Por Cleber Aguiar – Jorginho se despede da Ponte Preta reconhecendo os erros

Fonte: Gazetaesportiva.net

Na tarde desta sexta-feira, o presidente Márcio Della Volpe anunciou em entrevista coletiva que o técnico Jorginho não permanece na Ponte Preta na temporada que vem. Sem acordo financeiro, o técnico deixa o clube reconhecendo os erros cometidos e agradecendo o carinho da torcida alvinegra.

“Sei que não conseguimos os dois objetivos maiores, o de permanecer na primeira divisão e o de ser campeão da Sul-Americana, mas sabemos que a Ponte não será mais a mesma. O clube alcançou um nível de reconhecimento e de respeito que todos hoje sabem quem é a Ponte Preta, até internacionalmente”, celebra Joginho, que admite a frustração por não ter conquistado os objetivos. “Fica a tristeza de não ter conseguido, pelo menos, deixar o time na primeira divisão, o que nós gostaríamos muito”, lamenta..

O técnico ainda explicou os motivos pelos quais não continua na Ponte Preta na próxima temporada. Segundo ele, a Macaca não seria capaz de manter os salários da comissão técnica no ano que vem, já que o clube disputará a Série B do Campeonato Brasileiro e, consequentemente, terá renda menor do que neste ano. “Infelizmente não conseguimos ter uma renovação. Nós nem chegamos a discutir  valores porque sabemos da realidade do ano que vem. A diretoria tem uma responsabilidade muito grande em relação às questões financeiras e sabia que não seria possível manter a condição de contrato que tem comigo e minha comissão técnica”, revelou.

Ao anunciar o fim do vínculo de Jorginho com a Ponte, o presidente Della Volpe se mostrou estar descontente com a situação, mas reconhece que, pelo bem dos cofres do clube, a permanência do treinador é inviável. “Só temos a agradecer o Jorginho. Ficamos muito tristes de ter que tomar essa decisão, mas a realidade financeira da Ponte exige isso. Espero que isso seja um até breve, para o Jorginho voltar assim que possível e retomar o trabalho dele”, torce o dirigente.

Por Cleber Aguiar – Kalil paga salários atrasados e se juntará ao Galo no Marrocos

Fonte: Gazetaesportiva.net

Wanderson Lima

0002048007786_img_thumb.jpg

Com o dinheiro da venda do meia-atacante Bernard preso na Fazenda Nacional, o Atlético-MG vinha encontrando problemas para pagar os salários dos jogadores, que estavam atrasados há quase dois meses. O presidente Alexandre Kalil, porém, conseguir quitar o débito com os atletas e vai seguir para Lisboa, em Portugal, para em seguida se juntar ao time do Galo, que vai disputar o Mundial de Clubes, no Marrocos.

“O presidente tinha de ficar aqui para pagar salário, colocar a folha em dia, que não estava e eu consegui colocar”, disse Kalil, em entrevista ao canal fechado Fox Sports.

O mandatário atleticano disse ainda que se sente orgulhoso de colocar o Galo na disputa para ser o melhor time do mundo, feito alcançado com a inédita conquista da Libertadores em 2013. Kalil, já pensa, inclusive, no bicampeonato da América.

“Vamos dormir em Lisboa e no domingo estaremos com o elenco, pensando no Mundial. Acho muito orgulho conseguir levar o Atlético-MG ao campeonato mais importante do mundo, me sinto muito orgulhoso, de estar de novo na Libertadores, mas se vier o bicampeonato vou ficar muito feliz”, declarou.

Por Cleber Aguiar – Raí recebe maior honraria francesa das mãos do presidente Hollande

Fonte: Gazetaesportiva.net

O ex-jogador Raí foi homenageado na última quinta-feira pelo governo francês devido aos serviços prestados no esporte e na cidadania, devido ao projeto social Fundação Gol de Letra. Em visita ao Brasil para compromissos oficiais, o presidente François Hollande entregou ao brasileiro o título Cavaleiro da Ordem da Legião da Honra, a maior honraria francesa.

Revelado nas categorias de base do Botafogo-SP, Raí ingressou no mundo do futebol com a benção do irmão mais velho Sócrates, ídolo do Corinthians. Em 1988, o meia-atacante foi contratado pelo São Paulo e construiu história vitoriosa com os títulos do Campeonato Brasileiro (1991), Copa Libertadores da América (1992 e 1993) e Mundial de Clubes (1992).

Divulgação

Raí recebeu das mãos de François Hollande o título de Cavaleiro da Ordem da Legião da Honra

Após o bicampeonato da Libertadores, Raí foi negociado com o Paris Saint-Germain e rapidamente se tornou um dos maiores jogadores da história do clube da capital francesa ao vencer um Campeonato Francês, duas Copas da França, uma Supercopa Francesa e uma Recopa Europeia.

Em suas duas últimas temporadas em Paris, Raí pôde reencontrar Leonardo, parceiro dos tempos de Morumbi. A dupla voltou a fazer sucesso em solo europeu e resolveu levar a parceria também para fora dos gramados com a Fundação Gol de Letra. O trabalho social, ao lado dos números expressivos no esporte, fez o governo francês condecorar o jogador aposentado desde 2000.

Por Cleber Aguiar – Lúcio fala pela primeira vez após afastamento: ‘Me senti humilhado’

Fonte: Globo.com

Desde julho sem treinar com o elenco do São Paulo, zagueiro fala do desconforto que sentiu. A entrevista completa será exibida neste domingo no Esporte Espetacular

Afastado pela diretoria do São Paulo desde julho, o zagueiro Lúcio, que já foi capitão da Seleção, nos anos de 2006 e 2010, topou uma entrevista exclusiva com o Esporte Espetacular, que será exibida no próximo domingo, dia 15 de dezembro. O repórter Régis Rösing, o cinegrafista Marcos Silva e a produtora Anelise Infante foram até a casa do jogador, em São Paulo, para saber o como ele está se sentindo nesse período conturbado de sua carreira, marcado por expulsões e afastamento. Em casa, um museu particular com medalhas, troféus e camisas, mostra o amor e a dedicação de anos ao futebol. Seis meses sem treinar com o elenco, ele diz como se sentiu.

Lúcio contou que me mantém contato com alguns amigos, como Ganso e Luis Fabiano. Segundo a direção do Tricolor, o jogador cometeu um ato de indisciplina e acabou barrado. Antes, ele já havia tido problemas com Ney Franco em virtude de uma substituição na derrota para o Arsenal, na Argentina, pela fase de grupos da Libertadores.

Desde então, o pentacampeão vinha treinando em horários alternativos. Se as atividades do grupo estivessem marcadas para a parte da tarde, ele teria de se apresentar pela manhã, por exemplo.

O presidente são-paulino Juvenal Juvêncio quer colocá-lo no mercado para ficar livre dos altos salários.  O zagueiro pentacampeão chegou ao clube paulista sem custos de rescisão de contrato. O problema é que o custo mensal do jogador é considerado muito alto pela diretoria tricolor: R$ 500 mil. Desse montante, o clube paga R$ 300 mil e um patrocinador arca com o restante, R$ 200 mil.

– Vou ver se empresto ou vendo o Lúcio – afirmou Juvenal em recente entrevista no CT do São Paulo.

Quer saber mais e ficar por dentro desse embrolho? Não perca, é domingo.

Por Cleber Aguiar – Por amor à Lusa, padeiros prometem boicotar patrocinadores da CBF

Fonte: Futebolinterior.com.br

A Portuguesa ganhou um forte aliado na luta para permanecer na elite do Campeonato Brasileiro. É que os donos de padaria de São Paulo estão ameaçando boicotar as empresas que patrocinam o Brasileirão, caso o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) confirme a queda da Lusa e a manutenção do Fluminense.

O presidente do Sindicato das Panificadoras de São Paulo (Sindipan), Antero José Pereira, confirmou que muito de seus filiados estão aderindo ao movimento. Como líder sindical, ele garantiu que não pode “embarcar na onda”, mas garantiu que como dono de padaria dará seu apoio.

Embora não possa apoiar publicamente o boicote que é arquitetado por seus filiados, o Sindipan não deixou de declarar seu apoio à Portuguesa. O órgão divulgou uma nota oficial à imprensa confirmando que é a favor da permanência do clube na elite nacional.

Caso aconteça mesmo o boicote, as principais empresas atingidas devem ser do ramo alimentício e de bebidas, que são ligadas diretamente a estabelecimentos como as padarias.

A decisão dos padeiros poderia causar um verdadeiro reboliço na Grande São Paulo. De acordo com dados do Sindipan, há cerca de 6 mil padarias na na região metropolitana de São Paulo, sendo que 70% pertence a portugueses ou descendentes.

Entenda o caso
Mesmo condenado a dois jogos de suspensão na última sexta-feira, o meia Héverton acabou entrando em campo para enfrentar o Grêmio no domingo, pela 38ª rodada do Brasileiro – ele cumpriu a automática diante da Ponte Preta, na 37ª. Com a escalação irregular, a Lusa corre o risco de perder quatro pontos no julgamento marcado para segunda-feira, o que provocaria seu rebaixamento para a Série B.

Além de tentar reverter a punição de Héverton, a diretoria da Lusa se defende alegando que o advogado contratado pelo clube neste julgamento do meia, Osvaldo Sestário, comunicou a punição de apenas um jogo. Assim, a Portuguesa não estaria sabendo que o jogador estava impossibilitado de atuar. Mas o advogado garante que deu a informação correta sobre a suspensão do atleta por duas partidas.