ICFUT – BRASILEIRÃO SERIE A – 2018 – Vasco (RJ) 2×1 Atlético (MG)

FICHA TÉCNICA
VASCO 2 X 1 ATLÉTICO-MG

Local: São Januário, no Rio de Janeiro (RJ)
Data: 15 de abril de 2018 (Domingo)
Horário: 16h(de Brasília)
Renda: R$ 176.600,00
Público: 7.197 (6.349 pagantes)
Árbitro: Andre Luiz de Freitas Castro (GO)
Assistentes: Cristhian Passos Sorence (GO) e Leone Carvalho Rocha (GO)
Cartões Amarelos: Henrique, Evander, Ríos, Rildo (Vasco); Bremer, Yago, Fábio Santos (Galo)
Gols:
VASCO: Wagner, aos 41, Pikachu, aos 53 min do 2º tempo
ATLÉTICO-MG: Otero, aos 12 min do 1º tempo

VASCO: Martín Silva, Rafael Galhardo (Rildo), Paulão, Werley e Henrique; Leandro Desábato, Wellington (Thiago Galhardo), Evander, Yago Pikachu e Wágner; Duvier Riascos (Andrés Ríos)
Técnico: Zé Ricardo

ATLÉTICO-MG: Victor, Patric, Bremer, Gabriel e Fábio Santos; Elias, Luan, Gustavo Blanco (Yago), Juan Cazares (Roger Guedes) e Rómulo Otero (Erik); Ricardo Oliveira
Técnico: Thiago Larghi

Anúncios

ICFUT – SULAMERICANA 2018 – GRUPO 8 : San Lorenzo(ARG) 1X0 Atlético Mineiro ( BRA)

FICHA TÉCNICA
SAN LORENZO 1 X 0 ATLÉTICO

Local: Estádio Pedro Bidegain, Argentina
Data: 11 de Abril de 2018, Quarta
Horário: 19h15 (de Brasília)
Árbitro: Leodan González (URU)

Gols: Gudiño, aos 40 minutos do primeiro tempo (San Lorenzo)
Cartões: Piris (San Lorenzo); Bremer, Gustavo Blanco (Atlético)

SAN LORENZO: Navarro, Paulo Diaz, Rodriguez, Senesi, Rojas, Gudino, Mercier, Piris, Alexis Castro, Botta (Cavallaro), Blandi (Reniero).
Técnico: Claudio Biaggio.

ATLÉTICO–MG: Victor; Patric, Bremer, Gabriel e Fábio Santos; Adilson (Gustavo Blanco), Elias e Cazares; Luan (Tomás Andrade), Otero (Erik) e Ricardo Oliveira
Técnico: Thiago Larghi

ICFUT – MINEIRO 2018 : Cruzeiro Campeão 2018.

FICHA TÉCNICA
CRUZEIRO 2 X 0 ATLÉTICO

Local: Estádio Mineirão, Belo Horizonte (MG)
Data: 08 de Abril de 2018, Domingo
Horário: 16h (de Brasília)
Árbitro: Luiz Flávio de Oliveira (FIFA)
Auxiliar: Marcelo Carvalho Van Gasse (FIFA) e Miguel Cataneo Ribeiro Costa (CBF).

Gols: Arrascaeta, aos 3 minutos do primeiro tempo, Thiago Neves, aos 7 minutos do segundo tempo (Cruzeiro)

Cartões amarelos: Ricardo Oliveira, Patric (Atlético); Edilson, Thiago Neves, Léo, Robinho, Egídio, Ariel Cabral (Cruzeiro)
Cartões Vermelhos: Otero, Patric (Atlético)

CRUZEIRO – Fábio, Edilson (Mancuello), Léo, Dedé, Egídio, Henrique, Ariel Cabral, Robinho (Rafinha), Thiago Neves, Arrascaeta (Ezequiel) e Rafael Sóbis.
Técnico: Mano Menezes.

ATLÉTICO–MG: Victor; Patric, Leonardo Silva, Gabriel e Fábio Santos; Adilson, Elias (Roger Guedes) e Cazares; Luan (Gustavo Blanco), Otero e Ricardo Oliveira (Erik)
Técnico: Thiago Larghi

ICFUT ESTÁDIOS – Estádio Doutor Jayme Cintra – Paulista FC – Jundiaí

Fonte: Wikipedia.com

O Estádio Doutor Jayme Pinheiro de Ulhôa Cintra, conhecido como Estádio Jayme Cintra, é um estádio de futebol brasileiro, precisamente paulista. Localizado na cidade de Jundiaí, é propriedade do Paulista Futebol Clube, para seus jogos de futebol. Fica localizado na Praça Doutor Salim Gebran, 1 – Jundiaí (SP).

Foi inaugurado em 30 de maio de 1957, com um amistoso entre Paulista e Palmeiras, no qual o Paulista venceu por 3 a 1. O primeiro gol do estádio foi marcado pelo atacante Belmiro, do time da casa.

Quem foi Jayme Cintra?
Busto do Dr. Jayme Pinheiro de Ulhôa Cintra localizado no Complexo Fepasa em Jundiaí

O nome do estádio é oriundo de um ex-presidente da antiga e extinta Companhia Paulista de Estradas de Ferro, cujos funcionários fundaram o clube em 1909.

Jayme Pinheiro de Ulhôa Cintra nasceu no dia 1º de maio de 1886, na cidade de Campinas. Formou-se engenheiro civil em 1907 pela Escola Politécnica, atualmente da Universidade de São Paulo, como primeiro aluno da turma, situação única que lhe garantiu colocação na Companhia Paulista de Estradas de Ferro, como engenheiro praticante, em 1908.

Exerceu o cargo de presidente da Companhia de 1º de janeiro de 1950 a 1º de junho de 1961. Faleceu em 1º de junho de 1962.

Foi um dos principais responsáveis pela construção e iluminação do estádio.

Final da Copa do Brasil 2005

ICFUT – DAS ANTIGAS – ITUANO CAMPEÃO PAULISTA DE 2002

Taça do Campeonato Paulista de 2002
Taça do Campeonato Paulista de 2002

 

Equipe do Ituano Campeão Paulista de 2002
Equipe do Ituano Campeão Paulista de 2002

Regulamento

  • Os doze clubes que participam do Paulistão jogaram em turno e returno com pontos corridos. Foi campeã a equipe que somou mais pontos, Ituano Futebol Clube.
  • A Sociedade Esportiva Matonense, última colocada na classificação geral foi rebaixada para a Série A-2 de 2003.
  • Os chamados “grandes” (Corinthians, Guarani, Palmeiras, Paulista – Etti Jundiaí, Ponte Preta, Portuguesa, Santos, São Caetano e São Paulo) não participaram desta edição, já que jogavam o Torneio Rio-São Paulo.
aulistão 2002 – Classificação Final
Time Pts J V E D GP GC SG %
1 Ituano 40 22 11 7 4 37 26 11 61
2 União São João 39 22 12 3 7 49 35 14 59
3 Rio Branco 37 22 10 7 5 37 28 9 56
4 Juventus 37 22 10 7 5 38 35 3 56
5 Santo André 33 22 9 6 7 28 25 3 50
6 Mogi Mirim 31 22 8 7 7 33 35 -2 47
7 Botafogo 30 22 8 6 8 34 37 -3 45
8 Inter de Limeira 29 22 8 5 9 34 26 8 44
9 União Barbarense 27 22 6 9 7 33 36 -3 41
10 América 25 22 7 4 11 37 42 -5 38
11 Portuguesa Santista 19 22 5 4 13 28 47 -19 29
12 Matonense 14 22 3 5 14 28 44 -16 21

 

JOGO DO TITULO

12 de maio de 2002 América 0 – 1 Ituano Teixeirão, São José do Rio Preto
Público:
Árbitro: Romildo Corrêa
Silvinho Gol marcado aos 85 minutos de jogo 85′
América Ituano
Edney
Gílson
Penalizado com cartão amarelo   Cláudio
Carlão
Guilherme;
Perivaldo
Batata
Almir
Toninho
Penalizado com cartão amarelo   (Barole);
Reinaldo
(Benê)
Paulinho
(Tales)

Técnico: Márcio Rossini

André Luiz
Giuliano
Vinícius
Erivélton
Lúcio;
Everaldo
Richarlyson
(André Bocão)
Élson
Tita
(Silvinho);   Gol marcado
Penalizado com cartão amarelo   Basílio
Fernando Gaúcho
(Lelo)
Técnico: Ademir Fonseca

Por Cleber Aguiar – Grêmio demite Júlio Camargo e deve fechar com Celso Roth

Fonte: Gazetaesportiva

Veja o Empate entre Grêmio e Galo

Do correspondente Valter Junior Porto Alegre (RS)
 A convicção dos dirigentes do Grêmio em Júlio Camargo durou um mês. Os maus resultados em um curto espaço de tempo fizeram com que os dirigentes promovessem a segunda troca de técnico em pouco mais de 30 dias. Celso Roth está próximo de ser anunciado como o novo treinador. O anuncio ocorrerá nas próximas horas.

Camargo assumiu em 2 de julho no lugar de Renato Gaúcho. Em seis jogos, seu time venceu uma vez (Coritiba), perdeu duas (Flamengo e Cruzeiro) e empatou três (América-MG, Figueirense e Atlético-MG), marcando cinco gols e sofrendo sete.

Mesmo que o diretor executivo de futebol Paulo Pelaipe, contratado no começo da semana, tenha indicado o treinador, ele não demorou para demiti-lo.

“Técnico vive de resultados. As vitórias são importantes. Ele está fazendo o trabalho com o apoio da direção”, declarou o dirigente após o empate por 2 a 2 com o Atlético-MG, na quarta-feira, deixando transparecer sua ideia de mudança. A decisão da troca no comando ocorreu na madrugada de quinta-feira.

Celso Roth terá mais uma passagem pelo clube. A última ocorreu em 2008-2009. Na primeira, em 1998, Roth pegou uma equipe na zona de rebaixamento e terminou entre os oito primeiros colocados, avançando à segunda etapa do Campeonato Brasileiro. No momento, o Grêmio ocupa a 15ª posição, a um ponto da zona do rebaixamento.

As mudanças irão se estender em outras áreas. As constantes lesões musculares minaram o trabalho de Flávio de Oliveira. Paulo Paixão está próximo de voltar a ser o preparador físico do Tricolor, onde teve diversas passagens.

Por Cleber Aguiar – Tinha mais de 30 camisas do Galo

Fonte: Folha de São Paulo

Felipe Henrique da Silva (1986-2011)

Andressa Taffarel

Assim como boa parte dos meninos brasileiros, Felipe Henrique da Silva queria ser jogador de futebol. Dono de mais de 30 camisas do Atlético-MG, seu sonho era defender as cores do Galo.
Mas, após fazer alguns testes, sem sucesso, resolveu criar, há cerca de seis anos, seu próprio time: o Montreal.
A equipe contava com os amigos de pelada da rua. Já a segunda formação ganhou o reforço de garotos de outras partes do bairro onde ele morava, em Belo Horizonte.
A mais nova camisa da equipe deveria ter sido apresentada à torcida num jogo em maio. A partida, no entanto, acabou cancelada.
Uma semana depois, Felipe, que concluía o tratamento de uma leucemia descoberta dois anos e meio atrás, foi internado -outra forma da doença se manifestara.
Nos 68 dias em que ficou hospitalizado, ele nunca desanimou, segundo o pai, Maurício. “Estava sempre sorrindo, acreditava que conseguiria se curar novamente.”
À procura de doadores de medula, no hospital escreveu um e-mail descontraído -começava com um “Fala, moçada!”- para os colegas do curso de ciência da computação da PUC Minas.
A mensagem acabou se tornando uma grande campanha pela internet para ajudá-lo. Por causa dela, no dia 21, recebeu uma visita surpresa do ex-jogador do Atlético-MG Marques, de quem era fã.
Sem conseguir um doador, morreu na segunda-feira (25), aos 25 anos. Deixa pais e o irmão, Rafael. Foi enterrado em BH, com a bandeira do Galo e sob aplausos dos jogadores do Montreal, todos vestidos com o novo uniforme.

coluna.obituario@uol.com.br

ICFUT Veja o Dossiê do Atlético Mineiro !

Fonte: Lancenet.com.br

Dossiê da unificação: brecha para títulos em 1920 e 1937

Argumentos do documento entregue à CBF podem beneficiar Atlético-MG e Paulistano

Jogo do título de 1937 (Crédito: Divulgação) Jogo do título de 1937 (Crédito: Divulgação)

Daniel Leal e Leo Burlá

O dossiê entregue à CBF pela unificação dos títulos brasileiros a partir de 1959 pode abrir brecha para que dois torneios anteriores também sejam reconhecidos como campeonatos nacionais. As competições, disputadas em 1920 e 1937, possuem as características semelhantes às da Taça Brasil e do Torneio Roberto Gomes Pedrosa, cujos vencedores, ainda esta semana, poderão ser reconhecidos como campeões brasileiros.

O caso mais interessante é o de 1937. No início daquele ano, foi disputado o Torneio dos Campeões de 1936, organizado pela Federação Brasileira de Football (FBF), embrião da Confederação Brasileira de Desportos (CBD), atual CBF. Segundo o próprio dossiê, ao qual o LANCENET! teve acesso com exclusividade, o objetivo da competição era “definir um campeão nacional”.

A FBF convidou clubes de todo o Brasil, mas apenas quatro aceitaram participar: Atlético-MG, Fluminense, Portuguesa e Rio Branco-ES. Disputado no sistema de pontos corridos, em dois turnos, o torneio teve como vencedor o Galo.

O que o dossiê diz…
“O primeiro campeonato nacional de
clubes oficial, já que foi organizado pela
Confederação Brasileira de Desportos,
ocorreu em agosto de 1920, no Estádio
das Laranjeiras, ou Estádio de Álvaro
Chaves, de propriedade do
Fluminense Football Club(…)”
O Paulistano, campeão do Torneio
dos Campeões de 1920, é apontado
como “primeiro campeão nacional”.
“Em 1936, a CBD organizou o ‘Torneio
dos Campeões Estaduais’, cujo objetivo
era definir um campeão nacional.
Participaram Fluminense, Atlético Mineiro,
Portuguesa de Desportos e, representando
o Estado do Espírito Santo, o Rio Branco.
Foram também convidados, mas não
enviaram representantes os Estados de
Minas Gerais, Rio Grande do
Sul e do Nordeste.”
Vencedor em 1937, o Galo teria
conquistado o título em 1936,
segundo diz equivocadamente o
documento, que também erra ao
afirmar que não houve representante
de Minas Gerais.

Na época, a imprensa esportiva exaltou a conquista. O “Jornal dos Sports” escreveu: “O Athletico levantou o título de campeão do primeiro certame entre clubes campeões regionais que a Federação Brasileira de Football instituiu para o corrente ano”.
O diário “A Noite” destacou a importância da competição, como “o título máximo da FBF”.

Assim como a Taça Brasil e o Robertão, o Torneio dos Campeões permaneceu vivo na memória dos torcedores durante décadas.

– É bicampeão! Um timaço, um timaço (o de 1937) – afirmou ao “Jornal do Brasil” o folclórico torcedor José Gomes Ribeiro, o Sempre, após o Atlético-MG conquistar o título do Brasileirão de 1971, em dezembro daquele ano.

Primeiro Brasileirão
Em agosto de 1920, foi disputado o que seria o primeiro campeonato nacional de clubes. Organizado pela FBF, o torneio reuniu os campeões carioca (Fluminense), gaúcho (Brasil-RS) e paulista (Paulistano). Este último acabou campeão, vencendo suas duas partidas no triangular. O Paulistano encerrou suas atividades futebolísticas em 1929.

Por Cleber Aguiar – Dorival Junior elogia Galo por rapidez nas contratações !

Fonte: Gazetaesportiva.net

Dorival ficou surpreso com rapidez da diretoria nas contratações

Belo Horizonte (MG)

De acordo com o diretor de futebol do Atlético-MG, Eduardo Maluf, o técnico Dorival Junior se surpreendeu com a rapidez da diretoria alvinegra em fechar as contratações que ele pediu. Até agora, o Galo acertou com o lateral direito Patric, os volantes Richarlyson e Toró, além do atacante Magno Alves.

“Conversamos com o Dorival e ele disse: Maluf, saí e deixei oito nomes, pensando que a gente talvez não conseguisse ter todo mundo na pré-temporada, e com 10 dias vocês contrataram 80% de tudo aquilo que eu queria”, revelou o dirigente à Rádio Globo.

Patric, Toró e Richarlyson tiveram 50% dos seus direitos federativos adquiridos pelo Atlético-MG, e assinaram contratos de quatro, três e dois anos, respectivamente. Já Magno Alves, fica por apenas uma temporada, até o final de 2011. “Nós agimos tranquilos, sem falar, mas fizemos boas contratações de jogadores que outros clubes queriam”, analisou.

Segundo Maluf, os outros nomes pedidos por Dorival já estão bem encaminhados e a próxima novidade pode ser o meia Wesley, que disputou o Brasileirão deste ano com o Grêmio-SP.