ICFUT – OS 10 MELHORES GOLEIROS DO FIFA 14

Fonte: futirinhas

Top 10 (com pontuação geral):

Melhores goleiros do FIFA 14

1 – Iker Casillas (Espanha & Real Madrid) – 86

2 – Gianluigi Buffon (Itália & Juventus) – 86

3 – Manuel Neuer (Alemanha & Bayern de Munique) – 86

4 – Petr Cech (República Tcheca & Chelsea) – 85

5 – Joe Hart (Inglaterra & Man City) – 84

Melhores goleiros do FIFA 14

6 – David De gea (Espanha & Man United) – 82

7 – Julio Cesar (Brasil & Queens Park Rangers) – 85

8 – Víctor Valdés (Espanha & Barcelona) – 83

9 – Hugo Lloris (França & Tottenham Hotspur) – 84

10 – Samir Handanovic (Eslovênia & Inter de Milão) – 84

ICFUT – Lateral Gabriel é parado em blitz, tem carro guinchado e carteira apreendida

Fonte: globo

Jogador foi abordado a poucos metros do local do treino do Inter

O lateral-direito do Inter Gabriel foi autuado na manhã desta segunda-feira após ser parado em uma blitz. O jogador foi abordado por agentes da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) na Avenida Beira-Rio em uma operação de rotina. Gabriel se deslocava para o treino no CT do Parque Gigante, que fica a poucos metros do local da abordagem.

Carro do lateral Gabriel, do Inter, é guinchado (Foto: Tomás Hammes/GLOBOESPORTE.COM)Carro do lateral Gabriel, do Inter, é guinchado (Foto: Tomás Hammes/GLOBOESPORTE.COM)

Agentes de trânsito que participaram da abordagem confirmaram ao GLOBOESPORTE.COM que a carteira de habilitação do jogador foi apreendida. A EPTC, porém, não confirma qual a infração cometida pelo lateral. O carro de Gabrel, uma Range Rover branca, foi guinchado.
Os procedimentos acabaram impedido Gabriel a chegar no horário marcado para o treino, às 9h30m. Com os jogadores já posicionados em campo, o lateral ouviu piadas e uma salva de palmas dos colegas. Gritos de "cassada" e o carro sendo levado causaram gargalhadas no grupo. O Inter não vai se pronunciar oficialmente sobre o assunto.
Gabriel está fora do jogo desta terça-feira contra o Santos, partida atrasada da 10ª rodada do Brasileirão. O lateral-direito levou o terceiro cartão amarelo no último sábado, na vitória por 3 a 1 sobre a Ponte Preta, em Campinas. Ednei e Jorge Henrique disputam a vaga. Há ainda a possibilidade de Ygor ser novamente improvisado no setor.

LUTO ICFUT – Aroldo Fedato falece vítima de pneumonia

Fonte: futebolinterior

O zagueiro evstiu a camisa do Coxa Branca nas décadas de 1940 e 1950

Publicado na segunda-feira, 9 de setembro de 2013

Curitiba, PR, 09 (AFI) – Os torcedores do Coritiba estão de luto nesta segunda-feira. Isso porque o ex-zagueiro Aroldo Fedato, ídolo do clube nas décadas de 1940 e 1950 faleceu, vítima de uma forte pneumonia nesta segunda-feira. O presidente do Coritiba, Vilson Ribeiro de Andrade, decretou luto oficial de três dias no clube pela perda do ex-jogador.

Fedato era nacionalmente conhecido pela forma como atuava. Diferente da maioria dos outros zagueiros da época, o ídolo do Coxa Branca era sempre muito elegante e dificilmente saia de campo com o calção sujo. A sua disciplina era sempre comentada por radialista e jornalista esportivos da década de 1940 e 1950.

Como zagueiro, Aroldo Fedato atuou no Coritiba entre os anos de 1944 e 1957. Neste período, o ídolo conquistou sete Campeonatos Paranaenses, em uma época que os campeonatos estaduais tinham mais valor que os campeonatos nacionais.

A fama de zagueiro disciplinado foi conquistada principalmente em 1951, quando o ex-jogador conquistou o prêmio Belfort Duarte, dado para os atletas menos violentso da temporada. Na ocasião, Feldato ficou 80 jogos sem levar um cartão amarelo ou vermelho.

O velório do ídolo alviverde vai acontecer nesta terça-feira (10), das 7h30 às 16h, no espaço Belfort Duarte do estádio Couto Pereira.

ICFUT–Em trote, Túlio Maravilha vende o gol mil por meio milhão de reais

Fonte: futebolinterior

O jogador foi vítima de um programa humorístico do Espírito Santo

Campinas, SP, 09 (AFI) – O artilheiro Túlio Maravilha, que busca o gol de número mil de sua carreira, segundo as suas próprias contas, foi vítima de um trote feito por humoristas do programa humorístico de Espírito Santo Jornal Comédia a la carte. Aproveitando a vontade do jogador de marcar o lendário milésimo gol, os humoristas ligaram para o atacante e lhe fizeram uma oferta para atuar pelo suposto time Barcelona da Serra. Na ligação, o artilheiro revelou que aceitaria marcar o gol mil no fictícioclube desde que recebesse o cachê de R$500 mil. Confira o vídeo!

No trote, o humorista chega a lhe oferecer R$2,2 mil para que o artilheiro vestisse a camisa do Barcelona da Serra no campeonato do bairro e marcasse o gol mil. Após ouvir a proposta, entretanto, o atacante ficou bastante irritado e desligou o telefone após disparar alguns palavrões.

Túlio Maravilha foi escolhido pelos humoristas para ser o alvo do trote por ter abandonado o Vilavelhense faltando apenas um gol para o de número mil. Pelo clube capixaba, o ídolo do Botafogo e do Goiás disputou a Copa Espírito Santo. Após maracr o gol número 999, o atacante abandonou o clube alegando atraso de salários e foi para Goiânia, sua cidade natal.

Logo que atende o telefone, Túlio desconfia da ligação, mas tenta a negociação para ir ao “Barcelona da Serra” marcar o gol. “Quanto você paga? Eu quero R$ 500mil. (…) O Barcelona aí vai ficar famoso no mundo inteiro, vai querer ou não quer?”, diz o atacante ao humorista.

Durante a conversa, o humorista, fingindo ser um empresário, provoca o artilheiro dizendo que apenas ele acha que pode fazer mil gols e que toda a imprensa dúvida dos números que ele diz ter. Bastante irritado, o artilheiro disparou diversos palavrões ao humorista e a imprensa de uma forma geral.

Túlio Maravilha segue em Goiânia e ainda não anunciou por qual clube ele tentará o gol de número mil. Resta saber se algum time fará um investimento do valor pedido pelo artilheiro.

ICFUT – São Paulo confirma a volta de Muricy e técnico já assume nesta terça

Fonte: lancenet

Em nota, clube agradece o ‘excelente trabalho’ realizado por Paulo Autuori e sua comissão técnica. Novo treinador irá comandar o Tricolor contra a Ponte Preta, na quinta-feira

HOME - Muricy Ramalho (Foto: Cleber Mendes/LANCE!Press)
Tricampeão brasileiro, Muricy está de volta ao São Paulo (Foto: Cleber Mendes/LANCE!Press)

O São Paulo confirmou no início da noite desta segunda-feira a volta do técnico Muricy Ramalho. Em nota no seu site oficial, o clube informou que o novo comandante assumirá já nesta terça-feira e que o treinador irá dirigir o time na partida de quinta, contra a Ponte Preta, pela primeira rodada do segundo turno do Brasileirão.

No anúncio, o Tricolor agradeceu o que considerou "excelente trabalho realizado por Paulo Autuori e pelos profissionais de sua equipe". Apesar dos elogios, o técnico campeão da Libertadores e do Mundial em 2005 teve fraco desempenho em sua segunda passagem: foram 17 jogos, com só três vitórias, quatro empates e dez derrotas.

Tricampeão brasileiro pelo São Paulo entre 2006 e 2008, Muricy assume com a responsabilidade de fazer o São Paulo se livrar do rebaixamento à Série B. Com 18 pontos após 19 rodadas, o time está na 18ª colocação do Brasileirão, dentro da zona de rebaixamento, a quatro pontos do Atlético-MG, primeiro fora do grupo dos degolados.

Muricy comemora a conquista do tricampeonato pelo São Paulo, em 2008 (FOTO: Tom Dib)

Confira a nota do São Paulo na íntegra:

"Na tarde desta segunda-feira (09), o São Paulo Futebol Clube decidiu substituir Paulo Autuori, que ocupava o cargo de Treinador da equipe de futebol desde o dia 11 de junho de 2013. Nesse período, Paulo Autuori conquistou a Eusébio Cup ao vencer o SL Benfica em Lisboa – Portugal.

O São Paulo Futebol Clube agradece pelo excelente trabalho realizado por Paulo Autuori e pelos profissionais de sua equipe, que nessa segunda passagem pelo Morumbi somente ratificaram o caráter e a qualificação profissional que os levaram a marcar uma página especial na História do Clube ao conquistar a Copa Libertadores e o Campeonato Mundial de Clubes no ano de 2005.

Para o lugar de Paulo Autuori, o São Paulo Futebol Clube contratou outro nome de peso em sua História, o Tricampeão Brasileiro Muricy Ramalho, que retorna ao clube após 5 anos.

Muricy Ramalho já iniciará seu trabalho no treinamento de amanhã, e dirigirá o time na partida da próxima quinta-feira (12) contra a Ponte Preta, no Estádio do Morumbi."

ICFUT – Demitido do São Paulo, Luiz Rosan ataca Adalberto: "Ele é amador"

Fonte: uolLuiz Rosan (à esquerda) diz que "não daria nem um time de várzea para Adalberto dirigir"

Luiz Rosan (à esquerda) diz que "não daria nem um time de várzea para Adalberto dirigir"

Luiz Rosan foi fisioterapeuta do São Paulo por mais de 20 anos, foi um dos idealizadores do Reffis e tem mais de 180 jogos pela Seleção Brasileira. Em março desse ano ele foi demitido do clube pelo ex-diretor de futebol Adalberto Baptista, que agora retorna em outro cargo à cúpula são-paulina. Rosan nunca falou sobre sua saída, mas agora, cinco meses depois, rebate e ataca o dirigente.

Adalberto Baptista foi nomeado na última terça-feira diretor-secretário geral do São Paulo. Voltará a ser braço-direito do presidente Juvenal Juvêncio. Antes, deixou o cargo após criticar publicamente o goleiro Rogério Ceni, o que voltou a fazer nessa semana em entrevista ao jornal Lance!.

Rosan também foi atacado. Adalberto disse que seu maior acerto no São Paulo foi ter demitido o fisioterapeuta, que responde: diz ter sido vítima de "perseguição implacável" do dirigente, que "não daria um time de várzea para Adalberto dirigir", que o ex-diretor de futebol contratava jogadores sem exames médicos ou opinião dos profissionais do clube – e que isso pode ter influenciado na recuperação de atletas que chegaram lesionados. Fala que o dirigente tem péssima relação com elenco e funcionários, que não tem amigos no clube e conta das desavenças que culminaram em sua demissão.

O fisioterapeuta está com a Seleção Brasileira em Brasília, na preparação para o amistoso contra a Austrália, no sábado, e concedeu entrevista ao UOL Esporte por telefone, nesta quinta-feira. Adalberto foi procurado pela reportagem, mas não respondeu às ligações.

UOL Esporte: Por que você foi demitido do São Paulo?
Luiz Rosan: Foi uma perseguição implacável, desde quando ele assumiu o marketing, quando eu já discordei de uma ideia dele, que queria fazer franquias do Reffis. A partir daí começou uma perseguição implacável. Ele começou a fazer algumas coisas que não condiziam com minha linha de conduta e aí começou um atrito pessoal, isso ainda em 2010…

UOL Esporte: E como esse atrito evoluiu até sua demissão?
Luiz Rosan:
Esse atrito nunca foi reparado. Todas as vezes procurei o diálogo. Quando não, tentava outra solução com outro diretor e a palavra dele prevalecia. Isso evoluiu com a chegada dele ao futebol. Fui demitido por um motivo pessoal. Ele chegou no futebol e logo de cara, nós que temos alguma experiência, percebemos que ele era inexperiente. Mas ninguém nasce sabendo. O problema foi que ele não soube aprender, não soube gerir o futebol. Culminou com ele deixando o clube na situação que deixou.

UOL Esporte: Quais eram os atritos específicos entre você e ele?
Luiz Rosan:
No episódio da contratação do Luis Fabiano, discordei da presença do jogador na Espanha. Eu conheço o atleta há dez anos e pedi o tratamento no Brasil. Foi ordem do Adalberto para que ele ficasse lá, já que ele queria fazer da chegada do Luis um "megashow". Eu pensava na saúde e na instituição enquanto ele pensava no "megashow". O resultado disso foi que nós mandamos o Ricardo Sasaki [fisioterapeuta] para lá e o atleta perdeu três semanas de tratamento. Eu era sempre vencido por ele, porque a autoridade do diretor prevalece. A partir daí eu comecei a direcionar para outro lugar atletas que me procuravam para se tratarem no Reffis. Teve o episódio do Ganso, que tinha uma lesão, e o Adalberto negociou por 30 dias e não me ouviu. Tudo bem, não gostava de mim, não precisava me consultar. Mas ouvisse o José Sanchez [médico], outra pessoa. Quando fechou, ele disse que o Ganso estrearia em 15 dias. Ele costumava contratar sem fazer exame médico.

UOL Esporte: Como era a relação do Adalberto com funcionários do clube?
Luiz Rosan:
Péssima. Não vou citar nomes, mas eu saí do São Paulo e com certeza deixei 99 amigos e um inimigo. Eu duvido que ele, quando saiu, tenha deixado mais do que cinco ou seis amigos. Ele é amador. Ao longo da minha carreira, jamais vi um dirigente como ele. Eu não quero dizer que ele é fraco, eu acho que ele teve tempo para aprender, mas ele tem atitudes que não condizem com o clube. Eu não daria um time de várzea para ele dirigir.

UOL Esporte: E a relação com os jogadores?
Luiz Rosan:
Ele fazia algumas diferenças com jogadores. Tratava uns de uma maneira e outros de outra. E isso o elenco não admite.

UOL Esporte: Como acha que Rogério Ceni encara a volta do Adalberto à diretoria e mais uma crítica pública?
Luiz Rosan:
Não vou falar pelo Rogério. Vou falar por mim. Quando ele disse que a reposição de bola do Rogério estava ruim, eu achei um absurdo. O cara está sem noção. Ele atacou o Rogério injustamente. Agora veio e reiterou, no momento em que o clube poderia sair dessa situação. Quem é que pensa na instituição? Rogério ou ele? A gente conhecendo o Rogério como conhece, a gente imagina como ele está passando com essa situação ruim do time. Penso o quanto ele deve estar sofrendo com isso. Quem é egocêntrico aí?

UOL Esporte: Fora a parte médica, você desrespeitou uma ordem dele de pegar ingressos para funcionários para os jogos no Morumbi. Acha que você errou? Isso selou a demissão?
Luiz Rosan: Nossa relação ficou distante. Ele não vê o lado do ser humano. Fui barrado oito vezes no Morumbi depois dessa medida dos ingressos, com minha carteirinha do Reffis. Fui humilhado. Não só eu, outros também. Determinada vez fiquei tão constrangido, quando o presidente do Conselho Deliberativo do São Paulo, José Carlos Ferreira Alves, viu o imbróglio e me deu um ingresso para entrar. Maior constrangimento que passei em duas décadas de São Paulo. Quando isso aconteceu fui falar com o Juvenal, e ele me mandou falar com Adalberto. Marquei reunião com ele. Pedi para que ele fizesse uma credencial, para não precisarmos dos ingressos, e ele não fez. Acabou que um dia xinguei todo mundo quando me barraram, me excedi.

UOL Esporte: Houve reclamação sua sobre premiação financeira? Isso desgastou a relação?
Luiz Rosan:
Sobre premiação, eu reclamei, sim, porque comecei ganhando 5% de um valor, e a cada ano aumentava 5%. Chegou um momento que eu ganhava 100%. E sem mais nem menos ele tirou isso e fui questioná-lo. Ele falou que iria resolver, não resolveu. Ele disse que eu frequentava pouco o CT, mas isso foi me oferecido ao São Paulo. Eu tinha uma escala, eu ia à tarde.

UOL Esporte: Como você se sentiu após a demissão?
Luiz Rosan:
Fiquei extremamente chateado e abalado. Ele me demitiu às 7h da manhã em um dia que eu e o Osvaldo estávamos chegando de um desembarque com a Seleção. Tenho 30 anos de fisioterapia, nunca havia sido demitido. O que iria falar para minha família? Da maneira como foi, aquilo me chocou muito. Achei que faltou respeito. Ele me perseguiu, uma perseguição implacável. Ele me tirou o emprego, mas não me tirou a dignidade e meus princípios. Eu fiquei humilhado perante meus amigos e minha família.

UOL Esporte: Você chegou a conversar com o Palmeiras, mas não houve acordo. Profissionalmente, como foi esse período e qual seu objetivo?
Luiz Rosan:
Hoje quero apenas me concentrar na Seleção. Estou completamente concentrado com a Seleção.