ICFUT – OS CAMPEÕES DE PÚBLICO DO 1º TURNO DO BRASILEIRÃO

Fonte: futirinhas

MEDIA-1-TURNO-BRASILEIRAO

O Corinthians é o dono do melhor público do Campeonato Brasileiro até o momento. Faltando apenas três partidas para contabilizar o término do turno do torneio, os paulistas lideram com 29.089 e uma taxa de ocupação média de 72%.

Em segundo aparece o Flamengo, com média de 24.973 pessoas por jogo. No entanto, a taxa de ocupação média do clube é baixa, com apenas 38%.

Fechando o G3 está o Cruzeiro, líder do Brasileiro, com média de 21.374 pessoas por jogo. e ocupação média de 50%.

A pior média do Campeonato Brasileiro pertence à Portuguesa. Nesse primeiro turno, o clube levou, em média, 2.849 pessoas por jogo ao estádio. Trata-se de uma ocupação média de apenas 14%.

O Inter, apesar de ter um dos piores públicos do campeonato, 6.270 por jogo, tem uma das taxa de ocupação mais alta: 67%. Isso é reflexo do estádio de Novo Hamburgo, que tem uma capacidade pequena.

Veja quais os públicos das equipes no primeiro turno do nacional:

1° – Corinthians – 29.089

2° – Flamengo – 24.973

3° – Cruzeiro – 21.374

4° – Grêmio – 21.010

5° – São Paulo – 18.460

6° – Vasco – 16.357

7° – Coritiba – 16.098

8° – Bahia – 14.480

9° – Náutico – 13.838

10° – Goiás – 13.308

11° – Santos – 13.187

12° – Fluminense – 12.684

13° – Criciúma – 11.427

14° – Vitória – 11.264

15° – Botafogo – 10.690

16° – Atlético-MG – 9.344

17° – Atlético-PR – 8.605

18° – Internacional – 6.270

19° – Ponte Preta – 4.737

20° – Portuguesa – 2.849

ICFUT – Marcos Assunção recebe aumento salarial sem jogar e gera protesto no Santos

Fonte: uol

Volante completa oito meses de clube e só defendeu o time em dez oportunidades

Volante completa oito meses de clube e só defendeu o time em dez oportunidades

O volante Marcos Assunção completa oito meses de clube nesta semana. Nesse período, o atleta de 37 anos só atuou dez partidas e não marcou nenhum gol. A contratação do veterano lidera a lista de protestos de torcedores, conselheiros e até dirigentes do Santos. Isso porque o custo para manter o jogador não é baixo.

Assunção tem um dos salários mais altos do elenco. Além disso, o UOL Esporte apurou que o contrato firmado entre o volante e a diretoria santista previa um reajuste de 10% do final do mês passado, o que foi concedido ao atleta mesmo com as poucas atuações com a camisa alvinegra.

O conselheiro Celso Leite, um dos mais influentes do clube, pediu licença do Conselho Deliberativo do Santos até o dia 1º de janeiro de 2014. A iniciativa, que conta com o apoio de outros conselheiros, é uma forma de protesto contra a diretoria santista. Leite, inclusive, faz questão de dizer que a contratação de Assunção é um dos motivos de seu protesto.

"O responsável pela contratação deveria ser expulso do quadro associativo do Santos e ainda devolver o montante para o clube. Ele (Assunção) está recebendo seus trocos, sem  fazer questão de jogar. Esse camarada que deu o aval para a contratação, independente de quem seja: presidente, vice, integrante do Comitê Gestor, deveria ser expulso do clube. Esse é um dos motivos que eu pedi o afastamento do conselho", afirmou Celso Leite.

O contrato de Marcos Assunção também já gerou muitas discussões entre os integrantes do Comitê Gestor do Santos. No entanto, os dirigentes que ‘brigaram’ pela contratação do atleta no início do ano, alegam que o volante estava valorizado devido a sua boa passagem pelo Palmeiras nos últimos anos.

Por conta disso, Assunção recusou um contrato de produtividade e conseguiu um dos ordenados mais altos do elenco. O pedido inicial do atleta era ainda maior, mas ele aceitou reduzir o valor, desde que o acréscimo de 10% no inicio do segundo semestre fosse firmado em contrato.

Apesar de ter sido preterido por Muricy Ramalho no primeiro semestre e ter recebido poucas oportunidades com Claudinei Oliveira, o grande problema de Assunção foi o excesso de lesões. Atualmente, o veterano realiza trabalho de fisioterapia no Cepraf (Centro de Excelência na Preparação dos Atletas de Futebol), já que sofre com dores no joelho esquerdo.

O UOL Esporte entrou em contato com a diretoria do Santos nesta terça-feira para esclarecer o assunto, mas não teve suas ligações atendidas.

Por Cleber Aguiar – Aranha salva, Santos decide na bola parada e surpreende Inter no Vale

Fonte: Globo.com

Peixe supera Colorado por 2 a 1 em partida atrasada da 10º rodada. Thiago Ribeiro e Renato Abreu marcam, enquanto D’Ale desconta de pênalti
DESTAQUES DO JOGO

deu errado

Jackson

O zagueiro foi a novidade do Inter, improvisado na lateral direita. Mas teve dificuldades. Cícero cabeceou entre ele e Damião no lance que culminou no gol de Thiago Ribeiro.

nome do jogo

Aranha

O goleiro do Santos evitou que o Inter conseguisse o resultado positivo. Salvou pelo menos três lances decisivos. Com vantagem no placar, ainda fez cera para confirmar a vitória.

estrela

Claudinei

O técnico foi forçado a fazer duas mudanças no primeiro tempo. Mas no segundo, o técnico do Peixe teve estrela. Colocou Renato, que marcou de falta em seu primeiro lance.

A CRÔNICA

A chance crucial de crescer na tabela e estabelecer o bom momento no Brasileirão. Foi com esse cenário que Inter e Santos se enfrentaram na noite desta terça-feira, no Estádio do Vale. Em jogo atrasado ainda da décima rodada do Brasileirão, melhor para Aranha. Ou melhor, para o Peixe. Com excelente atuação, o goleiro mostrou reflexos apurados para garantir a vitória por 2 a 1 em território gaúcho.

O Peixe cavou a vitória em dois lances de bola parada. Primeiro, com Thiago Ribeiro, ao aproveitar desvio de Cícero após cobrança de escanteio. Depois, Renato Abreu, bateu falta de longe e contou com desvio na barreira para vencer o goleiro Alisson. E o Aranha? Pode-se dizer que o goleiro santista fez o seu serviço. Fechou o gol. Só não conseguiu evitar a boa cobrança de pênalti de D’Alessandro. Antes do término da partida, aos 42, o colorado Fabrício ainda foi expulso, deixando o campo sob vaias da torcida.

Com o resultado, o Santos subiu para a sétima colocação, com 28 pontos. Com uma rodada ainda a menos (o jogo contra o Náutico, válido pela 11ª rodada ocorrerá no dia 25 de setembro), ainda tem a chance de saltar para a quinta colocação, em caso de nova vitória. Já o Inter encerra o primeiro turno com 30 pontos, na sexta colocação.

As duas equipes voltam a jogar pelo Brasileirão nesta quinta-feira. O Inter recebe o Vitória, às 19h30, também no Estádio do Vale, em Novo Hamburgo. Já o Peixe, às 21h, joga com o Flamengo no Maracanã.
Thiago Ribeiro gol Santos x Internacional (Foto: Nabor Goulart / Agência Estado)Thiago Ribeiro abre o placar para o Santos (Foto: Nabor Goulart / Agência Estado)

Santos aproveita erros do Inter

O jogo começou aberto. Logo aos 2 minutos, o Santos já mostrava estar ligado na partida. Leandrinho cruzou da direita, Juan não conseguiu afastar e Giva, dentro da área, chutou. Alan deu um carrinho e evitou que a bola chegasse até Alisson. Aos 13, os hermanos colorados perderam a oportunidade de abrir o placar. Scocco aproveitou bobeada de Cícero na intermediária e chutou de fora da área. A bola bateu na defesa. O rebote ficou com D’Alessandro, que buscou o canto direito de Aranha, mas viu a bola saiu pela linha de fundo.

Aos poucos, o Peixe neutralizou os avanços colorados. Damião e D’Alessandro eram vigiados. Sem conseguir aproveitar na frente, o Inter acabou vitimado atrás. Aos 27 minutos, Leandrinho bateu escanteio da direita. Mesmo entre Damião e Jackson, Cícero desviou de cabeça para o segundo poste. Lá estava Thiago Ribeiro que, foi mais rápido do que Ygor e mandou para as redes. Se tinha a vantagem no escore, Claudinei Oliveira convivia com as mudanças forçadas. Alan Santos e Giva precisaram sair, entrando Renê Júnior e Everton Costa.

Aos 36, Otávio se desvencilhou de dois marcadores e tocou para o argentino que, da entrada da área, chutou próximo ao travessão. O fim do primeiro tempo quase foi ainda melhor para o Peixe. Aos 44, Cícero recebeu passe de Everton Costa no meio-campo. Sem marcação, avançou com a bola até a intermediária, quando chutou rasteiro, à esquerda de Alisson.

Renato Abreu decide

Com vantagem no placar, o Santos voltou para o segundo tempo fechado atrás. Esperava o Inter errar o passe e saía em velocidade. A tática era efetiva. Sem incomodar os visitantes, Dunga resolveu mudar. Caio e Alex entraram nas vagas de Scocco e Jackson, respectivamente, com Ygor sendo deslocado para a lateral direita.

Sem conseguir penetrar na área paulista, o Colorado foi ter seu primeiro lance na segunda etapa apenas aos 18 minutos, quando Ygor inverteu para Fabrício, que arrematou por cima do gol de Aranha. Dois minutos depois, Claudinei promoveu sua última alteração, ao sacar Leandrinho e colocar Renato Abreu. A mudança mostrou a estrela do treinador. Logo em seu primeiro lance, no minuto seguinte, o experiente meia cobrou falta da intermediária rasteira. A bola desviou na zaga e enganou Alisson.

O Inter foi para cima, mas insistia no chuveirinho, perdendo quase sempre para o sistema defensivo do Peixe. Aos 29, D’Alessandro bateu escanteio da direita. Alisson pulou com Caio e colocou a mão na bola. O árbitro Marcelo de Lima Henrique marcou pênalti. O camisa 10 se encarregou de bater, cobrando no canto direito de Aranha, que caiu para o outro lado, diminuindo o placar.

Cinco minutos depois, Damião teve a chance de empatar. A zaga do Santos errou uma recuada. O camisa 9 pegou a bola, arrancou e tentou deslocar Aranha, mas o goleiro fechou o ângulo e fez defesa incrível. No minuto seguinte, Rafael Moura, que entrou na vaga de Otávio, cabeceou um cruzamento para fora. Aos 42, o Inter ainda perdeu Fabrício. O lateral-esquerdo fez uma falta e tomou amarelo. Seguiu reclamando e levou o vermelho direto pela arbitragem. A expulsão irritou a torcida, que gritou burro para o colorado. E o time não conseguiu buscar o empate. Final 2 a 1 para o Santos. Em noite da bola parada. Em jornada de Aranha.

ICFUT – Tranquilo, Palmeiras vence o ASA-AL e dispara na ponta da Segundona

Fonte: lancenet

Verdão derrota a equipe alagoana por 3 a 0, com gols de Alan Kardec, Wesley e Serginho. Agora, chega aos 48 pontos e abre cinco de vantagem para a vice-líder Chapecoense

Wesley  - Palmeiras x ASA (Foto:Tom Dib/ LACE!Press)
Wesley e Wendel comemoram gol do Verdão (Foto:Tom Dib/LANCE!Press)

Calculadora na mão e mais três pontos na conta! Nesta terça-feira, o Palmeiras deu mais um passo rumo à Série A ao vencer o ASA-AL por 3 a 0, no estádio do Pacaembu, para um público modesto – foram quase nove mil torcedores. A equipe alagoana, marcada na história do Verdão por ter eliminado o Alviverde na Copa do Brasil de 2002, não conseguiu ser algoz novamente. Os gols dos donos da casa foram anotados por Alan Kardec (que ainda perde um pênalti), Wesley e Serginho.

Com o resultado, o Palmeiras dispara na liderança da Série B e chega aos 48 pontos na competição, cinco a mais do que a Chapecoense, vice-líder, derrotada pelo Oeste. Já o ASA estaciona nos 23 pontos.

PÊNALTI ERRADO… E GOL!

Contando os dias e os pontos para o retorno à Série A do Campeonato Brasileiro, o Palmeiras segue a sua caminhada na Segundona. Nesta terça-feira, o oponente era o ASA. Contra um adversário que figura na parte de baixo da tabela, o técnico Gilson Kleina manteve o esquema com três atacantes. Articulada, a equipe optou por jogadas pelos flancos. Atrás, alguns sustos, principalmente em bobeadas individuais. Mas tanto Lúcio Maranhão quanto Wanderson não estavam com a pontaria calibrada para arrematar em gol. O primeiro, cabeceou para fora. O segundo foi interceptado após corte de Tiago Alves.

Já o Verdão, muito pragmático, arriscou muitos chutes de longa distância, mas faltava o ímpeto maior de Felipe Menezes na criação das jogadas. O meia até acertou belo chute de longe, mas precisava aparecer mais. Do banco, Valdivia, liberado pelo técnico da seleção chilena, Jorge Sampaoli, do amistoso diante da Espanha, nesta terça-feira, assistia ao confronto.

Bem fechado, o adversário não contava com o fator surpresa. Márcio Araújo arrancou do campo de defesa, tabelou e entrou na área. O jogador caiu após a saída do goleiro e o árbitro assinalou pênalti. Na cobrança, Alan Kardec desperdiçou. Mas não houve tanto tempo para lamentações. Dois minutos depois, o atacante finalizou de fora da área, no canto direito, o mesmo da penalidade máxima, e marcou. Mais um para o camisa 14, que já caiu nas graças da torcida.

Jogadores do Verdão comemoram o gol de Kardec (Foto: Tom Dib/LANCE!Press)

CARIMBA!

Na etapa final, o Palmeiras entrou ligado e sem dar chance ao adversário. Bastaram apenas quatro minutos para que a rede fosse balançada. Wendel, jogando na lateral-esquerda, invadiu a área e tocou para Wesley, livre, só estufar as redes. Na comemoração, o volante foi ao banco e recebeu vários tapas na cabeça.

Após o gol, o Palmeiras começou a controlar as ações ofensivas e administrou o bom resultado conquistado até então. Em um jogo tranquilo, a torcida ficou extasiada com a entrada do meia Valdivia. Com o camisa 10 em campo, o Verdão ainda ampliou o marcador. Serginho tabelou com Kardec, recebeu dentro da área e mandou para o fundo das redes.

O ASA ainda tentou esboçar uma reação. Kleiton Domingues arriscou chute rasteiro. Em outra oportunidade, foi a vez de Wanderson carimbar a defesa alviverde após erro de André Luiz. Mas nada que colocasse mais uma vitória do Palmeiras em perigo. Agora, seguindo nessa toada, a vaga na Série A se aproxima.

PRÓXIMOS JOGOS

Na próxima rodada, o Palmeiras vai para Minas Gerais encarar o América-MG, às 16h20 de sábado, no estádio Independência. Já a equipe do ASA enfrenta o Joinville, às 19h30 da sexta-feira, em casa.

Por Cleber Aguiar – Entrevista – Juvenal Juvêncio para Folha de São Paulo

Fonte: Folha de São Paulo

JJ_GazetaPress (700)

Eu troquei o planejamento por um choque

PRESIDENTE DO SÃO PAULO DIZ ACREDITAR QUE ESTILO DE MURICY PODE TIRAR TIME DA CRISE

BERNARDO ITRI DO PAINEL FC

O presidente do São Paulo, Juvenal Juvêncio, decidiu na madrugada de domingo para segunda-feira que precisava trocar de treinador.

Precisou, segundo ele, de dois minutos de conversa para contratar Muricy Ramalho, a quem diz ter ordenado: “Vá lá e resolva”. À Folha, o cartola admitiu erros estratégicos de sua gestão na contratação e demissão de treinadores e disse ter confiança em uma reação do time.

Folha – Como foi sua decisão de trocar de treinador?
Juvenal Juvêncio – É uma situação dolorosa. Mas, num dia, eu via o semblante ruim das pessoas. No outro, também. Essas coisas começaram a se repetir. E eu sem poder contratar, com os mercados fechados. Comecei a temer que, se esperasse mais, pegaria o bonde ladeira abaixo. E queria pegá-lo no planalto. Então resolvi que o time precisava, emergencialmente, de um choque. E o Muricy tem esse jeito mais sanguíneo. Troquei o planejamento por um choque. Resolvi isso num telefonema.

A diretoria não admite haver risco de rebaixamento. Essa troca de técnico mostra que agora há o temor de cair?
Eu já vi isso [queda de divisão] com outros. Já acompanhei, de longe, dramas de outros. Eu não queria passar por isso. Eu queria algo que salvasse a minha honra. Precisava quebrar o diapasão que indicava um quadro ruim, precisava respirar. Ter só duas vitórias [Paulo Autuori venceu apenas duas vezes com o time no Brasileiro] é uma indicação ruim.

Qual foi a orientação para Muricy agora?
Falei para ele: “Você sabe quem está jogando, quem está no banco de reservas. Você conhece tudo lá dentro, a cozinheira, o roupeiro… Vá lá e resolva!”.

Nos últimos anos o São Paulo trocou muito de treinadores. Neste ano demitiu Ney Franco, agora trocou Paulo Autuori por Muricy. O senhor considera que foram cometidos erros neste percurso?
Houve erros ao longo do tempo. Mas temos uma situação complicada. Há uma carência de grandes técnicos no Brasil. Tem técnicos que não têm o perfil da torcida, do clube. Arriscamos com o Adilson Batista [em 2011]. Depois tivemos um cidadão ótimo [Autuori], mas a torcida preferia outro [Muricy].

O senhor acredita que se tivesse contratado Muricy há dois meses, no lugar de Autuori, a situação hoje seria diferente?
É um processo de adivinhação pensar nisso. Mas o estilo do Muricy, mais impetuoso, poderia mexer antes. Talvez ele já tivesse colocado uns dois na rua.

Muricy poderá reintegrar Lúcio, afastado do elenco?
Ele vai decidir quem escalar ou colocar no banco. A diretoria faz seu papel.

A disputa política atrapalha?
Isso é negativo para o clube agora. Alguns já se lançaram candidatos e já morreram. Nós [da situação] fazemos do nosso jeito. Vamos ter um único candidato.

ICFUT – Messi faz dois e garante a Argentina na Copa

Fonte: lancenet

Atacante comanda triunfo sem dificuldade sobre um desanimado Paraguai

Argentina x Paraguai - Messi (Foto: Juan Mabromata/ AFP)
Messi marcou duas vezes de pênalti (Foto: Juan Mabromata/AFP)

Depois de duas rodadas batendo na trave, a Argentina finalmente conseguiu a vaga antecipada para a Copa do Mundo-2014. A Albiceleste dominou um moribundo Paraguai e aplicou 5 a 2 no adversário, mantendo-se na liderança das Eliminatórias Sul-Americanas (29 pontos) e sem poder ser alcançada pelo quinto colocado. A partida foi disputada na noite desta terça-feira no Defensores Del Chaco, em Assunção (PAR).

Messi, de pênalti, abriu o placar. Núñez deixou tudo igual logo depois. Mas o Paraguai parou depois do empate e Agüero, antes do intervalo, recolocou a Argentina na frente.

O segundo tempo foi um passeio dos visitantes. Di María logo fez o terceiro. Messi cavou pênalti e colocou lá dentro. Santa Cruz ainda descontou para tentar não deixar os guaranis tão feios na foto, mas foi em vão.

Maxi Rodríguez tabelou com Lavezzi e fechou a conta, carimbando o passaporte argentino depois de duas jornadas no saguão de espera para o embarque.

VENEZUELA PRECISA DE MILAGRE

A Venezuela manteve viva a esperança de realizar um milagre nas Eliminatórias. Em casa, a Vinho Tinto bateu o Peru por 3 a 2 e chegou a 19 pontos, três a menos do que o Uruguai, que jogaria a repescagem contra a Jordânia.

Com folga na última rodada, a seleção do técnico Cesar Farías tem apenas um jogo para igualar os celestes e tirar uma diferença de seis gols. Já os uruguaios precisam de um ponto para garantirem a quinta colocação.

ICFUT – Com golaço de Neymar, Seleção Brasileira derrota Portugal de virada

Fonte: lancenet

Mesmo sendo caçado em campo, craque esbanja categoria e comanda vitória do Brasil

Brasil x Portugal - Neymar (Foto: Cristiano Andujar/ LANCE!Press)
Neymar deixou sua marca contra Portugal (Foto: Cristiano Andujar/LANCE!Press)

Cristiano Ronaldo deve ter se revirado no sofá ao ver a atuação de Neymar nesta terça-feira. Sem o gajo do Real Madrid em campo, o craque brasileiro do Barcelona aproveitou para fazer barba, cabelo e bigode no Gillette Stadium, em Foxborough (EUA), contra Portugal: um golaço, dribles em meio a pontapés e vitória da Seleção Brasileira por 3 a 1, de virada.

Raul Meireles fez o gol português. Já Thiago Silva e Jô fizeram os outros do Brasil. Mais um passo até a Copa-2014 foi dado. Luiz Felipe Scolari tem mais quatro amistosos este ano e mais um no próximo para terminar o preparo da Seleção. Pelos resultados, o prognóstico é animador.

DUELO NADA AMISTOSO

De amistoso, o duelo contra Portugal só teve o nome. No primeiro tempo, parecia Copa do Mundo, sem exagero. Os dois times mostraram uma entrega muito grande em campo, às vezes descambando para a violência – especialmente pelo lado português. Neymar foi o principal alvo dos carrinhos, chutes e até uma cotovelada.

Os colonizadores lançaram suas tropas pelos flancos tupiniquins e levaram perigo nos ataques pelo alto. Uma bola foi na trave, outra tirou tinta e na mais boba das jogadas, Maicon falhou no recuo de cabeça para Julio César e deu a Raul Meireles o gol mais fácil da carreira do volante lusitano.

Mas o volume de jogo continuou elevado. Tão elevado quanto o voo de Thiago Silva depois da cobrança de escanteio. Um exemplo de golaço de cabeça que empatou o placar. Na comemoração, o primeiro a ser abraçado foi Maicon, que falhara pouco antes. Coisa de capitão.
Aí Neymar resolveu entrar no show como protagonista. Caçado, apanhando dos defensores brucutus de Portugal, ele arrancou da intermediária, fez fila e completou com uma finalização certeira. Espetáculo de habilidade e força física.

O craque brasileiro continuou dando espetáculo na primeira etapa com dribles e um corta-luz que deixou perdido muito cinegrafista. Por pouco o Brasil não ampliou ainda na etapa inicial.
JÔ CONSOLIDA O PLACAR

Mas o terceiro gol foi questão de tempo. Jô, como típico centroavante, tocou para o gol vazio após receber cruzamento de Maxwell, em jogada iniciada por Neymar. O atacante mantém a boa fase com a amarelinha, fazendo Felipão sentir menos saudades de Fred.

Com a vantagem ampliada, o Brasil tirou o pé do acelerador. Diminuiu a intensidade do jogo, buscou as chances nos contra-ataques, mas nem por isso deu muito mole para Portugal.

Paulo Bento mexeu por atacado, sem conseguir deixar o time muito mais eficiente. Ele não teve nem no banco Cristiano Ronaldo para salvar a noite, como ocorreu contra a Irlanda do Norte, pelas Eliminatórias para a Copa.

Melhor para o Brasil, que teve seu principal jogador e saiu vitorioso do duelo. Os próximos compromissos da Seleção Brasileira são nos dias 12 e 15 de outubro, contra Coreia do Sul e Zâmbia, respectivamente.

FICHA TÉCNICA
BRASIL 3 X 1 PORTUGAL

Local: Gillette Stadium, em Boston (EUA)
Data/Hora: 12/09/2013, às 22h (de Brasília)
Árbitro: Juan Guzman (EUA)
Auxiliares: Peter Manikowski (EUA) e Adam Wienckowski (EUA)
Cartões amarelos: Ramires, Neymar (BRA); João Pereira, Helder Postiga, Bruno Alves, Rúben Amorim (POR)

Gols: Raul Meireles, 17’/1ºT (0-1); Neymar, 34’/1T (2-1); Jô,4’/2ºT (3-1)

BRASIL: Júlio César, Maicon, Thiago Silva, David Luiz e Maxwell; Luiz Gustavo, Paulinho (Henrique, 37’/2ºT) e Ramires (Oscar, 15’/2ºT); Bernard (Hernanes, 22’/ºT), Neymar (Lucas, 42’/2ºT) e Jô (Pato, 30’/2ºT). Técnico: Luiz Felipe Scolari.

PORTUGAL: Rui Patrício; João Pereira (Helder Postiga, 24’/2ºT), Pepe (Luis Neto, intervalo), Bruno Alves, Coentrão (Antunes, 9’/2ºT); Miguel Veloso, Raul Meireles, João Moutinho (Rúben Amorim, 14’/2ºT); Vieirinha (Licá, 38’/2ºT), Nani e Nelson Oliveira. Técnico: Paulo Bento