Por Cleber Aguiar – Em dia de jogos finais da Copa das Confederações, manifestantes voltam às ruas pelo País

Fonte: Estadao.com.br

16h43RIO DE JANEIRO – O clima neste segundo protesto é completamente diferente do anterior. Pela manhã, quando 5 mil pessoas seguiram pacificamente até a praça Afonso Pena, a maioria era de jovens e não havia pessoas de preto ou encapuzadas. Militantes de partidos balançavam suas bandeiras e não eram hostilizados. Os gritos eram mais bem humorados. No protesto de agora, depois de a PM deter um rapaz encapuzado e liberá-lo após revista, os militares foram hostilizados por parte dos manifestantes. Há pouco, uma equipe da TV Globo deixou a praça com escolta da PM para ir embora. A polícia calcula que 5 mil pessoas estão na concentração.

A máscara de Guy Fawkes, popular nos protestos, mudou de cor nesta manifestação de hoje na praça Saens Peña. Segundo o ambulante Gabriel Barros, de 20 anos, acabou a tinta branca e por isso todas as máscaras estão na cor salmão. Ele contou ter vendido já 100 máscaras, no protesto de mais cedo e neste, cada uma a R$ 10. As máscaras dividem espaço com camisas da seleção (número 10 e o nome de Neymar), vendidas a R$ 30,00. O ambulante contou já ter comercializado 50 peças. (Tiago Rogero)

 

16h28 – RIO DE JANEIRO – Houve princípio de confusão na Praça Saens Peña. Uma equipe da Rede Globo começou a ser hostilizada por um grupo de manifestantes. A PM passou a fazer a segurança dos jornalistas, que rapidamente deixaram o local. O clima voltou a ficar tenso quando os policiais cercaram um rapaz que escondia o rosto com a camiseta. Os manifestantes, aos gritos, pediram a libertação do rapaz, que pôde continuar no local depois de vestir a roupa. (Marcelo Gomes e Tiago Rogero)

16h17 – BELO HORIZONTE – Em assembleia dentro da Câmara Municipal, manifestantes criticam falta de posicionamento oficial do prefeito Marcio Lacerda sobre pedido de reunião. A expectativa era que o encontro fosse agendado até 15h deste domingo. O grupo, que ocupa o prédio do Legislativo desde sábado, cobra mais transparência nos contratos com as empresas de transporte coletivo. Segundo a PM mineira, nenhum incidente foi registrado no local.

16H11 – RIO DE JANEIRO – Nos protestos deste domingo, dia da final da Copa das Confederações no Maracanã, a ONG A Partir do Rio protesta contra a operação policial de segunda-feira (24) na Favela Nova Holanda, que deixou um PM e nove moradores mortos. Neste momento, 50 policiais militares estão na Praça Afonso Penna, na Tijuca. Um carro da Força Nacional reforça a segurança, e um helicóptero da PM sobrevoa o local. (Mariana Durão, Marcelo Gomes, Tiago Rogero)

Manifestantes estão acampados no jardim e no prédio da Câmara Municipal de BH desde sábado. Foto: Assembleia Popular Horizontal/Divulgação

16H04 – RIO DE JANEIRO – Dissipou-se há pouco a passeata que começou pela manhã. Os manifestantes, impedidos pela barreira policial de chegar ao Maracanã, seguiram pacificamente até a Praça Afonso Penna. Parte do grupo voltou à Praça Saens Peña, de onde partirá neste domingo a segunda manifestação prevista. Neste momento, cerca de 2 mil pessoas estão no local. Os integrantes da Frente Nacional de Torcedores, que invadiram e ocuparam por cerca de 30 minutos o prédio da nova sede da CBF pela manhã, na Barra da Tijuca, também estão na Praça Saens Peña para o protesto rumo ao estádio. (Mariana Durão, Marcelo Gomes, Tiago Rogero)

15H40 – RIO DE JANEIRO – Diferente de outras manifestações, o movimento deste domingo agregou membros de partidos políticos, representantes de movimentos sociais, líderes estudantis e sindicalistas. Partidos como o PSTU e PSOL participaram sem serem hostilizados. (Mariana Durão)

15h39 – BELO HORIZONTE – Manifestantes que ocupam a Câmara Municipal fazem assembleia para debater pauta de reivindicações. Grupo permanece no prédio desde sábado.

Barreira policial impede a passagem de quase 5 mil manifestantes, segundo a PM do Rio de Janeiro, concentrados nas imediações do Maracanã. Vídeo: Luís Felipe

15h20 – RIO DE JANEIRO – Concentrados na Praça Afonso Penna, na Tijuca, manifestantes leram os principais pontos de protesto. Entre as reivindicações, estão o fim do processo de concessão do Maracanã à iniciativa privada, a reabertura do Parque Aquático Julio Delamare e a reconstrução da pista de atletismo do estádio Célio de Barros, destruída na reforma do estádio para a Copa. Uma grande bandeira, que cobre pelo menos 10 janelas de dois andares, foi estendida no topo de um prédio em frente à praça. Ela traz a mensagem: “Unfair players: Fifa, Police, Cabral e Paes”, em referência ao governador e prefeito do Rio, brincando com a bandeira de “Fair play” da Fifa. (Mariana Durão, Marcelo Gomes e Tiago Rogero)

15h09 – SALVADOR – Com baixa adesão, o protesto organizado pelo Movimento Passe Livre local terminou de modo pacífico. Embora mais de 20 mil pessoas tenham confirmado presença na passeata pelas redes sociais, menos de mil participaram do ato público. Os manifestantes tentaram se aproximar da Arena Fonte Nova, palco do jogo entre Uruguai e Itália pela Copa das Confederações, mas foram impedidos pela polícia. (Tiago Décimo)

14H45 – FORTALEZA – Aproximadamente 150 crianças fizeram uma manifestação no fim da manhã deste domingo, no Passeio Público da capital cearense. O protesto foi acompanhado pelos pais, que ajudaram os filhos na confecção de cartazes cobrando melhorias sociais. (Lauriberto Braga)

14h35 – O protesto que reuniu cerca de 1.200 pessoas em Taboão da Serra, na região metropolitana de São Paulo, foi encerrado, segundo a Polícia Militar. Depois de bloquear a Rodovia Régis Bittencourt por alguns minutos e seguir para as imediações do Shopping Taboão, grupo se dispersou. Não houve confrontos com a PM.

14H26 – BELO HORIZONTE – Depois de reunião com representantes do Executivo, grupo que ocupa a Câmara Muncipal de BH decidiu permanecer no prédio e exige a presença do prefeito Marcio Lacerda. Nova assembleia entre os manifestantes está agendada para 15h. Pelas redes sociais, são pedidos utensílios e alimentos para os integrantes do protesto que seguem acampados no imóvel.

14h03 – De acordo com a Polícia Militar, os manifestantes encerraram o protesto contra a violência no Parque do Ibirapuera, na zona sul de São Paulo. Sem registro de incidentes, a passeata reuniu cerca de 250 pessoas.

Depois de passar pela região da Barra da Tijuca, centenas de manifestantes marcharam rumo ao Maracanã. Foto: @GuilhermeJrg

13h50 – RIO DE JANEIRO – Segundo o Centro de Operações da Prefeitura, as interdições em pelo menos 16 vias nas áreas próximas ao Maracanã foram antecipadas em 20 minutos. Somente veículos autorizados, relacionados ao evento e devidamente identificados, poderão circular nos trechos bloqueados. Manifestantes já se deslocam nas proximidades do estádio, que sediará a final da Copa das Confederações entre Brasil e Espanha a partir das 19h. Uma barreira policial impede a passagem de quase 5 mil manifestantes, que já chegaram à região do Maracanã.

13h41 – SALVADOR – Aproximadamente 400 manifestantes estão reunidos no Vale dos Barris, área do acesso sul da Arena Fonte Nova, onde as seleções da Itália e do Uruguai se enfrentam agora pela Copa das Confederações. De acordo com a Polícia Militar baiana, eles se deslocaram da região do Campo Grande até as imediações do estádio de forma pacífica.

13h34 – RIO DE JANEIRO – Segundo a Polícia Militar, manifestantes se deslocam agora pela Rua São Francisco Xavier, na altura da Igreja São Francisco Xavier, rumo ao estádio do Maracanã. Representantes da Ordem dos Advogados do Brasil, da Defensoria Pública, além dos Ministérios Públicos estadual e federalvão acompanhar de dentro do Centro de Controle Móvel da PM as operações durante os protestos marcados para a tarde deste domingo. (Marcelo Gomes e Tiago Rogero)

13h25 – De acordo com a concessionária Autopista, os manifestantes de Taboão da Serra liberaram totalmente a Rodovia Régis Bittencourt, na altura do km 270. As pistas ficaram bloqueadas por poucos minutos no começo da tarde pelos integrantes da passeata.

13h17BELO HORIZONTE – De acordo com a PM mineira, cerca de 300 pessoas permanecem dentro da Câmara Municipal de BH. O grupo hasteou bandeiras de movimentos sociais em frente ao prédio. Um protesto também era esperado na Praça Sete, região central da cidade, mas ainda não há concentração de manifestantes.

Mais de 250 manifestantes se vestiram de preto para a passeata contra a violência na zona sul de São Paulo. Foto: Fábio Saboya/Facebook

13h09RIO DE JANEIRO – Policiais acompanham mais de 5 mil manifestantes, que se deslocam pela Avenida Maracanã, no sentido da Rua São Francisco Xavier. Às 19h, a seleção brasileira enfrenta a Espanha no estádio carioca pela final da Copa das Confederações.

13h06 – Aproximadamente 250 manifestantes acabaram de chegar ao Parque do Ibirapuera, na zona sul de São Paulo, em protesto contra a violência urbana. De acordo com a Polícia Militar, a passeata é pacífica.

12h49 – Em função dos protestos que reúnem quase mil pessoas em Taboão da Serra, na região metropolitana de São Paulo, o Shopping Taboão foi momentaneamente fechado por medida de segurança. Embora o grupo permaneça nas imediações, o centro comercial já foi reaberto.

12h43RIO DE JANEIRO – De acordo com a Polícia Militar, cerca de 1.500 manifestantes se deslocam para a Praça da Vanhargem, perto do estádio do Maracanã.

12h38 – Segundo a CET, o Túnel Sebastião Camargo foi totalmente liberado pelos manifestantes que protestam contra violência na zona sul de São Paulo.

12h12 – Mil pessoas fazem passeata nas ruas centrais de Taboão da Serra, região metropolitana de São Paulo, no fim da manhã deste domingo. De acordo com a Polícia Militar paulista, não houve registro de nenhum incidente na passeata, que reivindica melhorias no sistema de transporte e moradia.

12h05 – Cerca de 250 pessoas deixaram o Túnel Sebastião Camargo e atravessam a Avenida Santo Amaro, na zona sul de São Paulo, durante manifestação. Segundo a CET, o protesto agora bloqueia o tráfego na Rua Antônio Joaquim de Moura Andrade. O fim do trajeto da passeata deve ser no Parque do Ibirapuera.

Manifestantes cariocas protestas contra a Fifa perto do estádio do Maracanã. Foto: Alex Silva/Estadão

11h39BELO HORIZONTE – Cerca de 300 manifestantes ainda ocupam a Câmara Municipal de BH, de acordo com a Polícia Militar de Minas Gerais. A pressão do grupo, que está no prédio do Legislativo desde a manhã de sábado, fez com que os vereadores aprovassem em segundo turno a redução de R$ 0, 05 nas tarifas de ônibus da capital mineira. Nenhum incidente, segundo a PM, foi registrado no local nesta manhã. Nas redes sociais, foi marcada novo protesto no centro de BH. Os manifestantes sairiam da Praça Sete e seguiriam rumo à Assembleia Legislativa.

11h32 – Manifestantes organizam protestos em Salvador e no Rio de Janeiro, cidades que sediarão as partidas finais da Copa das Confederações. Por causa dos dois grandes atos públicos esperados nas imediações do Maracanã, foi preparado um forte esquema de segurança com 10 mil policiais e 7.400 militares do Exército, Marinha e Força Aérea. Na capital baiana, integrantes do Movimento Passe Livre local planejam uma passeata até o acesso sul da Arena Fonte Nova. Cerca de 22 mil pessoas confirmaram presença no evento pelo Facebook.

Por Cleber Aguiar – Drama tropical: Buffon brilha nos pênaltis, e Itália leva o terceiro lugar

Fonte: Globo.com

Após empate por 2 a 2 até a prorrogação, sob muito calor, Azzurra vence batalha nos pênaltis contra o Uruguai, com três defendidos pelo goleiro

Em alguns anos, talvez, poucas pessoas se recordarão que Uruguai e Itália terminaram a Copa das Confederações de 2013 entre os quatro melhores. Seria “apenas” a disputa do terceiro lugar, mas o jogo deste domingo, na Arena Fonte Nova, em Salvador, foi digno de uma final, uma mistura de drama e crueldade com dois times esgotados fisicamente debaixo de muito sol pelo horário ingrato. Depois do empate por 2 a 2 no tempo normal e de 30 minutos sem gol na prorrogação, Buffon pegou três pênaltis e deu a vitória à Azzurra por 3 a 2.

O lendário goleiro italiano de 35 anos se redimiu depois de um torneio instável, principalmente quando falhou na derrota para o Brasil. No tempo normal, fez defesas importantes e um milagre com os pés em chute de Forlán cara a cara – embora tenha pulado atrasado no segundo gol celeste. Nas batidas, repetiu a dose e defendeu a cobrança do atacante do Inter. Em seguida, para salvar o erro de De Sciglio, pegou o de Cáceres e o de Gargano, assegurando o honroso terceiro lugar. Com isso, acabou sendo, ao lado de Cavani, eleito melhor em campo, o destaque da partida, ainda que os pênaltis tenham sido mal cobrados.

Com público pagante anunciado de 43.382, em um estádio com o gramado sofrido no final, Celeste e Azzurra mostraram desde o início os motivos por quase terem eliminado Brasil e Espanha nas semifinais. Foram gigantes, legítimos donos de seis títulos mundiais somados. Os italianos superaram qualquer escala de esforço físico e psicológico depois de enfrentarem um duelo de 120 minutos e uma decisão por pênaltis há três dias. Sem Pirlo e tantos outros, brilharam os reservas. Astori, em falha do goleiro Muslera, e Diamanti, de falta, marcaram.

buffon festa penalti italia x uruguai (Foto: Getty Images)Time italiano festeja vitória nos pênaltis, após terceira defesa de Buffon (Foto: Getty Images)

Os uruguaios não ficaram atrás no empenho para subir ao pódio. Estiveram sempre em desvantagem no placar e, como manda sua tradição, não desistiram em nenhum momento. Nem mesmo com o sol de quase 30 graus às 13h na Bahia. Fazer gols em italianos é rotina para Cavani, artilheiro do último Calcio, com 29. Fez logo dois para levar o time à prorrogação e assegurou o prêmio de melhor em campo. Só não deu nos pênaltis.

A derrota, porém, não é problema. A Celeste mostra reação para continuar lutando por uma vaga na Copa do Mundo de 2014. O time está em quinto nas eliminatórias (iria para a repescagem) e tem pela frente quatro jogos decisivos: Peru, Colômbia, Equador e Argentina. A Itália também vai buscar a classificação no segundo semestre, mas em situação mais cômoda, liderando o Grupo B, quatro pontos acima da Bulgária.

Ah, Muslera…
Não pense em uma disputa de terceiro lugar com dois times desinteressados. Uruguai e Itália mostraram na Fonte Nova que ficar fora da decisão não foi motivo para desânimo. Em um primeiro tempo equilibrado, com nove oportunidades de gol, os italianos tiveram ligeira superioridade e contaram com a ajuda do goleiro Muslera para ficar em vantagem.

O calor de quase 30 graus ferveu os 22 jogadores, principalmente a defesa da Azzurra e o ataque da Celeste, posicionados em uma faixa de campo em que o sol não teve piedade. Talvez, por isso, a Itália começou melhor, trocando passes na sombra e ignorando o desgaste pelo duro duelo contra a Espanha na última quinta.

Chellini e suarez uruguai e itália (Foto: Getty Images)Chellini e Suárez disputam a bola sob sol
castigante em Salvador (Foto: Getty Images)

O sol, porém, não pode ser o culpado pelo gol de Astori, aos 23 minutos. Muslera pode. De novo na competição. E de novo pelo alto, seu grande defeito. Assim como no lance decisivo de Paulinho contra o Brasil, a bola batida por Diamanti viajou (na sombra) e passou por cima do goleiro. Desta vez, bateu na trave, voltou no ombro dele e quicou na linha até que o zagueiro completasse.

A marcação teve a ajuda do chip na bola, novidade no torneio. O árbitro havia dado o gol para Diamanti, mas o recurso mostrou que a bola não passou a linha por completo, permitindo que Astori fosse apontado como o autor.

O Uruguai teve de se desdobrar para reagir. O empate não veio, mas o time subiu de produção quando Cavani e Suárez acordaram e se movimentaram com mais frequência. O atacante do Liverpool obrigou Buffon a fazer boa defesa, enquanto o artilheiro do Napoli marcou em impedimento bem assinalado pela arbitragem.

O cansaço bateu nos minutos finais. As equipes perderam o poder de marcação e abriram o meio de campo. A Celeste foi para o intervalo revoltada com a não marcação de um pênalti depois que a bola tocou no cotovelo de Chiellini na área. Pouco antes, El Shaarawy (sim, ele jogou) só não ampliou porque Godín salvou após a bola passar por Muslera.

Terceiro lugar? Vale muito!
A troca de lado no segundo tempo claramente favoreceu o Uruguai. Sem tanto sol na cabeça dos atacantes, o time ganhou poder para envolver a defesa rival e controlar os primeiros minutos. A pressão começou, e o empate não demorou. Aos 12, em contra-ataque, o badalado setor ofensivo finalmente funcionou. Cavani recebeu de Suárez na área e tocou certeiro, no canto esquerdo de Buffon.

A Itália foi desmoronando gradativamente. A movimentação no ataque diminuiu, e o time recuou, permitindo que o Uruguai avançasse suas peças. Só Buffon não oscila. De quebra, fez milagres. Forlán chutou forte e o goleiro rebateu. No rebote, o atacante colorado soltou nova bomba, e o capitão da Azzurra tirou de forma espetacular, com a perna esquerda.

Gigi, como é chamado pelos companheiros, talvez pudesse prever que aquela defesa seria o choque necessário para o time despertar. Seis minutos depois, os italianos aproveitaram um lance de bola parada para recuperar a vantagem. Da intermediária, Diamanti cobrou falta com perfeição por cima da barreira, no canto direito baixo. Sem chances para Muslera.

buffon caceres penalti italia x uruguai (Foto: AFP)Detalhe de Buffon na defesa do pênalti mal batido por Cáceres (Foto: AFP)

A resposta sul-americana foi tão bela e precisa quanto a batida rival. Resposta de quem está acostumado a brilhar justamente na Itália, com seus 29 pelo Napoli no último
campeonato nacional. Cavani, aos 32, chutou falta de longe. Candreva não pulou, e a bola passou exatamente por cima dele. Buffon voou, mas era tarde. Igualdade justa, e duas equipes entregues no campo, sem forças para evitar a prorrogação.

A feição dos jogadores assim que soou o apito final denunciou o esgotamento. Água na cabeça, atletas deitados no gramado, massagem nas pernas…tudo foi tentado para aliviar a dor. No reinício, o Uruguai mostrou ter mais fôlego para suportar. Suárez e Chiellini arriscaram uma arrancada de dar inveja pela esquerda. O atacante pediu pênalti, ignorado pelo árbitro, e ainda levou bronca do zagueiro, com quem havia se estranhado no primeiro tempo.

Os últimos 15 minutos de tempo extra foram ainda mais arrastados. Ninguém queria se arriscar. Não havia força. Montolivo ainda foi expulso ao fazer falta por trás em Suárez. O Uruguai teve o domínio, chegou a pressionar, mas o mesmo Suárez e Gargano perderam as últimas chances e não mexeram no marcador, que apontava para a marca da cal.

Forlán abriu a série parando nas pernas de Buffon – ele já havia desperdiçado contra o Brasil. Aquilani, Cavani, El Shaarawy e Suárez fizeram. De Sciglio errou, mas o goleiro salvou novamente nos chutes de Cáceres e Gargano. Era o dia de Gigi, o herói da Azzurra.

torcida Uruguai e Itália (Foto: Getty Images)Torcida aplaude muito os times e apoia, em sua maioria, os italianos (Foto: Getty Images)