Por Cleber Aguiar – Santos acerta patrocínio para semi e possível final do Paulistão

Fonte: Globo.com

Departamento de marketing do clube tem firmado acordos temporários para reforçar o caixa. Enquanto isso, busca uma empresa para ser o patrocinador definitivo

Por Bruno Giufrida*Santos, SP

Santos Semp Toshiba (Foto: Divulgação Santos FC)

O Santos acertou contrato de patrocínio para as finais do Paulistão. O Peixe terá estampada em sua camisa na partida deste domingo, contra a Penapolense, às 16h (de Brasília), na Vila Belmiro, pela semifinal do Paulistão, a marca da Semp Toshiba. O acordo será mantido na final caso o Peixe avance.

O time da Vila Belmiro não tem patrocinador no principal espaço da sua camisa desde 2012, quando acabou o contrato com o Banco BMG. Por isso, o departamento de marketing do clube, enquanto procura uma apoiadora para a atual temporada, acerta vínculos temporários para que haja lucro em partidas decisivas.

O último acordo firmado pelo Peixe havia sido com a Corr Plastik. A empresa estampou sua marca nos jogos contra Palmeiras e Ponte Preta e estará presente, também, no principal espaço da camisa alvinegra na partida contra o Mixto-MT, pela primeira fase da Copa do Brasil, dia 2 de abril, em Cuiabá.

Depois, a Corr Plastik irá estampar as mangas. Antes, a empresa tinha sua marca estampada na barra das camisas. Por isso, o valor pago pela empresa, que era de R$ 4 milhões ao ano, será reajustado, mas ainda é mantido em sigilo. Anteriormente, a Netshoes, que ocupava o mesmo espaço, pagava cerca de R$ 6 milhões ao Alvinegro. A escola de idiomas CNA também estampa a camisa do Santos, com o nome exposto próximo ao ombro do uniforme. O clube, porém, ainda está atrás do patrocinador master para o ano, e segue conversando com a Caixa Econômica Federal, entre outras empresas. O Peixe espera fechar negócio por cerca de R$ 20 milhões.

*Bruno Giufrida colaborou sob supervisão de Alexandre Lopes

Por Cleber Aguiar – Goiás passa fácil pelo Goianésia e está na final

Fonte: Futebolinterior.com.br

O Goiás é o primeiro finalista do Campeonato Goiano de 2014. Tentando conquistar o tri, o Verdão não encontrou dificuldades para bater o Goianésia, por 3 a 0, nesta tarde de sábado chuvosa, no Estádio Serra Dourada, em Goiânia. Os gols da vitória foram marcados pelos atacantes Erik e Araújo e pelo meia Ramón. A Rádio Jornal 820 AM de Goiânia transmitiu todas as emoções do jogo.
Com a vaga assegurada, o time esmeraldino, maior campeão do Estado com 24 taças, fica no aguardo de seu adversário da final. Neste domingo, às 16 horas, a Anapolina recebe o Atlético-GO, no Estádio Jonas Duarte, em Anápolis, podendo atuar pelo empate.

As finais acontecem nos próximos dois domingos, às 16 horas. Antes de jogar pela decisão, porém, o Goiás entrará em campo na estreia da Copa do Brasil. Na quarta, o time encara o Botafogo-PB, no Almeidão, em João Pessoa. Já o Goianésia também fará o segundo jogo do torneio contra o Grêmio Barueri, mas no dia 9 de abril, na Arena Barueri. No primeiro jogo houve empate por 2 a 2.

Vitória tranquila
Mesmo com vários desfalques, o Goiás mostrou desde os primeiros minutos os abismo entre ele e o Goianésia. Sem grandes dificuldades, o time controlou o jogo e poderia ter construído um placar elástico ainda no primeiro tempo. O Verdão perdeu boas chances com o meia Thiago Mendes e o atacante Araújo, aos 13 e aos 15 minutos. Ambas acabaram pela linha de fundo.

Apesar do domínio esmeraldino, o primeiro gol saiu apenas aos 28 minutos. Depois de um belo passe de Thiago Mendes, o atacante Erik escapou pelo lado direito e invadiu a área. Com muita liberdade, o camisa 9 teve tempo de ajeitar o corpo e bater cruzado, no canto direito do goleiro Paulo Musse.

Com a vantagem no placar, o Goiás continuou buscando mais o ataque. E para iniciar o segundo tempo tranquilo, os donos da casa conseguiram marcar o terceiro ainda no primeiro. Erik escapou pelo lado direito de novo e cruzou na medida para o meia Ramón. O jogador finalizou de peixinho e Paulo Musse engoliu um “peru”.

Acabou a brincadeira
Na segunda etapa, o time esmeraldino praticamente eliminou qualquer chance de reação adversária, logo aos cinco minutos. O lateral Vítor escapou pelo lado direito e cruzou rasteiro. O meia João Paulo não conseguiu dominar, mas a bola sobrou para o experiente Araújo, que só bateu na saída do goleiro.

Com a classificação garantida e a forte chuva que caiu no segundo tempo, o Verdão tirou o pé do acelerador. Sem poder de reação, o Goianésia não conseguir sequer diminuir o marcador. Com festa da torcida alviverde nas arquibancadas e gritos de “olé”, o jogo se arrastou até o fim sem gols.

Por Cleber Aguiar – Em dia de festa, Atlético-PR empata sem gols na volta à Arena da Baixada

Fonte: Globo.com

REINAGURAÇÃO DA ARENA DA BAIXADA
REINAGURAÇÃO DA ARENA DA BAIXADA

Evento para 10 mil pessoas ocorre sem problemas, mas torcida vê jogo com poucas emoções e pede a saída de Miguel Ángel. Adriano joga 61 minutos e perde gol claro

O dia 29 de março de 2014 tem um lugar garantido na história do Atlético-PR. O jogo-treino contra o JMalucelli marcou o retorno do clube à Arena da Baixada após 27 meses – a última vez que o Furacão atuou no estádio foi na última rodada do Brasileirão de 2011, contra o Coritiba – e o primeiro evento teste para a Copa do Mundo de 2014, justo no aniversário de 321 anos de Curitiba. Além disso, foi a primeira vez que Adriano foi escalado como titular em uma partida. Mas faltou um ingrediente para que a festa fosse completa: o gol.

Em um jogo frio, com poucas emoções, os titulares do Furacão empataram por 0 a 0 com o Jotinha na tarde deste sábado. No jogo-teste, as redes não foram testas. O resultado foi combustível para que o torcedor voltasse a mostrar insatisfação com o técnico Miguel Ángel Portugal, que ouviu muitas vaias.

Mas se o resultado não foi bom, a festa foi. Mesmo com a Arena da Baixada ainda não concluída, os 10 mil torcedores convidados e que ganharam o sorteio se emocionaram. Depois de dois anos sem pisar em seu campo, os atleticanos puderam ver de perto como será um dos campos para a Copa do Mundo. Nenhum incidente foi registrado.

A Arena deve receber mais dois testes antes da Copa do Mundo de 2014. Um em abril, aberto para 43 mil pessoas e outro na metade de maio, como evento oficial da Fifa. Já o próximo compromisso oficial do time titular do Atlético-PR será contra o The Strongest, no dia 8 de abril, pela última rodada da fase de grupos da Libertadores. Antes, com o sub-23, o Rubro-Negro enfrenta o Londrina pelas semifinais do Campeonato Paranaense. O jogo de ida está marcado para 18h30m (horário de Brasília) deste sábado, no Ecoestádio.

O Jotinha segue em preparação para o duelo com o Vitória, pela Copa do Brasil. No jogo de ida, 1 a 1 em Curitiba. A partida de volta está marcada para o dia 16 de abril, em Salvador.

Primeiro tempo frio e sem gols

O técnico Miguel Ángel Portugal colocou os titulares para jogar no primeiro tempo – com exceção do zagueiro Manoel, machucado. O time atuava com uma formação ofensiva, o 4-3-3, com Marcelo, Adriano e Ederson na frente. Apesar da expectativa em torno do trio, os times protagonizaram um primeiro tempo sem muitas emoções, o que acabou esfriando a torcida.

Os jogadores do Atlético-PR procuravam o Imperador na maioria das jogadas. Mas ele não tinha espaço, devido à forte marcação imposta pelo Jotinha, nem ritmo de jogo para aproveitar as chances. Em uma delas, por exemplo, furou na área após um cruzamento da direita. De positivo, a entrega do jogador, que em vários momentos marcou a saída de bola e deu até carrinho. Ainda na etapa inicial, João Paulo e Mirabaje arriscaram, sem sucesso. Na melhor oportunidade, Ederson bateu no canto e, após desvio, a bola saiu rente à trave

O JMalucelli também ameaçava, mas sem perigo. O atacante Bruno Batata tentou de longe em duas oportunidades, direto para fora, e o lateral-esquerdo Tomas, ex-Furacão, cobrou falta por cima do gol adversário. Com o primeiro tempo frio, os torcedores também diminuíram o volume. Em vários momentos, eles assistiam à partida sentados. E os primeiros 45 minutos da nova Arena terminaram mesmo no empate sem gols.

Furacão tenta, mas primeiro gol não sai

O técnico Miguel Ángel Portugal promoveu sete alterações na volta para o segundo tempo.  Santos, Carlos César, Ricardo Silva, Otávio, Hernani, Fran Mérida e Mosquito entraram. Mas Adriano, que não jogava há um mês, continuou. O jogo, porém, não mudou. O Atlético-PR rondava a área adversária, mas não conseguia superar a marcação adversária. O JMalucelli, por sua vez, apostava nos contra-ataques, mas também não parecia muito interessado em vencer. Com isso, o comandante rubro-negro mexeu de volta. Gustavo entrou no lugar de Marcelo, e Bruno Mendes substituiu o Imperador aos 16 minutos.

Prata da casa e reserva do sub-23, Gustavo deu novo gás ao meio-campo e virou o xodó da torcida com bons dribles desconcertantes e lançamentos longos. Por ainda ele ser pouco conhecido, os torcedores começaram a gritar “olê, olê, olê, onze, onze” e “ão, ão, ão, o onze é seleção” – número da camisa dele. Na sequência, gritaram o nome do jogador. Mas o jogador, apesar das tentativas, não conseguiu levar o time ao gol. Bruno Mendes também não. Em chance clara, ele tocou rente à trave, para lamentações da torcida rubro-negra – que chegou a pedir a saída de Miguel Ángel Portugal nos minutos finais.

O Atlético-PR até esboçou uma pressão nos minutos finais, mas o primeiro gol e a primeira vitória na nova Arena da Baixada ficaram mesmo para uma próxima ocasião. O torcedor já deixa o estádio na expectativa pela volta.

Por Cleber Aguiar – Times vão para estádio diferente e jogo é cancelado

Fonte: Futebolinterior.com.br

971763_670916169635234_339655534_nDefinitivamente a 39ª Edição do Campeonato Brasiliense de Futebol vai ficar na história pelas confusões e desentendimentos ocorridos até aqui. Na abertura da competição o Formosa acabou não entrando em campo pois haviam sumido as chuteiras dos jogadores, já que o ônibus do clube tinha sumido. Depois foi a partida entre Paracatú x Gama onde o time mineiro teria atuado com uniforme não autorizado. Por fim, nesta sexta-feira, um fato inusitado aconteceu envolvendo a partida entre Unaí/Paracatú e Brasiliense. Como a mudança de local e horário do jogo foi publicado no site da Federação Brasiliense de Futebol somente na tarde da quinta-feira (véspera da partida), mudando o Estádio e cidade, o Unaí/Paracatú, time mandante, não viajou para Luziânia, novo local da partida.
o jogo estava previsto para o estádio Frei Norberto, em Paracatú/MG, às 16 horas, mas a Federação alterou o seu local, passando para o estádio Serra do Lago, em Luziânia/GO, às 18 horas.

O presidente do time mineiro, Major Elias, em entrevista à Rádio Fibra de Brasília, afirmou que seu time vai lutar até o fim para jogar em Paracatú. “Estamos neste momento no palco do jogo que foi marcado pela Federação Brasiliense, ou seja, no estádio Frei Norberto, em Paracatú/MG. Estamos aqui com um Procurador de Justiça que está tomando ciência do ocorrido, desta mudança abrupta do local do jogo. Convocamos também a imprensa para relatar o fato. O presidente da Federação Brasiliense de Futebol desrespeitou todo o Código do Torcedor, mudando a partida 24 horas antes do jogo. Eu fiquei sabendo da mudança de local da partida por terceiros, através do presidente do Luziânia que me informou que estavam sendo requisitado o estádio Serra do Lago”, disse o presidente do Paracatú.

Já a delegação do Brasiliense se encontra em Luziânia/GO se dirigindo ao estádio Serra do Lago. A mudança de local e horário do jogo Paracatú x Brasiliense deveu-se ao fato de que o Brasiliense atuou na quarta-feira pela Copa Verde. O espaço entre um jogo e outro está em torno de 44 horas, não sendo permitido a realização de jogos com distância superior a 150 quilômetros.

O caso agora será tratado pelo Tribunal de Justiça Desportiva do Distrito Federal. No outro jogo o Ceilandia recebeu o Brasilia. O Colorado do DF venceu por 2 a 1 e agora joga domingo por um simples empate para se classificar.