Por Cleber Aguiar – Técnico da Costa Rica diz não temer ‘grupo da morte’

Fonte: O Estado de São Paulo

Seleção enfrenta Uruguai, Inglaterra e Itália na primeira fase da Copa do Mundo de 2014

86014

COSTA DO SAUÍPE – A Costa Rica pode ser considerada a grande azarada do sorteio das chaves da Copa do Mundo de 2014, realizado nesta sexta-feira, na Costa do Sauipe (BA). Caiu no “grupo da morte”, junto com os campeões mundiais Uruguai, Itália e Inglaterra. Apesar disso, o técnico da seleção costa-riquenha, o colombiano Jorge Luis Pinto, disse não temer o gigantesco desafio que terá pela frente.

“Antes do sorteio, disse que não tinha medo de ninguém e agora ratifico isso. Não temos medo de ninguém”, afirmou Jorge Luis Pinto, após assistir ao sorteio dvesta sexta-feira, quando viu a sua seleção cair no grupo mais difícil do Mundial no Brasil. “Quanto mais bravo o touro, melhor é o percurso. Quero ver uma Costa Rica grande, com vontade de ganhar.”

Dizendo conhecer “perfeitamente” os três adversários, o treinador tentou mostrar otimismo diante da dificuldade do Grupo D. Mas, apesar disso, a Costa Rica ficou com o papel de mero coadjuvante numa chave tão forte, com mínimas chances de conseguir avançar para as oitavas de final e repetir sua melhor campanha em Mundial, em 1990 – também disputou as edições de 2002 e 2006.

Por Cleber Aguiar – Notícias da Copa 2014

Fonte: Gazetaesportiva.net

Djalma Vassão/Gazeta Press

Por Cleber Aguiar – Nike e Adidas também vão duelar durante Copa do Mundo no Brasil

Fonte: Portal IG

Enquanto times de futebol se enfrentarão nos jogos, as marcas disputam espaço entre as maiores do mundo

 

AP Photo/Alan Diaz

A Nike atualmente tem 14,6% do mercado de artigos esportivo, enquanto Adidas tem 11,4%

Enquanto times de futebol se enfrentarem na Copa do Mundo no Brasil em 2014, outra luta por supremacia ocorrerá entre Adidas e Nike, que duelam para ser a maior marca mundial de esportes.

A Nike atualmente tem 14,6% do mercado de artigos esportivo, enquanto Adidas tem 11,4% e está deixando o posto de primeiro colocado na Alemanha.

A Adidas detinha 13,2% do mercado de artigos esportivos da Europa Ocidental em 2012, ante 12,4% da Nike, segundo com dados do Euromonitor.

“A Adidas definitivamente está fazendo muitos esforços para recuperar mercado perdido, mas uma empresa como a Nike não ficará passiva”, disse Hans Allmendinger, diretor de marketing da varejista de esportes alemã Sport2000.

A Adidas tem há mais de 40 anos seu kit decorado de futebol e chuteiras com sua marca, além de parcerias fortes com o clube alemão Bayern Munich e com a Fifa. A empresa prevê vendas recordes no segmento de futebol em 2014, a € 2 bilhões, e prevê vendas do grupo de € 17 bilhões em 2015.

A americana Nike entrou no mercado de futebol apenas em 1994, mas já tem parcerias com clubes, incluindo o inglês Manchester United. Suas vendas em 2015 devem chegar a US$ 30 bilhões, sugerindo que a empresa espera resultados bons o suficiente na Copa para superar a concorrente alemã.

Por Cleber Aguiar – Adversários do Brasil falam em brigar pela segunda vaga no Grupo A

Fonte: O Estado de São Paulo

Técnicos da Croácia, México e Camarões já dão como certo a classificação do país-sede

SÃO PAULO – Se depender das declarações dos técnicos das seleções que vão enfrentar o Brasil na fase de grupos da Copa do Mundo, o time de Luiz Felipe Scolari já pode comemorar a classificação. Os técnicos de Camarões, Croácia e México acreditam que vão brigar para conquistar a segunda vaga do grupo, já que a primeira, na opinião deles, será do time brasileiro. Mas o técnico Luiz Felipe Scolari adota discurso político e não quer facilidades para zebra.

Técnicos das seleções do Grupo A - Arquivo/EFE
Arquivo/EFE
Técnicos das seleções do Grupo A

“A Croácia tem um futebol bonito, bem jogado. O Camarões já obteve algumas proezas em Copas. Já aprontou em outras épocas, principalmente contra grandes seleções. É um adversário com o qual a gente deve ficar muito atento”, disse o treinador brasileiro, que reconheceu também preocupação com os mexicanos. “É sempre um time difícil para nós.”

Logo após o sorteio, começou-se a projetar os confrontos das oitavas e viu que o Brasil pode enfrentar uma grande seleção, já que vai pegar o classificado do grupo que tem Espanha, Holanda, Chile e Austrália. Felipão disse não ligar para isso no momento. “Se pensarmos na segunda ou na terceira fase, deixamos de lado os oponentes da primeira fase, que são importantes. Não me preocupo com isso agora, pois quem se preocupa com segunda fase esquece a primeira. Primeiro vamos nos preocupar com esse grupo, depois vamos ver o que fazer.”

Já os adversários são só elogios ao time canarinho.  O técnico Niko Kovac disse que será “um grande prazer” fazer o jogo de abertura do Mundial diante dos donos da casa, dia 12 de junho, no Itaquerão. “Será um grande prazer para nós enfrentar o Brasil na Copa. É um sonho, o mundo todo vai estar olhando esse jogo, vamos ver o que acontece”, afirmou Kovac, após assistir ao sorteio realizado nesta sexta-feira na Costa do Sauipe (BA). “Somos um país pequeno e o Brasil é o favorito, mas vamos tentar fazer uma surpresa.”

Já o alemão Volker Finke, que dirige a seleção de Camarões, destacou que seu foco está em cima dos jogos contra Croácia e México. “Os dois jogos que são muito difíceis são contra Mexico e Croácia. Contra o Brasil não é do mesmo nível. É um jogo contra o grande favorito, que sabemos ser muito difícil superar”, analisou o treinador.

No México, o técnico Miguel Herrera se mostrou satisfeito com o resultado. “O grupo é difícil. São equipes fortes, sólidos, mas para o estilo mexicano é o melhor grupo que poderíamos ter pela frente. Quero pensar em fazer história”, afirmou Herrera. Em relação ao Brasil, o treinador destacou que sua equipe joga um futebol que, em sua opinião, incomoda a seleção anfitriã.

“O Brasil será um parâmetro para ver o que o México pretende na Copa. O México sempre é indigesto para o Brasil, é uma seleção que aperta e faz boas partidas contra eles e desta vez não será diferente”, comentou.

ICFUT – Todos atrás da deusa

Fonte: Folha Online

@xicosa

Xico Sá

343330-970x600-1

Amigo torcedor, amigo secador, o Brasil preocupado com quem iria pegar no sorteio das bolinhas e o mundo todo querendo pegar a Fernanda Lima. Os mais abusados eram os galãs de araque da Itália e os “boludos” argentinos, doce canalhice na bueníssima onda nas redes sociais mundo afora. Não passa nada. Que importa o futebol –ainda daqui a seis meses!– diante de uma mulher daquelas sob os coqueirais dos trópicos, meu caro Rodrigo Hilbert?

O Brasil saiu ganhando e perdendo ao mesmo tempo. Pegou baba no grupo, mas o mundo inteiro pegou, platonicamente, Fernanda Lima. Tudo bem, acontece, o amor platônico não passa de invenção greco-baiana, deixa quieto. E para curar o amor platônico, já dizia o poeta Eduardo Cac, só uma trepada homérica.

Até o uruguaio dom Alcides Ghiggia, com o charme que só carrascos ostentam, olvidou o passado, apagou a memória de 1950 por 5 minutos. “Gracias por el fuego”, parecia dizer o belo viejo, repetindo o título do livro do conterrâneo Mario Benedetti.

Todo grande homem suspende ou borra a existência por alumbramento diante de uma mulher extraordinária. Zidane idem, esqueceu a perversão de duas Copas (98 e 06) contra os brasileiros diante do “je ne sais quoi” da apresentadora. Nossa memória sempre depende de uma fêmea bonita na curva dos neurônios acinzentados.

Sou contra o pachequismo na bola, aquela coisa obsessiva da pátria em chuteiras etc, mas sou muito favorável ao samba-exaltação da mulher cá do nosso lado tropicaliente. Falava justamente do assunto ontem com o meu chapa Benito de Paula –agora chegou a vez vou cantar/mulher brasileira em primeiro lugar.

No que o bom Benito, pianinho, pianinho, citou também o ídolo comum Martinho da Vila. A brasileira de qualquer cor ou credo, magrinha ou farta –como aliás até aprecio mais–, do sul ou do norte, preta, branca, marrom, mestiça ou amarela, ruiva ou lindamente encardida, Gisele ou brejeira, a mulher, ponto, parágrafo, vixe, como amo.

Que Bruna Marquezine faça de Neymar Jr. o que Elza Soares, gênia-mor da raça, fez de Garrincha: campeão do mundo. Porque cada gol tem por trás o amor de véspera, querida Fernanda Lima. O balé do campo repete a coreografia da cama. Romário, meu peixe, que o diga. Não há futebol-arte sem gozo do mesmo naipe.

ICFUT – COPA DO MUNDO DA FIFA – BRASIL 2014

GRUPO A
A1 Brasil
A2 Croácia
A3 México
A4 Camarões

GRUPOB
B1 Espanha
B2 Holanda
B3 Chile
B4 Austrália

GRUPO C
C1 Colômbia
C2 Grécia
C3 Costa do Marfim
C4 Japão

GRUPO D
D1 Uruguai
D2 Costa Rica
D3 Inglaterra
D4 Itália

GRUPO E
E1 Suíça
E2 Equador
E3 França
E4 Honduras
GRUPO F
F1 Argentina
F2 Bósnia Herzegovina
F3 Irã
F4 Nigéria
GRUPO G
G1 Alemanha
G2 Portugal
G3 Gana
G4 Estados Unidos
GRUPO H
H1 Bélgica
H2 Argélia
H3 Rússia
H4 Coreia do Sul

copa-do-mundo-2014