ICFUT – CARNAVAL 2015 – X-9 SANTISTA GANHA O CARNAVAL DE SANTOS A TORCIDA SANGUE JOVEM DO SANTOS CAI PARA O GRUPO DE ACESSO.

QWEQWEWQEWEQx9_16

Grupo Especial
1. X-9 – 179.4 (campeã)
2. Unidos dos Morros – 179.1
3. Amazonense – 176.9
4. União Imperial – 176.6
5. Padre Paulo – 176.3
6. Brasil – 175.7
7. Vila Mathias – 175.6
8. Real Mocidade – 175.5
9. Sangue Jovem – 174.9 (rebaixada)
10. Bandeirantes do Saboó – 172.7 (rebaixada)

Grupo de Acesso
1. Mocidade Dependente do Samba – 179.9 pontos (sobe para Grupo Especial)
2. Zona Noroeste – 178.8
3. Império da Vila – 177.6
4. Dragões do Castelo – 177.4  (rebaixada)
5. Imperatriz Alvinegra – 176.9  (rebaixada)

Grupo 1
1. Mãos Entrelaçadas – 177.4
2. Unidos da Baixada – 152.1

ICFUT – CARNAVAL 2015 – ESCOLAS DE TORCIDAS DECEPCIONAM E CAIEM DE DIVISAO !!!

ÍndiceMANCHA VERDE CAI PARA O GRUPO DE ACESSO ( SEGUNDA DIVISAO )

ÍndicREWERWERWREWeTORCIDA INDEPENDENTE CAI PARA O GRUPO 1 ( TERCEIRA DIVISAO )

0CAMISA 12 DO CORINTHIANS CAI PARA O GRUPO II ( QUARTA DIVISAO )

ÍndiIYTUYGYUceTUP DO PALMEIRAS CAI PARA O GRUPO IV ( SEXTA DIVISAO )

10377088_1506707606275083_2739798998972874520_nSANGUE JOVEM DO SANTISTA CAI PARA O GRUPO DE ACESSO DA CIDADE DE SANTOS

Por Cleber Santista – Palmeiras perde no Pacaembu e afunda novamente no Brasileirão.

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS 0 X 1 INTERNACIONAL

Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data: 30 de agosto de 2014, sábado
Horário: 18h30 (de Brasília)
Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (Fifa-MG)
Assistentes: Marcio Eustaquio Santiago (Fifa-MG) e Guilherme Dias Camilo (MG)
Assistentes adicionais: Felipe Gomes da Silva (PR) e Cleisson Veloso Pereira (MG)
Cartões amarelos: Mendieta, Eguren (Palmeiras); Rafael Moura, Paulão, Gilberto (Internacional)

Gol: INTERNACIONAL: Jorge Henrique, aos 20 minutos do primeiro tempo

PALMEIRAS: Fábio; Weldinho, Lúcio, Wellington e Juninho; Marcelo Oliveira, Mendieta (Felipe Menezes) e Allione; Leandro (Eguren), Mouche (Bruno César) e Cristaldo
Técnico: Ricardo Gareca

INTERNACIONAL: Dida; Cláudio Winck (Gilberto), Paulão, Ernando e Fabrício; Willians, Wellington, Aránguiz, Jorge Henrique (Alan Patrick) e Sasha (Leandro); Rafael Moura
Técnico: Abel Braga

Por Cleber Aguiar – Portuguesa consegue primeira vitória na Justiça para voltar à Série A

Fonte: O Estado de São Paulo

Juiz concede ao clube liminar que determina devolução dos pontos retirados pela CBF

Gonçalo Junior – O Estado de S. Paulo

SÃO PAULO – No mesmo dia em que entrou na Justiça Comum para tentar recuperar a vaga na Série A do Campeonato Brasileiro, a Portuguesa já conseguiu a primeira vitória. Nesta quarta-feira à tarde, o juiz Miguel Ferrari Júnior, da 43.ª Vara Cível de São Paulo, concedeu ao clube paulista uma liminar determinando que a CBF devolva os quatro pontos retirados pela punição do Superior Tribunal de Justiça Desportiva e que resultaram no rebaixamento no Campeonato Brasileiro do ano passado. Em termos práticos, a Portuguesa está de volta à Série A, mas a CBF pode recorrer. Também foi concedida a liminar que proíbe a Portuguesa de sofrer qualquer punição desportiva pelo fato de ter ingressado em juízo.

Liminar mudaria Brasileirão, que começa em abril - Alex Silva/Estadão - 11/08/2013

A vitória parcial da Portuguesa coloca em xeque o início do Campeonato Brasileiro, marcado para o dia 19 de abril. Na tabela divulgada pela CBF, a Portuguesa deveria disputar a Série B. O Fluminense, clube beneficiado pelo rebaixamento da Portuguesa, faria uma das partidas de abertura da Série A. A ação também cria atrito com a Fifa no ano da Copa do Mundo – a entidade orienta a confederações e federações a punir os clubes que procuram a Justiça Comum para resolver questões desportivas.

A ação protocolada pela Portuguesa tem três argumentos principais: descumprimento do Estatuto do Torcedor pela não publicação da suspensão de Heverton antes do jogo contra o Grêmio; atrasos no Boletim Informativo da CBF divulgando os atletas suspensos e pena desproporcional.

A entrada na Justiça Comum aconteceu mais de um mês depois da decisão unânime do Conselho Deliberativo do clube. Dois fatores explicam a demora. O primeiro deles foi uma estratégia jurídica para dificultar o contragolpe da Confederação Brasileira Futebol para tentar um eventual parecer favorável à Lusa. O segundo motivo foi financeiro. Mergulhado em uma crise sem precedentes, o presidente Ilídio Lico tentou várias vezes conseguir empréstimos com a própria CBF e a Federação Paulista de Futebol. Em todas as situações, ouviu que deveria desistir da vaga na elite para conseguir os adiantamentos. Na última segunda-feira, após nova resposta negativa das entidades, foi convencido pelo restante da diretoria, favorável à apelação.

Por Cleber Aguiar – Novela CBF! Justiça derruba liminar e rebaixa Betim à Série D do Brasileiro

Fonte: Futebolinterior.com.br

0002048173260_img

Ainda falta um mês para o início da Série C do Campeonato Brasileiro, mas a disputa pela terceira divisão está quente, muito quente. Isto porque nesta segunda-feira, a Confederação Brasileira de Futebol conseguiu uma liminar determinando o rebaixamento do Betim, atual Ipatinga, para a Série D do Brasileirão.

O time mineiro até já figurava na tabela da Série C, mas com um asterisco de “sub júdice”, indicando que o caso ainda estava pendente na Justiça. Caso o time não recorra à instância superior na Justiça comum, terá que disputar a quarta divisão nesta temporada.

A sentença assinada pelo Desembargador Mota e Silva, que compõe a 18ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais. Ele proferiu decisão suspendendo os efeitos da decisão de 1º grau do Juízo da 4ª Vara Cível da Comarca de Betim, que impedia a CBF de cumprir a penalidade aplicada pelo STJD de rebaixar do time mineiro.

O Betim foi rebaixado à Série D em novembro do ano passado, por decisão da Terceira Comissão Disciplinar do STJD. O tribunal puniu o time mineiro em virtude do não pagamento de uma dívida ao The Strongest, da Bolívia, referente à transação do atacante Pablo Escobar. A sanção, prevista no Código Disciplinar da Fifa, foi confirmada pelo Pleno em fevereiro deste ano.

O clube, então, acionou a Justiça Comum e a 4ª Vara Cível de Betim concedeu decisão favorável ao clube mineiro. A CBF acatou a determinação e, ainda no mês passado, divulgou a tabela da Série C com a presença do Betim. O STJD, contudo, não aprovou a decisão e decidiu pela suspensão das tabelas tanto da Série C quanto da Série D.

Depois desta decisão, o tribunal recuou e decidiu liberar a publicação da tabela da terceira divisão, confirmando a inclusão do Betim. Pela definição da CBF, que não alterou a programação dos jogos, a equipe mineira fará sua estreia na competição no dia 27 de abril, contra o Cuiabá, fora de casa.

0002048173262_imgPreparem-se para a guerra!
Em meados de fevereiro, o diretor de competições da CBF, Virgílio Elísio, assinou um documento, que foi publicado no site da entidade, comunicando o rebaixamento do Ipatinga. Na carta , o dirigente afirma estar cumprindo uma determinação do STJD e que, nos próximos dias, publicaria o nome do substituto e os critérios para a substituição, o que não aconteceu. .

Este foi apenas o primeiro capítulo de uma guerra jurídica que deve tomar conta da Série C, nos próximos dias. Com o rebaixamento do Ipatinga, o Crac,que caiu em campo, deveria permanecer na terceira divisão. Se o Tiradentes, quinto colocado da Série D, subir, no entanto, o time goiano deve pleitear a vaga no STJD e, posteriormente, na Justiça Comum.

Quem também batalha na Justiça para evitar a queda é o Brasiliense. O time do senador cassado Luiz Estevão (foto) foi o terceiro rebaixado no Grupo A, acima de Baraúnas-RN. Neste caso, o Jacaré contesta a mudança de regulamento em 2013. Por conta da entrada do Treze, foram rebaixados três e não dois times no Grupo A, como previa o regulamento.

Os times se aproveitam do precedente aberto pela CBF ao confirmar Treze e Rio Branco-AC na disputa da Série C em 2013. Ambos times entraram pela porta dos fundos, por meio de liminares na Justiça Comum. O caso até foi parar no Superior Tribunal de Justiça (STF).

O ministro Luiz Fux determinou uma edição com 21 clubes, o que deve se repetir neste ano, já que o Estatuto do Torcedor afirma que a fórmula de disputa de um torneio só pode ser alterado depois de dois anos de disputa.