Por Cleber Aguiar – Em nova conversa com Peixe, Neilton espera resolver futuro: ‘Quero ficar’

Fonte: Globo.com

Atacante tem propostas para deixar a Vila Belmiro e negocia há três meses com a diretoria para acertar renovação. Próxima semana pode ser decisiva para jogador

Marcelo HazanDiadema, SP

Neilton Santos (Foto: Pedro Ernesto Guerra Azevedo/Divulgação Santos FC)Neilton voltará a conversar com Peixe (Foto: Pedro Ernesto Guerra Azevedo/Divulgação Santos FC)

O atacante Neilton espera definir seu futuro em uma nova conversa com o Santos marcada para a próxima semana. Com propostas para deixar o clube, como do Tottenham, da Inglaterra, e do Porto, de Portugal, ele negocia sua renovação. O jogador pede valorização salarial para prorrogar o contrato, válido até maio de 2014, mas há diferença entre o que ele deseja receber e o que o Peixe quer pagar.

Ainda assim, a revelação alvinegra reafirma sua vontade de ficar na Vila Belmiro, onde surgiu para o futebol neste ano, após conquistar a Copa São Paulo de Juniores.

– Não resolvemos ainda. Acho que vamos conversar com o Santos nessa semana de novo, e espero que dê tudo certo nessa conversa, para que eu possa ficar muitos anos. Minha ideia é continuar – diz.

Promovido ao elenco principal na reta final do Campeonato Paulista, Neilton fez quatro gols em 20 jogos. Nos últimos três meses, Peixe e atacante iniciaram a negociação para renovar o contrato do jogador, mas não chegaram a um acordo. Encostado, o jovem de 19 anos acabou voltando à equipe sub-20.

Enquanto não define seu futuro, Neilton tem sido aconselhado por Daniel Alves, lateral-direito do Barcelona e da Seleção. O atleta, inclusive, participou diretamente da transferência de Neymar para o clube espanhol. Ele ajudou a convencer o astro a escolher o Barça em vez do Real Madrid e agora lhe dá conselhos diários para ajudá-lo na adaptação ao time catalão.

Por Cleber Aguiar – Análise: Sem omitir falhas, filme sobre Marcos faz marmanjo chorar

Fonte: Folha Online

SÉRGIO RIZZO

Marmanjo não chora?

Bem, eu vi uns 30 mil chorando juntos, no Pacaembu, no dia em que Marcos Roberto Silveira Reis pendurou a camisa 12 e saiu dos gramados para morar no coração dos palmeirenses.

Quem pertencer à nação alviverde e quiser soltar lágrimas de vez em quando pode fazer isso em casa, sem ninguém por perto, com o lançamento em DVD do documentário “Santo Marcos 12”.

Documentário? Tributo, assumidamente parcial. Os diretores Thiago Di Fiore, Adolfo Rosenthal e Fábio Di Fiore reverenciam o seu personagem como um mito.

Alcançar esse status fazendo o que Pelé, Zico e Maradona fizeram, ok. Mas, para um goleiro, a façanha se reveste de dificuldades imensas. A desgraça flerta muito mais com o solitário debaixo da trave do que a glória.

“Santo Marcos 12” não omite que a desgraça rondou o mito por causa de falhas, como na derrota do Palmeiras para o Manchester United, na Taça Intercontinental de 1999, e nas eliminatórias da Copa de 2002, pela seleção.

O próprio Marcos reconhece, com a sinceridade habitual, que temeu ser crucificado nesses casos. E admite que jogou mais de dez anos com os movimentos de uma das mãos seriamente limitados.

“Caipira fala a verdade”, diz o cantor Sérgio Reis, um dos entrevistados. O filme reconstitui a infância em Oriente (SP), o início tardio no futebol e sua lenta ascensão no Palmeiras.

Depois, cobre o processo de canonização e o final de carreira. Os entrevistados incluem ídolos palmeirenses, como Ademir da Guia e Evair, e adversários (mas eventuais colegas de seleção), como Marcelinho Carioca.

Pois até Marcelinho se rende ao goleiro que todos aprenderam a respeitar e diz no filme que, se pudesse escolher alguém para defender um pênalti seu, seria Marcos.

O desejo foi ouvido na semifinal da Libertadores de 2000, quando Marcos defendeu a quinta cobrança corintiana. É o lance mais repetido do filme, lugar de constante peregrinação para os devotos do 12 eterno.

Por Cleber Aguiar – Neymar marca duas vezes e garante vitória do Barcelona sobre o Villarreal

Fonte: Globo.com

Brasileiro cobra pênalti com ‘paradinha’, vê equipe catalã levar o empate no início do segundo tempo, mas balança as redes de novo e é decisivo para vitória por 2 a 1

Se Neymar encantou na quarta-feira ao fazer três gols sobre o Celtic pela Liga dos Campeões, neste sábado, o brasileiro não deixou a desejar. Com Messi ainda afastado dos gramados por causa de lesão, o camisa 11 chamou a responsabilidade e foi decisivo na vitória do Barcelona sobre o Villarreal, por 2 a 1, pela 16ª rodada do Campeonato Espanhol. Em mais uma atuação de destaque, o atacante marcou os dois gols da equipe catalã no Camp Nou.

Apesar do amplo domínio do Barcelona, que estava sem os brasileiros Daniel Alves e Adriano no setor defensivo, o Villarreal assustou ao empatar o jogo no início do segundo tempo. Neymar havia cobrado pênalti, com direito a “paradinha”, na primeira etapa. O craque definiu o placar e quase fez o seu segundo hat-trick na semana, em ótima jogada que terminou com a bola explodindo no travessão.

Os torcedores do Barcelona não poderão ver o craque na próxima rodada, contra o Getafe, fora de casa. O brasileiro levou um cartão amarelo por demorar a cobrar escanteio e está suspenso. Com a vitória, o Barça se isola na liderança do Campeonato Espanhol, com 43 pontos. O Atlético de Madrid, segundo colocado, com três a menos, enfrenta o Celta de Vigo neste domingo.

Neymar gol Barcelona (Foto: AP)Neymar ajoelha após marcar gol: craque foi decisivo na vitória do Barça (Foto: AP)

NEYMAR, DE PÊNALTI, COM ‘PARADINHA’

Barcelona chegou a ficar com 89% da posse de bola no primeiro tempo. As constantes investidas catalãs no campo adversário contavam com a intensa movimentação de Neymar, que iniciou a partida atacando mais pela esquerda, mas também criou na ala direita e apareceu no meio da área para cumprir a função de centroavante junto ao companheiro Sánchez.

Os minutos iniciais deram a entender que os anfitriões logo abririam o placar. Aos seis, Song invadiu a área pela direita e soltou uma bomba que explodiu o travessão de Asenjo. Mas a linha de defesa formada pelos volantes e zagueiros do Villarreal dificultou o que parecia simples. Bem marcada, a dupla de ataque do Barça encontrava barreiras para criar chances claras.

Se com a bola rolando estava difícil, a equipe blaugrana conseguiu um pênalti para abrir o placar, aos 30: o lançamento de Bartra, da esquerda,encontrou o braço de Mario Gaspar no caminho. O árbitro não pensou duas vezes. Com Messi lesionado e Xavi no banco, Neymar foi para a cobrança. Autorizado pelo apito, o camisa 11 deu uma “paradinha” para tirar Asenjo do lance e mandar a bola para o canto oposto do arqueiro.

Neymar pênalti barcelona (Foto: AP)Neymar marca de pênalti: paradinha para tirar o goleiro do lance (Foto: AP)

ELE DE NOVO, PARA DEFINIR O JOGO

A vantagem de um gol no placar foi pouco para deixar o Barcelona tranquilo. Logo no início do segundo tempo, aos três minutos, Musacchio aproveitou o lançamento de escanteio para deixar tudo igual. Bartra não conseguiu subir para impedir a forte cabeçada do argentino, que ainda tocou em Pinto, mas entrou.

Ao ver o Villarreal se animar com o empate e crescer em campo, Tata Martino resolveu substituir Song por Xavi. Apesar da boa participação do camaronês na partida, a melhora na troca de passes no meio catalão foi visível com a entrada do espanhol. Na primeira participação, ele deixou Sánchez cara a cara com Asenjo, que fez bela defesa.

A noite era mesmo de Neymar. Aos 23, Fàbregas, no bico esquerdo da grande área, deu um belo passe por cobertura para Sánchez, que só escorou para Neymar marcar e deixar o Barça novamente na frente.

A vantagem deu um gás extra para o Barça, que não parou de pressionar até o final. Neymar quase marcou mais um, após fazer boa tabela com Sergi Roberto, na entrada da área, e arriscar o chute. A bola explodiu no travessão. Seria o segundo hat-trick do camisa 11 na semana. A participação do brasileiro contou ainda com um cartão amarelo por demora na cobrança de escanteio, que o deixará fora do próximo compromisso da equipe no Campeonato Espanhol.

Por Cleber Aguiar – Torcida da Portuguesa protesta na Paulista e promete até parar a Copa do Mundo

Fonte: Folha de São Paulo

ALEX SABINO

A avenida Paulista, antigo palco de comemoração de títulos dos times paulistas, recebeu hoje, pela primeira vez, a Portuguesa. Não para festejar. Para reclamar.

345747-970x600-1

Cerca de 250 pessoas se reuniram neste sábado à tarde, no Masp (Museu de Arte de São Paulo), para protestar contra o possível rebaixamento da equipe no Brasileiro. Julgamento a ser realizado na segunda-feira, na sede do STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) pode tirar quatro pontos do clube do Canindé, que seria obrigado a disputar a Série B em 2014. Com isso, o Fluminense permaneceria na Série A.

A manifestação saiu, em passeata, até ar rua da Consolação. A polícia permitiu que os torcedores ocupassem duas faixas de uma das pistas. Vários motoristas, apesar do transtorno causado no trânsito na região, gritavam “Lusa” em sinal de apoio, quando passavam pelos manifestantes.

Além de torcedores da Portuguesa, também era possível ver algumas pessoas com camisas de outros clubes paulistas, como Juventus, Santos, Corinthians e São Paulo.

345765-970x600-1

Usando narizes de palhaços, o protesto teve diversidade. Adultos, crianças, senhores de idade, mulheres e um anão gritaram contra o STJD, seu procurador-geral (Paulo Schmitt) e a CBF.

A torcida da Portuguesa prometeu até atrapalhar a realização do Mundial em 2014: “se o tapetão rolar, a Copa vai parar”, juraram.

345754-970x600-1

Por Cleber Aguiar – Pesquisa Estado escolhe os melhores do esporte em 15 categorias

Fonte: O Estado de São Paulo

Neymar ganha destaque como o principal jogador brasileiro ao longo do ano

SÃO PAULO – Pelo 36º ano consecutivo o Estado ouviu jornalistas para saber quais foram os destaque do esporte ao longo do ano de 2013. Nesta edição foram 138 votos e a coroação de Neymar como o melhor jogador brasileiro em atividade. Em um ano que antecede a Copa o atacante não deu chances ao concorrentes e arrebatou a preferência amparado pelo título da Copa da Confederações, fora a boa chegada ao Barcelona.

A eleição também escolheu os melhores em outras 12 categorias e formou duas seleções: os melhores do futebol brasileiro e a seleção brasileira ideal, que inclusive está parecida com as escolhas do técnico Luiz Felipe Scolari. Na edição deste domingo do Estado estão os detalhes completos do levantamento:

SELEÇÃO DO ANO
O futebol mineiro dominou o Brasil em 2013 e isso ficou evidente na Pesquisa Estado. Com quatro jogadores do Cruzeiro (Fábio, Dedé, Nilton e Éverton Ribeiro), campeão nacional, e dois do Atlético (Marcos Rocha e Diego Tardelli), vencedor da Libertadores, a dupla de Minas tomou conta da equipe ideal da temporada. O fato de nenhum outro time ter mais de um jogador na seleção mostra que 2013 foi mesmo ano de Raposa e Galo.

Fábio (Cruzeiro) – 54 votos
Marcos Rocha (Atlético-MG) – 67 votos
Dedé (Cruzeiro) – 80 votos
Gil (Corinthians) – 66 votos
Nilton (Cruzeiro) – 93 votos
Alex Telles (Grêmio) – 93 votos
Nilton (Cruzeiro) – 93 votos
Elias (Flamengo) – 93 votos
Everton Ribeiro (Cruzeiro)- 124 votos
Seedorf  (Botafogo) – 31 votos
Walter (Goiás) – 67 votos
Diego Tardelli (Atlético-MG) – 46 votos

SELEÇÃO BRASILEIRA IDEAL
Os jornalistas que votaram na Pesquisa Estado não têm motivos para reclamar de Luiz Felipe Scolari. Afinal de contas, a seleção brasileira escalada por eles é praticamente igual à utilizada pelo treinador na campanha vitoriosa na Copa das Confederações. A única diferença é a presença de Bernard no lugar de Hulk, mas assim mesmo é uma diferença pequena – o jovem mineiro é um “quase titular” da equipe de Felipão.

Julio Cesar (Queens Park Rangers) – 63 votos
Daniel Alves (Barcelona) – 68 votos
Thiago Silva (Paris Saint-Germain) – 128 votos
David Luiz (Chelsea) – 106 votos
Marcelo (Real Madrid) – 122 votos
Luiz Gustavo (Wolfsburg) – 65 votos
Paulinho (Tottenham) – 127 votos
Oscar (Chelsea) – 114 votos
Bernard (Shakhtar Donetsk) – 29 votos
Neymar (Barcelona) – 123 votos
Fred (Fluminense) – 81 votos

87037

JOGADOR – NEYMAR
Para Neymar, o ano de 2013 foi inesquecível. Ele conseguiu acabar com dois estigmas que o perseguiam: o de que não conseguia ser decisivo na seleção brasileira (ele liderou o time na conquista da Copa das Confederações) e o de que não seria capaz de brilhar na Europa. A transferência para o Barcelona deu a Neymar a chance de jogar entre os melhores e ele a aproveitou. Escolhido o melhor jogador do ano com 123 votos, o craque parece não ter limites.

TÉCNICO – MARCELO OLIVEIRA
Marcelo Oliveira chegou ao Cruzeiro debaixo de pesada desconfiança, já que passou boa parte de sua carreira de jogador no Atlético-MG. O tempo, no entanto, jogou a favor do treinador, que recebeu 62 votos na eleição, e ele não só conquistou o afeto da torcida cruzeirense como conquistou também o Campeonato Brasileiro. Com isso, Marcelo, que já havia feito ótimo trabalho no Coritiba, consolidou-se como um dos melhores técnicos do País.

87033

TIME – CRUZEIRO
A disputa pelo título de melhor equipe do ano foi uma briga entre mineiros e levou a melhor quem brilhou por último. Com sua campanha espetacular no Campeonato Brasileiro, o Cruzeiro recebeu 68 votos e superou o arquirrival Atlético-MG, campeão da Libertadores da América. A equipe celeste exibiu no torneio nacional um futebol criativo, com bastante agressividade no ataque, e não deu a menor chance aos adversários.

87032

JOGADOR INTERNACIONAL – CRISTIANO RONALDO
O português, que recebeu expressivos 113 votos, parecia condenado à eterna condição de “segundo melhor do mundo”, mas as coisas mudaram um pouco em 2013. Ao menos nesta temporada, o português do Real Madrid brilhou mais intensamente e com mais regularidade do que Lionel Messi, o rei do futebol nos tempos atuais. É verdade que as lesões musculares de Messi “ajudaram” Cristiano, mas também é verdade que o português foi avassalador no clube espanhol e também na seleção portuguesa. Contra a Suécia, na repescagem das Eliminatórias para a Copa de 2014, Cristiano teve uma das melhores atuações da carreira.

DESTAQUE FEMININO – RAFAELA SILVA
Após ser desclassificada dos Jogos de Londres por ter aplicado um golpe irregular, a judoca Rafaela Silva cogitou abandonar o esporte, mas felizmente continuou lutando. A recompensa surgiu no Mundial do Rio, em que, na categoria até 57 kg, ela garantiu a medalha de ouro. A alegria da carioca foi maior ainda porque ela ajudou o Brasil a conquistar a inédita medalha de prata na competição por equipes. A volta por cima rendeu a Rafaela 54 votos.

REVELAÇÃO – MARCELO (ATLÉTICO-PR)
O atacante Marcelo foi um dos principais responsáveis pela ótima campanha do Atlético-PR no Brasileirão. Com sua velocidade e faro de gol, o jogador já despertou o interesse de vários dos principais clubes do Brasil e recebeu 68 votos na Pesquisa Estado.

TÉCNICO INTERNACIONAL – JUPP HEYNCKES
Jupp Heynckes encerrou a carreia de treinador de uma maneira gloriosa: com os títulos da Liga dos Campeões, do Campeonato Alemão e da Copa da Alemanha. A torcida do Bayern de Munique certamente não o esquecerá. O alemão foi eleito com 57 votos.

87038

ÁRBITRO – PAULO CÉSAR DE OLIVEIRA
Paulo César de Oliveira tem muitos críticos, mas uma coisa nem eles podem negar: o árbitro está entre os principais do País há muitos anos. Por esse motivo, e também por ter evitado grandes confusões nesta temporada, o paulista foi eleito com 33 votos.

87031

DESTAQUE INTERNACIONAL – BAYERN DE MUNIQUE
O Barcelona começou 2013 com o status de melhor time do planeta, mas o perdeu para o Bayern de Munique, campeão europeu, alemão e da Copa da Alemanha. A surra que o Bayern deu no Barça na Liga dos Campeões (7 a 0 na soma de dois jogos) já está na história do futebol. O time recebeu 126 votos.

87029

DIRIGENTE – ALEXANDRE KALIL
O desbocado presidente do Atlético-MG foi certeiro ao montar o elenco que fez história ao ganhar a primeira Libertadores da América da história do clube, especialmente pela contratação de Ronaldinho Gaúcho. O mineiro recebeu 46 votos.

DESTAQUE INTERNACIONAL MASCULINO – SEBASTIAN VETTEL
Aos 26 anos, o piloto alemão acumulou feitos que poucos conquistaram na Fórmula 1. Foi tetra consecutivo e, na reta final da temporada, igualou o feito de Michael Schumacher e Alberto Ascari: nove vitórias consecutivas. Por isso, foi eleito com 39 votos.

DESTAQUE INTERNACIONAL FEMININO – SERENA WILLIAMS
Ninguém tem dúvidas de que Serena Williams é a melhor jogadora de tênis do mundo, e uma das melhores da história. Neste ano, a norte-americana, que foi escolhida com 57 votos, acrescentou mais dois títulos de Grand Slam à sua já invejável coleção.

Por Cleber Aguiar – Raja Casablanca elimina o Monterrey e torna Galo visitante nas semifinais

Fonte: Globo.com

Marroquinos derrotam os mexicanos por 2 a 1, na prorrogação, e colocam uma torcida extremamente fanática no caminho do Atlético-MG no jogo de quarta-feira

Por Alexandre AlliattiDireto de Agadir, Marrocos

Os 10 mil torcedores que apoiarão o Galo em Marrakesh terão que ficar roucos, se esgoelar, gritar como nunca na próxima quarta-feira, às 17h30m (de Brasília), porque o Atlético será visitante nas semifinais do Mundial de Clubes. O Raja Casablanca, do Marrocos, terá uma torcida ensandecida a seu favor depois de garantir a classificação neste sábado, em Agadir, com vitória por 2 a 1 sobre o favorito Monterrey, do México.

É um momento histórico para o futebol marroquino. A vaga foi assegurada na prorrogação, após empate por 1 a 1 no tempo normal, em uma noite de delírio para a torcida do clube local – uma das mais fanáticas do futebol africano -, que foi à loucura com a volta olímpica depois do jogo. Diante do Atlético, o Raja tentará se tornar o segundo time do continente finalista de Mundiais, depois do Mazembe, vice-campeão em 2010. A outra semifinal será um dia antes, na terça-feira, entre o Bayern de Munique, da Alemanha, e o Guanghzou, da China – que eliminou o Al-Ahly, do Egito. Os dois vencedores farão a final no sábado.

Kouko Guehi gol Raja Casablanca x Monterrey (Foto: AFP)Guehi comemora o gol da vitória do Raja Casablanca sobre o Monterrey, no início da prorrogação (Foto: AFP)

Em partida tensa neste sábado, o Galo teve a comprovação de que é superior às duas equipes que se apresentaram. O Monterrey talvez fosse um adversário mais complicado, mas o ambiente agora será quase todo favorável ao oponente atleticano. Casablanca fica a três horas de carro de Marrakesh. A cidade será invadida. E o Atlético, que contava com a admiração dos marroquinos por Ronaldinho para se sentir em casa, terá que lidar com forte pressão.

Raja Casablanca na frente 

O Monterrey foi mexicano: ficou com a bola, tocou mais, chegou mais, até chutou mais a gol. E nada. O Raja Casablanca foi africano: teve vibração, teve correria, teve um time pulsante e habilidoso, embora não necessariamente organizado. E teve o gol.

O primeiro tempo em Agadir mostrou bem como funcionam as duas escolas de futebol colocadas no caminho do Atlético no Mundial. Talvez o diferencial para os marroquinos tenha sido sua torcida extremamente inflamada. Cada vaia era uma agulhada nos jogadores mexicanos – um barulho impressionante. Cada apoio era uma onda a empurrar o time local ao ataque. É até um clichê essa história de 12° jogador, mas com o Raja parece funcionar mesmo. O ambiente é de cair o queixo.

Raja x Monterrey (Foto: Victor Canedo)Mosaico da torcida do Raja Casablanca antes do jogo contra o Monterrey (Foto: Victor Canedo)

Em campo, o Monterrey chegou a dar sinais de ser mais time. Soube trabalhar bem a bola, que ficou sob seu controle em 58% do tempo na etapa inicial. Os mexicanos, com isso, criaram chances. Mas não fizeram. Zavala e Juárez ameaçaram logo no começo, em chutes que passaram perto. El Hachimi, dentro da área, pela direita, quase deu um troco ainda maior. Ele pegou mal na bola – e perdeu o gol.

O Monterrey, pouco a pouco, foi perdendo o ímpeto inicial. Nervoso, passou a dar espaços ao adversário. E aí saiu o gol. El Hachimi disparou bem pela direita e mandou na área. O goleiro Orozco falhou. Soltou a bola nos pés de Chtibi, que completou para o gol. A torcida mergulhou em euforia. Era um sonho sendo realizado.

Coube aos mexicanos tentar reagir. Chutes de Delgado e de Neri Cardozo forçaram o goleiro Askri a praticar enormes defesas. Mas o curioso é que o segundo gol da partida quase foi novamente do Raja Casablanca. Em conclusão de Iajour depois de bela jogada individual, a bola rodou quase em cima da linha adversária – e ninguém apareceu para completar.

Monterrey reage 

Os mexicanos cresceram no segundo tempo. Voltaram donos do jogo. E logo empataram. Foi aos sete minutos, quando Suazo cobrou falta da direita para Basanta, de cabeça, vencer a zaga adversária e deslocar o goleiro. No momento em que o atacante cruzou a bola, um laser saído das arquibancadas atingia seus olhos.

O empate poderia ter se tornado virada logo depois. Neri Cardozo recebeu sozinho, frente a frente com Askri. Era só passar pelo arqueiro africano. E ele não conseguiu. O chute foi defendido pelo goleiro, e a torcida soltou um urro de vibração.

Mohamed Oulhaj eJesus Zavala Raja Casablanca x Monterrey (Foto: AP)Zavala, do Monterrey, chuta diante da marcação do marroquino Oulhaj (Foto: AP)

O Raja conseguiu reequilibrar a partida. Mas sem ser incisivo. O jogo ficou com clima de que iria para a prorrogação, como efetivamente aconteceu.

A classificação marroquina

A prorrogação estava morna, sem sal. A torcida, apreensiva, sofria com a indefinição do jogo. E aí uma bola aérea, aos cinco minutos, mudou tudo. Guehi subiu muito alto, testou firme e inundou de delírio o estádio de Agadir.

Mas restavam 25 minutos. O Monterrey partiu para cima. Tentou atacar de todos os jeitos, por baixo e por cima, enquanto o Raja reagia com velocidade. Estava no ar que poderia sair novo gol a qualquer momento. Na última oportunidade mexicana, a dois minutos do fim, Suazo chutou rente à trave. Mas não aconteceu. E o surpreendente time de Casablanca está no caminho que o Galo terá que trilhar para ser campeão mundial