Por Cleber Aguiar – Antes da estreia no Pan, jogadores da seleção retocam visual em Guadalajara

Fonte: Globo.com

Leandro, Felipe Anderson, Cidinho, Rafael e Misael cortam o cabelo na Vila

Por João Gabriel Rodrigues Direto de Guadalajara, México

Antes do maior rival, a temida tesoura. Na véspera da estreia nos Jogos Pan-Americanos, jogadores da seleção brasileira enfrentaram os cabelereiros da Vila dos atletas. Tudo pelo estilo para a hora de entrar pela primeira vez no campo do Omnilife, em Guadalajara, contra a Argentina, às 20h (horário de Brasília).

cidinho seleção brasileira futebol pan guadalajara (Foto: João Gabriel Rodrigues/Globoesporte.com)Cidinho acerta o corte antes da estreia no Pan (Foto: João Gabriel Rodrigues/Globoesporte.com)

Jogadores como Leandro, Cidinho, Felipe Anderson e Rafael enfrentaram as tesouras de cabelereiros de um estande na Vila Pan-Americana para que entrassem em campo no melhor estilo. Com cortes incomuns no México, os brasileiros só temeram o erro.

– Eu estava com medo de que errassem o que eu queria fazer, mas deu tudo certo. Ficou legal – afirmou Felipe Anderson, do Santos.

rafael seleção brasileira futebol pan guadalajara (Foto: João Gabriel Rodrigues/Globoesporte.com)Felipe Anderson aprovou o novo corte (Foto: João Gabriel Rodrigues/Globoesporte.com)

Atacante do Grêmio, Leandro preferiu aparar apenas os lados do cabelo. Assediado pelos funcionários do estande por ter um topete no estilo de Neymar, o jogador achou melhor não arriscar.

– Só o meu cabelereiro mexe no meu cabelo. Só fiz os lados para a estreia. Foi melhor assim – brincou Leandro.

cidinho rafael leandro seleção brasileira futebol  pan guadalajara (Foto: João Gabriel Rodrigues / GLOBOESPORTE.COM)Leandro, Cidinho e Felipe ficaram felizes com os novos cortes (João Gabriel Rodrigues / GLOBOESPORTE.COM)

Por Cleber Aguiar – Seleção Sub-20 Goleia Arábia Saudita

Brasil agora enfrenta Espanha nas quarta de Finais

Ficha Técnica

Brasil 3×0 Arábia Saudita

Gols
Brasil:
Henrique, ao 1min do 2º tempo, Gabriel Silva, aos 23min do 2º tempo e Dudu, aos 40min do 2º tempo

Brasil: Gabriel; Danilo, Bruno Uvini, Juan Jesus e Gabriel Silva; Galhardo, Fernando, Casemiro (William José) e Philippe Coutinho (Negueba); Oscar e Henrique (Dudu). Técnico: Ney Franco

Arábia Saudita: Alsdairy; Alfatil (Al Hafathi), Alzubaidi, Alshahrani e Hawsawi; Alibrahim, Maan, Otayf (Aldawsari) e Yasir; Dagriri e Fhad (Alnassar). Técnico: Khalid Alkaroni

Cartões amarelos
Brasil: Gabriel Silva
Arábia Saudita: Yasir

Árbitro
Peter O’Leary

Local
Estádio Metropolitano, em Barranquilla (Colômbia)

Por Cleber Aguiar – Brasil se recupera, vence a Áustria e lidera grupo E

Fonte: Gazetaesportiva.net

Barranquilla (Colômbia)
O Brasil deixou para trás a má exibição da estreia no Mundial Sub-20 contra o Egito e tratou de mostrar um pouco do futebol apresentado no Sul-americano do começo do ano. Liderados pelos meias Oscar e Philippe Coutinho, os garotos venceram a Áustria por 3 a 0, com gols de Henrique, do próprio Coutinho e de Willian José, na noite desta segunda-feira, em Barranquilla.

 

Oscar e Philippe Coutinho (à esq) mandaram no jogo e dominaram as ações no meio-campo brasileiro

Com o resultado, a seleção lidera o grupo E da competição com quatro pontos, mesmo número do Egito, mas com dois gols de saldo a mais (3 a 1). Já os europeus ficam com a lanterna da chave, com um ponto e  saldo negativo de três gols.

Na próxima rodada, quinta-feira, os comandados de Ney Franco encaram o lanterna Panamá, novamente em Barranquilla, às 22h (de Brasília), podendo selar a primeira posição do grupo. No mesmo horário, os austríacos definem seu futuro contra o Egito, em Cali.

O Jogo – Pressionados pela má exibição diante do Egito e pela vitória do rival sobre o Panamá um pouco mais cedo, o Brasil não começou bem o duelo contra os austríacos. Nervosa, a seleção viu a primeira grande chance ser do adversário, quando, aos nove minutos, Weimann apareceu livre na área, mas foi desarmado em uma boa saída de Gabriel.

Aos poucos, os brasileiros foram se soltando, utilizando principalmente as jogadas de Henrique, colocado por Ney Franco no lugar de Alan Patrick no time titular para dar mais poderio ofensivo à equipe. Aos 20, ele recebeu de Oscar e bateu firme para boa defesa de Radlinger.

Weimann ainda cabeceou com perigo após escanteio da Áustria, mas o Brasil dominou as ações até o intervalo. Após duas boas chegadas de Casemiro, uma troca de passes envolventes do meio-campo abriu o placar para seleção.

Philippe Coutinho deu belo toque e achou Oscar livre na esquerda da área. Com calma, o meia acionou Henrique que, com o goleiro batido, abriu o placar, anotando o 200º gol brasileiro na história do torneio.

Depois, mais alguns lances de bola aérea tiraram o sono dos adversários, mas foi a última oportunidade da primeira etapa que quase ampliou a vantagem dos garotos canarinhos. Henrique foi lançado na frente, protegeu e bateu de esquerda, na saída de goleiro, mas carimbou a trave austríaca.

Na volta para o segundo tempo, a Áustria quase surpreendeu nos primeiros minutos. Weimann recebeu na frente e chutou forte para bela defesa de Rafael. Mas a resposta veio rápida, e colocou um balde de água fria nos europeus.

Oscar puxou bom contra-ataque, limpou um marcador e serviu Danilo. Rápido, o meio-campista tirou o goleiro da jogada e acabou derrubado. Pênalti que Philippe Coutinho bateu rasteiro no canto direito do austríaco e converteu. Radlinger até encostou na bola, mas não evitou o gol.

Na sequência, Casemiro achou Henrique livre na área, mas o são-paulino finalizou fraco, sem direção, e perdeu boa chance. Depois, Philippe Coutinho recebeu lançamento, ganhou bem do zagueiro e serviu Henrique que, pressionado, mais uma vez perdeu o gol.

No entanto, não tardou para o terceiro gol sair. Novamente em boa jogada, Oscar tocou para Coutinho, que de calcanhar serviu Casemiro. O volante deixou Willian José cara a cara com o goleiro austríaco para tocar rasteiro e fazer o 3 a 0.

Depois, os brasileiros inda perderam algumas chances, mas não forçaram muito para obter o quarto gol e, consequentemente, uma goleada.

O único evento relevante foi o desnecessário cartão amarelo que Juan conseguiu levar, após falta dura em uma jogada morta do ataque rival, que o tira da próxima partida. Henrique, Casemiro e Alex Sandro, que saíram lesionados, também são dúvidas.

Classificação

Grupo A
 Clube PG JG VI EM DE GP GC SG %A
1  Colômbia 3 1 1 0 0 4 1 3 100.0
2  Coréia do Sul 3 1 1 0 0 2 0 2 100.0
3  Mali 0 1 0 0 1 0 2 -2 0.0
4  França 0 1 0 0 1 1 4 -3 0.0
Grupo B
 Clube PG JG VI EM DE GP GC SG %A
1  Camarões 1 1 0 1 0 1 1 0 33.3
2  Nova Zelândia 1 1 0 1 0 1 1 0 33.3
3  Portugal 1 1 0 1 0 0 0 0 33.3
4  Uruguai 1 1 0 1 0 0 0 0 33.3
Grupo C
 Clube PG JG VI EM DE GP GC SG %A
1  Espanha 3 1 1 0 0 4 1 3 100.0
2  Equador 1 1 0 1 0 1 1 0 33.3
3  Austrália 1 1 0 1 0 1 1 0 33.3
4  Costa Rica 0 1 0 0 1 1 4 -3 0.0
Grupo D
 Clube PG JG VI EM DE GP GC SG %A
1  Nigéria 3 1 1 0 0 5 0 5 100.0
2  Arábia Saudita 3 1 1 0 0 2 0 2 100.0
3  Croácia 0 1 0 0 1 0 2 -2 0.0
4  Guatemala 0 1 0 0 1 0 5 -5 0.0
Grupo E
 Clube PG JG VI EM DE GP GC SG %A
1  Brasil 4 2 1 1 0 4 1 3 66.7
2  Egito 4 2 1 1 0 2 1 1 66.7
3  Panamá 1 2 0 1 1 0 1 -1 16.7
4  Áustria 1 2 0 1 1 0 3 -3 16.7
Grupo F
 Clube PG JG VI EM DE GP GC SG %A
1  Argentina 4 2 1 1 0 1 0 1 66.7
2  México 3 2 1 0 1 3 1 2 50.0
3  Inglaterra 2 2 0 2 0 0 0 0 33.3
4  Coréia do Norte 1 2 0 1 1 0 3 -3 16.7

Outros Jogos

1/08 – 19h00 México 3 x 0 Coréia do Norte
1/08 – 19h00 Egito 1 x 0 Panamá
1/08 – 22h00 Argentina 0 x 0 Inglaterra
1/08 – 22h00 Brasil 3 x 0 Áustria

 

Por Cezar Alvarenga – CBF anuncia lista de convocados para o Mundial Sub-20

Fonte: Yahoo! Esportes

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) anunciou nesta sexta-feira a lista dos 21 jogadores que serão inscritos no Mundial Sub-20. O torneio acontece de 29 de julho a 20 de agosto, na Colômbia.

Roni (do Criciúma), Sebá (do Cruzeiro), Diego Maurício (do Flamengo) e Felipe Anderson (do Santos), que estavam treinando com a seleção na Granja Comary até esta sexta-feira, foram desconvocados pelo técnico Ney Fraco. O grupo, que tinha 26 atletas, foi diminuído a 21 (Roberto Firmino, do Hoffenheim, não foi liberado pelo clube e já havia sido cortado). Mesmo machucado, Alex Sandro foi mantido no elenco que viaja no dia 24 para a Colômbia.

Com isso, o São Paulo passa a dividir com o Flamengo a condição de time com maior número de atletas no Mundial. São quatro de cada clube: os são-paulinos Bruno Uvini, Henrique, Casemiro e Willian e os flamenguistas César, Rodrigo Frauches, Galhardo e Negueba. Inter, com três (Juan, Romário e Oscar), Santos, com dois (Danilo e Alex Sandro, além de Alan Patrick, que deixou o clube no mês passado), e Cruzeiro, com outros dois (Gabriel e Dudu), completam a base da seleção.

Em relação ao grupo campeão sul-americano, são seis as novidades: o volante Allan, do Vasco, o atacante Dudu, do Cruzeiro e o atacante Philippe Coutinho, da Inter de Milão, além do trio do Flamengo, César, Frauches e Negueba, que brilhou na Copa São Paulo enquanto o Sul-Americano era disputado no Peru.

Confira a lista dos 21 jogadores que serão inscritos no Mundial:

Goleiros – Aleksander (Avaí), César (Flamengo) e Gabriel (Cruzeiro).

Zagueiros – Bruno Uvini (São Paulo), Rodrigo Frauches (Flamengo), Juan e Romário (Internacional).

Laterais – Alex Sandro e Danilo (Santos), Gabriel Silva (Palmeiras) e Galhardo (Flamengo).

Volantes – Allan (Vasco), Casemiro (São Paulo) e Fernando (Grêmio).

Meias – Alan Patrick (Shakhtar Donetsk), Dudu (Cruzeiro) e Oscar (Internacional).

Atacantes – Philippe Coutinho (Inter de Milão), Henrique e Willian (São Paulo) e Negueba (Flamengo).

ICFUT – Com Neymar suspenso, Lucas assume condição de ‘estrela solitária’ da sub-20

Fonte: http://www.uol.com.br

Sem Neymar, suspenso, seleção brasileira agora depende de brilho do meia Lucas dentro de campo

Dos três desfalques que o Brasil terá, o mais sentido talvez seja o do atacante Neymar. Artilheiro do Sul-Americano sub-20 com sete gols, o jogador tem praticamente monopolizado as atenções na competição. Sem o astro, no entanto, o meia Lucas se apresenta como o substituto natural para conduzir a seleção brasileira na partida desta quarta-feira, às 21h10 (0h10 de Brasília), contra o Equador.

O camisa 10 da seleção brasileira, no entanto, tenta não supervalorizar a sua importância nesse momento decisivo e compartilhar com os demais companheiros de equipe o peso de substituir Neymar no confronto diante dos equatorianos.

“Todos no time têm de chamar a responsabilidade. O Neymar fará falta, mas com isso os outros jogadores ficarão mais visados, como eu e o Oscar, por exemplo. Temos peças de reposição e quem entrar vai suprir bem a ausência do Neymar, pois seleção brasileira é para ter os melhores atletas que estão à disposição”, afirmou Lucas.

Se não ter Neymar no time já é um fator que preocupa, o recente problema envolvendo o zagueiro Bruno Uvini também é um complicador a mais. O capitão da seleção brasileira nesse Sul-Americano sub-20 fraturou a perna direita durante o jogo com a Argentina, na última rodada, e teve de retornar ao Brasil para ser operado.

Para fechar a lista de problemas, o zagueiro Juan também terá de cumprir suspensão automática por ter sido expulso logo no início da partida contra os argentinos, forçando o técnico Ney Franco a apostar em uma defesa formada pelos reservas Saimon e Romário.

“Agora que precisamos mostrar a força do grupo e se unir mais ainda. Aconteceu tudo de uma hora para a outra, mas a seleção está bem preparada psicologicamente, tem peças de reposição e vai se preparar para conseguir duas vitórias, atingir o objetivo e voltar para casa feliz”, disse o camisa 10 da seleção brasileira.

O Brasil está na segunda colocação do hexagonal com seis pontos, empatado com a Argentina e um ponto à frente do Equador. O líder é o Uruguai, que já somou sete pontos até aqui e pode conquistar uma das duas vagas olímpicas nesta quarta-feira, caso derrote justamente os argentinos.

ICFUT – Felipe Melo foge de polêmica com Juan: ‘Ele vai pensar melhor no que disse’

Fonte: espn.com.br

Expulso no duelo deste domingo, contra a Argentina, pelo Sul-americano Sub-20, o zagueiro Juan afirmou que não gostaria de ficar marcado como o volante Felipe Melo ficou após ser expulso no jogo entre Brasil e Holanda, pelas quartas de final da Copa do Mundo 2010. Pelo Twitter, o jogador da Juventus (Itália) comentou o assunto sem entrar em polêmica.

“Muita gente me mandando mensagens sobre o que o menino da sub-20 disse. Não quero polemicas. É um menino que está correndo atrás do sonho de ser jogador. Eu também já passei pela seleção sub-20, já tive a idade dele e sei que ele vai pensar melhor depois no que disse”, postou Felipe Melo, que vem tentando mudar sua imagem nos últimos meses.

“Como um bom cristão, estarei orando e torcendo para que ele realize o sonho de ser um profissional consagrado. Voltei a jogar, estou muito tranquilo aqui no meu canto e como disse não quero polêmicas”, completou.

ICFUT – Bruno Uvini se despede e repassa a faixa de capitão a Saimon

Fonte: http://www.terra.com.br

Com uma fratura na perna direita, o zagueiro Bruno Uvini vai retornar ao Brasil, onde será operado. Com isso, está fora do restante do Sul-americano Sub-20, no Peru. Capitão da seleção brasileira, ele se despediu e agora deixa a braçadeira para Saimon.

“Conversei com o doutor e achamos melhor voltar ao Brasil para não correr o risco de agravar a lesão, para fazer a cirurgia o quanto antes. Meus companheiros vão entender. Fisicamente estou retornando, mas minha alma vai continuar aqui com eles”, disse o jogador.

Mesmo deixando o posto de capitão, ele promete dividir a responsabilidade e continuar exercendo a função de longe. “Vou chamar os jogadores pelo rádio, tentar ajudar de outras maneiras. O capitão precisa mostrar que está bem”, disse o defensor, que será examinado pelos médicos do São Paulo e ainda não tem data definida para operar.

Questionado se havia mágoa com o adversário argentino pelo lance, ele minimizou. “Foi momento infeliz, porque era um lance de jogo, normal. Assisti o lance depois e não vi maldade. Mas agora não é mais momento de pensar nisso”, finalizou o atleta, que está se locomovendo com o auxílio de muletas.

Por Edgar Santista – Brasil vence o Equador e garante a ponta no Grupo

Time misto não deu show. Mas jogo serviu para Ney Franco observar jogadores já pensando no hexagonal do Sul-Americano

A Seleção Brasileira venceu o Equador por 1 a 0, na madrugada desta quarta-feira, em Tacna (PER), pela última rodada da primeira fase do Sul-Americano Sub-20. Com dois titulares e três estreantes entre os 11, o time misto não deu show, mas garantiu a primeira colocação no Grupo B.

 Como já é costume neste Sul-Americano, a Seleção encontrou um adversário empenhado na marcação, com dez homens atrás da linha da bola. Por isso, teve dificuldades para atacar quando escolhia carregar a bola. A solução eram os passes curtos.Enquanto tentava se posicionar da melhor maneira possível, o Brasil viu o Equador assustar. Cazares deu lindo passe para Ibarra, que, de primeira, completou. Coube ao goleiro Aleksander se esticar e fazer ótima defesa. Jogadores aprovam atuação e dão resposta a Ney FrancoQuando as críticas ao time misto poderiam começar, a garotada logo acordou. Antes errando passes e perdendo a bola, Oscar recebeu de Alan Patrick e, de calcanhar, enganou a defesa equatoriana. O presente foi recebido por Henrique, que caprichou o chute no canto direito.Pouco depois do gol, Cazares fez falta em Alan Patrick, reclamou e recebeu o cartão vermelho. Com um homem a mais, a Seleção, porém, não ampliou. 

Reclamando dos passes errados, Ney Franco substituiu Zé Eduardo e Alan Patrick por Lucas e Willian, respectivamente. Mas o são-paulino ficou apenas dez minutos em campo, pois recebeu cartão o amarelo. Para evitar outro amarelo, que o tiraria do próximo jogo, o meia-atacante rapidamente deixou o campo.

Para quem esperava goleada, ela não aconteceu. O Brasil diminiu o ritmo. E teve sorte. O Equador, que parecia conformado com a derrota, carimbou o travessão com Montaño, que ainda teve outra chance após a defesa parar pedindo impedimento. Mas demorou a concluir.

Os sustos acordaram a Seleção, que viu Diego Maurício caprichar, mas errar o chute, desperdiçando boa chance. O jogo passou a ficar dramático, com investidas dos dois lados. Mas o placar não mudou. 

FICHA TÉCNICA:
EQUADOR 0 X 1 BRASIL

Local: Jorge Basadre, em Tacna (PER)
Data/Hora: 26/1/2011 – 0h10 (de Brasília)
Árbitro: Diego Abal (ARG)
Auxiliares: Ricardo Casas (ARG) e Jorge Urrego (VEN)
Cartões amarelos: Narvárez(EQU); Lucas, Simon (BRA)
Cartões vermelhos: Cazares (EQU)

GOL: Henrique 24’/1T (0-1)

EQUADOR: Jaramillo, Pineida, Narvárez e Quiñonez, Gaibor; Fuertes, Oña (Chala, 40’/2T), Arroyo (Caicedo, 36’/1T) e Ibarra, Cazares e Montaño. Técnico: Sixto Vizuete.

BRASIL: Aleksander, Rafael Galhardo, Saimon, Romário e Gabriel Silva; Fernando, Zé Eduardo (Lucas, 8’/2T) (Alex Sandro, 18’/2T), Alan Patrick (Willian, 8’/2T) e Oscar; Henrique e Diego Maurício. Técnico: Ney Franco.

Texto: Lancenet.com

ICFUT – Brasil encara Equador para recuperar moral e ser 1º do grupo

Fonte: http://www.terra.com.br

Fábio de Mello Castanho

Depois de duas vitórias convincentes contra os fortes Paraguai e Colômbia, um empate por 1 a 1 com a Bolívia. Para retomar a confiança para a fase final do Sul-Americano Sub-20, o Brasil enfrenta o Equador, de terça para quarta-feira, às 0h10 (de Brasília), no Estádio Jorge Basadre, em Tacna.

Esta é a principal preocupação do Brasil para uma partida que pode valer a liderança do Grupo B da competição. Uma vitória brasileira faz com que o time de Ney Franco não seja mais alcançado pelos equatorianos e teoricamente inicie a fase final com um jogo mais tranquilo. Em caso de empate ou derrota, a decisão fica para a última rodada, quando o Brasil folga.

“Uma vitória amanhã já volta a confiança. De repente com tropeço vamos para a segunda fase já com as pessoas questionando. É importantíssimo esse jogo. Se ganharmos, ficamos invictos. É importante para avançarmos em primeiro e entrarmos com confiança”, disse o meio-campista Alan Patrick.

Apesar de o Brasil ainda brigar pelo primeiro lugar do grupo, o técnico Ney Franco vai escalar um time misto, quase todo reserva para o duelo. O cuidado tem um motivo: quatro jogadores pendurados (Gabriel, Juan, Casemiro e Neymar ) que poderiam ser desfalques no início da primeira fase caso recebessem cartão contra o Equador.

Fora isso, há uma preocupação com o desgaste. Os brasileiros jogaram há dois dias contra a Bolívia. Desta forma, apenas Henrique e Zé Eduardo, dos considerados titulares, estarão em campo. Será a oportunidade de jogadores como Alan Patrick, Oscar e Galhardo mostrarem serviço e se credenciarem a uma vaga na equipe principal.

“É um jogo muito importante. Os jogadores que vão entrar querem aproveitar e mostrarem que podem ajudar o Brasil no resto da competição”, disse o zagueiro Saimon, um dos atletas que terão a primeira oportunidade de atuar no torneio.

Do outro lado, estará uma equipe que mostrou consistência nos dois jogos que realizou no torneio. Conseguiu um empate por 1 a 1 com a forte Colômbia e ganhou apertado do Paraguai por 1 a 0. Mesmo sem estar entre os mais cotados no início do torneio, pode surpreender e avançar para a segunda fase.

Quem
BRASIL: Aleksander; Galhardo, Saimon, Romário e Gabriel Silva; Fernando, Zé Eduardo e Oscar; Alan Patrick, Henrique e Diego Maurício. Técnico: Ney Franco

EQUADOR: John Jaramillo; Mario Pineda, John Narváez, Edder Fuertes e Denis Quiñones; Fernando Gaibor, Christian Penilla, Juan Cazares e Cristian Oña; Marcos Caicedo e Edson Montaño. Técnico: Sixto Vizuete.

Onde: Estádio Jorge Basadre, em Tacna (PER)
Quando Terça para quarta-feira, às 0h10 (de Brasília)
Árbitro Diego Abal (ARG)

Por que?: último jogo do Brasil na primeira fase no torneio que vale vaga nos Jogos Olímpicos e no Mundial Sub-20

Para ficar de olho

– Uma vitória garante ao Brasil o primeiro lugar do Grupo B

– Aos rostos novos da Seleção, que terão uma oportunidade de mostrar serviço

– Ao árbitro Diego Abal, que no jogo contra o Paraguai expulsou Henrique e Zé Eduardo e irritou o técnico Ney Franco, que também recebeu o cartão vermelho.

ICFUT – Displicência, calor e pontaria viram vilões de empate brasileiro

Fonte: http://www.terra.com.br

Displicência, calor e pontaria viram vilões de empate brasileiro

Brasil de Neymar não brilhou em seu terceiro jogo no Sul-Americano Sub-20
Foto: Martín Borda/Terra

Fábio de Mello Castanho

O empate por 1 a 1 contra a Bolívia, no último domingo, em Moquegua, deixou um sabor amargo na Seleção Brasileira depois daquela que teoricamente seria a partida mais fácil da primeira fase do Sul-Americano Sub-20. Os vilões escolhidos para o resultado surpreendente passaram pelo clima, pelo estado de espírito do grupo e por falhas técnicas.

Geralmente sereno em suas entrevistas, o técnico Ney Franco desta vez mostrou um pouco de irritação com aquilo que classificou de displicência do Brasil. Na avaliação do treinador, o Brasil entrou muito dono de se si em campo e pecou pela falta de atenção em um jogo em que criou e falhou muito.

¿Nossa equipe foi um pouco displicente. Achamos que poderíamos ganhar a qualquer momento. Tivemos várias chances do jogo, mas não aproveitamos. Poderíamos ter uma performance mais focada¿, afirmou, deixando no ar que o Brasil não tratou a partida com a seriedade que era necessária.

Na defesa, o Brasil mostrou um pouco de insegurança e o gol boliviano saiu após um escorregão de Bruno Uvini. No meio-de-campo, os volantes não atacaram como nos jogos anteriores. O ataque criou oportunidades, mas por quatro vezes parou na trave e por outras inúmeras no goleiro Cárdenas.

¿Eu acho que faltou acertar o pé. Perdemos chances que não costumamos perder. Chances que naturalmente a gente marca nas partidas¿, disse o atacante Diego Maurício, que entrou no segundo tempo da partida e não conseguiu resolver o problema apresentado desde o primeiro tempo.

Por último, houve um incomodo com o calor na cidade de Moquegua. Na hora do jogo, a temperatura chegou à casa dos 30° C e o Brasil mostrou menos desenvoltura do que nos jogos anteriores, disputados durante a noite de Tacna. ¿Estávamos acostumados a jogar à noite. E hoje enfrentamos um forte calor¿, disse Diego Maurício