e Chávez; Chumacero, Veizaga, Soliz (Cunninghan) e Cristaldo; Pablo Escobar e Harold Reina (Paz). Técnico: Eduardo Villegas

SÃO PAULO – Rogério Ceni; Paulo Miranda (Rodrigo Caio), Rafael Toloi, Edson Silva e Thiago Carleto; Denilson (Wallyson), Maicon (Wellington), Jadson e Paulo Henrique Ganso; Osvaldo e Aloísio. Técnico: Ney Franco.

GOL – Soliz, aos 14, e Rogério Ceni, aos 43 minutos do primeiro tempo. Cristaldo, aos 21 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO – Victor Carillo (Peru/Fifa).

CARTÕES AMARELOS – Bejarano (The Strongest); Denilson, Paulo Miranda, Jadson (São Paulo).

RENDA E PÚBLICO – não disponíveis.

LOCAL – Estádio Hernando Siles, em La Paz (Bolívia).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s