ICFUT–Golaço de Falcão

Fonte: foxsports

O craque brasileiro colocou mais um golaço em sua interminável lista, nesta terça-feira (18 de dezembro), no Futsal Fest, amistoso que reuniu as maiores estrelas da modalidade. Após sofrer falta perto da área, Falcão combinou a jogada com Manoel Tobias. O ex-companheiro de Seleção rolou para o lado e o camisa 12 mandou uma lambreta encobrindo barreira e o goleiro. Golaço!

ICFUT – Próximo do Mundial, Vanessa pede mais atenção para futsal feminino

Fonte: gazetaesportiva

No mês de novembro, a Seleção Brasileira masculina conquistou o heptacampeonato mundial de futsal. Falcão e companhia chamaram a atenção de todos os fãs da modalidade ao mostrar um grande poder de reação e superação na campanha que culminou no sétimo título. Menos de um mês após a coroação dos comandados do técnico Marcos Sorato, é a vez de as mulheres mostrarem que também têm força, sob a chancela do mesmo treinador, que substitui Vander Iacovino. Mas, se o futsal masculino no Brasil já recebe menos atenção do que deveria, com as mulheres a situação é ainda pior. Porém, assim como Alessandro Rosa Vieira, o Falcão, atrai pessoas para acompanhar mais o esporte, a Seleção feminina também tem uma estrela que figura entre as melhores do mundo. E o nome dela é Vanessa Cristina Pereira.
Atualmente vestindo a camisa do UnoChapecó (SC) e com passagem também pelo futsal espanhol, no qual defendeu as cores do Burela FS, a ala mineira de 24 anos de idade encanta pela sua habilidade e objetividade em quadra. Com dois prêmios de melhor jogadora do planeta dados pelo site futsalplanet.com, referência mundial na modalidade, e diversos títulos importantes em seu currículo, entre eles os da Liga Futsal, com o clube catarinense, e do Mundial de futsal feminino, com a Seleção Brasileira, percebe-se logo que a atleta nascida em Patos de Minas (MG) tem algo de especial.
Agora, em 2012, a garota que começou a se interessar pelo futsal aos cinco anos de idade, influenciada por seu pai, espera voltar da pequenina cidade portuguesa chamada Oliveira de Azeméis, em Portugal, com o tricampeonato mundial, conquista que, certamente, contribuiria mais um pouco para atrair os olhos das pessoas para essas mulheres que tão bem representam o país. E assim como o astro Falcão, da Seleção masculina de futsal, sofreu com lesões no último Mundial, Vanessa também vai para a competição enquanto se recupera de uma lesão na coxa direita.
Mas antes de embarcar para a terrinha, a estrela concedeu uma entrevista por telefone à GE.net,logo depois de um treino preparatório realizado no CT da Confederação Brasileira de Futsal, localizado em Iparana (CE), e falou sobre as expectativas para o torneio, sobre as seleções que podem ser uma pedra no sapato do Brasil e sobre o crescimento do futsal feminino no país.

Divulgação

Ala Vanessa está entre os destaques da Seleção Brasileira para a disputa do título mundial.

Gazeta Esportiva.net: Como e quando você começou a praticar futsal? Sente-se realizada na profissão?
Vanessa: Comecei a jogar aos cinco anos, morávamos dentro de uma escola, lá em Minas, e eu comecei a assistir às pessoas jogando, já que meu pai tinha acesso às quadras. Me sinto realizada, o futsal é a minha vida e eu amo fazer isso.
Ge.net: A Seleção Brasileira está às vésperas do Mundial feminino. Quais as expectativas para o campeonato e quais os principais concorrentes ao título?
Vanessa: Expectativa é sempre muito grande para o Mundial. Espanha, Rússia e Portugal são seleções muito fortes, que vão brigar pelo título. Tailândia e a Ucrânia, que não estiveram no último Mundial, também são fortes, além do Japão, que tem um time muito veloz, muito rápido. A Venezuela vem numa crescente também.
Ge.net: E o contato com o técnico Marcos Sorato, como está sendo a experiência, ainda mais depois de ele ter sido campeão com a Seleção masculina?
Vanessa: O Marcos Sorato é um técnico muito experiente, que entende muito de futsal. Então esse contato com ele deixa a gente muito feliz, não somente por causa do título. Lamento pelo Vander Iacovino, que não vai poder ir com a gente. Deixa a gente bastante contente trabalhar com ele, outras atletas também já tiveram contato com ele. É um treinador fantástico.
Ge.net: Qual a sua opinião sobre a polêmica das sete estrelas na camisa da Seleção masculina, depois que a Fifa solicitou ao Brasil que retirasse as duas estrelas referentes às duas conquistas da época da Fifusa (Federação Internacional de Futebol de Salão)?
Vanessa: Criaram essa polêmica para tirar o foco da Seleção no Mundial. Se fosse com a Espanha, por exemplo, será que eles teriam brigado por isso? Esse caso foi criado por algo que não tinha porquê. Para mim, o Brasil é sete vezes campeão e não tem discussão.
Ge.net: O Mundial feminino, diferentemente da edição masculina, não é organizado pela Fifa. Por quê? O que você acha disso?
Vanessa: Já está mais do que na hora de o futsal feminino ter apoio. É um esporte bastante praticado, eles poderiam apoiar mais. A gente fica triste, mas espera que a Fifa passe a reconhecer o futsal feminino e a organizar o Mundial.
Ge.net: Como você vê a situação do futsal no Brasil atualmente? Acha que ainda falta algo para que a modalidade cresça no país?
Vanessa: Falta mídia, o futsal feminino, em si, é bem praticado, conta com uma estrutura que permite que as atletas pensem somente em jogar futsal. A partir do momento que existir mídia passando os campeonatos, um Sportv, uma Globo transmitindo, a gente vai crescer.
Ge.net: E a situação da modalidade no exterior?
Vanessa: Joguei na Espanha em 2010, no Burela, e a liga lá é bem organizada, mas também precisa de visibilidade. Lá tem um pouco mais, mas não é tanto. O que muda um pouco é que na Espanha tem cobertura e rádio e da imprensa, mas na televisão também falta muito.
Ge.net: Você foi eleita por duas vezes consecutivas a melhor jogadora do mundo pelo site futsalplanet.com. Como se sente de receber a honraria? Realmente você acha que é a melhor do planeta?
Vanessa: Hoje em dia tem várias atletas que poderiam ser escolhidas. E ganhar o prêmio mostra que o trabalho está sendo correto, tanto na Seleção quanto no Chapecó. Não me coloco como a melhor do mundo. Tem muita menina boa. Mas fico muito feliz pelo reconhecimento internacional.

Ge.net:
Você aprova o trabalho realizado no UnoChapecó?
Vanessa: Estamos em uma sequência de cinco títulos da Liga Futsal, o trabalho é bem feito. Os títulos estão vindo e isso mostra que o trabalho está sendo bem executado. Claro que um clube não vive somente de conquistas, mas elas realmente mostram um planejamento bem realizado.

Ge.net:
Por que razão o Sul do Brasil tem uma grande quantidade de equipes fortes no futsal?
Vanessa: Para falar a verdade, não sei o motivo. Deve ser por causa da estrutura que tem no Sul. Quanto mais estrutura, maior visibilidade a gente traz e os grandes atletas passam a se sentirem atraídos para jogar lá.

Ge.net: Acha que o futsal tem mesmo que entrar nas Olimpíadas?

Vanessa: Já passou da hora de o futsal ser esporte olímpico. Não só como esporte de exibição, mas de forma fixa. A gente está brigando por isso. Talvez não aconteça na minha geração, mas as próximas vão poder ver e praticar o futsal nas Olimpíadas.

Ge.net: Como você convenceria uma pessoa que não conhece ou não gosta de futsal a acompanhar o esporte?

Vanessa: Precisa levar para assistir um jogo. Depois que assiste o primeiro, começa a gostar e a acompanhar. Ainda existe muito preconceito em relação ao futsal feminino, mas ele é bem jogado, assim como o masculino. Mas depois que você começa a assistir, gosta do esporte e passa seguir.

Ge.net: Quem são seus maiores ídolos no futsal?

Vanessa: Meus maiores ídolos são o Vander Iacovino e o Manoel Tobias. Acompanho eles desde pequena. Claro que também tem o Falcão, que é um grande jogador, mas o Vander e o Manoel Tobias são os meus maiores ídolos.

Divulgação

Ala diz que seu maior ídolo no futsal é Manoel Tobias, campeão mundial em 1992 e 1996

Ge.net: Em outra entrevista concedida à Gazeta Esportiva.net, em 2011, você passou a impressão que não era tão fã do estilo de jogo do Falcão. Isso procede?
Vanessa: Na verdade, eu falei mais das características do Falcão comparadas a mim. Ele é um cara fenomenal, habilidoso, consegue criar grandes jogadas. Como jogador, dentro das quatro linhas, ele é excepcional. Mas eu me referia mais em relação às minhas características, que são diferentes do estilo dele.

Ge.net: O que você achou da atuação dele no último Mundial?

Vanessa: Só de ele estar ali no grupo, mesmo que não esteja treinando, traz confiança para o pessoal. Ele é um cara que faz a diferença e tem estrela. Ele desequilibrou nas quartas (contra a Argentina) e, na final, contra a Espanha.

Ge.net: Além do Falcão, quais outros jogadores você destacaria na campanha do Mundial masculino?

Vanessa: O Neto foi um dos melhores e ganhou o prêmio de melhor do Mundial com méritos. Tem também o (Rafael) Rato, o camisa 5, que chegou na última hora e também foi muito bem, substituindo bem o Ciço. Isso, claro, além do (goleiro) Tiago e dos outros grandes jogadores.

ICFUT–FUTSAL: Falcão brilha, Brasil supera ‘paredão’ argentino na prorrogação e vai à semifinal da Copa

Fonte: espn

Falcão fez um gol, levou para a prorrogação e decidiu o duelo contra a Argentina

Falcão fez um gol, levou para a prorrogação e decidiu o duelo contra a Argentina

Aos 35 anos, Falcão pisou na Tailândia para sua última Copa do Mundo e quase foi traído por uma lesão na estreia. Em tom de despedida, o ala já dava adeus ao torneio na Tailândia, mas a contusão na perna direita não era tão grave. Então, uma paralisia facial na parte direita o acometeu, o que não lhe impediu de seguir na competição. O melhor do mundo voltou contra o Panamá, nas oitavas de final, deu chapéus, fez embaixadinhas e provou estar recuperado. O jogo que valia, porém, era o seguinte.
Nesta quarta-feira, pelas quartas de final, Falcão enfrentou um ‘paredão’ formado pela Argentina. Depois de 59 chutes no gol defendido por Elias e perdendo por 2 a 1, o veterano empatou e levou a partida para a prorrogação. E no tempo extra o ala acertou um belo chute após cobrança de escanteio para levar o Brasil para a semifinal da Copa do Mundo. O craque não conteve a emoção ao balançar as redes.
Em busca do quinto título mundial, a seleção enfrentará Colômbia ou Ucrânia na próxima fase.

ICFUT – Na volta de Falcão, Brasil goleia Panamá por 16 a 0 e vai às quartas

Fonte: gazetaesportiva

Sem a menor dificuldade, o Brasil goleou o Panamá por 16 a 0 nesta segunda-feira e se classificou para as quartas de final da Copa do Mundo de futsal. A Seleção, que manteve os 100% de aproveitamento na competição, espera agora o vencedor de Argentina e Sérvia, partida que será disputada às 12 horas (de Brasília) desta segunda. O confronto das quartas de final está marcado para a próxima quarta-feira.

O jogo desta segunda também marcou a volta de Falcão à Seleção Brasileira. O ala, que sofreu uma lesão nos três primeiros minutos da competição, tinha seu retorno à equipe esperado apenas na semifinal do torneio. Mesmo sem o ritmo de jogo com o qual está acostumado, o atleta do Intelli/Orlândia marcou um gol e provovou a expulsão de dois adversários.

O jogo – O primeiro gol saiu com quatro minutos de partida, marcado por Fernandinho após passe de Simi. A partir daí, o Brasil, que já dominava a partida, encontrou pouca resistência. Fazendo bastante uso de jogadas com pivô e de tabelas rápidas, o Brasil ampliou sem nenhuma dificuldade com Jé (duas vezes), Ari (duas vezes), Rodrigo, Simi, Neto e Fernadinho, fechando os 20 minutos iniciais com oito gols de diferença sobre o Panamá.

Divulgação/Fifa

Jogadores do Brasil comemoram gol na goleada sobre o Panamá, Seleção pega Argentina ou Sérvia nas quartas de final

No segundo tempo, a Seleção se negou a diminuir o ritmo, marcando mais sete gols com Vinícius, Rodrigo, Rafel Rato (duas vezes), Fernadinho, Ari e Jé. A principal novidade, porém, ficou por conta da volta de Falcão às quadras. Ainda sem muito ritmo de jogo, o ala tentou algumas jogadas de efeito. Até que, faltando três minutos para o fim da partida, o camisa 12 recebeu boa bola da direita e chutou de primeira, sem chances para o goleiro adversário. As jogadas de efeito do atleta – eleito três vezes o melhor do mundo – também irritaram dois atletas panamenhos. Após agressões direcionadas ao ala, Fernando Meira e Carlos Perez foram expulsos.

Além de Falcão, a comissão técnica optou por colocar em quadra jogadores que vinham sendo pouco usados nas primeiras etapas do torneio, como Wilde e Guitta.

Itália vence com gols de brasileiros – A vitória italiana por 5 a 1 sobre o Egito, mais cedo, teve grande participação brasileira. Quatro dos cinco gols da Azzurra foram marcados por brasileiros naturalizados: Saad Assis balançou a rede três vezes, enquanto Jairo Santos deixou o seu. Na próxima quarta-feira, a equipe enfrenta Portugal nas quartas de final da competição.

A Rússia, após vencer a República Tcheca por 3 a 0, também passou para a próxima etapa, quando encara a Espanha.

Gols

ICFUT–FUTSAL: Brasil faz 13 a 0 na Líbia e avança no Mundial

Fonte: futebolinterior

O resultado deixou os brasileiros na liderança da chave

Campinas, SP, 04 (AFI) – A Seleção Brasileira conquistou em grande estilo o objetivo de conquistar a classificação antecipada para as oitavas de final do Mundial de Futsal, que está sendo realizado na Tailândia. Neste domingo, o time avançou no torneio ao massacrar a Líbia por 13 a 0, em partida realizada na cidade de Nakhon Ratchasima e valida pela segunda rodada do Grupo C.

O resultado deixou o Brasil na liderança da chave, com seis pontos, enquanto a Líbia ainda não pontuou e está na lanterna do grupo. Na estreia, na última quinta-feira, a seleção brasileira venceu o Japão por 4 a 1, na partida em que o astro Falcão sofreu uma lesão na panturrilha direita. Assim, ele não entrou em quadra neste domingo e só deve voltar a jogar nas semifinais do Mundial de Futsal.

Neste domingo, o Brasil não encontrou qualquer dificuldade para superar a frágil seleção do Irã. Assim, a equipe abriu 5 a 0 logo no primeiro tempo, com os golsfeitos por Gabriel, Rodrigo, Neto, que marcou dois, e Fernandinho.

O massacre brasileiro teve sequência no segundo tempo, quando a seleção marcou mais oito gols. Fernandinho foi o principal destaque ao marcar três vezes, assim como Jé. Os outros dois gols foram feitos por Rafael e Mohamaed Rahoma (contra).

Outro jogo
Também neste domingo, a seleção portuguesa chegou a abrir 5 a 1 em Nakhon Ratchasima, mas apenas empatou com o Japão por 5 a 5. Os portugueses Ricardinho e Cardinal e o japonês Morioka fizeram dois gols cada na partida. O resultado deixou Portugal em segundo lugar no Grupo C, com quatro pontos, enquanto o Japão é o terceiro, com apenas um.

Assim, o jogo entre Brasil e Portugal na próxima quarta-feira, novamente em Nakhon Ratchasima, às 8 horas (de Brasília), valerá a liderança da chave. No mesmo horário Japão e Líbia vão se enfrentar em Bangcoc.

Grupo A
A Ucrânia assumiu a liderança do Grupo A do Mundial de Futsal ao vencer neste domingo a seleção da Tailândia por 5 a 3, em Bangcoc. Rogachov foi o destaque do triunfo ao marcar dois gols. A equipe anfitriã está com 3 pontos, assim como a Costa Rica, que surpreendeu ao vencer o Paraguai por 6 a 3. Cubillo anotou três gols e Navarrete fez dois. A seleção paraguaia está na lanterna da chave com um ponto.

O Grupo A será completado na próxima quarta-feira, às 10 horas. A Costa Rica enfrentará a Ucrânia em Nakhon Ratchasima, enquanto Paraguai e Tailândia vão medir forças em Bangcoc.

ICFUT – Brasil tenta manter hegemonia com a persistente magia de Falcão

Fonte: gazetaesportiva

Os dribles e a genialidade de Falcão ainda lutam contra o tempo e terão outro grande desafio na 10ª edição da Copa do Mundo de Futsal, entre os dias 1º e 18 de novembro, na Tailândia. No torneio – o sétimo organizado pela Fifa – a Seleção Brasileira luta para manter, a partir desta quinta-feira, no confronto contra o Japão, às 12 horas (de Brasília), a hegemonia e a taça conquistadas há quatro anos no Maracanãzinho, mas terá pela frente mais uma vez a incômoda sombra da Espanha.

A Fúria é a atual líder do ranking de Futsal, à frente dos brasileiros, e conquistou duas edições consecutivas da Copa do Mundo: em 2000 e 2004. Na edição seguinte, a equipe europeia defendeu o título na final contra o Brasil, confronto decidido nos pênaltis em que o time comandado por Paulo César de Oliveira levou a melhor.

Arte GE.Net

O Mundial de 2012 pode marcar a despedida do principal jogador da Seleção Brasileira: o ala Falcão, eleito três vezes o melhor jogador do mundo pela Fifa, que está próximo da aposentadoria. Aos 35 anos, o paulistano é a grande referência do País em quadra e acumula títulos com a camisa verde-amarela, entre eles a inédita e exclusiva medalha de ouro nos Jogos Pan-americanos do Rio de Janeiro, cinco títulos da Copa América e seis do Grand Prix.

“Ele vai fazer falta nos dois sentidos. O que ele fez fora de quadra, enquanto estava aqui, foi muito importante, aliado ao que ele sempre fez dentro de quadra, que não se discute”, declarou PC de Oliveira, treinador da Seleção Brasileira campeã em 2008.

Falcão tornou-se incontestável para os fãs de futsal. Os dribles inovadores viraram mania entre os praticantes e, ao mesmo tempo, levaram muitos adversários ao sentimento de irritação, inclusive com polêmicas e acusações de humilhação. Mas o ídolo é alvo de grandes elogios entre aqueles que estiveram ao seu lado.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press

PC de Oliveira dirigiu Seleção em 2008

“Como dificilmente vai surgir um jogador com as características dele, o que a gente espera é que ele continue ajudando fora da quadra, que ele simplesmente não deixe o esporte órfão, que seja aquela pessoa presente o tempo todo”, emendou PC de Oliveira.

Cabeça de chave, a equipe brasileira integra o Grupo C da competição, em que enfrenta na primeira fase Japão (1º/11), Líbia (4/11) e Portugal (7/11). Os portugueses devem representar o confronto mais complicado para o Brasil na fase de grupos, já que o país possui tradição no esporte (quarto colocado em 1988 e terceiro em 2000) e conta com o ala Ricardinho, apontado por Falcão como a revelação da nova geração do futsal.

ICFUT – Brasil vence Argentina por 3 a 1 e conquista Circuito Sul-americano

Fonte: gazetaesportiva

A Seleção Brasileira de Futsal venceu o confronto diante da Argentina por 3 a1, pelo Circuito Sul-Americano de Futsal, neste domingo. A partida foi disputada no Ginásio do Sesc, em Ceilândia, no Distrito Federal, e garantiu o título da competição aos brasileiros.

Foi o último duelo do Brasil antes da disputa da Copa do Mundo Fifa, na Tailândia, principal objetivo da Seleção na temporada, marcada para o próximo mês de novembro. Antes do embate com os rivais, os brasileiros passaram pelo Uruguai por 6 a 2 e o Chile por 7 a 1.

“Foi uma partida muito difícil, mas tivemos a tranquilidade e aproveitamos três chances para vencer a Argentina e conquistar esse título importante que dará moral para o Mundial” analisou Dieguinho.

Divulgação/CBFS

Dieguinho marcou três gols na competição e sonha em jogar o Mundial com a Seleção Brasileira

O atleta autor de três gols no torneio já acertou para atuar no Dínamo de Moscou na próxima temporada, mas quer seguir nos planos da Seleção Brasileira. “Fiquei muito feliz de ter feito parte dessa equipe e poder colaborar. Agora, é ficar na expectativa para a convocação final e ainda tenho o sonho de disputar o Mundial”, comentou.

O Brasil conseguiu abrir o placar logo aos dez minutos de partida, com Vinícius, porém, a Argentina empatou na sequência com Amas. O terceiro gol do jogo não demorou e saiu dos pés de Simi, que colocou o Brasil novamente em vantagem, ele também foi o responsável por fechar o placar em 3 a 1.

ICFUT – Em reação fulminante, Orlândia empata com Joinville e leva a Liga

Fonte: globo

Após desvantagem de quatro gols, time paulista encosta no placar no início do 2º tempo e marca gol do 1º título do torneio a dois minutos do fim da partida

No início do ano, a diretoria do Orlândia apostou em um projeto ambicioso, montando uma super-equipe comandada por ninguém menos que o craque Falcão. Dez meses depois, o clube acaba de colher o primeiro fruto do grande investimento, ao conquistar a Liga Futsal pela primeira vez em sua história. Jogando na Arena João Mambrini, em São Sebastião do Paraíso (MG), o Orlândia arrancou um empate em 4 a 4 com o Joinville, na noite desta segunda-feira, após ir para o intervalo perdendo por quatro gols de diferença. A equipe grená havia vencido fora de casa e tinha a vantagem do placar igual para ser campeão.

O time paulista precisou de apenas cinco minutos para fazer três gols, mas somente aos 18 do segundo tempo é que o gol do título inédito veio, nos pés de Vinicius. Além do camisa 77, Jé (dois) e Falcão anotaram para Orlândia, enquanto Ricardinho (dois), Café e Leco fizeram para o Joinville.

Jogadores de Orlândia com o troféu da Liga Futsal de 2012 (Foto: Luciano Bergamaschi / CBFS)Jogadores de Orlândia com o troféu da Liga Futsal de 2012 (Foto: Luciano Bergamaschi / CBFS)

Marcação forte e ataque produtivo de Joinville

Jogando com três fixos, o Joinville buscou cadenciar a partida nos primeiros minutos. Aos cinco, Café girou para cima de Junai e mandou por cima do gol de Guitta, na primeira finalização do jogo. Um minuto depois, os visitantes abririam o placar. Em cobrança de falta ensaiada, Neto rolou para Ricardinho, que bateu firme para fazer 1 a 0.

Em desvantagem, o Orlândia acordou em quadra e, aos sete, Ciço chutou com perigo para a defesa de Tiago. O mesmo Ciço voltaria a colocar Tiago para trabalhar aos oito, soltando uma bomba no ângulo para mais uma intervenção do goleiro do Joinville e da seleção brasileira. O Tricolor seguia recuado e apostando nos contra-ataques, o que acabou dando certo. Aos 11, Café foi lançado na frente e tocou por baixo de Guitta: 2 a 0.

O time paulista não se abateu e, segundos depois, Deives carimbou a trave em jogada individual. Aos 15, foi a vez de Marinho criar mais uma chance para o Orlândia. A finalização, porém, foi fraca, nas mãos de Tiago. A pressão orlandina continuou nos minutos finais e, aos 18 Ciço arriscou da intermediária e o goleiro do Joinville foi buscar mais essa. Entretanto, quem marcou novamente foi o Tricolor Catarinense. Em contra golpe mortal, Thiago Carioca avançou pela esquerda e deixou Ricardinho livre para marcar o terceiro. O gol fez o técnico Cidão colocar Rubinho como goleiro-linha. A ousadia acabou custando caro ao Orlândia, que levou o quarto a 54 segundos do fim, com Leco: 4 a 0, placar da etapa.

Vander Carioca, Ricardinho e Neto, de Joinville na final da Liga Futsal contra Orlândia (Foto: Luciano Bergamaschi / CBFS)Vander Carioca, Ricardinho e Neto vibram com a vantagem catarinense  (Foto: Luciano Bergamaschi / CBFS)

Orlândia reage e gol do título vem no final da partida

A equipe paulista voltou para o segundo tempo disposta a reverter o resultado. Logo a um minuto, Falcão ajeitou para Jé, que encheu o pé para fazer o primeiro. O Joinville mal teve tempo de respirar. Aos dois, o mesmo Jé, de carrinho, marcou o seu segundo gol na partida, diminuindo para 4 a 2.

Embalado por sua vibrante torcida, o Orlândia sentiu o momento favorável e continuou pressionando o adversário. Aos 15, Vinicius arrancou em velocidade e serviu Falcão, que não perdoou, deixando os donos da casa a um gol do empate que lhes daria o título.

Jé, do Orlândia, na final da Liga Futsal contra Joinville (Foto: Luciano Bergamaschi / CBFS)Jé marcou os dois primeiros gols da reação de Orlândia (Foto: Luciano Bergamaschi / CBFS)

A sorte parecia mesmo ter mudado de lado. Um minuto depois, o Joinville perdeu dois gols em seqüência, um com Leandrinho e outro com Leco. Aos sete, foi a vez de Vander Carioca carimbar a trave de Guitta, que acabou se safando de levar o quinto. Aos poucos, os times foram diminuindo o ritmo, aguardando o momento certo para o golpe final.

Faltando cinco minutos para o término, o técnico Cidão lançou Augusto como goleiro-linha. Aos 18, Tiago, por muito pouco, não marcou em chute de longe, após um erro do ataque orlandiano. Quando o jogo parecia caminhar para a prorrogação, Falcão encontrou Vinicius livre e o camisa 77 mandou para o fundo do gol, para delírio da torcida orlandiana. O Joinville ainda foi para o tudo ou nada, jogando com Neto como goleiro-linha, mas não houve tempo para mais nada. Não foi desta vez que o time catarinense levou o seu primeiro caneco.

Orlândia: Guitta, Junai, Augusto, Caio, Deives, Di Fante, Ciço, Marinho, Falcão, Rubinho e Vinicius. Técnico: Cidão

Joinville: Tiago, Neto, Ricardinho, André, Café, Dudu, Thiago Carioca, Leco, Julio, Murilo, Leandrinho e Vander Carioca. Técnico: Fernando Ferretti

ICFUT – Falcão recebe proposta do Japão para ser o ‘Zico’ do futsal

Fonte: globo

Rei do Futsal, Falcão pode se tornar uma espécie de embaixador do esporte no JapãoRei do Futsal, Falcão pode se tornar uma espécie de embaixador do esporte no Japão Foto: Sergio Moraes / Reuters

Na contramão do destino óbvio para os craques dos gramados, o rei das quadras nunca foi seduzido por propostas de clubes estrangeiros. Em 22 anos de futsal, Falcão sempre jogou no Brasil, onde fez seu nome para o mundo. O reconhecimento chegou ao Japão, de onde vem uma oferta tentadora que pode levar o jogador para sua primeira aventura no exterior: querem que Falcão seja para o futsal o que Zico foi para o futebol japonês.

Eleito duas vezes o melhor do planeta e realizado financeiramente — jogando no Orlândia e com seis patrocinadores individuais, seu salário anual gira em torno de R$ 3 milhões —, o ala da seleção brasileira está pensando com carinho na proposta. Aos 35 anos, Falcão planeja jogar mais dois ou três. A ideia seria encerrar a carreira em terras asiáticas.

— Nunca fiquei mexido por propostas estrangeiras, só que essa do Japão é bem forte. Seria uma mudança radical, inclusive para minha família, mas o futsal japonês já está bem melhor, o que é facilitador. De qualquer forma, não quero ir agora. Logo na primeira conversa, empurrei para 2014 — conta.

Até lá, Falcão tem outros projetos. O mais urgente é conquistar seu sétimo título da Liga Futsal pelo Orlândia. Os jogos contra o Joinville acontecem nesta quinta, dia 27, e na outra segunda-feira, 1 de outubro. Seu outro desafio é conseguir que sua campanha individual pela inclusão do futsal no programa olímpico da Rio-2016 surta efeito.

— Pela força que o esporte conquistou, mão há motivos para não ser incluído. O que me frustra é que não há empenho do Comitê Olímpico Brasileiro para, pelo menos, tentar. Será uma vergonha se ficarmos muito atrás no quadro geral de medalhas nas Olimpíadas aqui, e o futsal pode aumentar o número de medalhas para o Brasil. Já demos resposta positiva com o ouro no Pan de 2007 — argumenta Falcão, cujo próximo compromisso com a seleção brasileira será a Copa do Mundo, em novembro na Tailândia, onde buscará o bicampeonato com a equipe e o terceiro título de melhor jogador do mundo.

Para quem já ganhou quase tudo o que podia com o futsal, participar das Olimpíadas em casa seria a cereja do bolo.

— Não sei se ainda vou estar jogando em 2016, mas quero dar uma forcinha como atleta ou como membro da comissão técnica. Quero me manter na seleção quando me aposentar, seja como treinador ou dirigente.

Habilidade nata

Sem falsa modéstia, Falcão diz que sua habilidade é um dom. Segundo ele, seus famosos dribles nunca lhe exigiram horas e horas de treino, são apenas uma reação espontânea do corpo. Ao reconhecer sua importância para a popularização do futsal, Falcão demonstra apenas uma preocupação com o futuro:

— Minha geração foi a última de qualidade. A nova, que está chegando agora, já pegou a regra do goleiro-linha (quando o goleiro joga como atacante), que está acabando com a plástica do jogo — critica.

Da sua passagem por cinco meses pelo futebol de campo em 2005, quando conquistou o Paulista e a Libertadores pelo São Paulo, saiu estremecido com o técnico Leão, mas Falcão diz que não guarda mágoa.

— Leão sempre teve os alvos dele. Eu tinha apoio da torcida e voltei ao futsal valorizado. Não precisava provar nada para ninguém.

ICFUT – PC Oliveira é demitido do Corinthians após reunião com a diretoria do clube

Fonte: globo

Campeão mundial com a seleção brasileira em 2008, treinador não resiste a mais uma eliminação na semfinal da Liga. Time ainda não tem substituto

Técnico Corinthians, PC Oliveira, pede tempo durante a partida contra o Carlos Barbosa (Foto: Reprodução SporTV)PC Oliveira não resistiu a mais uma eliminação na
semifinal da Liga (Foto: Reprodução SporTV)

Campeão mundial com a seleção brasileira em 2008, PC Oliveira não é mais técnico do Corinthians. À frente do Timão desde 2009, o treinador foi demitido nesta quinta-feira após reunião com a diretoria corintiana no início da noite. Em solidariedade ao treinador, todos os membros da comissão técnica também se desligaram do clube.

PC deixa o Corinthians após a terceira eliminação seguida em uma semifinal de Liga Futsal. Os únicos títulos conquistados pelo treinador no Parque São Jorge foram o Paulista de 2009 e a Taça Brasil de 2010.

O Corinthians ainda disputa a Liga Paulista, onde está nas quartas de final. Na primeira partida diante do Guarulhos, o Timão triunfou por 4 a 1. O segundo e decisivo jogo acontece na próxima segunda-feira, no Parque São Jorge.

A diretoria corintiana ainda não se pronunciou sobre o substituto de PC Oliveira.