Por Cleber Santista – Médico e comentarista Osmar de Oliveira morre em São Paulo

Fonte: Portal ESPN


Dr. Osmar de Oliveira morreu nesta sexta-feira, em São Paulo
Dr. Osmar de Oliveira morreu nesta sexta-feira, em São Paulo

Faleceu na noite desta sexta-feira o médico, narrador e comentarista esportivo Osmar de Oliveira, aos 71 anos. Ele estava internado no hospital AC Camargo, em São Paulo, e morreu após uma parada cardíaca. Ele se recuperava de uma cirurgia para a retirada de um tumor na próstata. Osmar de Oliveira ainda sofria com problemas no pulmão.

“Infelizmente, o Osmar de Oliveira faleceu hoje, às 18h15, vítima de uma parada cardíaca”, disse ao Portal da Band César de Oliveira, irmão de Osmar e também médico.

“A parada cardíaca aconteceu depois de uma complicação de uma hemorragia. Há um mês, ele estava no quarto e tentou se levantar. Com esse acidente, a sonda se prendeu e afetou a bexiga”, explicou.

Além da carreira como comentarista e narrador, Osmar também atuou como médico ortopedista. Ele se formou em Jornalismo e Medicina, e dá nome ao Instituto Osmar de Oliveira, que fica em São Paulo, voltado ao atendimento em ortopedia, fisioterapia e medicina esportiva.

Fanático pelo Corinthians, Osmar de Oliveira foi homenageado pelo clube do coração. “Descanse em paz, Dr. Osmar de Oliveira! Obrigado por sempre levar o Corinthians contigo. Nossas condolências e respeito à família”.

Osmar de Oliveira chegou a trabalhar no departamento médico do Corinthians, e também teve passagem pelo São Bento. Na televisão, Osmar atuou na Rede Globo no início dos anos 80, e também esteve na Record e no SBT. Na Rede Bandeirantes, exercia a função de comentarista desde 2007, na segunda passagem pela emissora.

A família de Osmar de Oliveira ainda não informou o local do velório e do sepultamento.

LUTO ICFUT – Campeão com o Corinthians em 90 e ex-técnico, Giba morre aos 52 anos

Fonte: espn

Giba, ex-jogador do Corinthians, participa do Bate Bola Especial

Giba, ex-jogador do Corinthians, em visita ao Bate-Bola, da ESPN Brasil

Morreu na manhã desta terça-feira Antônio Gilberto Maniaes, o Giba, lateral-direito campeão brasileiro com o Corinthians em 1990 e técnico de diversos clubes brasileiros, com 52 anos, vítima de uma rara doença chamada amiloidose.

Giba estava internado no Hospital Sirio Libânes, onde tratava a doença. Na segunda-feira, a situação se agravou, e o ex-jogador entrou em coma intensivo. A morte foi confirmada nesta manhã.

Como jogador, Giba defendeu Guarani, Inter de Limeira e Corinthians, onde foi titular na conquista do primeiro título brasileiro do clube, em 90. Seis anos mais tarde, se tornou técnico, no Etti Jundiaí.

GAZETA PRESS

Giba é outro que foi peça importante na conquista do título brasileiro de 1990, mas não estará na festaGiba foi campeão em 90 pelo Corinthians

No clube do interior paulista, Giba se tornou ídolo, levando o time à primeira divisão estadual e à segunda nacional em 2001 – ano de sua segunda passagem pela equipe.

Além do time de Jundiaí, Giba passou por Santos, CSA, Gama, Guarani, Atlético Sorocaba, Portuguesa, Santa Cruz, Remo, Sport, São Caetano, Ipatinga, Fortaleza, entre outros. No exterior, também treinou uma equipe no Kuwait.

Giba deixa a esposa, Débora, uma filha e irmãos. Seu corpo será velado em Campinas, cidade onde residia, e, posteriormente, será cremado.

A amiloidose é uma doença que faz com que as células da medula óssea produzam amiloide, substância anormal, que se acumula em diversos órgaos e tecidos celulares. No caso de Giba, o problema atingiu os rins.

Por Cleber Santista – Mauricio Torres, apresentador do “Esporte Fantástico”, morre aos 43 anos

Fonte: R7

 

Torres estava na Record desde 2005 Divulgação

O apresentador e narrador esportivo Mauricio Torres morreu neste sábado (31) em São Paulo. Internado desde o dia 1º de maio no hospital Sírio Libanês depois de passar mal durante um voo entre Rio de Janeiro e São Paulo, Torres teve complicações médicas e morreu no início da noite.

Torres chegou a Record em 2005 para as transmissões de futebol. No mesmo ano, participou dos programas “Terceiro Tempo” e “Debate Bola”. O narrador também esteve na equipe olímpica da Record nos Jogos de Inverno de Vancouver (2010), nos Jogos Pan-americanos de Guadalajara (2011), na Olimpíada de Londres (2012) e nos Jogos de Inverno de Sochi (2014).

Atualmente apresentava o “Esporte Fantástico” ao lado de Mylena Ciribelli e Cláudia Reis.

Nota da Record

Rede Record lamenta a morte do apresentador e locutor esportivo Mauricio Torres

A Rede Record lamenta profundamente a morte de seu apresentador e narrador esportivo Mauricio Torres.

Mauricio estava internado desde o dia 01 de maio no Hospital Sírio Libanês, em São Paulo, depois de passar mal durante um voo entre o Rio e São Paulo. O narrador teve várias complicações médicas e faleceu no início da noite deste sábado (31).

O apresentador chegou a Record em 2005 para as transmissões de futebol. Ele estreou na partida entre Brasil e Colômbia, válida pela fase final do Torneio Sul-Americano Sub-17, disputado na Venezuela. No mesmo ano participou dos programas “Terceiro Tempo” e “Debate Bola”.

Mauricio também esteve na equipe olímpica da Record nos Jogos de Inverno de Vancouver (2010), nos Jogos Pan-americanos de Guadalajara (2011), na Olimpíada de Londres (2012) e nos Jogos de Inverno de Sochi (2014).

Atualmente apresentava o “Esporte Fantástico” ao lado de Mylena Ciribelli e Cláudia Reis.

O Brasil perde um dos principais jornalistas esportivos do país e um dos mais promissores talentos de sua geração.

Maurício deixa esposa e uma filha de 8 anos.

Externamos nossa solidariedade e sentimentos aos familiares, amigos e fãs.

 

 

LUTO ICFUT – Campeão mundial em 70, Joel Camargo, o Açucareiro, morre aos 67 anos

Fonte: gazetaesportiva

Zagueiro reserva da Seleção Brasileira na conquista da Copa do Mundo de 1970, o ex-jogador Joel Camargo faleceu na manhã desta sexta-feira aos 67 anos, na Santa Casa de Misericórdia, em Santos. A causa da morte não foi divulgada. O velório acontece na Santa Casa de Santos, e o enterro está agendado para 16h (de Brasília), no Cemitério da Filosofia.

O Santos divulgou uma nota oficial lamentando a morte do jogador, que defendeu o clube entre 1963 e 1971, época mais vitoriosa da história do clube, se tornando ídolo. Ao longo da carreira, Joel também defendeu a Portuguesa Santista, o Paris Saint-Germain-FRA, o CRB e o extinto Saad, de São Caetano do Sul.

Joel Camargo era um dos homens de confiança de João Saldanha para a Copa de 1970. A demissão do técnico às vésperas do Mundial, entretanto, custou sua vaga no time titular, sendo preterido pela dupla Brito e Piazza, escolhida por Zagallo para a disputa.

Divulgação/Santos FC

Ex-Santos, zagueiro Joel Camargo morreu nesta sexta-feira, aos 67 anos, no litoral santista

Nascido em Santos, em 1946, o ex-atleta também era conhecido pelo apelido de “açucareiro”, por jogar com os braços abertos. Após se aposentar, Joel passou por uma crise financeira que o obrigou a trabalhar como estivador no porto santista. Pouco depois de disputar a Copa de 1970, sofreu um grave acidente de carro em sua cidade natal se chocando com um poste. O então atleta saiu ileso, mas uma mulher que estava no banco do passageiro não resistiu e faleceu.

Por Cleber Santista – Morre o Santista Jair Rodrigues ao 75 anos !

1507033_533848540053138_2275085497530971107_n

Carreira

Sua carreira musical começou quando foi crooner no meio dos anos 50 no interior de São Paulo, na cidade de São Carlos, lá chegando em 1954 e participando da noite são-carlense que era intensa na época, também com participações na Rádio São Carlos como calouro e com apresentações, vivendo intensamente em São Carlos, até o fim da década.

Em 1958 Jair Rodrigues prestou o serviço militar no Tiro de Guerra de São Carlos, como Soldado Atirador nº 134, que na época era denominado TG 02-043.1

No início da década de 60 foi tentar o sucesso na capital do Estado, e obteve-o participando de programas de calouros na televisão.

Em 1965, Elis Regina e Jair Rodrigues fizeram muito sucesso com sua parceria no programa O Fino da Bossa, programa da TV Record.

Em 1966, Jair participou do festival daquele ano com a música Disparada, de Geraldo Vandré e Théo de Barros, desta vez em conjunto com o Quarteto Novo. Conhecido por cantar sambas, Jair surpreendeu o público com uma linda interpretação da canção. Disparada e A Banda, de Chico Buarque e interpretada por Nara Leão, eram favoritas. O festival acabou empatado. A partir daquele momento, sua carreira decolou e seu talento assegurou décadas de sucesso ao cantor. Jair lançou um álbum por ano e interpretou sucessos como O Menino da Porteira, Boi da Cara Preta e Majestade o Sabiá. Realizou turnês pela Europa, Estados Unidos e Japão. Em 1971, gravou o samba-enredo Festa para um Rei Negro, da Acadêmicos do Salgueiro, do Rio de Janeiro.

Nas décadas seguintes, sua produção diminuiu de volume; entretanto, Jair Rodrigues continua conhecido por sua grande energia e sua alegria contagiante.

Foi considerado pela crítica musical brasileira e internacional o Rei da Música Negra, sendo conhecido internacionalmente.