Por Cezar Alvarenga – Volante da Seleção Brasileira, Luiz Gustavo troca Bayern por Wolfsburg.

Fonte: Jovem Pan OnLine

Após deixar o Bayern, Luiz Gustavo se apresenta ao Wolfsburg

Após atuar no amistoso do Brasil contra a Suíça na última quarta-feira (14), o volante Luiz Gustavo voltou a Alemanha e anunciou a mudança de casa. O atleta trocou o Bayern de Munique pelo Wolfsburg. O volante foi apresentado na manhã desta sexta-feira

Após a imprensa alemã ter anunciado essa transação ontem, o diretor esportivo, pensando em minimizar as especulações a respeito, confirmou a apresentação do jogador, que, após ter um bom desempenho na conquista da Copa das Confederações, parece ter sua vaga garantida na seleção brasileira.

A própria imprensa alemã ressaltou esse fato ontem, alegando que o jogador teria optado por deixar o Bayern por causa da constante condição de reserva. De fato, o brasileiro parecia não estar nos planos do treinador Pep Guardiola.

De acordo com os números oficiais, a transferência teria girado em torno de 15 milhões e 20 milhões de euros.

Luiz Gustavo chegou ao Bayern em janeiro de 2011, quando defendia o Hoffenheim, também da Alemanha, por 17 milhões de euros.

Desde a última temporada, com a chegada do espanhol Javi Martínez, o volante brasileiro não vinha atuando como titular. Com o esquema de Guardiola, que só usa um volante de contenção, a situação do brasileiro ficaria ainda mais difícil.

Pensando em assegurar sua vaga na disputa da Copa do Mundo de 2014, Luiz Gustavo considerou que era fundamental jogar em uma equipe em que pudesse atuar como titular, segundo a imprensa alemã.

Por Cezar Alvarenga – Desvios de cotas dos amistosos da Seleção Brasileira continuam na gestão Marin.

Fonte: UOL Esportes

Estado de S. Paulo diz que valor do desvio aumentou na era Teixeira e mantido por Marin

O jornal Estado de S. Paulo apresentou denúncia, na quinta-feira, de que parte do dinheiro arrecadado com amistosos da seleção brasileira foi desviado na gestão Ricardo Teixeira. A edição desta sexta informa que o esquema ilegal prossegue sob o comando de José Maria Marin.

De acordo com a publicação, pouco antes de renunciar à presidência da CBF (março de 2012), Teixeira prolongou do contrato por 10 anos com a ISE, empresa localizada no paraíso fiscal Ilhas Cayman e acusada de repassar ilegalmente verba referente a jogos da seleção.

A atual gestão manteve a operação financeira arquitetada por Teixeira. Marin afirma desconhecer o assunto.

Um documento obtido pelo jornal mostra que a ISE mudava o destino de parte da arrecadação com venda de amistosos. Por cada amistoso, a CBF deveria ficar com US$ 1,65 milhão (R$ 3,886 milhões).

Mas a entidade ficava sem receber, em média, US$ 450 mil (cerca de R$ 1 milhão), valor repassado da ISE para a Uptrend, que tem como sócio o presidente Sandro Rossell, amigo de Teixeira.

O acordo com a ISE foi firmado por Teixeira em 2006, vigorando desde então.

De acordo com o Estado de S. Paulo, Teixeira também teria feito outro esquema ilícito antes de deixar o cargo. Além de renovar o vínculo com a ISE por um valor inferior ao contrato anterior, o então presidente teria aumentado o valor que seria desviado: de US$ 450 mil para US$ 800 mil por amistoso.

Teixeira volta ao país

Ricardo Teixeira chegou ao país na quinta-feira após um vivendo em Miami. O jornal informa que o ex-presidente da CBF para recolher cerca de R$ 30 milhões da entidade que estão presos no Banco Rural.

 

Por Cezar Alvarenga – Para o técnico Paulo Autuori precisa de mais coragem para vencer.

Fonte: Jovem Pan OnLine

Sem vencer no Brasileirão desde maio, Autuori pede coragem ao São Paulo

Após empatar com o Atlético-PR em casa e agravar a crise vivida no São Paulo, o técnico Paulo Autuori saiu em defesa do grupo. O time não vence há 11 partidas no Brasileirão, desde o dia 29 de maio.

Para o treinador, o grupo está motivado e tem forças para sair da fase ruim. “Em nenhum momento eu posso dizer que tem faltado vontade a eles. Depois da viagem longa, jogamos pra vencer a Portuguesa e, por demérito nosso, não vencemos”, analisou.

Sobre o empate contra o Furacão, Autuori destacou a fragilidade psicológica do grupo. “Sentimos bastante porque a equipe está emocionalmente abalada. Nesse momento precisamos ter coragem”, concluiu.

O Tricolor agora terá uma sequência contra adversários do Rio de Janeiro. A equipe do Morumbi enfrenta Flamengo, Fluminense e Botafogo.

Para a partida deste domingo (18) contra o Flamengo, no Mané Garrincha, Autuori deve contar com a volta do lateral Douglas. Paulo Miranda, Denílson e Luis Fabiano ainda permanecem como dúvidas.

Tentando contornar essa série de desfalques, a diretoria deve anunciar, nos próximos dias, a contratação do zagueiro Ântonio Carlos vindo do Botafogo.

Por Cezar Alvarenga – Técnico Tite está preocupado com o condicionamento físico da equipe.

Fonte: Jovem Pan On Line

Condição física do elenco corintiano preocupa Tite para a sequência da temporada

O Corinthians enfrenta o Coritiba no Pacaembu neste domingo (18) às 16h. O time, que saiu do G-4 na última rodada, fará um duelo direto contra os paranaenses que tem dois pontos a mais que os comandados do técnico Tite.

A Jovem Pan transmite todos os lances da partida com narração de Nilson Cesar, reportagens de Luis Carlos Quartarollo, Marcio Spimpolo e Fredy Júnior e comentários de Flávio Prado e Fábio Sormani.

O treinador corintiano terá problemas para montar a equipe para o jogo deste domingo. Guilherme, lesionado, está fora. Ibson deve ser seu substituto. Paolo Guerrero, que volta de amistoso pela seleção peruana, ainda é dúvida pela condição física. Alexandre Pato pode continuar como titular.

Além disso, Danilo, poupado contra o Fluminense, ainda não sabe se retornará ao time titular na vaga de Renato Augusto.

A comissão técnica corintiana se preocupa com a questão física, já que o time viaja já nesta segunda-feira (19) para o Mato Grosso, onde enfrenta o Luverdense na quarta-feira (21) pela partida de ida das oitavas-de-final da Copa do Brasil.

A preocupação de Tite é não forçar nenhum jogador e, assim, causar uma lesão mais grave como a do volante Guilherme.

Lesão de Guilherme é grave 

Após realizar exames médicos, foi constata lesão muscular de grau 3 no volante Guilherme. O médico do Corinthians, Júlio Stancati, falou sobre a situação do atleta. “É uma lesão grave, que demanda um tempo maior de recuperação. Infelizmente, não podemos dar a previsão de retorno”, lamentou.

Guilherme, que assumiu a posição no time titular após a saída de Paulinho, ainda fará mais exames para que seja definido o tratamento adequado de sua lesão. “Ocorreu uma ruptura total do músculo. Com mais exames, faremos uma análise minuciosa para acertarmos o que será feito”, explicou.

Por Cezar Alvarenga – Jorginho é anunciado como novo técnico do Náutico.

Fonte: UOL Esportes

O técnico Jorginho chega para tentar evitar o rebaixamento do Náutico para a Série B

Confirmado como técnico do Náutico até o final da temporada, Jorginho será apresentado oficialmente na sexta-feira no Centro de Treinamento Wilson Campos. O horário da entrevista coletiva ainda não foi definida. O novo comandante do time pernambucano desembarque em Recife na noite desta quinta.

Jorge Luis da Silva tem 48 anos e iniciou sua carreira como técnico em 2007. Na oportunidade, ele comandou o Palmeiras por duas temporadas. No ano de 2010 ele defendeu o Goiás e Ponte Preta. O treinador ainda acumula passagens pela Portuguesa e Bahia. Pelo clube da capital paulista o profissional se sagrou campeão brasileiro da Série B, em 2011.

Jorginho chega para substituir Zé Teodoro, que foi demitido logo após a derrota do Náutico para o Criciúma por 3 a 0, quarta, no Heriberto Hülse, pela 14ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O presidente do clube, Paulo Wanderley, afirmou em algumas entrevista após confirmar Jorginho como técnico que pretende ouvi-lo antes de tomar qualquer decisão sobre o grupo de jogadores.

O treinador chega ao clube pernambucano com a difícil missão de evitar o rebaixamento do Náutico para a Série B do Campeonato Brasileiro. O time encontra-se na lanterna da competição com somente oito pontos.

 

Por Cezar Alvarenga – O zagueiro Antonio Carlos, ex Botafogo, está perto de assinar com o São Paulo.

Fonte: UOL Esportes

Antonio Carlos está bem perto de reforçar o setor defensivo do São Paulo

O São Paulo está muito perto de acertar com um reforço para o setor defensivo. Nesta quinta-feira, o zagueiro Antônio Carlos, encostado no Botafogo, fez exames médicos na capital paulista, foi aprovado e depende apenas da assinatura para ser anunciado. A expectativa é de que a confirmação seja feita nos próximos dias. Ele rescindirá seu contrato com o Alvinegro, que vai até o fim de 2014, para firmar um novo vínculo com o Tricolor.

Como jogou apenas seis vezes pelo time carioca no Brasileirão – o limite que impediria uma transferência são sete jogos -, Antônio Carlos poderá ser inscrito na competição pelo novo clube. Segundo o presidente Juvenal Juvêncio afirmou ao UOL Esporte na quarta-feira, o negócio seria por empréstimo, mas alguns detalhes ainda estavam para ser resolvidos.

A negociação entre as partes foi conduzida por Gustavo Vieira de Oliveira, filho do ex-jogador Sócrates, sobrinho de Raí e novo gerente executivo de futebol. Gustavo conversa tanto com o Botafogo como com o zagueiro. Esta, aliás, foi uma das primeiras ações do dirigente.

Antônio Carlos chega para suprir uma carência do time paulista na zaga, especialmente depois do afastamento do experiente Lúcio, que, a pedido de Paulo Autuori, foi afastado do elenco e treina separado em Cotia até que seu futuro seja definido. Atualmente, o técnico tem à disposição somente Rafael Toloi, Paulo Miranda e Edson Silva. Por conta disso, o volante Rodrigo Caio será mais uma vez improvisado no duelo desta noite, contra o Atlético-PR.

O zagueiro, ex-Botafogo, é empresariado por Eduardo Uram, que tem bom relacionamento com a diretoria são-paulina e possui sete jogadores no atual elenco do São Paulo – Edson Silva, Aloísio, os laterais esquerdos Juan, Thiago Carleto e Cortez – emprestado ao Benfica (POR) –, o meia Maicon e o zagueiro João Filipe, que está emprestado ao Náutico.

Por Cezar Alvarenga – O ex atacante do Corinthiasn, volta jogar após vencer arritmia cardíaca.

Fonte: UOL Esportes

Adilson teve aval médico para voltar ao futebol e defenderá o XV de Piracicaba

O atacante Adilson está ansioso em retornar aos campos. Afastado do futebol desde dezembro, quando foi diagnosticada arritmia cardíaca em exame feito no Corinthians, o atleta teve aval médico para voltar a atuar profissionalmente. Adilson acertou contrato com o XV de Piracicaba por três temporadas.

O problema cardíaco apresentado no ano passado colocou um ponto de interrogação na carreira de Adilson. Não se tratava de grave arritmia, mas necessitaria de tratamento. Ele tinha tudo certo com o Ceará em dezembro de 2012, mas o clube nordestino cancelou o negócio após conferir os exames do atacante.

Desde então, Adilson tomou medicamentos e passou por bateria de testes físicos, muitos deles oferecidos gratuitamente pelo Corinthians, que já não tinha mais vínculo com o atleta.

“Eu não sentia nada, mas precisava seguir as recomendações do médico à risca. Foi o que eu fiz neste período. Desde o início eu sabia que minha carreira não ia terminar ali. Estou totalmente pronto, sem nenhuma restrição e com muita vontade de retribuir o carinho do pessoal de Piracicaba”, declarou o jogador de 26 anos, que defendeu o Corinthians no 2º semestre do ano passado.

Adilson não ficou totalmente afastado do futebol no período de tratamento médico. Ele participou de torneio de várzea em Piracicaba no 1º semestre. Ironia do destino, o time que defendeu no amador chama-se Enfartados. Em poucos jogos, o atacante se tornou artilheiro disparado.

“Esses jogos na várzea serviram para provar que eu estava bem e amenizar a saudade do futebol. Os jogadores do meu time [Enfartados] e também os adversários se sentiam honrados em enfrentar um atleta profissional. É diferente né. Eles diziam: ‘não vale jogar contra o Adilson’ e ‘vou arrumar um coração para você’. Foi uma fase legal”, disse.

Sua estreia pelo XV deve ocorrer daqui duas semanas, tempo que ele acredita estar no mesmo nível físico dos demais. O clube participa da Copa Federação Paulista, que dá acesso à Copa do Brasil.

Por Cleber Aguiar – Santos encaminha acerto, e Renato pode ser 1ª contratação da era Zinho

Fonte: Globo.com

Jogador, que estava no Flamengo, conseguiu liminar para negociar com outros clubes na semana passada e acerta detalhes com o Alvinegro

Por Fernando Prandi e Richard Souza Santos e Rio de Janeiro

Renato abreu flamengo entrevista (Foto: André Durão / Globoesporte.com)Renato Abreu está muito perto de assinar com o
Santos (Foto: André Durão / Globoesporte.com)

O Santos está próximo de contratar o meia Renato Abreu, ex-Flamengo e Corinthians.  O acerto entre as partes está sendo finalizado. O atleta já vinha sendo analisado pela diretoria alvinegra e ganhou o aval de Zinho, novo gerente de futebol do clube. A dupla trabalhou junta no Rubro-Negro no ano passado.

Com 35 anos, Renato é canhoto e joga tanto de meia como de volante. Como disputou menos de sete partidas no Campeonato Brasileiro com a camisa do Flamengo, poderá ser inscrito na competição pelo Peixe.

Na semana passada, o jogador conseguiu uma liminar para se desvincular do clube carioca e negociar com outras equipes. Renato foi demitido via site oficial no dia 17 de junho. No início de julho, o departamento de futebol ordenou que o jogador voltasse a treinar separadamente, mas ele se negou. O atleta cobra uma dívida pelo seu contrato, que iria até o final do ano – o Flamengo propôs pagar R$ 500 mil, acordo que também foi recusado pelo meio-campista.

A reportagem do GLOBOESPORTE.COM tentou entrar em contato com os dirigentes do Santos, mas eles não atenderam nem retornaram os telefonemas.

Por Cleber Aguiar – Diretor do Inter ressalta poder de reação do time contra o Botafogo

Fonte: Portal Terra

Vicente Fonseca

Mais uma vez, o Internacional conseguiu buscar do resultado adverso um empate dentro do Campeonato Brasileiro. Depois de sair perdendo para Grêmio e Atlético-PR, e em ambas conseguir a igualdade, o Colorado levou um gol do Botafogo, virou, ficou atrás novamente e buscou o 3 a 3 no último lance do jogo com Fabrício. O poder de reação da equipe agrada ao diretor de futebol do clube, Luís César Souto de Moura.

“Tenho muito orgulho desse grupo, que é um grupo absolutamente indignado com a derrota. Esse time vai lutar sempre até o fim, até o apito final para não sair derrotado de campo”, comemorou o dirigente. No último domingo, o gol de empate contra o Atlético-PR veio também após os 40 minutos do segundo tempo.

Ainda assim, o poder de reação só se faz necessário porque o Inter leva muitos gols. Já foram 21 neste campeonato, a terceira pior defesa da competição. Souto de Moura garante que o técnico Dunga trabalha para reverter este retrospecto: “eu não acho justo falar em ataque separado de defesa. O time é um sistema, e a gente precisa buscar equilíbrio. A comissão técnica está ciente disso, de que é preciso que o sistema desempenhe melhor as tarefas defensivas, do modo como já faz nas ofensivas”, resumiu.

Luís César Souto de Moura também fez críticas à arbitragem, em relação a uma complacência com as faltas cometidas pelo Botafogo e no lance do pênalti que originou o segundo gol do time carioca. “o Muriel toca primeiro na bola, e o jogador então deixa o corpo para forçar o contato e o pênalti”, explicou o dirigente.

Com 21 pontos e um jogo a menos que a maioria dos concorrentes, o Inter encerra a rodada na 7ª colocação, embora seja 4º por aproveitamento. Domingo, o Colorado recebe o Atlético-MG, no Estádio do Vale, em Novo Hamburgo. Com o empate diante do Botafogo, a equipe do técnico Dunga já acumula quatro jogos sem vitória no Brasileirão.

Por Cleber Aguiar – Atlético-PR arranca empate e aumenta sofrimento são-paulino

Fonte: Gazetaesportiva.net

Tossiro Neto

Não foi na fria noite desta quinta-feira que o São Paulo pôs fim ao seu jejum de vitórias. De volta ao Morumbi, onde havia perdido as últimas cinco partidas no Campeonato Brasileiro, o time treinado por Paulo Autuori saiu em vantagem com gol polêmico de Rodrigo Caio, mas sofreu o 1 a 1 do Atlético-PR ainda no primeiro tempo – Paulo Baier empatou em pênalti cometido por Rafael Toloi.

O primeiro gol do jogo, aos 16 minutos, gerou muita reclamação por parte dos visitantes porque o assistente chegou a apontar impedimento do atacante Aloísio, que tentou desvio em cima da linha após cabeceio de Rodrigo. Pressionado por todos os são-paulinos, incluindo o goleiro Rogério Ceni, que atravessou o gramado, o árbitro apontou o centro do campo.

As duas equipes voltam a campo no domingo. O São Paulo, agora sem vencer há 11 partidas na competição (ainda na penúltima posição da tabela, com dez pontos ganhos) visita o Flamengo, enquanto o Atlético (sétimo colocado, com 21 pontos ganhos) recebe o Criciúma.

Fernando Dantas/Gazeta Press

Rodrigo Caio abriu o placar, aos 16 minutos, mas São Paulo sofreu o empate em pênalti cometido por Toloi

Nesta quinta-feira, com o ambidestro Clemente Rodríguez improvisado na lateral direita, no lugar do suspenso Douglas, e Osvaldo na vaga do lesionado Luis Fabiano, o São Paulo teve apenas duas mudanças em relação ao time que havia perdido para a Portuguesa, no domingo. E se tivesse todos à disposição, o técnico Paulo Autuori não faria nenhuma sequer.

Satisfeito pelo segundo tempo apresentado no Canindé, o treinador certamente gostou também do começo da primeira etapa desta quinta-feira, quando sua equipe teve maior ímpeto e volume de jogo, fazendo o goleiro Weverton trabalhar duas vezes em faltas sofridas por Lucas Evangelista e cobradas por Jadson da meia esquerda. Ligado, o meia levantou os braços pedindo apoio da torcida.

Aos 16 minutos, em outra falta cobrada por ele pela esquerda, Rodrigo Caio desviou de cabeça, no canto esquerdo do goleiro atleticano. O atacante Aloísio, aparentemente em condição irregular, tentou o desvio em cima da linha, mas não acertou a bola. O assistente apontou impedimento, mas, depois de muita pressão dos são-paulinos – inclusive de Rogério Ceni, que atravessou o gramado -, o árbitro confirmou o polêmico gol.

Sorte de Aloísio, que, no domingo, foi responsável pela anulação de gol nos minutos finais da derrota por 2 a 1, colocando a mão na bola também em cima da linha. Um indicativo, segundo disse o próprio Autuori, que a equipe tem perdido a lucidez em alguns momentos da partida em função da série de resultados ruins que tem acumulado.

Em vantagem no marcador, algo que não ocorria no Brasileiro desde a estreia do treinador (a derrota de virada para o Vitória), o São Paulo passou a valorizar mais a posse de bola, trocando passes muitas vezes no campo de defesa, sob orientação dos gestos de Ceni, que sentiu o perigo do recuo em duas faltas cobradas por Paulo Baier.

O veterano atleticano, a propósito, é quem mais se destacava pelos visitantes. Aos 34 minutos, ele fez ótimo lançamento para Marcelo. Ceni deixou a área para se antecipar ao lance, mas perdeu o tempo da bola, a desviou estranhamente com o joelho e derrubou o adversário fora da área. O árbitro concedeu a vantagem para que Dellatorre tentasse o gol, mas o atacante bateu por cima do travessão.

Dois minutos depois, porém, o Atlético chegou ao empate. Marcelo recebeu passe dentro da área e foi derrubado por carrinho de Rafael Toloi. O pênalti foi tão claro que nem o zagueiro nem o capitão são-paulino reclamaram com o árbitro. Ceni ainda tocou a mão esquerda na bola, mas não com força suficiente para evitar que o chute de Baier entrasse no centro do gol e igualasse o placar.

Autuori não mexeu no time no intervalo. Só fez alterações depois dos 17 minutos, talvez descontente com o alto número de passes errados e com a ligeira superioridade adversária – o Atlético quase virou o jogo no minuto anterior, em arremate rasteiro de Dellatore de dentro da área. Ele tirou Fabrício e Jadson e colocou Paulo Henrirque Ganso e Ademilson.

A torcida, que estabeleceu recorde de público do São Paulo no Brasileiro (25.827 pessoas) em função da promoção de ingressos, não viu efeito nas mexidas e começou a ficar apreensiva com a lentidão de seu time e com os contragolpes atleticanos. No fim das contas, o ponto ganho (o primeiro no Morumbi desde 29 de maio, data da última vitória no campeonato) acabou sendo lucrativo.