Por Cleber Aguiar – Corinthians é dono da marca mais valiosa do futebol brasileiro, diz estudo

Fonte: Globo/Sportv

Corinthians é dono da marca mais valiosa do futebol brasileiro, diz estudo

Levantamento da consultoria BDO afirma que Timão vale R$ 1,1 bilhão e se distancia do Flamengo, segundo colocado, com o valor de R$ 855,5 mi

O Corinthians é dono de marca mais valiosa do futebol brasileiro, segundo pesquisa da consultoria BDO. O Flamengo é o segundo, logo acima do São Paulo. A informação foi divulgada pelo jornal Estado de São Paulo, nesta sexta-feira.

De acordo com o levantamento, que considerou os 23 maiores clubes do Brasil, o Timão vale R$ 1,108 bilhão. O Rubro-Negro (R$ 855,4 milhões) vê o Tricolor Paulista (R$ 848,2 mi) se aproximar. Ambos, no entanto, estão bem acima do Palmeiras, quarto colocado com o valor em R$ 496,4 mi.

O estudo leva em conta balanços contábeis das áreas de marketing, exploração de estádio, mídia e sócios. Os dados provam que os clubes valorizaram-se nos últimos cinco anos, apesar do crescimento variar entre os times. Todas as agremiaçõs juntas enriqueceram 69% desde 2008. O Timão foi o que mais cresceu, aumentando em 97%, já que valia R$ 562 milhões há cinco anos.

Corinthians recebe a taça do título Mundial (Foto: Getty Images)Campeão Mundial em 2012, Corinthians é o clube de
marca mais valiosa do Brasil (Foto: Getty Images)

O Vasco viu o Grêmio superá-lo na lista, enquanto o Atlético-MG passou o Cruzeiro. Confira a lista abaixo.

Na opinião do jornalista André Rizek, nem sempre o valor da marca é sinônimo de boa gestão. Segundo ele, o Botafogo é exemplo de clube que conseguiu formular uma equipe competitiva mesmo sem grandes recursos.

– O Botafogo vem trabalhando muito bem com muito pouco, em comparação aos rivais. É um mérito muito grande, conseguir se igualar com quem tem muito.

Tabela valor de mercado times consultoria BDO (Foto: Arte/SporTV.com)

Por Cleber Aguiar – Série C: Santa Cruz tem a quinta melhor média de público do Brasil

Fonte: Futebolinterior.com.br

Apesar disso, a Série C segue sendo sinônimo de estádios vazios

0002048098618_img

Mesmo sem convencer no Campeonato Brasileiro da Série C, o Santa Cruz tem um forte aliado na briga pelo acesso: sua torcida. Os pernambucanos não arredam o pé do Estádio do Arruda e por isso colocam o time em quinto lugar na média de público de todo o futebol nacional.

Em seis jogos no Recife, o Santa colocou 108.344 pessoas no total, uma média de público de 18.057 expectadores. O número supera alguns clubes tradicionais, principalmente do Brasileirão, como Fluminense (média de 12.291), Bahia (média de 15.798) e São Paulo (média de 11.021).

A sua frente estão apenas Corinthians e Flamengo, duas das maiores torcidas do mundo, Grêmio e Cruzeiro. O time paulista lidera a lista com média de 28.954 no estádio do Pacaembu. O Fla tem 27.695 (graças as suas partidas realizadas na Arena Mané Garrincha), o time gaúcho com 20.848, e por fim os mineiros com 20.105.

Outro time da Série C destaque no ranking é o Sampaio Corrêa, a Bolívia Querida. Os maranhenses colocam 16.358 pessoas por jogo. Isso devido às últimas boas campanhas do clube, caso da Série D, quando conquistou o acesso de forma invicta. Atualmente o time também está em alta e briga pela classificação á fase de mata-mata.

O Vila Nova, time tradicional de Goiânia, tem uma média melhor que a do Atlético-MG, campeão da Libertadores. O Tigre aparece com 10.111 torcedores no Serra Dourada, principalmente no final do primeiro turno para cá. O Galo, por sua vez, ainda cura a ressaca do título Continental e leva 9.945 na Arena Independência.

De mal a pior
Em compensação, a Série C ainda é sinônimo de estádios vazios. As últimas 14 piores médias são de clubes integrantes da Divisão. O Betim é o pior, com apenas 184 pessoas por jogo. Depois aparece Duque de Caxias (238), Madureira (284), Cuiabá (401), Mogi Mirim (541), Baraúnas (594), Águia (717), Macaé (759), Luverdense (786), Rio Branco (1.087), Brasiliense (1.154), Barueri (1.162), Caxias (1.827) e Treze (2.576).