ICFUT–AMISTOSO: BRASIL 2 X 0 CORÉIA DO SUL

Fonte: lancenet

Neymar e Oscar fazem os gols da Seleção em amistoso na Ásia

Neymar durante o jogo com a Corea. (Foto: Mowa Press)
Neymar comemora durante o jogo com a Coreia (Foto: Mowa Press)

O dia das crianças começou do outro lado do mundo com uma celebração com a Seleção Brasileira. Neymar e Oscar, os dois jogadores mais jovens da equipe escalada por Luiz Felipe Scolari marcaram na vitória por 2 a 0 em cima da Coreia do Sul, em amistoso neste sábado de manhã em Seul, em partida em que os rivais abusaram das faltas.

O JOGO
Felipão optou por utilizar o esquema que usou na Copa das Confederações. Da base que venceu o torneio, colocou apenas Dante e Jô nos lugares dos lesionados Thiago Silva e Fred, o resto do time, era o mesmo. E o Brasil começou melhor e pressionando. Logo no início, Marcelo levantou para David Luiz, que não alcançou, e Hulk que teve boa, chance, mas chutou em cima de Sung-Ryong.

Ao ver a ofensividade do Brasil, a Coreia começou a bater. Apenas nos primeiros 10 minutos, Neymar tinha apanhado três vezes. A Seleção, que não estava lá tão organizada, ou até não muito interessada no jogo mesmo, acabou mostrando certo nervosismo, e os asiáticos cresceram no jogo, e até ensaiaram uma pressão com boas chances.

A Coreia bateu tanto, que foi penalizada com um gol de falta do Brasil. Neymar, de 21 anos, o mais jovem do time titular, cobrou bem no cantinho, e o goleiro demorou a pular. Acabou aceitando.

SEGUNDO TEMPO
Para a etapa final, Felipão resolveu mudar o esquema e tirou Hulk para colocar Ramires e povoar o meio-campo. Logo no primeiro minuto, a Coreia teve logo uma chance, e Jefferson fez boa defesa.

Na sequência, o Brasil conseguiu logo demonstrar sua superioridade e saiu o gol do segundo mais jovem da equipe que começou o jogo: Oscar, com 22 anos. Recebeu ótimo lançamento de Paulinho, e finalizou na saída de Sung-Ryong.

Daí para o fim, a Coreia voltou a tentar a atacar, mas não conseguiu, e as seleções começaram a fazer aquelas várias substituições típicas dos amistosos. Até tiveram algumas chances, mas nenhuma muito clara, e o resultado ficou mesmo no 2 a 0 para o Brasil, apesar dos erros sucessivos de passes do Brasil na reta final.

Na próxima terça-feira, a Seleção enfrenta a Zâmbia na China.

Melhores momentos e gols

ICFUT–AMISTOSO: Coreia do Sul x Brasil e links ao vivo

Fonte: futebolinterior

Será o penúltimo amistoso do time canarinho no ano

Campinas, SP, 11 (AFI) – Os amantes do futebol brasileiro terão de acordar cedo neste sábado. A Seleção Brasileira fará o seu 10º amistoso do ano contra a Coreia do Sul, às 8 horas, no estádio World Cup Stadium, em Seoul, capital da Coreia do Sul. O estádio é o mesmo em que o Brasil venceu a Turquia na semifinal da Copa do Mundo de 2002. Será o penúltimo amistoso do time canarinho no ano e muito provavelmente o antepenúltimo antes da Copa do Mundo.

A Rádio Futebol Interior trará todas as emoções desta partida com a sua equipe campeã. Júlio Nascimento vai narrar, com comentários de Miguel Salek e reportagens de Thiago Farias. O Placar Ao Vivo também estará acompanhando o jogo.

Por mais que seja uma seleção de desconhecidos para a maioria dos jogadoresbrasileiros, a Coreia do Sul é encarada pelo técnico Felipão como um adversário forte. Presente em todas as Copas do Mundo desde 1986, Os Tigres Asiáticos, como são conhecidos os jogadores da seleção coreana, já garantiram a vaga para a Copa de 2014, no Brasil. Por isso, o confronto deste sábado colocará frente a frente duas seleções com muita experiência no campeonato mundial.

Vindo de uma vitória convincente contra Portugal por 3 a 1, a seleção Brasileira chegou com bastante antecedência em Seoul para que os jogadores se adaptassem ao fuso horário. Mesmo assim, o lugar escolhido para o amistoso recebeu duras críticas de Felipão. Na entrevista coletiva concedida na última quinta-feira, o treinador brasileiro reclamou da empresa que detém os direitos dos amistosos da Seleção. Na visão de Felipão, jogar tão longe do país causa muitos desgastes aos jogadores.

Neymar deu susto, mas joga
Depois de um encontrão com Hernanes no treinamento de quinta-feira, o atacante Neymar, principal estrela da Seleção Brasileira precisou sair com o auxílio dos médicos e foi poupado do restante da atividade. Com isso, ficou no grupo a expectativa sobre a presença do craque entre os titulares, suspense que terminou na sexta-feira, quando o atacante treinou normalmente.

Com isso, a Seleção Brasileira entrará em campo com a base que disputou a Copa das Confederações. As únicas mudanças são Jefferson, no lugar de Júlio César e Dante no lugar de Thiago Silva. As duas mudanças acontecem por motivo de lesão.

“Em princípio, eu devo sair com a equipe base da Copa das Confederações. Com o passar do jogo, vou fazer as trocas que eu acho necessárias. Coisas que eu quero observar nesses dois jogos”, destacou Felipão.

Em relação ao time que venceu Portugal no último amistoso, a principal mudança será a volta de Hulk no lugar de Bernard. O ex-jogador do Galo foi muito elogiado na ocasião, mas Felipão mostra que ainda cofia muito em Hulk e no esquema com três atacantes.

Olho vivo no ataque sul-coreano
Se o time da Coreia do Sul até alguns anos atrás era todo formado por jogadores que atuavam no próprio país, a realidade atual mudou. Nos convocados que enfrentaram o Brasil neste sábado há jogadores que atuam na Inglaterra, na Alemanha, no Oriente Médio e também no Japão. O principal destaque dos Tigres Asiáticos está no ataque, Ji Dong-Won, que atua no Sunderland, da Inglaterra é apontado como um dos maiores jogadores do país nos últimos tempos. Ao lado dele, atua outro jogador “estrangeiro”, Koo Jacheol, do Wolfsburg, da Alemanha.

A equipe ficou na segunda colocação do Grupo A nas eliminatórias asiáticas. Além dos coreanos, Irã, Austrália e Japão também garantiram vaga pelo continente.

links ao vivo

ICFUT – Com golaço de Neymar, Seleção Brasileira derrota Portugal de virada

Fonte: lancenet

Mesmo sendo caçado em campo, craque esbanja categoria e comanda vitória do Brasil

Brasil x Portugal - Neymar (Foto: Cristiano Andujar/ LANCE!Press)
Neymar deixou sua marca contra Portugal (Foto: Cristiano Andujar/LANCE!Press)

Cristiano Ronaldo deve ter se revirado no sofá ao ver a atuação de Neymar nesta terça-feira. Sem o gajo do Real Madrid em campo, o craque brasileiro do Barcelona aproveitou para fazer barba, cabelo e bigode no Gillette Stadium, em Foxborough (EUA), contra Portugal: um golaço, dribles em meio a pontapés e vitória da Seleção Brasileira por 3 a 1, de virada.

Raul Meireles fez o gol português. Já Thiago Silva e Jô fizeram os outros do Brasil. Mais um passo até a Copa-2014 foi dado. Luiz Felipe Scolari tem mais quatro amistosos este ano e mais um no próximo para terminar o preparo da Seleção. Pelos resultados, o prognóstico é animador.

DUELO NADA AMISTOSO

De amistoso, o duelo contra Portugal só teve o nome. No primeiro tempo, parecia Copa do Mundo, sem exagero. Os dois times mostraram uma entrega muito grande em campo, às vezes descambando para a violência – especialmente pelo lado português. Neymar foi o principal alvo dos carrinhos, chutes e até uma cotovelada.

Os colonizadores lançaram suas tropas pelos flancos tupiniquins e levaram perigo nos ataques pelo alto. Uma bola foi na trave, outra tirou tinta e na mais boba das jogadas, Maicon falhou no recuo de cabeça para Julio César e deu a Raul Meireles o gol mais fácil da carreira do volante lusitano.

Mas o volume de jogo continuou elevado. Tão elevado quanto o voo de Thiago Silva depois da cobrança de escanteio. Um exemplo de golaço de cabeça que empatou o placar. Na comemoração, o primeiro a ser abraçado foi Maicon, que falhara pouco antes. Coisa de capitão.
Aí Neymar resolveu entrar no show como protagonista. Caçado, apanhando dos defensores brucutus de Portugal, ele arrancou da intermediária, fez fila e completou com uma finalização certeira. Espetáculo de habilidade e força física.

O craque brasileiro continuou dando espetáculo na primeira etapa com dribles e um corta-luz que deixou perdido muito cinegrafista. Por pouco o Brasil não ampliou ainda na etapa inicial.
JÔ CONSOLIDA O PLACAR

Mas o terceiro gol foi questão de tempo. Jô, como típico centroavante, tocou para o gol vazio após receber cruzamento de Maxwell, em jogada iniciada por Neymar. O atacante mantém a boa fase com a amarelinha, fazendo Felipão sentir menos saudades de Fred.

Com a vantagem ampliada, o Brasil tirou o pé do acelerador. Diminuiu a intensidade do jogo, buscou as chances nos contra-ataques, mas nem por isso deu muito mole para Portugal.

Paulo Bento mexeu por atacado, sem conseguir deixar o time muito mais eficiente. Ele não teve nem no banco Cristiano Ronaldo para salvar a noite, como ocorreu contra a Irlanda do Norte, pelas Eliminatórias para a Copa.

Melhor para o Brasil, que teve seu principal jogador e saiu vitorioso do duelo. Os próximos compromissos da Seleção Brasileira são nos dias 12 e 15 de outubro, contra Coreia do Sul e Zâmbia, respectivamente.

FICHA TÉCNICA
BRASIL 3 X 1 PORTUGAL

Local: Gillette Stadium, em Boston (EUA)
Data/Hora: 12/09/2013, às 22h (de Brasília)
Árbitro: Juan Guzman (EUA)
Auxiliares: Peter Manikowski (EUA) e Adam Wienckowski (EUA)
Cartões amarelos: Ramires, Neymar (BRA); João Pereira, Helder Postiga, Bruno Alves, Rúben Amorim (POR)

Gols: Raul Meireles, 17’/1ºT (0-1); Neymar, 34’/1T (2-1); Jô,4’/2ºT (3-1)

BRASIL: Júlio César, Maicon, Thiago Silva, David Luiz e Maxwell; Luiz Gustavo, Paulinho (Henrique, 37’/2ºT) e Ramires (Oscar, 15’/2ºT); Bernard (Hernanes, 22’/ºT), Neymar (Lucas, 42’/2ºT) e Jô (Pato, 30’/2ºT). Técnico: Luiz Felipe Scolari.

PORTUGAL: Rui Patrício; João Pereira (Helder Postiga, 24’/2ºT), Pepe (Luis Neto, intervalo), Bruno Alves, Coentrão (Antunes, 9’/2ºT); Miguel Veloso, Raul Meireles, João Moutinho (Rúben Amorim, 14’/2ºT); Vieirinha (Licá, 38’/2ºT), Nani e Nelson Oliveira. Técnico: Paulo Bento

ICFUT – Neymar perde pênalti em ‘field goal’ e Brasil empata com a Colômbia

Fonte: lancenet

Jogador se inspira em estádio de futebol americano, mas Seleção Brasileira faz bom teste

Brasil x Colômbia - Neymar (Foto: Mowa Press)
Neymar encontrou muitas dificuldades na partida (Foto: Mowa Press)

Depois de jogos contra rivais fracos, o Brasil teve enfim um bom concorrente para enfrentar. Nesta quarta-feira, a equipe comandada por Mano Menezes foi até Nova Jersey, nos Estados Unidos, e teve pela frente a Colômbia do badalado Falcao García, e vista como possível sensação para a próxima Copa do Mundo, e deu mais um passo em sua preparação ao empatar em 1 a 1 na milésima partida da Seleção.

Ainda não foi a melhor de todas as partidas, algumas deficiências foram sentidas, e ficou claro que a Seleção Brasileira não está totalmente pronta, mas foi uma evolução. Contra seleções como Iraque, China e Japão, Mano conseguiu dar um pouco mais de corpo, e agora, mais amadurecimento.

JOGO MOVIMENTADO

O jogo começou aberto, com as duas equipes tentando marcar no campo adversário. O Brasil, por ter um setor ofensivo mais leve do que a Colômbia, que surpreendentemente entrou com dois centroavantes, Falcao García e Jackson Martínez, conseguia chegar um pouco mais no 10 primeiros minutos, mas sem tanto poder de fogo.

O ataque da Colômbia tinha muita ligação com o Porto, e logo o entrosamento se fez presente. Falcao García brilhou por lá, levou o Campeonato Português invicto e a Liga Europa, e era a principal referência, enquanto Jackson Martínez, que chegou ao Dragão nesta temporada e tem brilhado por lá, caía um pouco mais pela direita, aonde Cuadrado fazia boas jogadas individuais.

Mas Jackson não ficava parado. Ia bastante para a esquerda para jogar com seu companheiro de Porto, a grande joia do time e desta seleção, o jovem James Rodríguez. Os dois infernizavam a defesa brasileira com o apoio de Armero e as chegadas de Macnelly Torres.

Kaká voltou a ser titular pela Seleção Brasileira (Foto: Mowa Press)

LÁ E CÁ

As duas equipes criavam chances, como a de Kaká após boa jogada de Oscar, e o Brasil voltava a tentar adiantar a marcação. E foi nessa que veio a melhor oportunidade até então, após cruzamento de Daniel Alves na cabeça de Neymar, que finalizou sozinho em cima de Ospina.

A movimentação do ataque do Brasil era interessante. Neymar, Oscar e Kaká e faziam boas jogadas. Thiago Neves tentava ao máximo acompanhar, mas nem sempre conseguia. Os melhores lances da Seleção vinham após roubadas de bolas armando contra-ataques.

O apoiador do Chelsea faziam bons desarmes, mas não era tão criativo, o do Real Madrid chegou a botar a bola na trave e era mais incisivo. O Brasil crescia no jogo, quando a Colômbia aplicava bons ataques em contra-golpe, como a tentativa de chapéu de Jackson em David Luiz.

Mas alguns erros pontuais do Brasil seriam fatais. Mac Torres e James fizeram boa jogada, o jovem do Porto, que pouco apareceu na direita, surpreendeu a todos, viu Cuadrado passar, deu passe à Ronaldinho Gaúcho, olhando para o outro lado, e o lateral aproveitou falha de marcação de Leandro Castán, e ficou na cara de Diego Alves, que sofreu seu primeiro gol pela Seleção, já no fim da etapa inicial.

FATOR NEYMAR

Na volta para o segundo tempo, a Colômbia até teve uma ou outra presença na área ofensiva, mas já não tinha o mesmo ímpeto do início do jogo. E o Brasil não conseguia armar tantas jogadas coletivas, então vai para o lance individual mesmo. Dentro da área, driblou Mosquera e deu um bonito chute seco cruzado, sem chance para Ospina. Nesta altura, o empate era o placar mais justo.

Mas se a joia santista foi perfeito com a bola rolando, não se pode dizer o mesmo quando teve a chance de colocar o Brasil na frente em cobrança de pênalti. Já aos 34 do segundo tempo, Armero derrubou Daniel Alves, e o juiz deu pênalti. Muita reclamação, mas quando Neymar foi cobrar, baixou o jogador de futebol americano (já que de fato é um estádio deste esporte), e o atacante cobrou um field goal. Muito longe.

Daí para o fim, as duas seleções ainda tentaram alguns ataques, mas nada mais aconteceu, e foi mais um passo para o Brasil, que enfrenta a Argentina pelo Superclássico das Américas em Buenos Aires, apenas com jogadores que atuam no país.

FICHA TÉCNICA
BRASIL 1 X 1 COLÔMBIA

Local: MetLife Stadium, em Nova Jersey (EUA)
Data-hora: 14/11/2012, às 22h30 (de Brasília)
Árbitro: Mark Geiger (EUA)

Gols: Cuadrado (43’/1ºT), Neymar (18’/2ºT)

Cartões amarelos: Leandro Castán (BRA), Yepes (COL), Ramires (BRA)
Cartões vermelhos: –

BRASIL: Diego Alves, Daniel Alves, David Luiz, Thiago Silva e Leandro Castán (Fábio Santos, 34’/2ºT); Ramires, Paulinho e Oscar (Giuliano, 44’/2ºT); Kaká, Thiago Neves (Lucas, 27’/2ºT) e Neymar. Técnico: Mano Menezes

COLÔMBIA: Ospina, Cuadrado, Mosquera, Yepes e Armero; Valencia, Sánchez e Macnelly Torres (Ramírez; 39’/2ºT) James Rodriguez, Jackson Martínez (Gutiérrez, 39’/2ºT) e Falcao García. Técnico: José Pekerman

ICFUT – Renovado na renovação, Brasil encara a Colômbia no jogo 1000 da história

Fonte: globo

Apenas cinco jogadores seguem como titular desde o início da era Mano Menezes. Amistoso será às 22h30 (de Brasília), em Nova Jersey

Dois anos e três meses, 31 jogos, 21 vitórias, cinco empates, cinco derrotas, 64 gols e 20 sofridos. Esse é o balanço da seleção brasileira sob o comando de Mano Menezes, que nesta quarta-feira, às 22h30 (de Brasília), no MetLife Stadium, em Nova Jersey, nos Estados Unidos, encara a Colômbia em seu último desafio em 2012, o que nas contas da CBF é o jogo de número 1000 da história. Essa temporada, aliás, marcou um processo de renovação dentro da própria renovação. A prova é que apenas cinco jogadores seguem como titulares desde o primeiro jogo com Mano.

As figurinhas do time que venceu os Estados Unidos por 2 a 0, no dia 10 de agosto de 2010, também em Nova Jersey, que serão repetidas no amistoso contra os colombianos são o lateral-direito Daniel Alves, os zagueiros Thiago Silva e David Luiz, o volante Ramires e o atacante Neymar. O que chama atenção é que dos outros seis, nenhum foi convocado para essa partida, seja por opção, mau momento ou lesão. São eles Victor, André Santos, Lucas Leiva, Paulo Henrique Ganso, Robinho e Alexandre Pato.

Kaka e Neymar, treino seleção Brasileira (Foto: Mowa Press)Kaká está de volta à Seleção, enquanto Neymar se consolidou como astro da equipe (Foto: Mowa Press)

– Eu penso que é normal você ficar com o percentual que ficamos. Aquele era um início de trabalho. Até aqui, alguns confirmaram a condição, outros nem tanto. Isso é normal quando se inicia um trabalho longo como esse – opinou Mano Menezes.

As novidades no time titular em relação ao início da era Mano Menezes são importantes. Diego Alves se consolidou no gol. Marcelo, que machucado será substituído por Leandro Castán, ganhou a vaga na esquerda. Paulinho, destaque do Corinthians, está em franca evolução, assim como Oscar. No ataque, Hulk, que lesionado dá vaga a Thiago Neves, tem se consolidado. Mas a principal mudança é o retorno de Kaká nos últimos dois jogos. O craque do Real Madrid foi bem.

Mano Menezes, treino seleção Brasileira (Foto: Mowa Press)Mano vem renovando a Seleção nos últimos dois
anos (Foto: Mowa Press)

Em uma fase que prometia Paulo Henrique Ganso como maestro, depois teve Ronaldinho Gaúcho como aposta, o ex-são-paulino aparece como solução às vésperas da Copa das Confederações. Nas goleadas sobre Iraque e Japão, no último mês de outubro, o meia fez dois gols e participou também com assistências.

– Fizemos dois grandes jogos com o Kaká. Tivemos pouco tempo com ele, mas esperamos que nessa partida possamos nos entrosar ainda mais. É excelente jogar com um cara da qualidade dele, com inteligência – avaliou Neymar.

Principal capitão da era Mano Menezes, o zagueiro Thiago Silva está satisfeito com a caminhada da seleção brasileira nessa nova fase. Avalia, aliás, com muita confiança.

– Eu acho esse número (de jogadores titulares do primeiro jogo para o amistoso contra a Colômbia) ideal para dar a sustentação ao time. Vi um crescimento muito grande na forma tática e técnica. Sempre falo que estamos no caminho certo por essas questões – declarou o zagueiro do Paris Saint-Germain.

Falcao Garcia: ele é perigoso!

O atacante colombiano do Atlético de Madri é a principal preocupação da seleção brasileira no amistoso desta quarta-feira. O jogador foi elogiado pelo elenco verde e amarelo e também pelo técnico Mano Menezes. Com cinco gols em seis jogos, ele é o destaque da Colômbia, terceira colocada nas eliminatórias para a Copa do Mundo.

Falcao García Colômbia (Foto: AP)Falcao Garcia é o símbolo da nova talentosa geração colombiana Colômbia (Foto: AP)

– Falcao é um dos melhores jogadores da posição hoje em dia. Fez uma grande temporada e vai exigir um cuidado especial. Ele não é um atacante que fica parado na área. Ele também sai e dificulta o zagueiro. Mas temos de lembrar que a Colômbia não é só o Falcao. Tem também outros ótimos jogadores – avaliou Mano Menezes.

Thiago Silva, capitão da Seleção, também rasgou elogios ao atacante colombiano. Será a primeira vez que os dois vão se enfrentar.

– A Colômbia teve um crescimento muito grande e tem hoje um dos melhores atacantes do mundo. É justo esse status pelo que o Falcao tem feito. Temos de tomar cuidado, ele é perigoso. Será um grande teste para a seleção brasileira – finalizou.

Ficha técnica

Brasil

Diego Alves; Daniel Alves, David Luiz, Thiago Silva e Leandro Castán; Ramires, Paulinho, Oscar e Kaká; Thiago Neves e Neymar.
Técnico: Mano Menezes

Colômbia

David Ospina; Pablo Armero, Mario Yepes, Amaranto Perea e Gilberto García; Edwin Valencia, Aldo Ramírez, James Rodríguez e Macnelly Torres; Falcao García e Teófilo Gutiérrez (Jackson Martínez).
Técnico: Jose Pekerman

Data: 14/11/2012
Horário: 22h30 (de Brasília)
Local: MetLife Stadium, em Nova Jersey, Estados Unidos
Árbitro: não divulgado pela organização do evento
Assistentes: não divulgado pela organização do evento
Transmissão: a TV Globo, o SporTV e o GLOBOESPORTE.COM exibem ao vivo. O site também acompanha os lances em Tempo Real.

ICFUT–Kaká retorna à Seleção com gol, e Brasil atropela o fraco Iraque de Zico

Fonte: lancenet

Após mais de dois anos longe, meia joga bem na tranquila apresentação brasileira

Kaká e Oscar - Brasil x Iraque (Foto: Bjorn Lindgren/AFP)
Kaká comemora um dos gols brasileiros com Oscar (Foto: Bjorn Lindgren/AFP)

Chega de saudade! O reencontro de Kaká com a Seleção Brasileira foi muito bem amarrado para dar certo. Contra um fraquíssimo Iraque e sem a pressão das vaias da torcida brasileira, o meia retornou após mais de dois anos marcando um gol e dando passe para outro na vitória por 6 a 0, nesta quinta-feira, em Malmö, na Suécia. Oscar fez dois gols, mas acabou sendo coadjuvante por causa da história que o novo companheiro de Seleção tem. Hulk, Neymar e Lucas completaram a festa.

O Iraque de Zico foi muy amigo. Mas facilidades à parte, o Brasil apresentou coisas boas. Sem um centroavante fixo – assim como no amistoso contra a fraquíssima China – e praticamente num 4-2-4, o quarteto ofensivo brasileiro se movimentou muito bem.

Prova disso é que nos dois gols a jogada começou com Neymar, que foi um "falso 9", partindo com a bola dominada do meio-campo. Na abertura do placar, um passe açucarado para Oscar tocar na saída do goleiro. No segundo, a bola ainda passou por Kaká antes do camisa 10 do Brasil ampliar.

Por falar no jogador mais experiente do time, Kaká se mostrou muito à vontade. Jogando pela esquerda, assim como nos tempos de Dunga, ele encontrou parceiros adequados para levar perigo ao adversário e por detalhe não deixou o primeiro tempo com um golzinho na conta.

Diante do passeio brasileiro, o Iraque não jogou. Apenas tentou sobreviver. Zico não cumpriu a promessa de colocar um time na retranca. Mas ao mesmo tempo que não tentava ser defensivo ao extremo, o Iraque passou longe do gol de Diego Alves. No primeiro tempo, nada de finalizações.

O gol de Kaká veio logo no começo do segundo tempo, após uma arrancada que lembrou os velhos tempos. O zagueiro ficou torto com uma pedalada e a finalização de canhota. A última vez que ele havia marcado pela Seleção foi no longínquo 7 de junho de 2010, contra a Tanzânia. Hulk fez o quarto logo em seguida, depois de passar por meio time iraquiano.

Para facilitar a vida do Brasil, Zico ainda fez alterações por atacado já aos 16 minutos. Não seria contra o "Iraque B" que o Brasil seria ameaçado. O amistoso virou praticamente uma pelada casados x solteiros.

Do quarteto de frente, Neymar foi o mais atrasadinho para fazer gol. Demorou 77 minutos, contando com os acréscimos do primeiro tempo, mas caprichou. Corte no zagueiro e belo chute no canto. Lucas, que substituiu Kaká, também marcou.

Kaká saiu mais cedo da festa, mas ficou feliz como uma criança.

FICHA TÉCNICA
BRASIL 6 X 0 IRAQUE

Local: Estádio Swedbank, em Malmö (SUE)
Data e hora: 11 de outubro de 2012, às 15h30 (horário de Brasília)
Árbitro: Martin Hansson (SUE)
Auxiliares: Magnus Sjoblom (SUE) e Per Brogevik (SUE)
Cartão Amarelo: Rehema (IRA)
Cartão Vermelho: –
Gols: Oscar, 21’/1ºT (1-0); Oscar, 26’/1ºT (2-0); Kaká, 2’/2ºT (3-0); Hulk, 10’/2ºT (4-0); Neymar, 30’/2ºT (5-0); Lucas, 34’/2ºT (6-0)

BRASIL: Diego Alves, Adriano, David Luiz, Thiago Silva e Marcelo; Paulinho (Fernando, 43’/2ºT), Ramires (Sandro, 35’/2ºT), Oscar (Giuliano, 37’/2ºT) e Kaká (Lucas, 25’/2ºT); Neymar e Hulk (Thiago Neves, 28’/2ºT). Técnico: Mano Menezes

IRAQUE: Noor, Rehema (Ibrahim, 15’/2ºT), Saed, Shaker, Ahmed, Khaldoun, Abbas, Ahmadi (Kareem, 15’/2ºT), Akran (Zahra, 15’/2ºT), Khalid (Hasan, 43’/2ºT) e Mahmood (Rahdi, 15’/2ºT). Técnico: Zico

ICFUT – No país onde nasceu Brasil do penta, Kaká se junta ao sonho do hexa

Fonte: globo

Seleção encara o Iraque nesta quinta-feira, em Malmo, na Suécia. Craque do Real Madrid encontra time remodelado e empresta sua liderança

De olho na Copa do Mundo de 2014, Kaká está em busca de um recomeço e a seleção brasileira à procura do bom futebol. É claro que as duas coisas estão relacionadas. Melhor ainda que tal reencontro seja na Suécia, local onde o Brasil deu o pontapé inicial em sua caminhada para se tornar o país do futebol, com o título mundial de 1958. É lá, na cidade de Malmo, que o time de Mano Menezes faz amistoso contra o Iraque de Zico, no estádio Sweedbank, nesta quinta-feira, às 15h30 (de Brasília).

Muita coisa mudou nesses dois anos e três meses que Kaká ficou afastado da seleção brasileira. Da derrota para a Holanda nas quartas de final da Copa do Mundo de 2010 até aqui, Neymar deixou de ser promessa para virar realidade e o craque do time, Ricardo Teixeira deu lugar a José Maria Marin no comando da CBF, Mano Menezes substituiu Dunga… Mas algo que continua intacto é o prestígio do meia do Real Madrid na Seleção.

– Vai ser legal. Espero que ele possa nos ajudar. A experiência que ele tem vai ser muito importante para a seleção brasileira. Pode nos ajudar muito – declarou Neymar, que agora tem a chance de dividir a responsabilidade e as atenções com o ‘velho’ companheiro.

Kaká e Mano Menezes no treino da seleção brasileira (Foto: Mowa Press)Kaká vai estrear na Seleção sob o comando de Mano Menezes (Foto: Mowa Press)

Kaká sabe disso. Mais velho do atual grupo de Mano Menezes, o meia do Real Madrid que dar à Seleção não só experiência, mas também liderança. Como diz Mano Menezes, jogadores com o status de Kaká se adaptam facilmente a qualquer grupo. Ainda mais ao time nacional, no qual já fez sucesso – o armador já disputou três Copas do Mundo. Foi campeão em 2002, na Coreia do Sul e no Japão, e caiu nas quartas de final nos Mundiais de 2006, na Alemanha, e 2010, na África do Sul.

– Encontrei um grupo jovem, bem diferente e muito promissor. Trago agora muita experiência e vontade. Quero criar muito para aproveitar essa oportunidade. Posso dar um pouco da minha liderança para o elenco – afirmou Kaká.

Realmente, o grupo que o meia integra agora é bem diferente do que ele deixou lá atrás, em 2010. Dos 21 jogadores que participam desses amistosos (na terça-feira o Brasil encara o Japão, na Breslávia, na Polônia), apenas o zagueiro Thiago Silva e o volante Ramires seguem. Além de Daniel Alves, é claro. Mas o lateral-direito do Barcelona foi cortado no início da semana por conta de uma lesão muscular. O fato é que Kaká pretende se firmar nessa reformulação proposta por Mano Menezes.

Kaká e Neymar no treino da seleção brasileira (Foto: Mowa Press)Neymar e Kaká vão atuar pela primeira vez juntos
na seleção brasileira (Foto: Mowa Press)

– Por sua trajetória e por sua capacidade, a situação do Kaká é diferente. Mas a Seleção é familiar para ele. Mais do que para um jogador que chega pela primeira vez. Ainda é cedo para avaliações, temos de ir com calma. Não tem necessidade de exigir dele todas as resoluções do time – opinou Mano Menezes, que vai escalar Kaká e Oscar na armação e improvisar o lateral-esquerdo Adriano na vaga de Daniel Alves.

Se Kaká faz nesta quinta-feira um novo reencontro com a Seleção, do outro lado também tem alguém com ótima relação com o time canarinho: Zico. Técnico do Iraque, o ídolo do Flamengo enfrentará o seu país pela terceira vez. Antes, quando comandava o Japão, o Galinho perdeu duas vezes para o Brasil. Primeiro na Copa das Confederações de 2005 e depois na Copa do Mundo de 2006. Ambas na Alemanha.

A chegada do Iraque à Suécia para o amistoso, aliás, foi surpreendente. Mais de 200 torcedores apareceram para acompanhar o desembarque dos jogadores no hotel. O time asiático, no entanto, está na 80ª colocação do ranking da Fifa. É o adversário teoricamente mais fraco do Brasil na era Mano Menezes. A Seleção, por sinal, aparece na 14ªposição, seu pior momento na história do ranking.

BRASIL X IRAQUE

Diego Alves; Adriano, David Luiz, Thiago Silva e Marcelo; Paulinho, Ramires, Oscar e Kaká; Neymar e Hulk.
Noor, Samal, Ali, Dalan e Base; Khaldoun, Muthana, Hamad e Nashat; Ahmed Yasin e Younis

Técnico: Mano Menezes
Técnico: Zico

Árbitro: Não divulgado
Auxiliares: Não divulgado

Local: Sweedbank, em Malmo, na Suécia
Horário: 15h30m (de Brasília)

Transmissão: A TV Globo, o Sportv e o GLOBOESPORTE.COM transmitem a partida ao vivo. O site também acompanha os lances da partida em Tempo Real.

ICFUT – Brasil e Argentina entram em acordo e prometem disputar final

Fonte: gazetaesportiva

A edição 2012 do Superclássico das Américas será definida com um encontro entre Brasil e Argentina. Nesta quinta-feira, a Conmebol (Confederação Brasileira de Futebol) confirmou através do seu site oficial que os dois países entraram em acordo para a realização de uma nova partida.

A data do encontro segue indefinida. Posteriormente, os dirigentes de Brasil e Argentina vão se encontrar para buscar um dia conveniente para o encontro.

O campeão de 2012 do Superclássico das Américas seria conhecido no jogo desta quarta-feira. Porém, o encontro na cidade de Resistência acabou suspenso em função dos problemas de iluminação no estádio Centenário de Chaco.

No jogo de ida, disputado em Goiânia durante o mês passado, o Brasil abriu vantagem no Superclássico das Américas. Os pentacampeões mundiais venceram por 2 a 1, com um gol nos acréscimos de Neymar, de pênalti.

Na partida de volta, o Brasil conquistará o título até com um empate. Para levantar a taça, a Argentina necessita de um triunfo por, pelo menos, dois gols de vantagem. Se os “hermanos” vencerem por margem mínima, a decisão vai para os pênaltis.

ICFUT – Jornal argentino diz que ônibus do Brasil bateu em gerador e deu início a apagão em estádio

Fonte: uol

Ônibus que levou a seleção brasileira ao estádio teria batido em um gerador e causado apagão

Ônibus que levou a seleção brasileira ao estádio teria batido em um gerador e causado apagão

De acordo com o jornal argentino Clarin, o apagão no Estádio Centenario, em Resistencia, começou com uma suposta batida do ônibus que conduzia a delegação brasileira em um gerador ao lado do estádio. O acidente causou algumas quedas de energia no local da partida entre Brasil e Argentina, pelo Superclássico das Américas. Coincidência, ou não, o primeiro apagão aconteceu quando os brasileiros desciam do ônibus.

O problema, no entanto, teria sido resolvido momentaneamente. Na hora da partida começar, uma nova queda, desta vez mais longa, fez com que o duelo fosse cancelado, já que não havia condições perfeitas de visibilidade em campo, segundo relato dos jogadores e do árbitro que conduziria o confronto.

Nenhum dos responsáveis pela organização do clássico confirmou até o momento se, de fato, houve a batida do veículo. Antes das 22h, horário previsto para começar o jogo, ao menos três vezes o estádio ficou sem luz. Em todas, porém, a energia foi reestabelecida.

Quando as equipes já estavam em campo, a luz se apagou, começou a voltar, mas os refletores centrais não acenderem. Depois de duas reuniões no centro do gramado com os jogadores e 40 minutos de espera, o árbitro chileno Henrique Osses mandou as seleções para os vestiários. Com mais 25 minutos de parada, o duelo foi cancelado.

Como o Brasil ganhou o primeiro jogo do Superclássico das Américas por 2 a 1, em Goiânia, no dia 19 de setembro, a tendência é que a equipe de Mano Menezes seja declarada campeã do torneio amistoso, segundo Andrés Sanchez, diretor de seleções da CBF. Uma reunião que deverá acontecer na semana que vem, na sede de Conmebol, dará a resposta final ao problema.

Uma nova partida entre os times está praticamente descartada, já que o calendário da seleção brasileira está bastante apertado e não há mais data disponível para que o jogo seja transferido.

ICFUT – Falta de luz cancela jogo da Seleção, que requisita taça do Superclássico

Fonte: globo

Organizadores tentam colocar culpa em ônibus do Brasil, mas problema teria acontecido com refletores que não suportaram horas de funcionamento

A falta de luz no Estádio Centenário de Resistência suspendeu a realização do confronto entre Brasil e Argentina, nesta quarta-feira, pela decisão do Superclássico das Américas. Enquanto a imprensa local divulgou que o apagão teria acontecido por causa de um incidente envolvendo o ônibus do time canarinho, os organizadores do evento deram duas versões para o cancelamento do duelo: o horário do voo da Seleção, marcado para 1h30m (de Brasília), e que os refletores teriam sido acesos com antecedência e acabaram não suportando até o início do jogo.

O goleiro Jefferson falou da decisão tomada pela organização da partida.

– Foi uma decisão unânime do grupo. Eles nos consultaram, e esperamos ate o último minuto – afirmou o goleiro na saída do estádio.

Com o cancelamento da partida, os jogadores aproveitaram para comer no vestiário pizzas pedidas de uma das lanchonetes do estádio. Em seguida, o grupo seguiu para o aeroporto de Resistência para retornar ao Brasil. No regulamento do Superclássico, independentemente de o Brasil ter vencido a partida de ida (2 a 1, em Goiânia), o campeão do torneio será decidido em comum acordo entre a CBF e a AFA.

– Pela lógica, nós somos os campeões, mas temos que esperar o desejo de todos – disse o diretor de Seleções da CBF, Andrés Sanches.

O dirigente afirmou ainda que não existe a possibilidade da realização de uma nova partida.

– O nosso calendário já está apertado. Não existe a possibilidade de ter outro jogo.

O motorista do ônibus da Seleção, Gustavo Bolla, que conduziu o time canarinho até a arena, negou que tenha batido no trailer de energia do estádio. Coincidência ou não, o primeiro apagão aconteceu quando os jogadores deixavam o veículo na chegada até o vestiário.

Iluminação Estadio Argentina x Brasil (Foto: Agência AFP)Jogadores de Brasil e Argentina conversam com o árbitro Enrique Osses (Foto: Agência AFP)

As duas equipes entraram pontualmente no campo e seguiram todo o cronograma até o pontapé inicial. Antes de tentarem iniciar o jogo, "curtiram" dois cantores argentinos responsáveis pela execução dos hinos nacionais de Argentina e Brasil. Mas… A luz não voltou. O árbitro conversou várias vezes com o goleiro Jefferson e o zagueiro Sebá Dominguez, capitães das seleções, e decidiu pelo retorno das duas equipes ao vestiário para a normalização da situação.

Até as 23h10m (de Brasília), o refletor principal seguia apagado e impedia a realização do confronto. Assim, CBF e AFA decidiram cancelar a partida. Segundo a TV Globo, a organização do estádio chegou a requisitar um novo gerador. Porém, por volta das 22h40m (de Brasíllia), a previsão era de que o aparelho só estaria no local em 30 minutos. Fato que não se concretizou.

– Apagou tudo, não mudou nada. Vamos aguardar no vestiário. Estávamos aquecidos, preparados, mas não deu para começar a partida – afirmou Lucas antes de sair de campo.

Por causa do atraso no início da partida, a seleção brasileira viveu outro dilema até a decisão de cancelamento do confronto. O voo fretado que conduziu o grupo até Resistência só poderia pousar no aeroporto de Guarulhos até as 4h30m (de Brasília). Com isso, a programação do time canarinho ficou apertada para cumprir o itinerário e os horários estipulados para o retorno a São Paulo.