Por Cleber Aguiar–Túlio Maravilha 1000 gols

Fonte: Wikipédia

429766

Túlio Humberto Pereira Costa, mais conhecido como Túlio Maravilha1 (Goiânia, 2 de junho de 1969), é um futebolistabrasileiro que atua como atacante. Ao longo de sua carreira profissional, ficou conhecido por defender inúmeros clubes do Brasil e do mundo em uma carreira de duas décadas como atleta no futebol. Atualmente joga no Araxá Esporte Clube.

Começou sua carreira no Goiás em 1987 e ganhou projeção internacional, mas foi com o Botafogo que teve o seu auge, lá ele conquistou o Campeonato Brasileiro de Futebol de 1995. A boa fase naquele ano rendeu convocação para a Seleção Brasileira de Futebol que disputou a Copa América de 1995.

Depois da passagem destacada pelo Botafogo, Túlio passou pelo Corinthians, Vitória, Fluminense, Cruzeiro, São Caetano, Santa Cruz, além de passagens ainda por clubes de menor expressão do futebol nacional.

Carreira futebolística

Primeiros anos

Túlio estreou profissionalmente no dia 12 de março de 1987 na partida em que o Goiás venceu por 4 a 0 Ceres. Seu primeiro técnico no futebol profissional foi Luiz Felipe Scolari.2 Em 1988, Felipão teve uma breve passagem pelo Goiás.2 Um ano mais tarde, em 1989 ganhou seu primeiro título, o Campeonato Goiano de 1989, numa boa campanha.3 Ainda nesse mesmo ano, aos 20 anos, foi artilheiro do Brasileirão de 1989 com 11 gols, na época, se tornando o mais jovem artilheiro do Brasileirão.3

Em 1990 ganhou mais uma vez o Campeonato Goiano.4 A carreira de Túlio começava a ganhar expressão após a final da Copa do Brasil de 1990, quando por pouco não foi campeão desse torneio. Perdeu a final para o Clube de Regatas do Flamengo. Em 1991 foi, pela terceira vez seguida Campeão Goiano e pela primeira vez, artilheiro. Já consagrado como um dos talentos da época,[carece de fontes] seu passe estava valorizado, e para ele ser vendido a um time brasileiro, era muito difícil.

Europa e retorno ao Brasil

Devido ao valor muito alto pedido pelo Goiás, Túlio foi comprado por um grupo de empresários e repassado ao Sion, em 1992,5 onde em sua lista, anotou 64 gols, entretanto, a Federação Suíça de Futebol registrou 19 gols marcados entre as temporadas de 1992 e 1993.6 Conquistou o primeiro Campeonato Suíço do clube e ajudou a equipe a chegar a uma semifinal inédita de Liga dos Campeões. O clima gelado e a adaptação com a cultura suíça dificultaram sua passagem por lá. Apesar da falta de adaptação na vida pessoal, Túlio teve uma passagem considerada pela perfeita na Suiça, sendo até chamado pra jogar na Seleção Suíça Logo Túlio se transferia para o Botafogo. Depois de ter saído do Sion, voltou para o Brasil para atuar no Botafogo, em 1994. Logo em sua estreia, marcou 3 gols contra o America. E assim, foi apelidado pela torcida como Túlio Maravilha.7 Novamente foi artilheiro do Brasileirão, dessa vez por duas vezes consecutivas: 1994 e 1995.

Ele conquistou o Brasileirão de 1995, com uma final contra o Santos – com dois jogos – bastante polêmica. No primeiro jogo, vitória do Botafogo por 2 a 1 e um gol de Túlio anulado erradamente,além de um pênalti não dado em cima de Donizete. No segundo jogo, um empate em 1 a 1 com o gol de túlio impedido. Mais tarde, em 1996, atuaria junto com seu irmão gêmeo, Télvio.

Túlio foi contratado pelo Corinthians em 1997. Na época, o clube do Parque São Jorge fez uma parceria com o Banco Excel, que injetou bastante dinheiro em reforços. Por aproximadamente 6 milhões de dólares Túlio trocou o alvinegro carioca pelo Corinthians.3 No mesmo momento em que havia a proposta do Corinthians por Túlio, o Deportivo La Coruña também o cobiçava.[carece de fontes] Mas a diretoria do Botafogo não chegou a um acordo em liberar Túlio ao time espanhol.[carece de fontes]

O Corinthians foi campeão paulista de 1997 e Túlio foi artilheiro do time,3 apesar de ter ficado a maior parte do campeonato no banco de reservas. Ele tinha começado bem o campeonato, sendo titular na maioria dos jogos, mas se machucou e não voltou a jogar como antigamente perdendo a continuação do seu auge. Além disso neste período,o técnico Nelsinho Baptista resolveu mudar o esquema tático pelo time não estar fazendo gols com naturalidade.[carece de fontes] Assim, colocou Donizete e Mirandinha como dupla de ataque. Assim, Túlio ficou “encostado” no banco pelo resto do campeonato, só entrando no decorrer das partidas.

A partir do Corinthians, Túlio começou a atuar em vários times do Brasil e até do exterior. Túlio resolveu sair do Corinthians porque não aceitava ficar no banco.[carece de fontes] Na metade de 1997, se transferiu para o Vitória, outro time patrocinado pelo Banco Excel.

Formou dupla de ataque com Bebeto e foi um sucesso no Brasileirão de 1997, mas no final do ano ambos acabaram se transferindo para o Botafogo.

Segunda e terceira passagem pelo Botafogo

Na volta de Túlio, em 1998 fez dupla de ataque com Bebeto de novo, e foram campeões do Torneio Rio-São Paulo. Foram apenas 21 gols nesse ano. Em 1999 fez três passagens em clubes: Fluminense, Cruzeiro e Vila Nova. No primeiro, fez apenas 10 gols, no segundo 4 (foi no Cruzeiro que ele marcara o gol 500 de sua carreira) e no terceiro, 6.

Na passagem pelo Cruzeiro, o time era comandado por Levir Culpi, e por conta deste e da diretoria do Cruzeiro, praticamente não colocaram Túlio para jogar, pois o jogador ainda pertencia ao Banco Excel. O clube deixou Túlio de lado em detrimento de Alex Alves, revelado pelo Vitória e outros jogadores “prata da casa”.[carece de fontes] Como consequência disso, Túlio ficou de 4 a 5 meses só treinando.

Quando a imprensa questionava o desempenho de Túlio em 1999, dizendo que ele já estava em fase final de carreira, mesmo com apenas 30 anos de idade e 11 como profissional, o jogador não se abalou e decidiu seguir jogando. Em 2000, foi para o São Caetano, levando este modesto e desconhecido time a subir para a Primeira Divisão do Paulistão. Ficou 6 meses no mesmo, foi campeão e artilheiro da Série A2, com dezoito gols. Na partida em que decidiria o campeão, Túlio simplesmente fez um gol de bicicleta contra o Etti (atualmente com o nome Paulista), garantindo assim a elite para o São Caetano. Ele parecia ter voltado aos tempos de Botafogo. Entretanto, Túlio ficou muito pouco tempo nesse time.

Depois de ter saído do São Caetano, ele voltou mais uma vez ao Botafogo, onde disputou somente 14 partidas.

Santa Cruz Futebol Clube e futebol húngaro

Em 2001 foi para o Santa Cruz e só disputou o Brasileirão daquele ano. Foram 7 jogos e 1 gol. Após a curtíssima passagem pelo Santa Cruz, retornou ao Vila Nova para a disputa do Campeonato Goiano desse ano. Foi, pela quarta vez campeão, e pela segunda vez artilheiro, com dezesseis gols. Após o término do Campeonato Goiano, se transferiu para o Újpest, em 2002. Ganhou a tradicional Copa da Hungria, ele chegou no clube na metade da competição.5 O sucesso de Túlio no clube foi alto, tanto é que eles queriam que o jogador ficasse.[carece de fontes] Mas, de acordo com Túlio, ele queria voltar ao Brasil para ficar mais perto da “vitrine” que é o futebol do Brasil. Segundo Túlio, foi uma passagem perfeita, marcou 6 gols em 6 meses, apesar da Hungria ser um país que não tem mais tradição no futebol.

Atlético Goianiense, Associação Atlética Anapolina e Volta Redonda

Em 2003 foi para o Atlético Goianiense, para jogar a Série C.8 Nesse mesmo time, Túlio marcou seu gol 600 da carreira. Logo após o Atlético Goianiense, passou rapidamente pelo Tupy. Disputou a Copa Espírito Santo onde marcou 5 gols, mas seu time acabou eliminado.

Em dezembro de 2003 posou nu para a revista G Magazine. Em 2004, foi para o Jorge Wilstermann. Essa passagem foi mais pela Libertadores. Mas seu time foi eliminado logo na primeira fase.9 Fora a Libertadores, ele foi campeão da Copa Aerosul e artilheiro, com seis gols.

Em 2004, ao fazer seu terceiro retorno ao Brasil, jogou a Série B pelo Anapolina, onde balançou as redes só 2 vezes. Ao lado de Sérgio Manoel, Túlio comandou a excelente campanha do modesto Volta Redonda, time do interior fluminense, à conquista inédita da Taça Guanabara. Na decisão do Carioca, na primeira partida, o Volta Redonda venceu por 4 a 3 o Fluminense. Na segunda partida, porém seu time sofreu um revés, e perdeu por 3 a 1. O Fluminense faturou o título. Tulio ainda foi o artilheiro da competição.

Esporte Clube Juventude e retorno ao Vila Nova

Nesse mesmo ano, também foi para o Juventude, onde disputou o Brasileirão daquele ano. Foram 12 jogos e 2 gols. Logo depois do Juventude, Túlio se transferiu para o Al-Shabaab da Arábia Saudita, em 2005 mas não atuou sequer uma partida.

Depois do Al-Shabab, voltou novamente para o Brasil, em 2006 para o Volta Redonda. Disputou a Copa do Brasil, mas foi eliminado. Logo após a segunda passagem pelo Volta Redonda, se transferiu para este time amazonense, onde disputou pela terceira vez a Série C e mais alguns amistosos. Túlio sentiu na pele o contraste entre ter jogado num time de ponta e num time modesto (no caso, o Fast), porque para o time disputar amistosos, teria que viajar de barco para chegar ao estádio do adversário. Este foi um dos momentos mais marcantes na carreira de Túlio.[carece de fontes]

Na metade de 2006, foi contratado pela Federação Goiana e designado para jogar no Canedense. Túlio chegou no meio do Campeonato Goiano da Segunda Divisão, marcou 9 gols em 6 jogos (média superior a um por partida). Nesse campeonato, o time de Túlio subiu para a primeira divisão. Ainda nesse mesmo ano (2006), fechou contrato com o Itauçuense para disputar o Campeonato Goiano da Terceira Divisão. Foi campeão e artilheiro, com sete gols em 7 partidas. Em Janeiro de 2007, Túlio na volta para o Canedense marcou seu gol 700 em jogos oficiais, após fazer dois num jogo válido pelo Campeonato Goiano contra o Trindade (segundo sua contagem). No fim do Campeonato, marcou 16 gols em 17 partidas. Com a camisa do Canedense foram 25 gols em 23 jogos.

Com o fim do Campeonato Goiano de 2007, Túlio Maravilha volta ao Vila Nova (6 anos depois) para a disputa do Campeonato Brasileiro da Série C, formando dupla de ataque com Wando. Túlio foi o artilheiro da competição com 27 gols e ajudou o time a subir para a Série B para o ano de 2008.

Na Série B de 2008, o Vila Nova. Túlio novamente foi o artilheiro da competição, com 24 gols (isso com 39 anos de idade). Ele acabou dispensado do Vila Nova.

Itumbiara e o Sociedade Esportiva do Gama

Túlio e Denílson no Itumbiara.

Em 2009 foi contratado pelo Itumbiara para a disputa do Campeonato Goiano, onde fez companhia de Denilson, como um presente pelo 100º aniversário da cidade de Itumbiara. Apesar da boa campanha, o Itumbiara acabou eliminado nas semifinais do Campeonato. Mais tarde, em 26 de maio de 2009 Túlio voltou para o Botafogo para apenas uma partida – amistosa, contra o Brasil-RS. Este último fez este jogo como preparação para a Série C de 2009. O Botafogo saiu derrotado por 2 a 1.10 Logo após esta eliminação, foi para o Goiânia para disputar a Segunda Divisão do Goianão. O time fez uma campanha ruim, e não conseguiu a classificação para a fase seguinte.11

Após a eliminação no Campeonato Goiano da Segunda Divisão, Túlio voltou a jogar no Botafogo de Brasília. Seu time conseguiu subir para a Primeira Divisão e disputar a final contra o Ceilandense. Mas o Botafogo sofreu um revés, foi derrotado por 2 a 1 e perdeu o título. Após a curtíssima passagem pelo Potyguar, Túlio voltou ao Botafogo-DF para a disputa da Candangão de 2010.

Em sua terceira passagem pelo clube, Túlio seguiu jogando o campeonato candango. Entretanto, num dos jogos decisivos do campeonato, contra o Gama, no dia 10 de abril, sequer foi relacionado, complicando ainda mais sua situação no clube. Não tendo oportunidades de atuar como titular, e não aceitando essa posição, se desligou do clube no 14 de abril de 2011.12 Em 8 de fevereiro de 2011, Túlio foi contratado por apenas uma partida, fechou contrato com o Barras para o primeiro jogo da Copa do Brasil, contra o ABC,13 onde batizou o gol que faria, com o nome de “Cajuína”. Mas como a estreia do time se deu somente no dia 24, Túlio ainda defendeu o Botafogo-DF por alguns jogos. Mas no confronto contra o ABC, O Barras foi eliminado ao empatar o jogo de ida (em casa) por 1 a 1 e perder o jogo de volta por 2 a 1. Túlio saiu de campo em branco nas duas partidas.14

Agremiação Esportiva Canedense, CSE

Túlio seguiu jogando no Canedense, pelo Campeonato Goiano da Segunda Divisão.15 Mas seu time terminou o campeonato com a pior campanha: 11 jogos, sendo que foram 10 derrotas e apenas 1 vitória. Foi a pior campanha de Túlio defendendo um time, sendo que na última rodada, apenas 1 torcedor pagou ingresso para assistir o jogo entre Canedense 0 x 5 Goiatuba.16 Após jogar por um período no America, acertou com o Bonsucesso.17 Depois de pequena passagem pelo Bonsucesso, ele foi contratado pelo CSE de Palmeira dos Índios como a principal contratação do marketing do clube para o Campeonato Alagoano de Futebol de 2012. Logo na estreia fez seu primeiro gol com a camisa do CSE na vitória de 2 a 0 sobre o Coruripe. No dia 10 de abril de 2012, Túlio foi dispensado pelo CSE.18

Túlio acertou com o Esporte Clube de Laranjal, onde em sua estréia marcou um gol contra o Democratas pela Copa Integração 2012.Novamente Túlio jogou com a camisa do Esporte desta fez marcando 02 gols.19 Depois de sair do CSE,20 Túlio acertou com o Tanabi,20 , time da quarta divisão do campeonato paulista, e, posteriormente, retornou ao Botafogo do Rio de Janeiro.19 Em 27 de agosto de 2012, Túlio foi apresentado pelo Botafogo, com o intuito de marcar pelo clube que o projetou à fama os sete gols restantes ao milésimo. Entretanto, Túlio, antes de atuar pelos profissionais, é integrado ao elenco de juniores do Botafogo. Atualmente em busca do milésimo atuando pelo Botafogo.21 Ele defendeu em uma entrevista ao programa Esporte Fantástico que deseja marcar o milésimo gol pelo Botafogo.22

Em 24 de fevereiro de 2013, Túlio marcou três gols diante do Santos de Angola e está a apenas dois gols de fazer seu milésimo.23

O atacante, no entanto, passando por uma crise financeira, pode ter de postergar a sua intenção de marcar o milésimo gol. Dependente de acordos publicitários para o seu orçamento, Túlio pode participar do programa A Fazenda, da Rede Record, que o sondou para sua próxima edição.24 Ele foi anunciado em 11 de junho de 2013 como o atacante do Vilavelhense.25

No dia 1 de fevereiro de 2014 ele foi anunciado pelo Araxá como novo reforço. Túlio marcou seu milésimo gol pelo Araxá na partida contra o Mamoré no dia 08/02/2014 em cobrança de pênalti, partida valida pelo campeonato mineiro módulo II.

Araxá e o Milésimo Gol

Túlio chegou no araxá em 2014 para o tão sonhado milésimo gol e logo em sua estreia fez o milésimo gol, que foi no jogo diante do Mamoré, no sábado, dia 8 de fevereiro de 2014, pela segunda divisão do campeonato mineiro. O gol saiu ainda no primeiro tempo e em cobrança de pênalti (similar ao de Pelé e Romário). Com o gol, o jogador tirou a camisa que vestia, com a numeração 999, e colocou um uniforme que indicava o número mil. Houve invasão do campo da torcida, da família de Túlio e da diretoria do clube e por dez minutos o jogo teve que ficar paralisado26 .

Uma grande é polêmica é que Túlio fez de fato o milésimo pelo Botafogo, mas não comsiderou dois gols pelo laranjal.27 . No entanto, esse gol pelo Araxá tem importância histórica, pois Túlio igualou Romário com 1002 gols na segunda posição da artilharia da história do futebol mundial, ficando atrá apenas de Pelé.

Carreira política

Túlio Humberto Pereira Costa

Túlio Maravilha

Vereador de GoiâniaBandeira de Goiania.gif

Mandato
1º de janeiro de 2009
16 de setembro de 2011

Vida

Nascimento
2 de junho de 1969 (44 anos)
Goiânia

Dados pessoais

Partido
PMDB

Profissão
Futebolista

Túlio disse que teria que jogar em um time goiano, para exercer seu mandato de vereador.28 E então escolheu o Itumbiara Esporte Clube, para disputar o campeonato goiano e a copa do Brasil.29 Meses mais tarde, Túlio foi eleito vereador de Goiânia pelo Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), nas Eleições municipais do Brasil em 2008, com quase 9 mil votos.30

Envolvimento com Carlinhos Cachoeira

Túlio Maravilha teve seu nome citado em telefonemas de Carlinhos Cachoeira, gravados pela PF entre os dias 11 e 31 de março de 2011, durante a Operação Monte Carlo.31

Túlio pediu a Cachoeira cerca de R$ 30 mil reais, o que foi confirmado por meio de seu advogado, Levy Leonardo, informando, porém, que o dinheiro teria sido recebido para sua campanha para deputado estadual, em 2010.31

Cquote1.svg
O Túlio é uma pessoa muito carismática. Ele se envolve com as pessoas, conhece bastante gente. Um dado importante é que Cachoeira é botafoguense. Pode ter vindo daí esse conhecimento dele com o Túlio. Mas envolvimento em negócios, esquemas, nunca houve.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s