ICFUT – Por descumprimento de contrato, Zico deixa a seleção do Iraque

Fonte: gazetaesportiva

O brasileiro Zico anunciou na noite desta terça-feira que não é mais o técnico da seleção do Iraque. Segundo informações publicadas no site oficial do treinador, a Federação Iraquiana de Futebol descumpriu termos registrados em contrato e agravou uma situação que já estava abalada.

"Venho por meio do meu site informar que, por volta das 12 horas desta terça-feira, horário de Brasília, enviei comunicação oficial à Fifa, entidade máxima do futebol mundial, e à IFA, que é a associação iraquiana de futebol, declarando que considero meu contrato rescindido por descumprimento da IFA. Em breve prestarei mais esclarecimentos", dizia a nota.

Desde agosto de 2011 à frente do selecionado iraquiano, o Galinho de Quintino classificou a equipe para a última fase das Eliminatórias Asiáticas para a Copa do Mundo de 2014. Em terceiro lugar no grupo B, o time treinado pelo brasileiro disputa com a Austrália uma vaga no Mundial, enquanto o Japão é o lider.

Caso fique em terceiro, o Iraque terá de enfrentar o terceiro colocado do grupo A, posição atualmente ocupada pela seleção iraniana. O vencedor do confronto terá de encarar o quinto lugar das Eliminatórias Sul-americanas na repescagem para tentar garantir vaga no Brasil.

AFP

Problemas com a federação local fizeram Zico pedir demissão da seleção iraquiana nesta terça-feira

ICFUT–Kaká retorna à Seleção com gol, e Brasil atropela o fraco Iraque de Zico

Fonte: lancenet

Após mais de dois anos longe, meia joga bem na tranquila apresentação brasileira

Kaká e Oscar - Brasil x Iraque (Foto: Bjorn Lindgren/AFP)
Kaká comemora um dos gols brasileiros com Oscar (Foto: Bjorn Lindgren/AFP)

Chega de saudade! O reencontro de Kaká com a Seleção Brasileira foi muito bem amarrado para dar certo. Contra um fraquíssimo Iraque e sem a pressão das vaias da torcida brasileira, o meia retornou após mais de dois anos marcando um gol e dando passe para outro na vitória por 6 a 0, nesta quinta-feira, em Malmö, na Suécia. Oscar fez dois gols, mas acabou sendo coadjuvante por causa da história que o novo companheiro de Seleção tem. Hulk, Neymar e Lucas completaram a festa.

O Iraque de Zico foi muy amigo. Mas facilidades à parte, o Brasil apresentou coisas boas. Sem um centroavante fixo – assim como no amistoso contra a fraquíssima China – e praticamente num 4-2-4, o quarteto ofensivo brasileiro se movimentou muito bem.

Prova disso é que nos dois gols a jogada começou com Neymar, que foi um "falso 9", partindo com a bola dominada do meio-campo. Na abertura do placar, um passe açucarado para Oscar tocar na saída do goleiro. No segundo, a bola ainda passou por Kaká antes do camisa 10 do Brasil ampliar.

Por falar no jogador mais experiente do time, Kaká se mostrou muito à vontade. Jogando pela esquerda, assim como nos tempos de Dunga, ele encontrou parceiros adequados para levar perigo ao adversário e por detalhe não deixou o primeiro tempo com um golzinho na conta.

Diante do passeio brasileiro, o Iraque não jogou. Apenas tentou sobreviver. Zico não cumpriu a promessa de colocar um time na retranca. Mas ao mesmo tempo que não tentava ser defensivo ao extremo, o Iraque passou longe do gol de Diego Alves. No primeiro tempo, nada de finalizações.

O gol de Kaká veio logo no começo do segundo tempo, após uma arrancada que lembrou os velhos tempos. O zagueiro ficou torto com uma pedalada e a finalização de canhota. A última vez que ele havia marcado pela Seleção foi no longínquo 7 de junho de 2010, contra a Tanzânia. Hulk fez o quarto logo em seguida, depois de passar por meio time iraquiano.

Para facilitar a vida do Brasil, Zico ainda fez alterações por atacado já aos 16 minutos. Não seria contra o "Iraque B" que o Brasil seria ameaçado. O amistoso virou praticamente uma pelada casados x solteiros.

Do quarteto de frente, Neymar foi o mais atrasadinho para fazer gol. Demorou 77 minutos, contando com os acréscimos do primeiro tempo, mas caprichou. Corte no zagueiro e belo chute no canto. Lucas, que substituiu Kaká, também marcou.

Kaká saiu mais cedo da festa, mas ficou feliz como uma criança.

FICHA TÉCNICA
BRASIL 6 X 0 IRAQUE

Local: Estádio Swedbank, em Malmö (SUE)
Data e hora: 11 de outubro de 2012, às 15h30 (horário de Brasília)
Árbitro: Martin Hansson (SUE)
Auxiliares: Magnus Sjoblom (SUE) e Per Brogevik (SUE)
Cartão Amarelo: Rehema (IRA)
Cartão Vermelho: –
Gols: Oscar, 21’/1ºT (1-0); Oscar, 26’/1ºT (2-0); Kaká, 2’/2ºT (3-0); Hulk, 10’/2ºT (4-0); Neymar, 30’/2ºT (5-0); Lucas, 34’/2ºT (6-0)

BRASIL: Diego Alves, Adriano, David Luiz, Thiago Silva e Marcelo; Paulinho (Fernando, 43’/2ºT), Ramires (Sandro, 35’/2ºT), Oscar (Giuliano, 37’/2ºT) e Kaká (Lucas, 25’/2ºT); Neymar e Hulk (Thiago Neves, 28’/2ºT). Técnico: Mano Menezes

IRAQUE: Noor, Rehema (Ibrahim, 15’/2ºT), Saed, Shaker, Ahmed, Khaldoun, Abbas, Ahmadi (Kareem, 15’/2ºT), Akran (Zahra, 15’/2ºT), Khalid (Hasan, 43’/2ºT) e Mahmood (Rahdi, 15’/2ºT). Técnico: Zico

ICFUT – No país onde nasceu Brasil do penta, Kaká se junta ao sonho do hexa

Fonte: globo

Seleção encara o Iraque nesta quinta-feira, em Malmo, na Suécia. Craque do Real Madrid encontra time remodelado e empresta sua liderança

De olho na Copa do Mundo de 2014, Kaká está em busca de um recomeço e a seleção brasileira à procura do bom futebol. É claro que as duas coisas estão relacionadas. Melhor ainda que tal reencontro seja na Suécia, local onde o Brasil deu o pontapé inicial em sua caminhada para se tornar o país do futebol, com o título mundial de 1958. É lá, na cidade de Malmo, que o time de Mano Menezes faz amistoso contra o Iraque de Zico, no estádio Sweedbank, nesta quinta-feira, às 15h30 (de Brasília).

Muita coisa mudou nesses dois anos e três meses que Kaká ficou afastado da seleção brasileira. Da derrota para a Holanda nas quartas de final da Copa do Mundo de 2010 até aqui, Neymar deixou de ser promessa para virar realidade e o craque do time, Ricardo Teixeira deu lugar a José Maria Marin no comando da CBF, Mano Menezes substituiu Dunga… Mas algo que continua intacto é o prestígio do meia do Real Madrid na Seleção.

– Vai ser legal. Espero que ele possa nos ajudar. A experiência que ele tem vai ser muito importante para a seleção brasileira. Pode nos ajudar muito – declarou Neymar, que agora tem a chance de dividir a responsabilidade e as atenções com o ‘velho’ companheiro.

Kaká e Mano Menezes no treino da seleção brasileira (Foto: Mowa Press)Kaká vai estrear na Seleção sob o comando de Mano Menezes (Foto: Mowa Press)

Kaká sabe disso. Mais velho do atual grupo de Mano Menezes, o meia do Real Madrid que dar à Seleção não só experiência, mas também liderança. Como diz Mano Menezes, jogadores com o status de Kaká se adaptam facilmente a qualquer grupo. Ainda mais ao time nacional, no qual já fez sucesso – o armador já disputou três Copas do Mundo. Foi campeão em 2002, na Coreia do Sul e no Japão, e caiu nas quartas de final nos Mundiais de 2006, na Alemanha, e 2010, na África do Sul.

– Encontrei um grupo jovem, bem diferente e muito promissor. Trago agora muita experiência e vontade. Quero criar muito para aproveitar essa oportunidade. Posso dar um pouco da minha liderança para o elenco – afirmou Kaká.

Realmente, o grupo que o meia integra agora é bem diferente do que ele deixou lá atrás, em 2010. Dos 21 jogadores que participam desses amistosos (na terça-feira o Brasil encara o Japão, na Breslávia, na Polônia), apenas o zagueiro Thiago Silva e o volante Ramires seguem. Além de Daniel Alves, é claro. Mas o lateral-direito do Barcelona foi cortado no início da semana por conta de uma lesão muscular. O fato é que Kaká pretende se firmar nessa reformulação proposta por Mano Menezes.

Kaká e Neymar no treino da seleção brasileira (Foto: Mowa Press)Neymar e Kaká vão atuar pela primeira vez juntos
na seleção brasileira (Foto: Mowa Press)

– Por sua trajetória e por sua capacidade, a situação do Kaká é diferente. Mas a Seleção é familiar para ele. Mais do que para um jogador que chega pela primeira vez. Ainda é cedo para avaliações, temos de ir com calma. Não tem necessidade de exigir dele todas as resoluções do time – opinou Mano Menezes, que vai escalar Kaká e Oscar na armação e improvisar o lateral-esquerdo Adriano na vaga de Daniel Alves.

Se Kaká faz nesta quinta-feira um novo reencontro com a Seleção, do outro lado também tem alguém com ótima relação com o time canarinho: Zico. Técnico do Iraque, o ídolo do Flamengo enfrentará o seu país pela terceira vez. Antes, quando comandava o Japão, o Galinho perdeu duas vezes para o Brasil. Primeiro na Copa das Confederações de 2005 e depois na Copa do Mundo de 2006. Ambas na Alemanha.

A chegada do Iraque à Suécia para o amistoso, aliás, foi surpreendente. Mais de 200 torcedores apareceram para acompanhar o desembarque dos jogadores no hotel. O time asiático, no entanto, está na 80ª colocação do ranking da Fifa. É o adversário teoricamente mais fraco do Brasil na era Mano Menezes. A Seleção, por sinal, aparece na 14ªposição, seu pior momento na história do ranking.

BRASIL X IRAQUE

Diego Alves; Adriano, David Luiz, Thiago Silva e Marcelo; Paulinho, Ramires, Oscar e Kaká; Neymar e Hulk.
Noor, Samal, Ali, Dalan e Base; Khaldoun, Muthana, Hamad e Nashat; Ahmed Yasin e Younis

Técnico: Mano Menezes
Técnico: Zico

Árbitro: Não divulgado
Auxiliares: Não divulgado

Local: Sweedbank, em Malmo, na Suécia
Horário: 15h30m (de Brasília)

Transmissão: A TV Globo, o Sportv e o GLOBOESPORTE.COM transmitem a partida ao vivo. O site também acompanha os lances da partida em Tempo Real.