Por Cleber Aguiar – NÁUTICO DESENCANTA E AGRAVA A CRISE DO CORITIBA NA ARENA PE: 3 A 0

Fonte: Globo.com

Alvirrubro volta a vencer e foge da pior sequência da era dos pontos corridos na Série A do Campeonato Brasileiro

Há exatos dois meses, em 28 julho, o Náutico atropelou o Internacional na Arena Pernambuco por 3 a 0. Desde então, amargou 14 rodadas de jejum. Faltou um jogo para igualar a maior sequência sem vitória da era dos pontos corridos na Série A. Neste sábado, o Timbu voltou a se inspirar. A vitória por 3 a 0 sobre o Coritiba mostrou quanto o técnico Marcelo Martelotte tem feito bem ao Alvirrubro – foi a segunda partida sob o seu comando. E agravou a crise do Coxa, agora há cinco rodadas sem vencer no Brasileirão e cada vez mais longe do G-4. Após a partida, o presidente do Coritiba, Vilson Ribeiro de Andrade, descartou a contratação do técnico Caio Junior. Segundo ele, as exigências do treinador de levar sua comissão técnica impediram a negociação.

Maikon Leite voltou a brilhar, com dois gols e uma bela atuação. Dadá marcou o outro. Maikon também havia balançado a rede naquela vitória sobre o Internacional e, na última quarta-feira, quando o Timbu fez boa apresentação no empate com o Santos, em 1 a 1, na Vila Belmiro. Com o resultado, o time pernambucano chegou aos 14 pontos, ainda afundado na lanterna e longe de sonhar com uma saída da zona de rebaixamento. O Coxa aparece em 13º lugar, com 31 pontos, cada vez mais distante do G-4.

Náutico x Coritiba (Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco Press)Olivera comemora o primeiro gol alvirrubro na Arena Pernambuco (Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco Press)

Na próxima rodada, o Náutico encara a Ponte Preta, nesta terça-feira, no Moisés Lucarelli, enquanto o Coritiba recebe o Flamengo, quarta, no Couto Pereira. Até lá, o Coxa deve anunciar o nome do novo treinador. Neste sábado, o interino Marcelo Serrano assumiu a vaga deixada por Marquinhos Santos, demitido após a derrota para o Ituagüí, dentro de casa, pela Copa Sul-Americana.

Superioridade alvirrubra

Ao fim do primeiro tempo, a sensação para o torcedor alvirrubro foi a mesma do jogo de quarta-feira, na Vila Belmiro: o empate deixou um gostinho de lamentação. Maikon Leite, destaque individual do primeiro tempo, voltou a dar as cartas no setor ofensivo.

Foram quatro boas defesas de Vaná, duas delas em finalizações de Maikon Leite, aos 18 e aos 32 minutos. Aos sete, Dadá obrigou o arqueiro do Coxa a se esticar todo para desviar a bola. Os números mentiram. Pelo menos o percentual de posse de bola –  59% contra 41% a favor do Coritiba – não traduziu o que se viu dentro de campo.

As ações ofensivas do Coxa se resumiram a dois chutes perigosos do apagado Alex. O primeiro logo aos cinco minutos. O segundo, mais perigoso, aos 41, exigindo boa defesa de Gideão. Entre uma finalização e outra ele não conseguiu ser aquele maestro a ditar o ritmo de sua equipe. Inofensivo no ataque e vulnerável na defesa, o Coxa aceitou a postura mais impetuosa do adversário.

Enfim, bola na rede

A primeira medida de Martelotte no intervalo foi abrir mão de uma aposta. Saiu o garoto João Paulo, de apenas 17 anos, e entrou o experiente Olivera. Jogador de área, o uruguaio vinha sendo subutilizado há varias rodadas, esquecido na reserva. Bastaram cinco minutos em campo para mostrar por que merece mais chances no time. Numa bola levantada por Tiago Real, o uruguaio subiu no meio da área do Coxa e testou firme para ras redes. Náutico 1 a 0.

O gol fez justiça à maior iniciativa do Timbu desde os primeiros minutos de jogo. Depois dele, narturalmente, o Coxa passou a tentar agredir mais. Aos 15, porém, Escudero recebeu o segundo cartão amarelo por uma entrada forte em Martinez no meio do campo e foi expulso. Com um a menos, a situação ficou ainda mais difícil para o Coritiba. O interino Marcelo Serrano mexeu três vezes. Saíram Bottinelli, Vitor Junior e Bill para as entradas de Dudu Figueiredo, Lincoln e Emerson Santos, respectivamente.

Náutico x Coritiba (Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco Press)Maikon Leite voltou a fazer a diferença, desta vez com dois gols (Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco Press)

Aos 25, Alex deixou Robinho cara a cara com Gideão. Foi a melhor chance desperdiçada pelo time paranaense. Crucial. Porque seis minutos depois, Maikon Leite tratou de ampliar a vantagem alvirrubra. Após passe de Dadá, ele deu um toque sutil na saída do goleiro.

No fim, Morales, que substituiu Tiago Real, quase marcou um golaço e ainda ajudou a fechar o placar. No primeiro lance, deu um drible dentro da área e deixou o adversário sentado no chão. Minutos depois, pela esquerda, passou por dois adversários e tocou para Maikon Leite pegar de primeira e marcar o terceiro do Timbu. A torcida alvirrubra voltou a festejar. Estava quebrada uma das sequências mais negativas da história do Clube Náutico Capibaribe.

Por Cleber Aguiar – De virada, Fluminense vence Goiás no Serra Dourada e encosta no G-4

Fonte: Gazetaesportiva.net

Em uma das partidas que abriram a 24ª rodada do Campeonato Brasileiro, o Fluminense conquistou a virada sobre o Goiás no Serra Dourada, com gols de Jean e Rafael Sobis, chegou à sétima partida sem perder e se aproximou do G-4.

A abertura do placar aconteceu aos 29 minutos da primeira etapa, com um gol de William Matheus. O Flu marcou aos sete e aos 39 do segundo tempo, respectivamente com Jean e Rafael Sobis.

A sequência de jogos sem perder do Fluminense aumentou para sete. Já o Goiás viu o fim de sua Com o resultado, o Fluminense chegou aos 33 pontos e ultrapassou o Goiás, que tem a mesma pontuação, mas menos vitórias. O Tricolor agora está em sexto lugar, a seis pontos do Grêmio, quarto colocado, enquanto o Goiás permaneceu na oitava posição.

O Goiás volta a campo na próxima quarta-feira, quando enfrenta o Vitória, no Barradão. No mesmo dia, o Fluminense fará clássico carioca contra o Botafogo, no Maracanã. O primeiro tempo foi marcado pela criatividade quase nula, de ambos os times. O Fluminense criou a primeira situação de perigo aos 17 minutos, quando Biro Biro aplicou um chapéu em Yuri e sofreu falta. Na cobrança, Rafael Sobis acertou a barreira.

O jogo – A primeira chance clara de gol foi apenas aos 29 minutos da primeira etapa. Dudu Cearense deu lindo passe para Roni, que girou sobre a marcação de Edinho e chutou de esquerda. Diego Cavalieri saiu do gol para abafar o atacante esmeraldino e salvou o Fluminense.

Em jogada que começou nos pés de Walter, o Esmeraldino abriu o placar. O centroavante errou o chute e acabou dando um cruzamento para a área. William Matheus desviou de cabeça, Roni ganhou a disputa com a zaga do Fluminense e William Matheus, de primeira, mandou no canto esquerda de Diego Cavalieri.

O Fluminense voltou mais ofensivo para o segundo tempo. No intervalo, Vanderlei Luxemburgo promoveu as entradas de Igor Julião e Eduardo, nas vagas de Bruno e Diguinho. E, aos sete minutos, a pressão inicial do Flu resultou no gol do empate. Rhayner avançou pela direita e cruzou para Sobis, que não conseguiu o domínio. Chegando de trás, Jean chutou para o gol e viu a bola bater na trave direita e nas costas de Renan antes de entrar.

Aos 32 minutos, o Goiás tentou de longe o gol da vitória, Eduardo Sasha avançou pelo meio e acertou um forte chute, obrigando Cavalieri a mandar a bola para escanteio. Dois minutos depois, Rafael Sobis recebeu na ponta direita da grande área e arriscou, levando perigo ao gol defendido por Renan.

O segundo gol do Flu saiu em rápida jogada de contra-ataque. Felipe lançou Biro Biro na esquerda, o jovem atacante tricolor avançou até o fundo e cruzou rasteiro para Rafael Sobis, que, livre de marcação, só precisou empurrar a bola para o fundo das redes.

Por Cleber Aguiar – Botafogo 0 x 1 Ponte Preta – A primeira vez a gente nunca esquece!

Fonte: Futebolinterior.com.br

A vitória dá moral para o time campineiro na luta contra degola e deixa o Cruzeiro mais perto da taça

Três dias após fazer seu primeiro jogo internacional em uma competição oficial, a Ponte Preta voltou a encerrar um tabu. Em um jogo em que foi quase perfeita na defesa, a Macaca conquistou sua primeira vitória na história no Maracanã, ao bater o Botafogo, por 1 a 0, na noite deste sábado. O duelo foi válido pela 24ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Esta foi a primeira vez que o time campineiro conseguiu uma vitória no Templo do Futebol. Até então, a Ponte havia realizado 16 partidas no local, com sete empates e nove derrotas. Na quarta, o time já havia conquistado um feito, ao disputar o primeiro jogo internacional contra o Deportivo Pasto-COL (2 x 0).

A vitória também confirma a boa fase vivida pela Macaca, sob o comando do técnico Jorginho. Nas últimas partidas, foram três vitórias, um empate e uma derrota, em jogo em que atuou de igual para igual contra o Atlético-PR. Agora, o time pontepretano chega aos 22 pontos, ainda na penúltima posição, mas a cinco de Flamengo e São Paulo, os primeiros fora da degola.

Por outro lado, o Fogão confirmou seu declínio, após a derrota para o líder Cruzeiro, por 3 a 0. Desde então, o time carioca acumulou duas derrotas no Maraca para o Bahia, por 2 a 1, e agora para a Ponte. Resultado que o mantém no segundo lugar, com 42 pontos, mas com a possibilidade de ver a Raposa abrir 11 pontos de diferença neste domingo.

Surpresa, Fogão! Como era de se esperar, o Botafogo começou a partida partindo para o ataque, enquanto a Ponte apostou em uma marcação no campo defensivo. Mesmo com o domínio territorial e a maior posse de bola, o time carioca encontrou muitas dificuldades para penetrar a área.

Em uma das raras oportunidades que isso aconteceu, aos 14 minutos, os próprios jogadores botafoguenses não se entenderam. O atacantre Hyuri cruzou pelo lado direito e o meia Lodeiro desviou de letra. A bola ia em direção ao gol, mas acabou pegando no atacante Rafael Marques.

A estratégia cautelosa da Macaca começou a surtir efeito com o passar do tempo. Primeiro, porque o Fogão não conseguia chegar com perigo. Segundo, porque os donos da casa começaram a se abrir em demasia e os campineiros passaram a encaixar contra-ataques.

Até que aos 40 minutos, em um desses contragolpes saiu a Ponte conseguiu um pênalti. O atacante Adaílton lançou para o lateral Artur, que acabou derrubado pelo lateral Lima na área. Na cobrança, aos 42, o meia Elias soltou uma bomba e a bola passou por baixo do goleiro Jefferson.

Segura, Ponte! Se com o empate, a Ponte já jogou na defesa, com a vitória parcial nas mãos, o time ficou ainda mais retrancado. E, desta, vez o problema é que o clube paulista praticamente abandonou até mesmo os contra-ataques. Então, o que se viu foi algo parecido com um treino de ataque contra defesa.

A sorte dos visitantes é que o Botafogo, definitivamente, não parecia estar no seu dia. A começar pelo craque do time, o holandês Seedorf, que teve atuação discreta. Mesmo com dificuldades, os carioca quase marcaram aos 24 minutos. O atacante Henrique recebeu na direita, girou e bateu cruzado para defesa espetacular de Roberto.

O jogo prosseguiu pelos minutos seguintes com o domínio botafoguense, mas a defesa pontepretana continuou a afastando praticamente tudo. Aos 48, o Bota ainda teve a grande chance de empatar. Após bola cruzada, o atacante Alex pegou de virada, na pequena área, mas mandou por cima do gol.

Próximos jogos Na próxima terça-feira, às 19h30, a Ponte Preta volta a campo para o duelo de lanternas contra o Náutico, no Estádio Moisés Lucarelli, em Campinas. Enquanto isso, o Botafogo fará o clássico contra o Fluminense, na quarta-feira, às 21 horas, no mesmo Maracanã.

ICFUT – CAMPEONATO BRASILEIRO 2013 – SÉRIE B

Figueirense 2 x 1 Ceará – Série B Brasileiro 2013
Paysandu 2 x 1 Chapecoense – Série B Brasileiro 2013
Joinville 1×1 Guaratinguetá – SÉRIE B – 2013
São Caetano 2×2 Oeste – SÉRIE B – 2013
América-MG 0 x 0 Avaí – Brasileirão Série B
BRAGANTINO 1 X 2 SPORT – BRASILEIRÃO SERIE B
Palmeiras 0 x 0 América-RN – Brasileirão Série B
Icasa 0 x 0 Atlético-GO – Brasileirão Série B
ABC 3X1 BOA ESPORTE 2013
ASA 1 x 4 Paraná – Brasileirão Série B

LINK 1 – JOGOS  AO VIVO – CLIQUE AQUI !

LINK 2 – JOGOS AO VIVO– CLIQUE AQUI !

Clube PG J V E D GP GC SG A%
Palmeiras-SP 56 25 17 5 3 49 20 29 74,7
Chapecoense-SC 46 24 14 4 6 44 24 20 63,9
Paraná-PR 45 25 13 6 6 42 20 22 60,0
Joinville-SC 42 25 12 6 7 40 26 14 56,0
Sport-PE 40 25 13 1 11 40 40 0 53,3
Icasa-CE 39 25 12 3 10 38 42 -4 52,0
Avaí-SC 38 25 10 8 7 36 32 4 50,7
América-MG 36 25 9 9 7 36 33 3 48,0
Figueirense-SC 35 24 11 2 11 41 38 3 48,6
10º
Ceará-CE 35 25 9 8 8 37 31 6 46,7
11º
Boa Esporte-MG 35 25 9 8 8 23 28 -5 46,7
12º
Bragantino-SP 33 25 9 6 10 24 25 -1 44,0
13º
Guaratinguetá-SP 31 25 9 4 12 27 34 -7 41,3
14º
Oeste-SP 31 25 8 7 10 26 37 -11 41,3
15º
Paysandu-PA 27 25 7 6 12 27 37 -10 36,0
16º
América-RN 27 25 6 9 10 27 36 -9 36,0
17º
Atlético-GO 26 25 7 5 13 23 33 -10 34,7
18º
São Caetano-SP 24 25 6 6 13 31 38 -7 32,0
19º
ASA-AL 23 25 7 2 16 27 47 -20 30,7
20º
ABC-RN 23 25 6 5 14 25 42 -17 30,7

22 GOLS Chapecoense – Bruno Rangel

13 GOLS Joinville – Lima

12 GOLS Ceará – Magno Alves Sport – Marcos Aurélio

25ª RODADA
24/09 – 19h30 Figueirense-SC 2 x 1 Ceará-CE
24/09 – 19h30 Paysandu-PA 2 x 1 Chapecoense-SC
27/09 – 19h30 Joinville-SC 1 x 1 Guaratinguetá-SP
27/09 – 19h30 São Caetano-SP 2 x 2 Oeste-SP
28/09 – 16h20 Icasa-CE 0 x 0 Atlético-GO
28/09 – 16h20 América-MG 0 x 0 Avaí-SC
28/09 – 16h20 Bragantino-SP 1 x 2 Sport-PE
28/09 – 16h20 Palmeiras-SP 0 x 0 América-RN
28/09 – 21h00 ASA-AL 1 x 4 Paraná-PR
28/09 – 21h00 ABC-RN 3 x 1 Boa Esporte-MG
26ª RODADA
01/10 – 19h30 Atlético-GO x ABC-RN
01/10 – 19h30 Ceará-CE x Icasa-CE
01/10 – 19h30 Guaratinguetá-SP x Paysandu-PA
01/10 – 19h30 Sport-PE x Joinville-SC
01/10 – 19h30 Chapecoense-SC x ASA-AL
01/10 – 21h50 Oeste-SP x Palmeiras-SP
01/10 – 21h50 Boa Esporte-MG x Figueirense-SC
01/10 – 21h50 América-RN x Bragantino-SP
01/10 – 21h50 Avaí-SC x São Caetano-SP
01/10 – 21h50 Paraná-PR x América-MG