Por Rogerinho – Santos e Flamengo a vergonha dos estaduais !

rogerinhoicfut

Num dá nem graça zuá Santista, os caras jogaram os dois jogos em casa e com a torcida, contra time do interior, tiveram dois pênaltis a favor, um uma vergonha e outro duvidoso e mesmo assim não conseguiram ser campeão, tem mais de mil pessoas no meu face e não consigo lembrar se tem algum santista huahuahuahuahua, se tiver se manifeste aí.

E no Rio de Janeiro hein, Flamengo pior que as gayvotas aqui em SP, apito amigo na cara dura, esposa do juiz falando que o Vasco seria vice, uma vergonha.

Flamengo não é Flamengo sem o apito amigo e Vasco não é Vasco se não for vice.

Meu único título que tenho da Libertadores foi roubado;Sou Hexa, mas oficialmente só tenho 5 brasileiros; minha torcida é modinha, só comparece em jogos decisivos (370 pags); Não tenho estádio, não possuo centro de treinamento; tenho dezenas de ações contra na justiça por falta de pagamentos e dívidas trabalhistas; Aqui 1 mês possui 90 dias; Ronaldinho saiu daqui cobrando 40 milhões na justiça; meu maior ídolo pipocou na Copa e foi responsável direto pela eliminação da nossa seleção brasileira; sou o recordista de eliminações na 1ª fase da Liberta. Quem eu sou? Dica: Ganhei hj roubado, pra variar.

 

download_thumb.jpg

CHUPA CLEBER SANTISTA!!!

ICFUT–PARABÉNS ITUANO – CAMPEÃO DO PAULISTÃO 2014

Fonte: http://www.ituanofc.com.br/

download

Time posado no 1º jogo da final

Campanha

image

Todos os jogos

image

image

SANTOS (6) 1 X 0 (7) ITUANO

Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data: 13 de abril de 2014, domingo
Horário: 16 horas (de Brasília)
Árbitro: Raphael Claus
Assistentes: Carlos Augusto Nogueira Júnior e Danilo Ricardo Simon Manis
Público: 34.964 pagantes
Renda: R$ 1.991.845,00
Cartões amarelos: Vladimir, David Braz, Arouca (Santos); Rafael Silva, Esquerdinha, Cristian (Ituano)
Cartão vermelho: Cicinho (Santos)
Gol: Cícero, aos 46 minutos do primeiro tempo
Pênaltis:
Santos: Cícero, Alan Santos, David Braz, Gabriel, Arouca e Alison converteram; Rildo (4ª cobrança – trave) e Neto (8ª cobrança – defesa) perderam
Ituano: Jackson Caucaia, Marcelinho, Esquerdinha, Marcinho, Jean Carlos, Dener e Josa converteram; Anderson Salles (2ª cobrança – defesa) perdeu

SANTOS: Aranha; Cicinho, Neto, David Braz e Mena; Alison, Arouca e Cícero; Geuvânio (Alan Santos), Leandro Damião (Gabriel) e Thiago Ribeiro (Rildo)
Técnico: Oswaldo de Oliveira

ITUANO: Vágner; Dick, Alemão, Anderson Salles e Dener; Josa e Jackson Caucaia; Paulinho (Marcinho), Cristian (Marcelinho) e Esquerdinha; Rafael Silva (Jean Carlos)
Técnico: Doriva

Por Edgar – Premier League – Liverpool bate City e fica perto de quebrar jejum desde 1990.

Liverpool 3vs2 Manchester City

Assim que o juiz apitou o fim da partida, o capitão Steven Gerrard foi às lágrimas. Não era tristeza, mas felicidade. Afinal, o Liverpool, no estádio Anfield lotado, derrotou o Manchester City por 3 a 2 e se estabeleceu de vez na liderança do Campeonato Inglês, dando um passo importante para conquistar seu 19º título da liga nacional, encerrando um jejum que vem desde 1990. O herói do triunfo foi o brasileiro Philippe Coutinho, autor do gol que garantiu a vitória, quando o City pressionava pela virada.

Agora, o Liverpool soma 77 pontos, contra 70 do City, que está na terceira posição, mas tem dois jogos a menos. Se antes os Citizens poderiam passar os Reds caso vencessem as partidas que ainda precisam fazer, agora terão de torcer por um tropeço do concorrente para chegarem à liderança. Em segundo lugar está o Chelsea, com 72 pontos.

Texto: Globoesporte.com

ICFUT – É campeão! Flamengo arranca empate com o Vasco e conquista o Estadual

O Flamengo provou novamente a sensação de conquistar um título nos minutos finais. Na base da raça arrancou um empate heroico contra o Vasco, em 1 a 1, na tarde deste domingo, no Maracanã, e faturou o Campeonato Carioca pela 33ª vez. O gol do título foi marcado por Márcio Araújo, aos 45 minutos do segundo tempo, quando a vitória parecia se encaminhar para São Januário. O volante aproveitou o rebote na cabeçada de Wallace e completou para o gol de Martín Silva (em posição irregular).

O jogo foi muito truncado, mas o Rubro-Negro mostrou grande poder de reação após ser eliminado na Copa Libertadores. Com a vantagem de dois empates na final, por ter feito a melhor campanha no Estadual, o Mais Querido levantou o caneco para alegria geral da torcida rubro-negra no Templo do Futebol. Na primeira partida da decisão, a igualdade no placar foi de 1 a 1.

PRIMEIRO TEMPO TRUNCADO E CHEIO DE CARTÕES

Mesmo debaixo de chuva, o primeiro tempo foi quente. Com a obrigação de vencer para levantar a taça, o Vasco partiu para o ataque logo no início da partida. O Cruzmaltino pressionou o Rubro-Negro e chegou com perigo em algumas oportunidades com Douglas e Thalles. O Flamengo, por sua vez, jogando por empate para se sagrar campeão, saía em contra-ataques muito perigosos, geralmente puxados por Everton e Paulinho.

Tecnicamente, porém, as equipes pecavam bastante na execução das jogadas. Um fato que chamou atenção na primeira etapa foi o grande número de cartões. O árbitro Marcelo de Lima Henrique – alvo de uma polêmica por causa da esposa, Sandra Henrique, que apontou o Vasco como vice certo – distribuiu seis amarelos, sendo três para cada lado. Com muitas faltas e nervosismo, o primeiro tempo terminou sem bola na rede.

EXPULSÕES, PÊNALTI E GOLS

O segundo tempo começou parecido com o primeiro, com o Vasco no ataque e o Flamengo esperando oportunidades para sair no contra-ataque. Os times, contudo, não conseguiam chegar ao tão sonhado gol por serem muito previsíveis. Com o passar do tempo, o clima ficou quente. Antes da casa dos 15 minutos, numa confusão antes da cobrança de um escanteio para o Flamengo, o zagueiro Chicão e o lateral André Rocha trocaram cabeçadas e discutiram asperamente. Marcelo de Lima Henrique não pensou duas vezes e expulsou a dupla. Apesar das expulsões, os ânimos continuaram exaltados, com muitas discussões em campo.


Jogadores do Flamengo fazem a festa após o título (Foto: Bruno de Lima/ LANCE!Press)

Confiante de que poderia vencer, o Vasco continuou na pressão até que finalmente conseguiu o que queria. Aos 28 minutos, Thalles achou Pedro Ken, que invadiu a área do Flamengo em alta velocidade. Erazo chegou forte e derrubou o meia: pênalti. Frio, Douglas foi para a bola e mandou no canto direito de Felipe, que nem saiu na foto: 1 a 0 e explosão da torcida cruzmaltina. Após o gol, a partida ganhou ainda mais emoção. Pressionado a buscar o empate, o Flamengo teve que sair mais para o ataque.

O jogo, então, se inverteu, com o Vasco recuado, esperando o contra-ataque, e o Flamengo na pressão para chegar ao gol. O jogo parecia que caminhava para a vitória cruzmaltina até que, na raça, o Flamengo empatou. Após cobrança de escanteio, Wallace cabeceou e a bola sobrou para Márcio Araújo, em posição irregular, após muita confusão na área, empurrar para o fundo do gol de Martín Silva. Depois, só deu tempo para Bernardo tentar colocar o Vasco novamente em vantagem, em cobrança de falta, mas já era tarde, título para o Flamengo.

FICHA TÉCNICA
FLAMENGO 1 X 1 VASCO

Local: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Data-Hora: 13/4/2014 – 16h (horário de Brasília)
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ)
Auxiliares: Rodrigo Figueiredo e Luiz Antonio Muniz (RJ)
Público: 42.697
Renda: R$ 2.790.765,00

Cartões amarelos: Luiz Antônio, Everton, André Santos, Erazo e Alecsandro (FLA); Diego Renan, Luan, Rodrigo, Guiñazu (VAS)
Cartões vermelhos: Chicão (FLA); André Rocha (VAS)

GOLS: Douglas, aos 29’/2°T (VAS) e Márcio Araújo, aos 45’/2°T (FLA)

VASCO: Martin Silva; André Rocha, Luan, Rodrigo e Diego Renan; Guiñazu, Pedro Ken, Fellipe Bastos (Bernardo, 27’/2°T) e Douglas e William Barbio (Reginaldo, 11’/2°T); Thalles (Aranda, 34’/2°T). Técnico: Adilson Batista.

FLAMENGO: Felipe; Léo Moura, Wallace, Chicão e André Santos (Nixon, 40’/2°T); Amaral (Gabriel, 34’/2°T), Márcio Araújo, Luiz Antonio e Everton (Erazo, 20’/2°T); Paulinho e Alecsandro. Técnico: Jayme de Almeida.

Fonte: Lancenet

 

ICFUT – Ituano surpreende, bate o Santos nos pênaltis e conquista o bi do Paulistão

O surpreendente Ituano mostrou qualidade desde a primeira rodada, saiu na frente na primeira decisão, perdeu a partida final no tempo normal para o Santos por 1 a 0, neste domingo, no Pacaembu, mas, com muita garra e determinação, conquistou o bicampeonato do Paulistão nos pênaltis (7×6). Uma conquista digna da grandeza da famosa cidade de Itu. O Ituano é, sim, grande!

Mas a conquista do Galo não foi fácil. Longe disso. O time comandado pelo ex-volante Doriva precisou superar a falta de favoritismo e, principalmente, a derrota no tempo normal na finalíssima. Em uma disputa equilibrada de pênaltis, o goleiro Vagner defendeu a cobrança do zagueiro Neto e fechou com chave de ouro a belíssima campanha da equipe do interior.
23 FALTAS, UM GOL
Pressão do Santos, cera do Ituano. Nervosismo do Santos, desequilibrio do Ituano. O primeiro tempo da decisão do Paulistão teve pouca bola rolando e confusões de sobra. Ao todo, foram 24 faltas (13 do Ituano e 11 do Santos), quatro cartões amarelos e inúmeras discussões. Até Vladimir, goleiro reserva do Peixe, teve a proeza de receber cartão.
Em desvantagem na soma dos placares e apoiado pelos mais de 30 mil torcedores presentes no Pacaembu, o Peixe foi para cima desde o primeiro minuto. A ameaça ofensiva foi grande, mas a equipe visitante soube segurar o jogo. Ora na bola, ora com falta.
A pressão do Santos ganhou corpo nos minutos finais, quando o Ituano, com três jogadores amarelados, deu um tempo nas faltas. Aos 39 minutos, o grito de gol quase ecoou no estádio. Geuvânio lançou Leandro Damião dentro da área. O atacante escorou de cabeça para Cícero, que, bem marcado, não conseguiu tocar a bola para o fundo do gol de Vagner.
Aos 46 minutos, festa nas arquibancadas. A 13ª falta do Ituano na etapa inicial deu ao Peixe a chance de ir para o intervalo na frente do placar. Após bate e rebate dentro da área do Ituano, o zagueiro Alemão fez pênalti em cima de Cícero, que estava posicionado de forma irregular no início da jogada. Diferentemente do jogo anterior, o camisa 8 acertou o gol e colocou o Peixe em vantagem.
CAUTELA E POUCAS EMOÇÕES
Ao contrário do que se viu na primeira etapa, o Ituano se lançou mais ao ataque do que o Santos no começo do segundo tempo. E também deu de ombros para as faltas. Com a bola no pé, o Galo até levou perigo ao gol de Aranha, mas não obteve sucesso.
O Peixe, de forma mais tímida, arriscou pouco. Na oportunidade mais clara de gol, aos 23 minutos, Geuvânio recebeu livre dentro da área e chutou cruzado a bola, que passou tirando tinta da trave. A rede não balançou, mas o lance incendiou a torcida e renovou o ânimo santista.
Mas o Ituano não estava entregue na partida. Pelo contrário. Aos 37 minutos, resposta do time de Itu. Em bela cobrança de falta, o zagueiro Anderson Salles por pouco não empatou a partida. Aranha foi ainda melhor e defendeu o chute.
Daí em diante, Ituano e Santos, já à espera da decisão por pênaltis, pouco criaram. Se arriscaram com cautela redobrada. Não à toa o lance mais chamativo dos minutos finais foi a expulsão de Cicinho, que recebeu o segundo cartão amarelo ao fazer falta em cima de Anderson Salles.
A ESTRELA DE VAGNER
Um dos principais destaques da campanha do Ituano, Vagner também brilhou na finalíssima. Cícero, Alan Santos, David Braz, Gabriel, Arouca e Alison superaram o goleiro nas cobranças de pênaltis. Rildo acertou a trave. Mas a sombra do camisa 1 do Ituano cresceu para cima de Neto, que parou no goleiro e viu o Peixe deixar escapar o 21º título na história do Paulistão. Problema do Peixe. O Ituano acertou seis da sete cobranças e garantiu o bicampeonato estadual (2002 e 2014).
FICHA TÉCNICA
SANTOS 1 (6) x (7) 0 Ituano

Local: Estádio do Pacaembu
Data/Hora: 13 de abril de 2014, às 16h
Árbitro: Raphael Claus
Assistentes: Carlos Augusto Nogueira Júnior e Danilo Ricardo Simon Manis
Cartões amarelos: Rafael Silva, Esquerdinha, Cristian (Ituano); Cicinho, David Braz e Arouca (Santos)
Cartão vermelho: Cicinho (Santos) aos 46’/2ºT
Público/Renda: 34.964 pagantes/R$1.991.845
GOL: Cícero (46’/1ºT)

DECISÃO POR PÊNALTIS
Cícero (gol), Alan Santos (gol), David Braz (gol), Rildo (perdeu), Gabriel (gol), Arouca (gol), Alison (gol), Neto (perdeu)
Jackson Caucaia (gol), Anderson Salles (perdeu), Marcelinho (gol), Esquerdinha (gol), Marcinho (gol), Jean Carlos (gol), Dener (gol), Josa (gol)

SANTOS: Aranha; Cicinho, Neto, David Braz e Mena; Alison, Arouca e Cícero; Geuvânio (Alan Santos, aos 38’/2ºT), Thiago Ribeiro (Rildo, aos 14’/2ºT) e Leandro Damião (Gabriel, aos 31’/2ºT). Técnico: Oswaldo de Oliveira

ITUANO: Vágner; Dick, Anderson Salles, Alemão e Dener; Josa, Paulinho (Marcinho, aos 34’/2ºT), Jackson Caucaia e Cristian (Marcelinho, aos 30’/2ºT; Esquerdinha e Rafael Silva (Jean Carlos, aos 19’/2ºT). Técnico: Doriva

 

Fonte: Lancenet