Por Cleber Aguiar – Timão acerta dívida, Pato assina com Tricolor e Jadson fica perto de estrear

Fonte: Globo.com

Corinthians corre contra o tempo para inscrever meia na Federação Paulista a tempo de jogar o clássico contra o Palmeiras. Já atacante só poderá jogar em 12 de março

Carlos Augusto Ferrari e Diego Ribeiro

pato_jadson

Alexandre Pato e Jadson estão liberados para estrearem por seus novos clubes. Na tarde desta quinta-feira, o Corinthians entrou em acordo com o atacante Alexandre Pato para o pagamento de uma dívida de cerca de R$ 1,5 milhão em direitos de imagem que o jogador tem a receber referentes a 2013. O clube enviou documentos finais para sacramentar a negociação com o São Paulo, que assinou com o atacante até o fim de 2015. E Jadson, reforço do Corinthians, deve assinar até sexta-feira.

A pendência do Corinthians travava os acertos finais da troca com o São Paulo. O Tricolor só aguarda a regularização de todas as documentações para anunciar a contratação em seu site oficial e marcar a data de apresentação. O Timão também tinha pressa e se resolveu rapidamente com os representantes de Pato. Quem comandou esse último acerto foi o diretor de futebol Ronaldo Ximenes.

Pato e seus agentes queriam garantias de que o pagamento seria feito de acordo com o combinado. O Corinthians esperava adiantamento de verbas da televisão e também o dinheiro da Caixa, com quem renovou recentemente o patrocínio por R$ 30 milhões/ano.

O alvinegro, agora, poderá promover a assinatura de Jadson. Com isso, o departamento jurídico correrá para inscrevê-lo na Federação Paulista de Futebol até amanhã, o que permitiria a utilização do meia no clássico de domingo contra o Palmeiras, no Pacaembu.

Pato, por sua vez, só poderá estrear pelo São Paulo no dia 12 de março, contra o CSA, em Maceió, pela primeira fase da Copa do Brasil. Ele não pode atuar no Paulistão por ter disputado mais de três jogos por outra equipe.

Por Cleber Aguiar – ‘O sentimento que tenho por Santos e torcida é inabalável’, escreve Neymar

Fonte: lancenet.com.br

Em resposta a torcedor que o apoiou em rede social, atacante diz que nada ‘vai conseguir estragar’ sua relação com os santistas

Resposta-Neymar-Almeida-Reproducao-Facebook_LANIMA20140213_0211_47

Resposta de Neymar ao torcedor (Reprodução/Facebook) 

O relacionamento entre Neymar e diretoria do Santos está abalado devido à nebulosa negociação com o Barcelona, mas uma parte da torcida parece não guardar mágoas de seu ídolo. Um santista que se manifestou por meio de sua página no Facebook em apoio ao atacante recebeu resposta do atleta em tom de agradecimento e exaltação a clube e torcida.

– Dênis, pode deixar que o sentimento que tenho pelo Santos FC e pela torcida permanecerá inabalável. Ninguém vai conseguir estragar a relação que construímos, eu e o torcedor do Santos FC. NINGUÉM !!Muito obrigado pelas palavras e pelo reconhecimento. #ÉTÓISS !! – escreveu o atacante diretamente para o torcedor.

O torcedor Dênis de Almeida defendeu insistentemente que apesar de todo o imbróglio entre diretoria e pai do jogador, a relação com o ídolo deve ser preservada.

– Não deixe que isso prejudique essa relação de sucesso Santos/Neymar e Torcida – afirmou em seu perfil em uma rede social.

Na noite da última quarta ocorreu uma reunião entre o Conselho Deliberativo do Santos e o Comitê de Gestão do clube para discutir a polêmica da venda de Neymar ao Barcelona. O presidente em exercício do clube, Odílio Rodrigues, reafirmou que não sabia da carta que liberava o jogador a negociar com um clube em 2011, o que acabou acontecendo. À época, o pai de Neymar, via sua empresa, recebeu 10 milhões de euros adiantados do Barcelona para ter prioridade no negócio. O clube alvinegro entrou com ação no Tribunal de Justiça de São Paulo para obter intimação que obrigue o staff do atleta a entregar a papelada da transação.

Por Cleber Aguiar – Dilma classifica de ‘lamentável’ racismo contra Tinga na Libertadores

Fonte: Portal G1

Presidente usou conta no Twitter para criticar postura da torcida peruana.
Nesta quarta, torcedores imitaram macacos quando jogador tocou na bola.

Filipe Matoso e Juliana Braga Do G1, em Brasília

Mensagem publicada pela presidente Dilma no Twitter sobre os atos de racismo contra o meio-campo do Cruzeiro (Foto: Reprodução)
Mensagem publicada pela presidente Dilma no Twitter sobre os atos de racismo contra o meio-campo do Cruzeiro Tinga (Foto: Reprodução)

A presidente Dilma Rousseff classificou nesta quinta-feira (13), em mensagens publicadas em seu perfil no microblog Twitter, de “lamentável” o fato de torcedores do Real Garcilaso, do Peru,  terem reproduzido sons de macacos no momento em que o jogador brasileiro Tinga, do Cruzeiro, tocava na bola, durante partida entre as duas equipes pela Taça Libertadores da América. Campeão da última edição do Campeonato Brasileiro, o time de Minas Gerais estreou nesta quarta (12) na competição continental na cidade peruana de Huancayo.

“Foi lamentável o episódio de racismo contra o jogador Tinga, do Cruzeiro, no jogo de ontem [quarta], no Peru. (…) Ao sair do jogo, Tinga disse q trocaria seus títulos por um mundo c/ igualdade entre as raças”, publicou a presidente na rede social.

Segundo a presidente da República, o Brasil, atualmente, está “fechado” com o jogador do Cruzeiro. “Acertei com a ONU e a FIFA, que a nossa #CopaDasCopas também será a #CopaContraORacismo”, publicou Dilma.

A presidente também usou sua conta no microblog para afirmar que o esporte não deve ser, “jamais”, palco para o preconceito.

Situações como a que ocorreu com Tinga já ocorreram também com outros jogadores negros que atuam na Europa. Em 2011, o ex-lateral-esquerdo da Seleção Roberto Carlos foi vítima de atos de racismo na Rússia, na época em que atuava pelo Anzhi. Na ocasião, torcedores do Krylya Sovetov atiraram bananas dentro do campo para hostilizar o jogador brasileiro.

Racismo na Libertadores
Aos 21 minutos do segundo tempo, o veterano volante Tinga, de 36 anos, entrou em campo em substituição a Ricardo Goulart. A partir deste momento, em todas as vezes que Tinga tocava na bola, a torcida adversária imitava um macaco.

Ao final da partida, o jogador do Cruzeiro, que é negro, lamentou o episódio. “Eu queria não ganhar todos os títulos da minha carreira e ganhar o título contra o preconceito contra esses atos racistas. Trocaria por um mundo com igualdade entre todas as raças e classes”, disse.

Por Edgar – Libertadores, Cruzeiro e Flamengo estreiam com derrota.

AMARAL É EXPULSO NO INÍCIO, E FLA, APESAR DE LUTAR MUITO, PERDE EM LEÓN

Volante leva vermelho com 12 minutos de jogo e permite adversário dominar territorialmente o Rubro-Negro, que acaba derrotado por 2 a 1

Não, Libertadores não é uma guerra. Mas alguns clubes brasileiros insistem em confundir raça com violência. Aconteceu com o Flamengo nesta quarta-feira. O volante Amaral, estreante na competição, fez seu time jogar mais de 80 minutos com um a menos ao ser expulso logo aos 12, após chutar uma bola e largar o pé nas partes baixas de Montes. O Rubro-Negro lutou muito, ficou perto de seu segundo gol, mas não conseguiu. Deu León no Estádio Nou Camp: 2 a 1. Boselli e Arizala fizeram os gols do time mexicano, com Cáceres anotando para o Fla.

Além de Amaral, André Santos, outro que correu o risco de ser expulso no segundo tempo, e Lucas Mugni foram os outros destaques negativos. O Rubro-Negro segue sua sina de não vencer quando estreia fora do Rio na Libertadores. Com três pontos, o León lidera o Grupo 7. Emelec e Bolívar, demais integrantes da chave, se enfrentam nesta quinta, no Equador.

– Isso é Libertadores. De maneira alguma pode perder um jogador no início. Sabemos que é dificil correr atrás na Libertadores. Pressão, bola alçada, e realmente sofremos bastante. Lutamos, mas não foi o necessário – disse André Santos após o jogo.

O Flamengo volta a campo pela Libertadores no próximo dia 26, contra o Emelec, no Maracanã. O León já joga na próxima quarta-feira, em La Paz, onde terá o Bolívar como adversário. O próximo compromisso rubro-negro pelo Carioca é o Clássico dos Milhões, contra o Vasco, no domingo, às 16h, no Maracanã.

EM NOITE DE ATO RACISTA DE PERUANOS, CRUZEIRO PERDE PARA O REAL GARCILASO

Raposa sai na frente, mas permite virada na altitude de Huancayo. Jogo é marcado por atitudes lamantáveis de torcedores contra o volante Tinga

O Cruzeiro estrearia na Taça Libertadores enfrentando dois adversários: os 3.200 metros de Huancayo e o Real Garcilaso. Dentro de campo, a Raposa abriu o placar com Bruno Rodrigo, mas acabou permitindo a virada nos 3.200 metros acima do nível do mar em Huancayo, no Peru, e viu o adversário festejar o 2 a 1, com gols de Britez e Rodriguez. Fora de campo, no entanto, um terceiro rival apareceu para manchar não apenas o triunfo da equipe anfitriã, mas principalmente o futebol. Torcedores peruanos protagonizaram cenas lamentáveis de racismo ao imitarem macaco nas arquibancadas a cada toque na bola do volante Tinga.

A derrota deixa o atual campeão brasileiro na lanterna do Grupo 5, que conta ainda com Universidad de Chile e Defensor, do Uruguai – as duas equipe fecham a primeira rodada nesta quinta-feira, no estádio Nacional de Chile, em Santiago. O Cruzeiro só volta a campo pela Libertadores no dia 25 de fevereiro, quando recebe a equipe chilena no Mineirão, às 17h30m (de Brasília). No próximo domingo, a Raposa defende a liderança do Campeonato Mineiro contra o Tombense, às 16h, fora de casa. Quarta-feira que vem, dia 19, o Real Garcilaso encara o Defensor no Centenário, em Montevidéu.

Texto: Globoesporte.com, Video: Youtube.com