Por Cleber Aguiar – Paulistas têm pior momento no Brasileiro desde 1988

Fonte: Folha de São Paulo

ALEX SABINO
LUIS COSENZO

Na última vez que os paulistas foram tão mal no Campeonato Brasileiro, Cilinho era técnico do São Paulo. Neto estava no Palmeiras e não havia sido contratado pelo Corinthians. O camisa 10 do Santos era o hoje esquecido Marco Antônio Cipó.

Isso era 1988. De lá para cá, sempre houve um paulista no G4 do Brasileiro. Até este ano.

Os dirigentes tentam encontrar explicações. Nem sempre aceitas por jogadores que passaram pelas quatro grandes equipes do estado.
“Santos e São Paulo fizeram contratações que não deram certo. O Corinthians se acomodou. Achou que poderia arrancar para o título quando quisesse”, acredita o comentarista Muller, do canal SporTV.

Como atacante, atuou por Corinthians, Palmeiras, São Paulo e Santos.

Ele faz parte de grupo em que também estão Antonio Carlos Zago, Neto e César Sampaio. Jogaram pelos quatro grandes do estado. Ouvidos pela Folha, adotaram tom de crítica.

“O Corinthians achou que ganhar o Mundial era o bastante. E como dizer que não era? Mas, ao mesmo tempo, era preciso ver que a equipe precisava de renovação. Tinha de trocar algumas peças”, disse Zago, ex-zagueiro e hoje auxiliar do Shakhtar Donetsk, da Ucrânia.

Editoria de Arte/Folhapress

A saída que restou para o futebol paulista ter um representante na Libertadores em 2014 é a Copa Sul-Americana. Uma competição que, até alguns anos atrás, era solenemente desprezada.

Ponte Preta e São Paulo decidem, amanhã, uma vaga na final. O campeão se garante no principal torneio continental no próximo ano. Em penúltimo no Campeonato Brasileiro, o time de Campinas está à beira do rebaixamento. Risco que ainda ronda a Portuguesa.

“Corinthians, Santos e São Paulo cometeram erros dos mais variados. Não dá para acreditar que o Pato não é titular do Corinthians, por exemplo”, defende Neto, hoje comentarista da Band.

BASE MONTADA

A defesa dos cartolas é o futuro. Eles falam em base formada para a próxima temporada. Ao mesmo tempo, reconhecem que algumas contratações não deram certo.
“Estamos pagando pelo primeiro semestre, que foi ruim. Algumas das nossas apostas não deram o resultado esperado”, afirma o vice de futebol do São Paulo, João Paulo de Jesus Lopes.

O Santos ainda tem uma explicação a mais: a venda de Neymar. “Mesmo assim, temos base montada para 2014. Este ano foi de transição”, defende o presidente santista, Odílio Rodrigues. Se vencer nas duas rodadas finais, a equipe pode terminar como o melhor paulista: em 6º.

Por Cleber Aguiar – Jogador morre durante partida na Jordânia

Fonte: Portal Band

Qusai Emad al-Khawalda engasgou com própria língua e faleceu em campo
Jogadores e trio de arbitragem tentaram reanimar Qusai, sem sucesso / AFP Jogadores e trio de arbitragem tentaram reanimar Qusai, sem sucesso AFP

O jogador iraniano Qusai Emad al-Khawalda, da equipe sub-20 do Al-Faisaly, da Jordânia, morreu durante jogo contra o Al-Jazeera, em Omã. Segundo Ihab al-Khalili, diretor do Al Faisaly, o jogador veio a óbito por falta de oxigênio após se engasgar com a própria língua.

Antes da chegada do socorro, que segundo o diretor do clube demorou muito para aparecer, os próprios colegas de time do jogador de 19 anos e o trio de arbitragem tentaram reanima-lo, mas não tiveram êxito

Há dois anos, o goleiro do Al-Faisaly, Zbin Al-Khawalda, que era primo de Qusai, morreu em um acidente de carro.

ICFUT – Musa gremista supera ‘bronca’ do pai para namorar Marcelo Moreno

Fonte: Globo.com

Há quase dois anos juntos, Marilisy Antonelli mora com o atacante no Rio de Janeiro e, com o futuro do jogador indefinido, afirma ir aonde o amado for

Por Jessica MelloRio de Janeiro

Marlisy Poeta namorada do Marcelo Moreno (Foto: Nelson Veiga / Globoesporte.com)

Dentro de um apartamento na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, a tatuagem no pé entrega: a paixão é pelo tricolor. Carioca? Nada. Aquele azul, preto e branco. Do Sul. Gaúcho. O amor tão forte, mostrado na própria pele, é pelo Grêmio. E é neste mesmo apartamento que o atacante Marcelo Moreno, do Flamengo, passa seus dias entre treinos, jogos e viagens. Erro? Coincidência? Coração dividido. É assim que Marilisy Antonelli, namorada do jogador, vive. Entre a torcida pelo time e a torcida pelo companheiro.

Por sorte – ou não -, as equipes não se encontraram na final da Copa do Brasil (os gaúchos acabaram eliminados pelo Atlético-PR nas semifinais). A representante do Grêmio no Musa do Brasileirão 2011 garante que “surtaria”. Algo que, assegura, já estava sentindo antes mesmo de se definirem os finalistas. O nervosismo entre as duas paixões tornou-se uma constante neste ano, quando Moreno chegou à Gávea emprestado. De jogador do seu time, passou a ser adversário. Foi o que Marilisy viveu no fim de agosto, quando as equipes se enfrentaram no Mané Garrincha, pela 16ª rodada do Brasileirão. Vitória por 1 a 0 do clube do coração. Derrota por 1 a 0 do clube do namorado.

– Fico muito dividida. Quero que o Marcelo vá bem, mas quero que o Grêmio ganhe também. É bem difícil. Talvez torça por empate sempre… O coração fica muito dividido mesmo – conta, em conversa com o GLOBOESPORTE.COM, apostando ainda com quase certeza na conquista do Flamengo da Copa do Brasil: – Eu quero o Grêmio na Libertadores. O Flamengo com certeza vai estar. Tenho certeza que o Fla vai conquistar a Copa do Brasil e o Grêmio vai continuar no G-4.

Marlisy Poeta namorada do Marcelo Moreno (Foto: Nelson Veiga / Globoesporte.com)

Pela 35ª rodada do Nacional, as equipes voltaram a duelar. Novamente, uma vitória gremista, por 2 a 1. Desta vez, porém, Marcelo não estava em campo. Ao lado da namorada, acompanhou a partida em um dos camarotes da Arena.

Agora, a indefinição norteia a vida do casal. Com um apartamento alugado e com vencimento para o fim de dezembro, não sabem se renovam, procuram um novo, ou se apenas o abandonam. Isso porque o contrato de empréstimo com o Flamengo vai até 31 de dezembro e o rubro-negro ainda não se posicionou sobre a permanência ou não do boliviano. O vínculo com o Grêmio se estende por mais dois anos, para onde o atacante pode retornar em 2014.

Não há, no entanto, nenhuma “preferência” por parte nem de Moreno nem de Marilisy. A loira, aliás, prefere não se estender no assunto, uma vez que diz respeito apenas ao atleta. Mesmo assim, admite que gostaria de vê-lo vestindo novamente a camisa do seu time.

– Eu prefiro o que ele quiser. É algo muito íntimo dele. Ele é feliz aqui. Nos receberam super bem. Realmente não sei o que ele pensa. Mas sou gremista e, claro, queria que ele voltasse – diz.

Contratado para ser artilheiro do Flamengo na temporada, Moreno até brilhou no começo da sua passagem pelo rubro-negro. Depois, porém, sofreu com lesões e convocações, que abriram espaço para Hernane reassumir seu posto na equipe – foi sacado do time mesmo após ser o goleador do Estadual. Agora, vê do banco de reservas as atuações de seus companheiros. Nem por isso Marilisy deixa de acompanhar o jogador. Vai a quase todas as partidas no Maracanã. E agradece o carinho que recebe por parte do torcedor.

Marlisy Poeta namorada do Marcelo Moreno (Foto: Nelson Veiga / Globoesporte.com)Marilisy namora há dois anos com Marcelo Moreno (Foto: Nelson Veiga / Globoesporte.com)

Carinho, aliás, que é tanto que chegam a confundí-la com outra mulher de flamenguista. No caso, Camila, esposa de Léo Moura. Fato que rende risadas à musa.

– Chego no Maracanã e pessoal pede até para tirar foto comigo. Alguns me confundem com a Camila, mulher do Léo Moura. Eu digo: ‘Gente, eu não sou a mulher do Léo Moura, eu sou a Marilisy’. E eles dizem: ‘Ai, a musa do Marcelo! Pode tirar uma foto aqui também’. Acho engraçado. É tipo, não tem tu, vai tu mesmo…  – ri.

O começo, há dois anos

De mera torcedora das arquibancadas, Marilisy tornou-se Musa do Grêmio. Foi eleita a mais bela e passou a representar o tricolor no concurso Musa do Brasileirão. Mesmo ao fim da competição de beleza, a jovem seguia sendo parte do clube. Participava de ações, de programas, concedia entrevistas… Foi em uma destas entrevistas que Moreno – apresentado no clube em dezembro de 2011 – avistou-a pela primeira vez. E encantou-se.

Começaram a se falar no próprio estádio Olímpico, estendendo a amizade para fora dos gramados. Somente depois é que iniciaram o romance. O tempo de relacionamento é quase uma incógnita. Nenhum dos dois contam as datas exatas. Mas há a garantia de que se passaram quase dois anos. O importante é a vida que passaram a ter juntos.

Em maio, o boliviano deixava Porto Alegre. Lá, ficava também Marilisy, que aguardou o fim do semestre para mudar-se ao Rio de Janeiro. O motivo? Finalizava o seu TCC em uma faculdade de Direito na capital. Um outro também a impediu de seguir rapidamente seus impulsos. A “bronca” do pai com o relacionamento com um jogador de futebol.

– A minha mãe sempre me apoiou bem, mas meu pai foi um pouco mais duro. Ele surtou quando soube que eu estava namorando um jogador de futebol. Ele me ligou, dizendo: ‘Não crio filha pra namorar jogador de futebol’. Disse que eu precisava ‘colocar a cabeça no lugar’, porque jogador de futebol tem aquela fama, né… Mas agora ele adora o Marcelo. Se dão super bem. Ele é muito diferente dos outros jogadores – revela.

Marlisy Poeta namorada do Marcelo Moreno (Foto: Nelson Veiga / Globoesporte.com)

Como é de costume entre as mulheres de jogadores, qualquer comentário ou imagem divulgada é motivo para ser chamada de “maria-chuteira”. Para Marilisy, a alcunha não a incomoda. Que a chamem. Sabe que, no fundo, não é.

– Nunca dei bola para o que as pessoas pensavam. Ninguém sabe o momento que estou vivendo, ninguém paga as minhas contas. O importante é quem me ama, minha família. O resto… As pessoas acham que vida de jogador é só glamour, que é status. E não é bem assim. Tudo o que eu tenho com o Marcelo, eu já tinha na minha família, nunca precisei nada dele – afirma.

Viver com um jogador ainda mudou a forma como enxerga o futebol. Passou a compreender o que se passa além das chuteiras. E de torcedora, passou a “psicóloga”. Citou até o exemplo de Alexandre Pato para mostrar como seu pensamento mudou. Após 180 minutos sem que Grêmio ou Corinthians balançassem as redes, uma das quartas de final da Copa do Brasil foi decidida nos pênaltis. Na última cobrança, o atacante chutou direto para as mãos de Dida, vendo o adversário se classificar.

– Depois que tu começa a te relacionares com um jogador, passa a entender que o jogo é muito mais do que aquilo que a gente vê em campo. Como quando o Pato errou aquele pênalti… Se fosse um jogador do meu time, ia querer matar. Mas, hoje, eu olho e penso: ‘tadinho’. Mas o povo pensa que ‘joga futebol todo dia’, ‘ganha um dinheirão’, então tem a obrigação de acertar. Imagina para o cara também? Treina todo dia e erra? É frustrante demais pra ele. Mudou muito minha concepção sobre futebol – analisa.

A carreira, o futuro…

Por ora, Marilisy não conta com outra preocupação que não seja cuidar de Marcelo Moreno. E de Valentino, o cachorro do casal. O pequeno pug, de cinco meses, foi comprado justamente para que a gaúcha não se sentisse sozinha longe de casa. Fora isso, as atividades são poucas. Idas ao supermercado, academia, praia… E estudos para a prova da OAB, que será realizada em dezembro.

Ainda não sabe se seguirá a carreira de Direito. Pensa em cursar outra faculdade. Talvez, Jornalismo. Mesclar os estudos com o retorno da modelagem, abandonada nos últimos meses. As decisões ficarão apenas para 2014.

Certeza, há apenas uma: a de que estará ao lado de Moreno aonde quer que ele vá. Seja Rio de Janeiro, Porto Alegre ou outra cidade.

– Acompanharei ele aonde for. Agora já foi, né… (risos) – brinca.

Mosaico Marilisy Antonelli, a namorada de Marcelo Moreno (Foto: Nelson Veiga)Marilisy Antonelli se divide entre Grêmio e Flamengo (Foto: Nelson Veiga)

Por Cleber Aguiar – Para Seedorf, Ganso ainda está um ‘pouco devagar’ para jogar na Europa

Fonte: Portal Sportv

Holandês elogia talento do meia do São Paulo, acredita que Zidane e
Pirlo são dois bons exemplos e aconselha mais passes de primeira

Aos 9 minutos do segundo tempo da partida entre São Paulo e Botafogo, pela 36ª rodada do Campeonato Brasileiro, Paulo Henrique Ganso fez um jogada genial. Deu um drible por entre as pernas de Julio Cesar e na sequência deu um leve toque, encobrindo o goleiro Jefferson. Quase marcou um golaço. Durante o programa “Bem, Amigos!”, Seedorf foi questionado se o meia são-paulino faria sucesso no futebol europeu. O holandês surpreendeu com a resposta (assista ao vídeo).

– Na Itália, ele não passa assim não. Porque não deixam, a marcação é diferente. Eu acho que o Ganso tem muito talento. Mas, para mim, anda um pouco devagar dentro do campo. E com esse ritmo, não vai dar na Europa. Com o talento que ele tem, se coloca um pouco mais de intensidade no jogo, com a condição que possui, aí sim será um jogador diferenciado – afirmou o meia holandês.

Felipe Massa e Seedorf Bem amigos (Foto: Felipe Siqueira)Seedorf esteve no “Bem, Amigos’ ao lado do piloto de Fórmula 1 Felipe Massa (Foto: Felipe Siqueira)

O comentarista Alberto Helena Júnior e o apresentador Galvão Bueno lembraram outros nomes do futebol europeu, como Pirlo e Zidane, fazendo alusão a um estilo parecido com o de Ganso, também mais cadenciado e que faça a bola rolar mais rápido. Mas o meia holandês discordou e destacou um maior dinamismo tanto Pirlo, ainda em atividade, como do francês Zidane, já aposentado.

– O Pirlo parece que não corre, mas corre. E depende da posição, o Pirlo joga mais atrás. Se o Ganso jogasse na frente da defesa, tudo bem. Mas ele joga mais adiantado. Na Europa, a marcação é muito forte nessa zona que o Paulo Henrique Ganso joga. Então ou fica mais dinâmico, ou fica mais difícil. Zidane não era lento, parece. Mas ele era muito dinâmico, o tempo todo. O controle de bola está sempre na aceleração. O Ganso para a bola, joga, para a bola. De vez em quando, ele faz jogadas de primeira que dá para ver todo o seu talento – avaliou.

Seedorf ainda fez questão de afirmar que essa opinião era uma espécie de conselho, revelando que na Itália existe uma admiração pelo futebol de Ganso.

– Falo isso porque já são anos que a gente fala dele na Itália. Temos muita admiração pelo talento que ele tem. E acho que ele também está precisando sair daqui – concluiu.