ICFUT – CAMPEONATO BRASILEIRO 2013 – SÉRIE B

Icasa 0 x 3 Oeste – Série B Brasileiro 2013
Sport 2 x 0 Avaí, GOLS – Brasileirão 2013 Serie B

LINK 1 – JOGOS DO BRASILEIRÃO AO VIVO – CLIQUE AQUI !

 

 

LINK 2 – JOGOS DO BRASILEIRÃO AO VIVO – CLIQUE AQUI !

 

10 GOLS
Chapecoense –
Bruno Rangel

7 GOLS
Joinville – Lima

Clube PG J V E D GP GC SG A%
Chapecoense-SC 20 8 6 2 0 20 7 13 83,3
Palmeiras-SP 18 8 6 0 2 16 4 12 75,0
Sport-PE 18 9 6 0 3 18 12 6 66,7
Joinville-SC 16 8 5 1 2 18 9 9 66,7
Figueirense-SC 16 8 5 1 2 17 12 5 66,7
América-MG 14 8 4 2 2 15 14 1 58,3
Paraná-PR 12 8 3 3 2 8 7 1 50,0
Oeste-SP 12 9 3 3 3 11 14 -3 44,4
Bragantino-SP 11 8 3 2 3 8 8 0 45,8
10º
Atlético-GO 10 8 3 1 4 8 12 -4 41,7
11º
Icasa-CE 10 9 3 1 5 12 17 -5 37,0
12º
São Caetano-SP 10 8 2 4 2 9 6 3 41,7
13º
Ceará-CE 10 8 2 4 2 10 8 2 41,7
14º
Paysandu-PA 9 8 2 3 3 12 12 0 37,5
15º
Avaí-SC 9 9 2 3 4 11 15 -4 33,3
16º
Boa Esporte-MG 9 8 2 3 3 6 11 -5 37,5
17º
Guaratinguetá-SP 7 8 2 1 5 12 17 -5 29,2
18º
ASA-AL 7 8 2 1 5 7 15 -8 29,2
19º
América-RN 6 8 1 3 4 10 16 -6 25,0
20º
ABC-RN 2 8 0 2 6 4 16 -12 8,3
9ª RODADA
16/07 – 21h00 Icasa-CE 0 x 3 Oeste-SP
16/07 – 21h00 Sport-PE 2 x 0 Avaí-SC
19/07 – 21h00 São Caetano-SP x Guaratinguetá-SP
19/07 – 21h00 Paraná-PR x América-RN
20/07 – 16h00 Figueirense-SC x Palmeiras-SP
20/07 – 16h20 Chapecoense-SC x América-MG
20/07 – 16h20 Bragantino-SP x Ceará-CE
20/07 – 16h20 Boa Esporte-MG x Paysandu-PA
20/07 – 21h00 ASA-AL x Atlético-GO
20/07 – 21h00 ABC-RN x Joinville-SC
10ª RODADA
23/07 – 21h00 Icasa-CE x Joinville-SC
23/07 – 21h00 Figueirense-SC x São Caetano-SP
26/07 – 21h00 Sport-PE x Oeste-SP
26/07 – 21h00 ABC-RN x Paysandu-PA
27/07 – 16h20 Chapecoense-SC x Avaí-SC
27/07 – 16h20 Guaratinguetá-SP x Palmeiras-SP
27/07 – 16h20 Boa Esporte-MG x América-MG
27/07 – 16h20 Paraná-PR x Ceará-CE
27/07 – 21h00 Atlético-GO x América-RN
27/07 – 21h00 ASA-AL x Bragantino-SP

Por Cleber Aguiar – Nova geração de Meninos da Vila tenta repetir sucesso de 2002 e 2010

Fonte: Globo.com

Protagonistas das últimas duas gerações de craques do Santos apontam semelhanças e diferenças entre equipes do passado e a atual garotada

Por Lincoln Chaves Santos, SP

Ficou difícil? Chama os Meninos da Vila. Em 2002 e 2010, a estratégia de recorrer à base em momentos de dificuldade deu resultado no Santos. Não só com títulos, mas revelando jogadores que, além de cativar a torcida, trouxeram retorno aos cofres do clube. Com a demissão do técnico Muricy Ramalho e a venda de Neymar, é chegada a vez de mais uma geração de jovens promessas ganhar espaço na Vila Belmiro. O cenário, no entanto, é diferente do que se viu nos últimos anos. É o que garantem personagens que acompanharam de perto o surgimento das últimas duas grandes safras do Peixe.

Montagem - Promessas Santos (Foto: Editoria de Arte)Diego, Robinho, Ganso, Neymar, Neilton, Gabigol e a fábrica de craques do Santos (Foto: Editoria de Arte)

Meia da geração campeã brasileira em 2002, Robert já era veterano quando Diego e Robinho despontaram. Na ocasião, o Santos vinha de um primeiro semestre decepcionante, eliminado na primeira fase do Torneio Rio-São Paulo. Era preciso remontar toda a equipe – mesmo sem condições financeiras para arcar com nomes de peso. Só aí, aponta o ex-jogador, estão duas diferenças fundamentais entre a geração que brilhou 11 anos atrás – que também teve “meninos” como o zagueiro Alex, o meia Elano e o atacante William – e a atual.

– Acho que o aspecto financeiro do clube agora está melhor que naquela época. Hoje há condição de investir. Venderam o Neymar, entrou um dinheiro (pouco mais de R$ 27 milhões do total da transferência ficaram com o Santos). Além disso, o time atual já tem um esqueleto. Uma defesa com Edu Dracena e Durval, gente como Arouca, Cícero e Montillo. Em 2002, o (Emerson) Leão chegou e só tinha praticamente a molecada, mais o Renato e o Fábio Costa. Ele (Leão) teve que montar toda a equipe. Vieram Maurinho e Alberto. Depois, o Alex, que tinha sido mandado embora e foi chamado para completar time no coletivo – recorda.

Robert, Santos 2002 (Foto: Celso Junior / Agência Estado)Em 2002, Robert era um dos mais experientes do
Santos (Foto: Celso Junior / Agência Estado)

Outra diferença, na visão de Robert, está justamente no surgimento de Robinho e Diego. O ex-camisa 11 do Santos ainda não vê, na atual geração, jogadores que destoem do resto do elenco como ocorria com a dupla há 11 anos. Ele, porém, recorda que em 2002, antes do Brasileirão começar, ninguém apostava que os então meninos teriam aquele sucesso.

– Nosso time tinha dois caras acima da média, que foi algo que só percebemos durante o Brasileiro. O Diego estava sempre em seleções de base, o Robinho também. Eu vejo bons jogadores na atual geração, mas nenhum fora de série. Só que nós só percebemos as qualidades deles quando começaram a jogar. Hoje, há garotos com potencial. Casos do Jubal, Pedro Castro, Leandrinho, Léo Cittadini, Lucas Otávio. O Gabriel tem entrado bem. Naquela época, escalar o time era montar quebra-cabeça com dois jogadores geniais. Já hoje, são bons jogadores que podem dar certo juntos – opina.

Oito anos depois, mais uma geração

Oito anos depois, foi a vez da geração liderada por Neymar e Paulo Henrique Ganso aparecer, com os títulos paulista e da Copa do Brasil, resultados de um futebol alegre e veloz. Gerente de futebol do Santos em 2010, o ex-jogador Jamelli, um dos destaques do Alvinegro vice-campeão brasileiro em 1995, acabou participando da montagem da equipe – na qual também despontaram nomes como André, Rafael Cabral e Wesley. Só que, diferentemente de 2002, a mescla entre meninos e veteranos foi maior.

– Nosso desafio era criar um time totalmente novo, pois havia chegado ao fim o ciclo daquela geração de Fábio Costa, Rodrigo Souto, dentre outros. Tínhamos talentos, mas era preciso ampará-los com gente experiente. Então, vieram Durval e Marquinhos, recuperamos Edu Dracena e Léo, e demos sustentação a esses meninos. Neymar era craque, o Ganso era craque, o Wesley voltou bem do Atlético-PR, o André chegou à Seleção… E trouxemos o Robinho. Foram veteranos que, na hora da paulada, seguravam as pontas para a molecada – descreve Jamelli, que vê mais semelhanças que diferenças nos cenários das gerações de 2010 e 2013.

– Na história do Santos, sempre houve a tradição de se recorrer à molecada e ela corresponder. Em 2010, acho que o grande mérito foi que, em janeiro daquele ano, o time valia 10. No final da temporada, ganhando tudo, valia 10 milhões. Acho que agora é a mesma situação. Há jogadores talentosos em meio a outros mais experientes, e o Santos tem esse Brasileiro para revelá-los. Mas com cuidado. Não adianta botar seis meninos de uma vez, por exemplo. O Neymar entrou aos poucos. Já o Victor Andrade, acho que a entrada dele foi precipitada. É preciso que os experientes deem a estrutura – avalia.

André, Robinho, Neymar e Ganso em treino do Santos (Foto: Agência Estado)André, Robinho, Neymar e Ganso: geração de 2010 brilhou com garotos e veteranos (Foto: Agência Estado)

A cautela pregada por Jamelli é defendida também pelo vice-presidente Odílio Rodrigues, que há três anos ocupava o mesmo cargo de hoje na Vila Belmiro. O dirigente pede que o torcedor não espere o surgimento de novos Neymares e Gansos, mas também admite semelhanças entre as safras de 2010 e a atual.

– Em 2002, houve uma necessidade (de se apostar nos jovens). Agora é diferente. Temos jogadores bem experimentados no elenco e o fato do Claudinei (Oliveira, técnico) estar promovendo e observando garotos vindos da base. Entendemos essa uma mescla como mais prudente. Há mais semelhanças (da geração de 2013) com a de 2010, mas deixando claro que não podemos cobrar mais deles do que se deve, para não exagerarmos na responsabilidade destinada a eles – resume.

Dos 39 jogadores do atual elenco, 19 são formados na Vila Belmiro, sendo que dois (Leandrinho e Neilton) vem sendo titulares no Brasileirão e na Copa do Brasil. Resta saber se a safra vai alcançar o sucesso dos times liderados por Robinho e Neymar. Sem perder a quatro partidas e responsável pela ascensão do Alvinegro no campeonato nacional, a geração de Neilton, Leandrinho, Gabriel, Pedro Castro e companhia já mostra, pelo menos, um cartão de visitas muito promissor.

Por Cleber Aguiar – Cavani vê PSG entre favoritos à Liga dos Campeões

Fonte: O Estado de São Paulo

Artilheiro do último Campeonato Italiano foi apresentado na França para ser parceiro de Ibrahimovic

O atacante Edinson Cavani foi confirmado nesta terça-feira como novo reforço do Paris Saint-Germain e não escondeu a confiança no projeto do clube, que conta com os milhões de dólares de um grupo do Catar para se tornar um dos maiores times do mundo. Com nomes como Thiago Silva, Lucas, Ibrahimovic, entre outros, a equipe é uma das poucas que podem vencer a Liga dos Campeões da próxima temporada, pelo menos na avaliação de Cavani.

Cavani destacou projeto do PSG - Jacques Brinon/AP
Jacques Brinon/AP
Cavani destacou projeto do PSG

“Nunca hesitei em vir para cá quando vi a confiança que o clube depositou em mim. Esse projeto é muito ambicioso, muito motivador. Eles estão entre os principais clubes do mundo. Eles estão entre os poucos clubes que podem vencer a Liga dos Campeões”, disse o atacante em sua apresentação.

Para tirá-lo do Napoli, o PSG teria desembolsado, segundo a imprensa europeia, 64 milhões de euros, na maior contratação da história de um clube francês. A expectativa é de que Cavani faça uma boa dupla com Ibrahimovic, outra das grandes aquisições da equipe nos últimos tempos. “Eu acho que nos daremos bem. O Zlatan (Ibrahimovic) é um jogador de nível mundial. Para outro atacante é um prazer fazer dupla com ele. Espero que façamos uma boa dupla.”

Revelado pelo Danúbio, do Uruguai, e com passagem pelo Palermo, Cavani ganhou mesmo destaque no futebol mundial por sua passagem pelo Napoli. Na última temporada, inclusive foi o artilheiro do Campeonato Italiano, com 29 gols. “Eu tive três anos fantásticos no Napoli. Mas eu sempre quis tentar ir para o próximo nível. Me foi proposto um grande projeto aqui no Paris Saint-Germain”, comentou.

Por Cleber Aguiar – Botafogo acerta com atacante uruguaio da mesma cidade de Loco Abreu

Fonte: Gazetaesportiva.net

Marcelo-Martinez-Foto-Arquivo-pessoal_LANIMA20130612_0025_27O uruguaio Marcelo Martinez treinava com os juniores, em Caio Martins, desde fevereiro, mas assinou contrato com o Botafogo apenas nesta terça-feira. Com 18 anos, o atacante firmou o vínculo com a equipe de General Severiano até dezembro de 2014. Conhecido como “Dinamita”, o jogador tem a inspiração de compatriotas que fizeram ou ainda fazem sucesso com a camisa do Botafogo.

Ídolo nas últimas temporadas, Loco Abreu é nascido em Minas, no Uruguai, a mesma cidade de Marcelo Martinez. Além do atacante, o jogador da mesma posição também pode se inspirar no meia Nicolás Lodeiro, um dos principais jogadores da seleção de seu país e que ainda veste a camisa alvinegra nesta temporada.

O atacante uruguaio deve estar na delegação botafoguense que disputará a Weifang Cup, na China. A competição será disputada entre os dias 28 de julho e 4 de agosto e os clubes de maior expressão são: Porto-POR, São Paulo e Chivas-MEX. Na primeira fase, o Botafogo tem em seu grupo HK Rangers, Myanmar Youth e China Youth.

Por Cleber Aguiar – Série C: Técnico completa 36 jogos sem perder à frente do Sampaio Corrêa

Fonte: Futebolinterior.com.br

0002048086432_imgFutebol

Norte/Nordeste, Flávio Araújo chegou a marca de 36 jogos sem perder à frente do Sampaio Corrêa, hoje líder do Grupo A no Campeonato Brasileiro da Série C. São duas passagens nos últimos dois anos.
O treinador assumiu o clube pela primeira vez no returno do Campeonato Maranhense do ano passado e só saiu após o título do Campeonato Brasileiro da Série D. Neste período o time não perdeu e ainda sagrou-se campeão de forma invicta. Foram 15 partidas no Estadual, mais 17 pelo Nacional.

Agora, na segunda passagem, Flávio também não sabe o que é perder com a Bolívia Querida. São quatro jogos, sendo três vitórias – Brasiliense (5 a 1, em casa), Águia (2 a 0, fora de casa) e Baraúnas (4 a 1, em casa) – e apenas um empate, este diante do Treze, por 1 a 1, em Campina Grande, na Paraíba.

“É uma boa marca, mas que eu evito pensar. Trabalho jogo a jogo. Fico contente em poder ajudar o Sampaio, um time de tradição e que merece estar presente nas principais Divisões do Campeonato Brasileiro. Tenho um carinho enorme por todos aqui”, disse o treinador ao Portal FI.

O Sampaio Corrêa é líder do Grupo A, com dez pontos ganhos – mesmo número que Fortaleza e Luverdense, vice-líder e terceiro colocado, respectivamente. Na próxima rodada o time maranhense volta a campo contra o Luverdense, em São Luís.

Por Cleber Aguiar – Thiago Alcântara chega ao Bayern e admite influência de Guardiola

Fonte: Gazetaesportiva.net

O meio-campista Thiago Alcântara foi apresentado nesta terça-feira como novo reforço do Bayern de Munique. Ao passar pelos exames médicos e assinar o contrato por quatro temporadas, o jogador ganhou um abraço do técnico Pep Guardiola e confessou que o treinador foi determinante para decidir deixar o Barcelona.

“Eu pensei muito, muito. Analisei como foi minha última temporada no Barcelona e, ao acabar o Europeu (sub-21), o Pep me chamou e eu decidi. Não conheci em minha carreira um treinador igual a ele”, afirmou o atleta.

Filho do ex-jogador Mazinho, que foi tetracampeão mundial pelo Brasil, Thiago Alcântara nasceu na Itália, mas cresceu na Espanha e decidiu atuar pela Fúria, fechando as portas para um futuro na Seleção Brasileira.

AFP

Filho de Mazinho explica que opinião de Pep Guardiola foi determinante para sua escolha (Foto: Christof Stache/AFP)

Profissional no Barcelona desde 2009, o meio-campista reconhece que foi complicado decidir pela saída da equipe catalã. “Não foi uma transferência fácil, porque são duas equipes que estão no mesmo nível. O Barça vinha sendo minha casa”, acrescentou.

A partir de agora, o jogador já espera dar trabalho ao ex-clube. Ciente do amistoso entre Bayern e Barcelona na próxima semana, Thiago Alcântara se coloca à disposição de Guardiola para enfrentar o time catalão.

“Sim, claro que estou pronto. Será uma partida muito bonita ”, afirmou o atleta, que vestirá a camisa de número seis no time alemão.

Por Cleber Aguiar – Santos prepara documentário com Neymar andando disfarçado pelas ruas

Fonte: Lancenet.com.br

Em fase embrionária, material da Santos TV mostra o craque indo aos treinos de bicicleta e chorando em sua última entrevista pelo clube. Lançamento deve ser este ano
Neymar-Nacional-Foto-Evaristo-SaAFP_LANIMA20130526_0147_26
Marcio Porto

O Santos vem reunindo imagens inéditas para lançar um documentário sobre Neymar e sua passagem pela Vila Belmiro. O clube promete cenas emocionantes desde 2010, como a última entrevista do craque pelo clube, concedida à Santos TV, em sua partida de despedida. O duelo foi contra o Flamengo, no Mané Garrincha, em Brasília, no último dia 26. O jogador chorou ao gravar o vídeo.

O conteúdo trará ainda um aspecto curioso do atual jogador do Barcelona (ESP). Imagens mostram o craque fazendo de bicicleta o trajeto de sua casa em Santos até o CT Rei Pelé. Para não atrair os fãs, Neymar utilizava disfarce.

O material ainda está em processo embrionário, mas pode ser lançado até o fim deste ano. A produção deve começar no mês que vem, toda tocada pela Santos TV. O clube já conversou com emissoras de televisão para saber se há interesse na veiculação do filme e recebeu aceno positivo.

A ideia, além das cenas inéditas, é mostrar ao público a importância da passagem do craque pelo Peixe, sobretudo ao reforçar a imagem de sucesso das categorias de base do clube. Garotos formados no Alvinegro dão entrevistas falando desta recepção com os postulantes a novo Neymar.

O departamento de marketing do Peixe ainda não comunicou o jogador sobre o documentário, pois espera mostrá-lo pronto ao ídolo da torcida.

Por Cleber Aguiar – Conmebol encerra discussão e define o Mineirão como palco da final

Fonte: Globo.com

Entidade sul-americana garante que estádio Defensores del Chaco tem
capacidade superior a 40 mil lugares, diferentemente do Independência

A Confederação Sul-Americana de Futebol, Conmebol, confirmou que a partida decisiva da Libertadores, entre Atlético-MG e Olimpia, do Paraguai, será mesmo realizada no Mineirão. Uma nota oficial foi enviada ao presidente da CBF, José Maria Marín, que havia solicitado que o Galo fosse atendido no desejo de realizar a partida da semana que vem no Independência, onde vinha mandando seus jogos na competição.

Mineirão Brasil x Uruguai (Foto: Getty Images)Mineirão será o palco da grande final da Libertadores (Foto: Getty Images)

O presidente do Galo, Alexandre Kalil, vinha tentando nos bastidores a manutenção do Independência como sede da final. A alegação era de que o Defensores Del Chaco, estádio do Olimpia, também não tem a capacidade mínima de 40 mil lugares exigida pela Conmebol – o jogo de ida está marcado para o Defensores na noite desta quarta.

A alegação da Conmebol para manter o estádio paraguaio é de que a capacidade oficial é de 40.759 lugares, apesar de não usar a totalidade dos assentos. O Independência tem apenas 23 mil lugares.

O secretário-executivo da Associação Paraguaia de Futebol, Francisco Brítez, já havia explicado que o Defensores del Chaco teria, além dos 32 mil ingressos colocados à venda, mais 8.759. Esses lugares estariam reservados para sócios-torcedores, convidados especiais e patrocinadores, além dos profissionais de imprensa. Assim, está encerrado o assunto, e o Galo terá mesmo que jogar no Mineirão.

Confira a íntegra da nota enviada à CBF nesta terça-feira:

“Estimado Presidente e amigo,

Em referência à sua carta de ontem, que fez menção às partidas finais da Taça Libertadores e aos estádios onde serão sediados os duelos entre Olimpia e Atlético-MG.

A este respeito, lhe comunicamos que, conforme informação da Associação Paraguaia de Futebol, o estádio Defensores del Chaco conta com 40.759 lugares, discriminados corretamente, de acordo com a documentação anexa, adequado para receber jogos finais.

Vale ressaltar que o estádio Defensores del Chaco já foi sede, em várias oportunidades, de partidas finais deste mesmo torneio e das Eliminatórias para a Copa do Mundo da Fifa.

Quanto à razão pela qual a Conmebol determinou que a partida de volta seja realizada no estádio Mineirão, e não no Independência, é simplesmente pelo fato de que o citado estádio não cumpre com os requisitos estabelecidos pelo regulamento (art. 9.4), quanto à capacidade para uma partida final (40 mil pessoas). O Independência tem capacidade inferior (23 mil pessoas).

Espero que possa compreender que a posição se baseia em fundamentos, no regulamento vigente e, principalmente, para dar maior brilho e realce ao evento, o mais importante da Conmebol.

Com o apreço de sempre,

Eugênio Figueiredo
Presidente da Conmebol”