ICFUT – BRASILEIRÃO 2012 – GOLS, JOGOS & CLASSIFICAÇÃO 1º RODADA

Corinthians 0 X 1 Fluminense – Brasileirão 2012

Ponte Preta 0 X 1 Atlético-MG – Brasileirão 2012

Internacional 2 X 0 Coritiba – Brasileirão 2012

Vasco 2 X 1 Grêmio – Brasileirão 2012

Bahia 0 X 0 Santos – Brasileirão 2012

Cruzeiro 0 X 0 Atlético-GO – Brasileirão 2012

Botafogo 4 X 2 São Paulo – Brasileirão 2012

Figueirense 2 x 1 Náutico – Brasileiro 2012

Palmeiras 1 x 1 Portuguesa –  Brasileiro 2012

Sport 1 x 1 Flamengo – Brasileiro 2012

LINK AO VIVO PARA OS JOGOS DO BRASILEIRÃO 2012 – CLIQUE AQUI

Time PG J V E D GP GC SG (%)
1 Botafogo 3 1 1 0 0 4 2 2 100
2 Internacional  3 1 1 0 0 2 0 2 100
3 Figueirense  3 1 1 0 0 2 1 1 100
3 Vasco  3 1 1 0 0 2 1 1 100
5 Atlético-MG  3 1 1 0 0 1 0 1 100
5 Fluminense  3 1 1 0 0 1 0 1 100
7 Flamengo  1 1 0 1 0 1 1 0 33
7 Palmeiras  1 1 0 1 0 1 1 0 33
7 Portuguesa  1 1 0 1 0 1 1 0 33
7 Sport  1 1 0 1 0 1 1 0 33
11 Atlético-GO  1 1 0 1 0 0 0 0 33
11 Bahia  1 1 0 1 0 0 0 0 33
11 Cruzeiro  1 1 0 1 0 0 0 0 33
11 Santos  1 1 0 1 0 0 0 0 33
15 Grêmio  0 1 0 0 1 1 2 -1 0
15 Náutico  0 1 0 0 1 1 2 -1 0
17 Corinthians 0 1 0 0 1 0 1 -1 0
17 Ponte Preta  0 1 0 0 1 0 1 -1 0
19 São Paulo  0 1 0 0 1 2 4 -2 0
20 Coritiba  0 1 0 0 1 0 2 -2 0

Proxima Rodada

2ª RODADA – 26/05/2012
HORA JOGO ESTÁDIO CIDADE
18h30 Flamengo x Internacional Engenhão Rio de Janeiro
18h30 Portuguesa x Vasco Canindé São Paulo
18h30 Atlético-GO x Ponte Preta Serra Dourada Goiânia
21h00 Náutico x Cruzeiro Aflitos Recife
2ª RODADA – 27/05/2012
HORA JOGO ESTÁDIO CIDADE
16h00 Santos x Sport Vila Belmiro Santos
16h00 São Paulo x Bahia Morumbi São Paulo
16h00 Atlético-MG x Corinthians Independência Belo Horizonte
16h00 Coritiba x Botafogo Couto Pereira Curitiba
18h30 Fluminense x Figueirense Engenhão Rio de Janeiro
18h30 Grêmio x Palmeiras Olímpico Monumental Porto Alegre
1ª RODADA – 19/05/2012
HORA JOGO ESTÁDIO CIDADE
18h30 Palmeiras 1 x 1 Portuguesa Pacaembu São Paulo
18h30 Sport 1 x 1 Flamengo Ilha do Retiro Recife
21h00 Figueirense 2 x 1 Náutico Orlando Scarpelli Florianópolis
1ª RODADA – 20/05/2012
HORA JOGO ESTÁDIO CIDADE
16h00 Botafogo 4 x 2 São Paulo Engenhão Rio de Janeiro
16h00 Corinthians 0 x 1 Fluminense Pacaembu São Paulo
16h00 Internacional 2 x 0 Coritiba Beira-Rio Porto Alegre
16h00 Ponte Preta 0 x 1 Atlético-MG Moisés Lucarelli Campinas
18h30 Vasco 2 x 1 Grêmio São Januário Rio de Janeiro
18h30 Cruzeiro 0 x 0 Atlético-GO Parque do Sabiá Uberlândia
18h30 Bahia 0 x 0 Santos Estádio de Pituaçu Salvador

ICFUT – LINK AO VIVO PARA OS JOGOS DO BRASILEIRÃO 2012

LINK AO VIVO DOS JOGOS DA SÉRIE A DO BRASILEIRÃO 2012 – CLIQUE AQUI

1ª RODADA
19/05 – 18h30 Palmeiras-SP 1 x 1 Portuguesa-SP
19/05 – 18h30 Sport-PE 1 x 1 Flamengo-RJ
19/05 – 21h00 Figueirense-SC 2 x 1 Náutico-PE
20/05 – 16h00 Internacional-RS x Coritiba-PR
20/05 – 16h00 Botafogo-RJ x São Paulo-SP
20/05 – 16h00 Ponte Preta-SP x Atlético-MG
20/05 – 16h00 Corinthians-SP x Fluminense-RJ
20/05 – 18h30 Bahia-BA x Santos-SP
20/05 – 18h30 Cruzeiro-MG x Atlético-GO
20/05 – 18h30 Vasco da Gama-RJ x Grêmio-RS

ICFUT – Brasileirão 2012 – Gols e resultados 19/05/2012

Figueirense 2 x 1 Náutico – Brasileiro 2012

Palmeiras 1 x 1 Portuguesa –  Brasileiro 2012

Sport 1 x 1 Flamengo – Brasileiro 2012

 

 Clube PG JG VI EM DE GP GC SG %A
1  Figueirense-SC 3 1 1 0 0 2 1 1 100.0
2  Sport-PE 1 1 0 1 0 1 1 0 33.3
3  Flamengo-RJ 1 1 0 1 0 1 1 0 33.3
4  Portuguesa-SP 1 1 0 1 0 1 1 0 33.3
5  Palmeiras-SP 1 1 0 1 0 1 1 0 33.3
6  Bahia-BA 0 0 0 0 0 0 0 0
7  Atlético-GO 0 0 0 0 0 0 0 0
8  Fluminense-RJ 0 0 0 0 0 0 0 0
9  Grêmio-RS 0 0 0 0 0 0 0 0
10  Vasco da Gama-RJ 0 0 0 0 0 0 0 0
11  Coritiba-PR 0 0 0 0 0 0 0 0
12  Cruzeiro-MG 0 0 0 0 0 0 0 0
13  Botafogo-RJ 0 0 0 0 0 0 0 0
14  Internacional-RS 0 0 0 0 0 0 0 0
15  Atlético-MG 0 0 0 0 0 0 0 0
16  Santos-SP 0 0 0 0 0 0 0 0
17  Corinthians-SP 0 0 0 0 0 0 0 0
18  Ponte Preta-SP 0 0 0 0 0 0 0 0
19  São Paulo-SP 0 0 0 0 0 0 0 0
20  Náutico-PE 0 1 0 0 1 1 2 -1 0.0
1ª RODADA
19/05 – 18h30 Palmeiras-SP 1 x 1 Portuguesa-SP
19/05 – 18h30 Sport-PE 1 x 1 Flamengo-RJ
19/05 – 21h00 Figueirense-SC 2 x 1 Náutico-PE
20/05 – 16h00 Ponte Preta-SP x Atlético-MG
20/05 – 16h00 Corinthians-SP x Fluminense-RJ
20/05 – 16h00 Internacional-RS x Coritiba-PR
20/05 – 16h00 Botafogo-RJ x São Paulo-SP
20/05 – 18h30 Vasco da Gama-RJ x Grêmio-RS
20/05 – 18h30 Bahia-BA x Santos-SP
20/05 – 18h30 Cruzeiro-MG x Atlético-GO
2ª RODADA
26/05 – 18h30 Atlético-GO x Ponte Preta-SP
26/05 – 18h30 Flamengo-RJ x Internacional-RS
26/05 – 18h30 Portuguesa-SP x Vasco da Gama-RJ
26/05 – 21h00 Náutico-PE x Cruzeiro-MG
27/05 – 16h00 Santos-SP x Sport-PE
27/05 – 16h00 São Paulo-SP x Bahia-BA
27/05 – 16h00 Atlético-MG x Corinthians-SP
27/05 – 16h00 Coritiba-PR x Botafogo-RJ
27/05 – 18h30 Grêmio-RS x Palmeiras-SP
27/05 – 18h30 Fluminense-RJ x Figueirense-SC

Por Cleber Aguiar – Figueirense marca no último lance e bate Náutico na estreia

Fonte: Portal Terra

Jogadores do Figueirense comemora gol marcado no último lance do jogo. Foto: Antonio C. Mafalda/Mafalda Press/Futura Press/Futura Press

Jogadores do Figueirense comemora gol marcado no último lance do jogo
Foto: Antonio C. Mafalda/Mafalda Press/Futura Press/Futura Press

Figueirense e Náutico estrearam no Campeonato Brasileiro da Série A sob desconfiança no estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis. E o time mandante superou o futebol ruim com um gol marcado no minuto final de jogo. O jogo foi péssimo, e a vitória do time mandante veio aos 49 minutos do segundo tempo com o gol do estreante Caio.

Derrotado na final do catarinense nos dois jogos para o Avaí, o Figueirense só alegrou os torcedores nos minutos finais. Já o Náutico, eliminado na semifinal do pernambucano, procurou os contra-ataques, e teve as melhores chances de gol desperdiçadas por Araújo.

O primeiro tempo foi sofrível, e o nervosismo tomou conta dos dois times. O mesmo aconteceu em grande parte da segunda etapa.

O duelo só ganhou em emoção aos 30 minutos, a partir do gol do Figueirense, marcado por Fernandes. O empate do time visitante veio quatro minutos depois com Araújo cobrando pênalti.

Aos 37 minutos, o zagueiro do Náutico, Márcio Rosário, foi expulso por cortar a bola com o braço, aparentemente sem a intenção, e deixou o duelo agitado nos minutos finais. O Figueirense soube aproveitar a vantagem numérica e venceu a partida.

Na segunda rodada, o Náutico encara o Cruzeiro no próximo sábado, às 21h(de Brasília), no estádio dos Aflitos, em Pernambuco. Já o Figueirense vai até o Rio de Janeiro encarar o Fluminense, domingo (27/05), no Engenhão, às 18h30 (de Brasília).

Ficha técnica

FIGUEIRENSE 1 x 1 NÁUTICO

Gols
FIGUEIRENSE:
Fernandes, aos 31 minutos do segundo tempo, e Caio, aos 48 minutos do segundo tempo
NÁUTICO:
Araújo, de pênalti, aos 34 minutos do segundo tempo

FIGUEIRENSE: Wilson; Pablo (Coutinho), Canuto, Sandro e Guilherme; Túlio, Ygor, Toró (William Potker) e Luiz Fernando (Fernandes); Caio e Roni
Treinador: Argel Fucks

NÁUTICO: Gideão; Auremir, César Marques, Ronaldo Alves e Márcio Rosário; Elicarlos, Derley, Souza (Glaydson) e Cléverson (Lúcio); Ramon (Ramirez) e Araújo
Treinador: Alexandre Gallo

Cartões amarelos
FIGUEIRENSE: Canuto, Sandro e Caio
NÁUTICO: Márcio Rosário e Souza

Árbitro
Arilson Bispo da Anunciação (BA)

Local
Estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis (SC) p>

Por Cleber Aguiar – Pouco para os dois: Sport e Fla empatam na estreia no Brasileirão

Fonte: Globo.com

Leão sai na frente, joga melhor a maior parte do tempo, mas não segura a vantagem. Após férias forçadas, cariocas jogam mal, mas pontuam

No reencontro com a Primeira Divisão depois de dois anos, o Sport queria mais. Vinte e sete dias após as eliminações na Libertadores e no Carioca, o Flamengo precisava dar uma resposta aos torcedores. Nem lá, nem cá. Neste sábado, os clubes rubro-negros estrearam com um empate por 1 a 1 no Campeonato Brasileiro. Na Ilha do Retiro, no Recife, os gols só saíram no segund tempo: Marquinhos Gabriel abriu o placar para o Leão, e Vagner Love empatou para os cariocas. Os pernambucanos foram melhores na maior parte do jogo, mas não souberam segurar a vantagem e aproveitar a empolgação da torcida. Foram 28.636 presentes, e renda de R$ 606.770

Apesar de voltar ao Rio com um ponto na bagagem, o time de Joel Santana ficou devendo na estreia. E poderia ter sido pior, se não fosse a ótima atuação do goleiro Paulo Victor, sobretudo na primeira etapa. O tempo livre, sem um joguinho sequer no período de quase um mês, não foi suficiente para corrigir erros cometidos no primeiro semestre. A primeira impressão deixa claro: há muito trabalho a fazer. Apagado em campo, Ronaldinho ficou satisfeito com o resultado:

– Com a entrada do Deivid, tivemos a oportunidade de criar mais chances. Estamos felizes porque foi um empate fora de casa. Temos que ajeitar a forma de jogar e dar moral aos garotos que estão chegando – disse R10 à Rádio Globo.

Autor do gol do Sport e jogador que mais finalizou na partida, Marquinhos Gabriel achou que a equipe recuou depois de abrir vantagem, mas viu com bons olhos o resultado final.

– Foi um jogão, era lá e cá. Nós nos retraímos no segundo tempo, mas valeu pelo empate, por enfrentarmos uma grande equipe – afirmou.

Na segunda rodada, o Flamengo recebe o Inter, sábado, às 18h30m, no Engenhão. No dia seguinte, o Sport visita o Santos na Vila Belmiro, às 16h.

Se não fosse Paulo Victor…

Um ano que teima em não terminar para Sport e Flamengo. É 1987. Seja no Recife, seja no Rio, sempre que os rubro-negros se enfrentam a polêmica dá as caras. Neste sábado, a chance de provocar foi dos torcedores do Leão. Durante o aquecimento da equipe carioca, o locutor do sistema de som da Ilha do Retiro berrou repetidas vezes que o clube pernambucano é o campeão brasileiro daquela temporada, como reconhece a CBF. Na entrada do time em campo, uma das torcidas organizadas exibiu uma faixa com números e letras garrafais: ‘87 é nosso’.

O primeiro tempo foi do Sport. Não chegou a ser uma superioridade gritante, mas os donos da casa fizeram mais pressão, chutaram mais vezes (sete finalizações contra três do adversário), se apresentaram mais dispostos. Foram pelo menos cinco ótimas oportunidades a partir dos 20 minutos. Não fosse Paulo Victor, substituto de Felipe, o placar não teria ficado em branco. O goleiro foi seguro e fez grandes defesas. Parou, em sequência, Marquinhos, Edcarlos e Thiaguinho. Este último num lance que começou com uma cobrança de falta ruim de R10. O atacante armou um contra-ataque para o adversário e não ajudou na marcação.

Vagner Love Flamengo x Sport (Foto: André Chaco / Vipcomm)Vagner Love tenta dominar a bola, vigiado por Edcarlos (Foto: André Chaco / Vipcomm)

A proteção dos zagueiros Welinton e Marcos González e do volante Rômulo, quase um terceiro defensor, falhou. Na esquerda, Magal não conseguiu marcar as subidas de Moacir. O Flamengo teve mais posse de bola (52% contra 48%), mas na maioria do tempo não soube o que fazer com ela. Um meio-campo sem criatividade, lento e pouco objetivo travou as jogadas ofensivas. Bottinelli e Kleberson não foram bem. Na frente, Ronaldinho Gaúcho e Vagner Love se movimentaram, mas foram marcados sem dificuldades por Bruno Aguiar e Edcarlos. Love se enroscou tanto com os defensores que chegou a acertar uma cotovelada em Tobi, que sofreu um corte no rosto.

Antes da pressão do Sport, o time de Joel Santana só havia levado perigo aos 14 minutos, numa cobrança de falta de longe de R10 que passou perto do ângulo esquerdo de Magrão. Depois disso, só voltou a assustar no fim da primeira etapa. Após rápida cobrança de falta, Kleberson ficou livre para marcar, mas o goleiro fez bela defesa.

Leão abre vantagem, mas Fla responde

Reencontrar o torcedor na Primeira Divisão depois de dois longos anos fez bem ao Sport. Empurrado por uma Ilha do Retiro empolgada, o Leão foi à caça. Voltou para o segundo tempo pronto para decidir, tomar conta do campo e do jogo. O problema era vencer Paulo Victor. Em grande forma, o goleiro impediu que Marquinhos Gabriel marcasse. Aos nove, a cobrança de falta saiu forte e rasteira, mas PV caiu no cantinho esquerdo para espalmar. Pouco depois, aos 12, não houve chance. Moacir recebeu lançamento pela direita, passou por Magal sem dificuldades e chutou cruzado. A bola bateu em Léo Moura e voltou para o meio da área. Livre, Marquinhos Gabriel acertou o ângulo direito de Paulo Victor. Ilha do Retiro aos pulos: 1 a 0.

Os técnicos mexeram nas equipes. O interino Gustavo Bueno – Vagner Mancini assume nesta segunda-feira -, tirou Thiaguinho e Naldinho para as entradas de Renê e Diogo. Joel, que já havia trocado Rômulo (com câimbras) pelo estreante Amaral no intervalo, lançou Deivid no lugar de Bottinelli. O Sport seguiu na pressão e assustou na bola parada, mas por pouco não sofreu o empate, aos 20. Acionado por Deivid, Vagner Love ficou de frente para Magrão, mas tirou do goleiro e do gol. Chance incrível desperdiçada.

O erro do Artilheiro do Amor marcou o despertar do Flamengo. O time passou a ser mais agressivo, Léo Moura e Magal subiram para apoiar, e Deivid deu mais volume ao ataque. Aos 28, Kleberson encontrou Love entre Edcarlos e Tobi e conseguiu uma assistência precisa. O goleador não jogou a segunda chance fora. Toque na saída de Magrão, empate do Flamengo.

Algumas boas investidas ainda deram esperança aos flamenguistas que foram à Ilha de ver uma vitória na estreia, mas a zaga leonina soube se defender. A última grande chance, no entanto, foi do Sport, aos 44 minutos. Renê recebeu pela esquerda e cruzou na área. A bola passou por todo mundo e caiu nos pés de Moacir. O lateral cruzou, Welinton tentou afastar e bateu de joelho na bola, que tocou no travessão. As férias forçadas acabaram, mas o Deus-nos-acuda do Fla continua. Para o Leão, uma volta com disposição à elite.  

Por Cleber Aguiar – Verdão vacila no fim e cede empate à Portuguesa em casa

Fonte: Gazetaespotiva.net

São Paulo (SP)

O Palmeiras iniciou o Campeonato Brasileiro-2012 de forma decepcionante e já irritou seus torcedores. Apático principalmente no segundo tempo, o Verdão perdeu os primeiros pontos em casa no empate deste sábado à noite por 1 a 1 com a Portuguesa, no Pacaembu.

O Palmeiras atuou bem apenas no final do primeiro tempo, quando conseguiu o gol em uma linda jogada concluída por Luan. Porém, o Verdão teve uma queda inexplicável na etapa final e cedeu o empate no tento de Rodriguinho, de cabeça.

O resultado mantém, pelo menos, um tabu favorável ao Palmeiras diante da Portuguesa. Em jogos do Campeonato Brasileiro, o Verdão não perde do adversário desde 1995, quando foi derrotado por 2 a 1 pela Lusa no Palestra Itália.

Na próxima rodada do Campeonato Brasileiro, o Palmeiras entra em campo no domingo da semana que vem diante do Grêmio, às 18h30, no estádio Olímpico, em Porto Alegre. Um dia antes e no mesmo horário, a Portuguesa desafia o Vasco, no Canindé.

Durante a semana, o Palmeiras volta as suas atenções para a Copa do Brasil. Na quarta-feira à noite, decide a vaga nas semifinais diante do Atlético-PR. No encontro de ida, em Curitiba, houve empate por 2 a 2. Assim, o Alviverde carimba a classificação até com uma igualdade por 0 a 0 ou 1 a 1.

O Jogo –A abertura do Campeonato Brasileiro começou de forma apática para Palmeiras e Portuguesa. Nos instantes iniciais da partida do Pacaembu, o Verdão priorizava a troca de passes sem muita pressa, enquanto a Lusa limitava-se a atuar apenas no erro do adversário.

A Portuguesa ainda sofreu o golpe da saída de sua referência ofensiva. Em virtude de um choque na cabeça, Ricardo Jesus deixou o gramado para a entrada de Rodriguinho. Quase ao mesmo tempo, a Lusa criou a primeira grande chance: Luis Ricardo avançou pela direita, driblou três adversários e mandou uma bomba no peito do goleiro Bruno.

O Palmeiras acordou apenas aos 24 minutos. Barcos usou a força física ao receber cobrança de lateral dentro da área, girou sobre Renato e bateu colocado. O goleiro Weverton pulou no canto esquerdo para espalmar a tentativa do argentino.

No entanto, a Lusa proporcionou outro susto aos donos da casa em uma bola parada. Aos 30 minutos, Renato mandou uma bomba na infração de longe e exigiu defesa difícil de Bruno. Boa parte da torcida alviverde demonstrava preocupação e ficava em silêncio.

A monotonia alviverde acabou pouco antes do intervalo em grande estilo. Em uma jogada que tirou intensos aplausos, com direito a toques de calcanhar de Barcos e Daniel Carvalho, o Palmeiras abriu o placar aos 37 minutos, em um arremate firme de Luan da entrada da área. O Verdão terminou melhor a primeira etapa, até com chances de ampliar.

Notícias preocupantes: Para a etapa complementar, o Palmeiras voltou modificado: Maurício Ramos entrou no lugar do lesionado Leandro Amaro. Ainda por cima, Daniel Carvalho ficou em campo apenas por mais sete minutos antes de sentir a coxa esquerda e ceder a vaga a Mazinho.

As mudanças proporcionaram uma queda de rendimento ao Palmeiras. Em desvantagem, a Portuguesa avançou suas linhas e manteve maior posse de bola. Faltava, contudo, qualidade técnica para criar jogadas de perigo.

A Portuguesa tentou aumentar a criatividade ao promover a estreia do ex-palmeirense Michael. A partir dos 30 minutos, a Lusa intensificou a pressão e empatou no fim, com o gol de cabeça de Rodriguinho, em um cochilo da zaga palmeirense. Final: 1 a 1.

Por Cleber Aguiar – Brasileirão por pontos corridos chega à 10ª edição

Fonte:Lancenet.com.br

Campeonato de 2012 tem muitos astros na disputa

Mobile - TR - Leandro Damião (Internacional), Deco (Fluminense), Loco Abreu  (Botafogo), Neymar (Santos) e Guilherme (Atlético-MG) Damião, Deco, Loco Abreu, Neymar… atrações do BR-12

João Matheus Ferreira
Sérgio Arêas

O Campeonato Brasileiro 2012 começa neste sábado. E não se trata de um campeonato qualquer. Primeiro pelos astros que lutam pela taça. Neymar, Ganso, Leandro Damião, Oscar, Lucas, Emerson, Vagner Love, Fred, Deco… Todos brigarão pelo direito de erguer o troféu da décima edição do Brasileiro por pontos corridos. Este sim, um fato inédito na principal competição do futebol cinco vezes campeão mundial.

Nunca, na história do Campeonato Brasileiro, que existe tal qual conhecemos desde 1971, uma fórmula havia sido repetida. Isso até 2003, quando os pontos corridos passaram a ser adotados. Naquele ano, muito se debateu sobre o assunto. Desconfiança de sobra. Faltaria interesse? Haveria emoção? O público aceitaria? Este ano, quando teremos a edição de número 10 no mesmo sistema, a fórmula parece consolidada entre os boleiros tupiniquins.

E MAIS:
> Entenda o sistema de disputa
> Calendário europeu ou brasileiro?

Emoção não tem faltado, visto que o campeão tem sido conhecido somente nas últimas rodadas – foi assim em 2008, 2009, 2010 e 2011. Além disso, há a luta contra o rebaixamento, que mobiliza torcidas Brasil afora e torna reações míticas, como a do Fluminense em 2009, quando, de time dado como rebaixado, ressurgiu das cinzas, permaneceu na Série A e de quebra levantou o caneco no ano seguinte.

Na discussão sobre qual foi o melhor time da era dos pontos corridos, algumas divergências surgem, mas dois merecem reverência. Um deles o Cruzeiro, campeão em 2003, primeiro ano desse sistema.

– Para mim, o melhor campeão foi o Cruzeiro, de 2003. Mas é evidente que o São Paulo, tricampeão com o Muricy, também era muito bom – afirmou Mauro Beting.

Em 2004, o Santos de Robinho fez história. Assim como o Cruzeiro de 2003, dirigido por Luxemburgo.

– Acho o melhor de todos o Santos de 2004. Robinho jogou muito e o time inteiro também – disse Roberto Assaf.

E este ano, quem leva?

LINHA DO TEMPO


2003: Cruzeiro campeão
O time dos 100 pontos e 102 gols num mesmo campeonato. Primeira edição do Brasileiro por pontos corridos é disputada por 24 clubes.



2004: Santos campeão
Bi de Vanderlei Luxemburgo e time que tinha Robinho, Elano & Cia.. Peixe marca 103 gols, ultrapassa marca do Cruzeiro. Grêmio é rebaixado.



2005: Corinthians campeão
Com um time recheado de astros, tendo Tévez como o principal, o Timão chega ao título, com direito a polêmica. Inter é vice e reclama da arbitragem. Começa a redução de clubes participantes. São 22 dessa vez. Atlético-MG rebaixado.



2006: São Paulo campeão
Início da era Muricy Ramalho no São Paulo. Clube paulista inicia caminhada para o tricampeonato brasileiro. Competição passa a ser disputada por 20 clubes.



2007: São Paulo campeão
Foi o título mais tranquilo dos pontos corridos. Defesa do São Paulo dá show, sofre apenas 19 gols em 38 jogos e o time fatura o título. Ano perfeito para a torcida são-paulina. Bicampeonato brasileiro e Corinthians rebaixado.



2008: São Paulo campeão
O tricampeonato do São Paulo foi decidido somente na última rodada, numa disputa ponto a ponto com o Grêmio. Vasco rebaixado.



2009: Flamengo campeão
O futebol carioca volta a ser protagonista no Campeonato Brasileiro. O Fla de Adriano & Cia. Acaba com a hegemonia paulista e levanta o caneco. A competição também fica marcada pela sensacional arrancada do Fluminense, que ressurgiu das cinzas para escapar do rebaixamento. Nesse ano surge o “Time de Guerreiros”.



2010: Fluminense campeão
Após a fuga do rebaixamento em 2009, o Fluminense traz o papa-títulos Muricy Ramalho e conquista um título brasileiro após 26 anos. De quebra, repete a dobradinha que fez com o Flamengo nos anos 1980. Em 1983 o Fla havia sido campeão. No ano seguinte (1984), o Flu. Conca é o nome do campeonato.

 


2011: Corinthians campeão
Após disputa acirrada com o Fluminense em 2010, o Timão volta a levantar a taça, com Vasco, Fluminense e Flamengo entre os quatro primeiros colocados.


A OPINIÃO DOS ESPECIALISTAS

Qual foi o melhor time da história do Brasileirão em pontos corridos?

José Luiz Portella – Colunista do LANCE!: O melhor time da era dos pontos corridos foi Cruzeiro de 2003, com Alex inspirado. Além disso, venceu Copa do Brasil e Estadual.

Marcelo Damato – Colunista do LANCE!: O melhor foi o São Paulo tricampeão com o Muricy Ramalho. Em uma edição, 2007, conseguiu ganhar sem
nenhuma dificuldade.

Mauro Beting – Colunista do LANCE!: O melhor campeão foi o Cruzeiro, de 2003. Mas é evidente que o São Paulo, tricampeão com o Muricy,
também era muito bom.

Roberto Assaf – Colunista do LANCE!: Eu acho que o melhor de todos foi o Santos de 2004. O Robinho jogou muito aquele Brasileiro, e o time inteiro também foi bem.

TURNOS QUE VALEM TROFÉUS

  
Conca com o Troféu Osmarzão em 2010 (Foto: Alexandre Loureiro)  

Além do título brasileiro, as 20 equipes que disputam a Série A podem ser premiadas caso sejam as melhores em cada turno. Criados pelo Diário LANCE! em 2004, os troféus Osmar Santos e João Saldanha são entregues aos times que obtiverem a melhor performance no primeiro e segundo turnos, respectivamente.

O São Paulo foi quem mais levou os dois prêmios até o momento: no Osmarzão foram duas conquistas, ao lado do Corinthians. No Saldanhão, três. Outro dado interessante é o domínio dos times paulistas em número de conquistas (cinco no primeiro turno e quatro no segundo), o que mostra o tamanho da superioridade das equipes da Terra da Garoa no início da era dos pontos corridos.

No entanto, os cariocas estão começando a reagir nos últimos anos. O Flamengo, com um Troféu João Saldanha de 2009, e o Fluminense, com uma conquista de cada turno nas duas últimas temporadas, iniciaram a arrancada. Inter e Grêmio, com um título dos dois troféus cada, fecham a lista de campeões.

OS VENCEDORES DOS TURNOS

2004: Santos (Osmarzão e Saldanhão)

2005: Corinthians (Osmarzão) / Inter (Saldanhão)

2006: São Paulo (Osmarzão e Saldanhão)

2007: São Paulo (Osmarzão e Saldanhão)

2008: Grêmio (Osmarzão) / São Paulo (Saldanhão)

2009: Inter (Osmarzão) / Flamengo (Saldanhão)

2010: Flu (Osmarzão) / Grêmio (Saldanhão)

2011: Corinthians (Osmarzão) / Flu (Saldanhão)

BAIER É O MAIOR ARTILHEIRO

        
Baier disputará a Série B (Foto: Divulgação/Site Oficial do Atlético-PR)  

Maior artilheiro da história dos pontos corridos, o veterano Paulo Baier vai disputar a Série B pelo Atlético-PR em 2012. Apesar de ser meia, o jogador está à frente de diversos atacantes. Mesmo com 37 anos, Baier garante que disputa a edição do ano que vem e afirma que não vai secar ninguém:

– Fico muito orgulhoso em ser o maior. Estou a poucos gols de completar o 100º e o objetivo é jogar a Série A em 2013, que deve ser a última. Não digo que vou secar o Borges (2º colocado). Ele é um artilheiro nato. Mas terá que batalhar.

MAIORES ARTILHEIROS

POSIÇÃO NOME GOLS
1 Paulo Baier 91
2 Washington 82
3 Borges 74
4 Obina 71
5 Alecsandro 68
6 Souza 64
7 Fred 63
8 Deivid 60
9 Marcinho 58
10 Dagoberto 57


MURICY: O REI DOS PONTOS CORRIDOS

    
  Rei dos pontos corridos (Foto: Ivan Storti)

Se um time quiser ser campeão brasileiro, é bom contratar Muricy Ramalho para ser o treinador. Afinal, o atual comandante do Santos já conquistou este título em quatro oportunidades na era dos pontos corridos. Três foram pelo São Paulo, em 2006, 2007 e 2008. Na época, o time
também quebrou um recorde: foi o único que faturou um tricampeonato seguido.

Muricy saiu do São Paulo em 2009. Mas no ano seguinte voltou a levantar o troféu de campeão brasileiro, desta vez pelo Fluminense. Para completar, ainda foi vice-campeão com o Internacional, em 2005. Pelo Palmeiras, em 2009, Muricy fracassou.

NEYMAR: TÍTULO E ARTILHARIA INÉDITA

Neymar é apenas o 37º maior artilheiro da era dos pontos corridos, com 40 gols. Mas é bom lembrar que o atacante do Santos disputou apenas três edições do Campeonato Brasileiro. Por enquanto, a média é de 13 gols por edição. Mas como o gênio nãose cansa de quebrar recordes, é bom Paulo Baier ficar de olho no jovem santista.

A motivação de Neymar vai além da artilharia. Apesar de já ter conquistado o Estadual, a Copa do Brasil e a Copa Libertadores pelo Santos, o craque ainda não venceu o Campeonato Brasileiro. O seu contrato vai até 2014. Será que até lá ele consegue?

Neymar tem média de 13 gols por edição do Brasileirão (Foto: Tom Dib)

 

CALENDÁRIO EUROPEU OU BRASILEIRO?

Uma discussão antiga no futebol brasileiro é se o calendário deve se adequar ao europeu ou não. Com a fórmula dos pontos corridos, a questão ganhou mais força, já que é comum ver times que perdem jogadores no meio do campeonato e precisam remodelar seu elenco.

Como em toda discussão, uns concordam, outros discordam. O ex-jogador e gerente de futebol do Palmeiras, César Sampaio, se mostra à favor da adequação à Europa:

– Para a gente é melhor. Os calendários conflitam. Com a data anterior, perderíamos algumas rodadas do Brasileiro. Agora, podemos contar com os atletas antes. O ideal é ter uma programação relacionada com a Europa – avaliou.

O São Paulo também se pronunciou à favor. Mas o presidente do Botafogo, Maurício Assumpção, se disse contra, e usou o argumento das estações do ano, que são diferentes no Brasil e na Europa:

– Não gosto disso. As férias são diferenciadas. As estações do ano são diferenciadas e isso pesa muito. Não precisamos adequar o nosso calendário, o que precisamos fazer é adequar as aberturas de janelas. Isso é mais interessante – disse.

HOJE, FÓRMULA É APROVADA

No começo, muitos foram contra e diziam que a fórmula de pontos corridos deixaria o campeonato sem emoção. Dentro de campo, acabou que, em nove edições, apenas três vezes um time foi campeão com antecedência. Assim, as rodadas finais foram quase decisões.

Embora tenha sido campeão apenas na era do mata-mata, o técnico Emerson Leão, do São Paulo, prefere os pontos corridos:

– É a formula de campeonato que mais me agrada porque vai premiar aquele que chegar na frente ao longo de uma longa disputa.

O técnico do Botafogo, Oswaldo de Oliveira, também faz coro pela fórmula atual e cita suas conquistas para exemplificar a escolha.

– Sou a favor dos pontos corridos. É mais justo. Até porque eu ganhei dois e perdi um (pelo São Paulo). E se fosse pontos corridos eu teria ganho – disse, em forma de brincadeira.

Há, também, aqueles que são contra. Joel Santana, técnico do Flamengo, é a favor de mata-mata:

– Eu sou suspeito para falar. Porque a NBA e o basquete brasileiro são tão emocionantes? Por causa dos playoffs. Está na nossa cultura.

 

 

ICFUT – BRASILEIRÃO SERIE- A – AO VIVO- CLIQUE AQUI

 

 

BRASILEIRÃO SERIE-  A   AO VIVO AQUI NO ICFUT – CLIQUE AQUI

1ª RODADA
19/05 – 18h30 Palmeiras-SP x Portuguesa-SP
19/05 – 18h30 Sport-PE x Flamengo-RJ
19/05 – 21h00 Figueirense-SC x Náutico-PE
20/05 – 16h00 Ponte Preta-SP x Atlético-MG
20/05 – 16h00 Corinthians-SP x Fluminense-RJ
20/05 – 16h00 Internacional-RS x Coritiba-PR
20/05 – 16h00 Botafogo-RJ x São Paulo-SP
20/05 – 18h30 Vasco da Gama-RJ x Grêmio-RS
20/05 – 18h30 Bahia-BA x Santos-SP
20/05 – 18h30 Cruzeiro-MG x Atlético-GO
2ª RODADA
26/05 – 18h30 Atlético-GO x Ponte Preta-SP
26/05 – 18h30 Flamengo-RJ x Internacional-RS
26/05 – 18h30 Portuguesa-SP x Vasco da Gama-RJ
26/05 – 21h00 Náutico-PE x Cruzeiro-MG
27/05 – 16h00 Santos-SP x Sport-PE
27/05 – 16h00 São Paulo-SP x Bahia-BA
27/05 – 16h00 Atlético-MG x Corinthians-SP
27/05 – 16h00 Coritiba-PR x Botafogo-RJ
27/05 – 18h30 Grêmio-RS x Palmeiras-SP
27/05 – 18h30 Fluminense-RJ x Figueirense-SC

Por Cleber Aguiar – Melhor árbitro, PC Oliveira banca o técnico e decora nomes dos atletas

Fonte: Globo.com

Escolhido pelos atletas, paulista revela que estuda táticas dos times, lê tudo antes dos jogos, treina sozinho no campo e prioriza lado psicológico

Por Alexandre Lozetti São Paulo

“Nenhum”. “Não tem”. “Tá difícil”. Foram algumas das respostas dos jogadores das Séries A e B, questionados sobre o melhor árbitro do Campeonato Brasileiro. Sem falar nos 149 atletas que preferiram não opinar.

Entre mortos e feridos, salvou-se Paulo César de Oliveira. O paulista goleou seus adversários na pesquisa realizada em conjunto pelo GLOBOESPORTE.COM e a revista “Monet”. Ele recebeu 75 votos, o triplo do segundo colocado, o gaúcho Leandro Vuaden.

As respostas nos questionários evidenciam certa insatisfação com a arbitragem brasileira. Logo abaixo dos cinco mais votados, vem a opção “Nenhum”, seguida por dois aposentados: Leonardo Gaciba e Carlos Eugênio Simon. Por isso, o popular PC festejou o resultado, e revelou alguns segredos que considera essenciais para conquistar os boleiros.

Paulo Cesar Oliveira (Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)Paulo César de Oliveira na final do Paulistão: Santos 4×2 Guarani (Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)

O árbitro, que já participou de 246 jogos na primeira divisão do Brasileirão, faz questão de estudar as equipes antes de cada partida. Desde o sistema tático utilizado pelo treinador até o nome dos atletas. Quando começou a carreira, em 1991, e fez o curso da Federação Paulista de Futebol em 1994, a orientação era para que evitassem informações sobre os jogos, para não se influenciarem. A tendência mudou e Paulo César adota postura totalmente oposta. Consome informações loucamente antes de cada atuação.

– Não posso ser pego de surpresa por uma jogada ensaiada, por exemplo. A bola parada tem decidido muitos jogos. Algumas equipes usam um jogador que sai da posição de impedimento, então falo para o assistente esperar antes de levantar a bandeira, porque ele pode sair para vir outro de trás. Há times que usam um centroavante como pivô, outros que têm dois atacantes rápidos. Nesse caso, preciso usar atalhos para acompanhar mais de perto. Quanto mais informações, melhor – explica o árbitro, que atua sabendo quem são os jogadores pendurados com cartões amarelos.

Grafico Arbitros 3 (Foto: Infoesporte)Paulo César de Oliveira teve o triplo dos votos do segundo colocado na eleição dos atletas (Foto: Infoesporte)

Em campo, o preferido dos jogadores ainda é chamado de “professor” por alguns, mas garante que a maioria, até os mais novatos, falam seu nome. Talvez uma troca de gentilezas. PC acha muito desagradável chamar um atleta pelo seu número de camisa, ou emitir sons vocais como se estivesse brincando com animais. Por isso, no vestiário, analisa a relação dos times e tenta decorar os nomes antes de subir ao gramado.

– Principalmente o goleiro, de quem às vezes tenho de pedir pressa, os laterais, que cobram os arremessos, algumas posições estratégicas. O jogador gosta, sobretudo em jogos de segunda divisão, no interior de São Paulo. Ele para, olha, observa… É um relacionamento com respeito.

Mas tantas cartas na manga não livraram Paulo César de Oliveira de uma carreira polêmica. Aos 38 anos, ele coleciona acaloradas discussões e críticas veementes. Já chegou a ser vetado por Palmeiras, Santos e São Paulo junto à comissão de arbitragem. Nos últimos anos cometeu erros graves no Brasileirão, como por exemplo no jogo entre Internacional e Bahia, quando deu apenas cartão amarelo e marcou jogada perigosa em entrada do zagueiro Bolívar, que rompeu o ligamento cruzado anterior do joelho esquerdo do lateral-esquerdo Dodô, e o tirou dos gramados por seis meses (veja no vídeo acima).

Na ocasião, o comentarista de arbitragem da TV Globo, Arnaldo Cezar Coelho, criticou duramente sua atuação no Beira-Rio.

– Foi a pior arbitragem que eu vi na carreira do Paulo César de Oliveira. Ele inventou aquele tiro livre indireto no lance do Bolívar com o Dodô, se acomodou. Esteve mal posicionado. Foi uma péssima atuação – decretou.

Para evitar novas críticas, o árbitro corre, pedala, apita e se exercita. Em silêncio e isolado, ao contrário dos jogadores, cujos treinos são acompanhados diariamente. Em cena inusitada, ensaia posicionamento, deslocamento e simula marcações de faltas sozinho no campo de sua cidade, Cruzeiro, no interior de São Paulo. Nas viagens, aproveita as horas em hotéis, aviões e aeroportos para repassar o livro de regras. Para completar, trabalha a mente. Em sua opinião, um vilão na carreira de um árbitro.

– Muitos têm talento, mas não conseguem conviver com críticas. É preciso desenvolver o lado psicológico, treinar com chuva, suportar a distância da família, abrir mão de dia das mães, aniversário de casamento… A arbitragem é um sacerdócio – filosofa.

Apesar de ter comemorado a pesquisa, Paulo César jura que não vai usar o resultado para argumentar em possíveis discussões durante uma partida. Até porque ele busca vencer também, pela primeira vez, o prêmio oferecido pela CBF no fim do ano. Com planos de apitar por mais sete temporadas, o árbitro de 38 anos gostaria de trabalhar na instrução de colegas depois de aposentado.

Filho de dona Teresa, irmão de outros dez homens (inclusive o também árbitro Luiz Flávio de Oliveira, que recebeu três votos na pesquisa), o paulista deixou de ser centroavante no time da família para virar centro das reclamações (assista vídeo ao lado sobre o início da carreira de Paulo César, em 1997). Decisão recompensada por notícias como essa, de ser o “queridinho” dos boleiros, às vésperas do início do Campeonato Brasileiro, considerado pelo veterano um dos mais difíceis do mundo pelo grande número de candidatos ao título.

– Recebo com orgulho porque são os jogadores com quem lidamos. E me dá responsabilidade para manter o padrão. Ter credibilidade é muito legal. É legal para o ego, faz bem, mas não posso usar isso para relaxar ou atuar de forma diferente.