Por Cleber Santista – Corinthians vence primeiro jogo da sua história em casa.

FICHA TÉCNICA
CORINTHIANS 2 X 1 INTERNACIONAL

Local: estádio de Itaquera, em São Paulo (SP)
Data: 17 de julho de 2014, quinta-feira
Horário: 19h30 (de Brasília)
Árbitro: Wagner Reway (MT)
Assistentes: Paulo Cesar Silva Faria (MT) e Lincoln Ribeiro Taques (MT)
Público: 32.644 pagantes
Renda: R$ 2.556.385,50
Cartões amarelos: Gil, Guerrero e Elias (Corinthians); João Afonso, Wellington Silva, Willians e Paulão (Inter)
Gols:
Corinthians: Guerrero, aos seis minutos do primeiro tempo, e Fagner, aos nove minutos do primeiro tempo
Inter: Cláudio Winck, aos 45 minutos do segundo tempo

CORINTHIANS: Cássio; Fagner, Cleber, Gil e Fábio Santos; Ralf, Elias (Bruno Henrique), Petros e Jadson; Luciano (Romarinho) e Guerrero (Romero)
Técnico: Mano Menezes

INTER: Dida; Wellington Silva, Paulão, Juan e Fabrício; João Afonso (Cláudio Winck) e Willians (Wellington Paulista); Jorge Henrique (Valdivia), D’Alessandro e Alan Patrick; Rafael Moura
Técnico: Abel Braga

Corinthians-SP 19 10 5 4 1 13 6 7 63.3%
Internacional-RS 16 10 4 4 2 13 11 2 53.3%

ICFUT – Corinthians descumpre acordo, e Procuradoria pode pedir embargo na arena

Fonte: uol

O Ministério Público Federal diz que o Corinthians não cumpriu o prazo do acordo feito em relação à remoção dos dutos da Transpetro que existem no terreno do Itaquerão. O termo que deveria ter sido entregue até esta sexta-feira definia as responsabilidades do Corinthians e da Transpetro na obra. Ao perder a data, a entidade poderá entrar com ação impedindo a remoção.

O clube, por sua vez, afirma que o documento foi entregue ao MPF na quinta-feira, com todas as licenças que autorizam a execução da retirada dos dutos.

Rivaldo Gomes/Folhapress

Obras do estádio corintiano no terreno em Itaquera; clique na foto e veja galeria

No entanto, de acordo com o MPF, o termo não chegou ao gabinete do procurador que cuida do caso, José Roberto Pimenta Oliveira, o que já caracteriza que o Corinthians perdeu o prazo.

Por isso, a entidade diz que tomará as providências cabíveis ao processo. A decisão sobre qual será a atitude tomada deverá sair na segunda-feira, quando Oliveira retornará aos trabalhos.

O acordo entre clube e MPF foi firmado no último dia 19, quando o Corinthians assumiu também que irá bancar todos os custos relativos à remoção dos dutos do terreno de seu futuro estádio.

Além do termo de definições de responsabilidade, na reunião com o clube e o MPF, a Transpetro se comprometeu a entregar ao clube até o dia 30 todos os elementos técnicos necessários para a retirada dos dutos do local.

A obra, também segundo o que foi firmado na reunião, deverá durar 60 dias.

Rivaldo Gomes/Folhapress

Obras do futuro estádio do Corinthians; clique na foto e veja galeria

Para a Odebrecht, construtora do Itaquerão, a retirada dos dutos não irá interferir no prazo de entrega do estádio se for executada até o fim deste ano. Uma das razões é o período das chuvas.

Porém, com o MPF indicando que o clube perdeu o prazo, a obra poderá ser postergada a pedido da promotoria e atrasar a conclusão do estádio corintiano.

A previsão de entrega da arena, indicada para sediar a abertura da Copa-2014, é dezembro de 2013. No entanto, a Fifa, por meio de seu secretário-geral, Jérôme Valck, já sinalizou que pode esperar o estádio até fevereiro de 2014.

Por Cleber Aguiar – Brasileiros reprovam abertura da Copa do Mundo de 2014 em Itaquera

Fonte: O Estado de São Paulo

Pesquisa nacional revela que futuro estádio do Corinthians não conta com apoio de torcedores nem mesmo em SP

Wagner Vilaron – O Estado de S.Paulo


Infográfico/AE ( Clique na imagem para ampliar )

SÃO PAULO – Apoio governamental, isenção fiscal e simpatia da CBF e da Fifa. A lista de conquistas do Corinthians em relação ao estádio de Itaquera é vasta. Porém, há um detalhe que a nova arena e a diretoria ainda não conseguiram: despertar a simpatia da população. Pesquisa realizada em todo o País pela Sport+Markt mostra que o estádio preferido pelos brasileiros para receber o jogo de abertura do Mundial é o Maracanã.

Foram ouvidas 8.221 pessoas de todos os Estados e Distrito Federal nas primeiras semanas deste mês, 70% homens e 30% mulheres. A faixa etária é de 16 a 60 anos, com margem de erro de 1,1% para mais ou para menos.

A pergunta que direcionou o levantamento é simples: “Onde deveria ser realizado o jogo de abertura da Copa de 2014?”. Na compilação geral, o Maracanã ganhou disparado, com 54,6% das opiniões, seguido pelo Itaquerão (14,6%), Mineirão (12,3%) e Fonte Nova (7,8%). Os indiferentes foram 10,7%

Na comparação com o ano passado, os dados mostram uma curiosidade. Em fevereiro de 2010, quando não se falava no estádio corintiano e o palco de São Paulo para o evento ainda era o Morumbi, foi feita a mesma pergunta. O velho Mário Filho já liderava na preferência nacional, com 59,7%, contra 22,2% do estádio são-paulino.

Quando se analisa os votos divididos por estados, percebe-se um detalhe curioso. Os paulistas são os únicos que reprovam a abertura da Copa em sua capital. Para eles, o Maracanã também é a melhor opção, com 47,5%, diante de 33,8% do Itaquerão.

Uma lupa sobre os números deixa a constatação ainda mais contundente. Separados os votos apenas dos morados da cidade de São Paulo, o Maracanã segue na liderança da predileção, com 44,5%, à frente do Itaquerão (36,4%). No interior do Estado, a diferença aumenta: 50,6% x 31,2%.

Enquanto isso, os cariocas deram 90,5% dos votos para seu estádio, 60,3% dos mineiros gostariam de ver o Mineirão como palco e 68,1% dos baianos apoiam a Fonte Nova. O menor índice de aprovação da arena do Corinthians é no Rio, com apenas 2,2%.

Raio X. Um detalhe, porém, pode alterar o cenário. De acordo com o sócio-diretor da Sport+Markt, Cesar Gualdani, o início das obras da arena corintiana deve influenciar em resultados futuros. “O Itaquerão é algo abstrato para as pessoas. Ninguém o viu ainda. É possível que, com o andamento da obra, as pessoas mudem de opinião”, disse.

Torcidas. Entre a torcida corintiana, o Itaquerão é o preferido para a abertura. Porém, aquilo que, a princípio, parece ser uma boa notícia para a Fiel, mostra que até mesmo os corintianos estão divididos: 44,1% são favoráveis à partida em Itaquera, enquanto 40,8% votaram contra.

Nesse caso, a explicação de Cesar Gualdani, para a rejeição ao Itaquerão entre boa parte da torcida do Corinthians está nas informações quanto à origem dos recursos para a construção.

Entre as torcidas rivais, o menor índice de aprovação ao estádio em Itaquera está entre os são-paulinos.