ICFUT – AMISTOSO 2018 – Brasil 3 x 0 Áustria

FICHA TÉCNICA
ÁUSTRIA X BRASIL

Local: estádio Ernst Happel, em Viena, na Áustria
Data: 10 de junho de 2018, sábado
Horário: 11h (de Brasília)
Árbitro: Viktor Kassai (HUN)
Assistentes: Oszkar Lemon (HUN) e Zsolt Varga (HUN)

ÁUSTRIA: Siebenhandl; Prodl, Dragovic, Hinteregger e Lainer; Baumgartlinger, Zulj, Schopf, Grillitsch e Alaba; Arnautovic
Técnico:Franco Foda

BRASIL: Alisson; Danilo, Thiago Silva, Miranda e Marcelo; Casemiro; Paulinho, Philippe Coutinho, Willian e Neymar; Gabriel Jesus
Técnico: Tite

Anúncios

ICFUT – Amistoso: Flamengo – RJ 3×1 Atlético – GO

FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO-GO 1 X 3 FLAMENGO-RJ

Local: Estádio Olímpico, em Goiânia (GO)
Data: 7 de abril de 2018 (Sábado)
Horário: 16h (de Brasília)
Árbitro: Bruno Rezende
Assistentes: Hugo Correa e Tiego dos Santos
Cartão Amarelo: Bruno Santos (AG)

Gols:
ATLÉTICO-GO: Joanderson, aos 38 minutos do primeiro tempo
FLAMENGO: Diego no primeiro minuto, Henrique Dourado aos três minutos e Diego, aos 26 minutos do segundo tempo

ATLÉTICO: Kléver; Alisson (Luan), William Alves, René Santos e Bruno Santos; Rômulo, Warian (João Paulo), Fernandes e Tomas Bastos (Pablo); Júlio César e Joanderson (Tito)
Técnico: Cláudio Tencati

FLAMENGO: César (Júlio César); Rodinei (Pará), Réver (Léo Duarte), Juan (Thuler) e Renê (Trauco); Cuéllar (Jonas), Diego (Jean Lucas), Éverton Ribeiro (Willian Arão), Lucas Paquetá (Vinicius Junior) e Everton (Marlos); Henrique Dourado(Lincoln)
Técnico: Maurício Barbieri

ICFUT – EM JOGO FESTIVO COM A PRESENÇA DE SAMUEL ETO – COMEFOGO TERMINA EMPATADO EM RIBEIRÃO PRETO

f_328101

untitled-1

Ficha técnica

Botafogo 3 x 3 Comercial
Estádio Santa Cruz, em Ribeirão Preto-SP
Árbitro: Sálvio Spínola Fagundes Filho
Gols: Túlio Souza, aos 19’/1ºT, Eto’o, aos 29’/2ºT e 41’/2ºT (Botafogo); Eto’o, aos 39’/1ºT, Gaspar, aos 9’/2ºT e Acleisson, aos 34’/2ºT (Comercial);
Cartões amarelos: Edson (Botafogo);
Público: 3.179 pagantes
Renda: R$ 53.535,00

Botafogo
Talles; João Vitor, João Neto, Túlio Souza (Micael) e Mayc (Matheus) (Boiadeiro); Edson, Giovani (Sousa), Léo Coca e Raí (Thaylan); Lucas (Pedro Tonzar) e Paulinho (Eto’o). Técnico: Thiago Kosloski.

Comercial
Cesar; Messias, Gaspar, Arouca e Messi; Acleisson, Mauricinho (Estevão) (Glauco), Rogerinho e Vagner Mancini (Luketa); Eto’o (Leo) e Leo (Rogerinho). Técnico: Gustavo Marciano.

Por Cleber Santista – Lista de convocados da Seleção Brasileira para amistosos contra Turquia e Austria.

logo

Confira a lista dos convocados:

Goleiros:

Rafael Cabral (Napoli)
Neto (Fiorentina)
Diego Alves (Valencia)

Zagueiros:

David Luiz (Paris Saint-Germain)
Marquinhos (Paris Saint-Germain)
Thiago Silva (Paris Saint-Germain)
Miranda (Atlético de Madri)

Laterais:

Mário Fernandes (CSKA Moscou)
Alexsandro (Porto)
Filipe Luís (Chelsea)
Danilo (Porto)

Meio-campistas:

Luiz Gustavo (Wolfsburg)
Rômulo (Spartak Moscou)
Fernandinho (Manchester City)
Casemiro (Porto)
Roberto Firmino (Hoffenhein)
Oscar (Chelsea)
Willian (Chelsea)
Lucas (Paris Saint-Germain)
Philippe Coutinho (Liverpool)

Atacantes:

Neymar (Barcelona)
Luiz Adriano (Shakhtar Donetski)
Douglas Costa (Shakhtar Donetski)

ICFUT – SHOW DE NEYMAR TRANSFORMA VAIA EM OLÉ, E BRASIL GOLEIA O PANAMÁ: 4 A 0

Fonte: globo

A CRÔNICA

por Leandro Canônico

A emoção do hino, o nervosismo dos primeiros minutos, a cobrança do chefe, a impaciência da torcida e a necessidade do protagonismo do seu principal craque. Foi no embalo de Neymar que a seleção brasileira superou o Panamá por 4 a 0 nesta terça-feira, no Serra Dourada, em Goiânia. Aliás, as dificuldades encaradas no começo do amistoso serviram para destacar o que já não era segredo: a importância do camisa 10 para a sintonia do grupo.

Neymar, Daniel Alves, Hulk e Willian construíram a goleada verde e amarela. Mas antes disso a torcida perdeu a paciência com 26 minutos de um futebol ruim e sem um chute a gol. Sob a batuta de Neymar, porém, o Brasil cresceu. A ponto de convencer o mesmo torcedor que vaiou a aplaudir e gritar “olé” a cada passe dos jogadores mais para o fim do duelo. Foram 31.871 presentes. E não só os brasileiros reverenciaram. Após o apito final, os próprios jogadores panamenhos pediram para tirar fotos com o craque brasileiro.

Na próxima sexta-feira, a menos de uma semana da estreia na Copa do Mundo, a seleção brasileira faz o último teste antes do Mundial. Às 16h tem duelo com a Sérvia, no estádio do Morumbi, em São Paulo. E no dia 12, contra a Croácia, o tão esperado debute na Arena Corinthians, também na capital paulista.

Vaias despertam a Seleção

Neymar comemora gol amistoso Brasil x Panamá (Foto: Wander Roberto / VIPCOMM)Neymar comemora o primeiro gol contra o Panamá
(Foto: Wander Roberto / VIPCOMM)

Quatro minutos foram suficientes para irritar Felipão. Logo o técnico estava à beira do gramado, de braços abertos, reclamando do posicionamento do time. Justo. A seleção brasileira começou mal demais. Erros bobos de passe, pouca criação, apatia… Nem parecia aquele time forte e compacto da Copa das Confederações.
Bem fechado, sem dar espaços, o Panamá criou uma dificuldade que talvez a Seleção não estivesse esperando. Isso gerou nervosismo, refletido em dura falta cometida por David Luiz em Tejada, no meio de campo, bem longe do gol. Amarelo para ele. Mais adiante, Neymar tentou fazer firula e levou encarada de Baloy. Nada dava certo.
Na arquibancada, os gritos de incentivo ainda predominavam. Mas só até os 23 minutos. Depois de lançamento errado de David Luiz, a torcida jogou a paciência longe e vaiou o time de Felipão. A irritação do torcedor fez bem. Principalmente a Neymar. O atacante logo acordou e foi para cima dos panamenhos.
E aos 26 minutos, em cobrança de falta sofrida por ele mesmo, Neymar abriu o placar. Foi o primeiro chute do jogo. Com perfeição, o atacante fez o gol de número 200 da carreira, segundo conta do staff do jogador, que leva em consideração, por exemplo, gol pelas categorias de base da Seleção. Com o craque mais solto, o time todo rendeu melhor. Daniel Alves, então, arriscou da entrada da área, aos 39, e ampliou: 2 a 0. Ao apito final do primeiro tempo, aplausos.

Daniel Alves Amistoso Brasil e Panamá Serra Dourada (Foto: Wander Roberto/VIPCOMM)Daniel Alves e Hulk também deixaram sua marca em Goiânia (Foto: Wander Roberto/VIPCOMM)

Tempo de testar
Com direito a seis substituições no amistoso, Felipão decidiu fazer logo três no intervalo: Maicon no lugar de Daniel Alves, Maxwell na vaga de Marcelo e Hernanes na de Ramires. Nem deu tempo de o torcedor avaliar direito quem entrou. Com um minuto, Hulk recebeu ótimo passe de Neymar e fez o terceiro.
Mais à vontade e aproveitando a marcação frouxa dos panamenhos, a Seleção se soltou de vez. Sempre com Neymar de protagonista. Na defesa, Julio César ainda não tinha trabalhado. Teve de se mexer aos dez minutos. E levou um susto. Após cabeçada de Quintero, o goleiro escorregou. Mesmo assim, conseguiu defender.
O reflexo de que a seleção brasileira fazia melhor partida no segundo tempo foi a ausência de Felipão na área técnica. Durante a maior parte da etapa final, o treinador ficou mais sentado, sem avançar muito à beira do campo. E seguiu com os testes, como Jô na vaga de Fred, Willian na de Oscar e Henrique na de David Luiz.
Dentre eles, Willian se destacou até com um gol aos 27 minutos. Neymar iniciou a jogada com Maxwell, que com toque para trás deixou o meia do Chelsea na cara do gol. Mesmo em um amistoso, ainda houve tempo para o árbitro Raul Orosco protagonizar um lance curioso. Depois de marcar mão de Gomez na área, o que seria pênalti, e expulsar o panamenho, ele voltou atrás na decisão.

A torcida, no entanto, não se importou. Com a goleada construída e o jogo já dominado completamente pelo Brasil, virou só festa para os torcedores goianos, que gritaram até olé.
David Luiz foi aplaudido ao ser substituído, Neymar ovacionado depois de bicicleta… Agora, o teste é diante da exigente torcida paulista. E a Seleção precisa melhorar.

Neymar no amistoso Brasil x Panamá (Foto: AFP)Neymar sofre com a marcação de três panamenhos no Serra Dourada (Foto: AFP)

ICFUT–AMISTOSO: BRASIL 2 X 0 CORÉIA DO SUL

Fonte: lancenet

Neymar e Oscar fazem os gols da Seleção em amistoso na Ásia

Neymar durante o jogo com a Corea. (Foto: Mowa Press)
Neymar comemora durante o jogo com a Coreia (Foto: Mowa Press)

O dia das crianças começou do outro lado do mundo com uma celebração com a Seleção Brasileira. Neymar e Oscar, os dois jogadores mais jovens da equipe escalada por Luiz Felipe Scolari marcaram na vitória por 2 a 0 em cima da Coreia do Sul, em amistoso neste sábado de manhã em Seul, em partida em que os rivais abusaram das faltas.

O JOGO
Felipão optou por utilizar o esquema que usou na Copa das Confederações. Da base que venceu o torneio, colocou apenas Dante e Jô nos lugares dos lesionados Thiago Silva e Fred, o resto do time, era o mesmo. E o Brasil começou melhor e pressionando. Logo no início, Marcelo levantou para David Luiz, que não alcançou, e Hulk que teve boa, chance, mas chutou em cima de Sung-Ryong.

Ao ver a ofensividade do Brasil, a Coreia começou a bater. Apenas nos primeiros 10 minutos, Neymar tinha apanhado três vezes. A Seleção, que não estava lá tão organizada, ou até não muito interessada no jogo mesmo, acabou mostrando certo nervosismo, e os asiáticos cresceram no jogo, e até ensaiaram uma pressão com boas chances.

A Coreia bateu tanto, que foi penalizada com um gol de falta do Brasil. Neymar, de 21 anos, o mais jovem do time titular, cobrou bem no cantinho, e o goleiro demorou a pular. Acabou aceitando.

SEGUNDO TEMPO
Para a etapa final, Felipão resolveu mudar o esquema e tirou Hulk para colocar Ramires e povoar o meio-campo. Logo no primeiro minuto, a Coreia teve logo uma chance, e Jefferson fez boa defesa.

Na sequência, o Brasil conseguiu logo demonstrar sua superioridade e saiu o gol do segundo mais jovem da equipe que começou o jogo: Oscar, com 22 anos. Recebeu ótimo lançamento de Paulinho, e finalizou na saída de Sung-Ryong.

Daí para o fim, a Coreia voltou a tentar a atacar, mas não conseguiu, e as seleções começaram a fazer aquelas várias substituições típicas dos amistosos. Até tiveram algumas chances, mas nenhuma muito clara, e o resultado ficou mesmo no 2 a 0 para o Brasil, apesar dos erros sucessivos de passes do Brasil na reta final.

Na próxima terça-feira, a Seleção enfrenta a Zâmbia na China.

Melhores momentos e gols

ICFUT – Com golaço de Neymar, Seleção Brasileira derrota Portugal de virada

Fonte: lancenet

Mesmo sendo caçado em campo, craque esbanja categoria e comanda vitória do Brasil

Brasil x Portugal - Neymar (Foto: Cristiano Andujar/ LANCE!Press)
Neymar deixou sua marca contra Portugal (Foto: Cristiano Andujar/LANCE!Press)

Cristiano Ronaldo deve ter se revirado no sofá ao ver a atuação de Neymar nesta terça-feira. Sem o gajo do Real Madrid em campo, o craque brasileiro do Barcelona aproveitou para fazer barba, cabelo e bigode no Gillette Stadium, em Foxborough (EUA), contra Portugal: um golaço, dribles em meio a pontapés e vitória da Seleção Brasileira por 3 a 1, de virada.

Raul Meireles fez o gol português. Já Thiago Silva e Jô fizeram os outros do Brasil. Mais um passo até a Copa-2014 foi dado. Luiz Felipe Scolari tem mais quatro amistosos este ano e mais um no próximo para terminar o preparo da Seleção. Pelos resultados, o prognóstico é animador.

DUELO NADA AMISTOSO

De amistoso, o duelo contra Portugal só teve o nome. No primeiro tempo, parecia Copa do Mundo, sem exagero. Os dois times mostraram uma entrega muito grande em campo, às vezes descambando para a violência – especialmente pelo lado português. Neymar foi o principal alvo dos carrinhos, chutes e até uma cotovelada.

Os colonizadores lançaram suas tropas pelos flancos tupiniquins e levaram perigo nos ataques pelo alto. Uma bola foi na trave, outra tirou tinta e na mais boba das jogadas, Maicon falhou no recuo de cabeça para Julio César e deu a Raul Meireles o gol mais fácil da carreira do volante lusitano.

Mas o volume de jogo continuou elevado. Tão elevado quanto o voo de Thiago Silva depois da cobrança de escanteio. Um exemplo de golaço de cabeça que empatou o placar. Na comemoração, o primeiro a ser abraçado foi Maicon, que falhara pouco antes. Coisa de capitão.
Aí Neymar resolveu entrar no show como protagonista. Caçado, apanhando dos defensores brucutus de Portugal, ele arrancou da intermediária, fez fila e completou com uma finalização certeira. Espetáculo de habilidade e força física.

O craque brasileiro continuou dando espetáculo na primeira etapa com dribles e um corta-luz que deixou perdido muito cinegrafista. Por pouco o Brasil não ampliou ainda na etapa inicial.
JÔ CONSOLIDA O PLACAR

Mas o terceiro gol foi questão de tempo. Jô, como típico centroavante, tocou para o gol vazio após receber cruzamento de Maxwell, em jogada iniciada por Neymar. O atacante mantém a boa fase com a amarelinha, fazendo Felipão sentir menos saudades de Fred.

Com a vantagem ampliada, o Brasil tirou o pé do acelerador. Diminuiu a intensidade do jogo, buscou as chances nos contra-ataques, mas nem por isso deu muito mole para Portugal.

Paulo Bento mexeu por atacado, sem conseguir deixar o time muito mais eficiente. Ele não teve nem no banco Cristiano Ronaldo para salvar a noite, como ocorreu contra a Irlanda do Norte, pelas Eliminatórias para a Copa.

Melhor para o Brasil, que teve seu principal jogador e saiu vitorioso do duelo. Os próximos compromissos da Seleção Brasileira são nos dias 12 e 15 de outubro, contra Coreia do Sul e Zâmbia, respectivamente.

FICHA TÉCNICA
BRASIL 3 X 1 PORTUGAL

Local: Gillette Stadium, em Boston (EUA)
Data/Hora: 12/09/2013, às 22h (de Brasília)
Árbitro: Juan Guzman (EUA)
Auxiliares: Peter Manikowski (EUA) e Adam Wienckowski (EUA)
Cartões amarelos: Ramires, Neymar (BRA); João Pereira, Helder Postiga, Bruno Alves, Rúben Amorim (POR)

Gols: Raul Meireles, 17’/1ºT (0-1); Neymar, 34’/1T (2-1); Jô,4’/2ºT (3-1)

BRASIL: Júlio César, Maicon, Thiago Silva, David Luiz e Maxwell; Luiz Gustavo, Paulinho (Henrique, 37’/2ºT) e Ramires (Oscar, 15’/2ºT); Bernard (Hernanes, 22’/ºT), Neymar (Lucas, 42’/2ºT) e Jô (Pato, 30’/2ºT). Técnico: Luiz Felipe Scolari.

PORTUGAL: Rui Patrício; João Pereira (Helder Postiga, 24’/2ºT), Pepe (Luis Neto, intervalo), Bruno Alves, Coentrão (Antunes, 9’/2ºT); Miguel Veloso, Raul Meireles, João Moutinho (Rúben Amorim, 14’/2ºT); Vieirinha (Licá, 38’/2ºT), Nani e Nelson Oliveira. Técnico: Paulo Bento

ICFUT – Barcos é convocado com Martínez, Guiñazú e Montillo para Superclássico

Fonte: lancenet

Seleção argentina começa a treinar nesta segunda-feira para enfrentar o Brasil

As imagens de Brasil 2 x 1 Argentina (Foto: Pedro Ladeira/AFP)
Barcos e Martínez foram titulares no primeiro jogo (Foto: Pedro Ladeira/AFP)

A AFA confirmou neste domingo a lista de jogadores convocados pelo técnico da seleção argentina, Alejandro Sabella, para o segundo jogo do Superclássico das Américas, contra o Brasil, na quarta-feira, em La Bombonera, Buenos Aires. Entre os chamados estão os "brasileiros", Barcos, do recém-rebaixado Palmeiras, Martínez, do Corinthians, Montillo, do Cruzeiro, e Guiñazú, do Internacional.

Os jogadores argentinos se juntam nesta segunda-feira e fazem, à tarde, o primeiro treinamento para a partida contra o time de Mano Menezes. A primeira meia hora da atividade será fechada à imprensa.

Sabella não convocou nenhum jogador do River Plate e também deixou fora o meia Máxi Rodríguez, que havia sido chamado nas ocasiões anteriores.

GOLEIROS
Orión (Boca Juniors)
Ustari (Boca Juniors)

ZAGUEIROS
Lisandro López (Arsenal de Sarandí)
Seba Domínguez (Vélez)
Leandro Desábado (Estudiantes)
Santiago Vergini (Newell’s)

LATERAIS
Gino Peruzzi (Vélez)
Maxi Caire (Colón)
Clemente Rodríguez (Boca Juniors)
Leonel Vangioni (Newell’s)

VOLANTES
Rodrigo Braña (Estudiantes)
Oscar Ahumada (All Boys)
Francisco Cerro (Vélez)
Pablo Guiñazú (Internacional)

MEIAS
Montillo (Cruzeiro)
Pablo Pérez (Newells)
Iván Bella (Vélez)
Lucas Mugni (Colón)

ATACANTES
Martínez (Corinthians)
Barcos (Palmeiras)
Ignacio Scocco (Newell’s)
Emanuel Gigliotti (Colón)

Por Cleber Aguiar – Brasil reencontra bom jogo e faz 4 a 0 no Japão com ótima atuação de Kaká

Fonte: Portal IG

Paulinho, Neymar (dois) e Kaká marcaram os gols contra rival que vinha de bons resultados

Bruno Winckler ,

Mano Menezes tinha dúvidas se a formação de meio-campo da seleção brasileira com Paulinho, Ramires, Kaká e Oscar poderia render bons frutos contra uma seleção bem entrosada e em evolução como o Japão. E para sua sorte a resposta dada após a vitória desta terça-feira foi a melhor possível. Os 4 a 0 em Wroclaw, na Polônia, dá nova esperança ao torcedor de ver o selecionado nacional evoluir até a disputa da Copa do Mundo em 2014.

Paulinho marcou o primeiro gol e repetiu o que tem feito bem no Corinthians em 2012. O volante ainda perdeu gol incrível sem goleiro. O árbitro polonês Marcin Borski deu uma mãozinha ao marcar pênalti em Kaká (anotado por Neymar), mas o bom jogo do Brasil não pode ser medido por esse lance. Kaká, muito à vontade no seu retorno, ainda acertou a trave no primeiro tempo. No segundo, deixou o seu. 

Mowa Press

Kaká recebe o abraço de Neymar após o gol marcado

Nas análises de Mano para seu time ideal, Diego Alves deve ter ganhado mais pontos para se tornar de fato o goleiro titular da seleção. O Japão ofereceu perigo ao Brasil em alguns lances, mas o arqueiro do Valencia mostrou-se muito seguro quando exigido.

A seleção principal do Brasil encerra sua participação em 2012 no dia 14 de novembro em Nova Jersey contra a Colômbia, do artilheiro Falcao Garcia. Um time com jogadores que atuam no Brasil ainda enfrenta a Argentina no dia 21 em Buenos Aires. O Japão, bem colocado em seu grupo nas eliminatórias asiáticas, enfrenta Omã na mesma data.

O jogo
O Japão, com 13 dos 23 convocados atuando na Europa, ofereceu mais riscos à seleção brasileira do que os rivais dos últimos amistosos (China e Iraque). A vitória japonesa contra a França, em Paris, credenciava ainda mais o adversário brasileiro desta terça-feira.

A seleção asiática teve mais posse de bola nos primeiros movimentos do jogo, mas a formação brasileira no meio campo, mais leve com volantes com boa apresentação no ataque, rendeu os primeiros ataques de perigo do jogo. Talvez contra rivais mais fortes Mano precise de um jogador mais marcador na posição. Sandro tem sido o preferido do técnico nesta função.

Em Wroclaw, antes dos 10 minutos, Kaká e Neymar e depois Hulk e Oscar já haviam feito boas jogadas. E aos 12, depois de passe de Oscar, Paulinho acertou um ótimo chute de fora da área para abrir o placar.

Foi o segundo gol do volante corintiano pela seleção em seis jogos. Aos 16 ele apareceu mais uma vez no ataque, driblou o goleiro, mas acabou tocando para fora. O Japão assustou com Kagawa, seu camisa 10 e titular do Manchester United. Mas Diego Alves se postou bem na meta brasileira.

Aos 25, Kaká se enroscou com seu marcador na área, a bola encostou o braço do japonês e o árbitro anotou o pênalti controverso. E Neymar marcou mais um gol pela seleção. Aos 33, em nova boa jogada brasileira, Kaká acertou a trave em chute da entrada da área.

Na volta do intervalo, Mano manteve a mesma equipe. Poderia fazer até seis alterações, mas preferiu deixar o time que fazia um bom jogo mais tempo juntos. A primeira mudança aconteceu só aos 31 minutos, com a saída de Hulk e entrada de Giuliano. Até ali, Neymar, aos 2 e Kaká, em ótima jogada individual aos 29, haviam ampliado o placar. Ramires também havia marcado em cruzamento de Neymar, mas o juiz anotou que a bola deu a volta trás do gol antes de chegar ao volante.

Lucas, Leandro Damião, Thiago Neves e Sandro ainda entraram no time nos minutos finais nas vagas de Kaká, Neymar, Oscar e Ramires. Mano tentou assim atuar com um centroavante fixo. Lucas, o melhor entre os substitutos, por pouco não marcou mais um para o Brasil, que parece evoluir, enfim.

FICHA TÉCNICA: BRASIL 4 x 0 JAPÃO
Local: Estádio Miejski, em Wroclaw (POL)
Data: 16 de outubro de 2012
Horário: 9h10 (de Brasília)
Árbitro: Marcin Borski (POL)
Auxiliares: Rafał Rostkowski (POL) e Tomasz Listkiewicz (POL)

Cartões Amarelos: David Luiz e Ramires (BRA)

Gols: Paulinho aos 12 e Neymar aos 25 minutos do 1º tempo. Neymar aos 2 e Kaká aos 29 minutos do 2º tempo

Japão: Kawashima, Uchida (Sakai), Yoshida, Konno e Nagatomo; Endo, Hasebe (Hosogai), Nakamura (Inui) e Kiyotake; Honda e Kagawa. Técnico: Alberto Zaccheroni.

Brasil: Diego Alves, Adriano, Thiago Silva, David Luiz e Leandro Castán; Paulinho, Ramires (Sandro), Oscar (Thiago Neves) e Kaká (Lucas); Hulk (Giuliano) e Neymar (Leandro Damião). Técnico: Mano Menezes.