ICFUT – Arrependido, Luis Fabiano admite erro e fala até em largar o futebol

Fonte: globo

Expulso no início do jogo na Bombonera, Fabuloso evita justificativas, compara tristeza à vivida na morte do avô, mas vê título tricolor como certo

Por Alexandre Lozetti e Marcelo PradoBuenos Aires, Argentina

 

A noite desta quarta-feira poderia ser a coroação para o maior goleador do São Paulo nesta temporada. Porém, o jogo contra o Tigre tornou-se um pesadelo no fim de ano do atacante Luis Fabiano.

Expulso aos 13 minutos do primeiro tempo, após tentar um chute no zagueiro Donatti, o Fabuloso desfalcou a equipe desde o início da primeira partida da final, e não estará presente na decisão da próxima semana, no Morumbi. Abatido, o jogador admitiu o erro e disse que pensou até mesmo em largar o futebol. Sem ele, o Tricolor não passou de um 0 a 0 com o Tigre, na Bombonera.

– Eu estava muito bem no jogo, tudo estava se encaminhando para uma grande partida. Acho que nunca vou ter outra oportunidade de jogar uma final dessa na minha vida. Hoje, sinceramente, estou tendo um sentimento que nunca tive em toda a minha carreira. É um sentimento de frustração, com um pouco de vontade de largar o futebol, de viver em paz. Lógico que não vou parar de jogar, mas é o que sinto hoje – desabafou, após a partida.

Luis Fabiano, Tigre e São Paulo, AP (Foto: Agência AP)Luis Fabiano ouviu xingamentos de torcedores argentinos na Bombonera (Foto: Agência AP)

O veterano de 32 anos evitou procurar argumentos ou explicações. Preferiu abaixar a cabeça e aceitar que seu vacilo prejudicou bastante o time na briga pelo inédito título da Copa Sul-Americana. A frustração de Luis Fabiano era tamanha que ele chegou a comparar a tristeza vivida com o cartão vermelho à morte de seu avô, responsável pela sua criação, em Campinas (SP). Na saída do gramado, a expressão do atacante era de choro.

– É o momento de dar a cara e assumir o erro. Ameacei o chute, e não era para ameaçar. Sou homem suficiente para assumir e não vou ficar dando explicação porque não adianta. Vai ser uma das noites mais difíceis da minha vida, depois da morte do meu avô – completou.

Autor de 31 gols nesta temporada, Luis Fabiano sempre foi um dos jogadores mais exaltados do atual elenco pelos torcedores, ao lado do capitão Rogério Ceni e do meia-atacante Lucas. Ciente de que só reencontrará os tricolores em 2013, o jogador evitou passar qualquer mensagem para a torcida e reafirmou sua personalidade forte, fazendo a ressalva de que nunca havia sido expulso em uma decisão.

Na próxima quarta-feira, quando o São Paulo decidirá o título no Morumbi, o Fabuloso terá de se limitar à função de torcedor. Com plena confiança de que seus companheiros garantirão mais esta conquista para o clube, ele lamentou a “festa incompleta” que viverá em sua particularidade.

– Hoje eu não diria nada para a torcida, que deve estar triste e chateada. O São Paulo vai levantar a taça, com certeza, mas a festa da minha parte não vai ser completa. Apesar de toda experiência que tenho, foi a primeira expulsão em finais da minha carreira. Às vezes a gente não tem sangue de barata. Eu não tenho, sou desse jeito e tenho de assumir. Não gosto de levar desaforo para casa, de tomar porrada.

As críticas ao atacante se estenderam desde a página pessoal de sua esposa no microblog Twitter até os comentários dos dirigentes são-paulinos presentes na Bombonera. O arrependimento de Luis Fabiano pelo destempero no início do jogo em Buenos Aires era tamanho que ele chegou a cogitar um possível recurso, que colocasse tanto ele como o zagueiro Donatti (ambos expulsos) em campo no Morumbi.

– Poderia haver algum recurso para os dois atletas jogadores a final. Não sei se existe, mas eu faria de tudo para voltar atrás e ter a oportunidade de jogar a final no Morumbi – insistiu.

ICFUT – Luis Fabiano é expulso, e São Paulo empata sem gol com Tigre

Fonte: gazetaesportiva

A catimba argentina equilibrou as coisas e ajudou o Tigre a parar o favorito São Paulo na primeira partida da final da Copa Sul-americana, na noite desta quarta-feira. Muito porque o atacante Luis Fabiano caiu em provocação e foi expulso no começo, juntamente com o zagueiro adversário Donatti. Com pouquíssimas chances de gol, a partida em La Bombonera terminou 0 a 0.

O jogo decisivo será daqui a uma semana, no Morumbi. O clube anunciou que a carga inicial de 64 mil ingressos se esgotou, mas novos bilhetes podem ser colocados à disposição. Nos quatro jogos até aqui em seu estádio na competição, o time tricolor, que tem a melhor defesa, não foi vazado nem sequer uma vez.

Para ser campeão, o São Paulo precisa de uma vitória simples. Como na final o gol marcado como visitante não é critério de desempate, qualquer empate na capital paulista força prorrogação. Em caso de nova igualdade, o troféu será decidido nos pênaltis.

Ney Franco havia preservado os titulares do clássico contra o Corinthians para chegar com força máxima nesta quarta-feira. Luis Fabiano, porém, tratou de atrapalhar os planos. Logo aos 13 minutos, o atacante envolveu-se em confusão e, após levar um soco de Donatti no braço, tentou acertar o zagueiro com as travas da chuteira. O árbitro conteve o tumulto expulsando os dois jogadores.

61040_20121205231954

Nenhum dos treinadores mexeu na equipe por isso, já que tinham dois jogadores nos respectivos setores prejudicados. O São Paulo tinha Lucas e Osvaldo, sendo que os suplentes habituais, Willian José e Ademilson, tinham sido cortados do banco de reservas em Buenos Aires.

O jogo continuou quente no primeiro tempo, e Maggiolo estranhou-se com Rafael Toloi. Além de trombadas e provocações, o zagueiro brasileiro se queixou de soco na boca, dentro da área ofensiva. Osvaldo e Jadson foram outros são-paulinos caçados pela marcação. O atacante ficou com a canela direita marcada e sangrando. “Estão vindo na maldade”, disse, no intervalo.

Reclamar foi a tônica após um primeiro tempo em que o São Paulo teve muito mais posse de bola, mas encontrou um adversário, além de faltoso, muito bem postado defensivamente. A melhor chance da etapa inicial saiu quando Luis Fabiano ainda estava em campo. Em condição legal, ele recebeu passe com liberdade dentro da área e chutou rasteiro, em cima de Albil.

O goleiro só voltou a trabalhar aos 26 minutos, quando o volante Denilson arriscou arremate de longa distância. A bola, a princípio, parecia fácil, mas quicou à sua frente e o obrigou a fazer complicada defesa. Com um tapa, ele a tirou para escanteio e, de novo, evitou a inauguração do placar.

Pelo lado argentino, o único jogador a preocupar era Botta. Ágil, ele deu algum trabalho pela ponta direita. O problema é que, apesar da velocidade do atacante, o Tigre não soube aproveitar os desarmes. Sem armação eficiente no meio-campo, a equipe mandante não conseguiu contra-atacar como queria.

O segundo tempo foi diferente, e os argentinos mostraram um pouco mais suas garras. Povoando bem mais o campo de ataque, o Tigre se valeu de consecutivas bolas levantadas à área. A pressão pendurou praticamente toda a defesa do São Paulo: os zagueiros Rafael Toloi e Rhodolfo e o volante Denilson levaram cartão amarelo por faltas cometidas.

Ney Franco sacou Jadson e promoveu a entrada de Cícero. A substituição aumentou a estatura da equipe são-paulina, mas pouco contribuiu ofensivamente. Até porque, nas vezes em que tomava a bola, o time brasileiro se livrava dela rapidamente. Tanto que Albil pouco trabalhou na etapa final. Sem risco para os dois lados, a decisão ficou para o Morumbi.

ICFUT – Tigre confirma e decisão da Sul-Americana com o Tricolor será em La Bombonera

Fonte: lancenet

Clube não pode jogar em sua casa, no José Dellagiovanna, pois capacidade do estádio é de apenas 28 mil torcedores e Conmebol exige palco com no mínimo 40 mil

La Bombonera (Foto: Igor Siqueira)
La Bombonera será o palco do jogo entre Tigre x São Paulo nesta quarta-feira (Foto: Igor Siqueira)

O Tigre confirmou por meio de seu site oficial que a decisão da Copa Sul-Americana será mesmo em La Bombonera, casa do Boca Juniors. O clube argentino enfrentará o São Paulo nesta quarta-feira, no jogo de ida do torneio, no estádio dos xeneizes.

A equipe do técnico Néstor Gorosito não pôde mandar seu jogo no José Dellagiovanna por decisão da Conmebol (Confederação Sul-Americana de Futebol). A entidade não permite que estádios com capacidade para menos de 40 mil pessoas sediem as decisões de competições organizadas por ela.

Nesta terça-feira, o presidente do Tigre, Rodrigo Molinos, se reunirá com o presidente do Boca, Daniel Angelici, para acertar detalhes de segurança, venda de ingressos e organização da partida em geral.

ICFUT–SUL-AMERICANA: Tigre ‘realiza desejo’ do São Paulo, elimina o Millonarios e está na final

Fonte: lancenet

Time argentino leva sufoco, mas arranca empate em 1 a 1 na Colômbia

Copa Sul-Americana - Millionários x Tigre (Foto: Guillermo Legaria/AFP)
Tigre está na final da Copa Sul-Americana (Foto: Guillermo Legaria/AFP)

Lucas, os jogadores do São Paulo e a torcida tanto torceram que o Tigre (ARG) conseguiu eliminar o Millonarios (COL) e está garantido na final da Copa Sul-Americana. Desta forma, o Tricolor do Morumbi vai ter a chance de decidir o torneio continental dentro de sua casa. O time argentino foi até a Colômbia nesta quinta-feira e arrancou o empate por 1 a 1.

Como houve um empate em 0 a 0 no jogo de ida, qualquer vitória argentina ou mesmo uma igualdade com gols já seria suficiente para avançar. Mas o time mostrou muita disciplina tática. Soube ficar em seu campo, deixar o adversário jogar, e abriu o placar em bola parada. Levou um gol já aos 45 do segundo tempo, segurou o resultado e se classificou para decisão. O primeiro jogo será em Buenos Aires, no dia 5 de dezembro, e a decisão uma semana depois no Morumbi.

Se o Millonarios acreditava que teria facilidade, logo no início o Tigre mostrou que não seria assim. A equipe argentina mostrou que pode não ter um grande craque, mas que sabe marcar sob pressão, que pode ter organização tática e sair em bons contra-ataques. E foi nisso que se baseou seu jogo, principalmente no primeiro tempo. Botta era o jogador que levava mais perigo, criava boas jogadas, mas Maggiolo e Leone não conseguiram ajudar muito.

Do outro lado, o Millonarios era visivelmente uma equipe mais técnica. Ortíz e Candelo comandavam o meio, com o segundo trazendo mais cadência, e o primeiro mais velocidade, e a dupla de ataque formada por Cosme e Rentería, com muito apoio de Otálvaro, que fazia boas jogadas individuais, e chegou a deixar o ex-atacante do Internacional e do Santos na cara do gol.

Colombianos foram surpreendidos com forte marcação (Foto: Guillermo Legaria/AFP)

O primeiro tempo começou com pressão do Tigre, como bons lances de Maggiolo e Botta, que quase acertou um bonito chute após matada no peito. Depois, o Millonarios atacou bastante, mas a marcação em cima de Cosme e Rentería era forte. Com o tempo, a partida se equilibrou, e os pesos ficaram iguais na etapa inicial.

No início do segundo tempo, o time colombiano achou que iria se aproveitar do preparo físico e do desgaste do Tigre por causa da altitude de Bogotá e foi para cima. Logo nos cinco primeiros minutos foram quatro chances. Sendo que na primeira, Ochoa fez boa jogada de linha de fundo, tocou para Candelo, e Donatti salvou em cima da linha.

Mas pareceu que quem cansou foram os colombianos. Aos poucos os argentinos voltaram à partida e o gol acabou saindo em jogada de bola parada. Falta cobrada da intermediária, Maggiolo desviou para a pequena área, e Etcheverría ficou livre para completar e balançar a rede.

Daí para o fim, o Millonarios tentou pressionar, e só aos 45 minutos que saiu o gol, com Perlaza. Mas foi tarde demais. O Tigre está na final.

FICHA TÉCNICA
MILLONARIOS (COL) 1 x 1 TIGRE (ARG)

Local: Estádio Nemesio Camacho "El Campín", em Bogotá (COL)
Data-hora: 29/11/2012, às 22h15 (de Brasília)
Árbitro: Darío Ubriaco (URU)

Gols: Etcheverría (20’/2ºT), Perlaza (45’/2ºT)

Cartões amarelos: Orban, Galmarini, Díaz, Albil (TIG), Martínez, Franco (MIL)
Cartões vermelhos: Não houve.

MILLONARIOS (COL): Delgado, Ochoa, Henríquez, Franco e Martínez; Ramírez, Otálvaro, Ortíz (Vasquez, 25’/2ºT) e Candelo (Tancredi, 34’/2ºT); Cosme (Perlazza, 29’/2ºT) e Rentería. Técnico: Hernán Torres

TIGRE (ARG): Albil, Paparatto, Donatti, Etcheverría e Orban; Galmarini, Ferreira, Leone (García, 48’/2ºT) e Díaz; Botta (Escobar, 31’/2ºT) e Maggiolo (Ftacla, 43’/2ºT). Técnico: Néstor Raúl Gorosito

ICFUT–SUL-AMERICANA: São Paulo empata sem gols com a Católica e volta a uma final de mata-mata

Fonte: lancenet

Gol de Rafael Toloi no empate por 1 a 1 na primeira partida, no Chile, ajudou o Tricolor a encerrar o calvário de semifinais e chegar à decisão da Sul-Americana

As imagens de São Paulo 0 x 0 Universidad Católica (Foto: Eduardo Viana)
Cortez comemora a classificação, enquanto rival lamenta no gramado (Foto: Eduardo Viana)

Desde que perdeu a Libertadores para o Internacional, em 2006, foram anos batendo à porta das decisões e sendo rejeitado. E mesmo não empolgando ao empatar sem gols com a Universidad Católica (CHI), no Morumbi, na noite desta quarta-feira, o São Paulo conseguiu chegar à final da Copa Sul-Americana encerrando o calvário das semifinais dos últimos anos, graças ao gol de Rafael Toloi no empate por 1 a 1 na primeira partida.

O Tricolor aguarda agora o vencedor da outra semifinal entre Tigre (ARG) e Millonarios (COL). No primeiro jogo, empate em 0 a 0 na Argentina. O segundo confronto será realizado na noite desta quinta-feira, às 22h15 (horário de Brasília). As finais da competição serão dia 5 e 12 de dezembro. Se o adversário do Tricolor for o Tigre, a segunda partida será no Morumbi. Se for o Millonarios, a decisão será na Colômbia.

Diferentemente do primeiro jogo, quando entrou com dois atacantes, o uruguaio Martín Lasarte escalou a equipe dos Cruzados no 4-2-3-1, promovendo a entrada de Peralta. Assim, no meio, a Católica tinha Ríos na direita, marcando as subidas de Cortez, Cordero no meio e Peralta do lado esquerdo, acompanhando Paulo Miranda.

E o jogo já começou nervoso. Logo aos dois minutos, Peralta – que tratou de fazer jus ao nome durante todo o confronto – fez falta em Wellington e levou cartão amarelo. Nervoso, Denilson foi tirar satisfação com o meia dos Cruzados e, de forma infantil, também foi amarelado pelo árbitro venezuelano Juan Soto.

Nervosismo à parte, o Tricolor buscou pressionar a Católica nos minutos iniciais. Luis Fabiano tentou mas Toselli, que voltaria a fazer um bom jogo após a grande atuação da última quarta-feira, defendeu.

Dos cinco minutos iniciais em diante, o ímpeto ofensivo que o São Paulo buscou imprimir no começo do jogo esfriou. Assim, permitiu que os chilenos encaixassem a marcação e entrassem no jogo, ficando com mais posse de bola e tentando chegar ao gol de Rogério Ceni, principalmente, com o perigoso meia Michael Ríos, aberto pelo lado direito.

A partir da metade do primeiro tempo, o Tricolor voltaria a imprimir o forte ritmo do princípio do jogo, com Lucas caindo bastante pelo meio. A primeira grande chance do São Paulo viria aos 20 minutos. E justamente após bela arrancada do camisa 7 pela faixa central, Jadson recebeu cara a cara com Toselli e, tentando tirar do goleiro, acabou finalizando para fora.

Já no fim da primeira etapa, Luis Fabiano desperdiçaria a melhor oportunidade da partida até então. Aos 41, após passe de Jadson, Osvaldo finalizou e Toselli defendeu. Luis Fabiano pegou o rebote, chutou, Toselli defendeu novamente e, com a bola no alto, Fabuloso tentou bater de primeira e, de esquerda, mandou na rede do lado do gol.

A segunda etapa começou nervosa como a primeira. Com 16 minutos de jogo, três atletas (Costa, Silva e Álvarez) da Católica foram amarelados.

Pelos lados do Tricolor, Osvaldo foi o jogador mais acionado. E o camisa 17 só conseguia ser parado com faltas. Lucas, assim como no primeiro tempo, posicionou-se mais centralizado no meio de campo e não aberto pela direita.

Aos 18 minutos, Paulo Miranda fez ótimo cruzamento da direita e Luis Fabiano, que não esperava que a bola passasse pelos zagueiros, não conseguiu dominar direito e a bola ficou nas mãos de Toselli.

O nervosismo, desta vez, não traduzido em faltas mas sim em ansiedade, tomou conta do Tricolor. Na tentativa de dar mais tranquilidade e bola no chão ao São Paulo, Ney Franco promoveu a entrada de Ganso no lugar de Jadson.

Aos 34 minutos, um minuto após a entrada do camisa 8, Luis Fabiano teve mais uma chance para marcar e, novamente, parou em Toselli. No rebote, Lucas tentou e o goleiro chileno defendeu com segurança.

No domingo, o São Paulo volta a jogar pelo Brasileirão. O Tricolor enfrenta o Corinthians, no Pacaembu, na última rodada do Nacional.

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO 0 X 0 UNIVERSIDAD CATÓLICA (CHI)
Local: Morumbi, em São Paulo (SP)
Data/horário: 28/11/2012, às 21h50 (horário de Brasília)
Árbitro: Juan Soto (VEN)
Assistentes: Jorge Urrego (VEN) e Carlos Lopez (VEN)
Renda e Público: R$ 1.303.532,00 / 55.286 pagantes
Cartões Amarelos: Rogério Ceni, Wellington, Denilson (SPO); Andía, Peralta, Costa, Silva, Álvarez (UNI)
Cartões Vermelhos: Não houve.
Gol: Não houve.
SÃO PAULO: Rogério Ceni; Paulo Miranda, Rafael Toloi, Rhodolfo e Cortez; Denilson, Wellington, Jadson (Ganso – 33’/2°T), Lucas e Osvaldo; Luis Fabiano. Técnico: Ney Franco.
UNIVERSIDAD CATÓLICA (CHI): Toselli; Álvarez, Martinez, Andía e Parot; Costa, Silva (Obelar – 21’/2°T), Ríos (Mier – 35’/2°T) e Cordero; Peralta (Menezes – 13’/2°T) e Castillo. Técnico: Juan Martín Lasarte.

ICFUT–SUL-AMERICANA: Morumbi vai tremer, mais de 53 mil ingressos vendidos para semifinal

Fonte: lancenet

Maior público no Brasileiro, Tricolor expande o território. Procon-SP notifica o clube

Torcedores no Morumbi (Foto: Bruno Quaresma)
Torcedores lotam o Morumbi para empurrar o Tricolor (Foto: Bruno Quaresma)

Dono do melhor público no Brasileiro, o São Paulo quer expandir o território. Mais de 53 mil ingressos foram vendidos para o jogo desta quarta-feira, contra a Universidad Católica (CHI), pelo jogo de volta da semifinal da Copa Sul-Americana, às 21h50 (horário de Brasília).

Invicto na competição continental, o Tricolor pode, nesta partida, superar os três últimos públicos na competição juntos. Contra o Bahia, 10.097 pagantes, e diante da Liga de Loja (ECU), 15.208 pessoas. Ambos os jogos no estádio do Morumbi.

No último jogo, no Pacaembu, contra La U, por conta do show da Lady Gaga, o São Paulo levou 32.636 pagantes. Ao todo,  57.941 pessoas nos três jogos, com média aproximada de 19.313 torcedores. Com isso, a expectativa do clube é ultrapassar a soma anterior com o público de logo mais no Morumbi.

Na última semi em torneios internacionais que disputou, diante do Internacional, pela Libertadores de 2010, o público no Morumbi  foi de 57.113, número que também deve ser ultrapassado à noite. No Brasileiro, o Tricolor é o dono dos três maiores públicos. O maior ocorreu na estreia do Ganso, no último jogo da equipe no Morumbi, com a presença de 62.207 pagantes.

Empurrado pela massa tricolor, o São Paulo deve fazer o Morumbi tremer para chegar à final inédita.

Procon-SP notifica
Ao LANCE!Net, o diretor de fiscalização do Procon-SP, Marcio Marcucci, afirmou que o clube foi notificado pelo órgão por não vender meias-entradas pela internet, além de uma taxa abusiva nas compras online. O clube afirma que ainda não recebeu nada do órgão fiscalizador.

ICFUT – São Paulo perde muitos gols e apenas empata com a Católica

Fonte: lancenet

Osvaldo desperdiçou pelo menos quatro ótimas oportunidades de ampliar a vantagem para o Tricolor. Na etapa final, equipe foi castigada e sofreu o empate

Universidad Católica x São Paulo - Copa Sul-Americana - Hans Martinez e Luis Fabiano (Foto: Martin Bernetti/AFP)
Luis Fabiano, muito nervoso durante o jogo, disputa com Martínez(Foto: Martin Bernetti/AFP)

"Quem não faz, toma!". Osvaldo poderia ter sido o herói são-paulino no Chile. Porém, as diversas chances desperdiçadas pelo camisa 17 fizeram com que o São Paulo apenas empatasse com a Universidad Católica por 1 a 1, no estádio San Carlos de Apoquindo, em Santiago (CHI), nesta quinta-feira, pelas semifinais da Copa Sul-Americana.
Na etapa inicial, Rafael Toloi abriu o placar para o Tricolor e Castillo, no segundo tempo, empatou para os Cruzados. No confronto de volta, que acontecerá na próxima quarta-feira, no Morumbi, o time do técnico Ney Franco pode até empatar sem gols que garante a vaga na decisão da competição. Um novo resultado de 1 a 1 levará a definição para os pênaltis. Igualdade por dois ou mais gols classificará os rivais.
Donos da casa e com a obrigação de levar um bom resultado para o Brasil, a Universidad Católica aproveitou uma certa dispersão do São Paulo no começo da partida e foi para cima do Tricolor. Porém, a (curta) pressão inicial não levou nenhum perigo ao gol de Rogério Ceni.
Logo aos 5 minutos, Jadson mostrou o cartão de visitas são-paulino e acertou um belo chute na trave, assustando o goleiro Toselli. Do lance em diante, a equipe do técnico Ney Franco dominou o confronto.
As ações ofensivas do Tricolor se deram principalmente pelo lado direito, apostando na velocidade de Lucas e na constante participação de Jadson que, ligado no jogo, se apresentou como articulador das principais jogadas do time na primeira etapa.
E foi aos 21 minutos, em jogada iniciada pelo camisa 10, que o São Paulo abriu o placar. Jadson dominou pelo lado esquerdo e tocou para Denilson, que lançou para o outro lado da grande área. Rhodolfo dominou e cruzou na medida para o companheiro de zaga Rafael Toloi abrir o placar.

Com a vantagem parcial, a Católica saiu do campo de defesa em busca do empate e deu espaços para o clube do Morumbi, especialmente nos lados do campo. Espaços que, em duas oportunidades, não foram aproveitados por Osvaldo, que perdeu chances cara a cara com Toselli.
A volta para a etapa complementar se iniciou semelhante ao princípio do primeiro tempo, com a Católica em cima, mas, novamente, sem levar perigo à meta de Ceni.
A partir do momento que o Tricolor acordou, novo domínio são-paulino, com Lucas à frente das ações ofensivas, Luis Fabiano e Osvaldo – o último em noite infeliz – disperdiçaram ótimas chances de ampliar para o São Paulo.
E o ditado que diz "quem não faz, toma" serviu para ilustrar perfeitamente o que foi o confronto, especialmente na segunda etapa. Depois das inúmeras chances desperdiçadas pelo ataque são-paulino, Ríos se livrou de Paulo Miranda na direita e cruzou para Castillo. O atacante limpou Rhodolfo e finalizou quase da pequena área para empatar.
Depois do empate, Ney Franco tirou – erroneamente – Lucas e promoveu a entrada de Paulo Henrique Ganso. Com a alteração, o Tricolor perdeu, além de velocidade, seu principal criador de jogadas na partida e partiu para um jogo muito mais cadenciado, pouco vertical, sinalizando total contentamento com o empate.
Quem não estava contente com o empate era a Católica, que precisava de um gol para sair, pelo menos, com uma vitória de Santiago, já mirando o jogo de volta. Com Ríos articulando a maioria das jogadas do time chileno, o Tricolor conseguiu segurar a vantagem, apesar de um discreto sufoco dos Cruzados nos instantes finais.
No próximo domingo, o São Paulo volta a jogar pelo Campeonato Brasileiro. A equipe do técnico Ney Franco vai a Campinas, onde enfrenta a Ponte Preta, no Moisés Lucarelli, pela penúltima rodada da competição. Já classificado para a Copa Libertadores, o Tricolor está a cinco pontos do Grêmio com seis em disputa e uma chance minúscula de ser o vice-campeão da competição.

FICHA TÉCNICA
UNIVERSIDAD CATÓLICA 1 X 1 SÃO PAULO
Local: Estádio San Carlos de Apoquindo, em Santiago, no Chile
Data/Horário: 22/11/2012, às 20h15 (de Brasília)
Árbitro: Omar Ponce (ECU)
Assistentes: Juan Cedeño (ECU) e Christian Lescano (ECU)
Renda e Público:
Cartões Amarelos: Sepúlveda, Ríos, Martínez (UNI); Rogério Ceni, Luis Fabiano (SPO)
Cartões Vermelhos:
Gols: Rafael Toloi, aos 21’/1°T (0-1) e Castillo, aos 24’/2° T (1-1)
UNIVERSIDAD CATÓLICA: Toselli; Álvarez, Martínez, Andia e Parot; Sepúlveda (Meneses – Intervalo), Costa, Ríos e Silva (Peralta – 25’/2°T); Pizarro (Ovelar – Intervalo) e Castillo. Técnico: Juan Martín Lasarte.
SÃO PAULO: Rogério Ceni; Paulo Miranda, Rafael Toloi, Rhodolfo e Cortez; Wellington, Denílson, Jadson (Douglas – 47’/2°T), Lucas (Ganso – 26’/2°T) e Osvaldo; Luís Fabiano. Técnico: Ney Franco.

Gols

ICFUT–SUL-AMERICANA: Católica vence o Independiente e vai às semifinais da Sul-americana

Fonte: gazetaesportiva

A Universidad Católica-CHI se juntou ao São Paulo como mais um classificado para as semifinais da Copa Sul-americana. A equipe chilena venceu por 2 a 1 o Independiente-ARG, nesta quinta-feira e se garantiu na próxima fase da competição, uma vez que o confronto de ida terminou em empate por 2 a 2, na Argentina. O herói da partida foi o meia Ríos, que marcou os dois gols dos donos da casa em cobranças de pênalti.

Os duelos nas semifinais da Sul-americana ainda não foram decididos. Se o Grêmio passar pelo Millonários-COL, os dois times brasileiros terão de se enfrentar antes da final, por causa do regulamento da competição. Caso a equipe colombiana avance, a Universidad Católica será a adversária do São Paulo.

O primeiro tempo foi muito disputado, principalmente porque a Universidad Católica abriu o placar aos 18 minutos com Ríos, de pênalti. O Independiente teve que correr atrás do prejuízo e conseguiu o empate com Santana. No entanto, logo depois de igualar o placar, os argentinos sofreram o novo revés, novamente através de uma penalidade máxima. Mais uma vez, Ríos marcou após precisar repetir a cobrança.

Ríos foi o grande personagem da partida: o atleta marcou os dois gols que classificaram a Católica para a semi

Na etapa final, a Universidad Católica ficou com um homem a menos, quando Cordero foi expulso. A inferioridade numérica fez o Independiente pressionar até os minutos finais. Contudo, a zaga chilena e, principalmente, o goleiro Toselli pararam os argentinos.

Com o apito final do árbitro, a torcida pôde comemorar a passagem da equipe para a semifinal. É o segundo ano seguido que um time chileno chega a esta fase da competição. Em 2012, a Universidad de Chile, que foi eliminada pelo São Paulo na última quarta-feira, conquistou o título da competição.

ICFUT–SUL-AMERICANA: Tricolor tenta finalizar serviço contra La U para passar à semifinal

Fonte: lancenet

A classificação do São Paulo para a semifinal da Copa Sul-americana está próxima. Às 21h50 (de Brasília) desta quarta-feira, a equipe recebe a Universidad de Chile podendo até perder por um gol de diferença depois de ter adiantado o serviço no duelo de ida, em Santiago, com surpreendente triunfo por 2 a 0.

Em vez do Morumbi, o mando de jogo será exercido no Pacaembu por causa da preparação para o show da cantora norte-americana Lady Gaga no estádio do clube, no domingo à noite. Mesmo se a partida fosse em casa de fato, os são-paulinos rejeitariam favoritismo.

"Cada jogo é um jogo. Temos que usar nossa crescente na temporada a favor, mas conter a empolgação para não deixar isso atrapalhar. Conseguimos um resultado significativo fora de casa e temos que saber jogar com o regulamento", diz o meia-atacante Lucas.

No jogo de ida, o São Paulo encontrou facilidade para construir a vitória no primeiro tempo – Willian José fez um gol aos oito e outro aos 18 minutos –, porém desacelerou. Até quando esteve com um jogador a menos, depois do cartão vermelho recebido por Mena, a equipe chilena conseguiu apertar para tentar diminuir a diferença.

Fernando Dantas/Gazeta Press

Se for derrotado por apenas um gol de diferença, São Paulo de Lucas confirma classificação à semi

"Precisamos fazer, no mínimo, dois ou três gols no primeiro tempo para nos mantermos tranquilos no segundo", exagera o volante Denilson, ao tentar se justificar. "É uma equipe muito forte tanto física quanto tecnicamente. Eles continuaram nos pressionando mesmo após a expulsão. É a atual campeã da Sul-americana e merece respeito".

Desta vez, o ataque não terá Willian José. Luis Fabiano se recuperou de dores musculares, jogou no fim de semana e irá a campo também nesta quarta-feira. Apesar de o jovem atacante ter ido bem em território chileno, o artilheiro da temporada tem lugar cativo na equipe, agora sem Osvaldo, vetado por sentir incômodo muscular na coxa esquerda.

Sem o velocista ponta esquerda, o técnico Ney Franco optou por modificar ligeiramente o esquema tático da equipe. Podendo simplesmente escalar Ademilson no setor, o treinador confirmou a entrada do meia Maicon à frente da dupla de volantes. A alteração reforça o meio-campo, até porque a lateral direita mais uma vez não terá Paulo Miranda. O beque improvisado será substituto pela terceira vez seguida por Douglas após entorse no joelho esquerdo.

La U chegou ao Brasil confiante. Sem poder contar com Mena, expulso no primeiro confronto, mas tendo o restante de sua força à disposição, o time de Santiago acredita que possa reverter a situação desfavorável. Para passar de fase, precisa vencer por três gols de diferença ou devolver o 2 a 0 e confirmar a vaga nos pênaltis.

“Tem que ser um grande jogo tanto no ataque quanto na parte defensiva. Estamos com muita confiança em uma reviravolta. Temos a convicção de que nada é impossível e trataremos de reverter essa situação”, comenta o zagueiro e capitão José Rojas. “O elenco não veio passear no Brasil. Deixaremos tudo em campo”.

O duelo com o São Paulo é tão valorizado pelo técnico Jorge Sampaoli que seu time entrou com formação reserva no fim de semana, no clássico contra a Universidad Católica. Que, a propósito, pode ser o adversário da próxima fase se eliminar o Independiente, da Argentina. A disposição da tabela, porém, pode ser mudada para evitar uma decisão entre clubes do mesmo país.

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO X UNIVERSIDAD DE CHILE

Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data: 7 de novembro de 2012, quarta-feira
Horário: 21h50 (de Brasília)
Árbitro: Enrique Cáceres (PAR)
Assistentes: Milciades Saldivar e Hugo Martinez (PAR)

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Douglas, Rafael Toloi, Rhodolfo e Cortez; Wellington, Denilson, Maicon e Jadson; Lucas e Luis Fabiano
Técnico: Ney Franco

UNIVERSIDAD DE CHILE: Jhonny Herrera; González, Acevedo e Rojas; Matías Rodríguez, Aránguiz, Martínez (Marino), Cereceda e Lorenzetti; Ubilla e Gutiérrez
Técnico: Jorge Sampaoli

ICFUT–SUL-AMERICANA: Universidad-CHL 0 x 2 São Paulo

Fonte: futebolinterior

Willian José dá boa vantagem ao Tricolor

Atacante marcou os dois gols e Tricolor está perto das semifinais

Campinas, SP, 01 (AFI) – Apesar de contestado, o atacante Willian José, do São Paulo, colocou o time com um pé nas semifinais da Copa Sul-Americana 2012. Em noite inspirada, Willian fez os dois gols do Tricolor na vitória de 2 a 0 em cima do Universidad do Chile, em jogo válido pela ida das quartas de final da competição. A partida foi disputada na noite desta quarta-feira no Estádio Nacional, no Chile.

Além de vencer, o Tricolor quebrou a invencibilidade do Universidad do Chile-CHL, que não perdia em casa para times estrangeiros há dois anos.

Com a vitória de 2 a 0, o Tricolor terá a vantagem de perder por até um gol de diferença em São Paulo para avançar às semifinais da Copa Sul-Americana. Apartida de volta está marcada para dia sete de novembro no Estádio Pacaembu.

Quem se classificar enfrentará o vencedor de Independiente-ARG e Universidad Católica-CHL nas semifinais.

Primeiro tempo
Mesmo jogando fora de casa, o São Paulo começa melhor a partida, abrindo o placar logo aos sete minutos.

Wellington dá bom passe para Willian José, que recebe nas costas da zaga e bate forte, de pé esquerdo, de fora da área. Johnny Herrera pula, mas não acha nada. 1 a 0.

O Universidad acorda e quase empata aos 12. Cortez afasta mal, Rhodolfo erra o chute e bola sobre para Lorenzetti na esquerda. Meio-campista bate cruzado, de esquerda, e a bola passa perto, assustando Rogério Ceni.

Mas o Tricolor amplia aos 18. Wellington puxa contra-ataque e lança Lucas na direita, que cruza para o meio da grande área. A bola passa pela marcação e Willian José, de pé esquerdo, completa para o gol. 2 a 0. Segundo gol de Willian José na noite.

Aos 25 minutos, o que já era ruim para o Universidad de Chile fica ainda pior. O zagueiro Mena erra na hora de recuar para Johnny Herrera, perde disputa para Osvaldo e comete falta no atacante tricolor. Cartão vermelho direto.

O São Paulo ainda quase amplia no finalzinho do primeiro tempo. Aos 44, Jadson recebe na direita e, livre de marcação, chuta cruzado. A bola passa perto da trave de Jhonny Herrera, dando números finais à primeira etapa. 2 a 0 Tricolor.

Segundo tempo
No prejuízo, o Universidad de Chile volta melhor na segunda etapa, criando a primeira boa chance aos três minutos. Ubilla desvia cruzamento da direita e obriga Rogério Ceni a voar no canto direito para fazer boa defesa.

Rogério trabalha novamente aos oito minutos. González aparece na primeira trave e cabeceia para o gol. Bem posicionado, o goleiro do Tricolor faz a defesa.

O jogo esfria e o São Paulo só volta à ameaçar os donos da casa aos 33.Lucas arrisca de fora da área e Johnny Herrera consegue fazer a defesa.

O Tricolor arrisca pela última vez aos 41. Willian José recebe na direita, corta para dentro e tenta chute rasteiro. A bola passa perto e assusta o goleiro Johnny Herrera, dano números finais à partida. 2 a 0 Tricolor.

Gols