Por Cleber Aguiar – Mudanças à vista

Fonte: Folha de São Paulo

ÍndiceA goleada sofrida para o Santos anteontem reverberou no centro de treinamento do clube e no Parque São Jorge. A constatação após o fracasso é que o elenco precisa passar por uma pequena, mas significativa, reformulação. A ideia do clube é negociar alguns jogadores, cujo desempenho não tem agradado nem à diretoria nem à comissão técnica. Diego Macedo, Rodriguinho e Alexandre Pato estão entre os criticados.

Jogo rápido. O projeto é promover essas mudanças no elenco o mais rápido possível –a ideia é que seja nas próximas semanas– para que a goleada sofrida anteontem não se repita.

Sobrevida. Embora seja considerado negociável, Pato tem poucas chances de sair do Parque São Jorge antes da Copa. Isso porque a janela de transferências europeia se encerra hoje e, portanto, não há tempo hábil para ser negociado.

Insonia. Após a derrota para o Santos, Mano Menezes foi para o CT, onde ficou até às 4h da manhã acordado, em reunião com Silvinho e Sidney Lobo, auxiliares, Eduardo da Silva, preparador físico, e Ronaldo Ximenes, diretor de futebol.

Insonia 2. Mano e Eduardo da Silva dormiram no CT e, às 9h, retomaram o trabalho para analisar os erros do time no clássico.

Futebol clube. Anteontem, em reunião do conselho do Palmeiras, foi sugerido ao presidente Paulo Nobre que todos os esportes do clube –exceto o futebol– sejam extintos para poupar dinheiro. A avaliação interna do clube se contrapõe a essa proposta. O entendimento é que o basquete, por exemplo, dá bons resultados e não causa prejuízo aos cofres alviverdes.

Até… O Comitê de Gestão do Santos se reuniu ontem para discutir novamente a transferência de Neymar. Acordou-se que, se for comprovado que os € 61,2 milhões recebidos pelo pai do atacante se referem à transferência e não à comissão, o clube pedirá na Justiça participação sobre essa quantia.

…o fim. Caso esse cenário se confirme, o Santos terá direito a 55% do valor: € 33,6 milhões (R$ 109,8 milhões). O restante, € 27,6 milhões, seria do grupo DIS.

Caos… A Associação das Empresas Aéreas (Abear) do Brasil produziu um levantamento mostrando que, em 2006 e em 2010, anos das últimas Copas do Mundo, os principais aeroportos da Alemanha e da África do Sul receberam menos passageiros do que em anos comuns.

…aéreo? O estudo diz que, em 2006, os principais aeroportos da Alemanha receberam 66,8 milhões de pessoas, contra 69,3 milhões de 2005 –3,6% menos passageiros. Já em 2010, na África do Sul, o número de viajantes não chegou a ser nem 5% maior do que em 2009.

Fichinha. A constatação da Abear é que eventos como o carnaval movimentam mais pessoas do que a Copa.

Colaborou DIEGO IWATA LIMA, de São Paulo

DIVIDIDA

“A Fifa é que está atrasada. Investiu R$ 70 mi na África do Sul de 2006 a 2010 e, até agora, não fez nada para o futebol brasileiro”
Pedro Trengrouse
Professor da FGV e consultor da ONU, sobre as cobranças que a Fifa faz ao Brasil

Por Cleber Aguiar – ‘Muro de Berlim’ divide Palmeiras e São Paulo com espionagem e apostas

Fonte: Globo.com

Barreira que separa CTs dos rivais serviu, historicamente, para aproximar adversários. Felipão foi o maior protagonista; domingo tem clássico no Pacaembu

Por Alexandre LozettiSão Paulo

Que um muro separa a enorme rivalidade entre Palmeiras e São Paulo, a grande maioria das pessoas sabe. Mas essa barreira, comparada em tom de brincadeira ao muro de Berlim, mais aproximou os clubes do que semeou antipatia. Os ingredientes são os mais diferentes possíveis: apostas entre irmãos, bolas que invadem o território adversário, provocações e até espionagem do técnico da seleção brasileira, Luiz Felipe Scolari. O GloboEsporte.com reúne aqui algumas dessas histórias entre os rivais que voltam a se encontrar em campo neste domingo, às 17h, no Pacaembu, pela quinta rodada do Campeonato Paulista.

info CTs São Paulo e Palmeiras (Foto: infoesporte)

Felipão é o personagem mais lembrado quando se recorda histórias do muro. Ali, ele fez de tudo. Divertiu-se com a proximidade do rival, provocou, bisbilhotou, pediu jogadores, contou piadas. Mas também sofreu. Integrante da comissão técnica tricolor desde a primeira passagem de Felipão pelo Palmeiras, no fim dos anos 90, Milton Cruz não segura o riso quando se lembra do dia em que o técnico se lesionou no muro.

Felipão torceu
o pé tentando espiar treino do São Paulo

– Ele ia sempre lá, chamava a mim e ao Carpegiani. Contava piadas, ele é muito engraçado. Mas teve um dia que ele pisou num buraco e torceu o tornozelo. Encontrei com ele e o Murtosa no semáforo, saindo do CT, e ele estava louco: “Olha só como ficou meu tornozelo!”.

O tom da reclamação subiu no dia em que Milton Cruz resolveu dar uma espiadela no treino do Palmeiras, na véspera de um Choque-Rei. Ele subiu numa escada e observou calmamente. Ninguém do outro lado viu. Mas um fotógrafo que estava no São Paulo viu, e a foto foi publicada no jornal no dia seguinte. Foi quando o auxiliar recebeu um telefonema de Felipão.

– Ele me xingou, ficou p… da vida. Mas ele fazia igual (risos).

Muro que divide CTs São Paulo e Palmeiras na Barra funda (Foto: Marcos Ribolli)

A versão é referendada por Carpegiani, ex-técnico do São Paulo e maior vítima do amigo Scolari, a quem define como “gozador e malandrão”. Eles foram vizinhos em duas oportunidades: 1999 e durante meses de 2010 e 2011.

Certo dia, enquanto comandava uma atividade no Tricolor, em semana de clássico, o técnico ouviu o grito vindo do outro lado, no inconfundível sotaque de Felipão: “Tô olhando teu time!”. Mesmo quando os rivais não iam se enfrentar, a voz de Felipão era ouvida: “Milton, preciso de um zagueiro! Manda pra cá, você tem muitos!”.

– Ele vivia chorando. O Felipe é um baita gozador e quer tirar proveito de tudo. Ele era um “flertador”. Botava o cabeção dele ali e berrava no intuito de brincar, mas também de sacar coisas que pudessem favorecê-lo – diz Carpegiani.

Felipão no palmeiras de 1997 (Foto: Vidal Cavalcante  / Agências Estado)

Contra enchentes ou a favor da espionagem?

É mais fácil para os palmeirenses espionarem o rival do que o contrário. A explicação é simples. Inaugurada em 1991, cerca de quatro anos depois do CT são-paulino, a Academia de Futebol tem terreno mais elevado. No início dos anos 90 se dizia, logicamente, que isso não passava de estratégia justamente para levar vantagem.

Presidente do clube na época da construção da Academia, Carlos Facchina Nunes nega com veemência. Segundo ele, o risco de enchentes foi o principal motivo para a diferença de nível entre os centros de treinamento.

– Não foi nada proposital. Havia algumas enchentes no próprio São Paulo e no Detran, do outro lado. Então resolvemos elevar um pouco o nível. Na época houve muita brincadeira, mas nunca vi problemas. O muro virou um lugar de confraternização – brinca Facchina, que até chegou a despachar do vizinho enquanto sua obra não ficava pronta.

– O São Paulo abriu as portas do CT para mim.

Milton Cruz treino São Paulo (Foto: Leandro Martins / Futura Press / Agência Estado)

A diretoria do Tricolor poderia ter evitado a vizinhança. A prefeitura ofereceu a concessão de todo o terreno, que hoje abrange os dois centros de treinamento. O então presidente Carlos Miguel Aidar, agora candidato à sucessão de Juvenal Juvêncio, declinou. Disse que não havia necessidade e ficou só com metade. Cada CT tem 46 mil metros quadrados.

Graças a essa decisão, boa parte do lado são-paulino do terreno costuma comparar a barreira ao histórico muro de Berlim, que dividiu a cidade alemã entre setores capitalista e socialista durante a Guerra Fria.

– Eles dizem por aqui que somos o lado ocidental. Todos querem pular de lá pra cá (risos) – brinca o vice-presidente de futebol, João Paulo de Jesus Lopes.

 

Encontros e desencontros

O muro também foi cenário de gozações e apostas familiares. Durante anos, os irmãos Luiz Alberto Rosan, do lado tricolor, e José Rosan, pelo alviverde, ficaram separados pela estrutura que não impediu apostas inusitadas. Houve uma temporada em que o São Paulo ganhou todos os clássicos contra o Palmeiras. O que rendeu um belo almoço ao vitorioso. O prato principal? Carneiro.

– Todo clássico valia um carneiro. No fim do ano, preparávamos em Potirendaba, no interior de São Paulo, nossa cidade natal. Ganhei todos – conta Luiz Rosan, que hoje trabalha na seleção brasileira e no chinês Shandong Luneng, novo time do técnico Cuca, enquanto o irmão segue no Palmeiras.

Muro que divide CTs São Paulo e Palmeiras na Barra funda (Foto: Marcos Ribolli)

Se Felipão era o gozador de um lado, Rosan assumiu o papel do outro. Não perdoou nem mesmo o irmão em tempos de crise do Verdão. Marcou um encontro no muro e levou duas garrafas de água para José.

– Falei que era para apagarem o incêndio (risos).

Era ali também que eles e os demais membros dos departamentos médicos combinavam almoços numa churrascaria próxima. O goleiro Marcos, aposentado no início de 2012, costumava fazer parte dos encontros.

Ambos os lados garantem que o “muro de Berlim” da capital paulista vive momentos de tranquilidade. Sem piadas, sem provocações. Até porque nem Palmeiras nem São Paulo vêm de temporadas de glórias. O máximo de interação são as bolas maltratadas pelos bicões dos atletas e que invadem o CT vizinho. Graças a elas, os seguranças acabam se conhecendo. É burocrático devolver o objeto. Rádio pra cá, rádio pra lá… Mas todas voltam, garantem.

Até mesmo as árvores que cresceram do lado tricolor se tornaram um obstáculo. Se os atuais não brincam, os antigos não perdem a piada. Carpegiani diz que a vegetação foi proposital, para Felipão parar de olhar. E gargalha.

Fato é que, a não ser que haja empate, só um dos lados estará sorridente na próxima segunda-feira.

Por Cleber Aguiar – Insistente, Palmeiras vence o Penapolense e segue 100%

Fonte: Globo.com

Em jogo de um time só, Marquinhos Gabriel marca seu primeiro gol. Verdão martela até conseguir derrubar bloqueio da equipe do interior

A CRÔNICA
por Marcelo Hazan

O Palmeiras venceu pela insistência. Encurralou o Penapolense, criou várias chances, martelou o gol adversário, não desanimou em nenhum momento, nem mesmo em lances em que a bola parecia fazer birra e teimava em não entrar. O prêmio por tantas tentativas saiu aos 20 do segundo tempo. Marquinhos Gabriel, que entrou no lugar de Valdivia no intervalo, garantiu o triunfo alviverde, por 1 a 0, no Pacaembu. Foi o primeiro gol do reforço, que disputou sua segunda partida pela nova equipe. O resultado mantém o Verdão como único time com 100% de aproveitamento no Paulistão – quatro vitórias em quatro rodadas, 12 pontos e liderança absoluta do Grupo D. O Penapolense, com apenas três pontos, está na penúltima posição no Grupo A.

O Verdão volta a campo no domingo, quando disputará clássico com o São Paulo, às 17h, no Pacaembu, pela quinta rodada do estadual. O Penapolense, também no domingo, mas às 19h30m, recebe o Mogi Mirim, em Penápolis.

Árbitro se destaca, e Mazinho perde gol

Em 19 minutos de Palmeiras e Penapolense, o árbitro Flavio Rodrigues de Souza apareceu mais do que os 22 jogadores em campo. Foram quatro amarelos (dois para cada time) e uma bronca no técnico Gilson Kleina. Tal postura do dono do apito irritou os palmeirenses no Pacaembu.

Com a bola rolando, a etapa inicial não foi de fortes emoções. Prass só trabalhou quando o Penapolense resolveu arriscar em chutes de fora da área. No mais, a estratégia da equipe do interior era clara: defender com todos os jogadores atrás da linha da bola.

 

Por Cleber Aguiar – POLÊMICA! Botafogo-PB perde quatro pontos na Copa do Nordeste

Fonte: Futebolinterior.com.br

0002048152926_imgA Copa do Nordeste virou palco de mais uma polêmica. Na noite desta quarta-feira, o Botafogo-PB perdeu quatro pontos e foi multado em R$ 2 mil, em julgamento realizado pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), no Rio de Janeiro. A punição se deve a escalação irregular do volante Pio e do atacante Thiaguinho contra o Sport, na primeira rodada. A decisão ainda cabe recurso.

Com esta punição, o Belo praticamente diz adeus a qualquer chance de classificação. Agora, o clube paraibano ocupa a lanterna do Grupo D, com três pontos negativos. Faltando quatro jogos para fazer, teria de conseguir uma campanha perfeita e ainda torcer por tropeços dos adversários.

O líder absoluto do grupo é o surpreendente Guarany-CE, que possui oito pontos. O time de Sobral deixa os favoritos Náutico e Sport para trás. Com dois jogos a menos, o Timbu soma quatro pontos, enquanto o Leão da Ilha está afundado na terceira posição, com apenas dois.

O Botafogo ainda sofreu outra punição no STJD, já que terá de fazer um jogo com portões fechados. Tudo por conta da briga entre torcedores no mesmo duelo contra o Sport. O time pernambucano terá de fazer dois jogos com os portões fechados.

A Federação Paraibana de Futebol (FBF) também foi punida com uma multa de R$ 50 mil, já que foi considerada responsável pelos problemas ocorridos no Estádio Almeidão. O local também ficará interditado até que sejam apresentados laudos que atestem que o estádio está apto a receber jogos.

Por Cleber Aguiar – Jogadores do Racing cumprem ameaça e abandonam jogo da Copa do Rei

Fonte: O Globo

Allan Caldas

Clonumprindo o prometido, os jogadores do Racing Santander abandonaram o gramado do estádio El Sardinero e não disputaram o jogo de volta das quartas de final da Copa do Rei, contra o Real Sociedad, nesta quinta-feira, numa corajosa decisão em protesto contra o atraso salarial, que já está chegando a cinco meses. Ao go do dia, houve muita negociação entre o elenco e entidades de classe, mas o boicote foi mantido.

Os jogadores dos dois times até fizeram o aquecimento em campo. Mas, ainda assim, já se sabia que a ameaça continuava de pé. O plano era voltar ao gramado, junto com o adversário, apenas para um pontapé inicial simbólico. Eles só desistiriam do boicote se o presidente do clube, Angel Lavín Harry, entregasse o cargo, o que não aconteceu. Ano passado, o Racing foi rebaixado para a terceira divisão do Campeonato Espanhol. Segundo o site do jornal espanhol ‘Mundo Deportivo’, somente o responsável pelas categorias de base do clube, Iñaki Urquijo, renunciou ao seu posto. Havia a informação, também do jornal catalão, de que o presidente Angel Harry estava em um cartório, supostamente para apresentar sua demissão, mas não houve confirmação oficial até a hora do jogo.

Assim sendo, tão logo foi dada a saída, o time do Racing se reuniu no círculo central, enquanto o Real Sociedad tocava a bola. Em seguida, o goleiro e capitão da equipe, Mario Fernández, avisou ao árbitro que o time não continuaria em campo, e o jogo foi encerrado.

– Tínhamos que fazer isso, senão essas pessoas (os dirigentes) acabariam com o clube – disse ele.

Tão logo terminou o insólito jogo, o goleiro do Napoli e da seleção espanhola Pepe Reina usou o Twitter para apoiar os jogadores do Racing.

– Posso assegurar que chegar a tomar a decisão de não jogar uma partida de quartas de final de Copa do Rei, havendo passado pelas duas primeiras fases, tem que ser muito doloroso. Que asco de dirigentes. Minha solidariedade com esses grandes profissionais. Muita força – escreveu Reina.

Na entrevista coletiva no estádio, o técnico do Racing, Paco Fernández, exaltou a ‘valentia’ do elenco pelo protesto.

– O que fizemos hoje foi em respeito ao futebol, o esporte que amamos, e a nós mesmos. Quero agradecer aos jogadores pela valentia. Hoje era a partida mais importante de nossas vidas, e nós a trocamos pela dignidade – afirmou o treinador, revelando sua preocupação com possíveis punições ao elenco, já que o regulamento da Copa do Rei prevê multa e afastamento do clube da competição por um ano.

– Esperamos que não haja sanções porque não somos nós os vilões.

Ao deixar o campo, os jogadores do Racing foram aplaudidos pela torcida no El Sardinero. O Real Sociedad, que havia vencido o jogo de ida por 3 a 1, está classificado para enfrentar o Barcelona na semifinal da Copa do Rei. Na outra semi, Atlético de Madrid e Real Madrid farão o clássico da capital espanhola.

Por causa da crise econômica, quatro jogadores deixaram o clube nesta janela de transferência: Agustín, Nieto, Sotres e Kone. No elenco do Racing B, pelo menos um jogador já vive um drama pessoal por causa da crise: sem salário desde agosto, o goleiro Oumar Diaby está morando de favor em um quarto emprestado.