ICFUT – Romário critica Felipão e CBF em rede social: ‘Meu sentimento é de revolta’

Fonte: lancenet

Deputado federal fala de ‘falta de atitude’ de Felipão e afirma que ‘Marin e Del Nero tinham que estar na cadeia’. Texto do Baixinho ainda revela muito dos bastidores do Mundial

Romário (Foto: Agencia Câmara)Romário não poupou críticas a CBF e ao futebol brasileiro (Foto: Agencia Câmara)

A goleada histórica aplicada pela Alemanha no Brasil (7 a 1) não repercurtiu apenas questões táticas do time de Felipão. Romário, craque da conquista do tetra em 1994 e deputado federal, publicou um texto fazendo diversas críticas que vão desde o técnico Felipão até a presidente Dilma Rousseff.
Logo no início, Romário relembra de sua frase dita há algum tempo: "Fora de campo, já perdemos a Copa de goleada". Antes de começar suas críticas a parte política, o ex-atacante reconhece a superioridade da Alemanha e logo depois critica o time do Brasil, além do técnico Felipão:
"Ninguém há de questionar a superioridade do futebol alemão já há alguns anos."
"A chuva de gols foi apenas reflexo do pânico, da incapacidade de reação dos nossos jogadores e da falta de atitude do treinador de mudar o time."
O Baixinho ainda diz estar revoltado e então começa a atacar a CBF e alguns personagens políticos do Brasil, entre eles, o ministro do esporte Aldo Rebelo e a presidente Dilma Rousseff.
"A Confederação Brasileira de Futebol, uma instituição corrupta gerindo um patrimônio de altíssimo valor de mercado."
"Nunca tive o apoio da presidenta do País, Dilma Rousseff, ou do ministro do Esporte, Aldo Rebelo."

Já na parte final do texto, depois de citar nomes de outros deputados e reclamar por não receber nenhum tipo de apoio, Romário fala pessoalmente do presidente e do futuro mandatário da CBF, José Maria Marin e Marco Polo Del Nero, repectivamente. Para Romário, ambos "tinham que estar era na cadeia!"
Para encerrar, o Baixinho cita que Cafu foi expulso do vestiário pela CBF, fala do superfaturamento dos estádios construídos, mas fala da felicidade do povo brasileiro:
"Mostramos para o mundo que com toda nossa dificuldade, somos um povo feliz. Essa será a taça da vergonha."
CONFIRA NA ÍNTEGRA O TEXTO PUBLICADO POR ROMÁRIO:
"Galera,
passado o luto das primeiras horas seguidas da derrota, vamos ao que verdadeiramente interessa! Quem tem boa memória, vai lembrar da minha frase: Fora de campo, já perdemos a Copa de goleada!
Infelizmente, dentro de campo, não foi diferente.
Ontem foi um dia muito triste para nosso futebol. Venceu o melhor e ninguém há de questionar a superioridade do futebol alemão já há alguns anos. Ainda assim, o mundo assistiu com perplexidade esta derrota, porque nem a Alemanha, no seu melhor otimismo, deve ter imaginado essa vitória histórica.
Porém, se puxarmos da memória, vamos lembrar que nossa seleção já não vinha apresentando nosso melhor futebol há muito tempo. Jogamos muito mal. Infelizmente, levamos sete e, por mais que isso cause mal-estar, devemos admitir que a chuva de gols foi apenas reflexo do pânico, da incapacidade de reação dos nossos jogadores e da falta de atitude do treinador de mudar o time.
Vivemos uma crise no nosso esporte mais amado, chegamos ao auge dela. Acha que isso é problema só dos jogadores ou do Felipão? Nem de longe.
Nosso futebol vem se deteriorando há anos, sendo sugado por cartolas que não têm talento para fazer sequer uma embaixadinha. Ficam dos seus camarotes de luxo nos estádios brindando os milhões que entram em suas contas. Um bando de ladrões, corruptos e quadrilheiros!
O meu sentimento é de revolta.
Estou há quatro anos pregando no deserto sobre os problemas da Confederação Brasileira de Futebol, uma instituição corrupta gerindo um patrimônio de altíssimo valor de mercado, usando nosso hino, nossa bandeira, nossas cores e, o mais importante, nosso material humano, nossos jogadores. Porque não se iludam, futebol é negócio, business, entretenimento e move rios de dinheiro. Nunca tive o apoio da presidenta do País, Dilma Rousseff, ou do ministro do Esporte, Aldo Rebelo. Que todos saibam: já pedi várias vezes uma intervenção política do Governo Federal no nosso futebol.
Em 2012, eu apresentei um pedido de CPI da CBF, baseado em um série de escândalos envolvendo a entidade, como o enriquecimento ilícito de dirigentes, corrupção, evasão de divisas, lavagem de dinheiro e desvio de verba do patrocínio da empresa área TAM. O pedido está parado em alguma gaveta em Brasília há dois anos. Em questionamento ao presidente da Câmara dos Deputados, sr. Henrique Eduardo Alves, mas ouvi como resposta que este não era o melhor momento para se instalar esta CPI. Não concordei, mas respeitei a decisão. E agora, presidente, está na hora?
Exceto por um vexame como o de ontem, o Brasil não precisaria se envergonhar de uma derrota em campo, afinal, derrotas fazem parte do esporte. Mas vergonha mesmo devemos sentir de ter uma das gestões de futebol mais corruptas do mundo. A arrogância dessa entidade é tão grande que até o chefe da assessoria de imprensa chega ao absurdo de bater em um atleta de outra seleção, como fez o Rodrigo Paiva contra um jogador do Chile Pinilla. Paiva pegou quatro jogos de suspensão e foi proibido de acessar o vestiário dos jogadores. Este ato foi muito simbólico e diz muito sobre eles. O presidente da entidade, José Maria Marin, é ladrão de medalha, de energia, de terreno público e apoiador da ditadura. Marco Polo Del Nero, seu atual vice, recentemente foi detido, investigado e indiciado pela Polícia Federal por possíveis crimes contra o sistema financeiro, corrupção e formação de quadrilha. São esses que comandam o nosso futebol. Querem vergonha maior que essa?
Marin e Del Nero tinham que estar era na cadeia! Bando de vagabundos!!!
A corrupção da CBF tem raízes em todos os clubes brasileiros, vale lembrar que são as federações e clubes que elegem há anos o mesmo grupo de cartolas, com os mesmos métodos de gestão arcaicos e corruptos implementados por João Havelange e Ricardo Teixeira e mantidos por Marin e Del Nero. Vale lembrar, que estes dois últimos mudaram o estatuto da entidade e anteciparam a eleição da CBF para antes da Copa. Já prevendo uma possível derrota e a dificuldade que eles teriam de se manter no poder com um quadro desfavorável.
E os clubes? Sim, eles também são responsáveis por essa crise. Gestões fraudulentas, falta de investimento na base, na formação de atletas. Grandes clubes brasileiros estão falindo afogados em dívidas bilionárias com bancos e não pagamentos de impostos como INSS, FGTS e Receita Federal.
E toda essa má gestão que tem destruído o nosso futebol, infelizmente, tem sido respaldada há anos pelo Congresso Nacional com anistias e mais anistia destes débitos. Este ano tivemos mais um projeto desses vexatórios para salvar os clubes. Um projeto que previa que clubes pagassem apenas 10% de suas dívidas e investissem 90% restante em formação de atletas. Parece até deboche. Uma soma de aproximadamente R$ 4 bilhões ou muito mais, não se sabe ao certo. Corajosamente, o deputado Otávio Leite, reconstruiu o texto e apresentou uma proposta honesta estruturada em responsabilidade fiscal, parcelamento de dívidas e a criação de um fundo de iniciação esportiva, com obrigações claras para clubes e CBF.
Em resumo, a nova proposta além de constituir a Seleção Brasileira de Futebol e o Futebol Brasileiro como Patrimônio Cultural Imaterial – obrigava a CBF a contribuir com alíquota de 5% sobre as receitas de comercialização de produtos e serviços proveniente da atividade de Representação do Futebol Brasileiro nos âmbitos nacional e internacional. O tributo também incidiria sobre patrocínio, venda de direitos de transmissão de imagens dos jogos da seleção brasileira, vendas de apresentação em amistosos ou torneios para terceiros, bilheterias das partidas amistosas e royalties sobre produtos licenciados. O valor seria destinado a um fundo de iniciação esportiva para crianças e jovens de todo o Brasil. Esses e outros artigos dariam responsabilidade à CBF, punição à entidades e outros gestores do futebol, a CBF estaria sujeita a fiscalização do TCU e obrigada a ter participação de um conselho de atletas nas decisões.
Mas este texto infelizmente não foi para a frente. Sete deputados alemães fizeram os gols que desclassificaram nosso futebol e nos tirou a chance de moralizar nosso esporte. Estes deputados, como todos sabem, fazem parte da Bancada da CBF, mudei o nome porque Bancada da Bola é muito pejorativo para algo que amamos tanto. Gosto de dar os nomes: Rodrigo Maia (DEM -RJ), Guilherme Campos (PSD-SP), Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP), José Rocha (PR-BA) , Vicente Cândido (PT-SP), Jovair Arantes (PTB-GO) e Valdivino de Oliveira (PSDB-GO).
Essa partida ainda pode ser revertida com a votação do projeto no Plenário da Câmara. Será que esses sete deputados voltarão a prejudicar o nosso futebol?
O futebol brasileiro tomou uma goleada e a derrota retumbante, infelizmente, não foi só em campo. Nem sequer tivemos o prazer de jogar no Maracanã, um templo do futebol mundial, reformado ao custo de mais de R$ 1 bilhão. Acha que foi porque não chegamos a final? Não. Poderíamos ter jogado qualquer outro jogo lá. A resposta disso é ganância e arrogância. É a CBF que escolhe onde o Brasil vai jogar, mas, obviamente, poderia ter tido interferência do Ministério do Esporte e da presidência da República, mas nenhum destes se manifestou. Quem levou com essas escolhas?
Para fechar com chave de ouro, a CBF expulsou do vestiário Cafú, capitão de seleção do pentacampeaonato. Cafú foi expulso do vestiário enquanto cumprimentava os jogadores ontem. Este é o retrato do nosso futebol hoje, não honramos a nossa história.
Dilma tem sim que entregar a taça para outra seleção. Este gesto será o retrato do valor que ela deu ao nosso futebol nos últimos anos! Eles levarão a taça e nós ficaremos com nossos estádios superfaturados e nenhum legado material, porque imaterial, mostramos para o mundo que com toda nossa dificuldade, somos um povo feliz.

Essa será a taça da vergonha."

Por Cezar Alvarenga – Seleção Brasileira é convocada para a Copa 2014.

Nesta manhã foi convocada por Luis Felipe Scolari, os jogadores que representarão a seleção brasileira na Copa de 2014. Os convocados são:

 

Goleiros

Jéferson (Botafogo)

Júlio César (Toronto)

Victor (Atlético-MG)

 

Zagueiros

Dante (Bayern Munique)

David Luis (Chelsea)

Henrique (Nápoli)

Tiago Silva (Paris Saint Germain)

 

Laterais

Daniel Alves (Barcelona)

Maicon (Roma)

Marcelo (Real Madrid)

Maxwell (Paris Saint Germain)

 

Meio-Campo

Fernandinho (Manchester City)

Hernanes (Internazionale)

Luis Gustavo (Wolfsburg)

Oscar (Chelsea)

Paulinho (Tottenham)

Ramires (Chelsea)

William (Chelsea)

 

Atacantes

Bernard (Shakhtar Donetsk)

Fred (Fluminense)

Hulk (Zenit)

Jô (Atlético-MG)

Neymar (Barcelona)

 

 

 

ICFUT – TJ de São Paulo derruba liminar que colocaria Portuguesa na Série A

Fonte: gazetaesportiva

No mesmo dia em que a Assembleia Legislativa organiza um ato público contra a decisão do STJD de rebaixar a Portuguesa à segunda divisão, o Tribunal de Justiça do estado proferiu uma decisão que deve atrapalhar bastante os planos do clube do Canindé. O juiz Edson Luiz de Queiroz, da 5ª Câmara de Direito Privado, aprovou o recurso da CBF (Confederação Brasileira de Futebol) para uma liminar que colocaria a equipe rubro-verde na primeira divisão.

Na semana passada, a Portuguesa havia conseguido um parecer favorável do juiz da 43ª Vara Cível de São Paulo, pelo qual a CBF teria que recolocar o clube do Canindé na Série A do Campeonato Brasileiro, sob multa de R$ 500 mil por dia – caso a competição começasse sem o time rubro-verde.

A decisão do Tribunal de Justiça de São Paulo, no entanto, muda o cenário e provoca mais uma derrota da Portuguesa. Agora, a CBF não tem qualquer tipo de obrigação, e, sem perigo de pagar uma alta multa, vai manter o clube paulista na segunda divisão do Campeonato Brasileiro.

A batalha judicial, mesmo após esta decisão, ainda deve se prolongar, já que o atual presidente da Portuguesa, Ilídio Lico, já cegou a afirmar que não vai desistir do processo e deve chegar às últimas instâncias. O Superior Tribunal de Justiça (STJ) determinou que as ações sobre o caso devem ser julgadas na 2ª Vara Cível da Barra, no Rio de Janeiro.

Confira a nota oficial da CBF:

O desembargador Edson Luiz de Queiroz, da 5ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, proferiu hoje decisão sobre recurso interposto pela CBF contra decisão do juiz da 43ª Vara Cível de São Paulo que beneficiara a Portuguesa, mantendo-a na Série A, sob pena de pagamento de multa diária de R$ 500 mil. O Tribunal concedeu o efeito suspensivo requerido pela CBF, que suspende dessa forma a citada decisão do juiz da 43ª Vara Cível.

ICFUT – Manifesto de atletas pedirá exclusão de times que deverem salários

Fonte: uol

Primeira reunião presencial do Bom Senso F.C. foi realizada na última segunda-feira, em São Paulo

Primeira reunião presencial do Bom Senso F.C. foi realizada na última segunda-feira, em São Paulo

Depois da primeira reunião presencial, o Bom Senso F.C., grupo que reúne jogadores das duas primeiras divisões do futebol brasileiro, divulgou na última segunda-feira um documento com os cinco primeiros tópicos que o coletivo pretende discutir. Um desses assuntos já tem um desdobramento claro: em busca de práticas de fair play financeiro, os atletas pretendem exigir punições severas para times que tiverem dívidas salariais.

O Bom Senso F.C. foi lançado oficialmente na terça-feira da semana passada, quando 75 jogadores apresentaram um manifesto pedindo uma reunião com a CBF para discutir mudanças no futebol brasileiro. A primeira reunião aconteceu na última segunda, em São Paulo.

Depois do evento, os atletas apresentaram um plano de ação baseado em cinco tópicos: calendário, férias, pré-temporada, adoção de práticas de fair play financeiro e inclusão de jogadores em conselhos técnicos das entidades que regem o futebol.

Os três primeiros assuntos são reações do coletivo ao calendário proposto pela CBF para a temporada 2014 do futebol brasileiro. A entidade marcou o início dos Estaduais para o dia 11 de janeiro, o que obrigaria os jogadores a fracionarem férias e abdicarem da preparação no início do ano.

O primeiro foco do grupo de atletas, portanto, será uma extensa reforma no calendário. A Globo, detentora dos direitos de transmissão do futebol nacional, já sinalizou com mudanças na temporada 2015 – férias e pré-temporada de pelo menos 30 dias, por exemplo.

O assunto seguinte que os atletas pretendem atacar é a gestão. Antes da reunião de segunda-feira, os jogadores falavam em pleitear práticas de fair play financeiro, conceito difundido no futebol europeu.

A ideia inicial dos atletas era brigar por um modelo de fair play financeiro passivo (redução gradual da dívida dos clubes) ou ativo (os clubes projetariam no início do ano alguns aspectos do balanço, como gastos e custos, e teriam de cumprir esses limites). No entanto, esse espectro foi ampliado para incluir também a questão salarial.

Além do fair play financeiro, o que o grupo de jogadores pretende é exigir que os clubes cumpram obrigações salariais. Caso contrário, os atletas pleiteiam punições como multas e até a exclusão de campeonatos.

A proposta dos atletas coincide com um plano debatido fortemente na CBF desde o ano passado. A FPF (Federação Paulista de Futebol) também instituiu em 2012 uma punição para times que não pagarem salários (três pontos a menos por partida de atraso).

Ao colocar esse assunto no debate, os jogadores do Bom Senso F.C. querem mostrar que o movimento não é focado apenas nos atletas das primeiras divisões nacionais. O que os atletas pretendem não é apenas brigar por normas, mas criar mecanismos para que esses regulamentos sejam seguidos.

O Bom Senso F.C. deve encaminhar ainda nesta semana um ofício à CBF com pedido de reunião. A entidade, porém, ainda não se posicionou sobre a possibilidade.

ICFUT – CBF espera contato oficial do movimento dos jogadores

Fonte: futebolinterior

A entidade disse que, por enquanto, o que se vê é uma "ação midiática"

Rio de Janeiro, RJ, 25 (AFI) – A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) não quis se manifestar sobre o movimento dos jogadores que pede mudanças no calendário nacional. Segundo o diretor de comunicação Rodrigo Paiva, a entidade espera receber um comunicado oficial dos atletas para se posicionar sobre o assunto e agendar uma possível reunião para discutir o caso.

Nesta terça-feira, um grupo com 75 jogadores dos principais clubes do futebol brasileiro, incluindo grandes nomes como Rogério Ceni, Alexandre Pato, Dedé, Dida e Juninho Pernambucano, divulgou um comunicado para anunciar que iria agir de forma organizada para discutir o calendário do ano que vem, apresentado pela CBF na semana passada.

Na nota divulgada para a imprensa nesta terça-feira, o movimento dos jogadores reivindicou uma reunião com a CBF para tentar alterar o calendário, que prevê cinco dias de pré-temporada em 2014 se for cumprida a lei trabalhista que determina 1 mês de férias. Eles defendem também um número máximo de partidas a serem disputadas por mês.

Mas, apesar da grande repercussão do caso na imprensa, a CBF ainda espera um contato oficial do movimento dos jogadores para se posicionar. Rodrigo Paiva explicou que, por enquanto, o que se vê é uma "ação midiática". Ele ressaltou, porém, que o presidente da entidade, José Maria Marin, está sempre disposto a conversar com os atletas.

Por Cezar Alvarenga – Desvios de cotas dos amistosos da Seleção Brasileira continuam na gestão Marin.

Fonte: UOL Esportes

Estado de S. Paulo diz que valor do desvio aumentou na era Teixeira e mantido por Marin

O jornal Estado de S. Paulo apresentou denúncia, na quinta-feira, de que parte do dinheiro arrecadado com amistosos da seleção brasileira foi desviado na gestão Ricardo Teixeira. A edição desta sexta informa que o esquema ilegal prossegue sob o comando de José Maria Marin.

De acordo com a publicação, pouco antes de renunciar à presidência da CBF (março de 2012), Teixeira prolongou do contrato por 10 anos com a ISE, empresa localizada no paraíso fiscal Ilhas Cayman e acusada de repassar ilegalmente verba referente a jogos da seleção.

A atual gestão manteve a operação financeira arquitetada por Teixeira. Marin afirma desconhecer o assunto.

Um documento obtido pelo jornal mostra que a ISE mudava o destino de parte da arrecadação com venda de amistosos. Por cada amistoso, a CBF deveria ficar com US$ 1,65 milhão (R$ 3,886 milhões).

Mas a entidade ficava sem receber, em média, US$ 450 mil (cerca de R$ 1 milhão), valor repassado da ISE para a Uptrend, que tem como sócio o presidente Sandro Rossell, amigo de Teixeira.

O acordo com a ISE foi firmado por Teixeira em 2006, vigorando desde então.

De acordo com o Estado de S. Paulo, Teixeira também teria feito outro esquema ilícito antes de deixar o cargo. Além de renovar o vínculo com a ISE por um valor inferior ao contrato anterior, o então presidente teria aumentado o valor que seria desviado: de US$ 450 mil para US$ 800 mil por amistoso.

Teixeira volta ao país

Ricardo Teixeira chegou ao país na quinta-feira após um vivendo em Miami. O jornal informa que o ex-presidente da CBF para recolher cerca de R$ 30 milhões da entidade que estão presos no Banco Rural.

 

Por Cezar Alvarenga – Após novo sorteio foram definidos os mandantes da Copa do Brasil 2013.

Fonte: MSN Esportes

A CBF definiu, em breve sorteio realizado na tarde desta terça-feira, os mandos de campo das oitavas de final da Copa do Brasil. Realizado de forma dirigida, para impedir que a mesma cidade tenha que receber dois jogos no mesmo dia, o sorteio definiu que Corinthians, Grêmio, Salgueiro, Atlético-PR, Goiás, Vasco, Atlético-MG e Flamengo vão ter o direito de definir os confrontos como mandantes.

 

O primeiro sorteio envolveu os jogos Corinthians x Luverdense e Palmeiras x Atlético-PR, com os dois paulistas sendo colocados em posições antagônicas. Um mandaria a primeira em casa, o outro decidiria como mandante. Melhor para o Corinthians, que vai ao Mato Grosso na semana dos dias 21 e 22 e receberá a Luverdense na semana seguinte. O Palmeiras faz o caminho contrário contra o Atlético-PR.

 

Em seguida foi a vez dos gaúchos. E quem se saiu melhor foi o Grêmio, que decidirá contra o Santos em casa. O Inter, por outro lado, vai fazer o segundo jogo contra o Salgueiro em Pernambuco.

 

Do outro lado da chave estão todos os cariocas. No terceiro sorteio foi definido que o Fluminense decidirá fora de casa contra o Goiás. Por isso, o Vasco vai poder fazer o segundo jogo da sua série contra o Nacional-AM em São Januário. Por fim, nos confrontos Rio x Minas Gerais, se deram bem Atlético-MG e Flamengo, que vão poder decidir nos seus estádios os respectivos confrontos contra Botafogo e Cruzeiro.

 

Os confrontos já haviam sido definidos num sorteio realizado no começo da tarde, faltando apenas a definição dos mandos de campos. As oitavas de final da Copa do Brasil, quando entram os times que disputaram a Libertadores e o Vasco (substituto do São Paulo, que tem que disputar a Sul-Americana), terão jogos de ida em 21 e 22 de agosto e volta em 28 e 29 do mesmo mês.

 

Confira como serão os jogos de ida da Copa do Brasil:

 

Luverdense x Corinthians

Santos x Grêmio

Internacional x Salgueiro

Palmeiras x Atlético-PR

Fluminense x Goiás

Nacional-AM x Vasco

Botafogo x Atlético-MG

Cruzeiro x Flamengo

Por Cezar Alvarenga – Em jogo morno, Brasil vence a França por 3 a 0 e encerra jejum contra seleções campeãs do mundo.

Fonte: ESPN.com.br

Não foi uma exibição de gala, apesar do placar. Mas pelo menos a seleção brasileira acabou neste domingo, em Porto Alegre, com a sina de não conseguir vencer rivais de tradição.

Com gols de Oscar, que mais uma vez foi melhor que Neymar, Hernanes e Lucas (seu primeiro tento em 2013), o time de Felipão venceu a França por 3 a 0, no último teste antes na estreia da Copa das Confederações.

Desde o final de 2009, quando ganhou da Inglaterra, o Brasil não sabia o que era vencer um time campeão mundial. Fez isso contra uma equipe francesa esfacelada e em forte crise técnica (é apenas a 18ª colocada no ranking da Fifa, quatro postos acima dos brasileiros). O triunfo também encerrou um jejum de 21 anos sem ganhar da seleção francesa.

Foi só a segunda vitória em sete jogos do time nacional sob o comando de Felipão. No anúncio das escalações, o mais aplaudido foi o treinador, que é gaúcho. E o jogo também começou com a torcida tendo motivos para se animar.

Com menos de dois minutos, o Brasil teve duas chances de marcar, uma com Neymar, depois de trapalhada do goleiro Lloris, e outra com Fred. Mas logo a torcida gaúcha confirmou a fama de ter pouca paciência com a seleção.

Nos primeiros erros de passe de Luiz Gustavo, já se ouviam pedidos por Fernando, volante do Grêmio. E antes dos 15min era a França que mais atacava, com Benzema se deslocando e confundindo a marcação brasileira.

Em um contra-ataque, Neymar foi parado com falta na entrada da área. Infração perigosa que ele mesmo bateu, mas com a mesma incompetência nas bolas paradas que é a marca desta nova era Felipão.

Jogando pelo lado direito do ataque, Hulk, mais uma vez sob desconfiança da torcida, era o brasileiro que criava as melhores jogadas. E com elas o Brasil não conseguiu abrir o placar no primeiro tempo, mas pelo menos foi para o intervalo sob aplausos.

Os dois times voltaram para o segundo tempo sem alterações. E a metade final do jogo começou novamente com Hulk sendo o mais inspirado atacante brasileiro.

Mas ele não participou do lance que colocou o Brasil em vantagem. Aos 9min, Luiz Gustavo roubou uma bola, com falta para os franceses, e tocou para Fred, que cruzou para Oscar dominar e chutar para marcar o primeiro gol.

O jogo, que até então era equilibrado, deu a impressão que teria amplo domínio brasileiro. Mas não foi o que aconteceu. A França partiu para cima e, com David Luiz desatento, teve duas chances seguidas para empatar.

Felipão resolveu então reforçar a marcação. Fernando, o mais pedido pela torcida, entrou na vaga de Oscar. Aplausos para a entrada do primeiro e vaias para a saída do segundo. Além dessa troca, Lucas entrou no posto de Hulk.

E o Brasil conseguiu acabar o jogo tranquilo, depois do segundo gol aos 38min, em jogada trabalhada que acabou com Neymar ajeitando para Hernanes chutar e vencer Lloris. Nos acréscimos, Marcelo avançou da esquerda para a direita e, ao tentar se livrar da marcação, acabou derrubado dentro da área. Lucas, em cobrança de pênalti, fez o terceiro, o seu primeiro gol no ano. Logo depois do jogo, os atletas da seleção entram em folga. A reapresentação é na noite desta segunda-feira, em Goiânia, onde o time treinará até quarta-feira. De lá, vai de ônibus até Brasília, palco da estreia na Copa das Confederações contra o Japão, no sábado.

GALERIA Meião rasgado, gols de ex-são-paulinos e torcida na Arena, veja as melhores imagens de Brasil 3 x 0 França

FICHA TÉCNICA:

BRASIL 3 X 0 FRANÇA

Data: domingo, 9 de junho de 2013

Local: Arena Grêmio, em Porto Alegre

Árbitro: Victor Carrilo (PER)

Público pagante: 51.693 pagantes

Renda: R$ 6.833.515,00.

Cartões Amarelos: David Luiz (BRA)

Gols: Oscar, aos 9min, Hernanes aos 38min e Lucas aos 47min  do segundo tempo

Brasil: Júlio César; Daniel Alves, Thiago SIlva, David Luiz e Marcelo; Luiz Gustavo (Hernanes), Paulinho (Dante) e Oscar (Fernando); Neymar (Bernard), Fred (Jô) e Hulk (Lucas)

Técnico: Luiz Felipe Scolari

França: Lloris; Debuchy, Rami, Sakho e Matthieu; Cabaye (Gomis), Matuidi (Grenier), Guilavogui; Payet e Valbuena (Giroud); Benzema (Lacazette).

Técnico: Didiers Deschamps

ICFUT – Pressão cresce e ameaça poder de José Maria Marin na CBF

Fonte: lancenet

 

Presidente sofre ataques por seu envolvimento com a ditadura militar, por críticas ao ministro do Esporte e pelo atraso das obras da Copa

José Maria Marin (Foto: Mowa Press)
José Maria Marin tem sofrido pressão de todos os lados (Foto: Mowa Press)

As declarações de Ronaldo – membro do Comitê Organizador Local da Copa de 2014 – que em entrevista ao "O Globo" defendeu a saída de José Maria Marin da presidência da CBF, intensificaram a movimentação dos que vêm pedindo a mudança de comando das duas entidades. Nos últimos meses, o desgaste do cartola tem se acentuado principalmente pela ligação de seu nome com a prisão e morte do jornalista Vladimir Herzog, durante a ditadura militar, e a divulgação de fitas gravadas em que ele critica o ministro do Esporte Aldo Rebelo, afirmando que ele não tem poder e nada decide no governo.

No próximo dia 19, os presidentes das 27 federações estaduais estão convocados a participarem de uma assembleia geral da CBF. Foi num evento como esse que Ricardo Teixeira, pressionado pelas denúncias de corrupção e sem apoio do governo brasileiro ou da Fifa, anunciou a sua renúncia, abrindo caminho para a ascensão de Marin. Um presidente de Federação ouvido peloLANCE!Net afirma que "ainda é prematuro julgar que alguma coisa semelhante possa ocorrer agora", mas admite que as pressões em torno do presidente da CBF e do COL estão crescendo "além do esperado para um período de véspera de Copa das Confederações".

Por mais que não haja sinais claros de uma oposição a Marin na CBF, a situação do cartola já não é tão cômoda. Há algumas semanas, o presidente da Federação Pernambucana de Futebol, Evandro Barros Carvalho, tentou articular uma carta desagravo em favor do presidente, no mesmo momento em que crescia o movimento "Fora, Marin", patrocinado pelo deputado Romário (PSB-RJ), presidente da Comissão de Esporte e Turismo da Câmara. A falta de apoio dos colegas presidentes de federações, contudo, fez Carvalho desistir da ideia e a carta sequer chegou a ser redigida.

Romário tem sido peça chave na campanha contra Marin. O ex-jogador não poupa críticas ao andamento das obras de preparação para a Copa de 2014, atribuindo ao COL e à gestão de Marin boa parte dos problemas que, segundo ele, podem comprometer o evento e a credibilidade do país no exterior. Em outra frente, o deputado e o filho de Herzog, Ivo, entregaram na segunda-feira passada na sede da CBF uma petição intitulada "Fora, Marin", pedindo a saída do dirigente com o apoio de 54 mil assinaturas coletadas na Intenet.

O mesmo presidente de federação ouvido pelo LANCE!Net – e que faz questão de dizer que não é a favor da destituição de Marin – diz que "essa briga política" pode ser considerada hoje a maior ameaça à sobrevivência de Marin no COL e na CBF:

– O presidente abriu o leque de seus inimigos. Não estão apenas dentro do esporte, esse pessoal ligado aos direitos humanos e à luta contra os efeitos da ditadura é muito mais ativo. Eles são mais mobilizadores e gritam mais alto.

Na avaliação desse dirigente, isso pode aumentar as pressões do governo federal – já insatisfeito com o imobilismo do COL e as críticas a Aldo – e levar uma aliança com a Fifa para destituir Marin da organização da Copa de 2014.