ICFUT – Umea diz não ter US$ 1 milhão para investir em Marta e desiste da craque

Fonte: globo

Dirigente se assusta com o preço, mas empresário da jogadora afirma: ‘A Marta está acima de qualquer valor que possa ser especulado’

Por Rafael Maranhão e Marcos FelipeEstocolmo e Rio de JaneiroMarta umea (Foto: Agência Getty Images)

Marta nos tempos de Umea (Agência Getty Images)

Um dia depois de se queixar por não conseguir saber o quanto seria preciso pagar para levar Marta de volta ao Umea, o diretor de futebol do clube sueco, Niklas Westman, enfim descobriu o preço da craque brasileira. E levou um susto quando leu a resposta do empresário da jogadora, Fabiano Farah: US$ 1 milhão (R$ 1,7 milhão) por um ano de contrato.

– Eu enviei um e-mail perguntando a partir de qual valor era possível abrir uma negociação e a resposta foi US$ 1 milhão. Um preço maior do que o esperado e que não acredito que nenhuma outra equipe sueca tenha condição de pagar – afirmou Westman.

Farah confirmou o contato, mas não a quantia. Segundo ele, o Umea deveria valorizar Marta por tudo que ele representa dentro e, também, fora de campo.

– A Marta está acima de qualquer valor que possa ser especulado. Dentro de campo não precisa justificar o valor dela e, fora de campo, ela traz uma mega exposição ao clube e ao campeonato no qual ela atua. É importante entender que a carreira da Marta desde que ela chegou na Suécia (em 2004) para os dias de hoje tomou uma outra projeção. Ela conquistou todos os títulos possíveis na Suécia, foi eleita cinco vezes a melhor jogadora do mundo pela Fifa, feito que nem nomes como Zidane, Ronaldo e Ronaldinho Gaúcho conseguiram. Nos EUA, foi artilheira durante três anos e bicampeã da liga local. Ele representa valores institucionais e econômicos únicos – afirmou Farah, por telefone, ao GLOBOESPORTE.COM.

De acordo com o empresário, uma prova da importância da craque brasileira é o fato dela serembaixadora da ONU, título dado a poucas mulheres, entre elas, estrelas mundiais como Angelina Jolie, Gisele Bündchen e Maria Sharapova.

– O que não se pode hoje é essa miopia. Deixar de enxergar o que foi a Marta antes e o que é a Marta agora. Ela agrega muito, seja no âmbito esportivo, institucional ou econômico.

Marta durante coletiva do Prêmio Bola de Ouro (Foto: AP)Marta durante coletiva do Prêmio Bola de Ouro (Foto: AP)

Niklas Westman, entretanto, parece não se preocupar com tudo que a “marca” Marta pode trazer ao clube. O dirigente contava com uma pedida pelo menos R$ 500 mil mais barata e disse que, dessa forma, o Umea está fora da briga para repatriar a craque que vestiu a camisa do clube entre 2004 e 2008. Segundo ele, a folha salarial da equipe é o equivalente a R$ 750 mil anuais.

– Investir uma soma dessas iria falir o clube. Não vale à pena. O que acontece se ela se machucar, por exemplo? Se o valor baixar, podemos voltar a negociar. Mas, hoje, desse jeito, é impossível para nós – acrescentou.

Göteborg e Tyresö são os outros dois clubes da Suécia na briga por Marta. O presidente do Goteborg, Peter Bronsman, disse já ter feito proposta pela brasileira. A diretoria do Tyresö, porém, continua fazendo mistério. Mas também considerou alta a pedida do empresário de Marta.

– É bem barato se comparado ao futebol masculino mas, considerando-se que a liga americana (WPS) fechou as portas, é muito dinheiro para o futebol feminino. No momento, não estamos negociando, mas a possibilidade não está descartada – disse a diretora de comunicação do clube, Carina Johansson, ao jornal “Expressen”.

Por Cleber Aguiar – Segurando o choro, Marta lamenta fim do time feminino do Santos

Fonte: Globo.com

Brasileira diz não saber mais o que fazer para ajudar sua modalidade no Brasil e afirma ainda não ter definido onde irá atuar em 2012

Por Rafael Maranhão Direto de Zurique, Suíça

Há oito anos Marta viaja a Zurique para participar da premiação de melhor jogadora do ano e sempre com um discurso que ela preferia não ter de repetir mais: a falta de apoio ao futebol feminino no Brasil. Desta vez, a situação ficou ainda mais grave, com o fim do time do Santos, onde a craque atuou por duas temporadas. Ao falar sobre o assunto, Marta teve de se esforçar muito para segurar as lágrimas.

– Fico triste pelo que aconteceu no Santos. Não é positivo para o futebol feminino. Fico triste pelas meninas, que tinham uma vida lá na equipe. Mas tenho esperança de que essa situação possa mudar – afirmou a alagoana, emocionada.

Marta disse ainda não saber mais o que fazer para ajudar no desenvolvimento do futebol feminino em seu país.

– O que posso fazer, eu faço. Da minha parte, procuro fazer tudo o que está ao meu alcance. Mas não depende somente de mim. Vamos buscando espaço aos poucos, mostrando que temos condições, mas isso tem de partir de todos os lados: da imprensa, das TVs, porque com eles se atrai patrocínios, mas também o governo, a confederação… muitas pessoas que podem fazer algo. Há bastante tempo a gente vem cobrando, cobrando, mas as coisas não vem sendo da forma como tem que ser.

Marta durante coletiva do Prêmio Bola de Ouro (Foto: AP)Marta busca o hexa do prêmio de melhor jogadora do mundo pela Fifa neste ano (Foto: AP)

Atualmente sem clube, após a conquista do título da liga dos Estados Unidos pelo Gold Pride, Marta disse ainda não ter definido em que equipe irá atuar em 2012. Mas descartou o Brasil.

– Ainda não sei onde vou jogar, estamos negociando, pode ser nos Estados Unidos ou na Europa, que são os lugares onde o futebol está mais desenvolvido e existem bons campeonatos – completou.

Marta concorre pela oitava vez seguida ao prêmio de melhor jogadora do mundo. Terceira colocada em 2004 e segunda em 2005, a brasileira conquistou a premiação nos últimos cinco anos.

Por Cleber Aguiar – Sereias pedem ajuda a Neymar e Elano

Fonte:Band.com.br

Após o presidente do Santos, Luis Alvaro Ribeiro, decretar o fim da modalidade as jogadoras protestaram na redes sociais

A ala Bárbara Kulaif pediu apoio das estrelas santistas / Reprodução Twitter A ala Bárbara Kulaif pediu apoio das estrelas santistas Reprodução Twitter

Da Redação, com Lancepress esportes@band.com.br
Com o anúncio oficial do fim do Futebol Feminino do Santos, feito nesta terça-feira pelo presidente Luis Alvaro Ribeiro, as manifestações no Twitter pedindo apoio para a modalidade aumentaram ainda mais.

A onda de pedidos de ajuda para as Sereias da Vila não partiu só de torcedores, como também de jogadoras do Peixe. Caso da ala Bárbara Kulaif, que mandou mensagem para os ídolos dos santistas Neymar e Elano, implorando por apoio.

– @elano_blumer @NeyJunior_92 Que tal vocês nos ajudarem? Nos Sereias também temos sonhos, e muitos deles, igual ao de voces!, postou a jogadora.

E não foram só os jogadores do Santos que receberam pedidos de ajuda das Sereias. Pelo contrário. Até mesmo o ex-jogador e ídolo do arquirrival do Peixe, Neto, que atuou no Corinthians e comentarista da TV Bandeirantes, foi acionado.

– @10neto não sei de ADRIANO. Mas só sei que @sereiasdavila da vila acabou. Dá uma força ai pra gente do futebol feminino e pra Sereias – cobrou a zagueira Janaína, também pela rede social.

Outras atletas da equipe também demonstraram indignação com a decisão do clube de encerrar as atividades na modalidade. Uma delas foi a ala Maurine, jogadora importante na curta história das Sereias da Vila e que chegou a atuar com Marta no futebol americano.

– Luto para o Brasil no futebol feminino – disparou a atleta.

Indignada, a atacante Giovanna também deixou sua mensagem de repúdio por meio da rede social.

– @futebolmeninas eu sou uma das Sereias da vila, nos jogamos com muito amor, ainda vão se arrepender muito por não ter nos dado valor! – lamentou, em tom de insatisfação.

Aos prantos, a atacante Érika esteve ao lado do presidente Luis Alvaro durante o anúncio do fim da modalidade e também lamentou o término das Sereias da Vila, bicampeãs da Libertadores.

Apesar da luta do diretor da modalidade, Murilo Barletta, o clube já deu a atividade como encerrada. Sem patrocinador, o Peixe alega que não consegue manter o custo operacional das Sereias da Vila gira em torno de R$ 1,5 milhão por ano.

Luis Alvaro explica fim do futebol feminino

Sem dinheiro, Santos encerra projeto e presidente do clube aponta falta de ação da presidente Dilma
Da Redação, com Bandsports esportes@band.com.br

O presidente do Santos, Luis Alvaro, se acostumou a dar boas notícias em suas entrevistas coletivas. Nesta terça-feira, porém, foi dia de lágrimas. Ao lado de uma chorosa Érika, o mandatário alvinegro anunciou oficialmente o fim do futebol feminino no clube, sem patrocínio, e explicou os motivos. Sobrou até para o Governo Federal.

“O Santos bancou sozinho (o futebol feminino), tirou dinheiro do seu fluxo de caixa, porque achava que tinha um papel importante. Essas meninas são maravilhosas, dedicadíssimas, profissionais e gostam do que fazem. O Brasil precisa do futebol feminino, somos a pátria do futebol, mas uma ‘andorinha’ só não faz verão”, disse o presidente, que culpou em parte a falta de interesse da mídia na modalidade, além de apontar que o governo federal não agiu como prometido.

Luis Alvaro chegou a se reunir com Marta, Dilma Rousseff e o então ministro do Esporte, Orlando Silva, para traçar uma estratégia a fim de promover o futebol feminino como um esporte olímpico. Segundo o dirigente, não houve ação por parte dos políticos.

“A Dilma se interessou bastante pelo assunto, junto do ministro Orlando Silva. Nós não queríamos dinheiro, mas precisávamos que o governo fizesse um apelo às emissoras de TV para que incluíssem em suas grades esse esporte olímpico, como fizeram com o vôlei, basquete e futsal. A presidente se interessou e nós nos encarregamos de falar com empresas de promoção de espetáculos e falamos com duas emissoras. Mas, infelizmente, o assunto não se desenvolveu. Tínhamos a esperança de que, quanto mais perto da Olimpíada, maiores as chances. Não deu certo”, disse Luis Alvaro.

Sem interesse da CBF

O dirigente afirmou ainda que os esforços para manter Neymar – “um gesto de enorme ousadia” – encareceu o time do Santos. Estima-se que o futebol feminino e o futsal – também extinto na Vila Belmiro -, custaram R$ 7 milhões ao Peixe. “Chega um momento que fica insuportável não reduzir os custos. Para mim é emocionalmente complicado”, afirmou o mandatário, que ainda atacou a CBF, que “não tem muito interesse na modalidade”.

Por fim, Luis Alvaro deixou as portas abertas: “Que isso sirva como um grito de alerta, que possa representar alguma mudança. E tão logo haja a possibilidade de termos patrocinadores, o Santos voltará ao futebol feminino e vamos trazer a Érika e suas amigas de volta”.

RETRÔ ICFUT – Campeonato Brasileiro 2011 – Série A

Artilheiro

Borges – Santos FC

Campeão Artilheiro
Corinthians
Corinthians
Brasil Borges
Santos
Atacante
1980-10-05
23 Gols

Estatísticas

Melhor Ataque Fluminense 60 Gols
Pior Ataque Atlético Paranaense 38 Gols
Melhor Defesa Corinthians 36 Gols sofridos
Pior Defesa Avaí 75 Gols sofridos
Mais Goleadas Ceará 4 Goleadas
Mais Vitórias Corinthians 21 Vitórias
Menos Vitórias Avaí 7 Vitórias
Mais Empates Palmeiras 17 Empates
Mais Derrotas Avaí 21 Derrotas
Menos Derrotas Flamengo 7 Derrotas
Max. Jogos sem Perder Flamengo 16 Jogos

ICFUT – Neymar conquista musa das baladas, a DJ Tháscya Spirandelli

Fonte:Futebolinterior.com.br

É a sétima musa a ser cotada como affair de Neymar nos últimos meses

 O craque Neymar já começou a encantar o mundo com um golaço e jogadas de efeito no Mundial de Clubes da Fifa. Mas antes de ir ao Japão, o jogador do Santos não deixou o Brasil sem acumular mais uma conquista. Nos bastidores da bola, já comenta-se que o garotão está de romance com a bela DJ Tháscya Spirandelli.

De acordo com as informações, a morena de curvas estonteantes é amiga da DJ Camila Peixoto, que recentemente foi apontada de ser o novo amor de Fred, do Fluminense. Natural de Uberlândia, Tháscya é conhecida no mundo da bola por gostar de estar no foco dos holofotes. 

Vai encarar essa marcação?

Nos últimos meses, Neymar tem sido alvo de uma “avalanche” de notícias que apontam suas conquistas. A última foi a modelo e ex-participante do reality show “A Fazenda” Andressa Suita, nome artístico da loira de cair o queixo Andressa Oliveira. Antes dela, o jogador foi flagrado ao lado de Carol Abranches em um iate, no Guarujá.

Recentemente, chegou-se a comentar que o atacante santista estaria de caso com a ex-Big Brother Anamara; com a ex-protagonista da série Malhação Daniela Carvalho; com a musa do Bahia Rianne Ferreira; e também com a funkeira MC Suzy. Isso sem contar um namorico com a ex-panicat Nicole Bahls, hoje namorada do zagueiro Victor Ramos, do Vasco.

Por Cleber Aguiar – Brasil fica com a prata no Pan !

Fonte: Portal IG

Brasil cede empate no fim e entrega o ouro nos pênaltis

Equipe não joga bem, sofre gol do Canadá aos 43 do 2º tempo e, com cobranças desperdiçadas por Grazi e Debinha, fica com a prata

Vicente Seda, enviado iG a Guadalajara |

Com um time sem as principais estrelas, Marta e Cristiane, mas com veteranas como Tânia, Formiga e Andreia Santos, o Brasil teve tudo para conquistar o tricampeonato no Pan de Guadalajara e deixou o ouro escapar. O Canadá, que até os 43 minutos perdia por 1 a 0, empatou a partida após as brasileiras desperdiçarem chances incríveis no Estádio Omnilife. Nos pênaltis, as canadenses foram mais eficientes e impediram pela primeira vez o título brasileiro, que venceu todas as edições do Pan das quais participou (2003 e 2007). O futebol feminino faz parte do programa pan-americano desde Winnipeg, em 1999. Grazielle e Debinha desperdiçaram as cobranças que deram o título ao Canadá por 4 a 3.

O Brasil começou a final sendo pressionado pelo Canadá, que forçava o jogo pelos flancos. Erros infantis de passe e domínio de bola chegaram a arrancar vaias, mas era só o tempo de aquecer. Logo aos três minutos, um petardo de Debinha da intermediária foi no ângulo e não deu chances à goleira canadense Karina Le Blanc: 1 a 0.

Técnico do Brasil lamenta banco aos cacos no jogo contra o Canadá

Com diversas jogadores fora das condições ideais entre as reservas do Brasil, Kleiton Lima não chora pela prata no Pan

Marcel Rizzo e Vicente Seda, enviados iG a Guadalajar 

Kleiton Lima conversa com as jogadoras na partida frente as canadenses

Mesmo com um Canadá superior fisicamente, o técnico brasileiro Kleiton Lima não queimou as três alterações que poderia na final do futebol feminino, apesar da decisão nos pênaltis após prorrogação. O motivo não foi falta de visão do treinador, que ressaltou o melhor preparo das rivais logo que iniciou a entrevista coletiva. O banco, aos cacos, não lhe dava opções, e este fato foi o que, em sua avaliação, impediu o Brasil de conquistar o tricampeonato no Pan de Guadalajara.

“A gente teve um elenco com muitos problemas físicos nesta partida, duas atletas que vieram de operação, a Renata Costa e a Grazi, a Ketlen que estava tratando de um problema no tendão, a Bia sem condição de jogo, então sobraram poucas alternativas. O elenco é muito bom, mas tivemos problemas de ordem clínica e não pudemos explorar o banco”, esclareceu o técnico, ressaltando que o amadurecimento de algumas atletas também é essencial.

“Individualmente o time estava bem desgastado, a constituição física delas (canadenses) é melhor. A gente tinha jovens de 18, 19 anos, que vão amadurecer. O futebol é assim, numa fração de segundos o resultado escapa da sua mão”, completou.

Comparando com o Pan do Rio, em 2007, Kleiton disse que foi o oposto. Analisou como positivo o desempenho do Brasil por não ter contado com suas principais estrelas e, ainda assim, ter chegado à final em Guadalajara.

“Esse Pan foi totalmente o contrário do último. O Brasil foi com a sua força máxima, em casa, e os rivais não foram com a força máxima. Oito titulares da Copa não estavam aqui, trouxemos jogadoras mais jovens para mesclar com as veteranas. Esse resultado tem muito mérito. Por pouco não chegamos no primeiro lugar, mesmo com esse grupo mesclado, sem as principais jogadoras. São coisas do futebol”, afirmou.

Foi com esse discurso que o técnico tentou animar as jogadoras, especialmente Debinha, que perdeu chance incrível antes do empate canadense, e o pênalti derradeiro, apesar de ter feito o único gol do Brasil no tempo regulamentar. “São jogadoras com muito talento. A Debinha é muito jovem, tem um baita potencial, fez um grande Pan. É difícil porque a gente viveu a mesma situação meses atrás (na Copa do Mundo), perdemos no último minuto. Tenho de levantar a cabeça delas, consolar, porque elas têm um futuro brilhante pela frente.

Thaisinha, por sua vez, deixou tudo no âmbito divino. “Claro que eu queria o ouro, a gente batalhou, mas Deus quis assim. Pênalti é sorte, estamos felizes com a prata, não tem frustração. Deus quis assim, no Mundial também, então que seja. Vamos buscar as Olimpíadas”, disse a jogadora, que também foi dar suporte a Debinha. “A gente foi abraçar na hora do gol, então também tínhamos de dar força na hora do pênalti. Estamos juntas na vitória ou na derrota. Poderia ter acontecido com qualquer uma de nós”, finalizou a atleta.

Por Cleber Aguiar – Maurine supera dor, faz gol e garante o Brasil na briga por ouro no futebol feminino

Fonte: Meionorte.com.br

O Brasil começou a partida tomando a iniciativa do ataque, sem se importar com a torcida mexicana

Maurine supera dor, faz gol e garante o Brasil na briga por ouro no futebol feminino Jogadoras da Seleção comemoram com Maurine o gol da vitória sobre o México (Foto Divulgação)

Desde a noite do último domingo, quando a Seleção Brasileira feminina recebeu a notícia da morte do pai de Maurine, criou-se a expectativa de como o grupo reagiria. Mas as jogadoras transformaram o luto em motivação. E foi exatamente a lateral-direita a autora do gol que deu a vitória do Brasil por 1 a 0 sobre o México, nesta terça-feira, no Estádio Omnilife, garantindo a classificação para a final do torneio de futebol dos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara.

 A equipe comandada por Kleiton Lima vai brigar pelo ouro na quinta, enfrentando o adversário da outra semifinal, entre Canadá e Colômbia. Nesta terça, a Seleção entrou em campo usando uma fita preta como símbolo do luto por Brasil, nome do pai de Maurine.

O Brasil começou a partida tomando a iniciativa do ataque, sem se importar com a torcida mexicana que ainda chegava ao estádio. A equipe trocava bons passes, mas sem ameaças consistentes ao gol adversário. Mas com o passar do tempo, o México recuperou o terreno e, aproveitando os muitos erros de passe da Seleção, passou a dominar o jogo.

O México levou sufoco em duas bolas cruzadas, sendo que uma delas obrigou Francielle a subir e salvar de cabeça, com a goleira Bárbara fora do lance. Com uma transição rápida da defesa para o ataque, o time da casa chegava com perigo. Apenas na etapa final do primeiro tempo as brasileiras apresentaram melhor volume de jogo.

Em meio a muitos chutes errados de fora da área, o Brasil teve duas oportunidades, ambas em cruzamentos pela direita. No primeiro, a zaga tirou antes que Débora colocasse a cabeça na bola. Na segunda, Maurine tocou com perfeição para Rosana, que, livre, cabeceou para a defesa da goleira Aurora Santiago.

Em poucos minutos, o segundo tempo teve mais emoção do que toda a primeira etapa. E, melhor em campo, o Brasil protagonizou a maioria. Depois de Formiga acertar o travessão num chute de fora da área, foi a vez de a Seleção ter um gol legítimo anulado pela árbitra cubana Irasema Aguilera. Aos 19 minutos, Formiga cobrou escanteio e a bola tocou no travessão. Bagé empurrou para o gol, mas a arbitragem assinalou que a bola havia saído.

Logo que a bola foi reposta, o México armou um contra-ataque que deixou Bárbara frente a frente com Samarzich. Mas a goleira brasileira saiu com precisão nos pés da atacante e defendeu. Embalado pelo domínio ofensivo, o Brasil teve uma boa chance com Tânia Maranhã de cabeça, obrigando Santiago a fazer boa defesa.

Na base da empolgação da torcida, que gritava “Si, se puede”, o México foi para cima do Brasil, mas deixou espaços. Numa saída rápida para o ataque, após cruzamento de Maicon pela esquerda, a bola passou por toda a área e chegou até Maurine, que se esticou para completar para o gol, abrindo o placar para a Seleção aos 33 minutos.

Com a vantagem, o Brasil passou a administrar a partida, aproveitando o desespero do México. Sem se afobar, o time de Kleiton Lima controlou a bola até o apito que garantiu a vaga na final do Pan.

ICFUT – Marta mais uma vez na disputa pela Bola de Ouro

Fonte: lancenet

Brasileira foi eleita a melhor jogadora de futebol do mundo nos últimos cinco anos

Marta após eliminação para os Estados Unidos (Foto: Fabrizio Bensch/Reuters) Marta mais uma vez será favorita ao prêmio Bola de Ouro (Foto: Fabrizio Bensch/Reuters)

A brasileira Marta encabeça a lista de candidatas ao prêmio Bola de Ouro do futebol feminino. A premiação é organizada pela Fifa e pela revista francesa "France Football".

Marta é a única brasileira indicada ao título de melhor jogadora do mundo. Ela venceu as últimas cinco edições do prêmio.

Também concorrerão à Bola de Ouro as francesas Bompastor e Necib; a alemã Garefrekes, as japonesas Miyama e Sawa, a sueca Schelin e as americanas Hope Solo e Wambach.

A melhor jogadora do mundo será conhecida na festa que a Fifa realizará no dia 9 de janeiro, em Zurique, na Suíça. Na ocasião também será anunciado o ganhador do prêmio no futebol masculino.

ICFUT – Contraste de Falcão, melhor do mundo no feminino mora em uma república

Fonte: gazetaesportiva

Em 14 de outubro, a conquista do Brasil no Campeonato Sul-americano Feminino de futsal foi praticamente ignorada no país: faz parte do triste retrato do apoio restrito à modalidade. Então, muitos dos fãs do esporte  da bola pesada também não devem conhecer a melhor jogadora do mundo da modalidade eleita por especialistas através do site Futsal Planet, uma brasileira, a ala Vanessa, que atua no Unochapecó/Nilo Tozzo/Aurora, de Chapecó (SC).

O futsal feminino está longe de ter a visibilidade do masculino. Sem o acompanhamento da mídia e transmissões pela televisão, os patrocínios são mais humildes. O resultado aparece no bolso dos atletas: até a melhor do mundo aceita a moradia oferecia por sua equipe em uma república para evitar gastos maiores. "Eu moro com outras sete meninas em uma casa", conta Vanessa.

Por outro lado, o futsal feminino conseguiu dar passos importantes. No Unochapecó/Nilo Tozzo/Aurora, todas as jogadoras da categoria adulta são profissionais. Obviamente, os salários estão longe dos seis dígitos pagos, por exemplo, ao astro Falcão. "Uma jogadora de ponta ganha recebe, no máximo, uns R$ 3.500 ou R$ 4 mil. E algumas podem receber um salário mínino, depende do nível", explica Vanessa.

Vanessa (esq) foi considerada a melhor jogadora do Campeonato Sul-americano de futsal, na Venezuela

A grande preocupação da melhor do mundo é a falta de segurança no futsal. Por isso, junto com os treinos diários – e até em dois períodos às terças e sextas -, Vanessa faz faculdade de fisioterapia no convênio com a Unochapecó. Ela chegou a desistir da experiência no futebol espanhol – no Burela – para completar os estudos.

"O futsal pode durar mais quatro ou cinco anos na minha vida, não sei. A faculdade é para a vida inteira, tenho mais um ano e meio para completar. A estabilidade não é tão grande como no masculino, não se ganha tão bem", justifica.

Apesar de todos os obstáculos e receios quanto ao futuro, Vanessa não se arrepende de buscar o sonho que moveu a sua vida. "Meu pai e minha mãe deram força desde o início, eu sempre quis ser uma jogadora de futsal", comemora a ala, que conta com o apoio de seu técnico em Chapecó, Eder Popiolski, para não desistir. "Se essa modalidade fosse reconhecida, a Vanessa seria o Falcão", completa.

Vanessa recebe prêmio de Marcos Sorato, técnico da Seleção masculina de futsal

Talento nato: O futsal começou cedo para a ala nascida em Patos de Minas. Aos cinco anos, Vanessa se interessou pelo esporte ao observar uma escolinha de futsal montada pelo seu pai, um ajudante de serviços gerais.

"Nós morávamos dentro de uma escola, meu pai tinha acesso às quadras. Ele nem é professor de Educação Física, fazia isso porque gostava. Ali começou o meu encanto, jogava com os meninos, já que as meninas não tinham muito interesse", diz a craque.

Aos 12 anos, Vanessa entrou para uma escolinha de verdade na região de Patos e, ao participar de competições, sua qualidade técnica floresceu. Cinco anos depois, ela foi descoberta nos Jogos Brasileiros Estudantis e passou atuar pelo time de Governador Valadares. O futsal já era algo sério na vida da atleta.

"Em 2005, joguei a Taça Brasil, fomos campeões e a equipe de Caçador (SC) me fez uma proposta. Então, desde 2006 eu jogo aqui no Sul", explica a atleta de 23 anos.

Dados da melhor do mundo no futsal

DivulgaçãoNome: Vanessa Cristina Pereira
Naturalidade: Patos de Minas (MG)
Data de Nascimento: 02/02/1988 (23 anos)
Posição: Ala
Altura: 1,57m
Peso: 51kg
Clubes: Minas/Governador Valadares, Kindermann/Caçador, Burela-ESP e Unochapecó/NTozzo/Aurora
Torneios conquistados: Campeonato Sul-americano, Torneio Mundial de Seleções e Campeonato Mundial Universitário (pela Seleção Brasileira); Campeonato Mundial Universitário, Copa das Nações, Liga Futsal, Jogos Abertos Brasileiros, Campeonato Catarinense, Mundial Interclubes, Olimpíadas Universitárias Brasileiras, Jogos Abertos de Santa Catarina (pelo Unochapecó/Nilo Tozzo/Aurora).

Veja os lances da melhor do mundo no futsal