ICFUT – Figueirense anuncia Adilson Batista como técnico para 2013

Fonte: gazetaesportiva

O Figueirense anunciou nesta quinta-feira a contratação de Adilson Batista para o cargo de técnico da equipe. O treinador, no entanto, só assume o comando do Furacão no começo de 2013. Até lá, o time será dirigido pelo interino Fernando Gil. O vínculo entre Adilson e Figueira terá a duração de um ano.

Esta será a segunda vez que Adilson irá comandar a equipe catarinense. Em sua primeira passagem, entre 2005 e 2006, ele conquistou um Campeonato Estadual. Desde que foi vice-campeão da Copa Libertadores da América com o Cruzeiro, em 2009, Adilson passou por cinco clubes, sem conseguir se firmar em nenhum: Corinthians, Santos, Atlético-PR, São Paulo e Atlético-GO.

Faltando quatro rodadas para o fim do Campeonato Brasileiro, o Figueirense é o vice-lanterna da competição, com 29 pontos, 11 a menos do que o Bahia, primeira equipe fora do Z-4. O time precisa vencer o Sport e torcer por uma combinação de resultados neste domingo para continuar com chances de permanecer na Série A.

ICFUT – Logo após Adilson cair, são-paulino inicia sondagem a Felipão

Fonte: uol (blog do perrone)

Minutos após o São Paulo anunciar a demissão de Adilson Batista, um dirigente tricolor telefonou para um amigo de Luiz Felipe Scolari. Pediu o número do celular de Felipão, perguntou quando ele volta de Portugal e qual a sua real situação no Palmeiras.

Não foi uma ligação oficial, com a chancela de Juvenal Juvêncio, mas o presidente são-paulino não esconde sua admiração pelo treinador do rival. No Morumbi, todos sabem que seria difícil tirá-lo agora do Palestra Itália. Por isso, a ala que já defendia Milton Cruz como interino até dezembro, fará mais barulho agora.

Por outro lado, a queda de Adilson fortalece Felipão, que trava um braço de ferro com a cúpula palmeirense por causa de promessas que não têm sido cumpridas.

ICFUT – Adilson pede perdão à torcida: "me dediquei como se fosse Seleção"

Fonte: terra

Adilson Batista deixou os vestiários no Serra Dourada bastante abatido. A derrota por 3 a 0 para o Atlético-GO pôs fim à sua passagem pelo São Paulo e o técnico optou por dar somente um pronunciamento, sem dar espaço para perguntas, em suas últimas palavras como comandante do clube do Morumbi. E as direcionou aos seus principais contestadores: os torcedores.

"Peço desculpas ao torcedor são-paulino. Entendo a chateação e a revolta. Torço para que o clube tenha tranquilidade e volte o ambiente favorável, de calor. A bola comigo não estava entrando", lamentou o treinador, ressaltando seu empenho para que o trabalho gerasse melhores resultados.

"Agradeço ao São Paulo Futebol Clube pela possibilidade de trabalhar. Procurei me dedicar da maneira como se tivesse uma oportunidade na Seleção Brasileira pela estrutura, condição de trabalho e lealdade das pessoas que o dirigem", enalteceu Adilson.

O técnico tem razões para ficar chateado. Nestes três meses à frente da equipe, optou por morar no CCT da Barra Funda para, como dizia, "vivenciar o time". Acompanhava pessoalmente e com atenção todas as atividades, fossem elas feitas por reservas ou até quem raramente era relacionado.

Na sexta-feira, durante sua entrevista coletiva, demonstrou alegria pelas palavras de Juvenal Juvêncio dois dias antes, de pleno apoio ao seu trabalho, e até concordou com a avaliação do presidente de que são os jogadores que não estavam rendendo. Mas o mandatário estava menos paciente do que dizia. De São Paulo, ligou neste domingo para o diretor de futebol, Adalberto Batista, informar o técnico que estava demitido.

"O futebol é resultado e, infelizmente, os nossos não têm sido os melhores. Peguei o time em segundo lugar após o trabalho do Paulo César Carpegiani e do Milton Cruz, auxiliar técnico e o entrego em sexto", constatou, admitindo que tinha esperança de evitar a queda.

"Fizemos um bom primeiro tempo, poderíamos ter conseguido um resultado melhor. Futebol é assim. Não se vence, é melhor sair. Agradeço ao Juvenal, ao José Carlos Alves, gerente de futebol , ao Adalberto pela tranquilidade neste período", encerrou, antes de seguir cabisbaixo em sua última aparição com uniforme do São Paulo.

ICFUT – Após goleada em Goiânia, São Paulo demite Adilson Batista

Fonte: lancenet

Exatamente um turno após assumir o Tricolor, treinador é mandado embora após sexto jogo seguido sem vitórias

Atlético GO x São Paulo - Adilson Batista (Foto: Carlos Costa) Adílson Batista não é mais técnico do São Paulo (Foto: Carlos Costa)

Adilson Batista não é mais técnico do São Paulo. Após 22 partidas, com sete vitórias, nove empates e seis derrotas, o treinador perdeu para o Atlético-GO por 3 a 0 e a diretoria, ainda em Goiânia, decidiu encerrar a passagem do comandante pelo clube. Seu contrato iria até dezembro deste ano.

– O Adilson não é mais técnico do São Paulo para o Brasileiro e Sul-Americana. Conversamos quando acabou o jogo e, durante a semana, sabíamos que esta partida contra o Atlético-GO era de grande importância – afirmou o diretor Adalberto Batista, após o jogo.
– Somado a pressão, com dois jogos em casa com o apoio da torcida, decidimos que o ciclo do Adilson no São Paulo deveria se encerrar. A decisão foi adotada agora e para os próximos dois jogos o Milton Cruz assume – completou o dirigente.

E MAIS!
O treinador foi mandado embora exatamente um turno após a sua contratação. Desde sua chegada, nunca foi unanimidade no Tricolor. A torcida, por várias vezes no Morumbi, o vaiou quando seu nome foi anunciado no placar eletrônico e também em muitas substituições. 
O tropeço no Atlético-GO foi o sexto seguido (quatro empates e duas derrotas), o que deixa o clube mais longe da briga pelo titulo.
– O resultado no futebol é o que importa, então fica difícil fazer uma análise. Somou poucos pontos e teve de sair. Fico triste em fazer isso, mas não tinha outra coisa a fazer neste momento  – finalizou Adalberto.
Curiosamente, é a segunda vez que o técnico é demitido após uma derrota para o Dragão. Em 2010, pelo Corinthians, uma derrota por 4 a 3 no Pacaembu deu fim à sua passagem pelo clube.
O auxiliar técnico Milton Cruz vai dirigir o time diante do Libertad (PAR), como já aconteceu em outras duas vezes quando Carpegiani foi demitido. Além de Adilson, o auxiliar Ivair e o preparador físico Zé Mário, indicados pelo antigo comandante, também vão deixar o clube.

A CARREIRA
Adilson teve seu melhor momento na carreira treinando o Cruzeiro, quando chegou na final da Copa Santander Libertadores de 2009. No ano passado passou pelo Corinthians durante o Brasileirão, mas após três meses, acabou demitido.
Nesta temporada foi contratado para comandar o Santos no início do ano, mas os maus resultados resultaram na sua demissão no final de fevereiro. No Atlético-PR também não foi bem e foi demitido no fim do mês de junho.

ICFUT – São Paulo endossa prestígio a Adilson Batista e nega contato com Felipão

Fonte: uol

O São Paulo negou ter procurado o técnico Luiz Felipe Scolari para tê-lo no comando do time em 2012. O vice-presidente de futebol do clube, João Paulo de Jesus Lopes, classificou como “notícia plantada” a especulação envolvendo o treinador do Palmeiras com o clube do Morumbi.

"Temos um compromisso muito forte com o Adilson. É uma ofensa qualquer cogitação a esse momento. Estamos fazendo boas campanhas no Brasileiro e na Sul-Americana. Não tem nenhum sentido esse tipo de conversa nesse momento. o São Paulo pretende manter o Adilson, temos contrato com ele”, destacou o dirigente em entrevista à rádio Estadão/ESPN.

“Estranhamos essas notícias na imprensa, mas essas coisas parecem que têm sido plantadas muito nessas últimas semanas. Primeiro foi a notícia de que estaríamos contratando o Vanderlei Luxemburgo”, completou Jesus Lopes.

Nesta quarta-feira, Sonia Racy, colunista do "Estadão", publicou que o São Paulo já teria até mesmo acertado um pré-contrato com Felipão, para que o técnico assumisse a equipe paulista na próxima temporada.

João Paulo de Jesus Lopes comentou também o fato de o clube ter feito um contrato curto com Adilson Batista quando ele foi contratado, em julho. Segundo o dirigente, foi uma prática nova adotada em comum acordo, já que o treinador assumiu a equipe no meio de uma temporada.

Por meio de sua assessoria de imprensa, Felipão negou qualquer tipo de contato com o rival e divulgou um comunicado ao qual classifica a informação como "inverídica".

Confira a nota na íntegra

"A colunista Sonia Racy publicou no site do Estado de SP uma nota inverídica sobre Luiz Felipe Scolari. Através de sua assessoria, ele afirma que não está negociando com nenhum clube do futebol brasileiro ou do futebol do exterior.

Aproveita para afirmar que nenhum empresário do futebol brasileiro tem o direito, autorização ou autonomia para falar em seu nome. O único agente que trabalha para o Scolari na Europa é o portugues Jorge Mendes. Portanto não tem nenhum fundamento a nota da colunista Sonia Racy que afirma que "Scolari teria até um prë contrato assinado com o São Paulo"