ICFUT – JOINVILLE CAMPEÃO CATARINENSE DE FUTEBOL 2015

images

índice

fff

Anúncios

ICFUT – BRASILEIRÃO 2015 – JOINVILLE 0X0 PALMEIRAS

FICHA TÉCNICA
JOINVILLE 0 X 0 PALMEIRAS

Local: Arena Joinville, em Joinville (SC)
Data e horário: 17 de maio de 2015, domingo, às 18h30
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (Fifa-GO)
Assistentes: Kleber Lucio Gil (Fifa-SC) e Bruno Boschilia (Fifa-PR)
Renda/público: Portões fechados
Cartões amarelos: Bruno Aguiar, Mario Sérgio, Kempes (Joinville); Leandro Pereira (Palmeiras)
Gols:

JOINVILLE: Oliveira, Mario Sérgio (Suelinton – 42’/2ºT), Bruno Aguiar, Guti e Rogério; Anselmo, Augusto César (William Popp – 23’/2ºT), Marcelo Costa e Marcelinho Paraíba; William Henrique (Wellington Saci – 34’/2ºT) e Kempes. Técnico: Hemerson Maria

PALMEIRAS: Fernando Prass; Lucas (Ayrton – 34’/2ºT), Victor Ramos, Vitor Hugo e Egídio (Valdivia – intervalo); Gabriel, Robinho, Dudu, Zé Roberto e Rafael Marques (Kelvin – 29’/2ºT); Leandro Pereira. Técnico: Oswaldo de Oliveira

ICFUT – JOINVILLE CAMPEAO BRASILEIRO DE FUTEBOL 2014 DA SERIE B

joinvile

ponte

VICE – PONTE PRETA

728x4853 LUGAR VASCO

Onda-boa-Avai-bate-o-Vasco-e-sobe-para-a-Serie-A-com-tropeco-de-rivais4 LUGAR AVAI

Classificação

Pos Times Pts J V E D GP GC SG % M Classificação ou rebaixamento
1 Santa Catarina Joinville 70 38 21 7 10 54 33 +21 61 Estável Zona de promoção à Série A de 2015
2 São Paulo Ponte Preta 69 38 19 12 7 61 38 +23 60 Estável
3 Rio de Janeiro Vasco da Gama 63 38 16 15 7 50 36 +14 55 Estável
4 Santa Catarina Avaí 62 38 18 8 12 47 40 +7 54 Aumento2
5 Minas Gerais América Mineiro 611 38 20 7 11 59 39 +20 59 Aumento2
6 Minas Gerais Boa Esporte 59 38 18 5 15 51 48 +3 52 Baixa2
7 Goiás Atlético Goianiense 59 38 17 8 13 54 49 +5 52 Baixa2
8 Ceará Ceará 57 38 16 9 13 58 53 +5 50 Estável
9 Pernambuco Santa Cruz 55 38 14 13 11 51 38 +13 48 Aumento1
10 Maranhão Sampaio Corrêa 53 38 13 14 11 54 46 +8 46 Baixa1
11 Paraná Paraná 51 38 13 12 13 45 43 +2 45 Aumento2
12 Mato Grosso Luverdense 50 38 15 5 18 40 46 –6 44 Aumento2
13 Pernambuco Náutico 50 38 14 8 16 40 47 –7 44 Baixa2
14 Rio Grande do Norte ABC 48 38 14 6 18 34 40 –6 42 Baixa2
15 São Paulo Oeste 48 38 12 12 14 39 48 –9 42 Estável
16 São Paulo Bragantino 46 38 13 7 18 45 55 –10 40 Aumento1
17 Rio Grande do Norte América de Natal 43 38 12 7 19 44 53 –9 38 Baixa1 Zona de rebaixamento à Série C de 2015
18 Ceará Icasa 43 38 11 10 17 34 43 –9 38 Estável
19 Goiás Vila Nova 32 38 10 2 26 35 70 –35 28 Estável
20 São Paulo Portuguesa 25 38 4 13 21 29 59 –30 22 Estável

ICFUT – Portuguesa escapa da Série C e perde pontos da partida em Joinville

Fonte: esporteinterativo

Portuguesa também foi punida com uma multa de R$50 mil

Jogadores abandonaram o gramado em Joinville por conta de liminar apresentada por cartola rubro-verde.

Gazeta Press – Jogadores abandonaram o gramado em Joinville por conta de liminar apresentada por cartola rubro-verde.

O julgamento desta quarta-feira não foi tão cruel quanto poderia ser para a Portuguesa e seus torcedores: o clube, ao invés de ser excluído da Série B do Campeonato Brasileiro e automaticamente rebaixado para a terceira divisão, perdeu os pontos por conta do abandono de campo ocorrido em Joinville, na primeira rodada do torneio. Com isso, na tabela constará uma derrota do time rubro-verde por 3 a 0 para a equipe de Santa Catarina. A Lusa também foi punida com uma multa de R$50 mil.

O relator José Nascimento seguiu a recomendação do procurador Alessandro Kishino e condenou o clube, seguido por todos os demais votantes, no artigo 205, prevendo multa e derrota, mas isentou a Lusa do artigo 231 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva, que rebaixaria o clube. "Entendo não ser o caso de exclusão do campeonato. Não visualizo a vontade de influenciar de modo ilegal o resultado da partida. O comportamento da Lusa tem mais relação a amadorismo do que a vontade de manipular o resultado".

O advogado da Portuguesa, José Luiz Ferreira de Almeida, durante o julgamento, argumentou que a boa-fé do clube não poderia ser questionada por conta do time ter entrado em campo contra o Joinville, e reiterou a não-premeditação da saída de campo. Ferreira de Almeida ainda alfinetou a CBF, que alegava que a liminar utilizada pelo clube não teria validade legal. "Enquanto uma liminar não for cassada, ela tem eficácia. Tanto que a CBF,  em um sábado, no meio do feriado, se movimentou para cassar a liminar. Por que então todo esse desespero?".
O presidente Ilídio Lico pediu por diversas vezes que a punição recaísse apenas sobre si. “Peço que, se alguém tiver de ser penalizado, que seja eu”. Lico também argumentou em sua defesa que tirou o time de campo por conta de ameaças contra sua pessoa. "Falavam que eu seria preso, que estava descumprindo uma ordem judicial. Meu filho Ricardo começou a tremer, minha mulher passou mal. Segui as orientações de um conselheiro que é da Justiça, Fernando Guimarães, que fez um terror em mim”. O presidente, entretanto, recebeu punição de 240 dias e multa no valor de R$100 mil.
Lico também defendeu o treinador Argel Fucks, que havia sido indiciado e poderia pegar pena de até 360 dias afastado do futebol. “Digo que o treinador nunca deveria ser indiciado por isso. As ordens foram minhas. Ele não sabia".  O técnico rubro-verde, porém, contradisse o presidente, e afirmou que sabia da ação do clube. "Eu já sabia que tinha uma liminar. E tinha recebido uma ordem prévia de que o jogo deveria parar se a liminar chegasse. Mesmo não concordando, eu fiz. Era melhor não ter entrado em campo, do que entrar e sair no meio. Tinha convicção de o que estava fazendo era ilegal, era vergonhoso". O técnico foi punido com 4 jogos de suspensão.
Responsável por levar a liminar à beira do gramado, o filho de Ilídio Lico, Marcos Rogério, também tentou argumentar que o culpado pela paralisação teria sido o delegado da partida, Laudir Zermiani. "Eu não abordei ele falando que tiraria o time de campo. Disse apenas que o jogo deveria parar por causa da liminar. Quem entrou em campo paralisando o jogo, na minha visão, foi ele". A pena de Marcos Rogério é similar à do pai, com 240 dias de suspensão, porém com multa reduzida: apenas R$80 mil.

ICFUT – Em reação fulminante, Orlândia empata com Joinville e leva a Liga

Fonte: globo

Após desvantagem de quatro gols, time paulista encosta no placar no início do 2º tempo e marca gol do 1º título do torneio a dois minutos do fim da partida

No início do ano, a diretoria do Orlândia apostou em um projeto ambicioso, montando uma super-equipe comandada por ninguém menos que o craque Falcão. Dez meses depois, o clube acaba de colher o primeiro fruto do grande investimento, ao conquistar a Liga Futsal pela primeira vez em sua história. Jogando na Arena João Mambrini, em São Sebastião do Paraíso (MG), o Orlândia arrancou um empate em 4 a 4 com o Joinville, na noite desta segunda-feira, após ir para o intervalo perdendo por quatro gols de diferença. A equipe grená havia vencido fora de casa e tinha a vantagem do placar igual para ser campeão.

O time paulista precisou de apenas cinco minutos para fazer três gols, mas somente aos 18 do segundo tempo é que o gol do título inédito veio, nos pés de Vinicius. Além do camisa 77, Jé (dois) e Falcão anotaram para Orlândia, enquanto Ricardinho (dois), Café e Leco fizeram para o Joinville.

Jogadores de Orlândia com o troféu da Liga Futsal de 2012 (Foto: Luciano Bergamaschi / CBFS)Jogadores de Orlândia com o troféu da Liga Futsal de 2012 (Foto: Luciano Bergamaschi / CBFS)

Marcação forte e ataque produtivo de Joinville

Jogando com três fixos, o Joinville buscou cadenciar a partida nos primeiros minutos. Aos cinco, Café girou para cima de Junai e mandou por cima do gol de Guitta, na primeira finalização do jogo. Um minuto depois, os visitantes abririam o placar. Em cobrança de falta ensaiada, Neto rolou para Ricardinho, que bateu firme para fazer 1 a 0.

Em desvantagem, o Orlândia acordou em quadra e, aos sete, Ciço chutou com perigo para a defesa de Tiago. O mesmo Ciço voltaria a colocar Tiago para trabalhar aos oito, soltando uma bomba no ângulo para mais uma intervenção do goleiro do Joinville e da seleção brasileira. O Tricolor seguia recuado e apostando nos contra-ataques, o que acabou dando certo. Aos 11, Café foi lançado na frente e tocou por baixo de Guitta: 2 a 0.

O time paulista não se abateu e, segundos depois, Deives carimbou a trave em jogada individual. Aos 15, foi a vez de Marinho criar mais uma chance para o Orlândia. A finalização, porém, foi fraca, nas mãos de Tiago. A pressão orlandina continuou nos minutos finais e, aos 18 Ciço arriscou da intermediária e o goleiro do Joinville foi buscar mais essa. Entretanto, quem marcou novamente foi o Tricolor Catarinense. Em contra golpe mortal, Thiago Carioca avançou pela esquerda e deixou Ricardinho livre para marcar o terceiro. O gol fez o técnico Cidão colocar Rubinho como goleiro-linha. A ousadia acabou custando caro ao Orlândia, que levou o quarto a 54 segundos do fim, com Leco: 4 a 0, placar da etapa.

Vander Carioca, Ricardinho e Neto, de Joinville na final da Liga Futsal contra Orlândia (Foto: Luciano Bergamaschi / CBFS)Vander Carioca, Ricardinho e Neto vibram com a vantagem catarinense  (Foto: Luciano Bergamaschi / CBFS)

Orlândia reage e gol do título vem no final da partida

A equipe paulista voltou para o segundo tempo disposta a reverter o resultado. Logo a um minuto, Falcão ajeitou para Jé, que encheu o pé para fazer o primeiro. O Joinville mal teve tempo de respirar. Aos dois, o mesmo Jé, de carrinho, marcou o seu segundo gol na partida, diminuindo para 4 a 2.

Embalado por sua vibrante torcida, o Orlândia sentiu o momento favorável e continuou pressionando o adversário. Aos 15, Vinicius arrancou em velocidade e serviu Falcão, que não perdoou, deixando os donos da casa a um gol do empate que lhes daria o título.

Jé, do Orlândia, na final da Liga Futsal contra Joinville (Foto: Luciano Bergamaschi / CBFS)Jé marcou os dois primeiros gols da reação de Orlândia (Foto: Luciano Bergamaschi / CBFS)

A sorte parecia mesmo ter mudado de lado. Um minuto depois, o Joinville perdeu dois gols em seqüência, um com Leandrinho e outro com Leco. Aos sete, foi a vez de Vander Carioca carimbar a trave de Guitta, que acabou se safando de levar o quinto. Aos poucos, os times foram diminuindo o ritmo, aguardando o momento certo para o golpe final.

Faltando cinco minutos para o término, o técnico Cidão lançou Augusto como goleiro-linha. Aos 18, Tiago, por muito pouco, não marcou em chute de longe, após um erro do ataque orlandiano. Quando o jogo parecia caminhar para a prorrogação, Falcão encontrou Vinicius livre e o camisa 77 mandou para o fundo do gol, para delírio da torcida orlandiana. O Joinville ainda foi para o tudo ou nada, jogando com Neto como goleiro-linha, mas não houve tempo para mais nada. Não foi desta vez que o time catarinense levou o seu primeiro caneco.

Orlândia: Guitta, Junai, Augusto, Caio, Deives, Di Fante, Ciço, Marinho, Falcão, Rubinho e Vinicius. Técnico: Cidão

Joinville: Tiago, Neto, Ricardinho, André, Café, Dudu, Thiago Carioca, Leco, Julio, Murilo, Leandrinho e Vander Carioca. Técnico: Fernando Ferretti

RETRÔ ICFUT – Campeonato Catarinense 2011

Chapecoense vence Criciúma por 1 a 0 e conquista Campeonato Catarinense de 2011. Foto: Ulisses Job/Futura Press Em casa, Chapecoense fez 1 a 0 no Criciúma e conquistou título catarinense

Campeão
Chapecoense
Chapecoense

Estatísticas

Melhor Ataque Figueirense 48 Gols
Pior Ataque Imbituba 20 Gols
Melhor Defesa Figueirense 24 Gols sofridos
Pior Defesa Concórdia 45 Gols sofridos
Mais Goleadas Figueirense 6 Goleadas
Mais Vitórias Chapecoense 13 Vitórias
Menos Vitórias Imbituba 3 Vitórias
Mais Empates Criciúma 8 Empates
Mais Derrotas Concórdia 10 Derrotas
Menos Derrotas Figueirense 4 Derrotas
Max. Jogos sem Perder Chapecoense 8 Jogos

Final

1ª RODADA
8/05 – 16h00 Criciúma 1 x 0 Chapecoense
2ª RODADA
15/05 – 16h00 Chapecoense 1 x 0 Criciúma

 

Final – 2º Turno
1/05 – 16h00 Chapecoense 2 x 2 Avaí

 

Semifinal – 2º Turno
24/04 – 16h00 Chapecoense 2 x 1 Joinville
24/04 – 18h30 Figueirense 0 x 2 Avaí

 

2º Turno
1ª RODADA
4/03 – 19h30 Marcílio Dias 1 x 0 Imbituba
4/03 – 20h30 Figueirense 5 x 1 Metropolitano
4/03 – 20h30 Concórdia 0 x 1 Criciúma
5/03 – 16h00 Chapecoense 2 x 0 Avaí
6/03 – 19h00 Brusque 0 x 0 Joinville
2ª RODADA
9/03 – 16h00 Criciúma 2 x 3 Chapecoense
9/03 – 19h30 Avaí 4 x 2 Brusque
9/03 – 20h30 Imbituba 3 x 0 Concórdia
9/03 – 20h30 Metropolitano 3 x 1 Marcílio Dias
9/03 – 21h50 Joinville 1 x 1 Figueirense
3ª RODADA
13/03 – 16h00 Concórdia 3 x 0 Metropolitano
13/03 – 16h00 Chapecoense 2 x 2 Imbituba
13/03 – 17h00 Marcílio Dias 2 x 3 Joinville
13/03 – 18h30 Avaí 2 x 2 Criciúma
16/03 – 19h30 Brusque 1 x 1 Figueirense
4ª RODADA
19/03 – 16h00 Criciúma 3 x 0 Brusque
19/03 – 17h00 Joinville 2 x 2 Concórdia
20/03 – 16h00 Metropolitano 1 x 3 Chapecoense
20/03 – 18h30 Figueirense 2 x 0 Marcílio Dias
20/03 – 18h30 Imbituba 0 x 4 Avaí
5ª RODADA
23/03 – 19h30 Avaí 3 x 1 Metropolitano
23/03 – 19h30 Criciúma 2 x 2 Imbituba
23/03 – 20h30 Brusque 1 x 0 Marcílio Dias
23/03 – 20h30 Chapecoense 1 x 0 Joinville
23/03 – 21h50 Concórdia 2 x 1 Figueirense
6ª RODADA
27/03 – 16h00 Imbituba 1 x 2 Brusque
27/03 – 16h00 Joinville 4 x 0 Avaí
27/03 – 17h00 Marcílio Dias 1 x 1 Concórdia
27/03 – 18h30 Figueirense 2 x 1 Chapecoense
27/03 – 20h30 Metropolitano 3 x 3 Criciúma
7ª RODADA
3/04 – 16h00 Criciúma 1 x 1 Joinville
3/04 – 16h00 Imbituba 0 x 0 Metropolitano
3/04 – 16h00 Brusque 3 x 1 Concórdia
3/04 – 16h00 Chapecoense 1 x 0 Marcílio Dias
3/04 – 18h30 Avaí 0 x 1 Figueirense
8ª RODADA
10/04 – 16h00 Figueirense 3 x 2 Criciúma
10/04 – 16h00 Marcílio Dias 1 x 2 Avaí
10/04 – 16h00 Concórdia 0 x 3 Chapecoense
10/04 – 16h00 Metropolitano 1 x 0 Brusque
10/04 – 16h00 Joinville 5 x 0 Imbituba
9ª RODADA
17/04 – 16h00 Avaí 4 x 0 Concórdia
17/04 – 16h00 Criciúma 2 x 1 Marcílio Dias
17/04 – 16h00 Imbituba 0 x 6 Figueirense
17/04 – 16h00 Metropolitano 2 x 2 Joinville
17/04 – 16h00 Brusque 0 x 1 Chapecoense

 

Final – 1º Turno
27/02 – 16h00 Figueirense 0 x 1 Criciúma

 

Semifinal – 1º Turno
19/02 – 19h30 Criciúma 1 x 1 Chapecoense
20/02 – 16h00 Figueirense 3 x 1 Joinville

 

1º Turno
1ª RODADA
15/01 – 17h00 Avaí 1 x 2 Chapecoense
15/01 – 19h30 Criciúma 6 x 1 Concórdia
16/01 – 17h00 Joinville 2 x 1 Brusque
16/01 – 17h00 Metropolitano 1 x 1 Figueirense
16/01 – 18h00 Imbituba 1 x 1 Marcílio Dias
2ª RODADA
19/01 – 19h30 Chapecoense 3 x 2 Criciúma
19/01 – 20h30 Concórdia 3 x 1 Imbituba
19/01 – 20h30 Marcílio Dias 1 x 2 Metropolitano
19/01 – 22h00 Brusque 3 x 0 Avaí
20/01 – 21h50 Figueirense 4 x 0 Joinville
3ª RODADA
23/01 – 17h00 Metropolitano 2 x 0 Concórdia
23/01 – 17h00 Criciúma 2 x 0 Avaí
23/01 – 17h00 Imbituba 2 x 2 Chapecoense
23/01 – 19h30 Figueirense 5 x 2 Brusque
23/01 – 19h30 Joinville 0 x 2 Marcílio Dias
4ª RODADA
26/01 – 19h30 Brusque 2 x 2 Criciúma
26/01 – 20h30 Chapecoense 1 x 0 Metropolitano
26/01 – 20h30 Concórdia 3 x 6 Joinville
26/01 – 22h00 Marcílio Dias 1 x 1 Figueirense
27/01 – 19h30 Avaí 0 x 1 Imbituba
5ª RODADA
29/01 – 17h00 Figueirense 3 x 0 Concórdia
29/01 – 19h30 Joinville 2 x 1 Chapecoense
30/01 – 17h00 Metropolitano 0 x 0 Avaí
30/01 – 19h00 Marcílio Dias 2 x 2 Brusque
30/01 – 19h30 Imbituba 0 x 0 Criciúma
6ª RODADA
2/02 – 19h30 Criciúma 2 x 0 Metropolitano
2/02 – 19h30 Chapecoense 3 x 3 Figueirense
2/02 – 20h30 Brusque 2 x 0 Imbituba
2/02 – 20h30 Concórdia 1 x 1 Marcílio Dias
2/02 – 22h00 Avaí 2 x 1 Joinville
7ª RODADA
6/02 – 17h00 Joinville 0 x 0 Criciúma
6/02 – 17h00 Metropolitano 2 x 3 Imbituba
6/02 – 19h30 Concórdia 2 x 2 Brusque
6/02 – 19h30 Marcílio Dias 3 x 1 Chapecoense
6/02 – 19h30 Figueirense 2 x 2 Avaí
8ª RODADA
9/02 – 19h30 Avaí 2 x 1 Marcílio Dias
9/02 – 20h00 Brusque 3 x 1 Metropolitano
9/02 – 20h30 Chapecoense 2 x 2 Concórdia
9/02 – 22h00 Criciúma 2 x 0 Figueirense
10/02 – 19h30 Imbituba 3 x 4 Joinville
9ª RODADA
12/02 – 19h30 Concórdia 3 x 4 Avaí
13/02 – 17h00 Joinville 1 x 4 Metropolitano
13/02 – 17h00 Chapecoense 3 x 1 Brusque
13/02 – 17h00 Marcílio Dias 3 x 2 Criciúma
13/02 – 17h00 Figueirense 4 x 1 Imbituba

ICFUT–Campeão da Série C: Joinville!

Fonte: futebolinterior

Joinville 4 x 0 CRB

Recorde de público e título inédito na Arena

Essa foi a primeira conquista nacional na história do Joinville

Joinville, SC, 03 (AFI) – A tarde deste sábado foi de festa em Joinville. Contando com o apoio de sua fiel torcida, 19.631 pessoas compareceram na Arena Joinville, o JEC venceu o CRB, por 4 a 0, na partida de volta, e se sagrou campeão da Série C do Campeonato Brasileiro. Esse título foi inédito para time catarinense em nível Nacional. Joinville e CRB irão disputar a Série B de 2012 junto com Ipatinga e América-RN, que também conquistaram o acesso nesta temporada.

Na primeira partida, o Joinville não tomou conhecimento e venceu o CRB, por 3 a 1, em Maceió, e por isso poderia perder por até dois gols de vantagem, já que segundo o regulamento da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) o gol fora de casa é o primeiro critério de desempate. Se a partida terminasse com o mesmo placar, mas a favor do time alagoano, a decisão seria nos pênaltis.

A Arena Joinville recebeu capacidade máxima neste sábado, já que na sexta-feira os 20 mil ingressos colocados à venda estavam esgotados. Com isso, esse foi o recorde de público no Estado de Santa Catarina nesta temporada. O número anterior era de Figueirense x Flamengo, pelo Brasileirão, com pouco mais de 18 mil pagantes.

JEC coloca a mão na taça
Precisando vencer por três gols de vantagem para ficar com o título, o CRB arriscou o primeiro chute logo aos 20 segundos. O experiente Aloísio Chulapa dominou na intermediária e bateu com força, mas a bola subiu muito e foi para fora. Após o susto, o Joinville teve uma boa oportunidade na sequência. Eduardo deu grande lançamento para Lima, que vinha saindo na cara de Anderson, mas o goleiro se antecipou e aliviou o perigo.

Aos poucos, o JEC passou a se soltar em campo e Ricardinho teve mais uma boa oportunidade, mandando para fora. Animada, a torcida que lotou a Arena Joinville passou a fazer um barulho imenso. Aos sete minutos, Ronaldo Capixaba foi desarmado dentro da área e caiu. A torcida ficou pedindo pênalti, mas o árbitro mandou seguir.

Ronaldo Capixaba foi até a linha de fundo e cruzou rasteiro para Lima. Ne tentativa de aliviar o perigo, o zagueiro Rodrigão quase chutou contra o próprio gol. Aos 20 minutos, Ricardinho cruzou para dentro da área e o goleiro Anderson errou o tempo, passando pela bola, que raspou a trave. O jogo caiu um pouco de produção na sequência, com muitas faltas no meio-campo e passes errados.

Aos 37 minutos, Lima aproveitou cruzamento e cabeceou por cima. Anderson apenas acompanhou o lance. Já o CRB não conseguia chegar com muito perigo ao goleiro Ivan, que praticamente não relou na bola neste primeiro tempo. No grande lance da etapa inicial, Ronaldo Capixaba recebeu dentro da área e bateu cruzado. O goleiro alagoano saltou e desviou com as pontas dos dedos para escanteio. Aos 45, o JEC abriu o placar. Lima aproveitou cruzamento de Ronaldo Capixaba e desviou de cabeça para o fundo do gol.

Virou goleada
Precisando de mais três gols para levar a decisão para os pênaltis, o CRB voltou do intervalo mais ofensivo e esboçou uma pressão em cima do Joinville. Em cobrança de falta de Geovani, Ivan estava atento e realizou grande defesa. Na sequência, quase que o JEC liquida a partida. Lima recebeu passe na entrada da área e soltou a bomba. A bola acertou a trave, correu por toda linha e saiu pela linha de fundo.

Aos 15 minutos, Cadu arriscou de longe e a bola foi para fora, assustando o goleiro Ivan. Na sequência, Marco Antônio calçou Jaílton e recebeu o segundo cartão amarelo, deixando o CRB com um homem a menos no campo, complicando ainda mais a situação. A torcida do JEC começou a soltar o grito de "é campeão" aos 30 minutos.

Eduardo escapou em velocidade, passou por três zagueiros e bateu na saída do goleiro Anderson. O zagueiro Rodrigão ainda tentou tirar, mas não conseguiu evitar o segundo gol do Joinville. Com isso, o CRB teria que marcar mais quatro gols para ficar com o título. Na sequência, o técnico Paulo Comelli reclamou da arbitragem e acabou sendo expulso. O que estava ruim ficou ainda pior aos 34.

Ramon girou em cima do zagueiro e tocou para Pedro Paulo, que chegou batendo de primeira e tirou do alcance do goleiro adversário, marcando o terceiro do Joinville. E o time catarinense queria mais, tanto que aos 41 marcou o quarto. Gilton aproveitou sobra e soltou a bomba, sem chances para Anderson.