ICFUT – Ainda não foi desta vez! Brasil perde para o México e é prata

Fonte: lancenet

Peralta faz dois gols, um em cada tempo, e adia sonho do ouro olímpico

Neymar - Brasil x México (Foto: Cléber Mendes)Neymar tentou algumas das principais jogadas do Brasil (Foto: Cléber Mendes)

O título ainda não veio. O Brasil vai ter que esperar até 2016 para voltar a lutar por sua primeira medalha de ouro olímpica no futebol. A Seleção fez a final na manhã deste sábado em Wembley, perdeu para o México por 2 a 1, e vai ter que se contentar com a medalha de prata, a terceira desta cor que conquista na história.
O gol que a Seleção levou antes do primeiro minuto, o mais rápido da história olímpica, balançou com o time de Mano Menezes, que demorou a entrar no jogo, e deu tempo ao México se organizar em campo para manter o resultado.

Lucas, Rômulo, Damião, Oscar e Neymar: decepção no pódio (FOTO: Cléber Mendes)

O JOGO

A partida praticamente começou 1 a 0 para o México. O primeiro gol saiu aos 28 segundos de jogo após uma falha no sistema defensivo brasileiro. Depois da saída de bola, Rafael tocou totalmente na fogueira para Sandro, Aquino foi mais inteligente e rápido que o volante, roubou a bola, tocou para Peralta, que chutou bem de fora da área.

O lance assustou a equipe de Mano Menezes. Demorou um pouco para haver uma recuperação e o Brasil conseguir colocar a bola no chão, tocá-la e chegar ao gol de Corona. Só pelos 15 minutos que conseguiu ir para a frente, arrumou um escanteio, mas não levou nenhum perigo para o México. O primeiro chute foi aos 19, após jogada de linha de fundo de Damião. Oscar arriscou, mas a finalização saiu fraca.

O México, com a vantagem no placar, levava a partida de forma tranquila. Tocava a bola, arriscava de longe, e também batia um pouco. A formação brasileira não deu certo no início. Alex Sandro não dava o suporte esperado pelo lado esquerdo, e a direita ficava enfraquecida tendo Rômulo como um volante mais avançado. Faltou a agressividade de um jogador como o Hulk pelo setor. A Seleção estava capenga, jogava apenas por um flanco.

Mano não demorou para ver isto e lançou Hulk no lugar de Alex Sandro, seu companheiro de Porto. E os lances de perigo começaram a sair. O primeiro foi em boa jogada de Marcelo. A bola não chegou para Neymar, nem Damião. Pouco depois, Hulk soltou uma pancada do meio da rua e Corona quase deu rebote para o centroavante. Ainda na sequência, ele mesmo fez trabalho de pivô para chute do lateral-esquerdo, que foi para fora. O primeiro tempo terminou neste ritmo, com bons lances do Brasil, e esperança de uma etapa final melhor.


Oscar lamenta o gol perdido no último lance do jogo (FOTO: Cléber Mendes)

SEGUNDO TEMPO

E assim foi, começamos melhor. Hulk deu sua arrancada clássica pelo lado, o que foi raro na Olimpíada, e conseguiu um bom lance antes do primeiro minuto. Logo depois, Neymar arriscou de longe e tentou se infiltrar na área mexicana. O Brasil estava ofensivo e dava impressão de que o gol seria questão de tempo. Mas nada da rede balançar.


Lucas desolado no fim do jogo
(Foto: Khaled Desouki/AFP)

Até que o México teve chance. Thiago Silva rebateu de forma esquisita em cima de Fabian, que arriscou uma bicicleta tão estranha quanto. A bola acabou batendo no travessão. Susto. E Peralta ainda fez um gol anulado logo depois. A diminuição do ímpeto brasileiro levou Mano a mexer novamente e ir para cima de vez. Tirou Sandro para colocar Alexandre Pato.

Só que não deu, pelo contrário. Falta lateral marcada de forma duvidosa na área cobrada por Fabian, e toda a defesa, imóvel, apenas enxergou Peralta, ele de novo, subir e cabecear com perfeição para ampliar. Daí para o fim, o nervosismo tomou conta dos brsaieliros, que não conseguiu armar nada, e teve até discussão feia entre Rafael e Juan. O zagueiro ouviu poucas e boas do lateral-direito.

Hulk ainda conseguiu um achar o gol aos 45 minutos e botou fogo no jogo. No último instante, o atacante recebeu lançamento de Neymar na ponta direita, e cruzou para Oscar, que livre, cabeceou para fora o sonho do ouro, que acabou indo para a América Central.

FICHA TÉCNICA
BRASIL 1 X 2 MÉXICO

Local: Estádio Wembley, em Londres (ING)
Data-Hora: 11/8/2012 – 11h (de Brasília)
Árbitro: Mark Clattenburg (ING)
Auxiliares: Stephen Child (ING) e Simon Back (ING)
Cartões amarelos: Marcelo e Leandro Damião (BRA); Reyes, Israel Jiménez e Vidrio (MEX)
Cartões vermelhos: –
Gols:
Peralta 28"/1ºT (0-1), Peralta 29’/2ºT (0-2) e Hulk 45’/2ºT (1-2)

BRASIL: Gabriel, Rafael (Lucas 39’/2ºT), Thiago Silva, Juan e Marcelo; Sandro (Alexandre Pato 25’/2ºT), Rômulo, Alex Sandro (Hulk 31’/1ºT) e Oscar; Neymar e Leandro Damião – Técnico: Mano Menezes.

MÉXICO: Corona; Israel Jimenez (Vidrio 35’/2ºT), Salcido, Mier e Chavez; Reyes, Enriquez, Herrera e Fabián; Aquino (Ponce 11’/2ºT) e Peralta (Raul Jiménez 40’/2ºT) – Técnico: Luis Fernando Tena.

ICFUT–LONDRES: EUA vencem o Japão e conquistam o tetra olímpico

Fonte: globo

Ameaçadas de desemprego, Solo & cia. derrotam as atuais campeãs mundias por 2 a 1 em Wembley e levam, mais uma vez, a medalha de ouro

Os Estados Unidos provaram nesta quinta-feira que, pelo menos quando são as mulheres em campo, eles são o país do futebol. Em um Wembley abarrotado com mais de 83 mil pagantes e quase 90 mil presentes, as americanas venceram o Japão por 2 a 1 e conquistaram sua quarta medalha de ouro olímpica – a terceira seguida.

Na revanche contra o Japão, que venceu os EUA na final da Copa do Mundo no ano passado, as musas Hope Solo e Alex Morgan foram muito bem, mas quem brilhou foi a camisa 10 Lloyd. Com dois gols, ela comandou a vitória americana em Wembley. Ogimi descontou para as japonesas.

Carli Lloyd, EUA x Japão, Futebol Masculino (Foto: Agência Reuters)Carli Lloyd comemora o primeiro gol das americanas (Foto: Agência Reuters)

O título olímpico talvez ajude a mudar o destino da categoria nos EUA. O fim da liga profissional (WPS) em janeiro deste ano abalou o futebol feminino no país. Marta, por exemplo, voltou para a Suécia. Na seleção americana, só seguem empregadas as sete jogadoras de clubes que passaram a disputar ligas semiprofissionais: Hope Solo, Alex Morgan, Sydney Leroux e Megan Rapinoe (Seattle Sounders), Tobin Heath (New York Fury), Becky Sauerbrunn (DC United) e Heather O’Reilly ( Boston Breakers). A atacante Abby Wambach, eleita a terceira melhor do mundo em 2011, e a meia Lloyd, destaque da decisão olímpica, estão sem time, por exemplo.

Gol-relâmpago

Com Wembley lotado e a medalha de ouro em jogo, a partida começou em um ritmo alucinante. Mais agressivas, as americanas tomaram a iniciativa, partiram para cima e foram recompensadas logo aos sete minutos. Após boa jogada pela esquerda, Alex Morgan cruzou na medida e Lloyd cabeceou com força: 1 a 0.

O gol americano, porém, não desanimou as japonesas, que passaram a ter o controle do jogo. Sawa e Ogimi entraram em ação e, juntas, criaram as melhores chances do Japão, mas esbarraram na “muralha” Hope Sole. Em grande noite, a goleira-musa foi a principal responsável pelos EUA irem para o intervalo com a vantagem no placar.

Musa salva

Primeiro, Sawa descolou lindo passe em profundidade para Kawasumi, que bateu na saída de Solo. Rampone salvou quase em cima da linha. Na sobra, Ogimi chutou à queima-roupa, mas Solo se jogou e fiz linda defesa.

Hope Solo, EUA x Japão, Futebol Masculino (Foto: Agência Reuters)Hope Solo fez três grandes defesas e conquistou sua terceira medalha de ouro (Foto: Agência Reuters)

Mal deu tempo de as americanas respirarem, e a dupla japonesa voltou a aprontar. Desta vez, Sawa cruzou para Ogimi livre na área. A atacante cabeceou forte, mas Solo se esticou toda e conseguiu espalmar. A bola explodiu no travessão, e Ogimi chutou o rebote para fora. O Japão voltou a esbarrar na trave logo em seguida. Aos 33, Miyama chutou de primeira da entrada da área e carimbou o poste.

Apesar do claro domínio japonês, os EUA quase ampliaram, por acaso. Após cruzamento, Iwashimizu tentou cortar de cabeça, mas mandou na própria trave e, por pouco, não marcou contra.

Lloyd amplia, e Solo brilha

Um golpe rápido e preciso. Com a mesma estratégia da primeira etapa, os EUA chegaram rapidamente ao gol no início do segundo tempo. Logo aos oito, Lloyd arrancou um pouco depois do meio de campo, deixou para trás duas japonesas e bateu da entrada da área: 2 a 0 e ouro bem encaminhado.

Se não se abateu com o primeiro gol americano, o Japão sentiu o golpe no segundo. Visivelmente nervosas, as japonesas passaram a errar passes fáceis, ao mesmo tempo em que ficaram bastante vulneráveis na defesa, cedendo espaços para os contra-ataques americanos.

Um lance confuso, no entanto, deu novo ânimo às atuais campeãs mundiais. Após bate-rebate na área, a bola sobrou limpa para Ogimi, que mandou para o fundo da rede. O gol animou o Japão, mas não o suficiente para superar Hope Solo. Naquele que pode ter sido o lance de ouro, a goleira voou, a sete minutos do apito final, para defender um chute de Tanaka e garantir seu terceiro título olímpico e o quarto dos EUA.

ICFUT – Que venha o México! Brasil goleia a Coreia do Sul e volta a disputar uma final olímpica

Fonte: lancenet

Leandro Damião faz dois gols, assume artilharia da Olimpíada e Seleção brigará pela inédita medalha de ouro depois de 24 anos

Brasil X Coreia  - Gol de Leandro Damiao - (Foto: Andrew Yates/AFP)Leandro Damião assumiu a artilharia da Olimpíada de Londres (Foto: Andrew Yates/AFP)

O Brasil demorou a engrenar nesta terça-feira no Old Trafford, em Manchester, e contou um pouco com a sorte, mas mostrou superioridade contra a Coreia do Sul e, principalmente, poder de decisão. Acabou por fazer 3 a 0 na equipe oriental, e voltou à final olímpica no futebol masculino depois de 24 anos. Rômulo e Leandro Damião (duas vezes) marcaram os gols da Seleção que fez três gols em todas as partidas até agora.

A final será disputada em Wembley no próximo sábado contra o México, às 11h (de Brasília), que eliminou o Japão também nesta terça. As duas seleções asiáticas disputam a medalha de bronze na sexta-feira no Millenium Stadium, em Cardiff, no País de Gales, às 15h45 (de Brasília).

O JOGO

No início, Neymar buscava muito jogo, principalmente do meio para a esquerda, mas sem ser tão aberto como costuma. Muito por causa do reforço de Alex Sandro por este lado, surpresa de Mano Menezes na escalação. Ele tirou Hulk, que cai pela direita, e adiantou um pouco o volante Rômulo pelo lado do atacante barrado, deixando Sandro mais plantado na frente da zaga.

Mas a Seleção demorou a achar seu jogo e as primeiras boas chances foram da Coreia. Ainda no início, bola na área do Brasil e uma verdadeira bagunça. Nam driblou como quis, e no rebote o goleiro Gabriel não saiu bem. No cruzamento, a defesa conseguiu tirar no sufoco.

Logo depois, mais perigo. Cruzamento de Ji, Gabriel volta a sair mal, Kim cabeceou de volta para a área, o atacante que botou lá dentro foi na jogada outra vez, e Thiago Silva tirou de qualquer forma. Dois minutos depois, novo chute do mesmo jogador, que foi perto.

Em seguida, nova besteira do goleiro. Deu a bola no pé de Ji, mas Thiago Silva foi um gigante e desarmou. O Brasil não conseguia trocar passes e estava recuado. Os poucos lances de perigo vinham de erros das sul-coreanas ou jogadas individuais, como nas duas vezes em que Leandro Damião teve oportunidades, que não conseguiu concluir.

Mas pelo menos serviram para acordar o Brasil. A primeira chance veio com Sandro, que experimentou de longe, e quase que Damião aproveitou o rebote. A Seleção diminuiu o ímpeto dos rivais e começou a tocar a bola. Quando surgiu uma grande chance, saiu o gol. Jogada em velocidade, Oscar, quase da entrada da área, viu Rômulo entrar ao seu lado, e o volante recebeu para chutar no cantinho e abrir o placar já na reta final da etapa.

                     Oscar, Neymar e Rômulo comemoram gol brasileiro (Foto: Paul Ellis/AFP)

SEGUNDO TEMPO

Na volta do intervalo, a Coreia do Sul voltou atacando e forçando os erros brasileiros. Juan tirou de forma atabalhoada no início, e pouco depois, Bokyung Kim caiu na área após dividida com Sandro, mas o árbitro mandou seguir. E a Seleção voltava a não conseguir tocar a bola. E assim como na etapa inicial, foi só conseguir fazer alguma jogada, que os gols apareceram.

Neymar e Marcelo invadiram a área em conjunto, o atacante foi à linha de fundo, tocou para trás, passou por Younggwon Kim, o lateral furou, e sobrou para Damião, que chutou com firmeza para aumentar o placar e dar segurança. E se o atacante do Internacional teve sorte neste lance, voltou a ter sete minutos depois.

Oscar recebeu de Neymar, que fez jogada na área, e tocou para dentro da área. A bola desviou e sobrou para Damião, que deu um bico providencial para fazer o terceiro gol do Brasil, e ultrapassar o senegalês Konaté na artilharia do torneio olímpico.

Daí para o fim, a Coreia do Sul entregou os pontos, e mais nada conseguiu fazer. O Brasil apenas cozinhou o jogo, e os jogadores já estavam se poupando para a decisão de sábado, que vai garantir uma medalha de ouro inédita, seja para quem for.

FICHA TÉCNICA
COREIA DO SUL 0 X 3 BRASIL

Local: Old Trafford, Manchester (ING)
Data-hora: 07/08/2012, às 15h45 (de Brasília)
Árbitro: Pavel Kralovec (RTC)
Gols: Rômulo (37’/1ºT), Leandro Damião (11’/2ºT), Leandro Damião (18’/2ºT)
Cartões amarelos: JI (CDS)
Cartões vermelhos: Nenhum

COREIA DO SUL: Lee, Oh, Yun, Y. Kim e Hwang; Ki, B. Kim, Ji (Baek, 31’/2ºT), Nam e Koo (Jung, 13’/2ºT); H. Kim (C. Park, 25’/2ºT). Técnico: Myung Bo Hong

BRASIL: Gabriel, Rafael, Thiago Silva, Juan (Bruno Uvini, 37’/2ºT) e Marcelo (Hulk, 30’/2ºT); Sandro, Rômulo, Alex Sandro e Oscar; Neymar e Leandro Damião (Alexandre Pato, 32’/2ºT). Técnico: Mano Menezes

ICFUT – Mano fecha treino, volta a fazer mistério, mas deve manter Gabriel e Damião na semifinal

Fonte: espn

Mano Menezes decidiu fechar o último treino da seleção brasileira e voltou a apostar no mistério antes do duelo contra a Coreia do Sul, pela semifinal do torneio olímpico de futebol masculino. O técnico só liberou a entrada da imprensa no Partington Sports Village, em Manchester, após o treino tático que comandou, e não houve pistas do time que começará jogando.

Leandro Damião comemora o gol da virada: alívio para o Brasil

Damião comemora gol contra Honduras; ele deve ser titular na terça 

A estratégia de esconder a equipe titular já fora usada por Mano antes do duelo das quartas de final, contra Honduras. No jogo, surpreendeu ao escalar Leandro Damião como centroavante na vaga de Alexandre Pato e Gabriel no gol ao invés de Neto, já que a dupla havia sido banco diante da Bielorrússia e entrara desde o início contra a Nova Zelândia, partida em que o treinador deu chance a quem não vinha sendo titular.

Mesmo com o mistério, Mano deve mandar a campo o mesmo time que venceu os hondurenhos no sufioco por 3 a 2, ou seja, com Leandro Damião e Gabriel titulares, Neto e Alexandre Pato na reserva. Substituído nas quatro partidas, o volante Sandro é o único que pode perder a vaga, dando lugar a Danilo. 

Desta forma, a seleção brasileira deve começar o jogo contra a Coreia do Sul, às 15h45 (de Brasília) desta terça, no estádio Old Trafford, com Gabriel; Rafael, Thiago Silva, Juan e Marcelo; Rômulo, Sandro (Danilo) e Oscar; Neymar, Hulk e Leandro Damião.

ICFUT–LONDRES: Brasil 3 x 2 Honduras – Seleção sofre, mas vira e vai à semifinal

Fonte: futebolinterior

O adversário da Seleção sairia do confronto entre Grã-Bretanha e a Coreia do Sul

Rio de Janeiro, RJ, 04 (AFI) – A Seleção Brasileira esteve por duas vezes atrás no placar, mas superou os sustos e venceu Honduras por 3 a 2, neste sábado, no Saint Jame’s Park, em Newcastle, pelas quartas de final da Olimpíada. Depois de eliminar a badalada Espanha na primeira fase, os hondurenhos mostraram mais uma vez que são especialistas em surpreender os favoritos. Com um jogador a mais desde o primeiro tempo, a equipe de Mano Menezes precisou de uma boa atuação de Leandro Damião, autor de dois gols, para garantir a sexta participação brasileira em semifinais olímpicas.

O adversário da Seleção pela vaga na final sairia do confronto entre a anfitriã Grã-Bretanha e a Coreia do Sul, que será disputado ainda neste sábado, em Cardiff. Seja qual for seu rival, o Brasil definirá sua vida nos Jogos de Londres na terça-feira, às 15h45 (de Brasília), no Estádio Old Trafford, em Manchester.

Surpresa no início
A ironia é que a Seleção poderia ter se livrado dos sustos em cinco minutos. Foi o tempo suficiente para que Damião e Oscar perdessem logo de cara duas chances claras de abrir dois gols de diferença. A primeira delas veio aos 30 segundos, quando o camisa 9 ganhou uma disputa pelo alto e saiu na cara do goleiro Mendoza, mas bateu para fora. Logo depois, Oscar recebeu de Neymar na marca do pênalti e carimbou a zaga.

O castigo pela falta de pontaria veio rapidamente. Os hondurenhos deram as caras no ataque somente aos 12 minutos, mas foram fatais. Figueroa dominou mal um passe na entrada da área e a bola sobrou caprichosamente para Martinez acertar um belo chute de primeira, no ângulo de Gabriel, que ganhou a vaga de Neto no gol brasileiro.

O problema para Honduras é que o lateral Crisanto, que já havia cometido seis faltas no jogo, entrou forte em Hulk e Neymar num intervalo de um minuto. Ganhou dois cartões amarelos, consequentemente um vermelho, e ainda uma bela bronca do técnico Luis Suárez na saída de campo. Espaço era o que o Brasil mais precisava. Aos 37, Hulk recebeu na área, foi à linha de fundo e cruzou; Damião se aproveitou da indecisão dos zagueiros e empatou, de carrinho. Logo em seguida, Mano decidiu se precaver de uma eventual compensação da arbitragem e trocou Sandro, que já tinha amarelo, por Danilo.

Vacilo quase custou caro
Quando se imaginava um segundo tempo mais tranquilo por conta da superioridade numérica brasileira, nova surpresa. Logo aos 2 minutos, Espinoza bateu rasteiro da entrada da área, Gabriel demorou para cair e viu a bola morrer na rede. A sorte do Brasil é que a reação foi instantânea. Um minuto depois, o árbitro alemão Felix Brych marcou pênalti duvidoso de Velásquez sobre Damião. Neymar cobrou no ângulo direito e comemorou seu terceiro gol na Olimpíada.

Os hondurenhos marcavam forte, e a torcida inglesa começou a se impacientar com as quedas dos brasileiros. Neymar, o "símbolo" das supostas simulações, passou a ser vaiado a cada toque na bola. Mas, concentrado, a seleção ignorou a reação das arquibancadas e virou o jogo com Damião, que recebeu do próprio Neymar na área, girou sobre a zaga e bateu no canto direito, aos 14.

A partir daí o jogo ficou travado. Honduras só ameaçou nas saídas de gol do inseguro Gabriel, e o Brasil não melhorou nem mesmo com a entrada de Lucas no lugar de Hulk. Só não se pode dizer que a tranquilidade reinou no gramado do Saint Jame’s Park porque Rômulo, Damião e Marcelo também receberam cartões amarelos e Espinoza foi expulso e saiu de campo como herói, aplaudido pela torcida.

 

ICFUT – Sawa vence duelo com Marta e Brasil cai para o Japão nas quartas

Fonte: lancenet

Pela primeira vez a Seleção não chega nas semifinais do futebol feminino

BRA X JPN - (Foto: Glyn Kirk/AFP)Renata teve boa chance no primeiro tempo (Foto: Glyn Kirk/AFP)

Ainda não vai ser desta vez que o futebol feminino vai levar a medalha de ouro nos Jogos Olímpicos. Na verdade, foi a pior campanha das meninas nesta competição, que tem a modalidade desde 1996. A derrota contra o Japão por 2 a 0 na tarde desta sexta-feira em Cardiff, no País de Gales, tirou a chance da Seleção levar outra medalha, e as nipônicas vão às semifinais para enfrentar a França.

O Brasil não jogou mal. Houve um domínio por praticamente 90 minutos da partida. Mas poucas chances tiveram alguma finalização, principalmente por causa da insistência no jogo aéreo. Mas a baixa estatura atrapalhava. E do outro não havia uma equipe qualquer, o Japão venceu o Mundial no ano passado, e tem no meio-campo a atual Melhor Jogadora do Mundo: Sawa. Ela acabou sendo bem mais efetiva do que Marta, que não brilhou nos Jogos Olímpicos. E o jogo deixou claro que a derrota contra o Reino Unido seria fatal.

O JOGO

O primeiro tempo teve um domínio do Brasil. O problema é que o gol não saiu, e nos poucos momentos de brilho do Japão, elas foram mais perigosas. Como no primeiro lance do jogo. Ohnu matou a bola no peito e acertou um bonito chute, obrigando Andreia a trabalhar logo.

Depois desse lance, o Brasil começou a dominar o meio-campo. O Japão esperava a bola para transições velozes, mas desta vez, ao contrário do jogo contra o Reino Unido, a marcação no meio funcionava, e, pelo menos por enquanto, conseguia controlar o jogo.

Renata Costa estava mais avançada, Thaisinha flutuava na frente pelos dois lados, e Marta organizava as jogadas em conjunto com Formiga. Quando a bola chegava na frente, Cristiane levava perigo, mas a primeira grande chance foi de Renata, aos 16: cruzamento de Rosana, a zaga não cortou, e sobrou para a brasileira, que da marca do pênalti chutou por cima.

As poucas vezes em que o Japão chegava eram através de Sawa, a "Xavi de saias". Após lindo passe, Kinga teve boa chance, mas foi desarmada. Na jogada seguinte, lindo chute de Formiga, e defesa melhor ainda de Fukumoto.

O lance parece ter acordado as japonesas, que enfim conseguiram manter a bola. Na sequência foram duas chances, uma com Ohno e outra com Miyama. Na terceira, as nipônicas não perdoaram. Ogimi recebeu bom passe, a defesa vacilou, e a atacante sai na cara de Andreia, que também não fechou muito bem, e o chute veio bem colocado para abrir o placar.

Ogimi corre para comemorar com Sawa (Foto: Glyn Kirk/AFP)

SEGUNDO TEMPO

No início da etapa final, o Brasil demonstrava nervosismo. Nos primeiros 10 minutos, Marta levou um cartão amarelo, e logo depois deixou o pé em uma adversária, mas que não teve maldade. De qualquer forma, estava mais difícil sair para o ataque, o Japão valorizava a posse e marcava muito bem, jogava com inteligência. A melhor chance tinha sido em cobrança de falta da Rainha, que passou perto do gol de Fukumoto.

Pouco depois, o Brasil melhorou, algumas boas chances. Uma finalização de Cristiane passou muito perto. E a empolgação veio. Rosana e Marta cresceram bastante e o jogo tornou-se uma pressão, assim como no primeiro tempo Mas muitos cruzamentos altos na área eram desperdiçados. E do mesmo jeito que estava a etapa inicial, depois do domínio brasileiro, veio o gol japonês. E com estilo.

Ohno recebeu lindo lançamento, limpou a zaga brasileira, e finalizou de canhota, sem qualquer chance para Andreia. Depois disso, a Seleção perdeu qualquer ânimo para reação. Até teve algumas chances, mas a eliminação acabou vindo mais cedo do que o esperado, e a esperança do ouro no futebol ficou para os homens.

FICHA TÉCNICA
BRASIL 0X2 JAPÃO

Local: Millenium Stadium, Cardiff (GAL)
Data-Hora:
03/08/2012, às 13h (de Brasília)
Árbitra: Kirsi Heikkinen (FIN)
Gols:
Ogimi (26’/1ºT), Ohno (28’/2ºT)
Cartões amarelos:
Marta (BRA), Sakaguchi (JAP), Bruna (BRA)
Cartões vermelhos:

BRASIL: Andreia, Fabiana, Bruna, Erika, Renata Costa (Grazielle, 39’/2ºT) e Rosana (Ester, 34’/2ºT); Francielle, Thaisinha e Formiga; Cristiane e Marta. Técnico: Jorge Barcellos

JAPÃO: Fukumoto, Kinga, Iwashimizu, Kumagai e Sameshima; Xakaguchi, Miyama, Kawasumi e Sawa; Ohno (Ando, 34’/2ºT) e Ogimi (Takase, 43’/2º). Técnico: Norio Sasaki

ICFUT – Seleção feminina abre Olimpíada por fim de traumas e novo reinado de Marta

Fonte: uol

Cinco vezes eleita a melhor do mundo, Marta ficou sem o prêmio em 2011 e busca recuperá-lo

Cinco vezes eleita a melhor do mundo, Marta ficou sem o prêmio em 2011 e busca recuperá-lo

A Olimpíada de 2012 começa nesta quarta-feira com a primeira rodada do futebol feminino. Para o Brasil, o pontapé inicial ocorre às 14h45 (horário de Brasília) e, apesar de esses serem os Jogos de Londres, a bola vai rolar em Cardiff (País de Gales), quando a seleção feminina de futebol estreia contra Camarões.

Será a quinta edição do torneio feminino e a seleção brasileira busca a inédita medalha de ouro. Em Pequim (2008) e Atenas (2004), faturou a prata. O sonho do título acabou duas vezes na prorrogação, quando Marta e Cia perderam para os Estados Unidos, que faturaram três ouros (o primeiro deles em 1996). A Noruega ganhou em 2000.

É uma nova oportunidade para as mulheres do Brasil encerrarem a série de fracassos em partidas decisivas. Além das derrotas em duas semifinais e duas finais de Olimpíadas, perderam também uma semi e uma final de Copa do Mundo.

"É um sonho que venho buscando há muito tempo. Já tenho duas medalhas de prata, agora, é a oportunidade de reverter essas duas finais perdidas. É um momento de trabalho e dedicação, e espero que o time, se chegar à final, tenha aprendido a lição", declarou Marta, durante o período de preparação.

Para a craque alagoana, brilhar na Olimpíada será um passo importante na busca por um novo reinado como a melhor do mundo. Vencedora do prêmio por cinco vezes, a camisa 10 da seleção viu a japonesa Homare Sawa faturar a estatueta em 2011, por levar seu país ao título mundial.

A seleção nacional, comandada por Jorge Barcellos, encara, além de Camarões, a Nova Zelândia e o Reino Unido. As favoritas Japão e Estados Unidos são cabeça-de-chave nas outras duas chaves. A primeira fase não é das mais complicadas, já que se classificam os dois primeiros de cada grupo e ainda os dois melhores terceiros colocados.  

BRASIL X CAMARÕES

Data: 25/7/2012, quarta-feira
Horário: às 14h45 (de Brasília)
Local: estádio Millennium, em Cardiff (País de Gales)

BRASIL
Andreia, Fabiana, Bruna Benites, Aline Pellegrino, Renata Costa e Maurine; Francielle, Formiga e Ester; Cristiane e Marta
Técnico: Jorge Barcellos

CAMARÕES
Ngo Ndom, Manie, Sonkeng, Meffoumetou e Ngono; Zouga, Bella, Feudjio e Beyene; Iven e Onguene
Técnico: Enow Nagatchu

ICFUT–LONDRES: Convocados pelo Mano Menezes

Fonte: globo.com

Mano convoca Thiago Silva, Marcelo e Hulk para Londres: veja a lista dos 18

Equipe inicia treinos na próxima segunda-feira, no Rio, e segue para Londres no dia 16. Preparação na capital inglesa será no CT do Arsenal

O técnico Mano Menezes convocou nesta quinta-feira os 18 jogadores que defenderão a seleção brasileira na busca pela inédia medalha de ouro nos Jogos Olímpicos. Os três atletas com mais de 23 anos são o zagueiro Thiago Silva, do Milan, o lateral-esquerdo Marcelo, do Real Madrid, e o atacante Hulk, do Porto. Assim, o zagueiro David Luiz, do Chelsea, e o lateral-direito Daniel Alves, do Barcelona, estão fora.

– Primeiro que não convoquei o Hulk para o lugar do David Luiz. Nunca me posicionei a respeito de outro zagueiro que não fosse o Thiago Silva. A lista contempla 18 jogadores e precisavamos fazer uma escolha de três jogadores acima de 23 anos. Entendi que o ganho seria grande com um atleta mais experiente do meio para fente, como foi possível ver nos últimos quatro amistosos – explicou Mano.

Mano relacionou ainda quatro atletas como "reservas", ou seja, que podem ser chamados em caso de lesão depois a estreia da Seleção nas Olimpíadas de Londres: o goleiro Gabriel (Milan, ex-Cruzeiro), o meia-atacante Giuliano (Dnipro, ex-Internacional), o zagueiro Marquinhos (Corinthians) e o volante Casemiro (São Paulo). Até o primeiro jogo, o treinador poderá chamar qualquer um dos jogadores que estavam na pré-lista de 35 (veja a relação aqui).

O presidente da CBF, José Maria Marin, convidou os tetracampeões Bebeto e Romário para sentarem ao lado de Mano na convocação, já que os dois foram medalha de prata nos Jogos de 1988. O diretor de seleções, Andrés Sanches, e o chefe da delegação em Londres, Delfim Pádua (presidente da federação catarinense), também participaram da mesa em um hotel na Zona Sul do Rio de Janeiro.

lista convocados Seleção Brasileira olimpíadas reservas correto 2 (Foto: Editoria de Arte / Globoesporte.com)

ICFUT – Seleção feminina cai no grupo da Grã-Bretanha nos Jogos de Londres

Fonte: globo

Medalha de prata nas últimas Olimpíadas, time de Marta terá ainda Camarões e Nova Zelândia pela frente no Grupo E da primeira fase

A Seleção Brasileira feminina já conhece seus rivais na primeira fase do torneio de futebol das Olimpíadas deste ano: Marta & cia. vão encarar a anfitriã Grã-Bretanha, a Nova Zelândia e Camarões no Grupo E. O sorteio foi realizado nesta terça-feira no estádio de Wembley, em Londres, com a participação de Ronaldo Fenômeno.

A estreia do time treinado por Jorge Barcellos, que ficou com a medalha de prata em 2008, será no dia 25 de julho contra as camaronesas, em Cardiff (País de Gales). Em 28 de julho, a equipe pega a Nova Zelândia na mesma cidade. A última rodada será contra a Grã-Bretanha no estádio de Wembley, dia 31 de julho.

Se avançar em primeiro lugar, a Seleção Brasileira pegará um dos dois melhores terceiros colocados no dia 3 de agosto, em Coventry. Caso fique na segunda colocação, Marta & cia. encaram o segundo do Grupo F, que tem o campeão mundial Japão, Canadá, Suécia e África do Sul.

GRUPO E GRUPO F GRUPO G
E1 Grã-Bretanha F1 Japão G1 Estados Unidos
E2 Nova Zelândia F2 Canadá G2 França
E3 Camarões F3 Suécia G3 Colômbia
E4 Brasil F4 África do Sul G4 Coreia do Norte
JOGOS
25/7 – Cardiff
Grã-Bretanha x Nova Zelândia
Camarões x Brasil
28/7 – Cardiff
Nova Zelândia x Brasil
Grã-Bretanha x Camarões
31/7 – Coventry
Nova Zelândia x Camarões
31/7 – Londres
Grã-Bretanha x Brasil
JOGOS
25/7 – Coventry
Japão x Canadá
Suécia x África do Sul
28/7 – Coventry
Japão x Suécia
Canadá x África do Sul
31/7 – Cardiff
Japão x África do Sul
31/7 – Newcastle
Canadá x Suécia
 
JOGOS
25/7 – Glasgow
EUA x França
Colômbia x Coreia do Norte
28/7 – Glasgow
EUA x Colômbia
França x Coreira do Norte
31/7 – Manchester
EUA x Coreia do Norte
31/7 – Newcastle
França x Colômbia
 

As semifinais serão disputadas em 6 de agosto, enquanto a final está marcada para 9 de agosto no estádio de Wembley, em Londres.

Presente ao sorteio, o presidente da CBF, José Maria Marin, aprovou os rivais do Brasil na primeira fase do futebol masculino e feminino.

– Fiquei satisfeito com os dois grupos. Mas em uma competição como essa não existem favoritos, toda partida sera difícil. Uma seleção ser considerada de menor expressão pela imprensa não significa nada na prática – disse Marin ao SporTV.

Sorteio futebol dos Jogos Olímpicos (Foto: Getty Images)Ronaldo exibe papel com o nome da Grã-Bretanha no sorteio: chave do Brasil (Foto: Getty Images)