ICFUT : LUTO – Técnico campeão gaúcho em 2017 morre aos 54 anos

Fonte: Portal Terra

Beto Campos sofreu um infarto enquanto dormia durante a madrugada desta segunda-feira, em casa, em Santa Cruz do Sul.

O futebol brasileiro amanheceu de luto nesta segunda-feira. Aos 54 anos, o técnico Beto Campos, campeão gaúcho em 2017 com o Novo Hamburgo, sofreu um infarto enquanto dormia nesta madrugada, em sua casa, em Santa Cruz do Sul, no Vale do Rio Pardo (RS).
Beto Campos esteve à frente da equipe que surpreendeu o País durante o Campeonato Gaúcho do ano passado. Ele conduziu o Novo Hamburgo ao título da competição, superando Grêmio e Internacional, os dois gigantes do estado.

Com experiência no futebol do Rio Grande do Sul, Beto havia comandado equipes como o São José, Pelotas, Avenida, São Paulo-RS. Passo Fundo e Caxias. Após a conquista do campeonato regional de 2017, ele ainda dirigiu o Náutico e Criciúma, ambos sem sucesso.
Nesta temporada, o treinador retornou ao Novo Hamburgo, porém, não conseguiu repetir o bom desempenho no Gauchão e sua equipe ficou apenas na décima colocação. A demissão veio logo após o término do torneio.

De acordo com a imprensa local, o corpo de Beto Campos será velado em São Borja, no cemitério Jardim da Paz, em cerimônia aberta ao público.

 

 

Anúncios

LUTO ICFUT – Campeão com o Corinthians em 90 e ex-técnico, Giba morre aos 52 anos

Fonte: espn

Giba, ex-jogador do Corinthians, participa do Bate Bola Especial

Giba, ex-jogador do Corinthians, em visita ao Bate-Bola, da ESPN Brasil

Morreu na manhã desta terça-feira Antônio Gilberto Maniaes, o Giba, lateral-direito campeão brasileiro com o Corinthians em 1990 e técnico de diversos clubes brasileiros, com 52 anos, vítima de uma rara doença chamada amiloidose.

Giba estava internado no Hospital Sirio Libânes, onde tratava a doença. Na segunda-feira, a situação se agravou, e o ex-jogador entrou em coma intensivo. A morte foi confirmada nesta manhã.

Como jogador, Giba defendeu Guarani, Inter de Limeira e Corinthians, onde foi titular na conquista do primeiro título brasileiro do clube, em 90. Seis anos mais tarde, se tornou técnico, no Etti Jundiaí.

GAZETA PRESS

Giba é outro que foi peça importante na conquista do título brasileiro de 1990, mas não estará na festaGiba foi campeão em 90 pelo Corinthians

No clube do interior paulista, Giba se tornou ídolo, levando o time à primeira divisão estadual e à segunda nacional em 2001 – ano de sua segunda passagem pela equipe.

Além do time de Jundiaí, Giba passou por Santos, CSA, Gama, Guarani, Atlético Sorocaba, Portuguesa, Santa Cruz, Remo, Sport, São Caetano, Ipatinga, Fortaleza, entre outros. No exterior, também treinou uma equipe no Kuwait.

Giba deixa a esposa, Débora, uma filha e irmãos. Seu corpo será velado em Campinas, cidade onde residia, e, posteriormente, será cremado.

A amiloidose é uma doença que faz com que as células da medula óssea produzam amiloide, substância anormal, que se acumula em diversos órgaos e tecidos celulares. No caso de Giba, o problema atingiu os rins.

LUTO ICFUT – Campeão mundial em 70, Joel Camargo, o Açucareiro, morre aos 67 anos

Fonte: gazetaesportiva

Zagueiro reserva da Seleção Brasileira na conquista da Copa do Mundo de 1970, o ex-jogador Joel Camargo faleceu na manhã desta sexta-feira aos 67 anos, na Santa Casa de Misericórdia, em Santos. A causa da morte não foi divulgada. O velório acontece na Santa Casa de Santos, e o enterro está agendado para 16h (de Brasília), no Cemitério da Filosofia.

O Santos divulgou uma nota oficial lamentando a morte do jogador, que defendeu o clube entre 1963 e 1971, época mais vitoriosa da história do clube, se tornando ídolo. Ao longo da carreira, Joel também defendeu a Portuguesa Santista, o Paris Saint-Germain-FRA, o CRB e o extinto Saad, de São Caetano do Sul.

Joel Camargo era um dos homens de confiança de João Saldanha para a Copa de 1970. A demissão do técnico às vésperas do Mundial, entretanto, custou sua vaga no time titular, sendo preterido pela dupla Brito e Piazza, escolhida por Zagallo para a disputa.

Divulgação/Santos FC

Ex-Santos, zagueiro Joel Camargo morreu nesta sexta-feira, aos 67 anos, no litoral santista

Nascido em Santos, em 1946, o ex-atleta também era conhecido pelo apelido de “açucareiro”, por jogar com os braços abertos. Após se aposentar, Joel passou por uma crise financeira que o obrigou a trabalhar como estivador no porto santista. Pouco depois de disputar a Copa de 1970, sofreu um grave acidente de carro em sua cidade natal se chocando com um poste. O então atleta saiu ileso, mas uma mulher que estava no banco do passageiro não resistiu e faleceu.

Por Cleber Aguiar – Morre Nilton Santos, a Enciclopédia do Futebol

Fonte: O Estado de São Paulo

Ex-jogador do Botafogo e da seleção brasileira tinha 88 anos e estava internado no Rio

O Brasil perdeu nesta quarta-feira a ‘Enciclopédia do Futebol’. O ex-lateral-esquerdo do Botafogo e da seleção brasileira, Nilton Santos, morreu no Rio, aos 88 anos. O ex-jogador sofria de mal de Alzheimer desde 2007 e havia sido internado no último sábado em um hospital da capital fluminense com insuficiência respiratória. Na segunda-feira, Nilton Santos foi diagnosticado com pneumonia.

Nascido no Rio em 16 de maio de 1925, Nilton Santos jogou profissionalmente por dezesseis anos e defendeu um único clube, o Botafogo da estrela solitária. Por causa disso, criticava o hábito de muitos jogadores que comemoram gols beijando a camisa. “Não existe amor. Cada ano beija um símbolo diferente”, costumava dizer sobre as imagens vistas na televisão.

Com a camisa do Botafogo, o jogador conquistou 26 títulos, participou de 729 jogos e marcou 11 gols. “Na minha época, tinha de atacar com cautela, porque se o time tomasse um gol nas minhas costas, o treinador ficava maluco”, explicava. “Quando as pessoas falam que se jogássemos hoje ficaríamos ricos, eu não invejo o dinheiro que eles têm. Eu invejo é a liberdade que eles têm de jogar, de poder marcar e atacar”, afirmou, em entrevista ao Estado em outubro de 2001.

Eleito pela Fifa o melhor lateral-esquerdo de todos os tempos, Nílton Santos fez 75 jogos pela seleção brasileira e marcou cinco gols. Foi reserva na Copa de 1950 e titular nos três Mundiais seguintes, conquistando o bi em 1958 e 1962. Numa época em que os esquemas de jogo eram bem diferentes dos atuais, com apenas três defensores incumbidos de marcar todos os avantes adversários, Nilton Santos criou seu próprio jeito de levar vantagem sobre os adversários, mesmo se estivesse de costas para eles.

Para tanto, usava até mesmo o sol a seu favor. “Eu ia tocando a bola (e observando). Quando a sombra chegava, sabia que era o adversário. Eu passava o pé por cima da bola e voltava”, lembrou em entrevista à TV Globo, em 2004.

Mesmo depois de pendurar as chuteiras, Nilton Santos nunca deixou de frequentar o Maracanã – pelo menos até 2007, quando começou a lutar contra o Alzheimer. “A bola é minha vida. Foi quem me deu tudo. Nunca me traiu, nunca me bateu na canela, sempre me obedeceu”, dizia, demonstrando ainda felicidade por ser apontado como um dos maiores jogadores de todos os tempos. “O bom é as pessoas lembrarem da gente com saudade.” O futebol brasileiro já sente essa saudade.

CURRÍCULO
Ídolo do Botafogo, Nilton Santos começou e encerrou sua carreira no clube carioca. Começou sua trajetória como profissional em 1948 e permaneceu no time até 1964. Também jogou pela seleção brasileira, jogando ao lado de Pelé e Garrincha a Copa de 1950. Sua última atuação pela ‘canarinha’ foi em 1962.

Por Cleber Aguiar – Luto! Morre correspondente do FI na região de Ribeirão Preto

Fonte: Futebolinterior.com.br

Renê Andrade era casado e tinha três filhos

0002048123107_imgUm dos maiores colaboradores do Portal Futebol Interior, Renê Andrade (foto) faleu na tarde desta segunda-feira, em Ribeirão Preto, no Hospital São Francisco. Internado há mais de 50 dias, ele estava sofrendo com problemas cardíacos. Jornalista e Radialista há mais de 30 anos, Renê faleceu com 56 anos.

Renê Andrade era torcedor do Comercial, de Ribeirão Preto, onde tentou a ser presidente do clube na década de 90, onde não teve êxito. Ele era casado e tinha três filhos.

No sábado, Renê sofreu uma parada cardiorrespiratória e nesta segunda-feira teve novas complicações, quando não resistiu e acabou falecendo. Informações sobre o velório e o sepultamento ainda não foram divulgadas pela família.

LUTO ICFUT – Aroldo Fedato falece vítima de pneumonia

Fonte: futebolinterior

O zagueiro evstiu a camisa do Coxa Branca nas décadas de 1940 e 1950

Publicado na segunda-feira, 9 de setembro de 2013

Curitiba, PR, 09 (AFI) – Os torcedores do Coritiba estão de luto nesta segunda-feira. Isso porque o ex-zagueiro Aroldo Fedato, ídolo do clube nas décadas de 1940 e 1950 faleceu, vítima de uma forte pneumonia nesta segunda-feira. O presidente do Coritiba, Vilson Ribeiro de Andrade, decretou luto oficial de três dias no clube pela perda do ex-jogador.

Fedato era nacionalmente conhecido pela forma como atuava. Diferente da maioria dos outros zagueiros da época, o ídolo do Coxa Branca era sempre muito elegante e dificilmente saia de campo com o calção sujo. A sua disciplina era sempre comentada por radialista e jornalista esportivos da década de 1940 e 1950.

Como zagueiro, Aroldo Fedato atuou no Coritiba entre os anos de 1944 e 1957. Neste período, o ídolo conquistou sete Campeonatos Paranaenses, em uma época que os campeonatos estaduais tinham mais valor que os campeonatos nacionais.

A fama de zagueiro disciplinado foi conquistada principalmente em 1951, quando o ex-jogador conquistou o prêmio Belfort Duarte, dado para os atletas menos violentso da temporada. Na ocasião, Feldato ficou 80 jogos sem levar um cartão amarelo ou vermelho.

O velório do ídolo alviverde vai acontecer nesta terça-feira (10), das 7h30 às 16h, no espaço Belfort Duarte do estádio Couto Pereira.

ICFUT – LUTO: Morre em São Paulo Wilson de Freitas, que fez história no futebol

Fonte: futebolinterior

O seputamento de Freitas está marcado para este sábado, no Cemitério Jaraguá

São Paulo, SP, 02 (AFI) – O futebol brasileiro perdeu, na manhã deste sábado, um de seus mais ilustres jornalistas esportivos do inrterior de São Paulo. O ex-narrador Wilson de Freitas (foto), que teve um AVC (Acidente Vascular Cerebral) no ano passado, faleceu em São Paulo, depois de mais de um ano internado em decorrência desta enfermidade.

Freitas, que atualmente morava no Bairro de Pinheiros, em São Paulo, nasceu em Taquaritinga, interior de São Paulo. Entre muitas emissoras, ele trabalhou nas TVs Gazeta e Cultura, onde junto com Flávio Prado foi um dos percurssores do programa Cartão Verde.

O ex-narrador esportivo era casado com Laura Regina, com quem teve uma filha: Ana Paula. Com uma carreira bastante promissora no jornalismo esportivo brasileiro, Freitas fez parte da equipe 1040 da Rádio Tupi, de São Paulo.

Wilson de Freitas ainda teve grande passagem pela Sportv e Rede Vida. Ele retornou para a TV Cultura, onde trabalhou com Flávio Adauto e Paulo Cezar Correia. Depois disso, Freitas fez alguns trabalhos como free-lancer.

Um dos jogos mais marcantes de Wilson de Freitas foi o chocolate do Santos sobre o Botafogo-SP, em 1964. E o time do glorioso técnico Oswaldo Brandão acabou vencendo por 11 a 0.

“Foram oito gols do Pelé. Um diferente do outro”, contou o narrador, em entrevista recente. “O curioso de tudo é que eu sai com a garganta inteira daquele jogo”, dizia Wilson de Freitas.

O seputamento de Wilson de Freitas está marcado para este sábado, no Cemitério Jaraguá, no km 22 da Rodovia Anhanguera, em São Paulo.

LUTO ICFUT – Jogador da segunda divisão mineira morre dentro do ônibus do clube

Fonte: futebolinterior

Lateral Raner, da Esportiva Guaxupé, teve uma parada cardíaca quando seguia com a delegação para a cidade de Três Corações

O lateral Raner, que defendia a Esportiva Guaxupé, da segunda divisão do futebol mineiro, faleceu na noite desta terça-feira vítima de uma parada cardíaca dentro do ónibus que conduzia a delegação para a cidade de Três Corações, onde a equipe enfrentaria o Santarritense, na tarde desta quarta. A informação é da TV Globo Minas.

Raner Mariano Almeida Guaxupé (Foto: Reprodução / Facebook)Raner Mariano Almeida Guaxupé (Foto: Reprodução / Facebook)

Raner Mariano de Almeida tinha 26 anos, era natural de Paracatu e rodou por vários clubes de Minas, tendo iniciado no pequeno Venda Nova, de Belo Horizonte. Entre outros, defendeu o Democrata de Sete Lagoas, Araxá, Mamoré, URT e vestia as cores da Esportiva Guaxupé.

LUTO ICFUT – Morre Milton Teixeira, um dos maiores presidentes da história do Santos

Fonte: futebolinterior

Apaixonado pelo “Peixe”, Milton Teixeira ocupou vários cargos no clube

Santos, SP, 10 (AFI) – A semana começou triste para o futebol brasileiro. Faleceu nesta segunda-feira, em Santos, Milton Teixeira (foto), um dos melhores presidentes da história do Santos.

Crédito foto: Gazeta Press

No próximo dia 16 de outubro, Milton Teixeira iria completar 82 anos, mas de algum temponão vinha bem de saúde e morreu em decorrência de falência múltipla de órgãos. O enterro do ex-dirigente acontece na tarde desta segunda-feira no Cemitério do Paquetá, em Santos.
Apaixonado pelo “Peixe”, Milton Teixeira ocupou vários cargos no clube e foi presidente de 1983 a 1987, em um período que o Santos não atravessa um bom momento financeiro. Milton Teixeira colocou dinheiro do bolso e montou equipes competitivas.

Em 1984 levou a equipe ao título paulista montando um time que tinha Rodolfo Rodrigues; Chiquinho, Márcio Rossini, Toninho Carlos e Toninho Oliveira; Dema, Paulo Isidoro, Lino e Humberto; Serginho e Zé Sérgio. Este time era comandado por Carlos Castilho (também já falecido).
Depois, Milton Teixeira ficou apenas nos bastidores, abrindo espaço para seu filho Marcelo Teixeira que foi presidente por uma década em um momento já mais positivo financeiramente do clube, conquistando títulos e revelando grandes jogadores.
Fora do Santos, Milton Teixeira era empresário no ramo da educação ecomunicações, tendo montado um império com a criação da UNISANTA – Universidade Santa Cecília.

LUTO ICFUT – Morre zagueiro campeão paulista de 1978 pelo Santos

Fonte: futebolinterior

Aos 61 anos, ele ainda dava aulas em escolinhas de São Paulo

Santos, SP, 06 (AFI) – O ex-zagueiro Antônio Carlos, que jogou no Santos e foi campeão paulista em 1978, morreu na madrugada desta segunda-feira em São Paulo. A informação foi divulgada pela jornalista Milton Neves.

Antônio Carlos tinha 61 anos e surgiu no futebol no início dos anos 1970 jogando em times do Grande ABC e seu melhor momento foi no Aliança de São Bernardo do Campo nos anos 1970. Na ocasião o Aliança montava fortes equipes para disputar a Divisão Intermediária (equivalente a A2) e Antônio Carlos destacou-se com um zagueiro que sabia aliar a força e a habilidade.

No Aliança, Antônio Carlos chamou a atenção de dirigentes do Santos que o contrataram para ficar como opção da dupla de zaga Joãozinho e Neto, titulares no Campeonato Paulista de 1978, quando o Santos foi campeão com um time repleto de garotos.

Ainda assim fez vários jogos, inclusive disputando as finais em um equipe que tinha como base Flávio; Nelsinho Batista, Antônio Carlos, Neto e Gilberto Sorriso; Zé Carlos, Pita e Toninho Vieira; Nilton Batata, Juary e João Paulo. O treinador era Chico Formiga e também fazia parte deste elenco jogadores como Vitor (goleiro), Clodoaldo, Claudinho, entre outros.

Do Santos, Antônio Carlos esteve no Ceará e jogou em outras equipes de menor expressão. Nos últimos tempos, Antônio Carlos não vinha bem saúde em razão de diabétes e sobrevivia dando aulas em escolinhas de futebol na periferia de São Paulo.

Na foto acima – Em Pé: Gilberto, Flávio, Joãozinho, Zé Carlos, Antônio Carlos e Nelsinho Batista.
Agachados: Claudinho, Toninho Vieira, Juary, Pita e João Paulo.