Por Cezar Alvarenga – Em jogo morno, Brasil vence a França por 3 a 0 e encerra jejum contra seleções campeãs do mundo.

Fonte: ESPN.com.br

Não foi uma exibição de gala, apesar do placar. Mas pelo menos a seleção brasileira acabou neste domingo, em Porto Alegre, com a sina de não conseguir vencer rivais de tradição.

Com gols de Oscar, que mais uma vez foi melhor que Neymar, Hernanes e Lucas (seu primeiro tento em 2013), o time de Felipão venceu a França por 3 a 0, no último teste antes na estreia da Copa das Confederações.

Desde o final de 2009, quando ganhou da Inglaterra, o Brasil não sabia o que era vencer um time campeão mundial. Fez isso contra uma equipe francesa esfacelada e em forte crise técnica (é apenas a 18ª colocada no ranking da Fifa, quatro postos acima dos brasileiros). O triunfo também encerrou um jejum de 21 anos sem ganhar da seleção francesa.

Foi só a segunda vitória em sete jogos do time nacional sob o comando de Felipão. No anúncio das escalações, o mais aplaudido foi o treinador, que é gaúcho. E o jogo também começou com a torcida tendo motivos para se animar.

Com menos de dois minutos, o Brasil teve duas chances de marcar, uma com Neymar, depois de trapalhada do goleiro Lloris, e outra com Fred. Mas logo a torcida gaúcha confirmou a fama de ter pouca paciência com a seleção.

Nos primeiros erros de passe de Luiz Gustavo, já se ouviam pedidos por Fernando, volante do Grêmio. E antes dos 15min era a França que mais atacava, com Benzema se deslocando e confundindo a marcação brasileira.

Em um contra-ataque, Neymar foi parado com falta na entrada da área. Infração perigosa que ele mesmo bateu, mas com a mesma incompetência nas bolas paradas que é a marca desta nova era Felipão.

Jogando pelo lado direito do ataque, Hulk, mais uma vez sob desconfiança da torcida, era o brasileiro que criava as melhores jogadas. E com elas o Brasil não conseguiu abrir o placar no primeiro tempo, mas pelo menos foi para o intervalo sob aplausos.

Os dois times voltaram para o segundo tempo sem alterações. E a metade final do jogo começou novamente com Hulk sendo o mais inspirado atacante brasileiro.

Mas ele não participou do lance que colocou o Brasil em vantagem. Aos 9min, Luiz Gustavo roubou uma bola, com falta para os franceses, e tocou para Fred, que cruzou para Oscar dominar e chutar para marcar o primeiro gol.

O jogo, que até então era equilibrado, deu a impressão que teria amplo domínio brasileiro. Mas não foi o que aconteceu. A França partiu para cima e, com David Luiz desatento, teve duas chances seguidas para empatar.

Felipão resolveu então reforçar a marcação. Fernando, o mais pedido pela torcida, entrou na vaga de Oscar. Aplausos para a entrada do primeiro e vaias para a saída do segundo. Além dessa troca, Lucas entrou no posto de Hulk.

E o Brasil conseguiu acabar o jogo tranquilo, depois do segundo gol aos 38min, em jogada trabalhada que acabou com Neymar ajeitando para Hernanes chutar e vencer Lloris. Nos acréscimos, Marcelo avançou da esquerda para a direita e, ao tentar se livrar da marcação, acabou derrubado dentro da área. Lucas, em cobrança de pênalti, fez o terceiro, o seu primeiro gol no ano. Logo depois do jogo, os atletas da seleção entram em folga. A reapresentação é na noite desta segunda-feira, em Goiânia, onde o time treinará até quarta-feira. De lá, vai de ônibus até Brasília, palco da estreia na Copa das Confederações contra o Japão, no sábado.

GALERIA Meião rasgado, gols de ex-são-paulinos e torcida na Arena, veja as melhores imagens de Brasil 3 x 0 França

FICHA TÉCNICA:

BRASIL 3 X 0 FRANÇA

Data: domingo, 9 de junho de 2013

Local: Arena Grêmio, em Porto Alegre

Árbitro: Victor Carrilo (PER)

Público pagante: 51.693 pagantes

Renda: R$ 6.833.515,00.

Cartões Amarelos: David Luiz (BRA)

Gols: Oscar, aos 9min, Hernanes aos 38min e Lucas aos 47min  do segundo tempo

Brasil: Júlio César; Daniel Alves, Thiago SIlva, David Luiz e Marcelo; Luiz Gustavo (Hernanes), Paulinho (Dante) e Oscar (Fernando); Neymar (Bernard), Fred (Jô) e Hulk (Lucas)

Técnico: Luiz Felipe Scolari

França: Lloris; Debuchy, Rami, Sakho e Matthieu; Cabaye (Gomis), Matuidi (Grenier), Guilavogui; Payet e Valbuena (Giroud); Benzema (Lacazette).

Técnico: Didiers Deschamps

Por Cezar Alvarenga – Flamengo abre negociações para contratar Mano Menezes.

Fonte: Yahoo! Esportes

O desejo de ter logo Mano Menezes e a agenda pessoal do técnico proporcionaram uma correção de rota nos planos da diretoria rubro-negra. Se antes o diretor-executivo de futebol, Paulo Pelaipe, iria conversar com Mano em Porto Alegre nesta segunda-feira, o contato inicial foi feito ainda no fim de semana.

De volta da Argentina, onde assistiu ao jogo entre a seleção portenha e a Colômbia, no fim de semana, o treinador desistiu de viajar à capital gaúcha e chegou a São Paulo, onde tem compromissos marcados para esta segunda-feira. Por isso, a diretoria rubro-negra enviou uma tropa de choque no domingo à capital paulista para ter um encontro com o técnico e tentar sacramentar a contratação.

Após saída, Jorginho admite surpresa: ‘Fiquei triste’

O vice de futebol, Wallim Vasconcellos, o vice de marketing, Luiz Eduardo Baptista, o Bap, e o vice de finanças, Rodrigo Tostes, comandaram as conversas com o ex-treinador da seleção brasileira. Em pauta, tempo de contrato, a sequência de trabalho de reestruturação do departamento de futebol, iniciada no início do ano, e a questão financeira. Flamengo e Mano tentarão chegar a um denominador comum. Após demitir Dorival Júnior pelo lado financeiro e apostar, sem sucesso, em Jorginho, a diretoria sabe que necessita de um nome de peso.

Após o encontro, Mano ficou de avaliar a possibilidade de trabalhar no Flamengo e novas conversas devem ocorrer ainda nesta semana. Nesta terça-feira, o ex-técnico da seleção brasileira completa 51 anos. A ideia da diretoria rubro-negra é que ele seja apresentado e já dê início ao trabalho no dia 17 de junho, quando o elenco retorna de férias durante a paralisação para a disputa da Copa das Confederações. O Flamengo só volta a disputar o Brasileiro no dia 6 de julho, contra o Coritiba, em local a ser definido.