ICFUT – Um Goleiro contador de história infantis !

Fonte: O Estado de São Paulo

Um goleiro contador de histórias infantis

Australiano Schwarzer aproveita as poucas horas vagas para escrever contos de futebol para crianças

Daniel Akstein Batista – O Estado de S.Paulo

ENVIADO ESPECIAL
MAGALIESBURGO

O país é novo e a bola é sua melhor amiga. E é com o futebol que as amizades começam a se formar. A história bem que poderia ser verdadeira (talvez até seja em algum lugar), mas aqui ela não passa de uma ficção. E quem a conta é Mark Schwarzer, goleiro da Austrália de 37 anos que vai disputar a segunda Copa do Mundo – esta na Alemanha em 2006 – e que nas poucas horas vagas escreve livros para crianças.

Megs é o personagem principal de seus contos. Um garoto que chega à Austrália, vindo da Inglaterra, sem conhecer ninguém e tem dificuldades para arrumar novos companheiros. Bom de bola, passa a usar a redonda para conhecer os colegas da nova escola. E se dá bem.

Schwarzer escreve os contos com um amigo. A série do menino estrangeiro teve início em 2007 – e na semana que vem está previsto o lançamento do quinto livro. “São as experiências das nossas próprias vidas”, diz o goleiro. “A criança chega à Austrália e usa o futebol para buscar novos amigos”, conta.

O atleta é filho de alemães e joga no Fulham, da Inglaterra. É pai de um menino e uma menina e usa as características das duas crianças para também criar os traços dos personagens. Assim como sua mulher, que ganha vida no lançamento seguinte.

As horas vagas na África do Sul não têm sido válidas para Schwarzer rabiscar folhas. A seleção australiana costuma passear no Mandela Square, um pequeno shopping situado em Sandton, luxuoso bairro de Johannesburgo. “Meu próximo livro está saindo agora. E tenho de me preocupar com o Mundial”, fala o goleiro, que não imaginava ver suas histórias serem publicadas – apenas na Austrália, por enquanto. “Eu sempre escrevia coisas, até que meu amigo (Neil Montagnana-Wallace) falou para fazermos um livro.”

Após o fim da série, o jogador pretende mudar o estilo. “Os livros atuais são para um público de 8 a 14 anos. Quero agora escrever para as crianças menores.”

Na sua segunda Copa, Schwarzer também está envolvido em projetos de caráter solidário e inovou na semana passada ao treinar de óculos escuros. Uma ideia para mostrar a visão do goleiro em seus movimentos, para ajudar a corrigir o posicionamento – e também para a imagem ser divulgada às televisões. “Mas não vou usá-lo nos jogos”, garante o camisa 1, de 37 anos e que sonha levar sua seleção na África do Sul a uma campanha melhor do que a da Alemanha, em 2006. Naquele mundial a Austrália passou da primeira fase com quatro pontos e depois caiu nas oitavas, diante da Itália, com derrota por 1 a 0, num gol polêmico.