Por Cezar Alvarenga – Os dois grandes clubes turcos são eliminados de competições europeias.

Fonte: Yahoo! Esportes

fenerbache

 

Uma nota divulgada pela UEFA nesta terça-feira abala o futebol turco. A entidade máxima do futebol europeu divulgou que o Fenerbahçe e o Besiktas estão excluídos dos torneios da organização. O primeiro disputaria a Liga dos Campeões e recebeu pena de duas temporadas, e o segundo, que jogaria a Europa League, ficará fora por apenas um ano.

Ambas as equipes foram declaradas culpadas das acusações de manipulação de resultados e agora têm  três dias para recorrer ao TAS (Tribunal Arbitral do Desporto). Caso o recurso não saia vencedor, os dois clubes serão substituídos por Bursaspor (Liga dos Campeões) e Kayserispor (Liga Europa).

A pena pode atrapalhar o Fenerbahçe a contratar o atacante Oscar Cardozo, do Benfica, com quem já havia começado a negociar.

Por Cezar Alvarenga – Juventus contrata o argentino Carlos Tévez.

Fonte: Yahoo! Esportes

tevez

 

A Juventus não deixou o seu torcedor sentir a iminente perda da contratação de Gonzalo Higuaín, do Real Madrid, para o Arsenal. Nesta terça-feira, a insistência dos dirigentes Marotta e Paratici deram  certo e fizeram o atacante argentino Carlos Tévez, do Manchester City, acertar com a Velha Senhora por um valor inicial de 9 milhões de euros. Tévez é esperado em Turim, nesta quarta-feira, para realizar os exames médicos.

A reunião que acontecia em Manchester neste dia 25 pelas tratativas eram de conhecimento público. Após algumas poucas horas de reunião, os renomados sites italianos Corriere dello SportGazzetta dello Sport confirmaram a confirmação de Tévez no clube bianconero. A Juve foi decisiva. Colocou 12 milhões de euros na mesa e os Citizens se renderam, já que o contrato do atleta terminaria no ano que vem e ele poderia deixar o lado azul de Manchester sem custos. A pedida inicial dos Sky Blues era de 15 milhões de euros. No entanto, 9 milhões estão garantidos e 3 milhões serão um bônus, não revelado por Marotta e Paratici.

Carlitos vai assinar por três anos e receberá cerca de 5,5 milhões de euros anuais em Turim, com direitos a valores adicionais que também ainda não foram revelados. Dessa forma, a esperança de Adriano Galliani em trazer o argentino para o Milan foi por água abaixo. Tévez é alvinegro mais uma vez.

icha Técnica:

Nome: Carlos Alberto Martínez
Data de Nascimento: 05/02/1984
Local de Nascimento: Ciudadela, província de Buenos Aires, Argentina
Altura: 1.73m
Posição: Atacante
Clubes na carreira: Boca Juniors (2001-2004), Corinthians (2004-2006), West Ham (2006-07), Manchester United (2007-2009), Manchester City (2009-2013) e Juventus (2013).

Ficha de Titulos:

Boca – 1 Campeonato Argentino (2003), 1 Copa Libertadores (2003), 1 Copa Sul-Americana (2004) e 1 Campeão do Mundo de Clubes (2003).
Corinthians – 1 Campeonato Brasileiro (2005)
Manchester United – 2 Campeonatos Ingleses (2007-08 e 2008-09), 1 Copa da Liga Inglesa (2008-09) 1 Supercopa da Inglaterra (2008), 1 Liga dos Campeões (2007-08) e 1 Mundial de Clubes (2008).
Manchester City – 1 Campeonato Ingles (2011-12), 1 Copa da Inglaterra (2010-11) e 1 Supercopa da Inglaterra (2012).
Argentina: 1 Sul-Americano sub-20 (2003) e a Olimpiada de 2004, na Grécia.

Por Cezar Alvarenga – Ancelotti chega ao Real Madrid e pede a contratação de Paulinho do Corinthians.

Fonte: Yahoo! Esportes

paulinhoafp

 

Carlo Ancelotti ainda não foi apresentado oficialmente como o novo técnico do Real Madrid, mas já fez o seu primeiro pedido ao presidente Florentino Pérez. O novo treinador quer o volante Paulinho, que já está praticamente acertado com o Tottenham, como o reforço inicial para a próxima temporada.

A informação é do jornal inglês The Times of London, que revela o esforço de Ancelotti – de acordo com a publicação, o comandante pediu para que Florentino Pérez não meça esforços para fazer o corintiano mudar de ideia e estar no Santiago Bernabéu neste segundo semestre.

E, para isto, os merengues estariam dispostos a oferecer 24 milhões de euros (R$ 69,3 milhões) ao Corinthians, valor que supera o do Tottenham. O clube de Londres havia enviado uma oferta de R$ 59 milhões, prontamente aceita pelo Timão. No entanto, os alvinegros queriam mais.

Destes R$ 59 milhões, 50% iria para o Parque São Jorge, mas não sem antes uma redução por impostos, que chegariam até 17%. A diretoria, então, resolveu esperar o final da Copa das Confederações, já que Paulinho disputa a competição com a Seleção, e ver o que faz.

Enquanto a cúpula vê uma de suas principais revelações dos últimos anos jogar pelo time nacional, outros clubes poderiam concorrer por Paulinho e fazer uma oferta maior. Após este domingo, data da final do torneio, o volante e os dirigentes deverão se reunir e selar o destino do jogador.

Certo é que o atleta de 24 anos não jogará as duas finais da Recopa Sul-Americana, contra o São Paulo, como já admitiu o diretor-adjunto Duílio Monteiro Alves. A menos que os interessados desistam de contratá-lo, algo que dificilmente acontecerá.

Por Cezar Alvarenga – Argentinos do Granada da Espanha são oferecidos ao Flamengo.

Fonte: Yahoo! Esportes

buonanotte

O Flamengo ainda busca reforços para a continuação do Campeonato Brasileiro e da Copa do Brasil e os jogadores podem estar vindo de fora do país. Segundo o site ‘Lance!Net’, dois argentinos foram oferecidos ao Rubro-negro. Trata-se do meia Diego Buonanotte e do atacante Alejandro Domínguez, ambos com passagens no River Plate e atualmente no Granada, da Espanha.

Com a chegada de Mano Menezes, muitos jogadores têm sido oferecidos ao Flamengo. O empresário dos argentinos, Roberto Miguel, conduz as negociações e consultou o clube para saber se seus atletas interessavam ao novo treinador rubro-negro.

Após o primeiro contato, feito por parte do empresário, cabe aos dirigentes da cúpula de futebol do Flamengo analisarem e responderem se irão prosseguir com as negociações. Caso a resposta seja positiva, Roberto Miguel irá à Gávea pessoalmente para conduzir as tratativas.

Ainda sem nenhum reforço durante a paralização para a Copa das Confederações, o Flamengo volta a campo no dia 6 de julho, quando enfrenta o Coritiba, ainda sem local definido.

Por Cleber Aguiar – Santos acerta transferência de Felipe Anderson para o Lazio por € 7,8 mi

Fonte: Globo.com

Foram feitas várias reuniões para que o martelo fosse batido. A princípio,
os santistas e os investidores não estavam propensos a aceitar a venda

Por Fernando Prandi e Lincoln Chaves

Felipe Anderson santos (Foto: Ricardo Saibun/Divulgação Santos FC)Meia Felipe Anderson dá adeus à Vila Belmiro
(Foto: Ricardo Saibun/Divulgação Santos FC)

Depois de muitas idas e vindas, o meia Felipe Anderson finalmente foi vendido pelo Santos para o Lazio, da Itália. O clube europeu já havia tentado levar o meio-campista no início do ano, mas só conseguiu fechar o negócio agora. O valor da transação é € 7,8 milhões (R$ 22,6 milhões). O alvinegro era dono de 50% dos direitos do atleta, e o fundo inglês Doyen Sports possuía os outros 50% dos direitos do jovem.

Foram feitas várias reuniões antes de o negócio ser concretizado. A princípio, santistas e investidores não estavam propensos a aceitar a venda, o que gerou insatisfação por parte dos representantes do jogador.

Muito cobrado pela torcida e pela diretoria do Peixe, Felipe Anderson já havia pedido para o clube aceitar a proposta. Mesmo após a saída de jogadores como Paulo Henrique Ganso e Neymar, o meia ainda não tinha conseguido se firmar como titular. Antes da parada do Campeonato Brasileiro por conta da Copa das Confederações, era reserva de Montillo.

Um dos principais críticos de Felipe Anderson era o técnico Muricy Ramalho, que via qualidade no jogador, mas cobrava mais participação dele nos jogos. O ex-treinador do Santos não costumava poupar gritos com o meia durante os jogos.

Por Cleber Aguiar – Pioneiro no Maracanã, Bangu torce por Seleção e busca alternativa

Fonte: Gazetaesportiva.net

Bruno Ceccon e William Correia

dolo de Pelé, Zizinho disputou a final da Copa de 1950 diante do Uruguai como titular da Seleção. Quatorze dias depois da traumática derrota, o craque deixou o Maracanã como campeão e fez do Bangu o primeiro clube a conquistar um título no estádio recém-construído. Longe do papel de protagonista, o time suburbano atualmente torce pela vingança do Brasil diante da Celeste na Copa das Confederações, enquanto procura maneiras de coexistir de forma competitiva ao lado dos grandes no cenário nacional.

O Bangu era uma potência do futebol carioca no começo dos anos 1950. Bancado pela fábrica de tecidos do bairro, o time iniciou a temporada com uma excursão invicta pelo Chile – venceu Universidad Católica e Colo-Colo e empatou com a seleção local. Nos dias que antecederam a Copa do Mundo, a equipe enfrentou o Brasil (uma vitória e três derrotas) e a Espanha (uma derrota, em Moça Bonita). Como sinal de seu poderio econômico, tirou Zizinho do Flamengo na maior transação da história do futebol nacional.

O primeiro título de um clube no Maracanã foi o Torneio Início do Campeonato Carioca de 1950. Em jogos de 20 minutos, decididos em cobranças de pênalti em caso de empate, o Bangu venceu Canto do Rio, Botafogo e Olaria. Na final, com 60 minutos de duração, o time da Zona Oeste precisou da prorrogação para ganhar do Vasco por 3 a 2. O campeonato, com regulamento pitoresco, era apenas o aquecimento para o Estadual, mas aquela edição se travestiu de significado especial por conta da recente derrota da Seleção diante do Uruguai na Copa do Mundo de 1950.

“A realização do Torneio Início veio a demonstrar que a torcida carioca não esqueceu o futebol como seu esporte predileto. Aquela grande assistência, que totalizou cerca de 46 mil pessoas, voltou aos campos de futebol da cidade após o desastre de 16 de julho. Os 503 mil cruzeiros arrecadados pelas bilheterias do majestoso Maracanã vieram a provar que não morreu o futebol no Brasil. É de se prever que para os futuros jogos decisivos do certame de 1950 as rendas subirão consideravelmente e as multidões voltarão” noticiou o jornal A Gazeta Esportiva em sua edição do dia 1º de agosto de 1950.

Divulgação

Com o craque Zizinho no time, o Bangu foi o primeiro clube a conquistar um título no lendário Estádio do Maracanã

O jornalista e historiador Carlos Molinari, autor de três livros sobre o Bangu, considera o período um dos mais prolíficos da agremiação fundada em 1904. “O clube vivia seu auge em termos patrimoniais e de atletas. Atualmente, você não imagina o Bangu jogando nem contra o Taiti, mas naquela época a equipe tinha condições de levar público ao Maracanã e vencer qualquer adversário. Era um Bangu gigante. Pode-se dizer que o título do Torneio Início de 1950 representou a volta da normalidade depois da hecatombe da final da Copa do Mundo”, explicou.

O Bangu já havia conquistado o título do Campeonato Carioca de 1933, o primeiro do profissionalismo, e, impulsionado pelo investimento do bicheiro Castor de Andrade, ganhou o estadual em 1966 e foi vice brasileiro em 1985. Bicampeão mundial com a Seleção em 1958 e 1962, Zózimo vestiu 466 vezes a camisa da agremiação famosa pela passagem do clã Da Guia – além de Domingos e Ademir, atuaram Ladislau, Médio e Luiz Antônio, entre outros. Em 1960, o time venceu o Torneio de Nova York, considerado por alguns como uma espécie de Mundial de Clubes.

Sem o mecenas Castor de Andrade, o Bangu perdeu relevância no cenário nacional e se acostumou ao papel de coadjuvante. Depois de ficar na 11ª colocação do Campeonato Carioca-2013, o time suburbano se prepara para participar da Copa Rio. O campeão do torneio, com início previsto para agosto, pode escolher entre disputar a Copa do Brasil ou a Série D do Campeonato Brasileiro de 2014, enquanto o vice garante presença na competição preterida pelo algoz. Jorge Varela, presidente do Conselho Diretor do clube e homem forte do futebol, planeja valorizar a base.

“Neste ano, estamos fazendo algumas alterações e vamos jogar principalmente com os atletas da casa. Temos em torno de 16 jogadores que pertencem ao clube e queremos colocar todos em atividade, além de trazer outros para compor o elenco”, disse. Segundo Varela, o orçamento para o futebol em 2013 foi inferior a R$ 1 milhão. Ainda assim, ele tem o objetivo de ver o Bangu de volta ao Campeonato Brasileiro, já que a CBF passou a subsidiar parte das despesas dos times nas Séries C e D. “Seria muito interessante ter mais um clube tradicional do Rio de Janeiro no torneio”, completou.

Uma das saídas imaginadas pela diretoria para oxigenar as finanças é reformar o acanhado Estádio Proletário Guilherme da Silveira Filho, mais conhecido como Moça Bonita, com capacidade para 15 mil pessoas. A interdição do Engenhão, aliada ao alto custo que deve envolver uma partida no Maracanã nas mãos do consórcio integrado pelo empresário Eike Batista, faria do local uma boa alternativa para os clubes do Rio de Janeiro. No começo de junho, o prefeito Eduardo Paes chegou a falar publicamente sobre a possibilidade de remodelar a casa do Bangu, ideia que agrada ao presidente.

“Teríamos um estádio pequeno, mas suficiente para receber jogos do Carioca, do Brasileiro e até da Libertadores. Seria uma alternativa intermediária para o Rio de Janeiro, além do Engenhão (45 mil lugares) e do Maracanã (70 mil). Financeiramente, seria bom para o Bangu e, com um aluguel mais barato, também para os outros clubes”, disse Varela, antes de revelar um problema burocrático. “O Bangu está aqui há mais de 60 anos, mas o estádio ainda consta como se pertencesse à Fábrica Bangu. Essa questão está sendo solucionada na Justiça para que possamos pensar na reforma”, disse.

Bruno Ceccon/Gazeta Press

Uma das alternativas estudadas pela diretoria do Bangu é promover uma reforma no acanhado Estádio Moça Bonita

O jornalista e historiador Carlos Molinari chegou a atuar como diretor de patrimônio histórico do clube de 1999 a 2001, mas atualmente se opõe à gestão encabeçada por Jorge Varela, no poder desde 2007. O escritor enxerga o dirigente como um títere de Rubens Lopes da Costa Filho, atual presidente da Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj) e ex-mandatário do próprio Bangu. Cético, ele descarta a possibilidade de ver o time de coração recuperar terreno no cenário nacional sem uma mudança profunda na atual diretoria.

“O abismo financeiro é cada vez maior, praticamente irreversível. Quanto é o faturamento anual do Flamengo hoje em dia?”, questiona, antes de citar a parte diretiva. “O Bangu é um feudo. Quem está no comando representa os olhos da Ferj dentro do clube. Em qualquer decisão de maior vulto, o Varela tem que consultar o Rubens. O único comprometimento dessas pessoas é permanecer na primeira divisão do Carioca para não perder a verba da televisão. Ninguém vai querer investir em um clube que é uma caixa preta. No futebol moderno, não tem como repetir o que já foi”, sentenciou.

Com mandato até 2014, Varela nega que o Bangu sofra qualquer tipo de ingerência ou privilégio por conta da ligação de Rubens Lopes com a agremiação. “Atualmente, ele é presidente da Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro. É o presidente de todos os clubes. Temos que saber diferenciar. Ele nem vem ver os jogos em Moça Bonita. O presidente tem a posição dele e sabe se colocar. Deve tratar todos os clubes da mesma maneira, e é isso que faz”, afirmou o mandatário. “É mais fácil sermos prejudicados do que beneficiados pela arbitragem”, acrescentou.

Bruno Ceccon/Gazeta Press

O ex-ponta direita Marinho, com passagem pela Seleção Brasileira, torce pelo sucesso do time dirigido por Felipão

O ex-ponta direita Marinho é um elo entre o mais recente ciclo vitorioso do Bangu e o momento atual vivido pelo clube. Convocado pelo técnico Telê Santana para defender a Seleção Brasileira em 1986, ele foi o último atleta do time suburbano a vestir a amarelinha. Às 16 horas (de Brasília) desta quarta-feira, em Belo Horizonte, a equipe comandada por Luiz Felipe Scolari enfrenta o Uruguai em busca de uma vaga na decisão da Copa das Confederações, com o apoio incondicional do antigo jogador.

“O Brasil já tem um time muito forte, mas ainda precisa melhorar bastante antes de disputar o Mundial de 2014. Na Copa das Confederações, acho que a equipe chega à final, porque sempre cresce jogando contra as principais seleções do mundo. Estou torcendo”, disse Marinho. Se passar pelos algozes de 1950, o escrete voltará ao Maracanã para jogar a decisão do torneio contra o vencedor do duelo entre Espanha e Itália. Sessenta e três anos depois, Neymar tentaria repetir o feito de Zizinho e seus companheiros de Bangu.

Por Cleber Aguiar – Sem cota de TV, times da Série C se irritam e falam em desprezo da CBF

Fonte: Futebolinterior.com.br

A principio, a entidade havia proposto R$ 500 mil para cada time participante

 

 A indignação, e principalmente insatisfação que tomou conta das ruas do país nas últimas semanas, também pode ser vista nos bastidores do futebol. Sem a verba referente às cotas de TV, os times que estão disputando a Série C se irritaram e dispararam contra a CBF, hoje dirigida por José Maria Marin (foto abaixo).

A principio, a entidade havia proposto R$ 500 mil para cada time, mas depois reduziu para R$ 400 mil. Até ai tudo bem, quando no final de semana a mesma emitiu comunicado dizendo que não disponibilizaria mais a verba devido aos altos custos que já tem com a competição – passagens e hospedagem dos clubes.  

A mensagem não agradou aos participantes da Terceira Divisão, principalmente os mais tradicionais, como Guarani, Fortaleza e CRB. Todos estes reprovaram a atitude e ainda acusaram a entidade de favorecer os que integram as principais Divisões do Nacional. Os dirigentes de Santa Cruz e Luverdense não foram encontrados.

Para eles, a quantia ajudaria a pagar parte das contas, além de colaborar com outros investimentos. Um problema, que na verdade se tornou frequente para os times que jogam a Série C, já que não tem visibilidade e recebem pouco (as vezes nenhum) apoio dos Governos dos seus Estados. Um exemplo é o Rio Branco, antes o “queridinho” do Acre, mas que encontra-se desprezado.

O primeiro a se pronunciar quanto a decisão foi o presidente do Baraúnas, Eudes Fernandes. “Era 500 mil, depois baixou pra 400. Assinamos o documento, só que agora fica meio complicado de sustentar se eles disseram que não vão mais patrocinar”, disse.

Mas, e as Arenas?
O que muitos questionam é o apoio da CBF para com a construção de Arenas bilionárias para a Copa do Mundo de 2014. São obras superfaturadas e que comprometeram os cofres públicos de muitos Estados. Dinheiro este que poderia ter sido investido em áreas como saúde, educação e transporte. Por isso a revolta do povo brasileiro das ruas.

Confira a opinião dos dirigentes:

Alarcon Pacheco (gerente de futebol do CRB)
“Entramos no campeonato já sabendo que seria difícil uma ajuda da CBF. Agora, com esta confirmação, para nós vem com naturalidade. Agente fica triste, mas bola pra frente. Temos que seguir trabalhando”, disse o dirigente.

Cristiano Dresch (vice-presidente do Cuiabá)
“Nós haviamos solicitado essa ajuda na CBF, mas em nenhum momento ela se comprometeu. É ruim, mas nós já não estávamos esperando. Agente não vai fazer campanha contra a CBF”.

Jurandir Júnior (supervisor do Fortaleza)
“A CBF não vê com bons olhos da Série C. Isso é desde quando ela decidiu por colocar mais um time na disputa (no caso, o Rio Branco). Queria ver se tivesse um grande time no campeonato, como Palmeiras ou Fluminense. Com certeza a sua posição seria diferente”.

“Qual a diferença do Marín para o outro (Ricardo Teixeira)? Ninguém nunca ajudou os times da Terceira Divisão. É uma pena”, finalizou.

Álvaro Negrão (presidente do Guarani)
“Estou de férias na Itália, mas acompanhando tudo o que acontece com o Guarani. Nós reprovamos a decisão da CBF, já que este dinheiro nos ajudaria financeiramente. É evidente a diferença da entidade para dos grandes com os pequenos”, disse o presidente.

Leia na íntegra o e-mail que a CBF enviou aos clubes:

“Apresentando nossas cordiais saudações, em resposta ao pleito dos clubes da Série C do Campeonato Brasileiro, informamos que a Confederação Brasileira de Futebol está desenvolvendo um trabalho de ampliação e captação de novas receitas para os campeonatos nacionais.

Lembramos que a entidade efetua o custeio da arbitragem, além de todas as despesas de alimentação, transportes e hospedagens dessa competição, o que resulta num expressivo montante do orçamento da entidade.

Dessa forma, mesmo reconhecendo a importância dessa competição para o futebol nacional, neste momento não é possível a destinação de novos recursos para esse campeonato, caso contrário estaríamos comprometendo a projeção orçamentária já aprovada em assembleia geral para esse exercício.
Agradecemos, desde já, e contamos com a compreensão de todos.”

Antônio Osório Ribeiro – Diretor Financeiro

Por Cleber Aguiar – Santos admite prioridade por laterais, e jogador chileno ganha força na Vila

Fonte: Globo.com

Vice-presidente Odílio Rodrigues confirma carência no elenco, e Eugênio
Mena, na Universidad de Chile, volta à pauta de contratações do alvinegro

Por Fernando Prandi e Lincoln Chaves Santos, SP

A diretoria do Santos corre atrás de reforços e pretende anunciá-los antes mesmo do retorno do time ao Campeonato Brasileiro, marcado para o próximo dia 7 de julho, contra o São Paulo, no Morumbi. O vice-presidente do clube, Odílio Rodrigues, admite que as laterais estão entre as prioridades, enquanto o jornal ‘El Mercurio’, do Chile, publica que o Peixe voltou à carga para tentar contratar o chileno Eugenio Mena, lateral-esquerdo da Universidad de Chile.

– Queremos reforçar o plantel com contratações. Temos a intenção de reforçar as laterais, sim. De fato, precisaríamos de mais opções – afirma o vice-presidente santista, Odílio Rodrigues.

Mena e Pablo Mouche, Universidad de Chile x Boca Juniors (Foto: Agência Reuters)Mena, de azul, em ação pela Universidad de Chile, durante confronto contra Boca Juniors (Foto: Agência Reuters)

Para a publicação chilena, o dirigente teria sido ainda mais direto:

– Sim. Temos conversado com o Universidad de Chile e com o agente do jogador. É uma possibilidade que seguimos avaliando – declara Odílio.

Mena tem 24 anos e atuou toda a carreira no futebol chileno. Além de lateral, ele também já jogou de zagueiro. O Granada (ESP) também tem interesse no jogador, que ainda não tem passaporte europeu – o que pode endurecer a transferência para o futebol da Europa.

Por enquanto, o Santos tem em seu elenco para a lateral-esquerda o veterano Léo, que vai completar 38 anos em julho, e os jovens Emerson e Paulo Henrique. Guilherme Santos, que fazia parte do elenco comandado por Muricy Ramalho, foi afastado e está treinando separado do restante do elenco santista. Bruno Cortez, do São Paulo, chegou a ser especulado, mas não acertou com o clube.

Direita também inspira cuidados

Reforços para a lateral-direita também são estudados. No momento, o Santos conta com Bruno Peres e Galhardo para o setor, mas já flertou com Fagner, do Wolfsburg (ALE), e Cicinho, da Ponte Preta.

– O Cicinho foi um nome discutido, mas com quem também não avançamos. A relação de jogadores (discutidos) é sempre muito grande – confirma Odílio.

Odílio Rodrigues, vice-presidente do Santos (Foto: Lincoln Chaves / Globoesporte.com)Odílio Rodrigues, vice-presidente do Santos, afirma
que mercado está carente (Foto: Lincoln Chaves)

Problema antigo

O problema na lateral-direita não é novo no Santos. Se a lateral-esquerda teve bons momentos com Kleber (hoje no Internacional) e Léo (que permanece no clube), na direita a torcida não teve o que comemorar por muito tempo. Desde Paulo César, em 2004, os únicos que se firmaram – mas permaneceram pouco tempo na Vila – foram Jonathan e Danilo.

De acordo com Odílio Rodrigues, o mercado está escasso, fruto, entre outros motivos, da forma como os jogadores têm sido formados no Brasil. Segundo ele, formam-se laterais com características de ala, mas não completos.

– É difícil encontrar um lateral com essas duas virtudes (marcação e apoio). Acho que as formações dos laterais, na base, prezam muito as características de ala. Todo técnico quer um jogador forte no apoio, mas que tenha consciência de marcação. Vemos na nossa base. Temos bons laterais, mas com melhor desempenho no apoio.