ICFUT – Damião espanta má fase, participa de quatro gols e dá título do turno ao Inter

Fonte: lancenet

Centroavante faz dois em goleada por 5 a 0 sobre o São Luiz, após dois jogos sem marcar, e comanda time colorado. Jogo foi típico de Gauchão, com barro e estádio acanhado

São Luiz-RS x Internacional (Foto: Ricardo Rímoli/LANCE!Press)
Forlán passou em branco em vitória do Inter sobre o São Luiz, mas teve atuação regular (Foto: Ricardo Rímoli/LANCE!Press)

Tudo que um jogo do típico Campeonato Gaúcho do imaginário dos torcedores aconteceu. Teve gramado ruim do Estádio 19 de Outubro, com barro de sujar uniforme. Teve estádio acanhado, para pouco mais de cinco mil torcedores. E teve o favorito vencendo na final da Taça Piratini. O Internacional bateu o São Luiz por 5 a 0, com gols de Leandro Damião, duas vezes, Gabriel, D’Alessandro e Rafael Moura e tirou a invencibilidade de Paulo Porto no comando da equipe de Ijuí. O camisa 9 foi o grande destaque colorado, ao participar dos quatro gols da partida, já que não marcava há dois jogos.

O Inter venceu o primeiro turno do Gauchão depois de três anos sem conquistar esta taça. Em 2009, com Tite, ganhou os dois turnos e sagrou-se campeão estadual. Em 2010, em 2011 e em 2012, porém, não havia tido o gosto da conquista. Os colorados fizeram mais gols em um jogo que o São Luiz havia tomado desde que Porto entrou no comando, na terceira partida do turno.

O Campeonato Gaúcho retorna no próximo fim de semana com a Taça Farroupilha, o segundo turno da competição, quando os times se enfrentam dentro do grupo – na Piratini, os duelos são com os times da outra chave. O Inter inicia a competição contra o Canoas, no Complexo Esportivo da Ulbra, domingo, às 16h. Já o São Luiz enfrenta o São José, em Ijuí, às 18h30 do mesmo dia.
EIS O GAUCHÃO

A rotina foi de chuva nos últimos dias em Ijuí. Isso prejudicou as condições do gramado do palco da decisão. O sol, porém, reinou na hora do partida, o que diminuiu um pouco os problemas – secou as poças d’água, embora isto tenha deixado o barro evidente. Em casa, o São Luiz tentou se impor nos minutos iniciais e apareceu constantemente no campo de ataque. Somou dos escanteios antes dos 10 minutos iniciais. Foi o melhor período dos donos da casa na etapa inicial. Ao perder chance com Josimar, de dentro da área, o Inter tomou as rédeas da partida e passou a exercer o domínio esperado.

Forlán teve participação destacada, mas desta vez nos passes. Foi o uruguaio que deixou o volante na cara de Oliveira. Foi também ele que finalizou cruzamento de Leandro Damião, de cabeça. Foi o camisa 7 que bateu falta rápida e achou D’Alessandro livre, livre, pela esquerda. O camisa 10 cruzou no segundo poste, com açúcar, mas Damião perdeu dentro da pequena área. Algo comum nos últimos jogos, já que o camisa 9 vinha sendo cobrado nas últimas partidas.

O centroavante, porém, se redimiu nos minutos seguintes. Aos 31 minutos, o 9 voltou a marcar, após três jogos. Recebeu de Josimar, que fez boa partida em sua primeira decisão com a camisa colorada, e na meia direita, girou sobre a marcação e arrematou forte no canto esquerdo de Oliveira para abrir o placar para o Internacional.

Com maior qualidade, a vantagem foi determinante. O Inter se manteve no controle da partida e seguimos em cima do São Luiz, que pouco conseguiu criar. Marcos Paraná, o centro do meio-campo montado por Paulo Porto, se preocupou mais em discutir com D’Alessandro do que achar companheiros na cara do gol.

Antes do apito final da primeira etapa, Gabriel desencantou com a camisa do Inter. Sempre um lateral ‘goleador’, marcou seu primeiro no novo clube aos 43, quando pegou rebote de cruzamento de Damião, que chegaria em Forlán, e bateu alto para vencer Oliveira.
DAMIÃO, MAIS UMA VEZ

Se no intervalo D’Alessandro voltou afirmando que a equipe precisava fazer mais um para matar o jogo, nada mais justo do que ele ser agraciado com tal feito. Logo aos 11 minutos, o camisa 10 acionou Leandro Damião pela esquerda e correu para dentro da área. O centroavante, que participou de todos os gols colorados, escorou para o argentino deslocar Oliveira e fazer o terceiro.

Antes, Juan havia salvo o Inter com um carrinho. Eraldo tentou a finalização, mas o zagueiro chegou no momento certo e evitou o gol. O primeiro chute a gol do São Luiz aconteceu aos 16 minutos, com Juba, de fora da área. Muriel caiu e espalmou para o lado, em sua primeira defesa em toda a partida.
E ficou para o final o mais bonito. Leandro Damião deixou o seu segundo na partida. Dominou na meia esquerda após lançamento longo de Diego Forlán. O camisa 9 olhou para o goleiro rival e bateu em curva, por cobertura. A bola chegou a desviar em Marcel e entrou no ângulo de Oliveira: 4 a 0. Ainda antes do apito final, Rafael Moura encobriu Oliveira, marcando outro bonito gol, e fechando a goleada por 5 a 0 e e taça colorada no armário.

FICHA TÉCNICA
SÃO LUIZ 0 X 5 INTERNACIONAL

Local: Estádio 19 de Outubro, em Ijuí (RS)
Data/Hora: Domingo, 10/03/2013 – 16h
Árbitro: Leandro Vuaden
Auxiliares: Altemir Hausmann e Rafael da Silva Alves
Cartões amarelos: Marcel e Marcos Paraná (SLZ) Leandro Damião e Fred (INT)
Público total/pagante: 6.036/5.047
Renda: R$ 283.590,00
Gols: Leandro Damião – 31’/1ºT (0-1) e 34’/2ºT (0-4), Gabriel – 43’/1ºT (0-2), D’Alessandro – 11’/2ºT (0-3) e Rafael Moura – 47’/2ºT (0-5)

SÃO LUIZ: Oliveira; Júnior Barbosa, Thiago Costa, Marcel e Elton Macaé; Baiano, Chicão, Adãozinho (Washington – intervalo) e Marcos Paraná (Danilo – 30’/2ºT); Juba (Tiago Duarte – 19’/2ºT) e Eraldo – Técnico: Paulo Porto

INTERNACIONAL: Muriel; Gabriel, Rodrigo Moledo, Juan e Fabrício; Ygor, Josimar (Elton 42’/2ºT), Fred e D’Alessandro; Forlán (Caio – 34’/2ºT) e Leandro Damião (Rafael Moura – 35’/2ºT) – Técnico: Dunga.

RETRÔ ICFUT – Campeonato Gaúcho 2011

Campeão Artilheiro
Internacional
Internacional
Brasil Leandro Damião
Internacional
Atacante
1989-07-22
17 Gols

Estatísticas

Melhor Ataque Grêmio 49 Gols
Pior Ataque Porto Alegre 10 Gols
Melhor Defesa Novo Hamburgo 9 Gols sofridos
Pior Defesa Inter SM 42 Gols sofridos
Mais Goleadas São José-RS 3 Goleadas
Mais Vitórias Grêmio 13 Vitórias
Menos Vitórias Porto Alegre 1 Vitórias
Mais Empates Novo Hamburgo 9 Empates
Mais Derrotas Porto Alegre 10 Derrotas
Menos Derrotas Novo Hamburgo 2 Derrotas
Max. Jogos sem Perder Internacional 12 Jogos
Final – Piratini
9/03 – 21h50 Grêmio 2 x 2 Caxias

 

Final – Farroupilha
1/05 – 16h00 Internacional 1 x 1 Grêmio

 

Final
1ª RODADA
8/05 – 16h00 Internacional 2 x 3 Grêmio
2ª RODADA
15/05 – 16h00 Grêmio 2 x 3 Internacional

 

Semifinal
27/02 – 16h00 Grêmio 4 x 2 Cruzeiro
27/02 – 18h30 Caxias 1 x 1 São José

 

Semifinal – Farroupilha
23/04 – 18h30 Cruzeiro 2 x 3 Grêmio
24/04 – 16h00 Juventude 1 x 2 Internacional

 

Quartas-de-final
19/02 – 17h00 Internacional 1 x 1 Cruzeiro
19/02 – 20h30 Juventude 0 x 2 São José
20/02 – 16h00 Grêmio 5 x 0 Ypiranga
20/02 – 18h30 Caxias 1 x 0 Veranópolis

 

Quartas-de-final – Farroupilha
16/04 – 15h30 Cruzeiro 2 x 0 São Luiz
16/04 – 18h30 Internacional 1 x 0 Santa Cruz
17/04 – 16h00 Ypiranga 1 x 1 Grêmio
17/04 – 18h30 Juventude 3 x 0 Lajeadense

ICFUT – GAÚCHO: Com três de Borges, Grêmio vence Cruzeiro e está na final

Fonte: ig.com.br

Equipe de Renato Gaúcho aguarda adversário na decisão do primeiro turno do Gauchão

7oilgeryffqdz7a2a3rqwi76jDepois de um começo ruim e até com grande defesa de Victor, o Grêmio conseguiu confirmar a superioridade, venceu o Cruzeiro e se classificou para a final do primeiro turno do Gauchão. O eletrizante 4 a 2, na tarde deste domingo, no Olímpico, teve com principal destaque Borges, autor de três gols da vitória, totalizando cinco nas últimas três partidas, e mostrando estar totalmente recuperado de lesão na tíbia da perna esquerda.

O adversário na decisão da Taça Piratini será conhecido nesta noite. Em Caxias do Sul, o time local recebe o São José. A final está marcada para o dia 5 de março, mas deve ser transferida para o dia 9 – a Federação Gaúcha de Futebol irá oficializar a mudança na segunda-feira. Na quinta-feira, o time de Renato Gaúcho enfrenta o peruano León pela Libertadores.

O jogo

O começo da partida foi moroso. Muito lento, o Grêmio repetiu a má atuação na derrota para o Junior, em Barranquilla, na Colômbia. Sem Lúcio, Carlos Alberto se juntou a Douglas na armação das jogadas. O problema é que ele não guardava posição no meio campo e criava dificuldades no sistema de marcação gremista. O Cruzeiro fazia isto com precisão e só não marcou gol pois Victor fez grande defesa em chute de Diego Torres.

Só numa trama entre Douglas e Gabriel que o Grêmio conseguiu ter vantagem para abrir o placar. Em cruzamento do lateral-direito, Borges desviou do goleiro Márcio: 1 a 0. Em vantagem, o time de Renato desacelerou o jogo e administrou a vantagem até o intervalo.

A volta ao segundo tempo revelou um Grêmio melhor organizado. Com Gabriel e Gilson, a equipe passou a atuar pelas laterais. Em linda jogada entre Gabriel e André Lima, Borges marcou o segundo aos dez minutos. A partir daí, o Olímpico viu uma chuva de gols. Foram quatro em 20 minutos.

Jô, dois mais tarde, descontou de cabeça. Três depois, Alberto puxou Borges e cometeu pênalti. O centroavante bateu e fez o seu terceiro gol na partida.

O problema é que o Grêmio não teve sossego. Aos 18, Léo aparou de cabeça cruzamento de Diego Torres e descontou mais uma vez: 3 a 2. A partir daí, o Grêmio tomou o controle da partida. Foi ajudado pela expulsão de Alberto, aos 35. Douglas, por duas vezes, desperdiçou grande oportunidade.

No último minuto, Júnior Viçosa driblou dois marcadores e sofreu outro pênalti. Gabriel marcou, homenageou a filha Estela, e decretou o placar: 4 a 2.

Veja os gols: