Por Cleber Santista – Após vexame na reta final da Copa, Felipão não é mais técnico da Seleção

Fonte: Globo.com

Pressionado pelas goleadas sofridas contra Alemanha e Holanda, treinador deixa o comando do Brasil após um ano e meio no cargo e o quarto lugar no Mundial do país

Luiz Felipe Scolari não é mais técnico da seleção brasileira. A derrota vexatória para a Alemanha, por 7 a 1, nas semifinais da Copa do Mundo, e o outro revés em seguida, na disputa pelo terceiro lugar, por 3 a 0, para a Holanda, decretaram a queda do comandante. Felipão assumiu no final de 2012, meses antes da Copa das Confederações, em 2013, onde o Brasil conquistou o título em cima da Espanha, vencendo por 3 a 0 no Maracanã. Foram 29 jogos no comando da Seleção, com 19 vitórias, seis empates e quatro derrotas. Na Copa do Mundo deste ano, foram sete jogos, com duas derrotas, três vitórias e dois empates.

Luiz Felipe Scolari Felipão jogo Brasil x Colômbia (Foto: Getty Images)
Luiz Felipe Scolari não é mais técnico da seleção brasileira (Foto: Getty Images)

 

Após a derrota para a Holanda no Estádio Mané Garrincha, em Brasília, na coletiva de imprensa, Felipão entregou o cargo para a Confederação Brasileira de Futebol (CBF), como, segundo o próprio, já havia ficado acertado com a entidade. A CBF aceitou o pedido de Felipão e confirmou a demissão de Luiz Felipe Scolari, Carlos Alberto Parreira e de toda a comissão técnica que trabalhou na Copa do Mundo.

A CBF ainda não oficializa a queda do treinador, o que irá acontecer nesta segunda-feira. Assim, o Brasil parte em busca de um novo técnico para assumir o projeto que terá como ponto alto a Copa do Mundo de 2018, na Rússia, passando pela Copa América do Chile, em 2015, e das Eliminatórias Sul-Americanas para o Mundial, que o país volta a disputar após ser sede do evento.

Substituto de Mano Menezes

Felipão substituiu Mano Menezes, aposta da CBF para começar o processo de reformulação da seleção brasileira. A derrota para o México na decisão da medalha de ouro nas Olimpíadas de Londres 2012, porém, começou a minar o treinador, que acabou sucumbindo em novembro de 2012. Chamado por José Maria Marin, presidente da CBF, Luiz Felipe Scolari, campeão do mundo com o Brasil em 2002, aceitou, e no primeiro ano como treinador do país conquistou a Copa das Confederações, com campanha que colocou a Seleção novamente como uma das favoritas ao título mundial em casa.

A Copa do Mundo, porém, começou com um susto. Marcelo marcou contra na estreia, diante da Croácia, mas a Seleção virou para 3 a 1. Em seguida, o país empatou com o México em 0 a 0, com grande atuação do goleiro rival Ochoa. Fechando a primeira fase, o Brasil venceu Camarões por 4 a 1 e se classificou com o primeiro lugar do Grupo A. Nas oitavas de final, no Mineirão, o Brasil sofreu para bater o Chile, nos pênaltis, depois de levar pressão na prorrogação. Nas quartas de final, em atuação melhor, o time venceu a Colômbia por 2 a 1, mas perdeu Neymar com uma lesão na terceira vértebra lombar. Foi aí que Felipão recebeu seu mais duro golpe. A Seleção, novamente no Mineirão, foi goleada por 7 a 1 pela Alemanha, no que o técnico classificou como uma pane inexplicável. Em seguida, na disputa pelo terceiro lugar, no sábado, foi novamente derrotada, agora pela Holanda, por 3 a 0.

ICFUT – Presidente do Timão não confirma Mano e traça perfil do sucessor de Tite

Fonte: lancenet

Mário Gobbi Filho negou que o ex-treinador do Corinthians já esteja confirmado como sucessor de Tite. "Será alguém com currículo, preparado para esse cargo"

Tite (treinador) e Mário Gobbi Filho (presidente) concederam entrevista coletiva na manhã desta sexta-feira no CT Joaquim Grava
Mário Gobbi Filho (presidente) concedeu entrevista coletiva na manhã desta sexta-feira no CT Joaquim Grava

Na entrevista coletiva que confirmou a saída do técnico Tite, o presidente Mário Gobbi Filho falou sobre o sucessor. Apesar do acordo com Mano Menezes, que já tem até salário definido, o mandatário alvinegro fez questão de não confirmar a volta do ex-treinador ao clube.

– Não confirmo (Mano), a decisão foi tomada ontem (quinta). A partir de hoje (sexta) vamos pensar. Eu, Roberto (de Andrade, diretor), Duílio (Monteiro Alves, diretor-adjunto) e Edu (Gaspar, gerente) para acharmos quem se encaixa no perfil daqui, quando tivermos esse nome vocês, jornalistas, saberão – afirmou Gobbi, negando o acerto com o ex-comandante da Seleção Brasileira.

– Será alguém com curriculo, preparado, que suportará ser técnico do Corinthians. Ser técnico é difícil, ser jogador é mais difícil, ser dirigente mais ainda, ser presidente tem de ser um homem de borracha – completou.

Apesar do despiste, Gobbi saiu em defesa de Mano quando foi questionado da troca de um treinador campeão do mundo por um treinador campeão da Série B pelo clube.

– Isso surge porque o Mano foi técnico do Corinthians quando eu era diretor de futebol. Depois, o Andrés o levou para a seleção. É inevitável que surja tudo isso. E o Mano também teve uma trabalha vitoriosa aqui. Não como o Tite, que é o maior vencedor da história do Corinthians. Não existe outro igual. Mas não é só Mano. Existem outros técnicos aí fora com currículo de título. Vamos ver o que é melhor – afirmou.

Na sequência, o presidente do Timão falou sobre as características do sucesso de Tite. Segundo ele, não haverá espaço para novatos à frente da equipe na temporada 2014.

– Penso que o Corinthians não pode ser um tiume de laboratório, treinador tem de colocar a camisa e dizer: ‘Eu conheço isso, é assim que eu trabalho, ser o lider e o comandante. Aqui no Corinthians não tem tempo para se experimentar. Queremos um técnico fale: ‘É comigo!". E bola para frente – lembrou.

Por fim, o presidente do Timão garantiu que o planejamento para 2014 está pronto, independentemente da chegada do novo treinador.

– A gente tem de agir rápido para tomar decisões, mas sempre haverá crítica. O planejamento está pronto, foi feito pelo Edu (Gaspar, gerente), pela equipe do professor Tite, o Corintnians tem vida própria, quando acharmos um nome, ele pode arrumar aqui, ali, mas a essência está pronta e em fase de execução – finalizou.

ICFUT – Corinthians confirma renovação do técnico Tite até dezembro de 2013

Fonte: lancenet

Reunião no CT Joaquim Grava acerta a extensão do clube com o treinador, que é o que está há mais tempo no cargo no futebol brasileiro

Especial Tite Corinthians (Foto: Miguel Schincariol)
Contando as duas passagens (2004/05 e 2010 até agora), Tite já é o quinto treinador com mais jogos pelo Corinthians. Até o fim do ano, será o 4º da história, ultrapassando Nelsinho (Foto: Miguel Schincariol)

O contrato de Tite com o Corinthians, que terminava no fim do ano, foi estendido nesta quarta-feira. Em reunião no CT Joaquim Grava, diretoria e agente do treinador chegaram a um acordo, que agora prevê vínculo até dezembro de 2013. O gaúcho, que já era o treinador há mais tempo no cargo no futebol brasileiro, aumentará ainda mais essa liderança diante dos seus companheiros no Timão.

Ao contrário do que ocorreu no ano passado, quando demorou-se para chegar a um consenso em termos de valores salariais, o novo contrato do treinador foi fechado em apenas algumas horas de conversa. Na ocasião, assim como agora, a intenção do clube era a de permanecer com o comandante do título brasileiro, que também tinha vontade de ficar onde acabara de ganhar o principal título da carreira.

Com a conquista do título da Libertadores, Tite e o clube ficaram ainda mais fortalecidos. A renovação do contrato era um desejo de ambas as partes, fator fundamental para o acordo rápido. Em sua segunda passagem pelo Clube, o treinador já dirigiu a equipe em 138 jogos, com 72 vitórias, 39 empates e 27 derrotas – primeiro jogo desta etapa foi contra o Palmeiras, dia 25 de outubro de 2010, com vitória por 1 a 0. Desde a reestreia, o treinador já conquistou dois títulos importantes: o Campeonato Brasileiro de 2011 e a Copa Santander Libertadores de 2012 (invicto).

Com mais oito jogos para fazer em 2012 (seis pelo Brasileirão e dois pelo Mundial), Tite chegará aos 197 jogos no comando do Corinthians. Com uma média de 70 partidas do clube por temporada, ele passaria tranquilamente o técnico Amílcar Barbuy, terceiro colocado com 240 jogos, e também Rato, que tem 256 jogos. No início de 2013 alcançaria a expressiva marca de 200 jogos. A primeira passagem foi entre 2004 e 2005, e a atual se iniciou em outubro de 2010, durante o Brasileirão.

Em recente entrevista ao LANCENET!, Tite afirmou que acha impossível haver um "Ferguson brasileiro". O escocês Alex Ferguson, do Manchester United (ING), está desde 1986 no comando do clube. Hoje, também exerce a função de gerente.

– Não é da nossa cultura. Nunca terá. Carlos Queiroz, que foi auxiliar dele, disse que era ele quem fazia a parte de campo, escalação. Aí é fácil para o Ferguson (risos) – divertiu-se Tite.

– A grandeza do Corinthians, esse longo tempo… Isso me credencia como profissional, qualifica trabalho, independentemente dos títulos. Olho para trás e vejo que fiquei muito tempo no Caxias, Grêmio, Inter… E no Corinthians precisa sempre de resultado. É um orgulho muito grande – afirmou, entre pausas e suspiros.

Tite tem 189 jogos no comando do Corinthians. Veja os quatro técnicos que estão na sua frente.
1. Oswaldo Brandão (441 partidas)
É o maior da história, com cinco passagens. Foi campeão paulista e do Rio-São Paulo em 1954, ano do IV Centenário, e do Paulista de 1977, para encerrar o jejum de 23 anos sem glórias.

2. Rato (José Castelli) (256 partidas)
Também teve cinco passagens pelo clube. Era meia do Timão, conhecido como Rei do Drible. Como técnico, foi bicampeão do Campeonato Paulista, nas edições de 1951 e 1952.

3. Amílcar Barbuy (240 partidas)
Teve quatro passagens como treinador do clube. A primeira foi enquanto jogador e capitão do time, decidindo quem seriam os 11 titulares. Conquistou o Paulistão de 1916.

4. Nelsinho Baptista (192 partidas)
Em quatro passagens, foi do céu ao inferno. Foi o campeão do primeiro título brasileiro, em 1990. Também ganhou o Paulistão, em 1997. Era o técnico do rebaixamento, em 2007.
*Dados do jornalista e historiador Celso Unzelte

ICFUT – Após dar folga para Sheik no Timão, Tite avisa: ‘Agora é pau dentro!’

Fonte: lancenet

Treinador corintiano brincou durante a entrevista coletiva e avisou que o atacante vai ralar até para voltar a jogar pelo Brasileirão

Emerson Sheik - Corinthians (Foto: Eduardo Viana)
Emerson Sheik não terá mais folga no Corinthians (Foto: Eduardo Viana)

Acabou a mordomia. Não foram com estas palavras, mas o técnico Tite, em tom de brincadeira, mandou um recado para Emerson Sheik. Após ganhar folga de cinco dias, o camisa 11 voltou aos treinos na tarde desta terça-feira e não terá mais descanso até o fim da temporada.

Herói do Timão no título da Libertadores, o atacante fez um trabalho físico com um dos preparadores físicos do clube no gramado separado do restante do elenco. Agora é só ralar para voltar ao time…

– Não vai ter mais folga, não. Já dei o que era para dar. Agora é pau dentro! – disse o "chefe" aos jornalistas, acompanhado de risadas.

Mas o retorno de Emerson aos compromissos do Corinthians irá durar, pelo menos, mais duas rodadas. Suspenso por seis jogos pelo STJD após xingar o árbitro Péricles Bassols, no confronto com o Atlético-MG, ele ainda tem duas partidas de gancho para cumprir.  Jogadores como Chicão e Jorge Henrique, que se lesionaram no último mês, não deverão ganhar folga até o Mundial.

Durante o treinamento desta terça-feira, no CT Joaquim Grava, Tite chegou a bater um papo com o seu jogador. Questionado sobre qual seria o assunto da conversa, ele despistou.

– Não, não posso falar. Mas são situações normais de treino, intensidade, acompanhamento, sequência… Nada de diferente – explicou.

Sem o seu camisa 11 para o duelo contra o Náutico, sábado, nos Aflitos, o treinador tem problemas para o setor ofensivo. Além dele, Romarinho, suspenso, e Jorge Henrique, com uma lesão muscular na coxa esquerda, também são baixas. O argentino Martínez deverá ganhar mais uma chance no ataque.

ICFUT – Pensar em rebaixar o Palmeiras não condiz com a grandeza do Corinthians, diz Tite

Fonte: uol

Tite, técnico do Corinthians, reclama durante a partida contra a Ponte, no Pacaembu

Tite, técnico do Corinthians, reclama durante a partida contra a Ponte, no Pacaembu

O técnico Tite está se esforçando para deixar a rivalidade entre Palmeiras e Corinthians longe do campo do Pacaembu no próximo domingo, quando as duas equipes se enfrentam pelo Brasileiro. Em situação delicada na tabela, o alviverde pode aprofundar sua crise em caso de resultado negativo.
Mas, para Tite, o Corinthians estará se diminuindo se ficar pensando em prejudicar os rivais.
“Esse é um espírito pequeno, pobre, eu entendo dessa forma. Se, de alguma forma, eu vou ficar contente com o mal dos outros, estou errado. Temos de buscar outra escala de valores, isso não é condizente com a grandeza do clube”, afirmou o treinador, nesta sexta-feira, após o treino da equipe.

Entre a torcida corintiana, já virou motivo de excitação a possibilidade de afundar o rival, que patina na zona de rebaixamento, vem de derrota para o Vasco e acaba de demitir o técnico Luiz Felipe Scolari.
Tite disse que entende esse pensamento do torcedor, mas quer evitar que seus jogadores sejam contaminados com ele.
“Queremos crescer na competição, melhorar nossa condição, ficar contente com a gente mesmo. Eles têm de querer brigar pela titularidade, se eu não encontrar dez motivações diferentes para esse jogo que não a rivalidade, eu não sei mais…”, disse o treinador. “Pode ser aquela sacanagem, aquela brincadeira do torcedor, é compreensivo, eu entendo. Mas não, em campo, não.”
Durante a entrevista, o corintiano foi questionado diversas vezes sobre a situação de Scolari, com quem já teve um desentendimento durante um clássico. Tite disse ter gratidão pelo colega, mas afirmou não se sentir à vontade para comentar sobre sua demissão. “Vou pedir uma coisa e vocês vão entender, não quero mais falar sobre isso. Posso ser mal interpretado.”
Sobre a possibilidade de prejudicar e “afundar” o Palmeiras com uma simples vitória, o técnico do Corinthians negou que um jogo seja suficiente para tanto. “Ninguém afunda ninguém não. São 38 jogos, e cada um vai construir sua campanha. Nós vamos construir a nossa, o Palmeiras, a dele.”
Para o jogo, Tite confirmou a entrada de Wallace no lugar de Chicão, que passará por uma cirurgia e ficará fora de campo por um mês. No lugar de Alessandro, suspenso, o treinador colocará Guilherme Andrade.
A única dúvida é o ataque. Emerson Sheik foi suspenso, mas aguarda o julgamento de um efeito suspensivo amanhã para se saber se ainda poderá jogar.

ICFUT – Emerson é suspenso pelo STJD por seis jogos; Tite é absolvido

Fonte: globo

Expulso na partida contra o Atlético-MG, no último dia 2, atacante só deve voltar ao Corinthians diante do Cruzeiro, na 31ª rodada do Brasileirão

Depois de receber a notícia de que não poderá contar com o zagueiro Chicão,que será submetido a uma cirurgia nesta sexta-feira, o técnico Tite ganhou mais uma dor de cabeça para o clássico contra o Palmeiras. O atacante EmersonSheik foi julgado pelo STJD por causa de sua expulsão na partida contra o Atlético-MG, no último dia 2, pela 21ª rodada do Campeonato Brasileiro, e acabou suspenso por seis jogos. A diretoria do Corinthians, porém, ainda tenta um efeito suspensivo para dar condições ao atacante de entrar em campo contra o arquirrival no domingo, no Pacaembu.

Além da punição, que pode tirar Sheik dos duelos contra Palmeiras, Botafogo, Sport Recife, Náutico, Flamengo e Portuguesa, o jogador também foi multado em R$ 20 mil. A tendência é que o atleta retorne ao time apenas na 31ª rodada, no dia 17 de outubro, contra o Cruzeiro, fora de casa.

O corintiano foi julgado no início da tarde desta sexta-feira, no Rio de Janeiro e absolvido por unanimidade de votos no artigo 250 (ato desleal ou hostil) do Código Brasileiro de Justiça Desportiva. Porém, Sheik foi punido nos artigos 258 (assumir conduta contrária à ética ou disciplina desportiva) com dois jogos, e 243 (ofender alguém em sua honra) com mais quatro partidas.

Também expulso na partida contra o Atlético-MG, o técnico Tite foi julgado pelo STJD no artigo 258, mas acabou absolvido e estará no banco de reservas diante do Palmeiras, no domingo, às 16h, no Pacaembu.

Se a diretoria do Corinthians não conseguir a liberação de Emerson para o clássico, Tite terá uma dúvida para o sistema ofensivo alvinegro. Sem poder contar com Guerrero, que tem uma lesão no tornozelo esquerdo, o treinador deve optar entre Jorge Henrique e Martinez para formar dupla de ataque ao lado de Romarinho.

emerson corinthians atlético-mg (Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)Emerson e Tite deixam o campo após serem expulsos contra o Galo (Foto: Marcos Ribolli/Globoesporte.com)

ICFUT – Dirigente santista dispara contra Tite e cita ‘apito amigo’

Fonte: lancenet

Pedro Luiz Conceição, membro do Comitê de Gestão do clube, disse que atitude do treinador foi irresponsável e deselegante

Pedro Luiz Nunes - Santos - (Foto: Site Oficial) Pedro Luiz Nunes Conceição rebateu comentário do técnico corintiano Tite (Foto: Site Oficial)

Os comentários do técnico Tite, do Corinthians, após a derrota para o Santos, no último domingo, pela 18ª rodada do Campeonato Brasileiro, desagradaram a diretoria do Peixe. Cartolas alvinegros se irritaram com as reclamações do treinador com a arbitragem, mas principalmente com as críticas a Neymar.

A resposta santista veio nesta segunda-feira com Pedro Luiz Nunes Conceição, ex-diretor de futebol e membro do Comitê de Gestão do clube, que disparou contra Tite.

– Foi uma atitude irresponsável e deselegante, que não combina com o profissional que ele é. Falar o que torcedor quer ouvir, a gente até entende, mas o que fez foi muito feio. Esperamos que depois de uma noite bem dormida, ele venha a público peça desculpas – afirmou.

A falha do auxiliar Emerson Augusto de Carvalho, que validou um gol impedido do Peixe no clássico, foi ironizado por Pedro Luiz, que afirmou que o rival alvinegro está acostumado a ser beneficiado pelos árbitros.

– A indignação deles é compreensível, a arbitragem os atrapalhou pela primeira vez em muitos anos. Erros de arbitragem contra o Corinthians acontecem, mas certamente são menos do que os favoráveis. Tanto é que o jargão "apito amigo" surgiu em função deles. Depois de muito ser ajudado, ontem (domingo) houve um erro contra eles – disse o cartola, que ainda lembrou do último clássico entre Santos e Corinthians.

– Pelo menos, dessa vez o bandeira não entrou em campo para comemorar, como o Altemir Hausmann fez com o spray no fim da semifinal da Libertadores desse ano. Naquela atitude patética, o bandeirinha estava comemorando a classificação do Corinthians. Além disso, o (Leandro Pedro) Vuaden, que apitou aquele jogo, nos prejudicou muito, marcando todas as "faltinhas", parando o jogo – protestou.

A reportagem do LANCENET! também tentou contato com o presidente Luis Alvaro de Oliveira Ribeiro, mas o mandatário, que viajará ao Chile nesta terça-feira, não foi encontrado. O técnico Tite concede entrevista coletiva após o treino dessa terça.

ICFUT – Tite perde a linha com arbitragem e com Neymar: ‘Mau exemplo para garotos’

Fonte: lancenet

Treinador não gostou de lance em que o santista teria pisado em Guilherme e também de supostas simulações do jogador

Tite - Santos x Corinthians (Foto: Tom Dib) Tite ficou irritado com os erros de arbitragem no clássico (Foto: Tom Dib)

Tite ficou transtornado após a derrota para o Santos. Após deixar o campo enfurecido,  ficou cerca de uma hora esfriando a cabeça e, depois, apareceu para a entrevista coletiva. Aparentemente calmo, primeiro apenas criticou as decisões dos homens do apito:
–  A arbitragem errou e de uma forma crassa. Lamento por eles, vão assistir vocês (televisão) e falar: “O que eu fiz?” Eu teria esse sentimento. Foram erros que tiraram um pouco do clássico – disse.
Mas, com o passar os minutos, a insatisfação do treinador foi ficando mais transparente. Até, aos berros e dando socos na mesa, ele mandar um recado para os torcedores:

André brilha e Santos vence clássico polêmico contra o Timão

– Vou dizer para o torcedor corintiano que todo o sentimento que ele tem eu tenho também – gritou, até assustando quem estava a sua volta.
O sentimento, porém, não era exclusivamente de Tite. Segundo o treinador, o clima no vestiário após o clássico foi de extrema revolta:
– Eles estão indignados, putos da cara. Mas disse: “Deixa que isso é com o técnico e com a direção. Vão fazer o que fizeram. Vão melhorar a bola aéra, a precisão.” Eles Fizeram um baita jogo e o Santos também fez – comentou ele.
Mas o treinador não estava nervoso apenas com os erros de arbitragem. O comportamento de Neymar, na visão do corintiano, não foi adequado. Primeiro, em lance com o estreante Guilherme Andrade.
— O Guilherme foi pisado por ele. Quantos jogos nós jogamos contra ele e que nível de lealdade teve o Corinthians? – indagou.
Depois, com as supostas simulações de faltas que o camisa 11 do Peixe teria feito durante o jogo.
– Quando jogamos aqui (no primeiro jogo da semifinal da Libertadores), o Emerson foi expulso por um carrinho imprudente. O Neymar caiu e depois já estava bom. Perder ou ganhar é do jogo, mas simular situaçãos e levar vantagem é mau exemplo para o garoto que está vendo, para o meu filho. Tem de dar um chega – disse, abandonando a entrevista.