Por Cleber Aguiar – Polícia prende torcedores da Ponte suspeitos por morte de bugrino

Fonte: Futebolinterior.com.br

A 2ª Vara Criminal de Campinas decretou prisão provisória de 30 dias para os pontepretanos

  A Polícia Civil prendeu, na manhã desta sexta-feira, seis torcedores da Ponte Preta, suspeitos de envolvimento na morte do torcedor do Guarani Anderson Ferreira, de 28 anos. O grupo foi levado ao 10º Distrito Policial de Campinas para prestar depoimentos.
Os torcedores foram encaminhados pelo Grupo Armado de Repressão a Roubos e Assaltos (Garra) do Departamento de Investigações sobre o Crime Organizado (DEIC). Segundo decreto da 2ª Vara Criminal do município, eles devem ficar detidos por 30 dias.Apesar da prisão decretada, o advogado Wagner Nascimento Jayme, que defende quatro dos seis envolvidos, disse que seus clientes confirmaram ter presenciado a agressão a Ferreira, porém não participaram da ação.

Como tudo aconteceu
Após os dérbinhos (Sub-15 e Sub-17) realizados na última quinta-feira no Estádio Brinco de Ouro, as duas torcidas protagonizaram uma briga generalizada, uma hora e meia depois dos jogos. O confronto aconteceu na Avenida Ayrton Senna, próxima aos dois estádios, e acabou resultando com a morte de Anderson Ferreira.

O torcedor acabou sendo atingido por uma pedrada e caiu no chão. Integrantes da Torcida Jovem o espancaram com chutes, socos e barras de ferro. Anderson Ferreira foi internado ainda na quinta-feira, com traumatismo craniano e traumatismo toráxico bilateral, mas no domingo teve sua morte cerebral decretada. Na manhã desta segunda-feira, o Hospital Mário Gatti confirmou os desligamentos dos aparelhos, decretando assim a morte do integrante da Fúria Independente.

Devido a esse acontecimento, o clima de guerra se instalou em Campinas, aumentando ainda mais a preocupação para o dérbi deste sábado, que irá completar 100 anos. O presidente do Guarani, Marcelo Mingone, quer mudar a data do jogo e também o local, mas o presidente da Comissão de Arbitragem da Federação Paulista de Futebol (FPF), Coronel Marinho, confirmou que o clássico será realizado no sábado, no Moisés Lucarelli, pela 15ª rodada do Paulistão.

Dérbi: Delegada garante que os presos participaram do crime

A delegada promete mais prisões, inclusive da torcida do Guarani

A delegada Yara Ely Marques da Silva (foto), do 10º Distrito Policial de Campinas, responsável pela prisão dos seis torcedores da Torcida Jovem, da Ponte Preta, afirmou ter certeza que os suspeitos presos são os responsáveis pela morte do membro da torcida Fúria Independente, do Guarani, Anderson Ferreira, de 28 anos.

“Há indícios suficientes da autoria do crime por estes elementos”, assegurou a delegada.Os torcedores presos estão em uma cadeia anexa ao presídio de São Bernardo, em Campinas, aguardando a decisão da Corregedoria. Eles devem ser encaminhados para o Complexo Penitenciário de Hortolândia.

Segundo a delegada o motivo da briga foi uma rixa de torcidas rivais. A prisão ocorreu baseada em depoimentos de testemunhas e de filmagens amadoras. Os suspeitos de serem “criminosos” foram apresentados esta manhã no 10.º Distrito Policial, com a presença inclusive do Delegado do Deinter – Departamento de Investigação Estadual, Licurgo Nunes Lopes.

delegada afirmou ainda que vai haver mais prisões, inclusive da torcida organizada do Guarani. Yara acredita que fez justiça ao mandar para a cadeia os jovens participantes da confusão, que acabou em morte.

“Dei uma satisfação para a família e à sociedade”, afirma a delegada.

Os presos foram enquadrados por homicídio, crime qualificado (hediondo), formação de quadrilha e corrupção de menores. Eles podem pegar até 30 anos de prisão.

 

Certeza nas prisões
As declarações da delegada são feitas de forma absolutamente segura, não deixando transparecer qualquer dúvida sobre a prisão dos verdadeiros culpados. As prisões foram feitas, segundo a delegada, baseadas “em imagens e depoimentos de várias testemunhas”, que caracterizam “briga de rixa”.

Ela ainda reforça a sua posição de que “todos estão detidos, por ordem judicial, pelo período de 30 dias, o que reforça a argumentação em cima da prisão deles”. No total, oito torcedores tiveram decretadas as suas prisões preventivas. Portanto, dois faltam ser presos e, no momento, são considerados foragidos da Justiça. Há informações de que esses dois elementos teriam deixado a cidade, tendo viajado para a região Nordeste do País. Todos são ligados à Torcida Jovem que, ironicamente, festejou nesta sexta-feira 43 anos de fundação. Teve até churrasco na sede, na Rua Uruguaiana.

“Infelizmente nós tivemos esta morte lamentável. Eu sempre defendi a paz nos estádios e no bom relacionamento entre as torcidas” explicou Carioca, atual presidente da Torcida Jovem.

Entre os presos não estão os três detidos, na quinta-feira, na sede da Torcida Jovem, perto do Estádio Moisés Lucarelli. Na ocasião foram apreendiso computadores, fichas de cadastro dos torcedores, além de pés de cama e paus que poderiam ser usados como armas (foto).

Por fim, uma frase importante:

“Estamos dando uma resposta rápida à família e à sociedade”, enfatizou.

Informações importantes:

1 – A delegada tem certeza de que os seis elementos presos são culpados pelo crime, mas que caberá ao Poder Judiciário confirmar as suas apurações;

2 – Os acusados são jovens, porém maiores de idade, mas nenhum tem antecedente criminal;

3 – Os presos, preventivamente, pertencem à Torcida Jovem da Ponte Preta;

4 – As identidades deles não foram divulgadas porque outros elementos (mais dois) estão sendo procurados.

5 – Eles cometeram crime hediondo – considerado grave – e não têm direito a liberdade provisória. E devem ser enquadrados pela Promotoria Pública ainda por formação de quadrilha.

Menores só acompanhados
No final da tarde, o Juiz da Infância e da Juventude, Richard Pao Kim, determinou que menores de idade e adolescentes só entrem no estádio com o acompanhamento de responsáveis.

A outra medida radical foi tomada, quinta-feira, pela Federação Paulista de Futebol (FPF). Atendendo pedido do MInsitério Público Estadual vetou a entradas das principais torcidas organizadas de Campinas nos estádios de todo o Estado de São Paulo. São do Guarani – Guerreiros da Tribo e Fúria Independente – e da Ponte Preta – Serponte e Torcida Jovem.

Por Cleber Aguiar – Derby Campineiro – Clássico mais antigo do Estado de São Paulo.

Fonte: Wikipedia.com

Último Confronto

Gols – Guarani 0 x 3 Ponte Preta – Campeonato Brasileiro 2011 Série B – Band HD

Procurar infocaixas disponíveis
Dérbi Campineiro
Guarani 65 vitória(s), 254 gol(s)
Ponte Preta 61 vitória(s), 248 gol(s)
Empates 61
Total de jogos 187
Total de gols 502
Resultado Guarani 0 x 3 Ponte PretaEstádio Brinco de Ouro da Princesa, Campeonato Brasileiro – Série B: 30ª Rodada, 15 de outubro de 2011.

Derby campineiro (ou dérbi campineiro) é o nome dado ao confronto entre Guarani e Associação Atlética Ponte Preta, maior clássico da cidade de Campinas, no Estado de São Paulo, cujo equilíbrio é a principal característica. O primeiro dérbi foi relaizado no dia 24 de março de 1912 e não há registro do resultado, que permanece desconhecido. Até o momento foram 187 partidas.

O quarto dérbi, em 28 de agosto de 1914, um amistoso realizado no campo do Sousas, trouxe a certeza de que este clássico teria uma rivalidade muito significativa, pois após a vitória do Guarani por 2 a 0, uma briga de grandes proporções tomou as ruas da então pacata cidade de Campinas.

Se o Guarani tem partipações mais relevantes a nível nacional, com seus dois títulos brasileiros (um da Série A em 1978, um da Série B em 1981 dois vices da Série A em 1986 (Brasileiro) e 1987 (Copa União) e dois vices da Série B em 1991 (Campeonato) e 2009 (Liga), a Ponte Preta tem participações mais relevantes a nível estadual, com 5 vice-campeonatos paulistas (1970, 1977, 1979, 1981 e 2008), contra um do Guarani (1988).

Em 26 de setembro de 1948, no primeiro dérbi do atual Estádio Moisés Lucarelli da Ponte Preta, o Guarani venceu por 1 a 0.

Em 7 de junho de 1953, no primeiro dérbi do Estádio Brinco de Ouro da Princesa, do Guarani, a Ponte Preta venceu por 3 a 0.

 Maiores públicos

  • Maior público no Pacaembu: 38.948 (35.209 pagantes), Guarani 2 a 0, 3 de junho de 1979.
  • Maior público no Brinco de Ouro da Princesa: 34.222, Ponte Preta 1 a 0, 30 de janeiro de 1980.
  • Maior público no Moisés Lucarelli: 31.970 (31.116 pagantes e 854 menores), Ponte Preta 3 a 1,27 de fevereiro de 1977.

Estatísticas do Dérbi

Números por competição

Competição Jogos Vitórias do Guarani Empates Vitórias da Ponte Preta Gols do Guarani Gols da Ponte Preta Total de Gols
Amistoso 28 12 7 7 45 38 83
Campeonato Brasileiro 18 6 6 6 17 21 38

Jogos válidos pelo Campeonato Brasileiro

Série A

  • Guarani 0 x 0 Ponte Preta, 3 de outubro de 1976, público: 14.285 (Est.Brinco de Ouro).
  • Guarani 0 x 1 Ponte Preta, 20 de novembro de 1977, público: 22.309 (Est.Brinco de Ouro).
  • Guarani 2 x 1 Ponte Preta, 23 de abril de 1978, público: 21.397 (Est.Brinco de Ouro).
  • Guarani 1 x 1 Ponte Preta, 10 de julho de 1985, público: 15.505 (Est.Brinco de Ouro).
  • Ponte Preta 0 x 0 Guarani, 17 de julho de 1985, público: 13.904 (Est.Moisés Lucarelli).
  • Guarani 2 x 0 Ponte Preta, 26 de julho de 1998, público: 22.139 (Est.Brinco de Ouro).
  • Ponte Preta 0 x 0 Guarani, 18 de agosto de 1999, público: 22.609 (Est.Moisés Lucarelli).
  • Guarani 2 x 1 Ponte Preta, 2 de novembro de 2000, público: 21.539 (Est.Brinco de Ouro).
  • Ponte Preta 1 x 1 Guarani, 21 de outubro de 2001, público: 17.125 (Est.Moisés Lucarelli).
  • Guarani 2 x 4 Ponte Preta, 28 de outubro de 2002, público: 16.384 (Est.Brinco de Ouro).
  • Ponte Preta 0 x 2 Guarani, 14 de junho de 2003, público: 8.918 (Est.Moisés Lucarelli).
  • Guarani 1 x 3 Ponte Preta, 11 de outubro de 2003, público: 8.795 (Est.Brinco de Ouro).
  • Ponte Preta 3 x 1 Guarani, 10 de julho de 2004, público: 6.819 (Est.Moisés Lucarelli).
  • Guarani 0 x 0 Ponte Preta, 24 de outubro de 2004, público: 10.094 (Est.Brinco de Ouro).

Série B

  • Ponte Preta 0 x 1 Guarani, 20 de junho de 2009, público: 12.959 (Est.Moisés Lucarelli).
  • Guarani 2 x 1 Ponte Preta, 26 de setembro de 2009, público: 17.287 (Est.Brinco de Ouro).
  • Ponte Preta 2 x 0 Guarani 16 de Julho de 2011, público: 17.093 (Est. Moisés Lucarelli).
  • Guarani 0 x 3 Ponte Preta 15 de Outubro de 2011, público: 9.571 (Est. Brinco de Ouro).

Por Cleber Aguiar – Federação Paulista proíbe uniformizadas em estádios

Fonte: Rac.com.br

Duas torcidas de Ponte e duas do Guarani estão impossibilitadas de entrar em qualquer estádio, informa entidade

Torcidas da Ponte Preta e Guarani
(Foto: Editoria de Arte)

A Federação Paulista de Futebol resolveu, na tarde desta quinta-feira (22), proibir acessos a qualquer estádio de São Paulo de integrantes das torcidas da Ponte Preta G.R. Torcida Jovem Amor Maior e G.R. Uniformizada Ser Ponte, além das do Guarani G.R. Guerreiros da Tribo e G.E. Cultural Torcida Fúria Independente.

A decisão foi tomada em virtude da violência ocorrida nos arredores dos estádios Brinco de Ouro da Princesa e Moisés Lucarelli, na cidade de Campinas, na última quinta-feira (15 de março) entre os torcedores de Guarani e Ponte Preta, que ocasionou no assassinato de Anderson Ferreira, integrante de uma das torcidas bugrinas. A  Federação Paulista de Futebol resolveu impedir a entrada das facções envolvidas na confusão em qualquer estádio paulista. 

A resolução também veio após o Ministério Público (MP) expedir, na manhã desta quinta-feira (22), recomendação à Federação Paulista de Futebol para que a entidade adote todas as medidas cabíveis para garantir a segurança dos torcedores durante o jogo Ponte Preta x Guarani, que está marcado para o próximo sábado (24), às 18h30, no Estádio Moisés Lucarelli, em Campinas, pelo Campeonato Paulista de Futebol da Série A-1. No documento, o MP recomenda especialmente que seja proibido o acesso ao estádio de membros de torcidas organizadas.

A recomendação, assinada pelo promotor de Justiça do Consumidor Valcir Paulo Kobori e pelo promotor do Júri Fernando Pereira Vianna Neto, destaca que a “a realização do jogo, na data prevista, nas atuais condições, representará séria ameaça à segurança pública”. O dérbi é a mais tradicional partida de futebol de Campinas.

De acordo com a recomendação, ‘a proximidade entre este jogo e a morte de um torcedor, “em razão da exacerbada rivalidade, poderá provocar o confronto de grandes contingentes de torcedores dos times adversários, com embates físicos e desordens, com prejuízos e riscos aos torcedores e demais munícipes”.

O documento refere-se à morte de Anderson Ferreira, integrante da torcida Fúria Independente, do Guarani, dias depois de ser ferido gravemente durante confronto com torcedores rivais, em 15 deste mês, na rua, após um jogo entre as divisões de base dos dois clubes.

A medida do MP também é baseada em ação preventiva realizada na quarta-feira (21) pela Polícia Militar (PM), que surpreendeu 35 torcedores do Guarani, na sede da Torcida Fúria Independente, com 34 bastões de madeira e 17 barras de ferro, que poderiam ser utilizadas para atacar torcedores da Ponte Preta no jogo do próximo sábado.

O documento recomenda ao presidente da Federação Paulista de Futebol, Marco Polo Del Nero, que “sejam adotadas as medidas cabíveis para que o evento se realize com segurança, recomendando, em especial, sejam utilizados os instrumentos previstos no Estatuto do Torcedor, como a limitação de acesso ao jogo de associados e membros de torcidas organizadas, nos termos do artigo 39-A e B, e tão logo haja eventual decisão neste sentido, incumba-se a FPF de realizar ampla divulgação da decisão”.

Por Cleber Aguiar – Palmeirenses protestam no CT, pedem mudanças e poupam Marcos

Fonte: Globo.com

Integrantes de organizada do Verdão levam faixas e xingam diretoria no
dia da reapresentação do elenco. Felipão e jogadores são hostilizados

Por Diego Ribeiro São Paulo

No primeiro dia útil do Palmeiras em 2012, os torcedores já protestaram contra a diretoria e a falta de reforços neste início de temporada. Nesta quarta-feira, cerca de 500 integrantes da maior organizada do clube fizeram uma manifestação pacífica na porta da Academia de Futebol, com gritos ofensivos ao presidente, Arnaldo Tirone, ao vice, Roberto Frizzo, e a boa parte do elenco – exceção feita ao goleiro Marcos, que pouco depois anunciou à diretoria do clube que havia decidido se aposentar dos gramados. Os jogadores tinham reapresentação marcada para as 16h, mas foram orientados a chegar mais cedo. Não houve contato entre torcida e atletas.

Torcida comparece em grande número para protestar no Palmeiras (Foto: Diego Ribeiro / Globoesporte.com)Torcida comparece em grande número para protestar no Palmeiras (Foto: Diego Ribeiro / Globoesporte.com)

O grupo veio a pé da Rua Turiassu, sede do clube, e percorreu um trajeto de cerca de um quilômetro. Por volta das 15h30m, eles chegaram ao CT e iniciaram o protesto. Dez seguranças do Verdão fizeram a guarda do portão principal, enquanto policiais organizavam o trânsito na região e supervisionavam a manifestação. A PM chegou a apreender duas caixas de fogos de artifício, mas mesmo assim houve foguetório.

Protesto da torcida do Palmeiras (Foto: Diego Ribeiro/Globoesporte.com)Faixas criticam diretoria do Palmeiras no protesto
(Foto: Diego Ribeiro/Globoesporte.com)

A exigência era a chegada de reforços de peso e a saída de Roberto Frizzo do comando do futebol do Palmeiras. Tirone também foi hostilizado e chamado de “fantoche”, acusado de ouvir demais o ex-presidente Mustafá Contursi e seu grupo.

Entre os jogadores, apenas Marcos foi poupado. De Deola a Ricardo Bueno, os 11 titulares que encerraram a temporada passada foram “homenageados”, até mesmo o volante Marcos Assunção, capitão e principal jogador do time. O técnico Luiz Felipe Scolari também não foi poupado, e acabou tratado com ironia pela torcida.

– Fica, Felipão! No fim do ano nós vamos para o Japão – gritou a organizada, fazendo alusão ao Mundial de Clubes.

Por volta das 16h30m, os torcedores deixaram o CT. Enquanto isso, os jogadores já estavam em campo fazendo treino físico.

Torcida no portão principal da Academia do Palmeiras (Foto: Diego Ribeiro / Globoesporte.com)Torcida ocupa portão principal da Academia do Palmeiras (Foto: Diego Ribeiro / Globoesporte.com)

Por Cleber Aguiar – Terroristas e hooligans vão ser vigiados de perto

Fonte: O Estado de São Paulo

Governo monta cadastro digital para identificar criminosos e cidades terão câmeras de identificação facial e biométrica

Vannildo Mendes – O Estado de S.Paulo

Ruas coalhadas de câmeras com dispositivo de identificação facial e biométrica e um cadastro digital, o primeiro montado no País sobre terroristas e torcidas violentas para ajudar a planejar a segurança dos grandes eventos que ocorrerão no Brasil a partir do próximo ano até a Olimpíada de 2016, passando pela Copa do Mundo de 2014.

O ministro da Justiça, José Eduardo Martins Cardozo, disse ao Estado que já começou a trocar informações com os governos de países com histórico de terrorismo e violência esportiva, como Estados Unidos, Alemanha, Inglaterra, África do Sul, Holanda, Polônia e Argentina. Os bancos de dados com as informações armazenadas por esses países já começaram a chegar.

Cardozo criou nesta semana a Secretaria Extraordinária de Grandes Eventos com a missão exclusiva de articular as ações dos diversos organismos policiais brasileiros – federais e dos Estados. O Brasil tem a obrigação de garantir uma segurança eficiente a chefes de Estado, turistas, torcedores e delegações estrangeiras que circularão no País. Uma das paranoias é o risco de terrorismo, que o País não tem tradição de combater.

O megaesquema de segurança, segundo o ministro, será operado a partir de centros de comando e controle, estruturas com tecnologia de ponta para monitorar multidões em movimentos nas ruas, alimentadas por câmeras digitais. Haverá um centro nacional de comando, instalado em Brasília, com um backup no Rio de Janeiro, onde se realizará em 2012 a Conferência das Nações Unidas para o Desenvolvimento Sustentável (Rio + 20), com a presença de mais de cem chefes de Estado, entre os quais, provavelmente, Barack Obama, presidente dos EUA.

Para o Mundial – e também para a Copa das Confederações em 2013 – serão montados adicionalmente 12 centros regionais de comando e controle, um em cada Estado-sede, além de 12 centros locais, instalados nas arenas dos jogos. Serão instalados de 30 a 40 centros móveis em aeronaves, helicópteros, viaturas e embarcações, de onde serão coordenadas e planejadas as ações de segurança dos megaeventos.

Eles receberão imagens online de tudo que se passa nas ruas e logradouros, enviadas por milhares de câmeras dotadas do Sistema OCR, do inglês Optical Character Recognition (Reconhecimento Óptico de Caracteres). A tecnologia permite identificar caracteres previamente armazenados num sistema. As informações captadas pelas câmeras são cruzadas com bancos de dados armazenados nas centrais.

As câmeras, com os dispositivos de identificação facial e biométrica, enviarão as imagens aos centros e vão emitir sinal de alerta às autoridades sempre que for identificada uma face humana ou placa de veículo suspeitas.

A primeira triagem da segurança começa na entrada de turistas no País. Muitos torcedores cadastrados como “valentões””, os típicos brigões e torcidas organizadas, serão impedidos de embarcar para o Brasil, ou expulsos, caso consigam entrar por descuido. Relatórios e dados de inteligência de polícias importantes do mundo, como o FBI (EUA) e a Scotland Yard (Inglaterra), já estão sendo enviados a0 País.

Os centros de comando ficarão fisicamente na Polícia Rodoviária Federal (o nacional) e nas secretarias de segurança dos estados (os regionais). Ao final, as instalações, com seus equipamentos de ponta e viaturas, ficarão como legado à segurança pública dos Estados que sediarem os eventos. O governo mandou também que a Agência Brasileira de Inteligência (Abin) monte 13 centros operacionais próprios – um nacional e 12 regionais – para municiar a segurança dos eventos com dados estratégicos.

Para articular a cooperação com os países envolvidos nos eventos, será montado no Rio um Centro de Comando e Controle Internacional. Terão espaço nele representantes das forças de segurança dos países fronteiriços. Segundo Cardozo, isso é necessário para facilitar o encaminhamento rápido de ocorrências envolvendo estrangeiros e a troca de informações entre autoridades nacionais e estrangeiras.

Para ajudar na fiscalização de fronteira, serão adquiridos scanners. Os equipamentos ficarão à disposição da Receita e da Polícia Rodoviária Federal. A ideia é fechar o cerco não só sobre a entrada de mercadorias ilegais, mas sobretudo de drogas e armas. O esquema funcionará à semelhança do que existe na fronteira do México com os Estados Unidos. “Para que pudéssemos dar tratamento adequado a esses eventos dentro das suas especificidades, suas dimensões extraordinárias, é que se criou a secretaria””, justificou Cardozo.

ICFUT – Programação de janeiro para cadastro de torcidas organizadas – SP

Fonte: http://www.futebolpaulista.com.br

15/01/11
Sábado
Sport Club Corinthians Paulista
Gaviões da Fiel
das 10 às 16 horas
Rua Cristina Tomas, 183 – Bom Retiro – São Paulo-SP

22/01/11
Sábado
Santos Futebol Clube
Torcida Jovem Santos
das 10 às 16 horas
Rua Diamante Preto, 773 – Vila Carrão – São Paulo-SP

29/01/11
Sábado
Sociedade Esportiva Palmeiras
Mancha AlviVerde
das 12 às 16 horas
Av. Dr. Abrão Ribeiro, 503 – Barra Funda – São Paulo-SP

30/01/11
Domingo
São Paulo Futebol Clube
Dragões da Real
das 9 às 14 horas
Av. Prestes Maia, 242 – sala 206 – 2º andar – Centro – São Paulo – SP