ICFUT – Manifesto de atletas pedirá exclusão de times que deverem salários

Fonte: uol

Primeira reunião presencial do Bom Senso F.C. foi realizada na última segunda-feira, em São Paulo

Primeira reunião presencial do Bom Senso F.C. foi realizada na última segunda-feira, em São Paulo

Depois da primeira reunião presencial, o Bom Senso F.C., grupo que reúne jogadores das duas primeiras divisões do futebol brasileiro, divulgou na última segunda-feira um documento com os cinco primeiros tópicos que o coletivo pretende discutir. Um desses assuntos já tem um desdobramento claro: em busca de práticas de fair play financeiro, os atletas pretendem exigir punições severas para times que tiverem dívidas salariais.

O Bom Senso F.C. foi lançado oficialmente na terça-feira da semana passada, quando 75 jogadores apresentaram um manifesto pedindo uma reunião com a CBF para discutir mudanças no futebol brasileiro. A primeira reunião aconteceu na última segunda, em São Paulo.

Depois do evento, os atletas apresentaram um plano de ação baseado em cinco tópicos: calendário, férias, pré-temporada, adoção de práticas de fair play financeiro e inclusão de jogadores em conselhos técnicos das entidades que regem o futebol.

Os três primeiros assuntos são reações do coletivo ao calendário proposto pela CBF para a temporada 2014 do futebol brasileiro. A entidade marcou o início dos Estaduais para o dia 11 de janeiro, o que obrigaria os jogadores a fracionarem férias e abdicarem da preparação no início do ano.

O primeiro foco do grupo de atletas, portanto, será uma extensa reforma no calendário. A Globo, detentora dos direitos de transmissão do futebol nacional, já sinalizou com mudanças na temporada 2015 – férias e pré-temporada de pelo menos 30 dias, por exemplo.

O assunto seguinte que os atletas pretendem atacar é a gestão. Antes da reunião de segunda-feira, os jogadores falavam em pleitear práticas de fair play financeiro, conceito difundido no futebol europeu.

A ideia inicial dos atletas era brigar por um modelo de fair play financeiro passivo (redução gradual da dívida dos clubes) ou ativo (os clubes projetariam no início do ano alguns aspectos do balanço, como gastos e custos, e teriam de cumprir esses limites). No entanto, esse espectro foi ampliado para incluir também a questão salarial.

Além do fair play financeiro, o que o grupo de jogadores pretende é exigir que os clubes cumpram obrigações salariais. Caso contrário, os atletas pleiteiam punições como multas e até a exclusão de campeonatos.

A proposta dos atletas coincide com um plano debatido fortemente na CBF desde o ano passado. A FPF (Federação Paulista de Futebol) também instituiu em 2012 uma punição para times que não pagarem salários (três pontos a menos por partida de atraso).

Ao colocar esse assunto no debate, os jogadores do Bom Senso F.C. querem mostrar que o movimento não é focado apenas nos atletas das primeiras divisões nacionais. O que os atletas pretendem não é apenas brigar por normas, mas criar mecanismos para que esses regulamentos sejam seguidos.

O Bom Senso F.C. deve encaminhar ainda nesta semana um ofício à CBF com pedido de reunião. A entidade, porém, ainda não se posicionou sobre a possibilidade.

ICFUT – LIGA DOS CAMPEÕES: Neymar joga bem e Barça vence o Celtic no sufoco

Fonte: futebolinterior

Sem Messi, o brasileiro chamou a responsabilidade e foi o destaque do jogo

Campinas, SP, 01 (AFI) – O Barcelona teve muita dificuldade, sentiu a falta de Messi, mas conseguiu vencer o Celtic por 1 a 0 nesta terça-feira, em Glasgow, na Escócia, pela segunda rodada do Grupo H da Liga dos Campeões da Europa. Sem o argentino, com uma lesão muscular na coxa direita, o time espanhol esbarrou na retranca adversária durante quase toda a partida, até que Fàbregas, aos 30 minutos do segundo tempo, marcou o gol da vitória.

A dificuldade diante do Celtic, no entanto, não é novidade para o Barcelona, que na temporada passada foi derrotado pelos escoceses quando atuou em Glasgow pela Liga dos Campeões, por 2 a 1. Desta vez, no entanto, Neymar ajudou o time espanhol, chamando o jogo e iniciando a jogada do gol. Foi nele, ainda, a agressão que resultou na expulsão de Brown, quando o jogo ainda estava em 0 a 0.

O resultado levou o Barcelona à liderança isolada da chave, com seis pontos. Isso porque o Milan, que também havia vencido na primeira rodada, ficou apenas no empate por 1 a 1 com o Ajax, na Holanda. Os dois gols foram marcados nos acréscimos do segundo tempo. Stefano Denswil abriu o placar e parecia dar a vitória aos holandeses, mas Balotelli, logo depois, garantiu a igualdade.

O jogo!
Em Glasgow, o Barcelona teve mais posse de bola desde o início, encurralando o Celtic, mas com muita dificuldade para criaroportunidades. Sem Messi, o time catalão parecia um pouco preso. Neymar, talvez sentindo a responsabilidade de ser o protagonista com a ausência do argentino, se escondia no canto esquerdo do campo e pouco pegava na bola.

Aos 16 minutos, o brasileiro até arriscou um chute de longe, no qual pegou mal e mandou à direita do goleiro, mas só a partir daí passou a incomodar mais. Aos poucos ele ganhou moral, passou a buscar o jogo no meio e se tornou o principal nome do Barcelona, que, ainda assim, pouco incomodava. A melhor chance do primeiro tempo aconteceria aos 40 minutos, quando Neymar finalizou cruzamento de Daniel Alves com perigo, mas foi na etapa final que o atacante brasileiro ajudou a definir a partida.

Depois de ser vaiado em duas oportunidades pela torcida por tentar cavar faltas, Neymar parece ter conseguido irritar o rival. Isso porque aos 13 minutos Brown fez falta nele e, não satisfeito, chutou seu braço no chão. Resultado: cartão vermelho para o volante escocês.

A expulsão fez o Celtic recuar ainda mais. Em alguns momentos era possível ver oito dos nove jogadores de linha do time escocês dentro da área defensiva. Isso fazia com que o Barcelona tivesse amplo domínio até a intermediária, mas na hora de criar as chances de gols os espanhóis esbarravam na muralha adversária.

Em sua única jogada forte, a bola aérea, o Celtic quase marcou em duas oportunidades. Aos 27 minutos, após cruzamento da esquerda, a bola sobrou com Forrest, que bateu para grande defesa de Valdés. Na cobrança de escanteio, Mulgrew aproveitou uma saída ruim do goleiro espanhol e cabeceou rente à trave.

Mas foi só um susto, e o Barcelona decidiria a vitória logo depois. Aos 30, Neymar lançou Alexis Sánchez, que havia acabado de entrar na vaga de Pedro. O chileno foi à linha de fundo e cruzou na cabeça de Fàbregas, que cabeceou cruzado, no contrapé de Forster. Ainda houve tempo para que o goleiro fizesse dois milagres, em finalizações de Sánchez e Neymar, impedindo o segundo.

Próximos jogos
Na próxima rodada, dia 22 de outubro, o Barcelona tentará manter os 100% de aproveitamento na Itália, diante do Milan, que busca chegar à ponta. Já Celtic e Ajax se enfrentam, na Escócia, tentando a sobrevivência na busca por uma vaga na próxima fase.

Confira os resultados da 2ª rodada
Zenit
0
x
0
Áustria Viena
Basel
0
x
1
Schalke 04
Steua Bucareste
0
x
4
Chelsea
Borussia Dortmund
3
x
0
Olympique de Marselha
Porto
1
x
2
Atlético de Madrid
Ajax
1
x
1
Milan
Celtic
0
x
1
Barcelona
Arsenal
2
x
0
Napoli
Próximos Jogos
Shakhtar Donetsk x Manchester United
02/10/2013 13:00
Bayer Leverkusen x Real Sociedad
02/10/2013 15:45
Juventus x Galatasaray
02/10/2013 15:45
Real Madrid x Copenhague
02/10/2013 15:45
PSG x Benfica
02/10/2013 15:45
Anderlecht x Olympiakos
02/10/2013 15:45
Manchester City x Bayern Munique
02/10/2013 15:45
CSKA Moscou x Viktoria Plzeň
02/10/2013 15:45

ICFUT–BRASILEIRÃO SÉRIE A: Jogos de ontem

Fonte: futebolinterior

Ponte Preta 1 x 2 Náutico

Macaca perde grandes oportunidades e vê adversário virar marcador

Campinas, SP, 01 (AFI) – Casa cheia, pressão, placarem vantagem. A Ponte Preta não conseguiu aproveitar os fatores favoráveis para conseguir se recuperar no Campeonato Brasileiro. Na noite desta terça-feira, na abertura da 25ª rodada, o time campineiro perdeu para o lanterna Náutico, por 2 a 1, de virada, no EstádioMoisés Lucarelli, em Campinas, e se complicou na classificação.

Com o resultado, a Ponte Preta perdeu oportunidade de colocar pressão nos times que estão fora da zona de rebaixamento e segue na vice-lanterna com 22 pontos. Já o Náutico venceu a segunda seguida pela primeira vez no Brasileirão e segue em último lugar com 17 pontos.

Os dois times fizeram uma grande partida, com boas alternativas dos dois lados, mas a Ponte Preta acabou pagando o preço pelos gols perdidos especialmente na primeira etapa. Veloz, o Náutico conseguiu se segurar praticamente durante toda partida e virou nos minutos finais

Foto: Rodrigo Villalba

O jogo
A presença de um público grande e a esperança por escapar da zona de rebaixamento motivaram a Ponte Preta a pressionar no começo da partida. Logo aos seis minutos veio a primeira chance em cobrança de falta de Adrianinho, que passou perto da trave de Ricardo Berna. A resposta do Náutico, no entanto, foi imediata.

No lance seguinte, Tiago Real recebeu dentro da área, limpou Sacoman e bateu cruzado, de perna esquerda. A bola atravessou uma floresta de pernas dos defensores da Ponte e obrigou Edson Bastos, que estava de volta ao time, a defender com a ponta dos dedos e evitar que o Timbu abrisse o palcar.

Com a marcação adiantada e botando pressão no meio-campo, a Macaca seguiu em cima do adversário, mas pecava nas finalizações, pois a maioria das jogadas acabavam com os volantes finalizando. Foi assim com Alef e Fellipe Bastos, que perderam boas chances para marcar.

No final do primeiro tempo, a Ponte voltou a pressionar e o goleiro Ricardo Berna apareceu. Em menos de um minuto, o camisa 1 do Timbu fez duas defesas. A primeira em cobrança de falta de Fellipe Bastos, em seguida em cabeçada de Rildo após cobrança de escanteio.

No último lance da primeira etapa, porém, veio o gol da Macaca. Uendel e Fellipe Bastos fizeram grande triangulação pelo lado esquerdo. O lateral recebeu livre e cruzou rasteiro para o artilheiro William, que antecipou João Felipe e abriu o placar aos 45 minutos.

Foto: Rodrigo Villalba

Segundo tempo
Na volta dos vestiários, o Náutico foi quem começou assustando. Baraka tentou recuar de cabeça para Edson Bastos, mas deu nos pés de Oliveira. O atacante, no entanto, bateu por cima do gol. Pelos lados da Macaca, Rildo foi quem tirou o time de trás.

O atacante estava inspirado, correndo e levando vantagem contra os zagueiros do Náutico. O atacante seguia errando na finalização. Foi assim quando deixou Elicarlos no chão, após drible, mas bateu forte por cima da meta, perdendo grande chance. Um gol do Náutico, que parecia ser difícil pelo volume de jogo apresentado pela Ponte, aconteceu.

Aos 35 minutos, Maikon Leite fez jogada pela direta e cruzou. A bola passou por Oliveira e sobrou para Hugo, que havia acabou de entrar, mandar para o gol. O atacante teve a chance da virada logo em seguida. Ele recebe cruzamento rasteiro, mas finalizou para fora, dentro da pequena área e com o goleiro Edson Bastos batido.

No final do jogo, a Ponte Preta aumentou a blitz. William teve a oportunidade de colocar os donos da casa na frente, mas errou o alvo. Mais uma vez o ditado "quem não faz, toma" se mostrou mais atual do que nunca. Em contra-ataque, Maikon Leite lançou Hugo, que bateu para boa defesa de Edson Bastos. No rebote, o próprio ML7 bateu de perna esquerda e calou o Majestoso.


Criciúma 1 x 1 Atlético-MG

Argel Fucks não estreou como queria no comando do Criciúma

Criciúma, SC, 25 (AFI) – Mesmo jogando com um jogador a mais desde os oito minutos do segundo tempo, o Criciúma, que contou com a estréia do técnico Argel Fucks, ficou apenas no empate em 1 a 1 com o Atlético-MG, em partida disputada na noite dessa quarta-feira no Heriberto Hülse, em Criciúma (SC). Os gols do jogo, válido pela 25ª rodada do Brasileirão 2013, foram anotados por Luan (Atlético-MG) e Lins (Criciúma).

Com o resultado, o Criciúma acumula seis jogos sem vencer (quatro derrotas e dois empates), permanecendo na zona de rebaixamento, em 17º, com 25 pontos. Já o Galo segue no meio da tabela, distante do G4 do Z4, figurando em oitavo, com 32 pontos.

A partida, válida pela 25ª rodada, foi antecipada para que, na semana que vem, quando será jogada esta rodada, o Atlético possa fazer o jogo atrasado do primeiro turno contra a Ponte Preta, em Belo Horizonte.

Desta forma, agora os mineiros têm 23 jogos (como a maioria dos clubes do Brasileirão) e o Criciúma tem 24. Por isso, o time catarinense só faz mais um jogo nos próximos 10 dias – contra o Flamengo, neste domingo, no Rio de Janeiro. O Atlético pega Santos (domingo), Ponte Preta (quinta) e Corinthians (domingo), na sequência, sempre em Belo Horizonte.

Primeiro tempo
Mesmo jogando fora, o Atlético-MG começa melhor. Aos 11, Marcos Rocha cruza bola da ponta direita. Helton Leite não segura a bola, que sobra nos pés de Tardelli. O atacante chuta e a bola bate em Tony, saindo pela linda de fundo, raspando a trave.

O Galo arrisca novamente aos 14. Luan recebe passe na intermediária e arrisca chute. A bola passa perto da trave, assustando o goleiro Helton Leite.

O jogo esfria, voltando a ter emoção somente aos 34. Marcos Rocha cobra escanteio da direita. Leonardo Silva sobe na primeira trave e cabeceia por cima.

De tanto insistir, o Galo abre o placar aos 41. Júnior César cruza bola da esquerda. Luan chega na segunda trave e cabeceia no canto direito de Helton Leite. 1 a 0.

Mas nem dá tempo de comemorar. No minuto seguinte, Marlon cruza bola da esquerda. Leonardo Silva corta mal e Lins acerta bela bicicleta, empatando para o Criciúma. 1 a 1.

Segundo tempo
O Atlético-MG fica com um a menos logo aos oito da etapa final. Lins é lançado na entrada da área. O atacante domina a bola. O goleiro Victor tenta interceptar, mas toca com a mão e é expulso. O reserva Giovanni entra no lugar de Diego Tardelli.

Aos 27, Fabinho lança Lins na grande área. O atacante recebe sozinho e arrisca. Giovanni se estica e faz grande defesa, mandando para escanteio impedindo a virada do Tigre.

Na cobrança de escanteio, a bola sobra para Wellington Paulista na pequena área. O atacante arrisca e Giovanni salva de novo.

O Galo quase vence no último minuto. Aos 46, Jô recebe passe na entrada da área, limpa a marcação e arrisca. A bola passa por cima do gol, dando números finais ao jogo. 1 a 1.

ICFUT – Com golaço e expulsão, Verdão vence o Oeste e volta a abrir 17 pontos do 5º

Fonte: lancenet

Leandro fez o gol e recebeu o vermelho na vitória do líder da Série B; time manteve os dez pontos de vantagem para a vice-líder Chapecoense e se aproxima do retorno para a elite

Oeste x Palmeiras (Foto: Celio Messias/ LANCE!Press)
Leandro comemora após marcar pelo Verdão (Foto: Celio Messias/LANCE!Press)

O Palmeiras deu um novo importante passo para voltar à Série A do Campeonato Brasileiro. Nesta terça-feira, em São José do Rio Preto, o Verdão enfrentou o Oeste e venceu por 2 a 0. Leandro foi um dos principais protagonistas do jogo, válido pela 26ª rodada da divisão de acesso: marcou um golaço no primeiro tempo e foi expulso no segundo, após receber dois amarelos – o goleiro Fernando Leal, na confusão, também levou o vermelho. Serginho fechou o placar.

Com o resultado, construído basicamente nos primeiros 15 minutos de partida – já que, após o gol, o Verdão passou a administrar a vantagem adquirida contra um rival que teve dificuldades para entrar na área -, o time de Gilson Kleina chegou aos 59 pontos. Na liderança, o Verdão segue com dez pontos mais do que a Chapecoense, vice-líder, e voltou a abrir 17 pontos para o quinto colocado, agora o Joinville.

Depois do seu 18º triunfo no Brasileiro, o Alviverde dará sequência à série de jogos fora da capital – contando este contra o Oeste, são seis longe do Pacaembu. No sábado, o time enfrentará o ABC-RN, em Natal, e depois terá uma sequência de dois jogos em Londrina (PR), onde mandará duas partidas após ser punido pela briga entre duas organizadas no jogo contra o Guaratinguetá. O Rubrão, por sua vez, pega o Boa-MG na sexta-feira.

O JOGO

De volta ao esquema com três volantes, o Palmeiras deixou Valdivia com total liberdade para se aproximar de Leandro, este mais pela esquerda, e Alan Kardec, centralizado, mas que também caía pelo lado direito para trabalhar com Wendel. O Oeste, por sua vez, iniciou no esquema com três zagueiros e se destacou por conta da pegada: com 15 segundos de jogo, Everton Dias foi advertido com o cartão amarelo após entrada no chileno no meio de campo.

Apesar do maior volume no campo de ataque, o time de Gilson Kleina demorou nove minutos para finalizar a primeira: após tiro de meta de Fernando Prass, Alan Kardec ganhou de dois marcadores e invadiu a área. O camisa 14, porém, chutou sem força, para a defesa sem rebote do goleiro Fernando Leal.

O lance iniciou a pressão alviverde sobre o Rubrão. Valdivia, em lance brigado com a marcação, obrigou o arqueiro rival a fazer importante defesa. Logo depois, Kardec de cabeça viu seu desvio passar muito perto da trave esquerda. O gol alviverde estava se aproximando. E saiu aos 15 minutos. Leandro fez a tabela com o Mago, que dividiu com a marcação e caiu dentro da área.

Enquanto tentava se levantar, o camisa 10 tocou com a mão na bola e deu um lindo passe para o atacante. Ele driblou Fernando Leal, passou por Eric e rolou com tranquilidade no canto direito para marcar um golaço e abrir o placar em São José do Rio Preto. Os jogadores do Oeste ainda reclamaram com a arbitragem, mas o juiz preferiu confirmar o lance.

Leandro comemora com Valdivia após abrir o placar (Foto: Célio Messias/LANCE!Press)

Como tem sido característica do Palmeiras nas últimas rodadas, o time diminuiu muito o ritmo e não incomodou o rival como nos primeiros 15 minutos. O Oeste, por sua vez, também era tímido para chegar. Wesley, de fora da área, acertou a trave aos 34, e o Verdão voltou a assustar apenas perto dos acréscimos: com pouco espaço, Valdivia chutou cruzado e a bola saiu muito perto do canto esquerdo.

Para o segundo tempo, Ivan Baitello tirou Piauí, que tinha tomado o amarelo, e escalou Arnaldo. A impressão era de que o time de Itápolis (SP) iria tentar pressionar mais o Palmeiras. Porém em contra-ataque aos quatro minutos, Valdivia deu bom passe para Wesley, que dominou e bateu no canto baixo, para a defesa de Fernando Leal.

A temperatura da partida começou a subir e Leandro foi o protagonista em dois lances ríspidos. No primeiro, ele acertou um chute no rival e recebeu o amarelo. Três minutos depois, o atacante chutou para o gol em lance já parado por impedimento e Fernando Leal foi para cima do jogador. O árbitro Marcelo Aparecido de Souza decidiu dar o segundo amarelo ao camisa 38 e expulsá-lo, junto do goleiro, que recebeu o vermelho direto.

Depois do entrevero, Gilson Kleina aproveitou para mexer no time e colocar Vinicius e Eguren no time. Serginho, aos 38, entrou no lugar de Alan Kardec, e vinha realizando jogo discreto. Aos 47 minutos, o atacante recebeu de Wesley e só teve o trabalho de tocar no canto esquerdo: 2 a 0 para o Verdão, cada vez mais próximo da primeira divisão.