ICFUT – Brasil dá vexame, perde para a Costa Rica e iguala maior fracasso em Pans

Fonte: espn

Fracasso. Não há outra palavra para definir a campanha da seleção brasileira masculina de futebol nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara. Fracasso. Foi esta a palavra que o técnico Ney Franco usou para definir o que seria a campanha da equipe em caso de uma eliminação ainda na primeira fase.
Neste domingo, no Estádio Omnilife, o futebol brasileiro fracassou. A derrota da seleção sub-20 para a Costa Rica, por 3 a 1, foi a pá de cal em uma série de três jogos ruins, que começou com empates por 1 a 1 com a Argentina e 0 a 0 contra Cuba.

O futebol brasileiro no Pan decepcionou, também, a torcida mexicana. Disposta a apoiar desde o início, em todas as partidas, ela teve de virar-se contra a seleção verde e amarela. Foi assim nos dois primeiros jogos. Foi assim neste domingo. Aos poucos, os mexicanos foram deixando o estádio.
Os que ficaram, preferiram apoiar os costarriquenhos ou passar o tempo brincando com as bolas infláveis que circulavam pelas arquibancadas quase vazias.
Com a derrota, o Brasil termina na terceiro lugar no Grupo B com apenas dois pontos, atrás de Argentina e Costa Rica. A campanha já se iguala à pior dos brasileiros em Jogos Pan-Americanos – a equipe foi quinta colocada em 1995, em Mar del Plata, e 2007, no Rio.
Na terça-feira, o duelo entre Uruguai e Trinidad e Tobago pode piorar ainda mais as coisas. Se Trinidad e Tobago vencer, empatar, ou perder por menos de dois gols, ficará na quinta colocação, empurrando os brasileiros para seu pior desempenho isolado na história.

ICFUT – Brasil empata com Canadá e adversário da semi sairá via sorteio

Fonte: gazetaesportiva

A Seleção Brasileira feminina de futebol empatou, neste sábado, por 0 a 0 com o Canadá, no encerramento da primeira fase dos Jogos Pan-americanos de Guadalajara, no México.

Como as duas equipes protagonizaram campanhas idênticas (sete pontos, quatro gols feitos e três sofridos), os confrontos das semifinais, marcados para a segunda-feira, sairão após sorteio. No Grupo A, a Colômbia terminou na liderança, com seis pontos, um a mais que o anfitrião México.

O jogo  – Já classificadas à semi, as seleções começaram o jogo se estudando, com poucas ações ofensivas. Depois, foi o Canadá, da estrela Sinclair, quem primeiro tentou arriscar alguma coisa. Foi só na metade do primeiro tempo que as brasileiras equilibraram, porém sem muito perigo.

Insatisfeito com a postura apática do time, o técnico do Brasil, Kleiton Lima, promoveu a primeira substituição na marca dos 32 minutos da etapa inicial: Debinha entrou no lugar de Dani. Mas a má pontaria continuou.

O embate ficou mais animado apenas no segundo tempo. As canadenses criaram, aos 12 minutos, a primeira oportunidade real do duelo. Após um passe despretensioso, a defesa verde-amarela falhou e Schmidt apareceu na cara da goleira Bárbara, que operou grande defesa.

Depois do susto, o Brasil contragolpeou várias vezes. A experiente Rosana carregou pelo meio e encontrou Debinha pela esquerda. A atacante, porém, chutou mal e facilitou a vida da arqueira rival.

A outra grande chance nacional ocorreu aos 28 minutos. Formiga cruzou na medida e Rosana, com estilo, cabeceou. A bola passou perto da meta de Le Blanc, que foi pressionada mais algumas vezes até o apito final, no entanto conseguiu manter o empate sem gols no Estádio Omnilife.

ICFUT – Brasil decepciona e não sai do zero contra Cuba no Pan

Fonte: lancenet

Com mais um empate em Guadalajara, Seleção precisa vencer o próximo jogo contra Costa Rica para passar de fase

Pan 2011 - Futebol Masculino - Brasil x Cuba (Foto: Henry Romero/Reuters) Seleção Brasileira pecou nas finalizações no jogo contra Cuba (Foto: Henry Romero/Reuters)

O Brasil continua sem vitórias nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara. Após empatar com a Argentina na estreia, o time comandado pelo técnico Ney Franco não conseguiu superar Cuba e ficou no 0 a 0, nesta sexta-feira. O empate obriga o Brasil a derrotar seu próximo adversário, a Costa Rica, para passar de fase na competição, no domingo.

Com o resultado, a Seleção Brasileira ocupa a terceira posição no Grupo B, com dois pontos. A liderança é da Argentina, com quatro, seguida pela Costa Rica, com três. Cuba é a lanterna, com um ponto.

O JOGO

Ao contrário do que se imaginava, os brasileiros encontraram dificuldades contra Cuba no primeiro tempo. A equipe da terra de Fidel Castro, que vinha de derrota para a Costa Rica por 1 a 0, criou as melhores oportunidades no início de partida, principalmente pelo lado esquerdo, com Chang. O camisa dez dificultava o trabalho da defesa rival, mas pecava nos arremates.

Vendo Cuba ir para cima, a Seleção começou a criar jogadas pela direita, aproveitando os "buracos" deixados pela marcação do time de branco. A partir daí, quem se destacou foi o goleiro Cooper.

Apesar de menos efetivos, os brasileiros tiveram as chances mais claras de gol, porém o cubano impedia o placar de ser aberto. Em enfiada de bola, Misael ficou cara a cara com Cooper, porém o camisa desviou a finalização com a ponta dos dedos. Ele ainda viu a bola bater no travessão antes de ir para escanteio. Após perder um gol em finalização errada, Henrique teve a chance de se redimir, mas novamente falhou, na chance mais clara da partida. Felipe Amorim invadiu a área livre e tocou para o atacante, que com o gol livre, dominou o passe e deu tempo para que a zaga cubana bloqueasse o chute. Sob vaias, os dois times foram para o intervalo em condições iguais na luta pela primeira vitória no torneio.

Com Leandro no lugar de Lucas Patinho, a Seleção começou a etapa final pressionando os adversários, que se fechavam bem na defesa. Vendo que o Brasil continuava com dificuldades em chegar à meta cubana, Ney Franco tirou um zagueiro, Frauches, para a entrada do atacante Rafael.

Apesar das tentativas, as mudanças do treinador brasileiro não surtiram efeito. A Seleção continuou encontrando dificuldades nas finalizações e tinha as melhores chances na bola parada.

O tempo ia passando e o Brasil persistia nos erros nos arremates. Aos 33 minutos, Leandro recebeu livre e tentou driblar o goleiro, mas adiantou demais a bola, que saiu pela linha de fundo.

Sebá, que havia acabado de entrar no lugar de Felipe Amorim, perdeu a última chance do jogo aos 41 minutos. Ele chutou cruzado e Cooper desviou para escanteio. A torcida começou a gritar "olé" para os cubanos, que ensaiaram até pedalada.Com  dois cartões vermelhos no fim, um para Leandro e outro para o cubano Francisco, o duelo terminou em 0 a 0.

FICHA TÉCNICA
BRASIL 0 x 0 CUBA
Local: Estádio Omnilife, Guadalajara (MEX)
Data/horário: 21/10/2011 -20h00 (de Brasília)
Árbitro: Raul Orosco (BOL)
Cartões Amarelos: Brasil: Henrique Miranda (3’/2ºT) Cuba: Diz (23’/1ºT), Salazar (17’2ºT) e Macias (44’2ºT)
Cartões Vermelhos: Brasil: Leandro (45’/2ºT) Cuba: Francisco (45’/2ºT)
Gols: Não houve

Brasil: César, Madson, Luccas Claro, Frauches (Rafael, 15’/2ºT) e Henrique Miranda; Lucas Zen, Misael, Felipe Anderson e Lucas Patinho (Leandro/intervalo); Felipe Amorim (Sebá, 39’/2ºT) e Henrique. Técnico: Ney Franco

Cuba: Cooper, Hernandez (Urgelles 15’/2ºT), Macias, Malblanche, Aira (Peña 31’/2ºT), Cordoves, Chang, Francisco, Castellanos, Diz (Duanes, 10’/2ºT) e Salazar. Técnico: Alexander Gonzalez