Por Cleber Aguiar – Narrador titular da TV Bandeirantes afastado por problemas de saúde

Fonte: Futebolinterior.com.br

A TV Bandeirantes não divulgou o verdadeiro motivo do afastamento

Uma notícia pego todos os amantes do futebol de surpresa esta semana, segundo informações divulgada pela jornalista, Fabíola Reipert, da Rede Record, o motivo do afastamento de Luciano do Vale das transmissões esportivas na TV Bandeirantes, foi uma isquemia celebral, um tipo de AVC (acidente vascular celebral) ocorrido durante o período de férias do narrador titular da emissora.

A TV Bandeirantes não divulgou o verdadeiro motivo do afastamento para atender uma solicitação dos familiares de Luciano do Vale.

Enquanto Luciano continua afastado das transmissões por orientação médica, Théo José, segue narrando os jogos transmitidos para São Paulo.

Luciano do Vale é natural de Campinas e trabalhou nas principais emissoras do país TV Globo, TV Record e atualmente é narrador titular da TV Bandeirantes. Como jornalista esportivo narrou várias Copas do Mundo, Fórmula 1, Vôlei, Boxe e, em 2011, Luciano surpreendeu ao emprestar sua potente voz ao personagem Brent Mustanburger, do filme Carros 2, na versão em português.

Por Cleber Aguiar – Inventor mostra chuteira polêmica: ‘Ela faz mais gols’

Fonte: O Estado de São Paulo

Professor Antônio De Mitry garante: sua criação possibilita dar aos chutes direção mais precisa

Paulo Favero – O Estado de S.Paulo

SÃO PAULO – A primeira impressão causa estranheza a qualquer um que já chutou uma bola de futebol. Antônio De Mitry, professor de desenho industrial e inventor de mão cheia, criou uma chuteira que garante ser capaz de direcionar os chutes de forma a aumentar o número de gols. A pedido do Estado, ele aceitou ir até o Juventus, tradicional time paulistano e que está na Série A3 paulista, para fazer um teste com especialistas.

Antônio De Mitry, criador a chuteira inovadora - Evelson de Freitas/AE
Evelson de Freitas/AE
Antônio De Mitry, criador a chuteira inovadora

 

O calçado tem o bico arredondado para dentro, como se encaixasse perfeitamente na curvatura da bola. “De tanto assistir aos jogos de futebol e analisar a quantidade de gols desperdiçados e mal direcionados, tive essa ideia. Como pode um bico de uma chuteira convencional bater numa esfera? Por isso que 80% dos chutes vão para fora. Então fiz as conformações ergonômicas da galocha e da chuteira e ela direciona a bola. Com um pouco de treino consegue acertar o centro de gravidade da bola”, explica De Mitry.

Da ideia em 2006 até a recente patente conquistada foram anos de experiências e ajustes. Sofreu críticas, mas nunca se abateu. “Falaram que eu estava tirando o charme do futebol por diminuir o efeito nos chutes. E um técnico me falou que eu estava fazendo chuteiras para pernas de pau”, conta. Quando soube que os testes seriam feitos na Rua Javari, na Mooca, no estádio do clube paulistano, ficou feliz da vida. “Se eu tivesse tempo teria feito um modelo na cor bordô para homenagear o Juventus.”

 

FORMATO DIFERENTE 
O designer se encontrou com Lelo, ex-jogador do Juventus em 1964 e com passagens por Santa Cruz e São Paulo. Ele pegou uma chuteira prateada na mão, olhou de um lado, de outro, e deu sua opinião. “Estranhei um pouco, ela é bem diferente. É levinha e não é quadrada na frente, pois tem uma curvatura que se encaixa na bola. Tem material muito bom, é uma grande novidade.”

Já Ivan Prado, preparador de goleiros do clube da Mooca, usou um pouco durante o treino do time que se prepara para a disputa da Série A3 do Campeonato Paulista e não aprovou. “Ela tem uma só direção, é para bater de bico. Acho difícil dar cruzamentos com ela. Precisa de adaptações na ponta e talvez para o futsal seja melhor.”

O lateral-direito Tony Maraial também se propôs a participar do teste. Experimentou a chuteira, correu com a bola nos pés, deu vários chutes, mas prefere continuar com o material que já utiliza. “Não dá para jogar, é difícil de correr com ela. Para a gente que é lateral é ainda pior. Melhor ficar com as outras.”

O preparador físico Vair Campos escolheu um modelo, calçou e foi para o campo. Chutou de bico, de peito de pé, de trivela e não teve muitas dificuldades com a chuteira. “O design dela é diferente. Mas para mim não mudou o jeito de bater na bola. Tudo é questão de adaptação. O importante não é o que se está calçando, mas a biomecânica do chute”, diz, completando. “O Serginho Chulapa teria feito mais gols ainda com essa chuteira. Ele só marcava de bico.”

O professor De Mitry saiu satisfeito do Juventus. “Certa vefiz um teste com três jogadores da várzea: um não gostou, outro pediu adaptações e o terceiro fez três gols de falta e queria comprar meu modelo”, revela. “O jogador precisa treinar e absorver a nova forma. É hora de quebrar este paradigma.”

Por Cleber Aguiar – Gabriel, agora, descobre jovens talentos da bola

Fonte: O Estado de São Paulo

Cantor decide trabalhar como empresário de futebol, cria e comanda projeto para garimpar e preparar jogadores

TIAGO ROGERO / RIO – O Estado de S.Paulo

Em 1993, o carioca Gabriel O Pensador lançou o primeiro CD. Oito anos depois, publicou um livro e, em 2010, virou empresário da bola. Criou o “Pensador Futebol”, projeto com jovens de várias partes do Brasil, muitos de famílias carentes.

Quase dois anos depois, Gabriel começa a colher os resultados. Se não financeiramente – “ainda”, frisa -, pelo menos entre as quatro linhas.

O cantor e escritor administra as categorias de base do Duque Caxiense, da Baixada Fluminense. Todo mês, cerca de 100 meninos, com idades entre 14 e 17 anos, treinam no campo alugado no bairro Santa Cruz da Serra, em Duque de Caxias. No alojamento, logo em frente, moram 30 jovens de Rio Grande do Sul, Bahia e cidades do interior do Rio de Janeiro.

Há atletas que começaram no Caxiense – e que continuam tendo Gabriel como empresário – nas categorias de base de Vasco, Fluminense, Cruzeiro e Santos. Diego “Baiano”, de 17 anos, foi “descoberto” na Bahia e hoje está nos juniores do Vasco, onde foi apelidado de “Dedé da base”, devido à estatura e boa impulsão. “Tenho meu próprio estilo, mas, como ele, faço muitos gols de cabeça”, orgulha-se o atleta.

Julen é outra “estrela” de Gabriel. Aos 17 anos, o brasiliense – corte de cabelo no melhor estilo Neymar, brinco na orelha, cordão no pescoço – joga como meia-atacante na base do Fluminense. “Sou ousado”, define-se.

Apesar do objetivo social – “e não posso ter vergonha disso”, diz Gabriel -, o empresário não esconde a intenção de lucrar com o novo ramo, até o momento custeado integralmente por ele. “Custa caro”, conta o Pensador, que não quis revelar o valor exato investido.

Além dos gastos com o staff (técnico, auxiliar, psicóloga, fisioterapeuta e outros profissionais), Gabriel dá uma “bolsa” aos atletas mais carentes.

Novo ramo. A carreira de empresário começou por acaso. O filho de uma empregada da família jogava bem, mas já havia “passado da idade”. Gabriel, que tinha amigos no futebol graças à música, levou o garoto até um empresário de Porto Alegre. “Ele me explicou como eu poderia ajudar garotos. Viu que eu estava interessado e sugeriu que fizesse um jogo aqui no Rio, organizasse uma ‘peneira’ (teste para selecionar atletas).”

Organizou o jogo e uma coisa levou à outra. Conheceu mais gente do ramo. Ficou sabendo do Duque Caxiense, que “não tinha campo, nem estrutura e estava precisando de ajuda para cuidar da categoria de base”, e começou. “Logo de cara, vimos que era melhor fazer bem feito”, lembra. Contratou preparador físico, de goleiros, fisiologista, e tudo começou a ficar um pouco mais caro que esperava, mas não desanimou.

Para este ano, o cantor quer montar uma equipe mirim e outra de juniores, e não descarta a possibilidade de assumir um time profissional. Ele está à procura de patrocínios por meio da lei de incentivo ao esporte.

“Hoje, me sinto mais à vontade de mostrar um trabalho concreto e falar com o empresário: ‘Os resultados são estes, mas poderiam ser ainda maiores’.”

Pensador está consciente da responsabilidade advinda da função. “Estamos mexendo com o sonho de muita gente e acabo me apegando pessoalmente, conheço as famílias”, disse o cantor.

Na “pelada” de confraternização do time, no fim do ano, Gabriel jogou, marcou gol. Pegava na bola e a meninada gritava: “Não vai bater no Gabriel, hein?”

O futebol, que era um hobby, virou uma responsabilidade. “Mas também me dá alegria. Hoje, torço mais por eles (seus jogadores) do que pelo Flamengo”, admitiu o rubro-negro fanático.

Além do projeto, Gabriel O Pensador tornou-se recentemente embaixador do “Dream Football”, projeto do ex-atacante português Luís Figo que seleciona vídeos de jovens que sonham em ser jogadores de futebol.

O material é avaliado pela equipe do projeto, coordenada pelo técnico do Palmeiras, Luiz Felipe Scolari, e atletas de destaque podem ser selecionados para testes em grandes equipes europeias, como a Internazionale, da Itália.

Por Cleber Aguiar – Depois de 15 anos, narrador deixa SporTV e vai narrar na TV Record

Fonte: Futebolinterior.com.br

O narrador esportivo trabalhou nas Rádios: Tupi AM e Nacional AM

Campinas, SP, 18 (AFI) – A TV Record oficializou a contratação do jornalista e narrador esportivo, Lucas Pereira (foto), ex-SporTV, nesta quarta-feira, 18. O jornalista de 39 anos vem reforçar a equipe que irá transmitir com exclusividade para a TV aberta no Brasil, os jogos Olímpicos de Londres, entre os dias 27 de julho e 12 de agosto de 2012. A TV Record já possui garantido os direitos de transmissão dos Jogos Pan-Americanos de 2015, em Toronto, no Canadá e de 2019, ainda sem local definido.

Lucas Pereira, é natural do Rio de Janeiro e durante 15 anos trabalhou no Canal a Cabo SporTV. Na emissora, o jornalista narrou às últimas quatro Olimpíadas e mais duas Copas do Mundo. Na trajetória de narrador esportivo constam ainda passagens pelas Rádios: Tupi AM e Nacional AM do Rio de Janeiro.A TV Record transmitiu com exclusividade para a TV aberta no Brasil, a 16ª- Edição dos Jogos Pan-Americanos, realizados em Guadalajara, no México, em 2011.

Por Cleber Aguiar – Técnico Maurício Simões sofre infarto e está em estado grave

Fonte: Futebolinterior.com.br

O treinador passou por uma cirurgia de quase dez horas na noite desta segunda-feira

O técnico Maurício Simões sofreu um infarto, no último domingo, e está internado em estado gravíssimo na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Cirurgia de Aracaju. Na noite desta segunda-feira, o treinador sofreu uma cirurgia de cerca de 10 horas, após apresentar um quadro de dissecção aguda da artéria aorta.

Umas principais preocupações dos médicos que estão cuidando do caso é que o treinador está inconsciente, mesmo sem ter sido sedado. A expectativa é de que, nas próximas horas, o hospital deva divulgar um boletim médico. Os médicos, no entanto, já adiantaram que as próximas 48 horas serão determinantes para a recuperação.

Dissecção da aorta ou dissecção aórtica é uma espécie de um rasgão na parede da aorta, a maior artéria do corpo. Este rasgo faz com que o sangue circule entre as camadas da parede da aorta, forçando as mesmas. Entre os principais fatores de risco para a dissecção da aorta, estão a hipertensão arterial (pressão alta), tabagismo, consumo de drogas como cocaína e anfetaminas, traumas torácicos e doenças relacionadas ao sistema cardiovascular.

Segundo a esposa do treinador Núbia Simões, Maurício Simões deixou a filha no trabalho e voltava para casa, dirigindo seu automóvel, quando começou a sentir fortes dores no peito. O técnico ainda conseguiu parar em um posto de gasolina, onde foi socorrido e encaminhado ao hospital. Os primeiros socorros foram prestados no Hospital Primavera e depois foi encaminhado ao Hospital Cirurgia.

Mais de Maurício Simões
Natural de Recife, Maurício Simões possui 58 anos e teve como último o Salgueiro, durante o Campeonato Brasileiro da Série B. Técnico de personalidade forte, ele ficou conhecido no futebol como Rei do Nordeste por ter construído sua carreira e conquistado suas mais maiores glórias naquela região do país.

Apesar da pouca idade, Simões tem uma vasta experiência na carreira de treinador. São 26 anos de carreira, com passagens por vários clubes tradicionais. Entre os principais estão, Central-PE, Santa Cruz-PE, ABC, Sergipe, ASA, Maranhão, Moto Club-MA, Ferroviário-CE, Confiança-SE, Treze-PB, Vila Nova, Campinense-PB e CRB.

Por Cleber Aguiar – Colecionador: aquele que veste a camisa

Fonte: Jornal Poder Executivo do Estado de São Paulo

Camisas da Seleção Brasileira estão sempre entre as peças mais valiosas dos colecionadores

O Museu do Futebol, localizado noEstádio do Pacaembu, realiza hoje (27) o 4º Encontro de Colecionadores de Camisas
de Futebol. A ação, em parceria com o site minhascamisas.com.br, comunidade de colecionadores com quase 2 mil filiados,reunirá aficionados, apreciadores e fabricantes de camisas dos mais diversos clubes do Brasil e do mundo. Para participar do encontro, das 10 às 17 horas, não é necessário colecionar camisas. Qualquer pessoa interessada pelo tema pode comparecer e conhecer mais sobre essa ‘mania’. Nas três últimas edições,o evento reuniu 1,5 mil pessoas.“O museu tem como objetivo preservar a memória do futebol brasileiro e o Encontro é uma oportunidade de reunir colecionadores que gostam e admiram o futebol”, diz Renato Baldin, coordenador do Núcleo de Eventos do Museu do Futebol.
Nesta edição, o jornalista e pesquisador José Renato Santiago colocará em exposição algumas camisas com distintivos incomuns,tema do seu recém-lançado livro Os distintivos de futebol mais curiosos do mundo. Esta não é a primeira vez que o Museu do Futebol homenageia os colecionadores de itens ligados ao esporte. A instituição dispõe de um espaço dedicado à idolatria do torcedor: a Sala Grande Área, que reúne 483 fotografias de objetos raros como flâmulas, discos e jornais voltados à modalidade.Em maio do ano passado, o museu realizou a exposição Mania de colecionar, reunindo 119 camisas de clubes pouco conhecidos dos 27 Estados brasileiros, além de flâmulas e peças de futebol de botão. O 4º Encontro de Colecionadores será realizado numa sala externa do Museu do Futebol e não é necessário pagar ingresso para participar. Quem quiser conhecer o acervo, a entrada custa de R$ 6,00; estudantes, professores e idosos pagam meia, R$ 3,00.

Da Agência Imprensa Oficial e da
Assessoria de Imprensa da SEC