LUTO: O Jornalismo Esportivo perde Rodrigo Rodrigues para o COVID-19.

Fonte: Wikipédia

Rodrigo Rodrigues

Rodrigo de Oliveira Rodrigues (Rio de Janeiro, 18 de abril de 1975 — Rio de Janeiro, 28 de julho de 2020) foi um jornalista, músico e escritor brasileiro.

Carreira

Televisão

Em 1990, Rodrigo tentou a sorte como jogador de futebol, participando de uma “peneira” (processo de avaliação) no Flamengo.

Jogava no Tijuca, e os melhores de lá iam para o São Cristóvão, pois havia uma ligação com um dirigente. E aí, em janeiro de 1990, ano em que a geração do Djalminha e Marcelo Carioca ganhou a Copinha, fiz uma peneira para jogar no Flamengo. Eu era zagueiro e resolvi fazer teste no meio. Fui até o último dia, quase entrei, mas aí o Mineiro, o Pai Mineiro, que também trabalhava como olheiro do Flamengo, me chamou e falou: “Por que você fez teste no meio e não como zagueiro?”. Eu respondi que estava cansado de correr atrás de centroavante. Foi quando ele questionou se eu era flamenguista, já que, segundo ele, todo mundo que torcia para o Flamengo queria ser o Zico e jogar no meio. E me avisou que eu não passei porque estava fora de posição, e que era para voltar no ano seguinte. Mas não voltei.
Rodrigo Rodrigues, em entrevista ao Canal Zico 10, em abril de 2019.

Começou a carreira na TV em 1995, apresentando o quadro Teentrevista do programa Convocação Geral, na época exibido pela Rede Vida, onde ficou até fins de 1996.

Em 1997 trocou o curso de Educação Artística da UERJ pelo de Jornalismo na Faculdade da Cidade, que viria a torna-se o Centro Universitário UniverCidade, hoje extinto. No mesmo ano, ganhou bolsa do Laboratório de TV de faculdade para produzir e apresentar o programa CTV, veiculado no circuito interno do campus até fins de 1998.

No ano seguinte transferiu-se para a Universidade Estácio de Sá, onde apresentou e produziu o programa Clip Brasil. Também foi editor-chefe e repórter do Estácio no Ar, eleito o melhor telejornal universitário do país na EXPOCOM de 1999. Em setembro do mesmo ano, passou a apresentar o programa Caderno U, a revista semanal de comunicação da UTV, Canal Universitário do Rio de Janeiro.

Em 2000, produzido pela Universidade Gama Filho, o Caderno U virou Usina. No mesmo ano e graças ao programa, Rodrigo foi convidado pelo publicitário Roberto Medina para integrar a produção do Rock in Rio III, como produtor e repórter da TV Mundo Melhor.

Já em 2001, recebeu convite do jornalista e crítico de TV Gabriel Priolli para fazer parte da equipe do programa Vitrine, da TV Cultura, na época apresentado por Marcelo Tas. Ficou até 2003, quando deixou a emissora. Em 2004, foi repórter do programa Cor de Rosa, no SBT, onde participou pela primeira vez do Teleton.

Mudou-se para a TV Bandeirantes em 2005, onde atuou como repórter do programa De Olho nas Estrelas, apresentado por Leão Lobo. No mesmo ano recebeu convite para voltar ao Vitrine, dessa vez como apresentador, ao lado de Sabrina Parlatore. Ainda em 2005 apresentou o Festival Cultura e participou do Teleton pela segunda vez.

Em 2006 foi escalado por Albino Castro para ancorar, ao lado de Maria Júlia Coutinho, o Cultura Meio-Dia na TV Cultura. Deixou o Jornal em setembro do mesmo ano, permanecendo no comando do Vitrine, de onde saiu em dezembro de 2010.

No dia 17 de janeiro de 2011, estreia como apresentador do Bate-Bola (segunda edição) na ESPN Brasil.

Em 2014, assina contrato com a TV Gazeta, onde apresentou o Ouça!, programa sobre música em exibições semanais.

Em julho de 2015, ele voltou a ESPN Brasil para apresentar o “Resenha ESPN”, programa dominical de debates com nomes do Futebol Brasileiro. Em julho de 2016, Rodrigo deixa a ESPN Brasil.Em agosto de 2016, retorna pela 2ª vez a TV Gazeta, onde apresenta o programa 5 Discos.atualmente está na Rádio Globo. Em dezembro de 2017, foi anunciado como novo contratado do Esporte Interativo, onde apresentou novo talk-show[7] Em 29 de janeiro estreou no comando do programa De Placa no canal Esporte Interativo. Em dezembro deixou o Esporte Interativo (onde estava atuando inclusive mesmo com o fim dos canais EI) e em 11 de janeiro de 2019 foi contratado pelo SporTV.[8] Em 27 de abril passou a ser apresentador eventual do Globo Esporte em São Paulo.[9] e em 27 de agosto passou a ser apresentador do Troca de Passes, no mesmo canal.

Música

Em 2008 Rodrigo tirou da gaveta um projeto musical guardado desde os tempos de colégio: uma banda de trilhas sonoras de cinema, The Soundtrackers. O grupo fez o primeiro show em julho de 2008 e seguiu fazendo a trilha de eventos corporativos, festas fechadas e até casamentos. Uma vez por mês The Soundtrackers passou a se apresentam no Na Mata Café, considerada a melhor casa com música ao vivo de São Paulo, além da casa Bourbon Street Music Club, palco que já recebeu até B.B. King. Em julho de 2010, o grupo lançou seu primeiro CD/DVD ao vivo.[carece de fontes]

Literatura

Em 2009, Rodrigo lançou seu primeiro livro pela Ediouro, As Aventuras da Blitz, que conta a história do grupo liderado por Evandro Mesquita, responsável pelo início do que hoje se chama de “Rock Brasil” ou “BRock”.

Em 2012, veio seu segundo livro, Almanaque da Música Pop no Cinema, pela Editora Leya.

Em 2014, lançou o livro London London, um guia para conhecer a cidade de Londres utilizando o metrô.[12] No ano de 2016, deu sequência ao projeto e lançou o livro Paris Paris voltado para pessoas que querem descobrir Paris por seus metrôs.

Vida pessoal

Diagnóstico de Covid-19 e morte

Rodrigo Rodrigues precisou se afastar das atividades profissionais em meados de julho de 2020, por ter sido diagnosticado com COVID-19, permanecendo em sua residência. Em 25 de julho, duas semanas depois do diagnóstico, foi internado no Rio de Janeiro depois de se sentir mal. Os exames clínicos revelaram uma trombose venosa cerebral.[14] Rodrigo morreu aos 45 anos, no dia 28 de julho, depois de complicações decorrentes de uma cirurgia para controlar a trombose.[15] Deixou um filho de 24 anos, que nunca havia conhecido. Também nunca havia revelado ao público esse fato, que foi divulgado pela família só depois de sua morte.

Discografia

Com o “The Soundtrackers”
2010 – Os Tocadores de Trilhas – Ao Vivo
2016 – Os Tocadores de Trilhas: Naked II (EP)
2018 – Os Tocadores de Trilhas: Naked III (EP)

CLUBES PRESTAM HOMENAGEM A RODRIGO RODRIGUES ! LUTO NO ESPORTE E NA MÚSICA.

 

ICFUT – CLUBES DO BRASIL: SANTACRUZENSE/SP

Santacruzense

Associação Esportiva Santacruzense

PRESIDENTE
Luciano Rosalem

ENDEREÇO
Rua Simão Cabral, 257 CEP: 18900000
Telefone: (14) 99600-5406

FUNDAÇÃO
25/01/1931

Estádio
Deputado Leônidas Camarinha

Rua Simão Cabral Neto, 318 – Santa Cruz do Rio Pardo

 

 

Mascote

 

Sobre o Clube

HISTÓRIA

A Associação Esportiva Santacruzense foi fundada em 1931, por um grupo de funcionários da extinta Estrada de Ferro Sorocabana que trabalhava na cidade de Santa Cruz do Rio Pardo. A Locomotiva, como é apelidada, disputou sua primeira competição oficial em 1954, no Campeonato Paulista da Terceira Divisão (atual Série A3), onde permaneceu até 1958. Neste meio tempo, em 1956, o clube alcançou sua melhor classificação em uma competição até então: o vice-campeonato.
Após um período de três anos sem inscrição em torneios profissionais, a Santacruzense retornou em 1962, agora na Segunda Divisão (equivalente à A3), onde sagrou-se campeã. Com essa conquista, teve o direito de disputar, no ano seguinte, o Campeonato Paulista da Primeira Divisão, onde permaneceu até 1967, quando novamente ficou longe dos gramados. No segundo retorno, em 1969, estava na Segunda Divisão e, ao final do torneio, novamente passou um tempo sem competir profissionalmente.
As atividades foram retomadas profissionalmente em 1979, no Campeonato Paulista da Terceira Divisão, que na época equivalia à Quinta Divisão Estadual. Como em 1980 o número de divisões foi diminuindo, apesar de continuar sob a mesma denominação, o campeonato era equivalente à Série A3. Em 1981, o clube não participou das competições da FPF e retornou no ano seguinte, disputando também as temporadas de 1983 e 1984.
A Santacruzense não se inscreveu nas competições de 1985, mas, em 1986, disputou o Campeonato Paulista da Terceira Divisão. Outra parada em 1987 por um ano, antes de disputar a Terceira Divisão em 1988 e 1989. Em 1990, mais uma interrupção, até voltar em 1991 na Segunda Divisão, onde permaneceu por mais três anos. Chegou à Série A2 em 1994.
Após outro longo período licenciado, a Associação Esportiva Santacruzense participou da Série B2 do Campeonato Paulista, em 2004. Porém, no ano seguinte, disputando o Campeonato Paulista da Segunda Divisão, conseguiu o acesso à Série A3 do estadual.
Após ser rebaixada em 2008, o Santacruzense voltou a disputar a Segunda Divisão em 2009, chegando na fase decisiva e não conquistando o acesso por um ponto. Em 2010 a equipe repetiu a boa campanha, e com alguns licensiamentos de outros clubes, voltou à Série A3.
Motivada pelo acesso no ano anterior, a Santacruzense fez boa Série A3 em 2011, se tornando vice-campeã e conquistando mais um acesso. No ano seguinte, porém, a equipe sentiu as dificuldades e após um início difícil se salvou do rebaixamento somente na última rodada.
Em 2013 a equipe novamente teve um início ruim, mas diferentemente do ano anterior, não conseguiu a recuperação e acabou rebaixada após terminar na 19ª colocação.
Antes mesmo de se aventurar no futebol profissional, o clube inaugurou seu estádio, o Leônidas Camarinha, que ainda não recebera partidas de futebol. Desde sua fundação, a Santacruzense ostenta o mesmo distintivo: um losango com a sigla AES no centro, com o mesmo desenho utilizado no ano de sua criação.
O uniforme, tricolor em vermelho, preto e branco, também se manteve durante todo esse período. A camisa mais tradicional assemelha-se à utilizada pela Seleção Paulista, com listras verticais alvinegras e detalhes vermelhos. Porém, ao longo dos anos, o desenho do uniforme teve diversas variações. Nos últimos tempos, a Santacruzense tem entrado em campo com dois tipos de uniforme: um com listras verticais em vermelho, branco e preto, e outro inteiro branco, com detalhes pretos e vermelhos.

Hino

Torcida

Fonte: Fpf.org.br / Milcamisas.com/JogosPerdidos

HUMOR ICFUT – DIBRADA CAST #37 – DOSSIÊ COPA JOÃO HAVELANGE

Alô alô Dibradores! Está no ar o podcast mais polêmico e bagunçado do Brasil. Dibrada Cast #37. Hoje Caiçara, Aguiar e 86 vão explicar o mais bagunçado campeonato brasileiro de todos os tempos, a famigerada Copa João Havelange. Tudo que ocorreu no antes, durante e depois. Quem foram os responsáveis? Sandro Hiroshi é mesmo um jogador gato? O Vasco é campeão legitimo? Tudo isso e muito mais.

Não perca tempo e dê o play, antes que a decisão seja adiada.

Ouça pelo youtube

Trilha sonora:

Elvis Presley – A Little Less Conversation
Zeca Pagodinho – Vacilão

Facebook ||| Instagram ||| Twitter ||| Contato ||| Youtube ||| Feed

às 28.6.20
Marcadores: podcast

ICFUT – Todos os times que disputarão o Brasileirão Série A, B, C e D em 2020

Nesse vídeo você irá conhecer todos os 128 times que disputarão as Séries A, B, C e D do Campeonato Brasileiro, no ano de 2020!

  • Mudanças na Série D! No lugar do Red Bull (que sai por causa da parceria com o Bragantino) entrou o Mirassol! E houve uma outra mudança, o Baré não irá disputar nada em 2020, fechou o departamento de futebol, entrou no lugar o Atlético de Roraima Essas alterações ocorreram depois que saiu o vídeo, mas fica a correção!

HUMOR ICFUT – FUTPARÓDIAS: ♫ VOLTA LOGO, FUTEBOL! | Paródia Don’t Start Now – Dua Lipa

Uma paródia de futebol da música “Don’t Start Now” da Dua Lipa. Depois de tantas semanas sem futebol nós já estamos tão carentes que sentimos saudade até daqueles gols fáceis e aleatórios. Estamos vendo reprise fingindo que é atual, olha essa situação! Volta logo futebol!

Por Cleber Aguiar – Associação Esportiva Santacruzense vai mudar de nome em 2013.

Cleber Aguiar da Equipe ICFUT – Olha não sou nascido em Santa Cruz do Rio Pardo, porém meu pai foi nascido e criado na cidade, morei em Santa Cruz no ínicio dos anos 90, onde meu pai era dono da Lanchonete Zero Grau e nessa época morava no bairro de Santa Aureliana próximo ao estádio e acostumei acompanhar jogos da Santacruzense.Só tenho uma coisa para lamentar é uma ABERRAÇÃO  isso que estão fazendo com o clube, quanto tempo demorou para chegar em uma posição de prestigio como a série A2 com chance de disputar a Elite do Futebol Paulista em 2013 e vem com essa conversinha que o nome não é comercial .

Pior é esse parceiro da academia K@2 que é o mesmo que patrocina a Portuguesa de Desportos aqui na capital falar de mudança de nome, queria ver ele falar isso para o conselho da Portuguesa que o nome não agrada, para ver a resposta que ele teria…com certeza não seria das melhores…, não é ?

Então não mexa no tradicional que esperou muitos anos para chegar a posição que está, sei que temos fazer um trabalho de markenting e etc, mas mudar o nome não é motivo para isso.E saiba de uma coisa Sr. Hélio da k@2 quando a Santacruzense foi jogar uma partida em São Bernardo dos Campos contra o PSB de São Bernardo pela extinta B2, assistindo aquela partida tive a chance de conversar o presidente da época e mais Nairo Ferreira do São Caetano que na época tinhamos uma parceria com o Azulão e me dizia ele que a Santacruzense levava 10 vezes mais torcida no estádio do que o São Caetano que disputava Série A do Brasileiro ou seja falta de publico e publicidade o nome não vai atrapalhar.

Para finalizar estou com a Torcida da Santacruzense e o meu site está a disposição para qualquer protesto sobre esse crime que estão causando a cidade e o clube e outra coisa quer conversar de projeto tenho projeto montado para qualquer equipe que precisar é só entra em contato, já tenho um montado que ainda não foi usado podemos discutir a hora que quiser, estou a disposição, porém não moro mais em Santa Cruz do rio Pardo moro em Campo Limpo Paulista próximo a Jundiaí podem entrar em contato se quiserem no santista.cleber@ig.com.br ou no site http://www.icfut.com.br , essa desculpa de mudança de nome não pega…conversa para boi dormi !

ISSO SIM É SANTACRUZENSE !!!

ISSO AQUI EM BAIXO É PIADA DE MAU GOSTO !

Veja a Revolta da torcida no Orkut !!!

Comentário de André Rubio em seu blog : http://www.andrerubio.com.br

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

TERÇA-FEIRA, 03 DE JANEIRO DE 2012, O DIA DO ANUNCIO DO FIM DA ASSOCIAÇÃO ESPORTIVA SANTACRUZENSE … VALE A PENA PAGAR ESSE PREÇO???

E 2012 começou…  
Lipe, o garoto que era sonho de consumo da K@2 foi apresentado…
Jogador que chega com grande recomendação e com o status de estrela do time…
Seu salário já diz isso…
A informação é que seu mês custará 18 Mil Reais aos cofres da parceira…
O que já coloca o jogador como o mais bem pago da historia da Santacruzense…
Mas é aí que o caldo parece entornar…
Não pelo valor que o jovem atacante formado no Vasco irá ganhar…
Mas sim no que se refere a história…
Durante a entrevista um fato chamou a atenção de todos os presentes na coletiva…
Um banner que entre alguns nomes de patrocinadores trazia a inscrição SANTA CRUZ F.C.
Com o instinto de bom repórter que é Claudio Antoniolli, do GRUPO SCN não pensou duas vezes para questionar o diretor da parceira que respondia as perguntas sobre o novo atacante..
A resposta criou aquela que parece ser a maior polemica da historia da Santacruzense…
Segundo o dirigente esse é o novo nome do clube.
Assim… afirmou e pronto.
O distintivo que carrega uma cruz de malta é o novo distintivo do clube.
E ponto.
Não será usado o novo nome na A2 até porque a tabela e toda a parte burocrática da mudança não foram tomadas a tempo.
Mas tudo já está definido.
A Associação Esportiva Santacruzense deixa de existir e passa a ser chamada de Santa Cruz Futebol Clube…
Segundo a K@2 porque é mais fácil trabalhar o nome Santa Cruz do que Santacruzense…
Mas e a história??
A camisa??
O distintivo??
Os ex-jogadores que já suaram sangue pela equipe nos seus 81 anos de existência??
Até que ponto vale a pena enterrar tudo isso em troca de um clube de alto nível??
Principalmente agora …
Quando a Santacruzense viveria o maior momento de sua história…
Você torcedor da Santacruzense pensa o que??
Continuará apaixonado pela Santacruzense ou torcerá por esse novo clube da cidade que disputará a A2??
A palavra é de vocês…

Por Cleber Aguiar – Penapolense campeã da Série A3 do Paulista 2011

Fonte: Futebolinterior.com.br

Penapolense 2 x 1 Santacruzense – Sem surpresa, CAP vence a Locomotiva e é campeã

Num jogo equilibrado, o CAP novamente venceu a Santacruzense e foi campeão.

Deu a lógica. Superior não só durante os jogos finais, como também em todo campeonato, a Penapolense se consagrou na manhã deste domingo campeã da A3 do Paulista de 2011. Podendo perder por até um gol de diferença, a Pantera da Noroeste não deu chances ao azar e venceu a Santacruzense, também finalista, por 2 a 1, pela segunda partida da final do Estadual. Os gols da partida foram anotados por Luciano Gigante e Reinaldo para o CAP, enquanto que Neto Mineiro fez o gol dos visitantes.

Como havia vencido a Santacruzense, em Santa Cruz do Rio Pardo, por 2 a 0, a Penapolense entrou em campo com o regulamento ao seu favor. Porém, se alguem pensou que o CAP “tiraria o pé”, se enganou. Em um jogo muito equilibrado, ambas as equipes procuraram o campo de ataque a todo momento e fizeram um bom jogo, digno de uma decisão de Paulista.Locomotiva tenta, mas…
Com não poderia ser diferente, a Santacruzense, precisando do resultado positivo, foi para cima do Penapolense desde os primeiros minutos do jogo. Apostando no toque rápido, os visitantes foram que deram o primeiro susto. Aos seis minutos, após cruzamento na área, o zagueiro Zé Hilton subiu mais que a zaga do CAP, cabeceou e obrigou o goleiro Washington a fazer grande defesa.

O Penapolense também estava bem no jogo e como de costume, apostava nas jogadas do lateral-direito Niander para chegar bem ao campo ofensivo. O primeiro bom momento da Pantera da Noroeste veiu aos 15 minutos. Em contra-ataque, Fio aproveitou desatenção da zaga, cortou outro beque, e chutou para o gol, obrigando Vander, a espalmar para a lateral.

A partir dos 30 minutos o jogo seguiu truncado e as duas equipes erravam muito no último passe. Quando o placar de 0 a 0 era justo, Luciano Gigante, artilheiro do CAP, apareceu e mudou a história. Após cruzamento da esquerda, o atacante apareceu como quis na área e de primeiro chutou forte a bola, que ainda bateu na trave antes de estufar as redes do jovem goleiro Vander.

É campeã
Como no primeiro tempo, a Santacruzense foi quem tomou a iniciativa nos minutos iniciais. Aos três minutos, Washington tentou jogada individual, tocou para Neto Mineiro, que sozinho, girou e chutou forte, porém, em cima da zaga que em seguida afastou o perigo da área. A Locomotiva mal deu tempo para o CAP respirar. Aos cinco minutos, em linda cobrança de falta, Neto Mineiro acertou o ângulo e empatou a partida em 1 a 1.

Ainda com um bom tempo para buscar a virada em Penápolis, a Santacruzense bem que tentava atacar, porém, não só esbarrava na forte defesa da Penapolense, como também no próprio desgaste de seus jogadores sob o forte calor que fazia na cidade de Penápolis.

Sempre atacando com perigo, o time da casa voltou a ficar à frente do placar aos 23 minutos. Em jogada inteligente pela lateral-esquerda, Reinaldo invadiu a área e chutou colocado no canto esquerdo de Vander, que novamente nada podia fazer.

Ficha Técnica

Penapolense 2 x 1 Santacruzense

Local: Estádio Tenente Carriço, em Penápolis-SP
Data: 22/05/2011
Árbitro: Wilson Luiz Seneme
Assistentes: Marcelo Carvalho Van Gasse e João Bourgalber Nobre Chaves
Cartões amarelos: Neto Mineiro, Robson, Washington (Santacruzense); Luciano Gigante, Biro (Penapolense)
Gols: Luciano Gigante aos 39’/1T e Reinaldo aos 23’/2T (Penapolense); Neto Mineiro aos 5’/2T (Santacruzense).

Penapolense
Washington; Jailton, Biro e Perez; Niander, Rodrigo Biro (Romarinho), Zé Marcos, Reinaldo e Santos; Fio (Cairo) e Luciano Gigante.
Técnico: Ito Roque

Santacruzense
Vander; Rufino, Zé Hilton e Rafael Rocha; Robson (Sabará), Diogo Kachuba (Rinaldo), Magno, Washington (Régis) e Ruan; Neto Mineiro e Tom.
Técnico: Aldo Cavalari