ICFUT – Goleiro Bruno admite que tentou suicídio e pede para voltar a jogar

Fonte: lancenet

Mesmo na cadeia, jogador já tem contrato com o Montes Claros

Bruno Goleiro (Foto: Gualter Naves/AFP)
Bruno ainda está preso (Foto: Gualter Naves/AFP)

O goleiro Bruno concedeu uma entrevista à revista Placar, que será publicada na próxima terça-feira, mas algumas frases já foram divulgadas. O jogador, que está de contrato assinado com o Montes Claros e aguarda uma complicada liberação da Justiça, admitiu que tentou se suicidar na cadeia, aonde está condenado pelo assassinato da modelo Eliza Samudio, e pediu para voltar a jogar futebol.

– Tentei o suicídio. Amarrei o lençol na ventana, que é alta, coloquei no pescoço e saltei. Mas a corda arrebentou e eu caí no chão. Olhei para o lado e tinha uma bíblia, que um policial tinha me dado ainda no Rio de Janeiro. Foi Deus que não permitiu que eu me matasse – disse Bruno, que ainda falou sobre a vida na cadeia de Contagem (MG):

– Muita gente acha que, por ter sido jogador de futebol, eu tenho regalias aqui. E não é. Pago um preço alto pela fama. Já costurei bola aqui dentro. Tem muito jogador que gosta de colocar a culpa na bola. Mas agora eu conheço cada ponto da bola. Sei quando o cara está dando migué. A bola aqui do presídio não é ruim, não.

Bruno falou ainda sobre dinheiro. Admitiu que ainda tem uma quantia guardada, mas que não conseguiria viver como antes.

– Não estou acabado. Mas sobrou muito pouco do meu dinheiro, longe de poder levar uma vida confortável quando sair daqui – concluiu.

ICFUT – Bruno e mais 4 réus são julgados por morte e desaparecimento de Eliza

Fonte: globo

Goleiro que atuava pelo Flamengo é acusado de mandar matar ex-amante.
Segundo a polícia, crime ocorreu em 2010, mas corpo nunca foi encontrado.

29.jul.2010 - Polícia indicia Bruno e mais sete réus por cinco crimes contra Eliza Samudio e o filho dela (Foto: Pedro Triginelli/G1 MG)Ex-goleiro Bruno e mais sete réus são indiciados por cinco crimes contra Eliza Samudio e o filho dela (Foto: Pedro Triginelli/G1 MG)

Nesta segunda-feira (19), o ex-goleiro Bruno Fernandes de Souza e outros quatro réus começam a ser julgados, por júri popular, por cárcere privado e morte de Eliza Samudio, de 25 anos, ex-amante do jogador. Bruno é acusado pelo Ministério Público de ser o mandante do crime ocorrido em 2010. O julgamento acontece no Fórum de Contagem, Região Metropolitana de Belo Horizonte, em Minas Gerais.

(A partir de segunda, dia 19, acompanhe no G1 a cobertura completa do julgamento do caso Eliza Samudio, com equipe de jornalistas trazendo as últimas informações, em tempo real, de dentro e de fora do Fórum de Contagem, em Minas Gerais. Conheça os réus, entenda o júri popular, relembre os momentos marcantes e acesse reportagens, fotos e infográfico sobre o crime envolvendo o goleiro Bruno.)

A partir das 9h desta segunda-feira, sete jurados decidirão o destino dos réus, em júri presidido pela juíza Marixa Fabiane Lopes Rodrigues. A previsão é que o julgamento dure pelo menos duas semanas.

Ao todo, 30 testemunhas serão ouvidas, – cinco de acusação, que são ouvidas primeiro, e 25 da defesa- cinco de cada réu. Não há limite de tempo para cada testemunha. Depois, acusação e defesa apresentam seus argumentos. Por último, o júri se reúne em uma sala secreta para responder a quesitos formulados pelo juiz com "sim" e "não". De posse da decisão do júri, caberá à juíza decretar a soltura ou dosar pena dos réus. (Entenda como funciona o júri)

Apenas pessoas credenciadas poderão entrar no fórum, que terá reforço policial e detector de metais. Segundo o comando da Polícia Militar, de 40 a 50 policiais serão empregados na segurança todos os dias durante as duas semanas previstas de julgamento.

Segundo a Autarquia Municipal de Trânsito e Transportes de Contagem (TransCon), apenas uma pequena rua, que dá acesso ao Fórum e à Escola Municipal Dona Babita Camargos, será interditada durante todo o julgamento. As pessoas que precisarem entrar no fórum terão que usar a portaria lateral. Aqueles que precisarem chegar à escola deverão contornar o fórum pela parte de trás, seguindo as sinalizações da Transcon.

De acordo com o Ministério Público, Luiz Henrique Ferreira Romão, o Macarrão, e um primo de Bruno sequestram Eliza e o filho no Rio de Janeiro e os levaram até o sítio do goleiro, em Esmeraldas, Minas Gerais. Dayanne Rodrigues do Carmo, ex-mulher de Bruno, e Fernanda Castro, ex-namorada, também teriam participado do sequestro. O Ministério Público alega que Bruno arquitetou o crime por não querer assumir o filho que teve com Eliza nem pagar pensão alimentícia.

Eliza e o filho, segundo a Promotoria, teriam sido mantidos em cárcere privado durante sete dias. Depois foram levados por Macarrão e pelo primo do goleiro à casa do ex-policial Marcos Aparecido dos Santos, o Bola, na cidade de Vespasiano, no dia 10 de junho de 2010. Bola a teria estrangulado e sumido com o corpo, que ainda não foi encontrado.

Bruno e os demais acusados negam a versão.Mesmo sem o cadáver da vítima, o júri popular, que julga crimes contra a vida, pode acontecer graças a indícios e testemunhas.

O bebê Bruninho, filho de Eliza com Bruno, foi achado 15 dias depois, em Ribeirão das Neves, MG, na casa de conhecidos da ex-mulher do goleiro. Um exame de DNA comprovou a paternidade de Bruno, e a criança, hoje com dois anos e nove meses, vive com a avó materna em Campo Grande (MS). Sônia de Fátima Moura, que viajará até Minas Gerais para acompanhar o julgamento, disse ao G1 que espera que os oito réus sejam condenados e que falem onde está o corpo da filha.

Dos nove acusados, cinco serão julgados pelo júri-popular que começa nesta segunda. Dois serão julgados separadamente – Elenílson Vitor da Silva e Wemerson Marques de Souza.Sérgio Rosa Sales, primo de Bruno, foi morto a tiros em agosto. O outro suspeito, Flávio Caetano Araújo, que chegou a ser indiciado, foi absolvido. (Veja o perfil de cada réu)

Investigações
O inquérito foi encerrado pela polícia com base em laudos, vídeos, depoimentos, multas e outros documentos que servirão de material durante o julgamento. Entre eles estão um laudo atestando a presença de sangue de Eliza em um dos carros de Bruno, depoimentos de dois primos incriminando o goleiro, multas de trânsito comprovando viagem dos acusados entre o Rio de Janeiro e Minas Gerais e uma conversa de vítima com amigos na internet, na qual fala sobre o medo que sentia.

Eliza também havia prestado queixa contra o atleta quando ainda estava grávida, dizendo que ele a forçou, armado, a tomar abortivos. Ela ainda deixou um vídeo dizendo que poderia aparecer morta se não tivesse proteção.

Confronto de versões
Desde o início das investigações, em junho de 2010, todos negam o crime, mas, a cada troca de advogados, as declarações dos principais acusados mudaram.

Na primeira versão sobre o caso, ao ser questionado sobre a denúncia anônima afirmando que Eliza havia sido morta, o goleiro disse que ela deixou o filho com Macarrão, o amigo a quem chamou de "funcionário", e que não a via há dois meses. Mais tarde, seria divulgada a tatuagem do amigo do goleiro: "Bruno e Maka. A amizade, nem mesmo a força do tempo irá destruir, amor verdadeiro".

Bruno e Macarrão acabaram condenados pela Justiça do Rio em outro processo por cárcere privado e sequestro de Eliza. Naquele julgamento, em novembro de 2010, o goleiro disse que havia mentido na primeira declaração a jornalistas e que encontrou Eliza no sítio. Em recurso, a Justiça do Rio reduziu a pena para 1 ano e 2 meses, e o caso foi extinto.

Em março de 2012, o novo advogado de Bruno, Rui Pimenta, afirmou que o goleiro admitiria no júri que Eliza está morta e que Macarrão teria tomado a decisão de matar a jovem.

ICFUT – Bruno inicia treinamento na cadeia

Fonte: futebolinterior

O goleiro foi liberado para utilizar equipamentos como meião, caneleira e bola

0002047895180_imgO goleiro Bruno (foto) ainda não sabe quanto tempo ficará no Presídio Nelson Hungria, em Contagem-MG, devido ao suposto assassinado de Eliza Samúdio. Buscando manter a forma física, o ex-camisa 1 do Flamengo iniciou os treinamentos na prisão.

Bruno vem treinando durante o banho de sol e acabou sendo autorizado a usar os equipamentos para exercer a prática, como meião, caneleira e bola. A juíza da Vara Criminal de Contagem acabou analisando as questões de segurança.

De acordo com o advogado Claudio Dalledone Junior, o goleiro já vinha realizando algumas atividades individuais dentro do presídio. Mesmo por trás das grades, Bruno nunca deixou de acompanhar o Flamengo, tanto que dentro de sua cela foi instalada uma TV para ele acompanhar as partidas do Mengo.

O goleiro irá a júri popular devido ao suposto assassinado de Eliza Samudio, com quem ele teria tido um filho. Bruno também vai responder por sequestro. O ex-camisa 1 do Flamengo acabou tendo seu contrato rescindido e provocou a revolta de muitas pessoas.

Juri popular
A juiza Marixa Fabiane Lopes, do Tribunal de Júri de Contagem, declarou que o ex-goleiro do Flamengo, Bruno Souza, seu amigo Luiz Henrique Romão (Macarrão), Sérgio Rosa Sales (primo do atleta) e o ex-policial Marcos Aparecido dos Santos (Bola) vão a júri popular por homicídio triplamente qualificado.

A ex-mulher de Bruno, Dayanne Rodrigues do Carmo Souza, assim como o caseiro Elenilson Vitor da Silva e Wemerson Marques, o Coxinha, que teriam participado de toda a trama armada, também vão a júri popular, mas irão responder apenas por sequestro e cárcere privado. Flávio Caetano de Araújo, motorista do goleiro Bruno de Souza, foi absolvido.

Condenado
Bruno já foi condenado por causa de Eliza Samudio a quatro anos e seis meses de prisão. A decisão foi decretada pelo juiz Marco Couto, da 1ª Vara Criminal de Jacarepaguá.

No entanto, o julgamento ainda não é referente as acusações que aconteceram no segundo semestre deste ano, quando a Polícia Civil de Minas Gerais colocou o ex-camisa 1 rubronegro como o principal suspeito de Eliza Samudio, sua ex-amante e com quem teria um filho.

Bruno acabou sendo julgamento pelos crimes de cárcere privado, lesão corporal e constrangimento ilegal. Em outubro do ano passado, Elisa Samudio declarou que foi obrigada pelo goleiro a tomar remédio para aborto, além de ter sido ameaçada de morte.