ICFUT – Com novo estádio, Corinthians tem ingressos mais caros do Brasileirão

Fonte: lancenet

Preço médio da entrada do Alvinegro na Arena é o dobro daquele cobrado no Pacaembu

Andres Sanchez - Corinthians x Figueirense (Foto: Miguel Schincariol/ LANCE!Press)
Andrés Sanchez foi cobrado por torcedores (Foto: Miguel Schincariol/LANCE!Press)

O primeiro jogo oficial da Arena Corinthians evidenciou um dos pontos mais criticados pela torcida do Timão: o salgado preço dos ingressos. Com valores de R$ 50 a R$ 400 para o duelo contra o Figueirense, os bilhetes são os mais caros da atual edição do Campeonato Brasileiro. O preço médio de cada entrada é R$ 84 (renda bruta dividida pelo número de público pagante).

Na lista dos clubes com ingressos mais "salgados" do Campeonato Brasileiro, o Corinthians é seguido de perto pelo Atlético-PR, que tem R$ 73 como preço médio de seus bilhetes. Os torcedores de Flamengo, Santos e Palmeiras que quiserem assistir a seus times nos estádios também terão de desembolsar consideráveis quantias: R$ 49, R$ 45 e R$ 42, em média, respectivamente.

A média de preços dos ingressos do jogo do último domingo do Corinthians é exatamente o dobro da que era cobrada pelo clube quando mandava suas partidas no Pacaembu. No estádio municipal, os bilhetes do Timão custavam, em média, R$ 42, com valor mínimo de R$ 40 e máximo de R$ 180.

Não à toa, o Timão registrou, diante do Figueirense, a maior arrecadação em bilheterias de sua história, somando R$ 3.029.801,70 com 36.123 torcedores pagantes.

Após o término da partida contra os catarinenses, o ex-presidente corintiano Andrés Sanchez, que estava na Arena, foi criticado por torcedores de uma organizada do clube. A torcida questionava justamente os altos valores dos ingressos.

CONFIRA ABAIXO OS PREÇOS MÉDIOS DE INGRESSOS DOS 20 CLUBES DA SÉRIE A*:

Atlético-MG – R$ 25
Atlético-PR – R$ 73
Bahia – R$ 28
Chapecoense – R$ 31
Corinthians – R$ 84
Coritiba – R$ 13
Criciúma – R$ 22
Cruzeiro – R$ 33
Figueirense – R$ 33
Flamengo – R$ 49
Fluminense – R$ 26
Goiás – R$ 29
Grêmio – R$ 38
Internacional – R$ 36
Palmeiras – R$ 42
Santos – R$ 45
São Paulo – R$ 17
Sport – R$ 16
Vitória – R$ 5

* Foram levadas em consideração as informações disponíveis de público pagante e renda bruta relativas ao último jogo de cada equipe como mandante na atual edição do Campeonato Brasileiro

ICFUT–ARENA CORINTHIANS: Autoridades comemoram uso de transporte público e aprovam teste

Fonte: gazetaesportiva

O principal teste do estádio de Itaquera para a Copa do Mundo foi comemorado por autoridades de todos os níveis após a vitória por 1 a 0 do Figueirense sobre o Corinthians. A administração do estádio, a Prefeitura de São Paulo, o Governo do Estado e o Comitê Organizador Local (COL) do Mundial mostraram satisfação com os resultados apresentados.

O principal motivo da celebração foi a adesão aotransporte público. Cerca de 90% dos torcedores foram à arena de metrô ou de trem e seguiram as recomendações específicas do trajeto que deveriam fazer. Os problemas registrados foram uma goteira decorrente da tempestade, dificuldades técnicas em um elevador e as falhas na orientação aos veículos que tinham estacionamento autorizado no estádio.

“Atendeu a expectativa. Evidentemente, não funcionaria 100%, mas é para isso que servem os testes. Estamos satisfeitos com a operação de nossas equipes. Agradeço muito aos voluntários, foram mais de 300 e estamos muito contentes. Alguns detalhes são de bastidores, como a chegada do ônibus ao vestiário, do jeito que será feito na Copa, a manobra para sair. Parece detalhe, mas é muito importante para nós”, afirmou o gerente de integração operacional do COL, Thiago Paes.

Declarações semelhantes deram Andrés Sanchez, responsável do Corinthians pelo estádio, NádiaCampeão, vice-prefeita de São Paulo, Raquel Verdenacci, coordenadora executiva do comitê paulista da Copa, e Ricardo Trade, chefe executivo do COL. Os responsáveis pela segurança também apresentaram um relatório parcial satisfatório e agradeceram a colaboração dos corintianos.

Djalma Vassão/Gazeta Press

Corintianos não gostaram do que viram em campo, mas colaboraram com a organização fora dele

O teste não foi feito com a capacidade total do estádio, que receberá 68 mil pessoas na abertura do Mundial e em outros cinco jogos. Ainda não foram liberadas as arquibancadas móveis, atrás dos gols, e o setor Oeste Superior foi utilizado apenas para profissionais de imprensa, sem ingressos vendidos. Incluídos os jornalistas, o público foi de 36.694 pessoas.

De acordo com o COL, as arquibancadas já passaram por quase todos os testes de carga e balanço, porém só serão efetivamente ocupadas no dia 12 de junho, quando o Brasil abrirá a Copa enfrentando a Croácia. O atraso nas obras, decorrente especialmente do acidente que matou dois operários em novembro, impediu um teste com arena cheio e estruturas finalizadas.

Fotógrafo reclama de furto
Pouco após a entrevista na qual as autoridades comemoraram o resultado do teste, o fotógrafo Alan Morici, que participava da cobertura do jogo, reclamou do furto de parte de seu equipamento. De acordo com ele, uma mala na qual estavam guardadas as lentes de sua máquina foi levada, tendo ficado para trás uma mochila. O fato teria ocorrido cerca de uma hora e 15 minutos após o apito final.

Morici informou que registrará um boletim de ocorrência e recebeu a atenção de voluntários e de profissionais de imprensa do COL. Estes prometeram acionar a segurança e ceder as imagens do local onde teria acontecido o furto – ao qual, em tese, só tinham acesso jornalistas, voluntários, funcionários da segurança e membros do COL.

ICFUT – Companhia aérea fecha acordo de R$ 450 milhões para batizar Itaquerão

Fonte: futebolinterior

Novo estádio do Timão chamará Emirates Arena ou Arena Emirates

Brasília, DF, 05 (AFI) – Emirates Arena ou Arena Emirates. Assim vai se chamar a Arena Corinthians, em Itaquera, pelos próximos 20 anos. Em troca, a companhia áerea com sede nos Emirados Árabes Unidos vai depositar nos cofres do clube do Parque São Jorge a quantia de R$ 450 milhões. Isso equivale a uma renda anual para o Corinthians de R$ 22,5 milhões.

Ocontratoainda não foi assinado. E depende de um sim dos comandantes da empresa dos Emirados Árabes Unidos. A diretoria do Corinthians demonstrou estar satisfeita com os números apresentados. A decisão está nas mãos dos xeques, que comandam a empresa. Poucos acreditam que o negócio não seja assinado.

A informação que o Estado apurou é o contrato vai ser assinado, de modo que a Emirates dará seu nome ao estádio corintiano na zona leste de São Paulo, e terá outras ações dentro do complexo esportivo.Ocorre que a Emirates, mesmo assinando o contrato para batizar o Estádio do Corinthians, terá de dividir a marca com outras empresas para outras atividades.

A única exigência é que as empresas concorrentes ou parceiros dentro do Estádio do Corinthians não sejam do mesmo ramo de atividade, como companhias aéreas. Os camarotes VIP do Itaquerão, que têm capacidade para até 300 pessoas, por exemplo, serão negociados de maneira independente.

O valor fechado com a Emirates é pelo menos R$ 50 milhões a mais do que o próprio Corinthians calculava receber quando começou a estudar a possbilidade de uma empresa dar seu nome para o estádio. Isso tem a ver com a concorrência. Ambev e Zurich Seguros também estavam no páreo, de acordo com informações do mercado.

A Emirates está desenvolvendo uma política agressiva de marketing no Brasil não só por ter uma linha entre São Paulo e Abu Dhabi, mas porque tem planos ambiciosos no País num curto espaço de tempo. Pesou ainda na opção pela empresa árabe, além do dinheiro oferecido, claro, sua experiência na área. A Emirates tem acordo de sucesso com o Arsenal, na Inglaterra, time da primeira divisão daquele país.

E no ano passado, ela fechou acordo com a prefeitura de Glasgow pelos naming rights de um complexo esportivo na cidade, cujo carro chefe é um ginásio.

Os R$ 450 milhões por 20 anos de parceria são considerados por analistas nesse incipiente mercado brasileiro um negócio e tanto. O ex-presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, sempre esteve à frente desse assunto. O dirigente prometeu fazer um negócio da China com os direitos do nome da nova arena corintiana.