ICFUT – Para fugir da degola, Paulista tem reforço de 11 jogadores

Fonte: Jornal da Cidade – Jundiaí

Enquanto a A-3 não é retomada o Galo busca fugir do risco de rebaixamento nos quatro jogos decisivos

O Paulista já acertou, anunciou e apresentou 11 jogadores para o restante da Série A3, que tem ainda quatro jogos para serem disputados nesta primeira fase. O clube acertou com jogadores do futebol do interior de São Paulo e de diversas regiões do Brasil.

Chegaram no clube e já foram apresentados os seguintes atletas:

João Fonseca (zagueiro, vindo do RB Brasil). Tem 20 anos e disputou as edições 2019 e 2020 da Copa São Paulo pelo time que treina em Jarinu. Na Copinha deste ano marcou dois gols em cinco partidas, mostrando bom jogo áereo.
Braian Machado (zagueiro, vindo do RB Brasil), defensor, que pode também atuar como meio-campista, jogou seis vezes na Copa São Paulo deste ano pelo RB Brasil
Euller Viana (zagueiro, vindo da Patrocinense-MG), de 25 anos, bastante rodado no futebol brasileiro, especialmente em Minas Gerais, onde jogou por Tupi de Juiz de Fora, Coimbra, Ipatinga e CAP de Uberlândia. Este ano jogou sete vezes pelo Nova Mutum no Campeonato Matogrossense e uma vez pelo Patrocinense no retorno do futebol pós parada devido a pandemia da covid-19 (13 minutos na derrota do seu time para o Atlético Mineiro por 4 a 0).
Danilo Mohamed (lateral, vindo do Maringá-PR), 26 anos, consta passagens pela base do São Paulo, Juventus, Atlético Diadema, e um empréstimo ao Cuiabá.
Mattos (volante, vindo do Atibaia), 34 anos, no ano passado defendeu o Atibaia em 4 partidas na Série A2. Começou sua carreira em 2007 no São Bento e já passou por Gama, São José, Guarany de Sobral, Peñarol-AM, Mixto, Palmas, Cascavel, Arapongas e Olímpia
Luis Felipe (volante, vindo do Aquidauanense/MS), 29 anos, é polivalente, pois também pode atuar como zagueiro. Este ano defendeu o Aquidauanense por sete jogos no Campeonato Sul-Matogrossense. Teve destaque nos times da região Sul, onde defendeu Metropolitano de Santa Catarina e Caxias. No interior de São Paulo passou por Taquaritinga, Guaçuano, São José, Inter de Limeira e Olímpia.
Leandro Lima (meio-campo, vindo do PSTC-PR), 24 anos, defendeu o PSTC na última edição do Campeonato Paranaense. Em 10 jogos ele marcou um gol. Ele se destacou no ano anterior pelo São José na 4ª divisão do Paulistão, quando anotou sete gols em 24 partidas. Na carreira ele passou ainda por Monte Azul e São Bernardo Futebol Clube.
Marcelinho Araxá (meia-atacante, vindo do Patrocinense/MG), 27 anos, integrou o elenco do Patrocinense na volta do futebol pós-pandemia em Minas Gerais. Nesta temporada ele defendeu o Nacional de Manaus no primeiro semestre. Na carreira já passou por Araxá, Ivinhema, Ferroviária, URT, Tupynambás, Batel e CAP de Uberlândia
Leonardo (meio-campo, vindo do RB Brasil), 20 anos, atuou na Copa São Paulo do ano passado pelo time que treina em Jarinu, onde jogou cinco vezes, sendo quatro como titular.
Rodolfo (meio-campo, vindo do Nacional/AM), 29 anos, é bastante rodado no futebol brasileiro. Passou por Itapeva, Elosport, Taboão da Serra, Assisense, Ji-Paraná, PSTC, Londrina, Iraty, Operário Ferroviário, União Beltrão, Almirante Barroso, FC Cascavel, Batel e Nação. Este ano defendeu em o Nacional de Manaus no primeiro semestre.
Jean Richard Filder, atacante, vindo do Barcelona/RO, também conhecido como Filder Haitiano, o atleta de 25 anos, atua como ponta-esquerda. Este ano defendeu o Barcelona de Rondônia no primeiro semestre. No seu vídeo de apresentação, ele disse que passou por Santo André e São Bernardo. Com sete pontos conquistados, o Paulista é o último colocado da Série A3, e luta para sair da zona de rebaixamento e no mínimo terminar em 14º lugar e ficar na A3. A equipe enfrenta Olímpia (casa na 12ª rodada), Desportivo Brasil (fora na 13ª rodada), Linense (casa na 14ª rodada) e Velo Clube (fora na 15ª rodada) na reta final da primeira fase.

ICFUT – Palmeiras bate Corinthians nos pênaltis conquista o Paulista

Fonte: Portal Terra

Ciro Campos

No Allianz Parque, times empatam por 1 a 1, mas equipe alviverde faz 4 a 3 nas cobranças e garante a taça

Ser campeão, superar o maior rival no retrospecto em decisões estaduais e ainda impedir o tetracampeonato histórico do adversário. O Palmeiras conquistou tudo isso neste sábado, ao bater o Corinthians nos pênaltis, no Allianz Parque, por 4 a 3 depois de um empate por 1 a 1 no tempo normal. Após sair na frente com Luiz Adriano e levar o empate com Jô no último lance, o clube volta a conquistar a taça estadual pela primeira vez em 12 anos.
O sábado alegre do Palmeiras quase foi estragado por um pênalti cometido por Gómez aos 51 minutos do segundo tempo no próprio corintiano Jô. Ainda assim, o time controlou o nervosismo e levou a melhor sobre o rival graças a Weverton, que defendeu as cobranças de Michel Macedo e Cantillo. O gol decisivo foi marcado pela principal revelação deste Estadual. Aos 20 anos, o volante Patrick de Paula deixou o dele e sacramentou a conquista.
Tricampeão nas últimas temporadas, o Corinthians sonhava com um tetra inédito na era profissional do futebol paulista. No entanto, viu o rival jogar melhor e ainda voltar a ficar na frente no retrospecto. Em sete finais estaduais com confronto direto entre os clubes em 103 anos de história, o Palmeiras agora tem vantagem: 4 a 3.

A conquista tem um peso especial para o técnico Vanderlei Luxemburgo. O treinador é o único a ter conduzido o Palmeiras a vencer o Estadual desde que Oswaldo Brandão foi campeão em 1976. O atual comandante conquistou em 1993, 1994, 1996 e em 2008. Nesse último ano, a comemoração foi ainda no antigo Palestra Itália. Agora foi a vez de o Palmeiras poder festejar pela primeira vez um título paulista dentro da nova arena.
O Allianz Parque ganhou uma decoração especial para o jogo. A torcida espalhou bandeiras, mosaicos e imagens de antigos ídolos do clube, enquanto que no vestiário justamente a aparência causou um problema. O Corinthians não gostou de ter visto as paredes e armários com imagens de títulos do rival e improvisou uma reforma. Membros da comissão técnica colaram por cima papéis em branco e preto e bandeiras para mudar o visua do local.

Depois de um empate sem gols de poucas emoções no jogo de ida, na quarta-feira, os rivais estavam mais dispostos a procurar o ataque no Allianz Parque. Os times conseguiram se movimentar mais e apostar principalmente no setor esquerdo. Inclusive, foi por essa região do campo que o palmeirense Zé Rafael encontrou Willian, que aos seis minutos obrigou Cássio a fazer uma defesa espetacular.

Apesar da disposição dos times para atacar, o primeiro tempo da final não teve uma grande lista de melhores momentos. Os times rondavam a área sem ter alguém mais capacidade para encontrar uma assistência precisa e de qualidade. Embora os volantes ajudassem o ataque e os laterais dessem espaço, parecia existir um medo em ousar mais e dar espaço para algum contra-ataque.

O Corinthians conseguiu assustar o Palmeiras algumas vezes. A principal delas foi um gol anulado de Jô aos 27 minutos da primeira etapa e mais alguns chutes de Ramiro e Mateus Vital. Mas foi só. A insatisfação com as atuações ficou evidente quando os dois treinadores fizeram três alterações voltadas a dar mais velocidade aos times. Quem conseguiu mais resultado com a mudança foi o Palmeiras.
Após a final passar um jogo inteiro e mais o primeiro tempo todo sem ter gols, finalmente o placar saiu do zero. O Palmeiras saiu na frente graças à visão do lateral Viña. O uruguaio cruzou com perfeição para Luiz Adriano subir e de cabeça, tirar de Cássio. Foi o primeiro gol alviverde em cinco clássicos no ano. Mesmo com o estádio vazio, o sistema de som com os gritos da torcida aumentou de volume para vibrar com o time.

A vantagem deixou o Palmeiras mais confiante. O time dominou os minutos seguintes e obrigou Cássio a trabalhar duas vezes pouco depois. O gol finalmente deixou a decisão emocionante, pois obrigava o Corinthians a se arriscar no ataque. Quem ganhava o jogo, passou a administrar o placar e a ter espaços no contra-ataque. Finalmente a decisão do Campeonato Paulista teve emoção.

O relógio corria e deixava o técnico corintiano, Tiago Nunes, cada vez mais agitado na área técnica. O time não respondia e ainda perdeu o lateral Fagner, machucado. Nas poucas vezes em que o Corinthians conseguia chegar à área adversária, chutava torto e sem perigo. Ansioso pela conquista, o Palmeiras recuou bastante nos minutos finais e só teve um grande susto. Gómez errou o tempo de bola e derrubou Jô na área.

O desânimo não fez o Palmeiras perder a concentração para se dar bem nos pênaltis. Embora tenha sido campeão paulista sem vencer clássicos, isso não tirou do time a festa pela taça nem dos jogadores a sensação de ter conseguido uma revanche após em 2018 o Corinthians ter sido campeão estadual em pleno Allianz Parque.

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS 1×1 CORINTHIANS

PALMEIRAS: Weverton; Marcos Roccha, Felipe Melo, Gómez e Viña; Patrick de Paula, Gabriel Menino (Bruno Henrique) e Ramires (Rony); Willian (Lucas Lima), Zé Rafael (Raphael Veiga) e Luiz Adriano (Gustavo Scarpa). Técnico: Vanderlei Luxemburgo

CORINTHIANS: Cássio; Fagner (Michel Macedo), Gil, Danilo Avelar e Carlos Augusto (Sidcley); Gabriel (Cantillo), Éderson e Ramiro (Araos); Luan, Mateus Vital (Everaldo) e Jô. Técnico: Tiago Nunes.

Gols: Luiz Adriano, aos 3, e Jô, aos 51 minutos do segundo tempo.

Nos pênaltis: Palmeiras 4 (Raphael Veiga, Gustavo Scarpa, Lucas Lima e Patrick de Paula; Bruno Henrique perdeu); Corinthians 3 (Danilo Avelar, Sidcley e Jô; Michel Macedo e Cantillo perderam)

Cartões amarelos: Gabriel, Gil, Patrick de Paula, Cantillo

Árbitro: Luiz Flávio de Oliveira

Local: Allianz Parque

HUMOR ICFUT – DIBRADA CAST #38 – O SÃO PAULO FC JÁ CAIU PRA SEGUNDONA?

Alô alô Dibradores! Está no ar o podcast que jamais foi rebaixado no Brasil. Dibrada Cast #38. Hoje Caiçara, Aguiar, 86 recebem o convidado Alan do Triplete Podcast para discutir sobre o suposto rebaixamento do São Paulo FC em 1991. Será que o tricolor já amargou a segundona? A federação paulista armou um “tapetão” para o SPFC? Descubra tudo isso e muito mais. Não perca tempo e dê o play, antes que seu time seja rebaixado de vez. Trilha sonora: Elvis Presley – A Little Less Conversation Cai Cai Balão Acesse: http://www.dibrada.com.br

HUMOR ICFUT – FUTPARÓDIAS: ♫ VOLTA LOGO, FUTEBOL! | Paródia Don’t Start Now – Dua Lipa

Uma paródia de futebol da música “Don’t Start Now” da Dua Lipa. Depois de tantas semanas sem futebol nós já estamos tão carentes que sentimos saudade até daqueles gols fáceis e aleatórios. Estamos vendo reprise fingindo que é atual, olha essa situação! Volta logo futebol!

ICFUT – Narrador da Globo faz menção a Jundiaí em transmissão da Copa e leva cidadãos à loucura

Fonte: Jornal de Jundiaí

 

Clique aqui para ler a Notícia !!!

Narrador da Globo faz menção a Jundiaí em transmissão da Copa e leva cidadãos à loucura

HUMOR ICFUT – TOP 12 ● Torcedores revoltados com o time!

Canal – Tavares Videos

As 12 melhores reações de torcedores em fúria com o time! O emblemático João do América, o “Fora Waldemar”, o flamenguista pistola por áudio do WhatsApp e muito mais!

INSCREVA-SE NO CANAL! Deixe seu like, compartilhe com os amigos e ative o sininho para ser avisado imediatamente quando sair vídeo novo aqui no canal! SIGA-ME NAS REDES SOCIAIS

Instagram: http://instagram.com/tavarescr

Twitter: http://twitter.com/Tavares_Cr

ICFUT – PAULISTÃO 2018 – Corinthians Bicampeão Paulista

FICHA TÉCNICA: PALMEIRAS 0 (3) X (4) 1 CORINTHIANS

Estádio: Allianz Parque, em São Paulo (SP)
Data: 8 de abril de 2018, domingo
Horário: 16 horas (horário de Brasília)
Árbitro: Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza
Assistentes: Anderson Jose de Moraes Coelho e Daniel Paulo Ziolli
Cartões amarelos: Cássio, Romero e Ralf (Corinthians); Dudu e Moisés (Palmeiras)
Gol: Rodriguinho

PÊNALTIS
CORINTHIANS: Danilo, Romero, Lucca, Maycon (acertos); Fagner (erro)
PALMEIRAS: Victor Luis, Marcos Rocha, Moisés (acertos); Dudu, Lucas Lima (erros)

PALMEIRAS: Jailson; Marcos Rocha, Antônio Carlos, Thiago Martins e Victor Luis; Bruno Henrique (Thiago Santos), Moisés e Lucas Lima; Dudu, Borja (Deyverson) e Willian (Keno).
Técnico: Roger Machado

CORINTHIANS: Cássio, Fagner, Balbuena, Henrique e Sidcley; Ralf e Maycon; Romero, Jadson (Emerson Sheik), Rodriguinho (Danilo) e Mateus Vital (Lucca)
Técnico: Fábio Carille

ICFUT ESTÁDIOS – Estádio Doutor Jayme Cintra – Paulista FC – Jundiaí

Fonte: Wikipedia.com

O Estádio Doutor Jayme Pinheiro de Ulhôa Cintra, conhecido como Estádio Jayme Cintra, é um estádio de futebol brasileiro, precisamente paulista. Localizado na cidade de Jundiaí, é propriedade do Paulista Futebol Clube, para seus jogos de futebol. Fica localizado na Praça Doutor Salim Gebran, 1 – Jundiaí (SP).

Foi inaugurado em 30 de maio de 1957, com um amistoso entre Paulista e Palmeiras, no qual o Paulista venceu por 3 a 1. O primeiro gol do estádio foi marcado pelo atacante Belmiro, do time da casa.

Quem foi Jayme Cintra?
Busto do Dr. Jayme Pinheiro de Ulhôa Cintra localizado no Complexo Fepasa em Jundiaí

O nome do estádio é oriundo de um ex-presidente da antiga e extinta Companhia Paulista de Estradas de Ferro, cujos funcionários fundaram o clube em 1909.

Jayme Pinheiro de Ulhôa Cintra nasceu no dia 1º de maio de 1886, na cidade de Campinas. Formou-se engenheiro civil em 1907 pela Escola Politécnica, atualmente da Universidade de São Paulo, como primeiro aluno da turma, situação única que lhe garantiu colocação na Companhia Paulista de Estradas de Ferro, como engenheiro praticante, em 1908.

Exerceu o cargo de presidente da Companhia de 1º de janeiro de 1950 a 1º de junho de 1961. Faleceu em 1º de junho de 1962.

Foi um dos principais responsáveis pela construção e iluminação do estádio.

Final da Copa do Brasil 2005